SlideShare uma empresa Scribd logo
1
ENCONTRO DE PREPARAÇÃO PARA O BATISMO
Batismo fonte de todas as vocações!
Estamos apresentando um subsidio para o Encontro de Preparação ao Batismo onde pai e mãe, padrinho e
madrinha são convidados a rever sua fé e sua pratica religiosa em vista do batizado de seu filho, sua filha.
É um momento privilegiado na vida da família e na vida da comunidade paroquial. Pelo batizado a criança
entrará na comunidade dos seguidores, seguidoras de Jesus Cristo. O pai e a mãe, juntamente com o
padrinho e a madrinha trazem para este momento toda a vivencia que tem (ou não) de sua caminhada na
Igreja.
O Encontro de Preparação ao Batismo é um convite ao casal a retomar o sacramento matrimonial e
perceber suas conseqüência através do filho, da filha que nasceu. O Documento de Aparecida faz este apelo
em seu numero 160: “Convidamos a esses a aprofundar sua fé e a participar mais plenamente na vida da
Igreja recordando-lhes que “em virtude do batismo, estão chamados a serem discípulos e missionários em
Jesus Cristo””.
Ainda no Documento de Aparecida, no numero 349, lemos: “O chamado de Jesus no Espírito e o anúncio
da Igreja apelam sempre à nossa acolhida, confiados pela fé. “Aquele que crê em mim tem a vida eterna”.
O batismo não só purifica dos pecados. Faz renascer o batizado, conferindo-lhe vida nova em Cristo, que o
incorpora à comunidade dos discípulos e missionários de Cristo, à Igreja, e o faz irmão dos filhos do
mesmo Pai, reconhecendo Cristo como Primogênito e Cabeça de toda a humanidade. Sermos humanos
implica vivermos fraternalmente e sempre atentos às necessidades dos mais fracos.”
Assim esperamos que este subsídio ajude pais, mães, padrinho e madrinhas, assim como toda a equipe da
pastoral do batismo a aprofundar sua experiência batismal e que esta proposta viabilize um engajamento
dos envolvidos na pastoral orgânica da Igreja.
Missão dos membros da Pastoral do Batismo em Comunidade
BATISMO (1º Sacramento) – Mergulho espiritual no Amor infinito do Pai, que nos torna FILHOS E
FILHAS DE DEUS.
A Pastoral do Batismo busca esclarecer a importância desse Sacramento e junto com a comunidade se
alegrar com esta Verdade.
A Pastoral do Batismo da comunidade, são grupos de pessoas que procuram ser Sal da terra e Luz do
mundo (MT 5, 13-16), num trabalho de evangelização, que tem por fim:
• Visitar as famílias onde esperam o nascimento de um novo Ser e fazer com elas reuniões,
orientando-as e preparando-as para o Batismo, num trabalho de Evangelização.
• Verificar as necessidades das famílias visitadas para apresentar às outras Pastorais, para que possam
acolhê-las.
• Levar a todos, alegria e acolhimento com fé, esperança e caridade.
Normas Pastorais para o Sacramento do Batismo
1- Pai e Mãe, padrinho e madrinha de batismo façam uma preparação séria e, de preferência, na própria
Comunidade ou Paróquia.
2- Crianças, até 7 anos, não precisam de preparação.
3- Crianças, dos 8 a 12 anos, façam juntamente a catequese de preparação para a primeira Eucaristia.
2
4- Para jovens e adultos, a preparação seja adaptada às suas circunstâncias e idades, em maior
profundidade, com a participação na Comunidade e se atenda à preparação completa para todo o Rito da
Iniciação Cristã.
5- A idade mínima exigida para os padrinhos e as madrinhas é de 16 anos. Devem levar uma vida de
acordo com a fé e a responsabilidade que vão assumir.
8- Quando um dos dois, pai ou mãe, não for católico, tenha-se o cuidado, na preparação, do respeito à sua
posição religiosa, ao amadurecimento de sua opção, à liberdade no pedido e no assumir do batismo dos
filhos, numa abertura à vida da Comunidade.
9- Não se pode negar o Batismo a ninguém. Quando pai e mãe, vivendo juntos, não são casados
religiosamente e não tenham impedimento para se casarem, é importante o empenho da Comunidade em
levá-los ao matrimônio, dando assim valor à vivência sacramental. Quando for pedido o batismo para
filhos de pais que não podem se casar e de pais e mães solteiros (as), é importante uma especial atenção
pastoral, caso por caso. O ministro ou ministra e a comunidade dê atendimento caridoso ao
acompanhamento pastoral dos batizandos e seus pais.
10- O Batismo seja feito, de preferência, na Comunidade ou Paróquia de origem ou onde os pais participam
por algum vínculo afetivo. Para que sejam os pais admitidos em outra Paróquia, que o Pároco forneça por
escrito, uma apresentação da criança acompanhada do comprovante de preparação ou de acordo com as
orientações da Diocese.
11- A celebração do Batismo seja feita na Igreja paroquial ou lugar de celebração da Comunidade. Se
houver motivo grave para realizar a celebração numa casa, é necessária a permissão do Ordinário (Bispo ou
Vigário Geral), (cânon 860), exceto em perigo de morte. (Nestes casos batizar sob condição de forma
privada).
12- Sempre se registre o Batismo na Paróquia ou Comunidade onde for realizado. Enquanto possível, se
ofereça uma lembrança ou certidão.
Deveres da Pastoral de Batismo de Comunidade
1. A Pastoral deverá trabalhar sempre com o crachá;
2. A Pastoral deverá ter um caderno para anotações diversas;
3. Na primeira visita, anotar os dados da criança, pais e padrinhos (nome, endereço, data de nascimento,
estado civil e estado sacramental dos membros: Batismo, Crisma e 1a
Eucaristia e Matrimônio);
4. A Pastoral deverá procurar as gestantes de sua comunidade, e orientá-las sobre a escolha dos
Padrinhos e das Madrinhas. Atenção especial às mães solteiras, carentes e desamparadas, neste caso
orientar também para procurar o órgão competente;
5. Se os padrinhos forem casados, indicar em qual paróquia foi a celebração. Se solteiro, viúvo,
separado ou desquitado, não é recomendado que estejam vivendo maritalmente ou em concubinato. Vale
lembrar que o importante é o testemunho de vida atual;
6. O Padrinho e a Madrinha deverão ter mais de 16 anos;
7. Se o Batizando for maior de 7 (sete) anos ou já adulto, deverá ser encaminhado para a Pastoral da
Catequese;
8. A Madrinha ou Padrinho de Consagração deverá estar presente no Encontro de Preparação do
Batismo;
9. Se algum dos participantes do Batismo se ausentar à preparação, a Pastoral deverá marcar outra
reunião para atendê-lo de acordo com a sua possibilidade o mais breve possível;
10. Em caso grave, onde houver risco de morte, o Batismo poderá ser feito por qualquer pessoa do
princípio que haja intenção sincera e use da ÁGUA e da forma: EU TE BATIZO EM NOME DO PAI E
DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO;
11. A Pastoral deverá se apresentar com o maior número de membros possível por ocasião das visitas;
12. A Pastoral deverá em sua Comunidade de trabalho (no final das missas, em grupos de oração,
reuniões, etc.) colocar-se a serviço e à disposição para atender às necessidades da sua Comunidade;
13. A Pastoral deverá estar sempre em contato com a sua ligação, para mantê-lo informado sobre a ação
desta na Comunidade;
14. No dia do Batismo das crianças visitadas na Comunidade, é importante que a Pastoral se faça
presente na Igreja: recepcionando-os e acolhendo-os com alegria;
3
15. Os membros da Pastoral do Batismo deverão reunir-se periodicamente para tratar de assuntos comuns
à Pastoral e estudar a melhor forma de enriquecer as reuniões da Pastoral do Batismo;
16. Incentivar as famílias e participar dos movimentos de Comunidade;
17. Visitar ou enviar mensagem de felicitações em nome da Pastoral, a todas as crianças que fazem 1
(um) ano de Batismo;
18. A comunidade eclesial inteira tem uma parcela de responsabilidade no desenvolvimento e na
conservação da graça recebida no Batismo. É nosso papel, assim como o dos pais, padrinhos e madrinhas
sermos cristãos firmes, capazes e prontos a ajudar o novo batizado, criança ou adulto, na sua caminhada na
vida cristã.
19. Preencher todos os campos da ficha de INSCRIÇÃO com os dados do Batizando, Padrinho,
Madrinha e do Responsável por tais informações;
20. Orientar sobre a importância da presença de todos, principalmente Padrinho e/ou Madrinha (inclusive
de Consagração) no dia da preparação Batismal – Curso de Batismo;
* DOCUMENTOS NECESSÁRIOS
Residentes em nossa Paróquia:
- Certificado do curso de preparação para o batismo;
- Certidão de casamento religioso;
- Certidão de nascimento da criança;
- Comprovante de residência.
Residentes em outra Paróquia:
- Autorização da paróquia mais próxima da residência;
- Certificado do curso de preparação para o batismo;
- Certidão de nascimento da criança.
Visitas de batizados:
As visitas na pastoral do Batismo é um dos momentos essenciais para o sacramento de fato significar
pertença a uma comunidade católica. É o interesse de fato da comunidade para com aqueles que vivem a fé
e ou estão afastados da convivência comunitária. Visitar significa criar laços na comunidade. As visitas da
pastoral do Batismo não se darão somente neste momento do batizado. Ela tem inicio já com a gestante que
se prepara ser mãe. Encontro com o casal que prepara este momento com carinho e muitas vezes vivido em
meio às tribulações do dia a dia. A visita aqui não é só para preencher uma ficha, mas um verdadeiro
encontro de famílias. A visita se prolongará após o batismo criando com a família um elo comunitário e
ajudando a família a tornar-se uma igreja domestica. Visa o verdadeiro engajamento comunitário e o
carinho da comunidade para com as famílias.
1ª visita: logo após a inscrição na secretaria
2ª. Visita: 6 meses depois do batizado
3ª. Visita: 1 ano após o batizado
4ª. Visita: 2 anos após o batizado: visita normal e convidá-los para o Encontro Anual de Famílias. Este
encontro é também responsabilidade da Pastoral do Batismo, mas de comum acordo com a Pastoral
Familiar da Paróquia.
Após este momento encaminhar os pais e padrinhos para a pastoral familiar.
Aqui seria importante ter também um encontro com as gestantes da comunidade. Por isto é preciso fazer o
mesmo acompanhamento com os casais que se casam na comunidade e com as gestantes.
PARTE SUPERIOR DO FORMULÁRIO
ANOTAÇÕES SOBRE A VALIDADE DO BATISMO EM OUTRAS IGREJAS:
a) Batizam validamente:
4
- Igrejas Orientais, que não estão em plena comunhão com a Igreja católico-romana, em geral conhecidas
como ortodoxas;
- Igreja Episcopal Anglicana;
- Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil;
- Igreja Evangélica Luterana do Brasil;
- Igreja Metodista.
b) Igrejas que não têm urgência de batizar, mas, quando batizam,
o fazem validamente:
- Igrejas presbiterianas;
- Igrejas batistas;
- Igrejas congregacionais;
- Igrejas adventistas;
- Igrejas Pentecostais que usam a fórmula trinitária:
“Eu te batizo, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”;
- Exército de Salvação.
c) Igrejas, de cujo batismo se pode prudentemente duvidar.
Por isto, deve-se batizar, sob condição:
- Igrejas Pentecostais que utilizam a fórmula:
“Eu te batizo em nome do Senhor Jesus”;
- Igrejas Brasileiras;
- Mórmons.
d) Batismo certamente inválido:
- Testemunhas de Jeová;
- Ciência Cristã;
- Grupos de Umbanda.
PREPARATIVOS PARA O ENCONTRO DE BATISMO
Para o bom êxito do Encontro, é necessária a formação de algumas equipes, conforme sugestão a
seguir. Pessoas simples, até analfabetas, poderão fazes parte de uma das equipes. Basta treiná-las.
O numero de pessoas em cada equipe varia conforme o número de participantes do encontro. O
ideal seria pelo menos três pessoas em cada equipe.
I - Equipe de Acolhida (casais da pastoral familiar, MFC, casais de segunda união, pais que já
participaram dos encontros de preparação)
1. Arrumar o local do encontro (cadeiras, mesas com toalhas, flores, crucifixo,velas, sala bem iluminada e
arejada ou com ventilador, música ambiente);
2. Deixar o local limpo e adequado para o cafezinho, com todo o material necessário, evitando o
desconforto do acumulo de pessoas ao redor da mesa;
3. Providenciar banheiros, masculinos e femininos, devidamente limpos, equipados, em locais visíveis;
4. Arrumar local adequado para a equipe de secretaria;
5. Ver local próprio e pessoas devidamente instruídas para ocupar os filhos e filhas dos participantes do
encontro.
II - Equipe de Secretaria – (Para esta tarefa, alguns casais podem ser preciosa ajuda, ou casais de,
segunda união se sentirão muito valorizados se convidados para esta tarefa).
1. Receber bem as pessoas com simpatia e caridade;
2. Evitar filas, registrar os participantes em livro próprio, providenciar crachás e encaminhá-las ao local
do encontro.
3. Preencher e, na hora oportuna, entregar o comprovante de participação;
4. Eventuais gastos devem ser cobertos pela CPA. Nunca cobrar dos participantes que em muitos casos
estão reiniciando a vida na igreja.
5
III - Equipe de animação; (Os ministérios de música podem ser muito úteis neste caso).
1. Preparar instrumentos variados, com pessoas que saibam usá-los
2. Estar por dentro de todo o programa, desde a chegada até o término;
3. Ser sensível na seleção de cantos escolhidos e condizentes com o momento ou com o tema a ser
estudado;
4. Providenciar condições que facilitem o acompanhamento dos cantos (transparências, folhas...).
IV - Equipe do cafezinho e apoio
1. Providenciar ambiente espaçoso e equipado para cafezinho (mesa, garrafas de café, açúcar, chá, água,
copos, colherinha, bandeja, bolachas etc.);
2. Proporcionar encontro das crianças com os pais (se houver) no momento do cafezinho, estando atento a
servi-las.
V - Equipe de monitores
1. Acolher com alegria os participantes com alguma dinâmica de descontração, por exemplo: um
apresentar o outro, ou canto com gestos do tipo “os encontristas serão abençoados, porque o Senhor
vai derramar o seu amor...” ou algo equivalente;
2. Criar momento para oração, conhecida de todos. Nunca deixar faltar na oração uma leitura bíblica.
3. Providenciar local adequado para trabalhos em grupos etc.;
4. Deixar prontos os recursos audiovisuais (TV, vídeo, extensão, retroprojetor, datashow etc.)
5. Observar horário de início e fim das atividades. Estar por dentro dos assuntos a apresentar e
resolver casos imprevistos com tranqüilidade.
VI- Material para o encontro
Será também oportuno ter presente algum material básico para uso durante os encontros. Tomamos a
liberdade de sugerir alguns:
1. Bíblia, (tantas quantas necessárias, ao menos uma para cada grupo de trabalho).
2. Um documento: “Diretrizes Sacramentais da Diocese de Jales”
3. Papeis próprios para os trabalhos em grupo
4. Canetas, papéis em geral
5. Livro de cantos.
Duração do Encontro: O Encontro não pode ser cansativo, mas alegre e que possibilite aos participantes
um momento de viver a vida numa comunidade que testemunha de fato a presença amorosa de Deus em
suas vidas. Por isto os que estão “ministrando” o encontro devem ter isto em mente. O Encontro tem a
duração de no máximo 4 horas (08h00 ao 12h00). No Roteiro que apresentamos abaixo a duração é de 3
horas e 40 minutos. Saber aproveitar bem os momentos intercalando com momentos de musica. Por isto
deve-se pensar em ter ao menos uma pessoa com violão que anime estes momentos. Também os
participantes da Pastoral do Batismo tenham consciência de que estas 4 horas podem marcar
definitivamente a vida dos participantes. Evitar falar com palavras moralistas que podem melindrar as
pessoas, mas falar com palavras que expressem o que estamos vivendo. Se surgir uma discussão procurar
ser carinhoso com as pessoas. Lembrar que estas pessoas que ali estão carecem talvez de um maior
aprofundamento em questões de fé!
O Encontro tem o seguinte esquema:
1- Acolhida. Oração Inicial: 10 minutos. Procurar ser pontual no inicio da preparação para não atrasar
todo o Encontro.
6
2- 1ª. Parte: Trabalho em Grupo como explicado abaixo. Encaminhamento aos Grupos – Trabalho em
Grupo – Plenária - 1 hora.
3- 4 pequenas palestras: Sacramento do Batismo (Conscientizar) 20minutos, Os Símbolos do
Batismo (Explicar o significado) 15 minutos, Deveres de Pais e Padrinhos
(Conscientizar) 15minutos, Maria (Conscientizar) 15minutos. Total de 1h05.
4- Grupos Temáticos: Aqui são apresentados 9 grupos temáticos. Isto significa que serão 9 temas
diferentes. Bom seria se pudéssemos ter os 9 grupos. Haverá encontro onde isto será possível e
outros que a coordenação deverá eleger os que serão trabalhados naquele Encontro. A orientação
para este trabalho diz que os grupos serão formados com no Maximo 8 pessoas e no mínimo 4
pessoas. Vendo a totalidade dos participantes pode-se prever a quantidade dos grupos. Acreditamos
que este deve durar cerca de 40 minutos. Ter uma pequena plenária na volta para sentir o trabalho
dos grupos. Aqui não tem a necessidades dos grupos apresentarem nada, mas ser somente um
tempo de partilha. 15 minutos são suficientes para este momento de retorno.
5- Encerramento: Últimos recados e Oração Final. 10 minutos.
TRABALHO EM GRUPOS
1. Levar prontos papéis de nove cores diferentes, à medida que as pessoas vão chegando distribuir uma
papeleta para cada participante. Isto vai facilitar a formação dos grupos conforme as cores. Ter em conta
quantos grupos irão ser formados no Encontro.
2. Cada cor, oito pedaços de papéis, num total de sessenta e quatro.
3. Se houver poucos participantes, não distribuir todas as cores.
4. Misturar as cores dando cores diferentes para homens e mulheres.
5. Pedir que se reúnam as pessoas que tem a mesma cor em lugares já assinalados com a cor
correspondente.
6. Cada grupo não deve ter mais de oito pessoas. Dar um papel com as seis perguntas abaixo:
No dia da inscrição para o encontro de preparação, os participantes receberão numa papeleta as seis
perguntas seguintes. Pedir que estudem em casa e tragam a resposta para o dia do encontro.
No momento da formação dos grupos lembrar que devem escolher um(a) secretário(a) que anotará somente
as questões 4, 5 e 6. As 3 primeiras, só conversar. É bom colocar para fora eventuais pressões ou
indisposições para fazer o Encontro de Batismo.
1. Seu nome, onde trabalha?
2. O que você espera do encontro de Batismo?
3. Você quer que seu filho ou afilhado seja Batizado? Por quê?
4. O Batismo é para quem quer ser cristão, seguir Jesus Cristo. Mas quem é Jesus Cristo para você?
5. O Batismo é para quem vive em comunidade. Mas o que significa viver em comunidade?
6. Quem deseja o Batismo é porque quer o sacramento. Mas o que é sacramento?
Depois de trinta minutos dar oportunidade para todos os grupos apresentarem suas conclusões.
Até este momento, se terá gasto cerca de 1 hora. A equipe de monitores faz uma breve conclusão do
estudo em grupo, nunca desautorizando o que foi dito, mas sempre reforçando e dando novas
conotações às respostas apresentadas pelos participantes. Por Exemplo: Jesus Cristo é isto para vocês,
mas é também, etc.
Feita esta primeira etapa, os participantes são convidados a participar de pequenas palestras com 4
temas e depois na sequencia são encaminhados aos mesmos grupos para estudar os temas seguintes.
Caso sejam poucos os participantes, formar menos grupos. Não é a aconselhável que os grupos tenham
mais que 8 pessoas e menos que 4.
ORAÇÃO INICIAL PARA TODOS OS ENCONTROS
(podem estar preparadas em uma folha para ser entregue a cada participante)
7
Animador: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo!
Todos: Amém!
Animador: Irmãos e irmãs! Com alegria, queremos acolher a todos e todas para este encontro.
E nos saudamos dizendo: O Senhor esteja conosco!
Todos: Ele esta no meio de nós!
Animador: Cantemos:
Canto:
EIS-ME AQUI SENHOR,
EIS-ME AQUI, SENHOR.
PRA FAZER TUA VONTADEE,
PRA VIVER DO TEU AMOR,
PRA VIVER DO TEU AMOR,
EIS ME AQUI SENHOR.
1 O Senhor é meu pastor que me
Conduz, por caminhos
nunca vistos me enviou.
Sou chamado a ser fermento sal e luz.
E por isso respondi: aqui, estou.
2 Ele pôs em minha boca
Uma canção, me ungiu como
Profeta e trovador da história
E da vida do meu povo e
Por isso respondi: aqui estou.
3 Ponho minha confiança no
Senhor, da esperança sou
Chamado a ser sinal.
Seu ouvido se inclinou ao meu clamor
E por isso respondi: aqui estou.
Animador: Rezemos juntos:
Todos: Bendito sois, Trindade Santíssima, pelo dom da vida e pelo dom da fé.
Nós vos oferecemos este encontro para o vosso louvor.
Fortalecei em nós o amor sobre todas as coisas.
Concretizai em nós o amor ao próximo, como Jesus nos ama.
Abençoai a nossa igreja e olhai com carinho para as pessoas que sofrem e passam
necessidades.
Tudo isso vos dizemos, com amor filial, com Maria, a Mãe do vosso Filho e por meio
d’Ele, Jesus, na unidade do Espírito Santo. Amém!
Leitor – (proclamar um texto do evangelho, seria muito bom se relacionado ao batismo. Depois de
ler é bom deixar alguns momentos de silêncio e convidar para rezar o Pai nosso).
ORAÇÃO FINAL - PARA TODOS OS ENCONTROS
Animador: Ao encerarmos o Encontro, oremos de mãos dadas.
Todos: Pai nosso... Ave Maria... Gloria ao Pai...
8
Animador: O Senhor esteja conosco!
Todos: Ele está no meio de nós!
Animador: Por intercessão da Mãe do Senhor Jesus, abençoe-nos o Pai, o
Filho e o Espírito Santo!
Todos: Amém!
Animador: Na alegria de sermos, pelo Batismo, filhos e filhas do mesmo Pai
E, portanto, irmãos e irmãs, saudemo-nos uns aos outros!
Vamos em paz, pois o Senhor nos acompanha.
Canto final: Eu te peço desta água que tu tens (P. Zezinho)
Eu te peço desta água que tu tens.
É água viva, meu Senhor.
Tenho sede e tenho fome de amor,
e acredito nesta fonte de onde vens.
Vem de Deus, estás em Deus,
Também és Deus, e Deus contigo faz um só.
Eu, porém que vim da terra e volto ao pó,
Quero viver eternamente ao lado teu.
/: ÉS ÁGUA VIVA, ÉS VIDA NOVA,
E TODO DIA ME BATIZAS OUTRA VEZ,
ME FAZES RENASCER, ME FAZES REVIVER,
EU QUERO ÁGUA DESTA FONTE DE ONDE VENS :/
TEMAS DAS PALESTRAS DO ENCONTRO DE BATISMO
ESQUEMA:
1.) Sacramento do Batismo (Conscientizar) 20minutos
9
o Deus nos ama com Amor infinito;
o O que é Sacramento;
o A Trindade no Batismo;
o A manifestação de Deus através da Fé;
o O Batismo é Testemunho do Reino.
2.) Os Símbolos do Batismo (Explicar o significado) 15 minutos
o da Água;
o do Óleo;
o da Vela;
o da Veste Branca.
3.) Deveres de Pais e Padrinhos (Conscientizar) 15minutos
o Porque devemos batizar crianças;
o Da responsabilidade;
o Da formação cristã da criança;
o Ser exemplo de vida ativa aos compromissos da Igreja;
4.) Maria (Conscientizar) 15minutos
o Que Maria é mãe de Deus e nossa intercessora;
o O que é “Consagração a Maria”;
o Dos vários títulos de Maria;
o As virtudes de Maria em nossa vida.
CONTEÚDO DAS PALESTRAS:
1.) PALESTRA 01: Sacramento do Batismo (Conscientizar) 20minutos
10
BATISMO INÍCIO A SER COMPLETADO
Explica o Concilio do Vaticano II: “O Batismo, porém, por si é só o inicio e o exórdio (começo)
que tende à consecução (Conseguir) da plenitude de vida em Cristo. Por isso o Batismo se ordena à
completa profissão de fé, a integra incorporação do instituto da salvação tal como o próprio Cristo quis e à
total inserção na comunhão Eucarística”.
Quem vai completar então o Batismo, levando as crianças até a explicação da fé e a comunhão
Eucarística?
Essa obrigação cabe principalmente aos pais e os padrinhos.
Dizem os Bispos do Brasil a esse respeito: “A conseqüência, para os pais que pedem o Batismo
para seus filhos é compromisso, já assumido na celebração do casamento, de educá-los na fé, dentro da
comunidade Eclesial”. No cumprimento deste compromisso de educar seus filhos na fé, os pais e
padrinhos representam a Igreja, que pela pregação e pelo Batismo, gera, para uma vida nova.
Como se vê grande é a responsabilidade dos pais e padrinhos. Eles devem dar continuidade à
inserção na Fé e na Igreja, daquela criança que foi batizada por sua apresentação.
POR ISSO É IMPORTANTE QUE FIQUE BEM CLARO QUE VOCÊ DEVE PEDIR O
BATISMO PARA SEU FILHO, ESTANDO CONCIENTE DO SENTIDO, DO VALOR E DAS
RESPONSABILIDADES DESSE ATO. POIS NÃO TEM COMO SE ARREPENDER DEPOIS E
QUERER SE BATIZAR NOVAMENTE COMO PODEMOS VER:
Ef 4,5 - Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo.
PERTENÇA À IGREJA, CORPO DE CRISTO
O Batismo é fonte de responsabilidade e de deveres. Mas o Batizado também goza de direitos dentro da
Igreja: a receber os sacramentos, a ser alimentado pela Palavra de Deus e a ser sustentado pelos outros
auxílios espirituais da Igreja.
“Tornados filhos de Deus pelo batismo”, os cristãos são obrigados a professar diante das pessoas a fé que
pela Igreja receberam de Deus.
E são chamados a participar por direito e dever da ação apostólica e missionária do Povo de Deus. (LG
11,17; AG 7,23).
Catecismo da Igreja Católica – do n. 1076 ao 1134; do n. 1210 ao 1284)
COMO NASCEU O BATISMO?
Já existia antes de Jesus, mas Jesus dá um sentido novo ao Batismo (Jo 1, 19-33). Depois de ressuscitado
Jesus dá o seu mandamento de batizar (Mt 28, 16-20; Mc 16, 14-18).
O COMPROMISSO DO BATISMO
É crer no Evangelho (Mc 16, 16), conhecer e guardar os mandamentos de Jesus (Mt 28, 19-20). No caso de
Batismo de crianças, é obrigação dos pais e padrinhos educarem a criança para cumprir este compromisso.
A Bíblia compara o Batismo com a Morte e Ressurreição de Jesus. Pelo Batismo devemos morrer para o
pecado, para o egoísmo, e ressuscitar para a vida nova de amor ao Pai e aos irmãos, porque estamos
incorporados em Jesus Cristo (Rm 6, 1-23 e Jô 15, 1-12). Pelo Batismo entramos na Igreja que também é
chamada de Corpo de Cristo. A Bíblia diz que fomos batizados para formar um corpo (1Cor 12, 13). Por
isso a pessoa batizada tem compromisso de viver a solidariedade e lutar contra as injustiças, como Jesus
fez, sem medo de morrer na cruz.
QUANTAS VEZES SE PODEM BATIZAR?
Uma só vez, porque só existe um Batismo (Ef 4, 4-6).
PARTE CENTRAL DA CELEBRAÇÃO DO BATISMO
Quem batiza faz assim: Fala o nome da pessoa e continua dizendo: EU TE BATIZO EM NOME DO PAI
(derrama a água) DO FILHO (derrama a água) E DO ESPÍRITO SANTO (derrama a água). Normalmente
11
o Ministro do Batismo é o bispo, o padre e o diácono. Mas em caso de necessidade urgente, qualquer
pessoa pode batizar, fazendo como foi dito acima. Depois se deve avisar o padre da paróquia e seguir sua
orientação. O Batismo nos lava de todos os pecados feitos antes de sermos batizados. No batismo de
adulto, a pessoa deve estar arrependida dos seus pecados para receber o perdão (At 2, 38)
QUEM PODE BATIZAR?
São Ministros do Batismo o Bispo, os Padres e Diáconos e ministros (freiras ou leigos) com licença para
isso... Em caso de necessidade qualquer pessoa pode batizar, fazendo como a Igreja faz.
SITUAÇÕES ESPECIAIS
Os que morrem por causa da fé, os catecúmenos e todos os homens que sob o impulso da graça, sem
conhecerem a Igreja, procuram com sinceridade a Deus e se esforçam por cumprir a vontade dele, são
salvos, mesmos que não tenham recebido o batismo.
Quanto às crianças mortas sem batismo, a Igreja convida-nos a ter confiança na misericórdia divina e orar
pela salvação delas.
UMA CRIATURA NOVA
O Batismo não somente purifica de todos os pecados, como também faz do cristão “uma criatura nova”
(2Cor 5,17), um filho adotivo de Deus que se tornou “participante da natureza divina” (2Pd 1,4), membros
de Cristo e herdeiro com ele (Rm 8,17), templo do Espírito Santo.
A SS. Trindade dá ao batizado a GRAÇA SANTIFICANTE, a GRAÇA DA JUSTIFICAÇÃO, a qual:
Torna-o capaz de crer em Deus (fé), de esperar nele (esperança) e de amá-lo (caridade) através das virtudes
teologais (fé, esperança e caridade);
Concede-lhe o poder de viver e agir sob a moção do Espírito Santo por seus dons;
Permite-lhe crescer no bem pelas virtudes morais (prudência, fortaleza, justiça e temperança).
POR QUE VOCÊ BATIZA SEU FILHO?
• Porque tem medo da criança não ser feliz;
• Porque tem medo dela contrair doenças;
• Porque tem medo que ela apanhe mal olhado;
Pode Ser Também Que Você Queira O Batismo
• Porque é uma tradição de Família;
• Porque você é Católico;
• Porque não quer seu filho fique pagão;
Você Pode Ainda Dizer Que Vai Batizar Seu Filho.
• Para que ele possa se salvar um dia, tendo o direito de entrar no céu;
• Para que ele fique sem o pecado original;
• Para que ele se torne cristão, filho de DEUS e membro da Igreja;
OS SACRAMENTOS SÃO SETE:
1. Batismo
2. Eucaristia
3. Confirmação ou Crisma
4. Penitência ou Confissão
5. Unção dos Enfermos
6. Matrimônio
7. Ordem
BATISMO – MISTÉRIO DE INCORPORAÇÃO A CRISTO
12
Por ele nós começamos a ser de DEUS, nos tornamos seus filhos.
Santo Tomás ensinava que o Batismo imprime em nós o CARÁTER BATISMAL, que é uma marca
indelével (não se pode apagar) que nos assinala como filho de DEUS.
Pelo Batismo também passamos a fazer parte da Igreja, que é o povo de DEUS, e incorporado a Igreja
assumimos à sua Missão:
• Profética
• Evangelizadora
Então pelo Batismo nos tornamos Sacerdotes e passamos a ter a missão de Profetizar e Evangelizar como
os Apóstolos.
O BATISMO NASCE DA FÉ EM JESUS CRISTO E NA SANTISSIMA TRINDADE.
Foi Jesus mesmo quem dispôs assim.
“Toda autoridade me foi dada no céu e na terra, ide, pois ensinai a todas as nações, batizai-as em nome do
Pai e do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco
todos os dias até o fim do mundo”.
BATISMO, MISTÉRIO DE PARCITIÇÃO NO ESPIRÍTO SANTO.
O Batismo não é apenas uma cerimônia, de acordo com a nossa Fé, o Batismo vai mudar interiormente a
criança. Dizemos que ela deixa de ser pagã e se torna Cristã.
Espiritualmente ela nasce de novo pelo Espírito Santo.
Esta é uma verdade de Fé das mais freqüentemente repetidas nos livros Santos.
Já havia sido profetizada por Ezequiel: “Derramarei sobre vos uma água pura e sereis purificados... Dar-
vos-ei um coração novo e porei em vosso peito um Espírito novo... porei em vos o meu Espírito e farei
com que procedais segundo os meus preceitos...”.
Estas palavras se referem claramente à água do Batismo e ao Espírito Santo.
Antes de Cristo começar sua pregação, João Batista disse a respeito dele em Mateus 3,11:
“Eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim... voz
batizará no Espírito Santo”.
E Jesus noticiou seu batismo a Nicodemos como podemos ver em João 3,5:
“Quem não nascer da água e do Espírito Santo, não poderá entra no Reino de DEUS”.
O Batismo atinge a pessoa no intimo de seu ser, tudo isso já foi mencionado no inicio, quando dissemos
que o Batismo imprime Caráter (marca).
Quem é batizado recebe para sempre a marca da Santíssima Trindade.
A Sagrada Escritura refere-se a isso quando fala:
• UMA CRIATURA NOVA (2 Coríntios 5,17)- Pelo Batismo passamos de Criatura de DEUS
para filhos de DEUS.
• UM FILHO ADOTIVO DE DEUS (Gálatas 4,5-7)
• PARTICIPANTE DA NATUREZA DIVINA (2 Pedro 1,4)
• MEMBROS DE CRISTO (1 Coríntios 6,15; 12, 27)
• CO-HERDEIRO COM ELE (Romanos 8,17)
• TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO (1 Coríntios 6,20)
Então podemos tirar várias conseqüências, mais a principal é que todos os batizados formam um povo, o
povo de DEUS. Mas para sermos salvos não basta ser BATIZADO precisamos crer.
Como Jesus mesmo disse em Marcos 16,16:
“Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”.
O BATISMO IMPÕE RESPONSABILIDADES E DEVERES
A - Com DEUS
13
B - Com o próximo
C - Com o mundo
D – Com a Igreja
A – COM DEUS
A Fé aceita um único DEUS “Amarás, pois, o Senhor teu DEUS e observarás sempre o que ele te
ordenou, suas leis, seus, preceitos e seus mandamentos”. Deuteronômio 11,1
B - COM O PRÓXIMO
Pelo Batismo somos todos irmãos, criados por DEUS, como podemos ver em Gênesis 1,26.
“Então DEUS disse: Façamos o homem a nossa imagem e semelhança”.
Estando Jesus com seus Discípulos eles o perguntaram, como podemos ver em Mateus 22,36-40:
“Mestre, qual é o maior mandamento da lei. Jesus respondeu: Ame ao Senhor seu DEUS com todo
o seu coração. Com toda a sua alma... Esse é o maior e o primeiro mandamento...O segundo é semelhante
a esse. Ame ao seu próximo como a si mesmo. Toda a lei depende desses dois mandamentos”.
E Jesus nos diz ainda em João 4,20:
“Se alguém diz: Eu amo a DEUS, e, no entanto odeia o seu irmão, esse tal é mentiroso, pois que
não Ama o seu irmão a quem vê, não poderás Amar a DEUS a quem não vê”.
C - COM O MUNDO
Pelo Batismo somos chamados a construir um mundo novo De Que Modo?
Estabelecendo estruturas justas e honestas construindo o Reino de DEUS no coração do mundo.
A Conferência de Puebla reconheceu que “é no mundo que o leigo encontra seu campo especifico
de ação, pelo testemunho de sua vida, por suas palavras oportunas e suas ações concretas.”
A mesma conferência enuncia:
-À família, á educação, às comunicações sociais, e à própria política, como campo especifico.
-Não pode o Cristão ficar indiferente a essas realidades, deve Santificá-las.
-É missão que nasce do compromisso batismal.
D - COM A IGREJA
Quem é batizado deve saber que está numa comunidade, onde deve conviver, trabalhar e colaborar.
- CONVIVER – Participação ativa na missa.
- TRABALHAR – O Papa Paulo VI escreve o seguinte: “Os leigos podem também sentir-se
chamados a colaborar com os próprios Pastores ao serviço da comunidade Eclesial, para o crescimento e a
vida da mesma, pelo exercício dos Ministérios muito diversificados segundo a Graça e os Carismas que o
Senhor houver por bem depositar neles”. O Papa enuncia alguns desses Ministérios: Catequista, anuncio
da palavra, movimentos Apostólicos e Assistências aos irmãos.
- COLABORAR – O dever do Dizimo, forma de colaboração concreta com a Paróquia.
2.) PALESTRA 02: Os Símbolos do Batismo (Explicar o significado) 15 minutos
SÍMBOLOS DO BATISMO
14
• Sinal da cruz – Sinal do Cristão
• Água – fonte de vida
• Óleo – força para se livrar do inimigo
• Vela – Luz de Cristo
• Veste Branca - pureza
• Credo – profissão de Fé
• Batismo- O Padre despeja a água na cabeça da criança dizendo: Eu te batizo em nome do
Pai, do Filho e do Espírito Santo.
CELEBRAÇÃO DO BATISMO
O significado e a graça do sacramento do Batismo aparecem com clareza nos ritos de sua celebração.
É acompanhando, com participação atenta os gestos e as palavras desta celebração, que os cristãos são
iniciados nas riquezas que este sacramento encerra e realiza em cada novo batizado.
Inicia-se com o Sinal-da-Cruz: é a marca de Cristo naquele que vai pertencer-lhe. Significa que a graça
da redenção que Cristo nos adquiriu por sua cruz.
A leitura da Palavra de Deus ilumina com a verdade revelada os que vão ser batizados e todos,
despertando a resposta da fé.
A Unção com óleo dos Catecúmenos significa a libertação do pecado e do demônio (todo o mal).
A água batismal é consagrada por uma oração: por ela a Igreja pede a Deus que por seu Filho e pelo poder
do Espírito Santo desça sobre essa água para os que forem batizados nela “nasçam da água e do Espírito
Santo” (Jo 3,5).
Segue a aceitação dos Compromissos de Cristo com a Profissão de Fé nas verdades ensinadas por Cristo
e apresentadas pela Igreja.
O Rito Essencial do sacramento do Batismo: imergindo na água ou derramando por três vezes a água na
testa da pessoa dizendo... eu te Batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Segue a Unção com o Óleo do Santo Crisma. Significa o Dom do Espírito Santo ao novo Batizado.
Este se torna um Cristão, isto é, “ungido” do Espírito Santo, escolhido por Deus, fazendo parte do Corpo de
Cristo que é sua Igreja, como Jesus que foi ungido sacerdote, profeta e rei.
Nas Igrejas do Oriente a Confirmação ou Crisma é dada neste momento. Na liturgia da Igreja Romana é
momento especial de receber o Espírito Santo. Só depois em idade mais adulta o cristão recebe o
sacramento do Santo Crisma.
A Veste Branca que se coloca sobre o neo-cristão lembra que “ele se vestiu de Cristo” (Gl 3,27):
ressuscitou com Cristo.
A Vela acesa no Círio Pascal significa que Cristo iluminou a vida deste novo cristão. Em Cristo, todos os
batizados têm de ser “a luz do mundo, para as pessoas” (Mt 5,14).
Já agora como cristão, filho de Deus o que foi batizado rezará com toda a comunidade a oração do Pai
Nosso.
O Batismo imprime na vida da pessoa um sinal indelével, o caráter, que consagra o batizado ao culto da
religião cristã.
Em razão deste sinal sagrado o Batismo não pode ser reiterado.
3.) PALESTRA 03: Deveres de Pais e Padrinhos (Conscientizar) 15minutos
Alguns deveres dos Pais e Padrinhos
15
- Ter consciência, da responsabilidade assumida com Deus e a Igreja, pois é na Fé destes que a
criança está sendo batizada;
- Pais e Padrinhos, são os primeiros responsáveis pela iniciação da Fé Cristã na criança, devem, portanto
encaminhá-la à catequese quando na idade apropriada;
- Educar a criança na vida espiritual desenvolvendo nela a necessidade de estar em união com Deus;
- Testemunhar Jesus na sua vida e ações, buscando a paz do Espírito Santo, orando em família e
fazendo crescer a Fé;
- Orientar para que estas cresçam em um ambiente de harmonia interior e também exterior;
- Ter consciência, que não deve desejar o batismo para seus filhos por crendice e/ou superstições como:
antes do Batismo (não cortar as unhas, não apagar a luz do quarto, não entrar na Igreja...);
- Estar atento e não permitir que crendices e superstições venham confundir e se tornarem obstáculos
na vida e caminhada dessa criança;
- Orientar sobre a importância da presença de todos, principalmente Padrinho e/ou Madrinha (inclusive
de Consagração) no dia da preparação, para somente depois marcar a data do Batismo;
SEGUNDO O DIREITO CANÔNICO PARA SER PADRINHO É NECESSÁRIO:
Can.17 para alguém ser padrinho validamente, é preciso que:
1) seja batizado, tenha uso da razão e tenha intenção de cumprir sua obrigação;
2) Professe a religião Católica;
3) Não tenha sido excomungado, não se tenha tornando infame por infâmia de direito nem
excluído dos atos legítimos por sentença condenatória ou declaratória nem seja clérigo deposto ou
degradado;
4) Não seja o pai, a mãe ou o cônjuge do batizado;
5) Tenha sido escolhido pelo batizando ou seus pais ou tutores, ou na falta deles
designados pelo Ministro;
Can. 18. Para alguém ser admitido licitamente como padrinho, é preciso que:
1) Tenha completado dezesseis anos;
2) Goze canonicamente de boa fama;
3) Seja adequadamente instruído na doutrina Cristã e habilitado para assumir e cumprir as
funções próprias de um padrinho;
PROMESSAS DO BATISMO
Pais e padrinhos que estais aqui com vossos filhos, que pedis à Igreja de DEUS para eles?
O Batismo
Pedistes o Batismo para os vossos filhos. Deveis educá-los na fé, a fim de que, observando os
mandamentos amem a DEUS e ao próximo como a Cristo nos ensinou. Estais bem conscientes disto?
Sim
E vós padrinhos e madrinhas deveis ajudar os pais a cumprir sua missão. Estais dispostos a fazê-lo?
Sim
Para viver na liberdade dos filhos de DEUS, renunciais ao pecado?
Renuncio
Para viver como irmãos, renunciais a tudo o que vos desune?
Renuncio
Para seguir Jesus Cristo, renunciam ao demônio, autor e princípio do pecado?
Renuncio
Crê em DEUS Pai todo poderoso criador do céu e da terra?
Creio
16
Crê em Jesus Cristo, seu único filho, nosso Senhor, que nasceu da Virgem Maria, padeceu e foi
sepultado, que ressuscitou dos mortos e subiu ao céu?
Creio
Crê no Espírito Santo, na Santa Igreja católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados,
na ressurreição da carne e na vida eterna?
Creio
Esta é a nossa fé que da Igreja recebemos e sinceramente professamos razão de nossa alegria em
Cristo Nosso Senhor!
Amém
4.) PALESTRA 04: Maria (Conscientizar) 15minutos
17
UMA INTERCESSORA DE POUCAS PALAVRAS
João nos apresenta à Maria em duas ocasiões chave: em Caná e no Gólgota. Em ambas Jesus se
dirige a ela chamando-lhe de "Mulher". E em ambas Maria acompanha o filho como co-intercessora e
como modelo de intercessão. "Três dias depois, celebravam-se bodas em Caná da Galiléia e achava-se a
mãe de Jesus" (João 2,1).
Recordemos: a presença de Maria em nossas vidas é o melhor convite e garantia da presença de
Jesus.
"Eles já não tem vinho."
Pensemos: na cultura mediterrânea, a falta de vinho em uma boda constituía um desastre traduzido
em uma grande vergonha para os recém-casados. Ninguém, nem os noivos, nem o mordomo, ninguém
havia se dado conta de tal situação. Só Maria que observava a todos com olhos de mãe.
Nada como o amor para aguçar a visão, não para reparar os defeitos, mas para ver as necessidades
do próximo, assim como as possibilidades de solução. Assim diz um ditado hebreu: "Como Deus não pode
estar em todas as partes para atender a todos, então criou as mães."
Se observarmos tudo "pela ótica do coração”, descobriremos constantemente necessidades alheias, e
às vezes muito urgentes. Algumas, nós mesmos podemos solucionar. Outras - as más - apresentamos em
oração silenciosa e intercessora diante de quem pode solucionar tudo. A intercessão é muito mais eficaz do
que ficar murmurando. Muito mais do que este gesto habitual de levarmos as mãos à cabeça e
lamentarmos, que, além de importuno, é terrivelmente ineficaz.
A intercessão de Maria não pôde ser mais breve:
"Eles já não tem vinho."
Cinco palavras. Nada de explicações a quem tudo sabe. Nada de argumentações para convencer a
quem é toda a bondade. Nada de aconselhamentos e sugestões a quem tudo pode. A eficácia de nossa
oração não depende da lucidez de nossas argumentações nem da eloquência de nossas palavras, nem da
perfeição de nossos ritos, nem da sonoridade de nossos cantos. Depende unicamente da nossa fé e
esperança no Senhor, assim como nosso amor ao próximo.
Quantas palavras desnecessárias em nossa oração pessoal e comunitária!
Certos de que o que importa unicamente é a fé. E se não, voltarmos ao diálogo de Maria com Jesus.
Diante das palavras de Maria, Jesus responde de forma inesperada:
"Mulher, isso compete a nós? Minha hora ainda não chegou"(João 2,4).
Maria entendeu aquelas palavras? Provavelmente não. Mas creu. Cria e sabia que Deus jamais
permaneceria indiferente às necessidades de seus filhos. E sabia que agrada mais a Deus as orações que
fazemos ao pedir pelos pobres e necessitados.
Posta à prova, a fé de Maria cresce e se faz contagiosa. Depois disto, diz aos serventes:
"Fazei o que ele vos disser"(João 2,5)
E fizeram... e a água se transformou em vinho!
Nossos irmãos protestantes têm razão em afirmar que o único Salvador é Jesus; que dele nos vem
toda a graça; que nele depositamos toda a nossa confiança. Porém erram, sem dúvida, nossos mesmos
irmãos quando daí conclui que se pode (e se deve) prescindir de Maria. Jesus estava presente em Caná, mas
o Evangelho é muito claro em mostrar que Jesus nunca haveria feito o que fez se Maria não estivesse ali.
Em quantos lugares faltam o vinho da alegria, do amor e da graça! Quantas coisas estão ficando escassas
hoje mesmo na igreja! Por que ouvir o poder intercessor daquela que é Mãe de todos?
Observemos, enfim o que a passagem do Evangelho conclui dizendo: "Este foi o primeiro milagre
de Jesus; realizou-o em Caná da Galiléia.. Manifestou a sua glória e os seus discípulos creram nele."(João
2,11).
Enquanto houver intercessores como Maria, Deus continuará preparando surpresas para nós... e
seguirá crescendo a fé do povo nele.
PORQUE SE CONSAGRAR À MARIA SANTÍSSIMA.
18
No princípio, Deus criou todas as coisas em vista do homem e da mulher. O homem e a mulher
foram criados à Sua imagem. Sabemos que o homem e a mulher pecaram, porque foram enganados pela
serpente que é Satanás, o demônio. Mas Deus não tirou a Sua graça e a Sua amizade para com o homem.
Deus fez ao homem e a mulher uma promessa. A promessa era que Deus poria ódio entre a serpente e a
mulher, entre a descendência da serpente e a descendência da mulher. Devemos saber que esta promessa
realizou-se com o nascimento de Maria. Porque Ela é aquela Mulher e a descendência somos todos nós
batizados em Cristo, e em particular, consagrados a Maria. (Gen. 3,14-15 imagem do nascimento de
Maria).
Qual a tarefa de N. Senhora nessa volta do homem e da mulher para Deus? Abrir caminho para que
possamos aceitar o grande convite de Jesus através do Evangelho e segui-Lo. É mais fácil caminharmos
quando temos luzes no caminho. Tem alguém que nos ajuda a caminhar neste caminho. Nós precisamos de
Nossa Senhora. A necessidade de Nossa Senhora como nossa mãe, não é optativa, é obrigatória. Ela nos
mostra o caminho rumo à perfeição, a santidade. A busca da perfeição aqui na terra consiste em viver
lutando para ser santo e perfeito e passa pela experiência do pecado, por conta da nossa fragilidade
humana. A experiência do pecado nos faz ter a experiência da Misericórdia. O caminho da santidade é o
combate. Maria nos ajuda a combater.
Consagrar-se a Maria é ter uma intimidade profunda, mãe e filho. Maria nos trata pessoalmente.
João teve a liberdade de dizer sim, o mesmo sim que Maria já havia dado na anunciação: faça-se em mim
segundo a vossa palavra. Não precisava mais que Maria dissesse algo para confirmar a sua maternidade
espiritual. Quando Maria concebeu Jesus, espiritualmente ela concebeu cada um de nós. No Seu Filho ela
concebeu os seus filhos. No discípulo amado Ela viu todos os cristãos.
A consagração nos faz tomar consciência da entrega. Começa um caminho interior com ela. Ela
dentro do coração nos ajuda a buscar e viver a santidade, isto é, a conversão.
A consagração só se faz uma vez na vida. Para viver a consagração não necessariamente precisamos
renová-la. A consagração se encerra quando eu não mais quiser ser consagrado. Crescer na intimidade com
Maria, descobrir a maternidade, chamar-se filho, filha. Conversar com ela. Maria é presente, a uns é dada a
graça de vê-la com os olhos físicos ( são os videntes). Uns recebem a missão de vê-la. Ela está sempre
perto, a minha fé me diz. Sinto a presença dela. Porém, isto não se dá noite para o dia, é um processo. Ela
não está presente como a vida divina, mas ela está atenta, perto e disponível a quem chamá-la.
Os Títulos de Maria
Minha amiga estava aguardando o elevador, quando apareceu a sua vizinha de porta. Cumprimentaram-se
e, puxando conversa, minha amiga falou:
"Estou indo rezar para Nossa Senhora".
Para seu espanto, ouviu a vizinha perguntar-lhe: "Qual delas? Vocês inventaram tantas...
"Minha amiga engoliu seco a zombaria, ofereceu aquele momento desagradável a Deus, e começou a falar-
lhe: "Você tem seu nome, mas como é que sua filha chama você?”Não deixou que a outra respondesse:
"Chama você de mamãe. E a sua neta a chama de Vovó. Seu marido chama você de meu bem ou, quem
sabe, de algum apelido carinhoso. Para mim você é a minha vizinha. Para o zelador do prédio, a moradora
do 602. Sua mãe chamava você de minha filha querida..."
O elevador chegou, elas desceram juntas e minha amiga ainda lembrou o médico que a chamava de minha
cliente, o feirante que a chamava de freguesa etc.
A vizinha estava visivelmente aborrecida com a lição.
Quando ia afastar-se ainda ouviu: "Se você vizinha, tem tantos títulos, imagine aquela que é a Mãe de
Deus, a rainha do Universo?!?!"
E, com um sorriso, minha amiga seguiu seu caminho.
(Desconheço o Autor)
Muitos são os títulos com os quais a Igreja louva a Virgem Maria. Muitos também são os títulos
com que os povos no mundo inteiro aplicam a Maria, como forma de amor e carinho, e no desejo de
enaltecê-la sempre mais.
19
Todos eles alimentam a nossa devoção, fazendo-nos pensar na grandeza e na dignidade da Mãe de
Deus. Muitos títulos de Maria se referem a momentos da sua vida, como por exemplo, o de Nossa Senhora
da Conceição, quando nos referimos a Ela que foi concebida Imaculada, pura, enriquecida de privilégios
por Deus, em razão da sua maternidade Divina. Maria é chamada pelo nome do lugar onde Ela apareceu.
Por exemplo: Nossa Senhora de Lourdes, de Fátima, Aparecida, etc.
Outros títulos significam proteção, socorro, consolo e assim por diante. Entretanto, os títulos são
muitos, mas uma só é a Virgem Maria. O povo cristão deseja honrá-la como Jesus Cristo a honrou como
filho, pois por sua vontade na cruz Ela nos foi dada também como Mãe, mediante suas palavras: "Eis aí teu
Filho". Embora sejamos muitos, Maria está atenta às nossas necessidades, e lembra sempre à cada um:
"Fazei tudo o que Jesus Vos disse". Qual deverá ser então a nossa atitude para com a Virgem Maria?
A Igreja nos ensina: devemos "elevar nossos olhos a Maria que refulge para toda a comunidade dos
eleitos como exemplo de virtudes" (LG. 65). Devemos também ter para com Ela uma verdadeira devoção
que "não consiste num estéril e transitório afeto, nem numa certa vã credulidade, mas que procede da fé
verdadeira, pela qual somos levados a reconhecer a excelência da Mãe de Deus, excitados a um amor filial
para com nossa Mãe e à imitação de suas virtudes" (LG. 67). A Virgem Maria a quem veneramos com
muito amor, nos aponta sempre para Deus para que o adoremos e para vivermos o mandamento maior do
amor com nossos irmãos e irmãs!
20
GRUPOS DE ESTUDO: Aqui são apresentados 9 grupos com 9 temas. Como foi já apresentado acima
aqui se apresenta a totalidade dos temas. Mas para cada encontro deve-se ver quais grupos serão
trabalhados e prepará-los em separado para ser entregue aos grupos.
GRUPO 1
VIDA: DOM DE DEUS - PAI E MÃE GESTAM A VIDA
Arrumar fotos, revistas com mães gestantes, com crianças, fotos de crianças
(Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo)
Leitor 1 – Uma criança que nasce é sinal de que Deus acredita nos homens.
Leitor 2 – É Deus quem colocou o amor no coração dos pais. Por isso eles formam uma
família. Deus lhes deu o poder de criar e gestar vidas novas
Leitor 3 – Para nascer, a criança precisa do nosso relacionamento, do encontro de pessoas
crescidas e amadurecidas. Quem nasce sem ter mãe e pai ou sem a ajuda de alguém? Todos somos fruto de
uma união de duas vidas.
Leitor 4 – O nascimento de uma criança comprova que Deus colocou no relacionamento
humano uma força criadora tão grande, capaz de gestar a vida e fazer com que ela continue sobre a terra. A
vida é dom gratuito de Deus. Por isso devemos amá-la, protegê-la, hoje e sempre.
Leitor 5 – Quanta alegria quando nasce uma criança. Nela os pais podem ver a carne de sua carne, os ossos
de seus ossos (cf Gênesis 2, 23), uma continuação de si mesmos. Na criança, a relação amorosa dos pais se
transforma numa pessoa. Cada criança que nasce é um presente de Deus para a família, para a comunidade,
para a humanidade. A criança é herdeira e garantia do futuro.
Animador – A vida não pode ser tirada. Ninguém tem o direito de matar. A vida é mais forte do que as
armas dos opressores. Parteiras, enfermeiras, farmacêuticos, médicos... Devem respeitar a Deus, fonte da
vida e respeitar a vida que se faz presente numa criança.
Leitor 2 – Êxodo 1, 15-21.
Animador – Temos um compromisso com a vida do ser humano.
Leitor 1- Nenhuma criança nasce pronta. Ela é confiada por Deus às pessoas que a cercam: pais, irmãos,
parentes, amigos, vizinhos.
Leitor 2 – Dos pais a criança recebe a vida e o necessário para poder viver. A criança precisa ser
acompanhada, aprender as coisas mais simples, como comer e andar, e os sentimentos mais nobres, como a
capacidade de amar, de perdoar, de partilhar. Temos um compromisso de vida com as nossas crianças.
Leitor 1 – A criança que nasce traz consigo a responsabilidade de crescer na vida. Ela cresce num mundo
onde todos são co-responsáveis uns pelos outros.
Todos – Somos co- responsáveis pelo crescimento de nossas crianças.
Animador – Quando a família batiza um filho coloca a sua vida nas mãos de Deus. É uma
atitude de proteção, mas também de gratidão.
Leitor 2 – Durante a gravidez, os pais fazem a experiência do sagrado, vivem a experiência da vida como
dom de Deus. O parto traz sentimento de gratidão e alegria. O nascimento da criança é sempre um sinal da
presença de Deus. Na gestação e no parto, Deus é sentido, experimentado como o doador de vida.
Leitor 3 – O Batismo não deixa de ser um agradecimento a Deus pela vida e saúde da criança. Mas,
mesmo quando a criança traz consigo alguma deficiência, os sentimentos devem ser igualmente de alegria
e gratidão.
Leitor 4 – O batismo é também um gesto de reconhecimento: a criança é sempre um dom de Deus.
Leitor 5 – O Batismo reforça os laços de fraternidade entre as pessoas. A criança aproxima os membros da
família, assim como as demais pessoas da comunidade.
Animador – (Dirige o momento das perguntas, dando oportunidade para o(a) secretário(a) anotar tudo.
Depois que todos falaram, convida para fazer a oração).
Perguntas:
21
1. Temos o direito de tirar a vida de alguém? O que dizer dos abortos e das mortes nas estradas?
2. Quando traímos nossos filhos?
Oração:
Leitor 1 – Só Deus pode criar.
Todos – Nós podemos e devemos valorizar a vida.
Leitor 2 – Só Deus pode dar a vida.
Todos - Nós podemos transmiti-la e devemos respeitá-la.
Leitor 3 – Só Deus pode dar amor.
Todos – Nos devemos ser irmãos e viver o amor.
Leitor 4 – Só Deus pode dar força.
Todos – Nós podemos restituir aos outros a vontade de viver.
Leitor 5 – Só Deus se basta a si mesmo.
Todos – Mas Ele prefere contar conosco.
Animador – De mãos dadas, rezemos.
Todos – Pai nosso...
22
GRUPO 2
BATISMO: CELEBRAÇÃO DA MINHA VIDA EM COMUNIDADE
(Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo)
Leitor 1 – Ninguém nasce por si e vive sozinho. Como também ninguém se salva
sozinho.O Batismo inicia uma nova vida, um nascimento novo. O Batismo nos chama à santidade, vivida
em comunidade. O Batismo não é passaporte para o céu. É, sim, compromisso com a vida na comunidade.
Lembramos também o dia do nosso batismo? (Deixar falar)
Leitor 2 – Ser batizado é participar, viver e testemunhar a fé. É lutar por uma vida digna e melhor para
todos.
Animador – Ouçamos a Palavra do Senhor. Ele nunca nos abandonou. Permanece até o fim ao nosso lado,
dando-nos força e coragem para vencer a morte. A presença de Jesus é vivida na comunidade.
Leitor 3 – Proclama o evangelho de São Mateus 28, 16-20.
Animador – Nós, discípulos e seguidores de Jesus, somos os continuadores de sua pessoa e
missão. Como membros da igreja, comunidade de fé, queremos sempre:
Leitor 1 – Combater os sinais de morte, que oprimem as pessoas, como a fome, o analfabetismo, as
doenças, a prostituição, as drogas, o desemprego, a corrupção, a violência...
Leitor 2 – Denunciar as injustiças, vencer todo tipo de violência e discriminação.
Organizar o povo na luta pelos seus direitos.
Leitor 3 – Viver na solidariedade, na alegria e simplicidade. Defender a vida. Viver a firme esperança na
Ressurreição.
Leitor 4 – Os seguidores de Jesus só encontram forças para viver tamanha responsabilidade quando vivem
unidos, em comunidades. Caso contrário, o medo toma conta e nada acontece de novo e transformador.
Leitor 1 – O batismo faz parte da comunidade cristã. Torna-se co-responsável por ela. Por isso, todo
cristão tem o dever de ajudar o próximo.
Leitor 2 – O cristão que participa da comunidade vive e testemunha a fé em todos os ambientes.
Leitor 3 – Respeita os colegas e dá bom exemplo. Realiza seus serviços com justiça e honestidade. Engaja-
se na luta pelos direitos comuns.
Leitor 4 – Nas relações com a família é bom e paciente. Sabe perdoar e amar, compreender e dialogar. É
fiel. Reza com a família.
Leitor 1 – Participa das atividades na comunidade cristã, das celebrações, dos encontros de
formação. Dos grupos de Reflexão, das Pastorais: litúrgicas, catequéticas, da saúde, da criança, da
juventude...
Leitor 2 – Vive os valores do Evangelho nos diferentes setores da sociedade: lazer, política, associações,
escola, sindicato, trabalho...
Leitor 3 – O batismo é como se fosse o alicerce de uma casa. Quando realmente assumido, torna-se
fundamento para o crescimento da fé.
Leitor 4 – O Batismo é como o corante que, uma vez misturado à tinta, dela não se separa de jeito nenhum.
Animador – Pelo Batismo somos co-responsáveis pela Igreja inteira e pela nossa comunidade. Alguns
executam serviços especiais para o seu bom desempenho. São os servidores ou animadores da comunidade
local: o padre, para a comunidade paroquial; o bispo, para a diocese; o papa, para a harmonia e unidade
mundial. São Paulo diz que temos muitos dons, mas todos unidos num mesmo Espírito. (cf 1 Coríntios 12,
4-11)
Animador – Vamos conversar.
1) Será que todas as pessoas vivem o Batismo? Sim? Não? Por quê?
2) Qual é o compromisso do batizado?
3) Como podemos melhorar a nossa família, a comunidade, para corresponder, com maior
entusiasmo, ao Batismo que recebemos?
23
GRUPO 3
PALAVRA DE DEUS, FONTE DE VIDA
Arrumar, no centro da sala, uma mesa para a Bíblia, flores, 4 velas (simbolizando os quatro cantos do
mundo)
(Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo)
Animador – Todos conhecemos uma ou outra frase da Bíblia que marcou nossa vida. De maneira muito
espontânea, podemos citar estas frases. (deixar falar).
Leitor 1 – Numa determinada comunidade, as pessoas estavam muito divididas.
Começaram a convidar os vizinhos para se reunirem, rezar e refletir a partir da Bíblia. Aos poucos, o grupo
foi se animando e pegou gosto pela Palavra de Deus.
Leitor 2 – E as coisas começaram a mudar. Através da Bíblia descobriram que precisavam melhorar a vida
e, juntos, conseguiram transformá-la.
Leitor 3 – Aos pouco, as pessoas foram mudando pela força da palavra de Deus, que ilumina as nossas
vidas.
Leitor 1 – (Lê o livro do Profeta Isaias, 50, 10-11).
Leitor 2 – A Bíblia é a luz que se acende no meio ás trevas. Ela ilumina a escuridão de nossa vida. Faz
enxergar as sementes do Reino, como também os acontecimentos, problemas, males, injustiças... A Bíblia
mostra a maneira certa de viver e enfrentar tudo aquilo que escraviza e oprime, mas também tudo o que
dignifica e enobrece a pessoa humana.
Leitor 3 – Muitos problemas de nossa vida acontecem porque o mundo e a sociedade moderna estão
baseados no deus-mercado, gerador de todas injustiças, em desacordo com o Projeto de Deus.
Todos – A Bíblia é luz para nosso caminho, apoio nas dificuldades, força na fraqueza e sabedoria nas
dúvidas.
Leitor 4 – A Bíblia é a história do povo de Deus. Nela encontramos doutrinas, histórias, provérbios,
cânticos, salmos, lamentações, comparações, coisas do passado, do presente e do futuro.
Leitor 1 – Na Bíblia há páginas que comunicam alegria, esperança, coragem. Outras denunciam erros,
pecados, opressões e injustiças.
Leitor 2 – Antes de ser escrita, a Bíblia foi contada nas rodas de conversas e nas celebrações do povo. E o
que é mais importante, antes de ser escrita, a Bíblia foi vivida. Através de gerações e gerações os pais
passavam aos filhos esse compromisso de fidelidade a Deus, esse esforço de colocar Deus na vida e de
organizar a vida de acordo com o projeto de Deus
Leitor 3 – A Bíblia nasceu da memória do povo. Memória não é só recordar. É recordar e viver. A grande
preocupação da Bíblia é a de não deixar cair no esquecer os fatos mais importantes da história do povo de
Deus.
Leitor 4 – Para entender bem a Bíblia é preciso refleti-la na comunidade. Mesmo quando lemos a Bíblia
individualmente, não podemos esquecer que estamos lendo o livro da palavra de Deus. Por isso se diz a
Bíblia é o livro da comunidade cristã é a comunidade do livro.
Todos – As colunas que sustentam nossa luta, na construção da vida melhor, é a Bíblia, os
Sacramentos, com destaque para a Eucaristia, a oração e a vida em comunidade.
Animador – Deus nos fala através da Bíblia, dos acontecimentos, dos problemas que precisam de solução.
Quem não procura entender a vida, não poderá entender a Bíblia.
Leitor 1 – Quem tem a Bíblia, mas não olha a vida do povo de ontem e de hoje, não luta pela justiça e
fraternidade. É infiel à palavra de Deus. É semelhante aos fariseus que conheciam a Bíblia de cor, mas não
a praticavam. Ler a Bíblia sem olhar a realidade do povo é o mesmo que manter o sal fora da comida, a
semente fora da terra, a luz debaixo da mesa.
Todos – Bíblia e vida estão interligadas. Por isso, Senhor, não queremos separar a tua Palavra da nossa
vida!
Animador – Vamos conversar.
1) Como é que usamos a Bíblia? Ela serve para que?
2) A Bíblia está ajudando a melhorar nossa vida e a Comunidade? Como?
3) Temos o hábito de ler a Bíblia em nossa família?
24
Animador – A Bíblia interliga profundamente nossa vida e nossa fé. Fé e vida são como duas pernas, dois
olhos, dois ouvidos. Andam juntos, se ajudam, se completam. Rezemos a ladainha da Bíblia.
Bíblia!
- Memória do povo. Todos – Fica conosco.
- Livro dos pobres. – Fica conosco.
- Centro do amor. – Fica conosco.
Bíblia!
Retrato do Povo de Deus. – Abre caminho para nós.
- Sal e semente. – Abre caminho para nós.
-Farol e motor. – Abre caminho para nós.
- Alimento e eixo. – Abre caminho para nós.
Bíblia!
- Colírio que clareia a vista. – Ilumina nosso caminho.
- Espelho que faz enxergar. - Ilumina nosso caminho.
- Ponte de ligação. – Ilumina nosso caminho.
- Base de tudo. – Ilumina nosso caminho.
Bíblia!
- Despertador da consciência. – Sê nossa proteção.
- Fonte luminosa da praça. – Sê nossa proteção.
- Alavanca que levanta quem sofre. – Sê nossa proteção.
- Barco onde estamos todos juntos. – Sê nossa proteção.
Bíblia!
Manual dos cativos. – Livra-nos do opressor.
- Ferramenta e instrumento. – Livra-nos do opressor.
- Parceria dos pobres. – Livra-nos do opressor.
- Água do rio que carrega a Igreja. – Livra-nos do opressor.
- Palavra de Deus, orientando o povo. – Livra-nos do opressor.
- Caminho, Verdade e Vida. – Livra-nos do opressor.
Animador – (Motiva o Pai-nosso).
25
GRUPO 4
NA FAMILIA, UM ALEGRA O OUTRO E, JUNTOS, BUSCAM AS SOLUÇÕES
(Fotos de famílias – revistas com famílias unidas...)
(Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo)
Animador – Vamos tomar consciência do assunto de hoje. Podemos ler todos juntos.
Todos – Na família, um alegra o outro e, juntos, buscam as soluções.
Animador – Meus amigos e minhas amigas será que dizemos isto porque a alegria é algo
imprescindível na família ou porque juntos encontramos mais facilmente as soluções e, portanto, nos
alegramos? As duas coisas. Mais, a alegria não pode faltar nos corações de todos nós. A alegria da
união, a alegria do querer bem um ao outro, a alegria da graça de Deus. É em Deus que a família
encontra seu berço natural. Vamos pensar um pouco. Que acontecimentos podem ser motivos de alegria
para a família? (Deixar que os participantes conversem, por uns minutos, dois a dois, e depois
apresente suas idéias)
Animador – Muitas coisas bonitas e importantes foram ditas. Apresentamos tudo isso a Deus, em forma de
louvor.
Leitor 1 – A maior alegria que acontece na família é o nascimento de um bebê, parecido com o pai lindo
como a mãe, e, principalmente, quando esse bebê, a exemplo de Jesus, vai crescendo em sabedoria,
tamanho e graça diante de Deus e dos homens (Lucas 2, 52).
Todos – Gloria ao Senhor, pelas alegrias que vivenciamos em nossas famílias.
Leitor 2 – A mais alegre é ou foi o batismo de nossos bebês. E os primeiros passinhos, as primeiras
palavras, a Primeira Comunhão? Por todos esses momentos de alegria, dizemos:
Todos – Glória ao Senhor, pelas alegrias que vivenciamos em nossas famílias.
Leitor 3 – Lembremos as alegrias que enchem um lar cristão diante de um filho que goza de plena saúde
física, mental e espiritual; diante do pai que se recupera de uma enfermidade; as alegrias que são frutos
do diálogo constante entre pais e filhos; das alegrias vendo a graciosidade da filha adolescente; de
outras tantas alegrias, fruto dos esforços do marido e paciência da mulher que, à luz da fé, buscam
juntos as necessárias respostas para os impasses familiares.
Todos – Glória ao Senhor, pelas alegrias que vivenciamos em nossas famílias.
Leitor 4 – Lembramos a alegria maior: a alegria da fé que nasce e se fortalece entre as famílias que
participam da novena de Natal, dos Grupos de Quarteirão, da Campanha da Fraternidade, dos
Encontros de Preparação de Pais e Padrinhos para a Celebração do Batismo de novos membros de
nossa comunidade.
Todos – Glória ao Senhor, pelas alegrias que vivenciamos em nossas famílias.
Animador – O segredo da verdadeira alegria de uma família cristã é um conjunto de valores ou dons que
os pais devem ter sempre presentes na educação dos filhos.
Leitor 1 – Quando pai e mãe sentam e conversam sobre a educação dos filhos, procurando o que é melhor
para eles.
Todos – A sabedoria de Deus se faz presente neles.
Leitor 2 – Quando pai, mãe, avós, através de seu testemunho de vida, ensinam aos filhos que é preciso
superar os sentimentos de ciúme, de inveja, de mentira...
Todos – A fortaleza de Deus se manifesta neles.
Leitor 3 – Quando pais e filhos se sentem co-responsáveis pela ordem da casa, pela
alimentação, pelos estudos, pelo lazer...; Quando pais, juntos, procuram descobrir, entender e viver o
Plano de Deus.
Animador – A alegria de Deus se manifesta em todas as famílias que vivem o amor, a esperança, a fé e a
certeza de serem herdeiros e filhos do nosso Pai (cf Romanos 8, 17; Gálatas 4, 7).
Leitor - (Lê na bíblia o trecho de Gálatas 4, 6 – 7)
Todos – Glória a vós, Senhor! Graças a Deus!
Animador – 1) Cada um relate,brevemente, uma situação na vida onde se sentiu acolhido por Deus como
filho.
26
2) Procuremos relatar algum momento em que sentimos que estávamos longe de Deus ou
que pensamos estar esquecidos d’Ele.
Animador – Aí está a grande alegria, alegria sem limites, que deve fortalecer e animar pais e filhos a
vivenciar, em família, o Projeto de Deus.
27
GRUPO 5
NOME DE BATISMO
(Preparando o ambiente: Trazer um envelope de carta com o endereço de alguém do grupo ou de uma
pessoa das equipes de trabalho, uma certidão de nascimento e uma certidão de Batismo)
(Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo)
Animador – Temos uma carta sobre a mesa. Para saber de quem é só olhando o nome. Aqui se encontram
documentos muito importantes: Certidão de Nascimento e Certidão de Batismo. Como fazer para saber
de quem é?
Leitor1 – As coisas têm nome comum. As pessoas têm nomes próprios. Cada pessoa tem um nome que a
identifica e a distingue das demais.
Leitor 2 – Na certidão de nascimento está o nome completo da pessoa, ou seja, nome e sobrenome; nome
dos pais e avós; isto para dizer que além do próprio nome, levamos para sempre o nome de família (o
sobrenome).
Leitor 3 – Para sermos considerados cidadãos precisamos ter nosso nome registrado em cartório. Na
certidão de Batismo, aparece nosso nome, o do pai e o da mãe e um detalhe interessante: o nome dos
padrinhos.
Leitor 4 – Na Bíblia, para o povo antigo do Antigo Testamento, o nome não servia apenas para distinguir
alguém, mas significava o que a pessoa era. Assim, quando Deus troca o nome de alguém, é porque lhe
está confiando um novo projeto de vida, uma nova missão.
Leitor 1 – É o que podemos ler no livro do Gênesis (32, 28-31). O homem lhe perguntou: Qual é seu
nome? Ele respondeu: Jacó. O homem continuou: você já não se chamará Jacó, mas Israel, porque
você lutou com Deus e com homens, e você venceu. Jacó lhe perguntou: Diga-me o seu nome. Mas ele
respondeu: Porque você quer saber o meu nome? E ali mesmo o abençoou.
Leitor 3 – O desconhecido que lutou com Jacó não revela o nome: Jacó não poderá manipular Deus.
Leitor 4 – Quando o povo de Israel havia se tornado numeroso foi necessário fazer uma organização. É o
que nos diz o livro dos Números (1,2): Façam um recenseamento total dos filhos de Israel: todos os
homens, um a um, conforme o clã ou famílias, registrando seus nomes.
Leitor 1 – No livro do profeta Isaias (43, 1), lemos o seguinte: Agora porém, assim diz Javé, aquele que
criou você, ó Israel: Não tenha medo, porque eu o redimi e o chamei pelo nome; você é meu.
Leitor 2 – No evangelho de Marcos (10, 1-4) encontramos a seguinte passagem: Então Jesus chamou os
seus discípulos e deu-lhes poder para expulsar os maus espíritos, e para curar qualquer tipo de
doença e enfermidades. São estes os nomes dos Doze Apóstolos: primeiro Simão, chamado Pedro, e
seu irmão André, Tiago e seu irmão João, filho de Zebedeu; Felipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o
cobrador de impostos; Tiago filho de Alfeu, e Tadeu, Simão Cananeu, e Judas Iscariotes, que foi o
traidor de Jesus. Os doze apóstolos formam o núcleo da nova comunidade, que dá continuidade à
palavra e à ação de Jesus.
Leitor 3 – O nome de Batismo quase sempre é o mesmo de certidão de nascimento. Pelo Batismo
passamos fazer parte da Família de Deus, a Igreja. O fato de sermos batizados nos lembra que
pertencemos à família Silva, Santos... Pertencemos igualmente à família de Deus, irmãos de Jesus
Cristo e é justamente por isso que somos chamados de cristãos.
Animador – Para conversar:
1. Porque nossos pais escolheram o nome que temos.
2. Conte a história de nossos parentes, donde vieram, o que faziam.
3. O que quer dizer ter um nome limpo na praça?
28
GRUPO 6
A UNÇÃO: VOCÊ É UM ASSINALADO
(Arrumar, numa mesa: vela, bíblia, flores, uma vasilha com óleo).
(Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo)
Animador – (Alguém mostra a vasilha, com óleo) O que significa e para que serve o óleo, em nossa vida?
Leitor 1 – Precisamos o óleo para preparar nossa comida e o próprio óleo serve de alimento.
Leitor 2 – Há óleo para combustível, para engrenagem de carros e máquinas.
Leitor 3 – Há óleo perfumado que torna nosso corpo e nossa presença mais agradáveis.
Leitor 4 – Há óleo para consagrar reis e sacerdotes.
Animador – (colocando a vasilha de óleo no centro) Estendendo nossa mão erguida em direção ao óleo,
rezemos.
Todos – Bendito sois, Senhor, pelo óleo que fortalece, perfuma, agiliza. Sejamos fortes no vosso amor,
ágeis contra o mal, prontos para fazer vossa vontade,.Espalhemos ao nosso derredor, pelo testemunho, pelo
serviço, pelo diálogo e pelo anúncio, o perfume de vossa presença que liberta e salva.
Animador – Ouçamos o que Deus nos quer dizer.
Leitor 1 – (Proclama o Evangelho de Lucas. 4,16-22).
Animador – O Profeta Isaias nos diz que o Espírito Santo nos unge e nos envia para proclamar a Boa Nova
que liberta as pessoas. O simbolismo da unção já está presente no texto do Profeta. Jesus assume para si as
palavras do Profeta e diz que, Com Ele, a Escritura está se cumprindo.
Todos – O Espírito do Senhor está sobre mim. Ele me ungiu e me enviou para evangelizar os pobres,
proclamar a libertação dos presos, a recuperação da vista aos cegos, a libertação aos oprimidos e para
proclamar um ano de graça do Senhor.
Leitor 2 – Por diversas vezes, ao longo da Bíblia, o Povo de Deus fala do óleo para ungir pessoas, lugares
e objetos.
Leitor 3 – O Salmo 45 fala de Deus que é portador da alegria: Deus, o teu Deus te ungiu com o óleo da
alegria, como a nenhum outro (versículo 8).
Leitor 4 – O Salmo 133 diz que a vida em fraternidade é como um óleo fino e precioso sobre a cabeça e
que toma conta de todo o corpo da pessoa (cf versículo 2).
Leitor 1 – Os Reis de Israel eram consagrados com óleo Santo. Samuel tomou um frasco de óleo e
derramou sobre a cabeça de Saul, beijou-o e disse: Não foi Javé que te ungiu como chefe de teu povo,
Israel?
Leitor 2 – Samuel tomou o chifre com azeite (óleo) e ungiu Davi na presença de seus irmãos. E a partir
daquele dia, o espírito do Senhor começou a ser enviado a Davi (1 Samuel 16, 13).
Animador – Enquanto cantamos, a nossa fronte será ungida com óleo.
Leitor 1 – Para os antigos lutadores, o óleo servia para fortalecer os músculos e para dificultar ser agarrado
pelo adversário.
Leitor 2 – Nós, cristãos, uma vez ungidos com o óleo, devemos estar preparados para a luta, que travamos
para sermos fiéis à vocação cristã e à missão de transformar a realidade, seja em nossa casa, como na
comunidade eclesial e na sociedade.
Todos – Somos ungidos pelo Senhor para sermos defensores da vida.
Leitor 3 – A palavra Cristo, quer dizer ungido, consagrado. Jesus foi ungido com o Espírito Santo para
realizar sua missão libertadora, como sacerdote, profeta e rei.
Leitor 4 – No Batismo, o cristão se torna membro da comunidade cristã. Inicia sua vida numa comunidade
de fé. E como membro da comunidade-Igreja, é ungido para dar continuidade à Pessoa de Jesus Cristo,
HOJE!
Todos – Somos UNGIDOS com óleo para sermos cristãos autênticos.
Animador – vamos conversar.
1) O óleo que recebemos no Batismo simboliza a força para os desafios da vida. O modo como
vivemos, demonstra que possuímos essa força?
2) Como cristãos, temos dado testemunho de nossa fé, de maneira forte e atraente? Conte alguma
experiência neste sentido.
29
GRUPO 7
ÁGUA: FONTE DE VIDA
(N o ambiente: Bacia com água, toalha, jarra com água e copos. Uma cruz, Bíblia)
(Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo)
Animador – Deus está no meio de nós (cf Mateus 18, 20). Hoje refletimos sobre a água. A água lembra o
Batismo (mergulho) que purifica, que lava os pecados e nos dá a graça. Com alegria e fé, cantemos.
Animador – No Batismo são usados vários símbolos. É importante entender melhor o significado de cada
um deles, para que nos ajude em nossa caminhada de cristãos. Nas ruas e avenidas existem sinais de
trânsito. Seriam úteis se não conhecêssemos e entendêssemos o significado?
Animador – Qual o significado da palavra BATISMO?
Leitor – Batismo quer dizer banho, mergulho, purificação, limpeza, pureza. O Batismo é o Sacramento que
recebemos. Por ele mergulhamos e emergimos para uma vida nova.
Leitor 2 – É obrigação dos pais e padrinhos acompanhar a criança, ensinar-lhe os verdadeiros valores
humanos e cristãos, dar-lhe exemplo de comunhão e participação na comunidade eclesial, para que possa
crescer e viver como discípulo e seguidor do Senhor Jesus.
Animador – A água tem sentido bíblico e acompanha toda a história da salvação. A água significa vida
porque sacia a sede, limpa, rega o chão de onde as plantas tiram a seiva... Mas a água significa também a
morte. Conhecemos os freqüentes casos de afogamentos, destruições provocadas por enchentes. Água
parada torna-se fonte de doenças contagiosas prejudica a saúde e mata.
Leitor 1 – No dilúvio Deus fez chover até que todo mal e todos os maus ficassem destruídos pela água (cf
Gênesis 6, 9-21 e 7, 1-23).
Leitor 2 – Noé foi salvo na arca porque era bom e justo.
Leitor 3 – Coisa parecida aconteceu na passagem do Mar Vermelho. Os soldados do Faraó do Egito
morreram na água junto com seus cavalos.
Leitor 4 – Pela água do Batismo, Deus eliminou a morte e nos dá a vida – a sua vida! Somos recebidos na
família de Deus, a Igreja.
Animador – Jesus foi Batizado por João Batista, no rio Jordão. Então o Pai falou: Este é meu Filho amado
em quem me alegro... E o Espírito Santo apareceu sobre Jesus em forma de pomba (cf Lucas 3, 21-22). A
Santíssima Trindade se manifestou. Ouçamos o que Jesus falou aos discípulos antes de subir aos céus.
Leitor 2 – (Lê o Evangelho de Marcos 16, 14-16).
Animador – Acreditamos que Jesus Cristo pode nos salvar? Como sinal de fé, vamos lavar nossas mãos,
dizendo como este gesto queremos ser fiel ao nosso compromisso de cristãos batizados.
Leitor 5 – Certo dia, cansado da viagem, Jesus sentou-se perto de um poço (cf João 4, 5-6). Chegou uma
mulher da Samaria para tirar água, e Jesus lhes disse:
Leitor 6 – Dá-me de beber.
Leitor 5 – Como sendo tu judeu, pedes de beber a mim que sou samaritana?
Leitor 6 – Se conhecesses o dom de Deus a quem é que te diz: dá-me de beber, pedirias tu mesma e Ele
daria uma água viva.
Leitor 5 – Senhor, dai-nos dessa água!
Todos – Senhor, dai-nos dessa água!
Animador – Conversemos:.
1) Quais são as palavras e os gestos do Batismo?
2) Quando é que a água significa vida?
3) Lembramos alguma situação em que a água se torna fonte de morte?
30
GRUPO 8
VESTE BATISMAL: SOMOS REVESTIDOS DE CRISTO
(Prepare-se uma roupa de batizado ou uma roupa de festa).
(Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo)
Animador – Estamos reunidos, como cristãos, para conversarmos a respeito da Veste Branca, ou seja, da
roupa do batizado.
Leitor 1 – Uma senhora guardava, com carinho, as roupinhas de batizado de sua primeira filha. A menina
cresceu e um dia encontrou, entre as roupas, aquela roupinha especial. Sem entender, perguntou à mãe o
que era aquilo. Para que? Para quem? A mãe, então lhe disse: Minha filha, você usou esta roupinha no dia
do seu Batismo. A menina gostou e ficou muito contente.
Leitor 2 – A Bíblia conta que Adão e Eva, depois de desobedecerem á Deus, se sentiram nus,
envergonhados, sem graça e se esconderam (cf Gênesis 3, 10-11).
Leitor 3 – Em outra passagem, a Bíblia fala que Jesus se transfigurou diante dos Apóstolos e suas roupas
ficaram brilhantes e muito brancas (cf Marcos 9, 2-3).
Leitor 4 – O filho pródigo volta para casa depois de esbanjar tudo o que tinha. O pai o recebe com amor e
fala aos empregados: Depressa, tragam a melhor roupa para vestir meu filho (cf Lucas 15, 22ss).
Animador – Sabemos por experiência que, depois de um dia de muito trabalho, não há nada de melhor do
que um banho e uma roupa limpa e cheirosa. Estamos preparando para a festa.
Leitor 1 – O pecado, a injustiça, o mal que fazemos e como a sujeira em nosso corpo e nas vestes.
Sentimo-nos mal. A consciência acusa e pede que mudemos nossa maneira, de pensar e de agir.
Leitor 2 – No Batismo recebemos a graça de viver a vida divina em nós. É como se fossemos
assinalados, marcados por Deus, através de uma aliança.
Leitor 3 – A veste batismal é uma roupa alegre, roupa de festa. Quem mais feliz do que aquele que se
sente escolhido por Deus? O branco recorda a pureza de coração, o respeito e a simplicidade.
Leitor 4 – Depois de um gostoso banho e uma roupa limpa e perfumada, gostamos de estar com os outros e
os outros, conosco.
Leitor 5 – É sempre bom cuidar da aparência! Que nossa veste batismal jamais seja manchada ou rasgada
por descuido nosso.
Animador – Vamos partilhar.
1) Quem veste os lírios do campo?
2) Lembram como Jesus se vestiu no nascimento, durante sua vida pública, diante de Pilatos, na cruz,
na sepultura?
3) Nós gostamos de andar na moda”? Quem diz como as pessoas devem se vestir? É coisa boa ou se
trata de alto negócio para os criadores da moda?
4) Vestir os nus é uma obra de misericórdia. Quem nos julgará no juízo final, dizendo: Estive nu e
você me vestiu? (cf Mateus 25, 31-46).
31
GRUPO 9
“VOS SOIS A LUZ DO MUNDO!”
(preparar na mesa algumas velas. Uma acesa e outras para os participantes do grupo acenderem durante
o estudo. Uma figura ou estátua de Jesus, a Bíblia).
(Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo)
Animador – Reunir-se para rezar é um pedido de Jesus. Ele também desejou que os filhos da luz
fossem tão espertos ou mais do que os filhos das trevas (cf Lucas 16, 8). O assunto vai abordar a LUZ
como símbolo do Sacramento do Batismo. A vela que vamos acender é sinal e símbolo de Jesus Cristo
Ressuscitado.
Animador – Quem não se lembra de alguma história, por vezes, traumática, vivida numa noite escura?
Certa ocasião, numa viagem pelo interior, estrada de chão, noite escura, o pneu do carro furou. Nenhum
sinal de morador e os ocupantes sem lanterna. Alguém lembrou do jornal, dentro do carro. Como aquelas
páginas, acendeu-se um foguinho. O pneu foi trocado e a situação resolvida com a ajuda de um pequeno
fósforo e páginas de jornal.
Animador – Em nossas casas é costume ter uma vela. Há os que preferem velas bentas. Por que se
guardam velas em casa? (Deixe falar).
Leitor 1 – Dizem que quando há trovoada é bom acender uma vela. É um ato de fé e confiança. Cristo
garantiu que nosso Pai, que está no Céu, cuida até mesmo do cabelo de nossa cabeça (cf Lucas 12,7).
Sabemos que não existe escuridão capaz de apagar a luz divina.
Leitor 2 – A vela lembra também o dia do nosso Batismo. O ministro colocou uma vela acesa em nossas
mãos. Muitos a guardam como uma grata recordação do Batismo. A vela é posta na mão, como simbolo de
Jesus Ressuscitado. Ele é a verdadeira LUZ do mundo (cf João 8, 12).
Leitor 3 – O Batismo cristão faz do batizado LUZ do MUNDO, a exemplo do Senhor Jesus Cristo.
Leitor 4 – O cristão, a cristã procura conservar acesa essa luz da fé.
Leitor 5 – Porque o cristão e a cristã acreditam nos ensinamentos e nas obras de Jesus sempre encontram
uma saída, mesmo nas noites mais escuras.Na vida do batizado não há lugar para as trevas e o desespero.
Animador – Cada um vai acender a própria vela e olhar a luz (Dar um tempo). Façamos um pequeno
silêncio, procurando lembrar uma frase da Bíblia, que nos fala da luz (em seguida partilhar).
Leitor 6 - Jesus disse: Eu sou a luz do mundo. Quem Me segue, não anda nas trevas! (João 8, 12).
Animador – Rezemos para que todos possam conservar a luz da fé.
Leitor 1 – Para que a vela acesa recorde a nossa condição de luz do mundo e seguidores de Cristo,
rezemos.
Todos – Senhor escutai a nossa prece.
Leitor 2 – Pelos pais e padrinhos, para que dêem bom exemplo e sejam luz par seus filhos e afilhados,
rezemos.
Leitor 3 – Por todas as crianças, para que haja quem delas cuide e as encaminhe na estrada de Jesus,
rezemos.
Animador - Conversemos um pouco sobre o seguinte:
1) Por que se coloca uma vela acesa na mão de quem está morrendo?
2) Por que se faz bênção das velas?
3) Por que, algumas pessoas tem costume de acender vela para se livrar de perigos. Por
exemplo, uma trovoada...
4) Qual o significado de acender velas no cemitério?
5) Qual o significado da vela acesa durante a missa?
6) O que é o Círio Pascal e o que representa?
7) Por que acender a vela no dia do batismo?
32
MODELO DE FICHA DE TRABALHO para ser entregue aos pais quando for feita a visita à
Família. Lembrar que serão duas fichas: ficha de inscrição e ficha de trabalho.
Ficamos muito contentes que você tenha escolhido a nossa paróquia para o encontro de preparação
ao Batismo. O encontro será realizado no dia _____/______/_______ das_________às________ no Salão
Paroquial de nossa Paróquia, situado à Rua em caso de dúvida entre em
contato pelo telefone
Para o dia do encontro pedimos que você traga Bíblia e responda às seguintes perguntas:
1. Seu nome.
2. Onde trabalha?
2. O que você espera do encontro de Batismo?
3. Você quer que seu filho ou afilhado seja Batizado? Por quê?
4. O Batismo é para quem quer ser cristão, seguir Jesus Cristo. Mas quem é Jesus Cristo para você?
5. O Batismo é para quem vive em comunidade. Mas o que significa viver em comunidade?
6. Quem deseja o Batismo é porque quer o sacramento. Mas o que é sacramento?
Para o dia do Batismo
• Participar intensamente da missa e do ritual do Batismo de maneira consciente;
• Explicar aos filhos maiores o que está sendo realizado naquele momento com seu irmão(ã) e dizer
que ele já ingressou na vida Cristã e na Igreja como filho muito amado de Deus no seu Batismo;
• Entrar em Oração pedindo a Deus que receba e proteja para sempre este seu novo filho ou sua nova
filha.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemploPlano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Paulo Dias Nogueira
 
Organização da catequese
Organização da catequeseOrganização da catequese
Organização da catequese
Catequese Anjos dos Céus
 
Equipes de Pastoral Litúrgica
Equipes de Pastoral LitúrgicaEquipes de Pastoral Litúrgica
Equipes de Pastoral Litúrgica
Região Episcopal Belém
 
A música litúrgica formação
A música litúrgica formaçãoA música litúrgica formação
A música litúrgica formação
mbsilva1971
 
Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismoLivrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
torrasko
 
Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativo
Rafael Maciel
 
Missa parte a parte
Missa parte a parteMissa parte a parte
Missa parte a parte
paroquianogueira
 
Apostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultosApostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultos
Antonio Cardoso
 
formação para catequistas
formação para catequistasformação para catequistas
formação para catequistas
Alexandre Alves Rocha
 
Lectio Divina/Leitura Orante
Lectio Divina/Leitura OranteLectio Divina/Leitura Orante
Lectio Divina/Leitura Orante
leituraorante
 
Objetos e paramentos litúrgicos
Objetos e paramentos litúrgicosObjetos e paramentos litúrgicos
Objetos e paramentos litúrgicos
Rafaella Vasconcellos
 
Cartão para o dia da esposa do pastor
Cartão para o dia da esposa do pastor Cartão para o dia da esposa do pastor
Cartão para o dia da esposa do pastor
Jaque Godinho
 
estudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateusestudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateus
RODRIGO FERREIRA
 
Livrinho e preparacao para-o-batismo
Livrinho e preparacao para-o-batismoLivrinho e preparacao para-o-batismo
Livrinho e preparacao para-o-batismo
torrasko
 
Metodologia catequética
Metodologia catequéticaMetodologia catequética
Metodologia catequética
Francisco Rodrigues
 
Formação de Lideranças
Formação de LiderançasFormação de Lideranças
Formação de Lideranças
Bernadetecebs .
 
Livrinho liturgia batismal
Livrinho liturgia batismalLivrinho liturgia batismal
Livrinho liturgia batismal
torrasko
 
CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASILCNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
José Vieira Dos Santos
 
Apostila de liturgia completo
Apostila de liturgia completoApostila de liturgia completo
Apostila de liturgia completo
Francisco Ferreira
 
Sacramentos slides
Sacramentos   slidesSacramentos   slides
Sacramentos slides
Alexandre Alves
 

Mais procurados (20)

Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemploPlano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
 
Organização da catequese
Organização da catequeseOrganização da catequese
Organização da catequese
 
Equipes de Pastoral Litúrgica
Equipes de Pastoral LitúrgicaEquipes de Pastoral Litúrgica
Equipes de Pastoral Litúrgica
 
A música litúrgica formação
A música litúrgica formaçãoA música litúrgica formação
A música litúrgica formação
 
Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismoLivrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
 
Crisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativoCrisma - Slide formativo
Crisma - Slide formativo
 
Missa parte a parte
Missa parte a parteMissa parte a parte
Missa parte a parte
 
Apostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultosApostila preparacao catequese_de_adultos
Apostila preparacao catequese_de_adultos
 
formação para catequistas
formação para catequistasformação para catequistas
formação para catequistas
 
Lectio Divina/Leitura Orante
Lectio Divina/Leitura OranteLectio Divina/Leitura Orante
Lectio Divina/Leitura Orante
 
Objetos e paramentos litúrgicos
Objetos e paramentos litúrgicosObjetos e paramentos litúrgicos
Objetos e paramentos litúrgicos
 
Cartão para o dia da esposa do pastor
Cartão para o dia da esposa do pastor Cartão para o dia da esposa do pastor
Cartão para o dia da esposa do pastor
 
estudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateusestudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateus
 
Livrinho e preparacao para-o-batismo
Livrinho e preparacao para-o-batismoLivrinho e preparacao para-o-batismo
Livrinho e preparacao para-o-batismo
 
Metodologia catequética
Metodologia catequéticaMetodologia catequética
Metodologia catequética
 
Formação de Lideranças
Formação de LiderançasFormação de Lideranças
Formação de Lideranças
 
Livrinho liturgia batismal
Livrinho liturgia batismalLivrinho liturgia batismal
Livrinho liturgia batismal
 
CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASILCNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
 
Apostila de liturgia completo
Apostila de liturgia completoApostila de liturgia completo
Apostila de liturgia completo
 
Sacramentos slides
Sacramentos   slidesSacramentos   slides
Sacramentos slides
 

Semelhante a Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo

Ap. pós matrimonio
Ap. pós matrimonioAp. pós matrimonio
Ap. pós matrimonio
Walter Unger
 
Ap. bom pastor
Ap.  bom  pastorAp.  bom  pastor
Ap. bom pastor
Walter Unger
 
Ap. bom pastor
Ap.  bom  pastorAp.  bom  pastor
Ap. bom pastor
Walter Unger
 
Pastoral Familiar Londrina
Pastoral Familiar LondrinaPastoral Familiar Londrina
Pastoral Familiar Londrina
Pastoral Familiar Londrina
 
Livrinho batismo encontro preparação
Livrinho batismo encontro preparaçãoLivrinho batismo encontro preparação
Livrinho batismo encontro preparação
torrasko
 
O que é pastoral familiar
O que é pastoral familiarO que é pastoral familiar
O que é pastoral familiar
EDSON HÜBNER
 
Pastoral familiar
Pastoral familiarPastoral familiar
Pastoral familiar
Luiz Vicente Gargiulo
 
Apresentando A pastoral Familiar Brasil
Apresentando A pastoral Familiar BrasilApresentando A pastoral Familiar Brasil
Apresentando A pastoral Familiar Brasil
2amv
 
Pastoral Familiar
Pastoral FamiliarPastoral Familiar
Pastoral Familiar
Aluizia Mendes
 
Pastoral Famliar
Pastoral FamliarPastoral Famliar
Pastoral Famliar
admirvargas
 
Ecovida Janeiro-Fevereiro 2020
Ecovida Janeiro-Fevereiro 2020Ecovida Janeiro-Fevereiro 2020
Ecovida Janeiro-Fevereiro 2020
Lada vitorino
 
Paróquia em Ação 07
Paróquia em Ação 07Paróquia em Ação 07
Paróquia em Ação 07
ParoquiaForquilhinha
 
Diretrizes para o batismo
Diretrizes para o batismoDiretrizes para o batismo
Diretrizes para o batismo
torrasko
 
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.docPastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
MarceloJosRocha1
 
2. FORMAÇAO SOBRE O BATISMO (DIRETÓRIO PASTORAL DA ARQUIDIOCESE DE MANAUS ) F...
2. FORMAÇAO SOBRE O BATISMO (DIRETÓRIO PASTORAL DA ARQUIDIOCESE DE MANAUS ) F...2. FORMAÇAO SOBRE O BATISMO (DIRETÓRIO PASTORAL DA ARQUIDIOCESE DE MANAUS ) F...
2. FORMAÇAO SOBRE O BATISMO (DIRETÓRIO PASTORAL DA ARQUIDIOCESE DE MANAUS ) F...
Francisco Almoxarifado
 
Amoris Laetitia - Ano da Família.pdf
Amoris Laetitia - Ano da Família.pdfAmoris Laetitia - Ano da Família.pdf
Amoris Laetitia - Ano da Família.pdf
Maria Aparecida Farias de Souza Nogueira
 
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIALAPOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
Maria Thereza Tosta Camillo
 
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIALAPOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
Maria Thereza Tosta Camillo
 
ECOVIDA Setembro-outubro
ECOVIDA Setembro-outubroECOVIDA Setembro-outubro
ECOVIDA Setembro-outubro
Lada vitorino
 
Carta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da féCarta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da fé
nuvemluminosa
 

Semelhante a Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo (20)

Ap. pós matrimonio
Ap. pós matrimonioAp. pós matrimonio
Ap. pós matrimonio
 
Ap. bom pastor
Ap.  bom  pastorAp.  bom  pastor
Ap. bom pastor
 
Ap. bom pastor
Ap.  bom  pastorAp.  bom  pastor
Ap. bom pastor
 
Pastoral Familiar Londrina
Pastoral Familiar LondrinaPastoral Familiar Londrina
Pastoral Familiar Londrina
 
Livrinho batismo encontro preparação
Livrinho batismo encontro preparaçãoLivrinho batismo encontro preparação
Livrinho batismo encontro preparação
 
O que é pastoral familiar
O que é pastoral familiarO que é pastoral familiar
O que é pastoral familiar
 
Pastoral familiar
Pastoral familiarPastoral familiar
Pastoral familiar
 
Apresentando A pastoral Familiar Brasil
Apresentando A pastoral Familiar BrasilApresentando A pastoral Familiar Brasil
Apresentando A pastoral Familiar Brasil
 
Pastoral Familiar
Pastoral FamiliarPastoral Familiar
Pastoral Familiar
 
Pastoral Famliar
Pastoral FamliarPastoral Famliar
Pastoral Famliar
 
Ecovida Janeiro-Fevereiro 2020
Ecovida Janeiro-Fevereiro 2020Ecovida Janeiro-Fevereiro 2020
Ecovida Janeiro-Fevereiro 2020
 
Paróquia em Ação 07
Paróquia em Ação 07Paróquia em Ação 07
Paróquia em Ação 07
 
Diretrizes para o batismo
Diretrizes para o batismoDiretrizes para o batismo
Diretrizes para o batismo
 
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.docPastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
 
2. FORMAÇAO SOBRE O BATISMO (DIRETÓRIO PASTORAL DA ARQUIDIOCESE DE MANAUS ) F...
2. FORMAÇAO SOBRE O BATISMO (DIRETÓRIO PASTORAL DA ARQUIDIOCESE DE MANAUS ) F...2. FORMAÇAO SOBRE O BATISMO (DIRETÓRIO PASTORAL DA ARQUIDIOCESE DE MANAUS ) F...
2. FORMAÇAO SOBRE O BATISMO (DIRETÓRIO PASTORAL DA ARQUIDIOCESE DE MANAUS ) F...
 
Amoris Laetitia - Ano da Família.pdf
Amoris Laetitia - Ano da Família.pdfAmoris Laetitia - Ano da Família.pdf
Amoris Laetitia - Ano da Família.pdf
 
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIALAPOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
 
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIALAPOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL
 
ECOVIDA Setembro-outubro
ECOVIDA Setembro-outubroECOVIDA Setembro-outubro
ECOVIDA Setembro-outubro
 
Carta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da féCarta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da fé
 

Mais de torrasko

Lá na casa dos meus pais
Lá na casa dos meus paisLá na casa dos meus pais
Lá na casa dos meus pais
torrasko
 
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
torrasko
 
Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02
torrasko
 
Deixa a luz do céu entrar 02
Deixa a luz do céu entrar 02Deixa a luz do céu entrar 02
Deixa a luz do céu entrar 02
torrasko
 
Cantai ao senhor
Cantai ao senhorCantai ao senhor
Cantai ao senhor
torrasko
 
Rito do-batismo-de-crianca 03
Rito do-batismo-de-crianca 03Rito do-batismo-de-crianca 03
Rito do-batismo-de-crianca 03
torrasko
 
Cantos natal
Cantos natalCantos natal
Cantos natal
torrasko
 
Folheto de cânticos
Folheto de cânticosFolheto de cânticos
Folheto de cânticos
torrasko
 
Cantos marianos 04
Cantos marianos 04Cantos marianos 04
Cantos marianos 04
torrasko
 
Amém aleluia
Amém aleluiaAmém aleluia
Amém aleluia
torrasko
 
Cantos meio popular
Cantos meio popularCantos meio popular
Cantos meio popular
torrasko
 
Amém aleluia vi cantar no céu
Amém aleluia vi cantar no céuAmém aleluia vi cantar no céu
Amém aleluia vi cantar no céu
torrasko
 
Livreto das-santas-missões-populares
Livreto das-santas-missões-popularesLivreto das-santas-missões-populares
Livreto das-santas-missões-populares
torrasko
 
Folheto de cânticos3
Folheto de cânticos3Folheto de cânticos3
Folheto de cânticos3
torrasko
 
Ninguem te ama como eu 03
Ninguem te ama como eu 03Ninguem te ama como eu 03
Ninguem te ama como eu 03
torrasko
 
Bendida e louvada seja01
Bendida e louvada seja01Bendida e louvada seja01
Bendida e louvada seja01
torrasko
 
Os 7 sacramentos
Os 7 sacramentosOs 7 sacramentos
Os 7 sacramentos
torrasko
 
Deixa a luz do céu entrar 01
Deixa a luz do céu entrar 01Deixa a luz do céu entrar 01
Deixa a luz do céu entrar 01
torrasko
 
Folheto de cantos 100 anos-de-vida
Folheto de cantos 100 anos-de-vidaFolheto de cantos 100 anos-de-vida
Folheto de cantos 100 anos-de-vida
torrasko
 
Buscai primeiro
Buscai primeiroBuscai primeiro
Buscai primeiro
torrasko
 

Mais de torrasko (20)

Lá na casa dos meus pais
Lá na casa dos meus paisLá na casa dos meus pais
Lá na casa dos meus pais
 
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
 
Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02
 
Deixa a luz do céu entrar 02
Deixa a luz do céu entrar 02Deixa a luz do céu entrar 02
Deixa a luz do céu entrar 02
 
Cantai ao senhor
Cantai ao senhorCantai ao senhor
Cantai ao senhor
 
Rito do-batismo-de-crianca 03
Rito do-batismo-de-crianca 03Rito do-batismo-de-crianca 03
Rito do-batismo-de-crianca 03
 
Cantos natal
Cantos natalCantos natal
Cantos natal
 
Folheto de cânticos
Folheto de cânticosFolheto de cânticos
Folheto de cânticos
 
Cantos marianos 04
Cantos marianos 04Cantos marianos 04
Cantos marianos 04
 
Amém aleluia
Amém aleluiaAmém aleluia
Amém aleluia
 
Cantos meio popular
Cantos meio popularCantos meio popular
Cantos meio popular
 
Amém aleluia vi cantar no céu
Amém aleluia vi cantar no céuAmém aleluia vi cantar no céu
Amém aleluia vi cantar no céu
 
Livreto das-santas-missões-populares
Livreto das-santas-missões-popularesLivreto das-santas-missões-populares
Livreto das-santas-missões-populares
 
Folheto de cânticos3
Folheto de cânticos3Folheto de cânticos3
Folheto de cânticos3
 
Ninguem te ama como eu 03
Ninguem te ama como eu 03Ninguem te ama como eu 03
Ninguem te ama como eu 03
 
Bendida e louvada seja01
Bendida e louvada seja01Bendida e louvada seja01
Bendida e louvada seja01
 
Os 7 sacramentos
Os 7 sacramentosOs 7 sacramentos
Os 7 sacramentos
 
Deixa a luz do céu entrar 01
Deixa a luz do céu entrar 01Deixa a luz do céu entrar 01
Deixa a luz do céu entrar 01
 
Folheto de cantos 100 anos-de-vida
Folheto de cantos 100 anos-de-vidaFolheto de cantos 100 anos-de-vida
Folheto de cantos 100 anos-de-vida
 
Buscai primeiro
Buscai primeiroBuscai primeiro
Buscai primeiro
 

Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo

  • 1. 1 ENCONTRO DE PREPARAÇÃO PARA O BATISMO Batismo fonte de todas as vocações! Estamos apresentando um subsidio para o Encontro de Preparação ao Batismo onde pai e mãe, padrinho e madrinha são convidados a rever sua fé e sua pratica religiosa em vista do batizado de seu filho, sua filha. É um momento privilegiado na vida da família e na vida da comunidade paroquial. Pelo batizado a criança entrará na comunidade dos seguidores, seguidoras de Jesus Cristo. O pai e a mãe, juntamente com o padrinho e a madrinha trazem para este momento toda a vivencia que tem (ou não) de sua caminhada na Igreja. O Encontro de Preparação ao Batismo é um convite ao casal a retomar o sacramento matrimonial e perceber suas conseqüência através do filho, da filha que nasceu. O Documento de Aparecida faz este apelo em seu numero 160: “Convidamos a esses a aprofundar sua fé e a participar mais plenamente na vida da Igreja recordando-lhes que “em virtude do batismo, estão chamados a serem discípulos e missionários em Jesus Cristo””. Ainda no Documento de Aparecida, no numero 349, lemos: “O chamado de Jesus no Espírito e o anúncio da Igreja apelam sempre à nossa acolhida, confiados pela fé. “Aquele que crê em mim tem a vida eterna”. O batismo não só purifica dos pecados. Faz renascer o batizado, conferindo-lhe vida nova em Cristo, que o incorpora à comunidade dos discípulos e missionários de Cristo, à Igreja, e o faz irmão dos filhos do mesmo Pai, reconhecendo Cristo como Primogênito e Cabeça de toda a humanidade. Sermos humanos implica vivermos fraternalmente e sempre atentos às necessidades dos mais fracos.” Assim esperamos que este subsídio ajude pais, mães, padrinho e madrinhas, assim como toda a equipe da pastoral do batismo a aprofundar sua experiência batismal e que esta proposta viabilize um engajamento dos envolvidos na pastoral orgânica da Igreja. Missão dos membros da Pastoral do Batismo em Comunidade BATISMO (1º Sacramento) – Mergulho espiritual no Amor infinito do Pai, que nos torna FILHOS E FILHAS DE DEUS. A Pastoral do Batismo busca esclarecer a importância desse Sacramento e junto com a comunidade se alegrar com esta Verdade. A Pastoral do Batismo da comunidade, são grupos de pessoas que procuram ser Sal da terra e Luz do mundo (MT 5, 13-16), num trabalho de evangelização, que tem por fim: • Visitar as famílias onde esperam o nascimento de um novo Ser e fazer com elas reuniões, orientando-as e preparando-as para o Batismo, num trabalho de Evangelização. • Verificar as necessidades das famílias visitadas para apresentar às outras Pastorais, para que possam acolhê-las. • Levar a todos, alegria e acolhimento com fé, esperança e caridade. Normas Pastorais para o Sacramento do Batismo 1- Pai e Mãe, padrinho e madrinha de batismo façam uma preparação séria e, de preferência, na própria Comunidade ou Paróquia. 2- Crianças, até 7 anos, não precisam de preparação. 3- Crianças, dos 8 a 12 anos, façam juntamente a catequese de preparação para a primeira Eucaristia.
  • 2. 2 4- Para jovens e adultos, a preparação seja adaptada às suas circunstâncias e idades, em maior profundidade, com a participação na Comunidade e se atenda à preparação completa para todo o Rito da Iniciação Cristã. 5- A idade mínima exigida para os padrinhos e as madrinhas é de 16 anos. Devem levar uma vida de acordo com a fé e a responsabilidade que vão assumir. 8- Quando um dos dois, pai ou mãe, não for católico, tenha-se o cuidado, na preparação, do respeito à sua posição religiosa, ao amadurecimento de sua opção, à liberdade no pedido e no assumir do batismo dos filhos, numa abertura à vida da Comunidade. 9- Não se pode negar o Batismo a ninguém. Quando pai e mãe, vivendo juntos, não são casados religiosamente e não tenham impedimento para se casarem, é importante o empenho da Comunidade em levá-los ao matrimônio, dando assim valor à vivência sacramental. Quando for pedido o batismo para filhos de pais que não podem se casar e de pais e mães solteiros (as), é importante uma especial atenção pastoral, caso por caso. O ministro ou ministra e a comunidade dê atendimento caridoso ao acompanhamento pastoral dos batizandos e seus pais. 10- O Batismo seja feito, de preferência, na Comunidade ou Paróquia de origem ou onde os pais participam por algum vínculo afetivo. Para que sejam os pais admitidos em outra Paróquia, que o Pároco forneça por escrito, uma apresentação da criança acompanhada do comprovante de preparação ou de acordo com as orientações da Diocese. 11- A celebração do Batismo seja feita na Igreja paroquial ou lugar de celebração da Comunidade. Se houver motivo grave para realizar a celebração numa casa, é necessária a permissão do Ordinário (Bispo ou Vigário Geral), (cânon 860), exceto em perigo de morte. (Nestes casos batizar sob condição de forma privada). 12- Sempre se registre o Batismo na Paróquia ou Comunidade onde for realizado. Enquanto possível, se ofereça uma lembrança ou certidão. Deveres da Pastoral de Batismo de Comunidade 1. A Pastoral deverá trabalhar sempre com o crachá; 2. A Pastoral deverá ter um caderno para anotações diversas; 3. Na primeira visita, anotar os dados da criança, pais e padrinhos (nome, endereço, data de nascimento, estado civil e estado sacramental dos membros: Batismo, Crisma e 1a Eucaristia e Matrimônio); 4. A Pastoral deverá procurar as gestantes de sua comunidade, e orientá-las sobre a escolha dos Padrinhos e das Madrinhas. Atenção especial às mães solteiras, carentes e desamparadas, neste caso orientar também para procurar o órgão competente; 5. Se os padrinhos forem casados, indicar em qual paróquia foi a celebração. Se solteiro, viúvo, separado ou desquitado, não é recomendado que estejam vivendo maritalmente ou em concubinato. Vale lembrar que o importante é o testemunho de vida atual; 6. O Padrinho e a Madrinha deverão ter mais de 16 anos; 7. Se o Batizando for maior de 7 (sete) anos ou já adulto, deverá ser encaminhado para a Pastoral da Catequese; 8. A Madrinha ou Padrinho de Consagração deverá estar presente no Encontro de Preparação do Batismo; 9. Se algum dos participantes do Batismo se ausentar à preparação, a Pastoral deverá marcar outra reunião para atendê-lo de acordo com a sua possibilidade o mais breve possível; 10. Em caso grave, onde houver risco de morte, o Batismo poderá ser feito por qualquer pessoa do princípio que haja intenção sincera e use da ÁGUA e da forma: EU TE BATIZO EM NOME DO PAI E DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO; 11. A Pastoral deverá se apresentar com o maior número de membros possível por ocasião das visitas; 12. A Pastoral deverá em sua Comunidade de trabalho (no final das missas, em grupos de oração, reuniões, etc.) colocar-se a serviço e à disposição para atender às necessidades da sua Comunidade; 13. A Pastoral deverá estar sempre em contato com a sua ligação, para mantê-lo informado sobre a ação desta na Comunidade; 14. No dia do Batismo das crianças visitadas na Comunidade, é importante que a Pastoral se faça presente na Igreja: recepcionando-os e acolhendo-os com alegria;
  • 3. 3 15. Os membros da Pastoral do Batismo deverão reunir-se periodicamente para tratar de assuntos comuns à Pastoral e estudar a melhor forma de enriquecer as reuniões da Pastoral do Batismo; 16. Incentivar as famílias e participar dos movimentos de Comunidade; 17. Visitar ou enviar mensagem de felicitações em nome da Pastoral, a todas as crianças que fazem 1 (um) ano de Batismo; 18. A comunidade eclesial inteira tem uma parcela de responsabilidade no desenvolvimento e na conservação da graça recebida no Batismo. É nosso papel, assim como o dos pais, padrinhos e madrinhas sermos cristãos firmes, capazes e prontos a ajudar o novo batizado, criança ou adulto, na sua caminhada na vida cristã. 19. Preencher todos os campos da ficha de INSCRIÇÃO com os dados do Batizando, Padrinho, Madrinha e do Responsável por tais informações; 20. Orientar sobre a importância da presença de todos, principalmente Padrinho e/ou Madrinha (inclusive de Consagração) no dia da preparação Batismal – Curso de Batismo; * DOCUMENTOS NECESSÁRIOS Residentes em nossa Paróquia: - Certificado do curso de preparação para o batismo; - Certidão de casamento religioso; - Certidão de nascimento da criança; - Comprovante de residência. Residentes em outra Paróquia: - Autorização da paróquia mais próxima da residência; - Certificado do curso de preparação para o batismo; - Certidão de nascimento da criança. Visitas de batizados: As visitas na pastoral do Batismo é um dos momentos essenciais para o sacramento de fato significar pertença a uma comunidade católica. É o interesse de fato da comunidade para com aqueles que vivem a fé e ou estão afastados da convivência comunitária. Visitar significa criar laços na comunidade. As visitas da pastoral do Batismo não se darão somente neste momento do batizado. Ela tem inicio já com a gestante que se prepara ser mãe. Encontro com o casal que prepara este momento com carinho e muitas vezes vivido em meio às tribulações do dia a dia. A visita aqui não é só para preencher uma ficha, mas um verdadeiro encontro de famílias. A visita se prolongará após o batismo criando com a família um elo comunitário e ajudando a família a tornar-se uma igreja domestica. Visa o verdadeiro engajamento comunitário e o carinho da comunidade para com as famílias. 1ª visita: logo após a inscrição na secretaria 2ª. Visita: 6 meses depois do batizado 3ª. Visita: 1 ano após o batizado 4ª. Visita: 2 anos após o batizado: visita normal e convidá-los para o Encontro Anual de Famílias. Este encontro é também responsabilidade da Pastoral do Batismo, mas de comum acordo com a Pastoral Familiar da Paróquia. Após este momento encaminhar os pais e padrinhos para a pastoral familiar. Aqui seria importante ter também um encontro com as gestantes da comunidade. Por isto é preciso fazer o mesmo acompanhamento com os casais que se casam na comunidade e com as gestantes. PARTE SUPERIOR DO FORMULÁRIO ANOTAÇÕES SOBRE A VALIDADE DO BATISMO EM OUTRAS IGREJAS: a) Batizam validamente:
  • 4. 4 - Igrejas Orientais, que não estão em plena comunhão com a Igreja católico-romana, em geral conhecidas como ortodoxas; - Igreja Episcopal Anglicana; - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil; - Igreja Evangélica Luterana do Brasil; - Igreja Metodista. b) Igrejas que não têm urgência de batizar, mas, quando batizam, o fazem validamente: - Igrejas presbiterianas; - Igrejas batistas; - Igrejas congregacionais; - Igrejas adventistas; - Igrejas Pentecostais que usam a fórmula trinitária: “Eu te batizo, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”; - Exército de Salvação. c) Igrejas, de cujo batismo se pode prudentemente duvidar. Por isto, deve-se batizar, sob condição: - Igrejas Pentecostais que utilizam a fórmula: “Eu te batizo em nome do Senhor Jesus”; - Igrejas Brasileiras; - Mórmons. d) Batismo certamente inválido: - Testemunhas de Jeová; - Ciência Cristã; - Grupos de Umbanda. PREPARATIVOS PARA O ENCONTRO DE BATISMO Para o bom êxito do Encontro, é necessária a formação de algumas equipes, conforme sugestão a seguir. Pessoas simples, até analfabetas, poderão fazes parte de uma das equipes. Basta treiná-las. O numero de pessoas em cada equipe varia conforme o número de participantes do encontro. O ideal seria pelo menos três pessoas em cada equipe. I - Equipe de Acolhida (casais da pastoral familiar, MFC, casais de segunda união, pais que já participaram dos encontros de preparação) 1. Arrumar o local do encontro (cadeiras, mesas com toalhas, flores, crucifixo,velas, sala bem iluminada e arejada ou com ventilador, música ambiente); 2. Deixar o local limpo e adequado para o cafezinho, com todo o material necessário, evitando o desconforto do acumulo de pessoas ao redor da mesa; 3. Providenciar banheiros, masculinos e femininos, devidamente limpos, equipados, em locais visíveis; 4. Arrumar local adequado para a equipe de secretaria; 5. Ver local próprio e pessoas devidamente instruídas para ocupar os filhos e filhas dos participantes do encontro. II - Equipe de Secretaria – (Para esta tarefa, alguns casais podem ser preciosa ajuda, ou casais de, segunda união se sentirão muito valorizados se convidados para esta tarefa). 1. Receber bem as pessoas com simpatia e caridade; 2. Evitar filas, registrar os participantes em livro próprio, providenciar crachás e encaminhá-las ao local do encontro. 3. Preencher e, na hora oportuna, entregar o comprovante de participação; 4. Eventuais gastos devem ser cobertos pela CPA. Nunca cobrar dos participantes que em muitos casos estão reiniciando a vida na igreja.
  • 5. 5 III - Equipe de animação; (Os ministérios de música podem ser muito úteis neste caso). 1. Preparar instrumentos variados, com pessoas que saibam usá-los 2. Estar por dentro de todo o programa, desde a chegada até o término; 3. Ser sensível na seleção de cantos escolhidos e condizentes com o momento ou com o tema a ser estudado; 4. Providenciar condições que facilitem o acompanhamento dos cantos (transparências, folhas...). IV - Equipe do cafezinho e apoio 1. Providenciar ambiente espaçoso e equipado para cafezinho (mesa, garrafas de café, açúcar, chá, água, copos, colherinha, bandeja, bolachas etc.); 2. Proporcionar encontro das crianças com os pais (se houver) no momento do cafezinho, estando atento a servi-las. V - Equipe de monitores 1. Acolher com alegria os participantes com alguma dinâmica de descontração, por exemplo: um apresentar o outro, ou canto com gestos do tipo “os encontristas serão abençoados, porque o Senhor vai derramar o seu amor...” ou algo equivalente; 2. Criar momento para oração, conhecida de todos. Nunca deixar faltar na oração uma leitura bíblica. 3. Providenciar local adequado para trabalhos em grupos etc.; 4. Deixar prontos os recursos audiovisuais (TV, vídeo, extensão, retroprojetor, datashow etc.) 5. Observar horário de início e fim das atividades. Estar por dentro dos assuntos a apresentar e resolver casos imprevistos com tranqüilidade. VI- Material para o encontro Será também oportuno ter presente algum material básico para uso durante os encontros. Tomamos a liberdade de sugerir alguns: 1. Bíblia, (tantas quantas necessárias, ao menos uma para cada grupo de trabalho). 2. Um documento: “Diretrizes Sacramentais da Diocese de Jales” 3. Papeis próprios para os trabalhos em grupo 4. Canetas, papéis em geral 5. Livro de cantos. Duração do Encontro: O Encontro não pode ser cansativo, mas alegre e que possibilite aos participantes um momento de viver a vida numa comunidade que testemunha de fato a presença amorosa de Deus em suas vidas. Por isto os que estão “ministrando” o encontro devem ter isto em mente. O Encontro tem a duração de no máximo 4 horas (08h00 ao 12h00). No Roteiro que apresentamos abaixo a duração é de 3 horas e 40 minutos. Saber aproveitar bem os momentos intercalando com momentos de musica. Por isto deve-se pensar em ter ao menos uma pessoa com violão que anime estes momentos. Também os participantes da Pastoral do Batismo tenham consciência de que estas 4 horas podem marcar definitivamente a vida dos participantes. Evitar falar com palavras moralistas que podem melindrar as pessoas, mas falar com palavras que expressem o que estamos vivendo. Se surgir uma discussão procurar ser carinhoso com as pessoas. Lembrar que estas pessoas que ali estão carecem talvez de um maior aprofundamento em questões de fé! O Encontro tem o seguinte esquema: 1- Acolhida. Oração Inicial: 10 minutos. Procurar ser pontual no inicio da preparação para não atrasar todo o Encontro.
  • 6. 6 2- 1ª. Parte: Trabalho em Grupo como explicado abaixo. Encaminhamento aos Grupos – Trabalho em Grupo – Plenária - 1 hora. 3- 4 pequenas palestras: Sacramento do Batismo (Conscientizar) 20minutos, Os Símbolos do Batismo (Explicar o significado) 15 minutos, Deveres de Pais e Padrinhos (Conscientizar) 15minutos, Maria (Conscientizar) 15minutos. Total de 1h05. 4- Grupos Temáticos: Aqui são apresentados 9 grupos temáticos. Isto significa que serão 9 temas diferentes. Bom seria se pudéssemos ter os 9 grupos. Haverá encontro onde isto será possível e outros que a coordenação deverá eleger os que serão trabalhados naquele Encontro. A orientação para este trabalho diz que os grupos serão formados com no Maximo 8 pessoas e no mínimo 4 pessoas. Vendo a totalidade dos participantes pode-se prever a quantidade dos grupos. Acreditamos que este deve durar cerca de 40 minutos. Ter uma pequena plenária na volta para sentir o trabalho dos grupos. Aqui não tem a necessidades dos grupos apresentarem nada, mas ser somente um tempo de partilha. 15 minutos são suficientes para este momento de retorno. 5- Encerramento: Últimos recados e Oração Final. 10 minutos. TRABALHO EM GRUPOS 1. Levar prontos papéis de nove cores diferentes, à medida que as pessoas vão chegando distribuir uma papeleta para cada participante. Isto vai facilitar a formação dos grupos conforme as cores. Ter em conta quantos grupos irão ser formados no Encontro. 2. Cada cor, oito pedaços de papéis, num total de sessenta e quatro. 3. Se houver poucos participantes, não distribuir todas as cores. 4. Misturar as cores dando cores diferentes para homens e mulheres. 5. Pedir que se reúnam as pessoas que tem a mesma cor em lugares já assinalados com a cor correspondente. 6. Cada grupo não deve ter mais de oito pessoas. Dar um papel com as seis perguntas abaixo: No dia da inscrição para o encontro de preparação, os participantes receberão numa papeleta as seis perguntas seguintes. Pedir que estudem em casa e tragam a resposta para o dia do encontro. No momento da formação dos grupos lembrar que devem escolher um(a) secretário(a) que anotará somente as questões 4, 5 e 6. As 3 primeiras, só conversar. É bom colocar para fora eventuais pressões ou indisposições para fazer o Encontro de Batismo. 1. Seu nome, onde trabalha? 2. O que você espera do encontro de Batismo? 3. Você quer que seu filho ou afilhado seja Batizado? Por quê? 4. O Batismo é para quem quer ser cristão, seguir Jesus Cristo. Mas quem é Jesus Cristo para você? 5. O Batismo é para quem vive em comunidade. Mas o que significa viver em comunidade? 6. Quem deseja o Batismo é porque quer o sacramento. Mas o que é sacramento? Depois de trinta minutos dar oportunidade para todos os grupos apresentarem suas conclusões. Até este momento, se terá gasto cerca de 1 hora. A equipe de monitores faz uma breve conclusão do estudo em grupo, nunca desautorizando o que foi dito, mas sempre reforçando e dando novas conotações às respostas apresentadas pelos participantes. Por Exemplo: Jesus Cristo é isto para vocês, mas é também, etc. Feita esta primeira etapa, os participantes são convidados a participar de pequenas palestras com 4 temas e depois na sequencia são encaminhados aos mesmos grupos para estudar os temas seguintes. Caso sejam poucos os participantes, formar menos grupos. Não é a aconselhável que os grupos tenham mais que 8 pessoas e menos que 4. ORAÇÃO INICIAL PARA TODOS OS ENCONTROS (podem estar preparadas em uma folha para ser entregue a cada participante)
  • 7. 7 Animador: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo! Todos: Amém! Animador: Irmãos e irmãs! Com alegria, queremos acolher a todos e todas para este encontro. E nos saudamos dizendo: O Senhor esteja conosco! Todos: Ele esta no meio de nós! Animador: Cantemos: Canto: EIS-ME AQUI SENHOR, EIS-ME AQUI, SENHOR. PRA FAZER TUA VONTADEE, PRA VIVER DO TEU AMOR, PRA VIVER DO TEU AMOR, EIS ME AQUI SENHOR. 1 O Senhor é meu pastor que me Conduz, por caminhos nunca vistos me enviou. Sou chamado a ser fermento sal e luz. E por isso respondi: aqui, estou. 2 Ele pôs em minha boca Uma canção, me ungiu como Profeta e trovador da história E da vida do meu povo e Por isso respondi: aqui estou. 3 Ponho minha confiança no Senhor, da esperança sou Chamado a ser sinal. Seu ouvido se inclinou ao meu clamor E por isso respondi: aqui estou. Animador: Rezemos juntos: Todos: Bendito sois, Trindade Santíssima, pelo dom da vida e pelo dom da fé. Nós vos oferecemos este encontro para o vosso louvor. Fortalecei em nós o amor sobre todas as coisas. Concretizai em nós o amor ao próximo, como Jesus nos ama. Abençoai a nossa igreja e olhai com carinho para as pessoas que sofrem e passam necessidades. Tudo isso vos dizemos, com amor filial, com Maria, a Mãe do vosso Filho e por meio d’Ele, Jesus, na unidade do Espírito Santo. Amém! Leitor – (proclamar um texto do evangelho, seria muito bom se relacionado ao batismo. Depois de ler é bom deixar alguns momentos de silêncio e convidar para rezar o Pai nosso). ORAÇÃO FINAL - PARA TODOS OS ENCONTROS Animador: Ao encerarmos o Encontro, oremos de mãos dadas. Todos: Pai nosso... Ave Maria... Gloria ao Pai...
  • 8. 8 Animador: O Senhor esteja conosco! Todos: Ele está no meio de nós! Animador: Por intercessão da Mãe do Senhor Jesus, abençoe-nos o Pai, o Filho e o Espírito Santo! Todos: Amém! Animador: Na alegria de sermos, pelo Batismo, filhos e filhas do mesmo Pai E, portanto, irmãos e irmãs, saudemo-nos uns aos outros! Vamos em paz, pois o Senhor nos acompanha. Canto final: Eu te peço desta água que tu tens (P. Zezinho) Eu te peço desta água que tu tens. É água viva, meu Senhor. Tenho sede e tenho fome de amor, e acredito nesta fonte de onde vens. Vem de Deus, estás em Deus, Também és Deus, e Deus contigo faz um só. Eu, porém que vim da terra e volto ao pó, Quero viver eternamente ao lado teu. /: ÉS ÁGUA VIVA, ÉS VIDA NOVA, E TODO DIA ME BATIZAS OUTRA VEZ, ME FAZES RENASCER, ME FAZES REVIVER, EU QUERO ÁGUA DESTA FONTE DE ONDE VENS :/ TEMAS DAS PALESTRAS DO ENCONTRO DE BATISMO ESQUEMA: 1.) Sacramento do Batismo (Conscientizar) 20minutos
  • 9. 9 o Deus nos ama com Amor infinito; o O que é Sacramento; o A Trindade no Batismo; o A manifestação de Deus através da Fé; o O Batismo é Testemunho do Reino. 2.) Os Símbolos do Batismo (Explicar o significado) 15 minutos o da Água; o do Óleo; o da Vela; o da Veste Branca. 3.) Deveres de Pais e Padrinhos (Conscientizar) 15minutos o Porque devemos batizar crianças; o Da responsabilidade; o Da formação cristã da criança; o Ser exemplo de vida ativa aos compromissos da Igreja; 4.) Maria (Conscientizar) 15minutos o Que Maria é mãe de Deus e nossa intercessora; o O que é “Consagração a Maria”; o Dos vários títulos de Maria; o As virtudes de Maria em nossa vida. CONTEÚDO DAS PALESTRAS: 1.) PALESTRA 01: Sacramento do Batismo (Conscientizar) 20minutos
  • 10. 10 BATISMO INÍCIO A SER COMPLETADO Explica o Concilio do Vaticano II: “O Batismo, porém, por si é só o inicio e o exórdio (começo) que tende à consecução (Conseguir) da plenitude de vida em Cristo. Por isso o Batismo se ordena à completa profissão de fé, a integra incorporação do instituto da salvação tal como o próprio Cristo quis e à total inserção na comunhão Eucarística”. Quem vai completar então o Batismo, levando as crianças até a explicação da fé e a comunhão Eucarística? Essa obrigação cabe principalmente aos pais e os padrinhos. Dizem os Bispos do Brasil a esse respeito: “A conseqüência, para os pais que pedem o Batismo para seus filhos é compromisso, já assumido na celebração do casamento, de educá-los na fé, dentro da comunidade Eclesial”. No cumprimento deste compromisso de educar seus filhos na fé, os pais e padrinhos representam a Igreja, que pela pregação e pelo Batismo, gera, para uma vida nova. Como se vê grande é a responsabilidade dos pais e padrinhos. Eles devem dar continuidade à inserção na Fé e na Igreja, daquela criança que foi batizada por sua apresentação. POR ISSO É IMPORTANTE QUE FIQUE BEM CLARO QUE VOCÊ DEVE PEDIR O BATISMO PARA SEU FILHO, ESTANDO CONCIENTE DO SENTIDO, DO VALOR E DAS RESPONSABILIDADES DESSE ATO. POIS NÃO TEM COMO SE ARREPENDER DEPOIS E QUERER SE BATIZAR NOVAMENTE COMO PODEMOS VER: Ef 4,5 - Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo. PERTENÇA À IGREJA, CORPO DE CRISTO O Batismo é fonte de responsabilidade e de deveres. Mas o Batizado também goza de direitos dentro da Igreja: a receber os sacramentos, a ser alimentado pela Palavra de Deus e a ser sustentado pelos outros auxílios espirituais da Igreja. “Tornados filhos de Deus pelo batismo”, os cristãos são obrigados a professar diante das pessoas a fé que pela Igreja receberam de Deus. E são chamados a participar por direito e dever da ação apostólica e missionária do Povo de Deus. (LG 11,17; AG 7,23). Catecismo da Igreja Católica – do n. 1076 ao 1134; do n. 1210 ao 1284) COMO NASCEU O BATISMO? Já existia antes de Jesus, mas Jesus dá um sentido novo ao Batismo (Jo 1, 19-33). Depois de ressuscitado Jesus dá o seu mandamento de batizar (Mt 28, 16-20; Mc 16, 14-18). O COMPROMISSO DO BATISMO É crer no Evangelho (Mc 16, 16), conhecer e guardar os mandamentos de Jesus (Mt 28, 19-20). No caso de Batismo de crianças, é obrigação dos pais e padrinhos educarem a criança para cumprir este compromisso. A Bíblia compara o Batismo com a Morte e Ressurreição de Jesus. Pelo Batismo devemos morrer para o pecado, para o egoísmo, e ressuscitar para a vida nova de amor ao Pai e aos irmãos, porque estamos incorporados em Jesus Cristo (Rm 6, 1-23 e Jô 15, 1-12). Pelo Batismo entramos na Igreja que também é chamada de Corpo de Cristo. A Bíblia diz que fomos batizados para formar um corpo (1Cor 12, 13). Por isso a pessoa batizada tem compromisso de viver a solidariedade e lutar contra as injustiças, como Jesus fez, sem medo de morrer na cruz. QUANTAS VEZES SE PODEM BATIZAR? Uma só vez, porque só existe um Batismo (Ef 4, 4-6). PARTE CENTRAL DA CELEBRAÇÃO DO BATISMO Quem batiza faz assim: Fala o nome da pessoa e continua dizendo: EU TE BATIZO EM NOME DO PAI (derrama a água) DO FILHO (derrama a água) E DO ESPÍRITO SANTO (derrama a água). Normalmente
  • 11. 11 o Ministro do Batismo é o bispo, o padre e o diácono. Mas em caso de necessidade urgente, qualquer pessoa pode batizar, fazendo como foi dito acima. Depois se deve avisar o padre da paróquia e seguir sua orientação. O Batismo nos lava de todos os pecados feitos antes de sermos batizados. No batismo de adulto, a pessoa deve estar arrependida dos seus pecados para receber o perdão (At 2, 38) QUEM PODE BATIZAR? São Ministros do Batismo o Bispo, os Padres e Diáconos e ministros (freiras ou leigos) com licença para isso... Em caso de necessidade qualquer pessoa pode batizar, fazendo como a Igreja faz. SITUAÇÕES ESPECIAIS Os que morrem por causa da fé, os catecúmenos e todos os homens que sob o impulso da graça, sem conhecerem a Igreja, procuram com sinceridade a Deus e se esforçam por cumprir a vontade dele, são salvos, mesmos que não tenham recebido o batismo. Quanto às crianças mortas sem batismo, a Igreja convida-nos a ter confiança na misericórdia divina e orar pela salvação delas. UMA CRIATURA NOVA O Batismo não somente purifica de todos os pecados, como também faz do cristão “uma criatura nova” (2Cor 5,17), um filho adotivo de Deus que se tornou “participante da natureza divina” (2Pd 1,4), membros de Cristo e herdeiro com ele (Rm 8,17), templo do Espírito Santo. A SS. Trindade dá ao batizado a GRAÇA SANTIFICANTE, a GRAÇA DA JUSTIFICAÇÃO, a qual: Torna-o capaz de crer em Deus (fé), de esperar nele (esperança) e de amá-lo (caridade) através das virtudes teologais (fé, esperança e caridade); Concede-lhe o poder de viver e agir sob a moção do Espírito Santo por seus dons; Permite-lhe crescer no bem pelas virtudes morais (prudência, fortaleza, justiça e temperança). POR QUE VOCÊ BATIZA SEU FILHO? • Porque tem medo da criança não ser feliz; • Porque tem medo dela contrair doenças; • Porque tem medo que ela apanhe mal olhado; Pode Ser Também Que Você Queira O Batismo • Porque é uma tradição de Família; • Porque você é Católico; • Porque não quer seu filho fique pagão; Você Pode Ainda Dizer Que Vai Batizar Seu Filho. • Para que ele possa se salvar um dia, tendo o direito de entrar no céu; • Para que ele fique sem o pecado original; • Para que ele se torne cristão, filho de DEUS e membro da Igreja; OS SACRAMENTOS SÃO SETE: 1. Batismo 2. Eucaristia 3. Confirmação ou Crisma 4. Penitência ou Confissão 5. Unção dos Enfermos 6. Matrimônio 7. Ordem BATISMO – MISTÉRIO DE INCORPORAÇÃO A CRISTO
  • 12. 12 Por ele nós começamos a ser de DEUS, nos tornamos seus filhos. Santo Tomás ensinava que o Batismo imprime em nós o CARÁTER BATISMAL, que é uma marca indelével (não se pode apagar) que nos assinala como filho de DEUS. Pelo Batismo também passamos a fazer parte da Igreja, que é o povo de DEUS, e incorporado a Igreja assumimos à sua Missão: • Profética • Evangelizadora Então pelo Batismo nos tornamos Sacerdotes e passamos a ter a missão de Profetizar e Evangelizar como os Apóstolos. O BATISMO NASCE DA FÉ EM JESUS CRISTO E NA SANTISSIMA TRINDADE. Foi Jesus mesmo quem dispôs assim. “Toda autoridade me foi dada no céu e na terra, ide, pois ensinai a todas as nações, batizai-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias até o fim do mundo”. BATISMO, MISTÉRIO DE PARCITIÇÃO NO ESPIRÍTO SANTO. O Batismo não é apenas uma cerimônia, de acordo com a nossa Fé, o Batismo vai mudar interiormente a criança. Dizemos que ela deixa de ser pagã e se torna Cristã. Espiritualmente ela nasce de novo pelo Espírito Santo. Esta é uma verdade de Fé das mais freqüentemente repetidas nos livros Santos. Já havia sido profetizada por Ezequiel: “Derramarei sobre vos uma água pura e sereis purificados... Dar- vos-ei um coração novo e porei em vosso peito um Espírito novo... porei em vos o meu Espírito e farei com que procedais segundo os meus preceitos...”. Estas palavras se referem claramente à água do Batismo e ao Espírito Santo. Antes de Cristo começar sua pregação, João Batista disse a respeito dele em Mateus 3,11: “Eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim... voz batizará no Espírito Santo”. E Jesus noticiou seu batismo a Nicodemos como podemos ver em João 3,5: “Quem não nascer da água e do Espírito Santo, não poderá entra no Reino de DEUS”. O Batismo atinge a pessoa no intimo de seu ser, tudo isso já foi mencionado no inicio, quando dissemos que o Batismo imprime Caráter (marca). Quem é batizado recebe para sempre a marca da Santíssima Trindade. A Sagrada Escritura refere-se a isso quando fala: • UMA CRIATURA NOVA (2 Coríntios 5,17)- Pelo Batismo passamos de Criatura de DEUS para filhos de DEUS. • UM FILHO ADOTIVO DE DEUS (Gálatas 4,5-7) • PARTICIPANTE DA NATUREZA DIVINA (2 Pedro 1,4) • MEMBROS DE CRISTO (1 Coríntios 6,15; 12, 27) • CO-HERDEIRO COM ELE (Romanos 8,17) • TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO (1 Coríntios 6,20) Então podemos tirar várias conseqüências, mais a principal é que todos os batizados formam um povo, o povo de DEUS. Mas para sermos salvos não basta ser BATIZADO precisamos crer. Como Jesus mesmo disse em Marcos 16,16: “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”. O BATISMO IMPÕE RESPONSABILIDADES E DEVERES A - Com DEUS
  • 13. 13 B - Com o próximo C - Com o mundo D – Com a Igreja A – COM DEUS A Fé aceita um único DEUS “Amarás, pois, o Senhor teu DEUS e observarás sempre o que ele te ordenou, suas leis, seus, preceitos e seus mandamentos”. Deuteronômio 11,1 B - COM O PRÓXIMO Pelo Batismo somos todos irmãos, criados por DEUS, como podemos ver em Gênesis 1,26. “Então DEUS disse: Façamos o homem a nossa imagem e semelhança”. Estando Jesus com seus Discípulos eles o perguntaram, como podemos ver em Mateus 22,36-40: “Mestre, qual é o maior mandamento da lei. Jesus respondeu: Ame ao Senhor seu DEUS com todo o seu coração. Com toda a sua alma... Esse é o maior e o primeiro mandamento...O segundo é semelhante a esse. Ame ao seu próximo como a si mesmo. Toda a lei depende desses dois mandamentos”. E Jesus nos diz ainda em João 4,20: “Se alguém diz: Eu amo a DEUS, e, no entanto odeia o seu irmão, esse tal é mentiroso, pois que não Ama o seu irmão a quem vê, não poderás Amar a DEUS a quem não vê”. C - COM O MUNDO Pelo Batismo somos chamados a construir um mundo novo De Que Modo? Estabelecendo estruturas justas e honestas construindo o Reino de DEUS no coração do mundo. A Conferência de Puebla reconheceu que “é no mundo que o leigo encontra seu campo especifico de ação, pelo testemunho de sua vida, por suas palavras oportunas e suas ações concretas.” A mesma conferência enuncia: -À família, á educação, às comunicações sociais, e à própria política, como campo especifico. -Não pode o Cristão ficar indiferente a essas realidades, deve Santificá-las. -É missão que nasce do compromisso batismal. D - COM A IGREJA Quem é batizado deve saber que está numa comunidade, onde deve conviver, trabalhar e colaborar. - CONVIVER – Participação ativa na missa. - TRABALHAR – O Papa Paulo VI escreve o seguinte: “Os leigos podem também sentir-se chamados a colaborar com os próprios Pastores ao serviço da comunidade Eclesial, para o crescimento e a vida da mesma, pelo exercício dos Ministérios muito diversificados segundo a Graça e os Carismas que o Senhor houver por bem depositar neles”. O Papa enuncia alguns desses Ministérios: Catequista, anuncio da palavra, movimentos Apostólicos e Assistências aos irmãos. - COLABORAR – O dever do Dizimo, forma de colaboração concreta com a Paróquia. 2.) PALESTRA 02: Os Símbolos do Batismo (Explicar o significado) 15 minutos SÍMBOLOS DO BATISMO
  • 14. 14 • Sinal da cruz – Sinal do Cristão • Água – fonte de vida • Óleo – força para se livrar do inimigo • Vela – Luz de Cristo • Veste Branca - pureza • Credo – profissão de Fé • Batismo- O Padre despeja a água na cabeça da criança dizendo: Eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. CELEBRAÇÃO DO BATISMO O significado e a graça do sacramento do Batismo aparecem com clareza nos ritos de sua celebração. É acompanhando, com participação atenta os gestos e as palavras desta celebração, que os cristãos são iniciados nas riquezas que este sacramento encerra e realiza em cada novo batizado. Inicia-se com o Sinal-da-Cruz: é a marca de Cristo naquele que vai pertencer-lhe. Significa que a graça da redenção que Cristo nos adquiriu por sua cruz. A leitura da Palavra de Deus ilumina com a verdade revelada os que vão ser batizados e todos, despertando a resposta da fé. A Unção com óleo dos Catecúmenos significa a libertação do pecado e do demônio (todo o mal). A água batismal é consagrada por uma oração: por ela a Igreja pede a Deus que por seu Filho e pelo poder do Espírito Santo desça sobre essa água para os que forem batizados nela “nasçam da água e do Espírito Santo” (Jo 3,5). Segue a aceitação dos Compromissos de Cristo com a Profissão de Fé nas verdades ensinadas por Cristo e apresentadas pela Igreja. O Rito Essencial do sacramento do Batismo: imergindo na água ou derramando por três vezes a água na testa da pessoa dizendo... eu te Batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Segue a Unção com o Óleo do Santo Crisma. Significa o Dom do Espírito Santo ao novo Batizado. Este se torna um Cristão, isto é, “ungido” do Espírito Santo, escolhido por Deus, fazendo parte do Corpo de Cristo que é sua Igreja, como Jesus que foi ungido sacerdote, profeta e rei. Nas Igrejas do Oriente a Confirmação ou Crisma é dada neste momento. Na liturgia da Igreja Romana é momento especial de receber o Espírito Santo. Só depois em idade mais adulta o cristão recebe o sacramento do Santo Crisma. A Veste Branca que se coloca sobre o neo-cristão lembra que “ele se vestiu de Cristo” (Gl 3,27): ressuscitou com Cristo. A Vela acesa no Círio Pascal significa que Cristo iluminou a vida deste novo cristão. Em Cristo, todos os batizados têm de ser “a luz do mundo, para as pessoas” (Mt 5,14). Já agora como cristão, filho de Deus o que foi batizado rezará com toda a comunidade a oração do Pai Nosso. O Batismo imprime na vida da pessoa um sinal indelével, o caráter, que consagra o batizado ao culto da religião cristã. Em razão deste sinal sagrado o Batismo não pode ser reiterado. 3.) PALESTRA 03: Deveres de Pais e Padrinhos (Conscientizar) 15minutos Alguns deveres dos Pais e Padrinhos
  • 15. 15 - Ter consciência, da responsabilidade assumida com Deus e a Igreja, pois é na Fé destes que a criança está sendo batizada; - Pais e Padrinhos, são os primeiros responsáveis pela iniciação da Fé Cristã na criança, devem, portanto encaminhá-la à catequese quando na idade apropriada; - Educar a criança na vida espiritual desenvolvendo nela a necessidade de estar em união com Deus; - Testemunhar Jesus na sua vida e ações, buscando a paz do Espírito Santo, orando em família e fazendo crescer a Fé; - Orientar para que estas cresçam em um ambiente de harmonia interior e também exterior; - Ter consciência, que não deve desejar o batismo para seus filhos por crendice e/ou superstições como: antes do Batismo (não cortar as unhas, não apagar a luz do quarto, não entrar na Igreja...); - Estar atento e não permitir que crendices e superstições venham confundir e se tornarem obstáculos na vida e caminhada dessa criança; - Orientar sobre a importância da presença de todos, principalmente Padrinho e/ou Madrinha (inclusive de Consagração) no dia da preparação, para somente depois marcar a data do Batismo; SEGUNDO O DIREITO CANÔNICO PARA SER PADRINHO É NECESSÁRIO: Can.17 para alguém ser padrinho validamente, é preciso que: 1) seja batizado, tenha uso da razão e tenha intenção de cumprir sua obrigação; 2) Professe a religião Católica; 3) Não tenha sido excomungado, não se tenha tornando infame por infâmia de direito nem excluído dos atos legítimos por sentença condenatória ou declaratória nem seja clérigo deposto ou degradado; 4) Não seja o pai, a mãe ou o cônjuge do batizado; 5) Tenha sido escolhido pelo batizando ou seus pais ou tutores, ou na falta deles designados pelo Ministro; Can. 18. Para alguém ser admitido licitamente como padrinho, é preciso que: 1) Tenha completado dezesseis anos; 2) Goze canonicamente de boa fama; 3) Seja adequadamente instruído na doutrina Cristã e habilitado para assumir e cumprir as funções próprias de um padrinho; PROMESSAS DO BATISMO Pais e padrinhos que estais aqui com vossos filhos, que pedis à Igreja de DEUS para eles? O Batismo Pedistes o Batismo para os vossos filhos. Deveis educá-los na fé, a fim de que, observando os mandamentos amem a DEUS e ao próximo como a Cristo nos ensinou. Estais bem conscientes disto? Sim E vós padrinhos e madrinhas deveis ajudar os pais a cumprir sua missão. Estais dispostos a fazê-lo? Sim Para viver na liberdade dos filhos de DEUS, renunciais ao pecado? Renuncio Para viver como irmãos, renunciais a tudo o que vos desune? Renuncio Para seguir Jesus Cristo, renunciam ao demônio, autor e princípio do pecado? Renuncio Crê em DEUS Pai todo poderoso criador do céu e da terra? Creio
  • 16. 16 Crê em Jesus Cristo, seu único filho, nosso Senhor, que nasceu da Virgem Maria, padeceu e foi sepultado, que ressuscitou dos mortos e subiu ao céu? Creio Crê no Espírito Santo, na Santa Igreja católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna? Creio Esta é a nossa fé que da Igreja recebemos e sinceramente professamos razão de nossa alegria em Cristo Nosso Senhor! Amém 4.) PALESTRA 04: Maria (Conscientizar) 15minutos
  • 17. 17 UMA INTERCESSORA DE POUCAS PALAVRAS João nos apresenta à Maria em duas ocasiões chave: em Caná e no Gólgota. Em ambas Jesus se dirige a ela chamando-lhe de "Mulher". E em ambas Maria acompanha o filho como co-intercessora e como modelo de intercessão. "Três dias depois, celebravam-se bodas em Caná da Galiléia e achava-se a mãe de Jesus" (João 2,1). Recordemos: a presença de Maria em nossas vidas é o melhor convite e garantia da presença de Jesus. "Eles já não tem vinho." Pensemos: na cultura mediterrânea, a falta de vinho em uma boda constituía um desastre traduzido em uma grande vergonha para os recém-casados. Ninguém, nem os noivos, nem o mordomo, ninguém havia se dado conta de tal situação. Só Maria que observava a todos com olhos de mãe. Nada como o amor para aguçar a visão, não para reparar os defeitos, mas para ver as necessidades do próximo, assim como as possibilidades de solução. Assim diz um ditado hebreu: "Como Deus não pode estar em todas as partes para atender a todos, então criou as mães." Se observarmos tudo "pela ótica do coração”, descobriremos constantemente necessidades alheias, e às vezes muito urgentes. Algumas, nós mesmos podemos solucionar. Outras - as más - apresentamos em oração silenciosa e intercessora diante de quem pode solucionar tudo. A intercessão é muito mais eficaz do que ficar murmurando. Muito mais do que este gesto habitual de levarmos as mãos à cabeça e lamentarmos, que, além de importuno, é terrivelmente ineficaz. A intercessão de Maria não pôde ser mais breve: "Eles já não tem vinho." Cinco palavras. Nada de explicações a quem tudo sabe. Nada de argumentações para convencer a quem é toda a bondade. Nada de aconselhamentos e sugestões a quem tudo pode. A eficácia de nossa oração não depende da lucidez de nossas argumentações nem da eloquência de nossas palavras, nem da perfeição de nossos ritos, nem da sonoridade de nossos cantos. Depende unicamente da nossa fé e esperança no Senhor, assim como nosso amor ao próximo. Quantas palavras desnecessárias em nossa oração pessoal e comunitária! Certos de que o que importa unicamente é a fé. E se não, voltarmos ao diálogo de Maria com Jesus. Diante das palavras de Maria, Jesus responde de forma inesperada: "Mulher, isso compete a nós? Minha hora ainda não chegou"(João 2,4). Maria entendeu aquelas palavras? Provavelmente não. Mas creu. Cria e sabia que Deus jamais permaneceria indiferente às necessidades de seus filhos. E sabia que agrada mais a Deus as orações que fazemos ao pedir pelos pobres e necessitados. Posta à prova, a fé de Maria cresce e se faz contagiosa. Depois disto, diz aos serventes: "Fazei o que ele vos disser"(João 2,5) E fizeram... e a água se transformou em vinho! Nossos irmãos protestantes têm razão em afirmar que o único Salvador é Jesus; que dele nos vem toda a graça; que nele depositamos toda a nossa confiança. Porém erram, sem dúvida, nossos mesmos irmãos quando daí conclui que se pode (e se deve) prescindir de Maria. Jesus estava presente em Caná, mas o Evangelho é muito claro em mostrar que Jesus nunca haveria feito o que fez se Maria não estivesse ali. Em quantos lugares faltam o vinho da alegria, do amor e da graça! Quantas coisas estão ficando escassas hoje mesmo na igreja! Por que ouvir o poder intercessor daquela que é Mãe de todos? Observemos, enfim o que a passagem do Evangelho conclui dizendo: "Este foi o primeiro milagre de Jesus; realizou-o em Caná da Galiléia.. Manifestou a sua glória e os seus discípulos creram nele."(João 2,11). Enquanto houver intercessores como Maria, Deus continuará preparando surpresas para nós... e seguirá crescendo a fé do povo nele. PORQUE SE CONSAGRAR À MARIA SANTÍSSIMA.
  • 18. 18 No princípio, Deus criou todas as coisas em vista do homem e da mulher. O homem e a mulher foram criados à Sua imagem. Sabemos que o homem e a mulher pecaram, porque foram enganados pela serpente que é Satanás, o demônio. Mas Deus não tirou a Sua graça e a Sua amizade para com o homem. Deus fez ao homem e a mulher uma promessa. A promessa era que Deus poria ódio entre a serpente e a mulher, entre a descendência da serpente e a descendência da mulher. Devemos saber que esta promessa realizou-se com o nascimento de Maria. Porque Ela é aquela Mulher e a descendência somos todos nós batizados em Cristo, e em particular, consagrados a Maria. (Gen. 3,14-15 imagem do nascimento de Maria). Qual a tarefa de N. Senhora nessa volta do homem e da mulher para Deus? Abrir caminho para que possamos aceitar o grande convite de Jesus através do Evangelho e segui-Lo. É mais fácil caminharmos quando temos luzes no caminho. Tem alguém que nos ajuda a caminhar neste caminho. Nós precisamos de Nossa Senhora. A necessidade de Nossa Senhora como nossa mãe, não é optativa, é obrigatória. Ela nos mostra o caminho rumo à perfeição, a santidade. A busca da perfeição aqui na terra consiste em viver lutando para ser santo e perfeito e passa pela experiência do pecado, por conta da nossa fragilidade humana. A experiência do pecado nos faz ter a experiência da Misericórdia. O caminho da santidade é o combate. Maria nos ajuda a combater. Consagrar-se a Maria é ter uma intimidade profunda, mãe e filho. Maria nos trata pessoalmente. João teve a liberdade de dizer sim, o mesmo sim que Maria já havia dado na anunciação: faça-se em mim segundo a vossa palavra. Não precisava mais que Maria dissesse algo para confirmar a sua maternidade espiritual. Quando Maria concebeu Jesus, espiritualmente ela concebeu cada um de nós. No Seu Filho ela concebeu os seus filhos. No discípulo amado Ela viu todos os cristãos. A consagração nos faz tomar consciência da entrega. Começa um caminho interior com ela. Ela dentro do coração nos ajuda a buscar e viver a santidade, isto é, a conversão. A consagração só se faz uma vez na vida. Para viver a consagração não necessariamente precisamos renová-la. A consagração se encerra quando eu não mais quiser ser consagrado. Crescer na intimidade com Maria, descobrir a maternidade, chamar-se filho, filha. Conversar com ela. Maria é presente, a uns é dada a graça de vê-la com os olhos físicos ( são os videntes). Uns recebem a missão de vê-la. Ela está sempre perto, a minha fé me diz. Sinto a presença dela. Porém, isto não se dá noite para o dia, é um processo. Ela não está presente como a vida divina, mas ela está atenta, perto e disponível a quem chamá-la. Os Títulos de Maria Minha amiga estava aguardando o elevador, quando apareceu a sua vizinha de porta. Cumprimentaram-se e, puxando conversa, minha amiga falou: "Estou indo rezar para Nossa Senhora". Para seu espanto, ouviu a vizinha perguntar-lhe: "Qual delas? Vocês inventaram tantas... "Minha amiga engoliu seco a zombaria, ofereceu aquele momento desagradável a Deus, e começou a falar- lhe: "Você tem seu nome, mas como é que sua filha chama você?”Não deixou que a outra respondesse: "Chama você de mamãe. E a sua neta a chama de Vovó. Seu marido chama você de meu bem ou, quem sabe, de algum apelido carinhoso. Para mim você é a minha vizinha. Para o zelador do prédio, a moradora do 602. Sua mãe chamava você de minha filha querida..." O elevador chegou, elas desceram juntas e minha amiga ainda lembrou o médico que a chamava de minha cliente, o feirante que a chamava de freguesa etc. A vizinha estava visivelmente aborrecida com a lição. Quando ia afastar-se ainda ouviu: "Se você vizinha, tem tantos títulos, imagine aquela que é a Mãe de Deus, a rainha do Universo?!?!" E, com um sorriso, minha amiga seguiu seu caminho. (Desconheço o Autor) Muitos são os títulos com os quais a Igreja louva a Virgem Maria. Muitos também são os títulos com que os povos no mundo inteiro aplicam a Maria, como forma de amor e carinho, e no desejo de enaltecê-la sempre mais.
  • 19. 19 Todos eles alimentam a nossa devoção, fazendo-nos pensar na grandeza e na dignidade da Mãe de Deus. Muitos títulos de Maria se referem a momentos da sua vida, como por exemplo, o de Nossa Senhora da Conceição, quando nos referimos a Ela que foi concebida Imaculada, pura, enriquecida de privilégios por Deus, em razão da sua maternidade Divina. Maria é chamada pelo nome do lugar onde Ela apareceu. Por exemplo: Nossa Senhora de Lourdes, de Fátima, Aparecida, etc. Outros títulos significam proteção, socorro, consolo e assim por diante. Entretanto, os títulos são muitos, mas uma só é a Virgem Maria. O povo cristão deseja honrá-la como Jesus Cristo a honrou como filho, pois por sua vontade na cruz Ela nos foi dada também como Mãe, mediante suas palavras: "Eis aí teu Filho". Embora sejamos muitos, Maria está atenta às nossas necessidades, e lembra sempre à cada um: "Fazei tudo o que Jesus Vos disse". Qual deverá ser então a nossa atitude para com a Virgem Maria? A Igreja nos ensina: devemos "elevar nossos olhos a Maria que refulge para toda a comunidade dos eleitos como exemplo de virtudes" (LG. 65). Devemos também ter para com Ela uma verdadeira devoção que "não consiste num estéril e transitório afeto, nem numa certa vã credulidade, mas que procede da fé verdadeira, pela qual somos levados a reconhecer a excelência da Mãe de Deus, excitados a um amor filial para com nossa Mãe e à imitação de suas virtudes" (LG. 67). A Virgem Maria a quem veneramos com muito amor, nos aponta sempre para Deus para que o adoremos e para vivermos o mandamento maior do amor com nossos irmãos e irmãs!
  • 20. 20 GRUPOS DE ESTUDO: Aqui são apresentados 9 grupos com 9 temas. Como foi já apresentado acima aqui se apresenta a totalidade dos temas. Mas para cada encontro deve-se ver quais grupos serão trabalhados e prepará-los em separado para ser entregue aos grupos. GRUPO 1 VIDA: DOM DE DEUS - PAI E MÃE GESTAM A VIDA Arrumar fotos, revistas com mães gestantes, com crianças, fotos de crianças (Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo) Leitor 1 – Uma criança que nasce é sinal de que Deus acredita nos homens. Leitor 2 – É Deus quem colocou o amor no coração dos pais. Por isso eles formam uma família. Deus lhes deu o poder de criar e gestar vidas novas Leitor 3 – Para nascer, a criança precisa do nosso relacionamento, do encontro de pessoas crescidas e amadurecidas. Quem nasce sem ter mãe e pai ou sem a ajuda de alguém? Todos somos fruto de uma união de duas vidas. Leitor 4 – O nascimento de uma criança comprova que Deus colocou no relacionamento humano uma força criadora tão grande, capaz de gestar a vida e fazer com que ela continue sobre a terra. A vida é dom gratuito de Deus. Por isso devemos amá-la, protegê-la, hoje e sempre. Leitor 5 – Quanta alegria quando nasce uma criança. Nela os pais podem ver a carne de sua carne, os ossos de seus ossos (cf Gênesis 2, 23), uma continuação de si mesmos. Na criança, a relação amorosa dos pais se transforma numa pessoa. Cada criança que nasce é um presente de Deus para a família, para a comunidade, para a humanidade. A criança é herdeira e garantia do futuro. Animador – A vida não pode ser tirada. Ninguém tem o direito de matar. A vida é mais forte do que as armas dos opressores. Parteiras, enfermeiras, farmacêuticos, médicos... Devem respeitar a Deus, fonte da vida e respeitar a vida que se faz presente numa criança. Leitor 2 – Êxodo 1, 15-21. Animador – Temos um compromisso com a vida do ser humano. Leitor 1- Nenhuma criança nasce pronta. Ela é confiada por Deus às pessoas que a cercam: pais, irmãos, parentes, amigos, vizinhos. Leitor 2 – Dos pais a criança recebe a vida e o necessário para poder viver. A criança precisa ser acompanhada, aprender as coisas mais simples, como comer e andar, e os sentimentos mais nobres, como a capacidade de amar, de perdoar, de partilhar. Temos um compromisso de vida com as nossas crianças. Leitor 1 – A criança que nasce traz consigo a responsabilidade de crescer na vida. Ela cresce num mundo onde todos são co-responsáveis uns pelos outros. Todos – Somos co- responsáveis pelo crescimento de nossas crianças. Animador – Quando a família batiza um filho coloca a sua vida nas mãos de Deus. É uma atitude de proteção, mas também de gratidão. Leitor 2 – Durante a gravidez, os pais fazem a experiência do sagrado, vivem a experiência da vida como dom de Deus. O parto traz sentimento de gratidão e alegria. O nascimento da criança é sempre um sinal da presença de Deus. Na gestação e no parto, Deus é sentido, experimentado como o doador de vida. Leitor 3 – O Batismo não deixa de ser um agradecimento a Deus pela vida e saúde da criança. Mas, mesmo quando a criança traz consigo alguma deficiência, os sentimentos devem ser igualmente de alegria e gratidão. Leitor 4 – O batismo é também um gesto de reconhecimento: a criança é sempre um dom de Deus. Leitor 5 – O Batismo reforça os laços de fraternidade entre as pessoas. A criança aproxima os membros da família, assim como as demais pessoas da comunidade. Animador – (Dirige o momento das perguntas, dando oportunidade para o(a) secretário(a) anotar tudo. Depois que todos falaram, convida para fazer a oração). Perguntas:
  • 21. 21 1. Temos o direito de tirar a vida de alguém? O que dizer dos abortos e das mortes nas estradas? 2. Quando traímos nossos filhos? Oração: Leitor 1 – Só Deus pode criar. Todos – Nós podemos e devemos valorizar a vida. Leitor 2 – Só Deus pode dar a vida. Todos - Nós podemos transmiti-la e devemos respeitá-la. Leitor 3 – Só Deus pode dar amor. Todos – Nos devemos ser irmãos e viver o amor. Leitor 4 – Só Deus pode dar força. Todos – Nós podemos restituir aos outros a vontade de viver. Leitor 5 – Só Deus se basta a si mesmo. Todos – Mas Ele prefere contar conosco. Animador – De mãos dadas, rezemos. Todos – Pai nosso...
  • 22. 22 GRUPO 2 BATISMO: CELEBRAÇÃO DA MINHA VIDA EM COMUNIDADE (Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo) Leitor 1 – Ninguém nasce por si e vive sozinho. Como também ninguém se salva sozinho.O Batismo inicia uma nova vida, um nascimento novo. O Batismo nos chama à santidade, vivida em comunidade. O Batismo não é passaporte para o céu. É, sim, compromisso com a vida na comunidade. Lembramos também o dia do nosso batismo? (Deixar falar) Leitor 2 – Ser batizado é participar, viver e testemunhar a fé. É lutar por uma vida digna e melhor para todos. Animador – Ouçamos a Palavra do Senhor. Ele nunca nos abandonou. Permanece até o fim ao nosso lado, dando-nos força e coragem para vencer a morte. A presença de Jesus é vivida na comunidade. Leitor 3 – Proclama o evangelho de São Mateus 28, 16-20. Animador – Nós, discípulos e seguidores de Jesus, somos os continuadores de sua pessoa e missão. Como membros da igreja, comunidade de fé, queremos sempre: Leitor 1 – Combater os sinais de morte, que oprimem as pessoas, como a fome, o analfabetismo, as doenças, a prostituição, as drogas, o desemprego, a corrupção, a violência... Leitor 2 – Denunciar as injustiças, vencer todo tipo de violência e discriminação. Organizar o povo na luta pelos seus direitos. Leitor 3 – Viver na solidariedade, na alegria e simplicidade. Defender a vida. Viver a firme esperança na Ressurreição. Leitor 4 – Os seguidores de Jesus só encontram forças para viver tamanha responsabilidade quando vivem unidos, em comunidades. Caso contrário, o medo toma conta e nada acontece de novo e transformador. Leitor 1 – O batismo faz parte da comunidade cristã. Torna-se co-responsável por ela. Por isso, todo cristão tem o dever de ajudar o próximo. Leitor 2 – O cristão que participa da comunidade vive e testemunha a fé em todos os ambientes. Leitor 3 – Respeita os colegas e dá bom exemplo. Realiza seus serviços com justiça e honestidade. Engaja- se na luta pelos direitos comuns. Leitor 4 – Nas relações com a família é bom e paciente. Sabe perdoar e amar, compreender e dialogar. É fiel. Reza com a família. Leitor 1 – Participa das atividades na comunidade cristã, das celebrações, dos encontros de formação. Dos grupos de Reflexão, das Pastorais: litúrgicas, catequéticas, da saúde, da criança, da juventude... Leitor 2 – Vive os valores do Evangelho nos diferentes setores da sociedade: lazer, política, associações, escola, sindicato, trabalho... Leitor 3 – O batismo é como se fosse o alicerce de uma casa. Quando realmente assumido, torna-se fundamento para o crescimento da fé. Leitor 4 – O Batismo é como o corante que, uma vez misturado à tinta, dela não se separa de jeito nenhum. Animador – Pelo Batismo somos co-responsáveis pela Igreja inteira e pela nossa comunidade. Alguns executam serviços especiais para o seu bom desempenho. São os servidores ou animadores da comunidade local: o padre, para a comunidade paroquial; o bispo, para a diocese; o papa, para a harmonia e unidade mundial. São Paulo diz que temos muitos dons, mas todos unidos num mesmo Espírito. (cf 1 Coríntios 12, 4-11) Animador – Vamos conversar. 1) Será que todas as pessoas vivem o Batismo? Sim? Não? Por quê? 2) Qual é o compromisso do batizado? 3) Como podemos melhorar a nossa família, a comunidade, para corresponder, com maior entusiasmo, ao Batismo que recebemos?
  • 23. 23 GRUPO 3 PALAVRA DE DEUS, FONTE DE VIDA Arrumar, no centro da sala, uma mesa para a Bíblia, flores, 4 velas (simbolizando os quatro cantos do mundo) (Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo) Animador – Todos conhecemos uma ou outra frase da Bíblia que marcou nossa vida. De maneira muito espontânea, podemos citar estas frases. (deixar falar). Leitor 1 – Numa determinada comunidade, as pessoas estavam muito divididas. Começaram a convidar os vizinhos para se reunirem, rezar e refletir a partir da Bíblia. Aos poucos, o grupo foi se animando e pegou gosto pela Palavra de Deus. Leitor 2 – E as coisas começaram a mudar. Através da Bíblia descobriram que precisavam melhorar a vida e, juntos, conseguiram transformá-la. Leitor 3 – Aos pouco, as pessoas foram mudando pela força da palavra de Deus, que ilumina as nossas vidas. Leitor 1 – (Lê o livro do Profeta Isaias, 50, 10-11). Leitor 2 – A Bíblia é a luz que se acende no meio ás trevas. Ela ilumina a escuridão de nossa vida. Faz enxergar as sementes do Reino, como também os acontecimentos, problemas, males, injustiças... A Bíblia mostra a maneira certa de viver e enfrentar tudo aquilo que escraviza e oprime, mas também tudo o que dignifica e enobrece a pessoa humana. Leitor 3 – Muitos problemas de nossa vida acontecem porque o mundo e a sociedade moderna estão baseados no deus-mercado, gerador de todas injustiças, em desacordo com o Projeto de Deus. Todos – A Bíblia é luz para nosso caminho, apoio nas dificuldades, força na fraqueza e sabedoria nas dúvidas. Leitor 4 – A Bíblia é a história do povo de Deus. Nela encontramos doutrinas, histórias, provérbios, cânticos, salmos, lamentações, comparações, coisas do passado, do presente e do futuro. Leitor 1 – Na Bíblia há páginas que comunicam alegria, esperança, coragem. Outras denunciam erros, pecados, opressões e injustiças. Leitor 2 – Antes de ser escrita, a Bíblia foi contada nas rodas de conversas e nas celebrações do povo. E o que é mais importante, antes de ser escrita, a Bíblia foi vivida. Através de gerações e gerações os pais passavam aos filhos esse compromisso de fidelidade a Deus, esse esforço de colocar Deus na vida e de organizar a vida de acordo com o projeto de Deus Leitor 3 – A Bíblia nasceu da memória do povo. Memória não é só recordar. É recordar e viver. A grande preocupação da Bíblia é a de não deixar cair no esquecer os fatos mais importantes da história do povo de Deus. Leitor 4 – Para entender bem a Bíblia é preciso refleti-la na comunidade. Mesmo quando lemos a Bíblia individualmente, não podemos esquecer que estamos lendo o livro da palavra de Deus. Por isso se diz a Bíblia é o livro da comunidade cristã é a comunidade do livro. Todos – As colunas que sustentam nossa luta, na construção da vida melhor, é a Bíblia, os Sacramentos, com destaque para a Eucaristia, a oração e a vida em comunidade. Animador – Deus nos fala através da Bíblia, dos acontecimentos, dos problemas que precisam de solução. Quem não procura entender a vida, não poderá entender a Bíblia. Leitor 1 – Quem tem a Bíblia, mas não olha a vida do povo de ontem e de hoje, não luta pela justiça e fraternidade. É infiel à palavra de Deus. É semelhante aos fariseus que conheciam a Bíblia de cor, mas não a praticavam. Ler a Bíblia sem olhar a realidade do povo é o mesmo que manter o sal fora da comida, a semente fora da terra, a luz debaixo da mesa. Todos – Bíblia e vida estão interligadas. Por isso, Senhor, não queremos separar a tua Palavra da nossa vida! Animador – Vamos conversar. 1) Como é que usamos a Bíblia? Ela serve para que? 2) A Bíblia está ajudando a melhorar nossa vida e a Comunidade? Como? 3) Temos o hábito de ler a Bíblia em nossa família?
  • 24. 24 Animador – A Bíblia interliga profundamente nossa vida e nossa fé. Fé e vida são como duas pernas, dois olhos, dois ouvidos. Andam juntos, se ajudam, se completam. Rezemos a ladainha da Bíblia. Bíblia! - Memória do povo. Todos – Fica conosco. - Livro dos pobres. – Fica conosco. - Centro do amor. – Fica conosco. Bíblia! Retrato do Povo de Deus. – Abre caminho para nós. - Sal e semente. – Abre caminho para nós. -Farol e motor. – Abre caminho para nós. - Alimento e eixo. – Abre caminho para nós. Bíblia! - Colírio que clareia a vista. – Ilumina nosso caminho. - Espelho que faz enxergar. - Ilumina nosso caminho. - Ponte de ligação. – Ilumina nosso caminho. - Base de tudo. – Ilumina nosso caminho. Bíblia! - Despertador da consciência. – Sê nossa proteção. - Fonte luminosa da praça. – Sê nossa proteção. - Alavanca que levanta quem sofre. – Sê nossa proteção. - Barco onde estamos todos juntos. – Sê nossa proteção. Bíblia! Manual dos cativos. – Livra-nos do opressor. - Ferramenta e instrumento. – Livra-nos do opressor. - Parceria dos pobres. – Livra-nos do opressor. - Água do rio que carrega a Igreja. – Livra-nos do opressor. - Palavra de Deus, orientando o povo. – Livra-nos do opressor. - Caminho, Verdade e Vida. – Livra-nos do opressor. Animador – (Motiva o Pai-nosso).
  • 25. 25 GRUPO 4 NA FAMILIA, UM ALEGRA O OUTRO E, JUNTOS, BUSCAM AS SOLUÇÕES (Fotos de famílias – revistas com famílias unidas...) (Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo) Animador – Vamos tomar consciência do assunto de hoje. Podemos ler todos juntos. Todos – Na família, um alegra o outro e, juntos, buscam as soluções. Animador – Meus amigos e minhas amigas será que dizemos isto porque a alegria é algo imprescindível na família ou porque juntos encontramos mais facilmente as soluções e, portanto, nos alegramos? As duas coisas. Mais, a alegria não pode faltar nos corações de todos nós. A alegria da união, a alegria do querer bem um ao outro, a alegria da graça de Deus. É em Deus que a família encontra seu berço natural. Vamos pensar um pouco. Que acontecimentos podem ser motivos de alegria para a família? (Deixar que os participantes conversem, por uns minutos, dois a dois, e depois apresente suas idéias) Animador – Muitas coisas bonitas e importantes foram ditas. Apresentamos tudo isso a Deus, em forma de louvor. Leitor 1 – A maior alegria que acontece na família é o nascimento de um bebê, parecido com o pai lindo como a mãe, e, principalmente, quando esse bebê, a exemplo de Jesus, vai crescendo em sabedoria, tamanho e graça diante de Deus e dos homens (Lucas 2, 52). Todos – Gloria ao Senhor, pelas alegrias que vivenciamos em nossas famílias. Leitor 2 – A mais alegre é ou foi o batismo de nossos bebês. E os primeiros passinhos, as primeiras palavras, a Primeira Comunhão? Por todos esses momentos de alegria, dizemos: Todos – Glória ao Senhor, pelas alegrias que vivenciamos em nossas famílias. Leitor 3 – Lembremos as alegrias que enchem um lar cristão diante de um filho que goza de plena saúde física, mental e espiritual; diante do pai que se recupera de uma enfermidade; as alegrias que são frutos do diálogo constante entre pais e filhos; das alegrias vendo a graciosidade da filha adolescente; de outras tantas alegrias, fruto dos esforços do marido e paciência da mulher que, à luz da fé, buscam juntos as necessárias respostas para os impasses familiares. Todos – Glória ao Senhor, pelas alegrias que vivenciamos em nossas famílias. Leitor 4 – Lembramos a alegria maior: a alegria da fé que nasce e se fortalece entre as famílias que participam da novena de Natal, dos Grupos de Quarteirão, da Campanha da Fraternidade, dos Encontros de Preparação de Pais e Padrinhos para a Celebração do Batismo de novos membros de nossa comunidade. Todos – Glória ao Senhor, pelas alegrias que vivenciamos em nossas famílias. Animador – O segredo da verdadeira alegria de uma família cristã é um conjunto de valores ou dons que os pais devem ter sempre presentes na educação dos filhos. Leitor 1 – Quando pai e mãe sentam e conversam sobre a educação dos filhos, procurando o que é melhor para eles. Todos – A sabedoria de Deus se faz presente neles. Leitor 2 – Quando pai, mãe, avós, através de seu testemunho de vida, ensinam aos filhos que é preciso superar os sentimentos de ciúme, de inveja, de mentira... Todos – A fortaleza de Deus se manifesta neles. Leitor 3 – Quando pais e filhos se sentem co-responsáveis pela ordem da casa, pela alimentação, pelos estudos, pelo lazer...; Quando pais, juntos, procuram descobrir, entender e viver o Plano de Deus. Animador – A alegria de Deus se manifesta em todas as famílias que vivem o amor, a esperança, a fé e a certeza de serem herdeiros e filhos do nosso Pai (cf Romanos 8, 17; Gálatas 4, 7). Leitor - (Lê na bíblia o trecho de Gálatas 4, 6 – 7) Todos – Glória a vós, Senhor! Graças a Deus! Animador – 1) Cada um relate,brevemente, uma situação na vida onde se sentiu acolhido por Deus como filho.
  • 26. 26 2) Procuremos relatar algum momento em que sentimos que estávamos longe de Deus ou que pensamos estar esquecidos d’Ele. Animador – Aí está a grande alegria, alegria sem limites, que deve fortalecer e animar pais e filhos a vivenciar, em família, o Projeto de Deus.
  • 27. 27 GRUPO 5 NOME DE BATISMO (Preparando o ambiente: Trazer um envelope de carta com o endereço de alguém do grupo ou de uma pessoa das equipes de trabalho, uma certidão de nascimento e uma certidão de Batismo) (Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo) Animador – Temos uma carta sobre a mesa. Para saber de quem é só olhando o nome. Aqui se encontram documentos muito importantes: Certidão de Nascimento e Certidão de Batismo. Como fazer para saber de quem é? Leitor1 – As coisas têm nome comum. As pessoas têm nomes próprios. Cada pessoa tem um nome que a identifica e a distingue das demais. Leitor 2 – Na certidão de nascimento está o nome completo da pessoa, ou seja, nome e sobrenome; nome dos pais e avós; isto para dizer que além do próprio nome, levamos para sempre o nome de família (o sobrenome). Leitor 3 – Para sermos considerados cidadãos precisamos ter nosso nome registrado em cartório. Na certidão de Batismo, aparece nosso nome, o do pai e o da mãe e um detalhe interessante: o nome dos padrinhos. Leitor 4 – Na Bíblia, para o povo antigo do Antigo Testamento, o nome não servia apenas para distinguir alguém, mas significava o que a pessoa era. Assim, quando Deus troca o nome de alguém, é porque lhe está confiando um novo projeto de vida, uma nova missão. Leitor 1 – É o que podemos ler no livro do Gênesis (32, 28-31). O homem lhe perguntou: Qual é seu nome? Ele respondeu: Jacó. O homem continuou: você já não se chamará Jacó, mas Israel, porque você lutou com Deus e com homens, e você venceu. Jacó lhe perguntou: Diga-me o seu nome. Mas ele respondeu: Porque você quer saber o meu nome? E ali mesmo o abençoou. Leitor 3 – O desconhecido que lutou com Jacó não revela o nome: Jacó não poderá manipular Deus. Leitor 4 – Quando o povo de Israel havia se tornado numeroso foi necessário fazer uma organização. É o que nos diz o livro dos Números (1,2): Façam um recenseamento total dos filhos de Israel: todos os homens, um a um, conforme o clã ou famílias, registrando seus nomes. Leitor 1 – No livro do profeta Isaias (43, 1), lemos o seguinte: Agora porém, assim diz Javé, aquele que criou você, ó Israel: Não tenha medo, porque eu o redimi e o chamei pelo nome; você é meu. Leitor 2 – No evangelho de Marcos (10, 1-4) encontramos a seguinte passagem: Então Jesus chamou os seus discípulos e deu-lhes poder para expulsar os maus espíritos, e para curar qualquer tipo de doença e enfermidades. São estes os nomes dos Doze Apóstolos: primeiro Simão, chamado Pedro, e seu irmão André, Tiago e seu irmão João, filho de Zebedeu; Felipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago filho de Alfeu, e Tadeu, Simão Cananeu, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus. Os doze apóstolos formam o núcleo da nova comunidade, que dá continuidade à palavra e à ação de Jesus. Leitor 3 – O nome de Batismo quase sempre é o mesmo de certidão de nascimento. Pelo Batismo passamos fazer parte da Família de Deus, a Igreja. O fato de sermos batizados nos lembra que pertencemos à família Silva, Santos... Pertencemos igualmente à família de Deus, irmãos de Jesus Cristo e é justamente por isso que somos chamados de cristãos. Animador – Para conversar: 1. Porque nossos pais escolheram o nome que temos. 2. Conte a história de nossos parentes, donde vieram, o que faziam. 3. O que quer dizer ter um nome limpo na praça?
  • 28. 28 GRUPO 6 A UNÇÃO: VOCÊ É UM ASSINALADO (Arrumar, numa mesa: vela, bíblia, flores, uma vasilha com óleo). (Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo) Animador – (Alguém mostra a vasilha, com óleo) O que significa e para que serve o óleo, em nossa vida? Leitor 1 – Precisamos o óleo para preparar nossa comida e o próprio óleo serve de alimento. Leitor 2 – Há óleo para combustível, para engrenagem de carros e máquinas. Leitor 3 – Há óleo perfumado que torna nosso corpo e nossa presença mais agradáveis. Leitor 4 – Há óleo para consagrar reis e sacerdotes. Animador – (colocando a vasilha de óleo no centro) Estendendo nossa mão erguida em direção ao óleo, rezemos. Todos – Bendito sois, Senhor, pelo óleo que fortalece, perfuma, agiliza. Sejamos fortes no vosso amor, ágeis contra o mal, prontos para fazer vossa vontade,.Espalhemos ao nosso derredor, pelo testemunho, pelo serviço, pelo diálogo e pelo anúncio, o perfume de vossa presença que liberta e salva. Animador – Ouçamos o que Deus nos quer dizer. Leitor 1 – (Proclama o Evangelho de Lucas. 4,16-22). Animador – O Profeta Isaias nos diz que o Espírito Santo nos unge e nos envia para proclamar a Boa Nova que liberta as pessoas. O simbolismo da unção já está presente no texto do Profeta. Jesus assume para si as palavras do Profeta e diz que, Com Ele, a Escritura está se cumprindo. Todos – O Espírito do Senhor está sobre mim. Ele me ungiu e me enviou para evangelizar os pobres, proclamar a libertação dos presos, a recuperação da vista aos cegos, a libertação aos oprimidos e para proclamar um ano de graça do Senhor. Leitor 2 – Por diversas vezes, ao longo da Bíblia, o Povo de Deus fala do óleo para ungir pessoas, lugares e objetos. Leitor 3 – O Salmo 45 fala de Deus que é portador da alegria: Deus, o teu Deus te ungiu com o óleo da alegria, como a nenhum outro (versículo 8). Leitor 4 – O Salmo 133 diz que a vida em fraternidade é como um óleo fino e precioso sobre a cabeça e que toma conta de todo o corpo da pessoa (cf versículo 2). Leitor 1 – Os Reis de Israel eram consagrados com óleo Santo. Samuel tomou um frasco de óleo e derramou sobre a cabeça de Saul, beijou-o e disse: Não foi Javé que te ungiu como chefe de teu povo, Israel? Leitor 2 – Samuel tomou o chifre com azeite (óleo) e ungiu Davi na presença de seus irmãos. E a partir daquele dia, o espírito do Senhor começou a ser enviado a Davi (1 Samuel 16, 13). Animador – Enquanto cantamos, a nossa fronte será ungida com óleo. Leitor 1 – Para os antigos lutadores, o óleo servia para fortalecer os músculos e para dificultar ser agarrado pelo adversário. Leitor 2 – Nós, cristãos, uma vez ungidos com o óleo, devemos estar preparados para a luta, que travamos para sermos fiéis à vocação cristã e à missão de transformar a realidade, seja em nossa casa, como na comunidade eclesial e na sociedade. Todos – Somos ungidos pelo Senhor para sermos defensores da vida. Leitor 3 – A palavra Cristo, quer dizer ungido, consagrado. Jesus foi ungido com o Espírito Santo para realizar sua missão libertadora, como sacerdote, profeta e rei. Leitor 4 – No Batismo, o cristão se torna membro da comunidade cristã. Inicia sua vida numa comunidade de fé. E como membro da comunidade-Igreja, é ungido para dar continuidade à Pessoa de Jesus Cristo, HOJE! Todos – Somos UNGIDOS com óleo para sermos cristãos autênticos. Animador – vamos conversar. 1) O óleo que recebemos no Batismo simboliza a força para os desafios da vida. O modo como vivemos, demonstra que possuímos essa força? 2) Como cristãos, temos dado testemunho de nossa fé, de maneira forte e atraente? Conte alguma experiência neste sentido.
  • 29. 29 GRUPO 7 ÁGUA: FONTE DE VIDA (N o ambiente: Bacia com água, toalha, jarra com água e copos. Uma cruz, Bíblia) (Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo) Animador – Deus está no meio de nós (cf Mateus 18, 20). Hoje refletimos sobre a água. A água lembra o Batismo (mergulho) que purifica, que lava os pecados e nos dá a graça. Com alegria e fé, cantemos. Animador – No Batismo são usados vários símbolos. É importante entender melhor o significado de cada um deles, para que nos ajude em nossa caminhada de cristãos. Nas ruas e avenidas existem sinais de trânsito. Seriam úteis se não conhecêssemos e entendêssemos o significado? Animador – Qual o significado da palavra BATISMO? Leitor – Batismo quer dizer banho, mergulho, purificação, limpeza, pureza. O Batismo é o Sacramento que recebemos. Por ele mergulhamos e emergimos para uma vida nova. Leitor 2 – É obrigação dos pais e padrinhos acompanhar a criança, ensinar-lhe os verdadeiros valores humanos e cristãos, dar-lhe exemplo de comunhão e participação na comunidade eclesial, para que possa crescer e viver como discípulo e seguidor do Senhor Jesus. Animador – A água tem sentido bíblico e acompanha toda a história da salvação. A água significa vida porque sacia a sede, limpa, rega o chão de onde as plantas tiram a seiva... Mas a água significa também a morte. Conhecemos os freqüentes casos de afogamentos, destruições provocadas por enchentes. Água parada torna-se fonte de doenças contagiosas prejudica a saúde e mata. Leitor 1 – No dilúvio Deus fez chover até que todo mal e todos os maus ficassem destruídos pela água (cf Gênesis 6, 9-21 e 7, 1-23). Leitor 2 – Noé foi salvo na arca porque era bom e justo. Leitor 3 – Coisa parecida aconteceu na passagem do Mar Vermelho. Os soldados do Faraó do Egito morreram na água junto com seus cavalos. Leitor 4 – Pela água do Batismo, Deus eliminou a morte e nos dá a vida – a sua vida! Somos recebidos na família de Deus, a Igreja. Animador – Jesus foi Batizado por João Batista, no rio Jordão. Então o Pai falou: Este é meu Filho amado em quem me alegro... E o Espírito Santo apareceu sobre Jesus em forma de pomba (cf Lucas 3, 21-22). A Santíssima Trindade se manifestou. Ouçamos o que Jesus falou aos discípulos antes de subir aos céus. Leitor 2 – (Lê o Evangelho de Marcos 16, 14-16). Animador – Acreditamos que Jesus Cristo pode nos salvar? Como sinal de fé, vamos lavar nossas mãos, dizendo como este gesto queremos ser fiel ao nosso compromisso de cristãos batizados. Leitor 5 – Certo dia, cansado da viagem, Jesus sentou-se perto de um poço (cf João 4, 5-6). Chegou uma mulher da Samaria para tirar água, e Jesus lhes disse: Leitor 6 – Dá-me de beber. Leitor 5 – Como sendo tu judeu, pedes de beber a mim que sou samaritana? Leitor 6 – Se conhecesses o dom de Deus a quem é que te diz: dá-me de beber, pedirias tu mesma e Ele daria uma água viva. Leitor 5 – Senhor, dai-nos dessa água! Todos – Senhor, dai-nos dessa água! Animador – Conversemos:. 1) Quais são as palavras e os gestos do Batismo? 2) Quando é que a água significa vida? 3) Lembramos alguma situação em que a água se torna fonte de morte?
  • 30. 30 GRUPO 8 VESTE BATISMAL: SOMOS REVESTIDOS DE CRISTO (Prepare-se uma roupa de batizado ou uma roupa de festa). (Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo) Animador – Estamos reunidos, como cristãos, para conversarmos a respeito da Veste Branca, ou seja, da roupa do batizado. Leitor 1 – Uma senhora guardava, com carinho, as roupinhas de batizado de sua primeira filha. A menina cresceu e um dia encontrou, entre as roupas, aquela roupinha especial. Sem entender, perguntou à mãe o que era aquilo. Para que? Para quem? A mãe, então lhe disse: Minha filha, você usou esta roupinha no dia do seu Batismo. A menina gostou e ficou muito contente. Leitor 2 – A Bíblia conta que Adão e Eva, depois de desobedecerem á Deus, se sentiram nus, envergonhados, sem graça e se esconderam (cf Gênesis 3, 10-11). Leitor 3 – Em outra passagem, a Bíblia fala que Jesus se transfigurou diante dos Apóstolos e suas roupas ficaram brilhantes e muito brancas (cf Marcos 9, 2-3). Leitor 4 – O filho pródigo volta para casa depois de esbanjar tudo o que tinha. O pai o recebe com amor e fala aos empregados: Depressa, tragam a melhor roupa para vestir meu filho (cf Lucas 15, 22ss). Animador – Sabemos por experiência que, depois de um dia de muito trabalho, não há nada de melhor do que um banho e uma roupa limpa e cheirosa. Estamos preparando para a festa. Leitor 1 – O pecado, a injustiça, o mal que fazemos e como a sujeira em nosso corpo e nas vestes. Sentimo-nos mal. A consciência acusa e pede que mudemos nossa maneira, de pensar e de agir. Leitor 2 – No Batismo recebemos a graça de viver a vida divina em nós. É como se fossemos assinalados, marcados por Deus, através de uma aliança. Leitor 3 – A veste batismal é uma roupa alegre, roupa de festa. Quem mais feliz do que aquele que se sente escolhido por Deus? O branco recorda a pureza de coração, o respeito e a simplicidade. Leitor 4 – Depois de um gostoso banho e uma roupa limpa e perfumada, gostamos de estar com os outros e os outros, conosco. Leitor 5 – É sempre bom cuidar da aparência! Que nossa veste batismal jamais seja manchada ou rasgada por descuido nosso. Animador – Vamos partilhar. 1) Quem veste os lírios do campo? 2) Lembram como Jesus se vestiu no nascimento, durante sua vida pública, diante de Pilatos, na cruz, na sepultura? 3) Nós gostamos de andar na moda”? Quem diz como as pessoas devem se vestir? É coisa boa ou se trata de alto negócio para os criadores da moda? 4) Vestir os nus é uma obra de misericórdia. Quem nos julgará no juízo final, dizendo: Estive nu e você me vestiu? (cf Mateus 25, 31-46).
  • 31. 31 GRUPO 9 “VOS SOIS A LUZ DO MUNDO!” (preparar na mesa algumas velas. Uma acesa e outras para os participantes do grupo acenderem durante o estudo. Uma figura ou estátua de Jesus, a Bíblia). (Depois que o grupo escolheu um(a) secretário(a), alguém coordena a leitura e todo o trabalho do grupo) Animador – Reunir-se para rezar é um pedido de Jesus. Ele também desejou que os filhos da luz fossem tão espertos ou mais do que os filhos das trevas (cf Lucas 16, 8). O assunto vai abordar a LUZ como símbolo do Sacramento do Batismo. A vela que vamos acender é sinal e símbolo de Jesus Cristo Ressuscitado. Animador – Quem não se lembra de alguma história, por vezes, traumática, vivida numa noite escura? Certa ocasião, numa viagem pelo interior, estrada de chão, noite escura, o pneu do carro furou. Nenhum sinal de morador e os ocupantes sem lanterna. Alguém lembrou do jornal, dentro do carro. Como aquelas páginas, acendeu-se um foguinho. O pneu foi trocado e a situação resolvida com a ajuda de um pequeno fósforo e páginas de jornal. Animador – Em nossas casas é costume ter uma vela. Há os que preferem velas bentas. Por que se guardam velas em casa? (Deixe falar). Leitor 1 – Dizem que quando há trovoada é bom acender uma vela. É um ato de fé e confiança. Cristo garantiu que nosso Pai, que está no Céu, cuida até mesmo do cabelo de nossa cabeça (cf Lucas 12,7). Sabemos que não existe escuridão capaz de apagar a luz divina. Leitor 2 – A vela lembra também o dia do nosso Batismo. O ministro colocou uma vela acesa em nossas mãos. Muitos a guardam como uma grata recordação do Batismo. A vela é posta na mão, como simbolo de Jesus Ressuscitado. Ele é a verdadeira LUZ do mundo (cf João 8, 12). Leitor 3 – O Batismo cristão faz do batizado LUZ do MUNDO, a exemplo do Senhor Jesus Cristo. Leitor 4 – O cristão, a cristã procura conservar acesa essa luz da fé. Leitor 5 – Porque o cristão e a cristã acreditam nos ensinamentos e nas obras de Jesus sempre encontram uma saída, mesmo nas noites mais escuras.Na vida do batizado não há lugar para as trevas e o desespero. Animador – Cada um vai acender a própria vela e olhar a luz (Dar um tempo). Façamos um pequeno silêncio, procurando lembrar uma frase da Bíblia, que nos fala da luz (em seguida partilhar). Leitor 6 - Jesus disse: Eu sou a luz do mundo. Quem Me segue, não anda nas trevas! (João 8, 12). Animador – Rezemos para que todos possam conservar a luz da fé. Leitor 1 – Para que a vela acesa recorde a nossa condição de luz do mundo e seguidores de Cristo, rezemos. Todos – Senhor escutai a nossa prece. Leitor 2 – Pelos pais e padrinhos, para que dêem bom exemplo e sejam luz par seus filhos e afilhados, rezemos. Leitor 3 – Por todas as crianças, para que haja quem delas cuide e as encaminhe na estrada de Jesus, rezemos. Animador - Conversemos um pouco sobre o seguinte: 1) Por que se coloca uma vela acesa na mão de quem está morrendo? 2) Por que se faz bênção das velas? 3) Por que, algumas pessoas tem costume de acender vela para se livrar de perigos. Por exemplo, uma trovoada... 4) Qual o significado de acender velas no cemitério? 5) Qual o significado da vela acesa durante a missa? 6) O que é o Círio Pascal e o que representa? 7) Por que acender a vela no dia do batismo?
  • 32. 32 MODELO DE FICHA DE TRABALHO para ser entregue aos pais quando for feita a visita à Família. Lembrar que serão duas fichas: ficha de inscrição e ficha de trabalho. Ficamos muito contentes que você tenha escolhido a nossa paróquia para o encontro de preparação ao Batismo. O encontro será realizado no dia _____/______/_______ das_________às________ no Salão Paroquial de nossa Paróquia, situado à Rua em caso de dúvida entre em contato pelo telefone Para o dia do encontro pedimos que você traga Bíblia e responda às seguintes perguntas: 1. Seu nome. 2. Onde trabalha? 2. O que você espera do encontro de Batismo? 3. Você quer que seu filho ou afilhado seja Batizado? Por quê? 4. O Batismo é para quem quer ser cristão, seguir Jesus Cristo. Mas quem é Jesus Cristo para você? 5. O Batismo é para quem vive em comunidade. Mas o que significa viver em comunidade? 6. Quem deseja o Batismo é porque quer o sacramento. Mas o que é sacramento? Para o dia do Batismo • Participar intensamente da missa e do ritual do Batismo de maneira consciente; • Explicar aos filhos maiores o que está sendo realizado naquele momento com seu irmão(ã) e dizer que ele já ingressou na vida Cristã e na Igreja como filho muito amado de Deus no seu Batismo; • Entrar em Oração pedindo a Deus que receba e proteja para sempre este seu novo filho ou sua nova filha.