SlideShare uma empresa Scribd logo
CURSO E COLÉGIO ACESSO	 LABORATÓRIO DE REDAÇÃO	 1
ALUNO: _____________________________________ N.º__________ TURMA ______
PROPOSTA 7 __ /__ /_____
INTERPRETAÇÃO DE CHARGES, CARTUNS E QUADRINHOS
			 A charge ou cartum é um desenho de caráter humorístico, geralmente veiculado pela imprensa. Ela também pode
ser considerada como texto e, nesse sentido, pode ser lida por qualquer um de nós. Trata-se de um tipo de texto muito
importante na mídia atual, graças à capacidade de fazer, de modo sintético, críticas político-sociais.
			 Um público muito amplo se interessa pela charge, tanto pelo uso do humor e da sátira, quanto por exigir do leitor
apenas um pequeno conhecimento da situação focalizada, para se reconhecerem as referências e insinuações feitas
pelo autor.
			 Charge, segundo o dicionário do Aurélio, é uma “representação pictórica, de caráter caricatural, em que se satiriza
um fato específico, em geral de caráter político e que é do conhecimento público”. Geralmente, consta de uma caricatura
(desenho que, pelo traço, pela escolha dos detalhes, acentua ou revela certos aspectos caricatos de pessoa ou fato),
que pode ser acompanhada de uma legenda.
			 Uma charge, por si só, pode carregar uma mensagem significativa. É a mensagem icônica. Como nas anedotas
e piadas, o humorista e o leitor deve compartilhar conhecimentos pragmáticos, vivências culturais. Ou não haverá humor.
Como muitas charges são críticas políticas, quem não está a par dos acontecimentos políticos mais recentes, não vai
rir, com certeza. Os cartuns estão geralmente relacionados com questões sociais.
			 Qual a diferença entre charge e cartum? Geralmente, considera-se que os dois termos são sinônimos. Mas há
diferenças entre eles. O cartum é apenas um desenho humorístico ficcional e atemporal. Isso quer dizer que não estão
necessariamente relacionadas nem com alguém existente, nem com uma ocasião especial. Existe sempre a presença
do humor universal. Por exemplo:
			 Se um desenho mostra dois personagens sentados numa sala de espera, um ovo e uma galinha. O funcionário
pergunta a eles quem chegou primeiro. Trata-se de uma piada atemporal e ficcional, ou seja, ela é compreendida em
qualquer ocasião e não se relaciona com um fato real. Além disso, os personagens não se relacionam com alguém em
especial. É, portanto, um cartum.
Exemplos de charges e cartuns:
			 A charge abaixo foi publicada em 22 de Maio de 2011 por Ivan Cabral - Nela o chargista utiliza a linguagem verbal
e não verbal para criar uma situação de humor e mostrar as questões políticas presentes.
O cartum abaixo foi postado em 13 de maio de 2011 sobre a abolição da escravatura – cartunista Edra:
•	 O mais importante é relacionar a imagem (desenho) a seus conhecimentos prévios de atualidades !
CURSO E COLÉGIO ACESSO	 LABORATÓRIO DE REDAÇÃO	 2
			 Há cerca de dez anos, os exames escolares passaram a se utilizar de charges para avaliar a capacidade de
interpretação dos alunos. No ENEM 2010, por exemplo, o tema proposto para a prova de redação era “O indivíduo frente
à ética nacional”, que vinha, como de costume, acompanhado de uma coletânea composta por dois textos opinativos,
publicados na mídia impressa, e a seguinte charge:
	 De autoria de Millôr Fernandes, a charge discute a honestidade social a partir de uma cena irônica: a lamentação de um
indivíduo que, por só poder lidar com gente honesta, encontra-se num deserto.
			 A charge, associada aos textos da coletânea e ao tema anunciado na proposta, compunham um panorama
mais amplo do problema incluído na proposta, conduzindo o leitor a alguns questionamentos que poderiam direcionar a
elaboração de seu texto:
1.	 Existe alguma pessoa completamente honesta no mundo? O que isso significa?
2.	 O indivíduo que chama os outros de desonestos e antiéticos apresenta realmente um comportamento ético que o
diferencie dos demais?
3.	 O fato de acharmos que a maioria age de modo antiético nos daria o direito de assim também o fazer, para não sermos
os únicos diferentes?
4.	 A ética que deveria nortear as relações humanas é hoje característica de poucos? Ela se tornou uma exceção?
			 Para compreendê-las, o leitor precisa acionar uma série de conhecimentos prévios que já possui no seu próprio
repertório cultural. Vamos examinar cada um dos casos:
Charge da Folha de S. Paulo
			 Criada por Glauco, não possui texto verbal. Assim, toda a informação deve ser identificada no desenho. Nele,
pode-se ver um avião sendo consertado por um mecânico, um homem careca dentro do aparelho, com expressão abor-
recida, e um triângulo usado no trânsito para indicar que o veículo está quebrado (esta já é uma informação prévia do
leitor).
			 Após a identificação desses elementos básicos, entram outros mais específicos que também precisam ser conhe-
cidos pelo leitor: o reconhecimento dos personagens e das situações específicas a que se refere o desenho: o avião
tem formato de tucano, uma referência ao símbolo de um partido político, o PSDB; o piloto do avião deve ser associado
a José Serra, por ser careca e pertencer ao partido tucano; o avião quebrado é uma referência à dificuldade de Serra
para “decolar” (metáfora política para designar avanço nas intenções de voto) no início da campanha para Presidência
da República de 2010.
CURSO E COLÉGIO ACESSO	 LABORATÓRIO DE REDAÇÃO	 3
	 Observe os cartuns abaixo e depreenda os temas:
	 _______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
	 _______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
	 _______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
TIRINHAS E QUADRINHOS
			 A diferença principal é que as tirinhas são curtas, geralmente têm 3 quadrinhos e usam a ironia para satirizar
diversos problemas. Já a história em quadrinhos tem páginas elaboradas com início, meio e fim.
			 As tirinhas são fontes ricas de leitura, pois contêm histórias, opiniões, situações e discussões sobre o cotidiano,
logo os alunos se interessam mais por este gênero textual. Elas estão cada vez mais ganhando espaço, no que antes
era algo concentrado apenas em livros infantis e gibis, hoje é encontrando em qualquer jornal, revistas e até em livros
didáticos, servindo como mediadores de ensinamento. É muito comum também encontrá-las em concursos.
CURSO E COLÉGIO ACESSO	 LABORATÓRIO DE REDAÇÃO	 4
	 Observe alguns exemplos abaixo:
			 A tira acima, de Laerte, satiriza a violência que nos últimos tempos vem tomando conta do país, e que começa
a atingir de modo mais intenso a classe média. Na tira, um homem reclama porque seu carro foi roubado, e logo depois
seu filho tem o carrinho de brinquedo furtado por um ladrão. Dessa forma, Laerte demonstra de modo bem-humorado
que a violência atinge a todos indiscriminadamente, e que de certa maneira essa violência já é aceita como normal e
corriqueira, o que está expresso na fala do garoto lamentando-se pelo fato de não ter seguro do carrinho de brinquedo.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Laboratorio redacao 7

Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_1_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_1_split - SASResolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_1_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_1_split - SAS
jasonrplima
 
Charge - interpretação 9° Ano.pdf
Charge - interpretação 9° Ano.pdfCharge - interpretação 9° Ano.pdf
Charge - interpretação 9° Ano.pdf
DanielaMonteiro32311
 
Charge - Revolução Francesa
Charge - Revolução FrancesaCharge - Revolução Francesa
Charge - Revolução Francesa
PIBIDSolondeLucena
 
Plano autoria-de-objeto-hipermídia
Plano autoria-de-objeto-hipermídiaPlano autoria-de-objeto-hipermídia
Plano autoria-de-objeto-hipermídia
MariadasMerces
 
4º bim. parte iii
4º bim. parte iii4º bim. parte iii
4º bim. parte iii
Ana Paula
 
Diferenças entre cartum charge e tira
Diferenças entre cartum charge e tiraDiferenças entre cartum charge e tira
Diferenças entre cartum charge e tira
Doutora em Linguística Aplicada pela PUC-SP
 
Situação de aprendizagem 1
Situação de aprendizagem 1Situação de aprendizagem 1
Situação de aprendizagem 1
FRANCISCO PALOSQUE
 
Gabarito comentado ling mat final
Gabarito comentado ling mat finalGabarito comentado ling mat final
Gabarito comentado ling mat final
Colégio Parthenon
 
Dicas para o ENEM e outros vestibulares
Dicas para o ENEM e outros vestibularesDicas para o ENEM e outros vestibulares
Dicas para o ENEM e outros vestibulares
MGLAUCIA /LÍNGUA PORTUGUESA
 
1 enem reda a-ao
1   enem  reda a-ao1   enem  reda a-ao
1 enem reda a-ao
Wallace Rodrigo
 
Tema
TemaTema
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SASResolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SAS
jasonrplima
 
Dentro e Fora da História - Hobsbawm
Dentro e Fora da História - HobsbawmDentro e Fora da História - Hobsbawm
Dentro e Fora da História - Hobsbawm
Ricardo Laub
 
130602 dentro e fora ada his teoria e met da historia
130602 dentro e fora ada his teoria e met da historia130602 dentro e fora ada his teoria e met da historia
130602 dentro e fora ada his teoria e met da historia
UFMT Universidade Federal de Mato Grosso
 
Arte e a cultura dos memes
Arte e a cultura dos memesArte e a cultura dos memes
Arte e a cultura dos memes
AnTonymo Pilar Jr.
 
Dissertação completa.pptx
Dissertação completa.pptxDissertação completa.pptx
Dissertação completa.pptx
AndreRamos99
 
Cbc e documentos
Cbc e documentosCbc e documentos
Cbc e documentos
André Pereira Rocha
 
Enem redação
Enem  redaçãoEnem  redação
Enem redação
fafaluz
 
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Pibid-Letras Córdula
 
Apostiladeredacao
ApostiladeredacaoApostiladeredacao
Apostiladeredacao
MarcosFontes24
 

Semelhante a Laboratorio redacao 7 (20)

Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_1_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_1_split - SASResolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_1_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_1_split - SAS
 
Charge - interpretação 9° Ano.pdf
Charge - interpretação 9° Ano.pdfCharge - interpretação 9° Ano.pdf
Charge - interpretação 9° Ano.pdf
 
Charge - Revolução Francesa
Charge - Revolução FrancesaCharge - Revolução Francesa
Charge - Revolução Francesa
 
Plano autoria-de-objeto-hipermídia
Plano autoria-de-objeto-hipermídiaPlano autoria-de-objeto-hipermídia
Plano autoria-de-objeto-hipermídia
 
4º bim. parte iii
4º bim. parte iii4º bim. parte iii
4º bim. parte iii
 
Diferenças entre cartum charge e tira
Diferenças entre cartum charge e tiraDiferenças entre cartum charge e tira
Diferenças entre cartum charge e tira
 
Situação de aprendizagem 1
Situação de aprendizagem 1Situação de aprendizagem 1
Situação de aprendizagem 1
 
Gabarito comentado ling mat final
Gabarito comentado ling mat finalGabarito comentado ling mat final
Gabarito comentado ling mat final
 
Dicas para o ENEM e outros vestibulares
Dicas para o ENEM e outros vestibularesDicas para o ENEM e outros vestibulares
Dicas para o ENEM e outros vestibulares
 
1 enem reda a-ao
1   enem  reda a-ao1   enem  reda a-ao
1 enem reda a-ao
 
Tema
TemaTema
Tema
 
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SASResolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SAS
Resolucao 2015 pre-vestibular_interpretao_textual_2_split - SAS
 
Dentro e Fora da História - Hobsbawm
Dentro e Fora da História - HobsbawmDentro e Fora da História - Hobsbawm
Dentro e Fora da História - Hobsbawm
 
130602 dentro e fora ada his teoria e met da historia
130602 dentro e fora ada his teoria e met da historia130602 dentro e fora ada his teoria e met da historia
130602 dentro e fora ada his teoria e met da historia
 
Arte e a cultura dos memes
Arte e a cultura dos memesArte e a cultura dos memes
Arte e a cultura dos memes
 
Dissertação completa.pptx
Dissertação completa.pptxDissertação completa.pptx
Dissertação completa.pptx
 
Cbc e documentos
Cbc e documentosCbc e documentos
Cbc e documentos
 
Enem redação
Enem  redaçãoEnem  redação
Enem redação
 
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
 
Apostiladeredacao
ApostiladeredacaoApostiladeredacao
Apostiladeredacao
 

Mais de Marli Rodrigues

Apostila olinda-final-trade
Apostila olinda-final-tradeApostila olinda-final-trade
Apostila olinda-final-trade
Marli Rodrigues
 
(125717010) aula 6 ingles
(125717010) aula 6 ingles(125717010) aula 6 ingles
(125717010) aula 6 ingles
Marli Rodrigues
 
Plg 01-1c2b0-ano
Plg 01-1c2b0-anoPlg 01-1c2b0-ano
Plg 01-1c2b0-ano
Marli Rodrigues
 
Aprenda o principal vocabulário utilizado em redes sociais como facebook e tw...
Aprenda o principal vocabulário utilizado em redes sociais como facebook e tw...Aprenda o principal vocabulário utilizado em redes sociais como facebook e tw...
Aprenda o principal vocabulário utilizado em redes sociais como facebook e tw...
Marli Rodrigues
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
Marli Rodrigues
 
“As 10 reacções, decisões e atitudes mais comuns do ego humano”
“As 10 reacções, decisões e atitudes mais comuns do ego humano”“As 10 reacções, decisões e atitudes mais comuns do ego humano”
“As 10 reacções, decisões e atitudes mais comuns do ego humano”
Marli Rodrigues
 

Mais de Marli Rodrigues (6)

Apostila olinda-final-trade
Apostila olinda-final-tradeApostila olinda-final-trade
Apostila olinda-final-trade
 
(125717010) aula 6 ingles
(125717010) aula 6 ingles(125717010) aula 6 ingles
(125717010) aula 6 ingles
 
Plg 01-1c2b0-ano
Plg 01-1c2b0-anoPlg 01-1c2b0-ano
Plg 01-1c2b0-ano
 
Aprenda o principal vocabulário utilizado em redes sociais como facebook e tw...
Aprenda o principal vocabulário utilizado em redes sociais como facebook e tw...Aprenda o principal vocabulário utilizado em redes sociais como facebook e tw...
Aprenda o principal vocabulário utilizado em redes sociais como facebook e tw...
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
“As 10 reacções, decisões e atitudes mais comuns do ego humano”
“As 10 reacções, decisões e atitudes mais comuns do ego humano”“As 10 reacções, decisões e atitudes mais comuns do ego humano”
“As 10 reacções, decisões e atitudes mais comuns do ego humano”
 

Laboratorio redacao 7

  • 1. CURSO E COLÉGIO ACESSO LABORATÓRIO DE REDAÇÃO 1 ALUNO: _____________________________________ N.º__________ TURMA ______ PROPOSTA 7 __ /__ /_____ INTERPRETAÇÃO DE CHARGES, CARTUNS E QUADRINHOS A charge ou cartum é um desenho de caráter humorístico, geralmente veiculado pela imprensa. Ela também pode ser considerada como texto e, nesse sentido, pode ser lida por qualquer um de nós. Trata-se de um tipo de texto muito importante na mídia atual, graças à capacidade de fazer, de modo sintético, críticas político-sociais. Um público muito amplo se interessa pela charge, tanto pelo uso do humor e da sátira, quanto por exigir do leitor apenas um pequeno conhecimento da situação focalizada, para se reconhecerem as referências e insinuações feitas pelo autor. Charge, segundo o dicionário do Aurélio, é uma “representação pictórica, de caráter caricatural, em que se satiriza um fato específico, em geral de caráter político e que é do conhecimento público”. Geralmente, consta de uma caricatura (desenho que, pelo traço, pela escolha dos detalhes, acentua ou revela certos aspectos caricatos de pessoa ou fato), que pode ser acompanhada de uma legenda. Uma charge, por si só, pode carregar uma mensagem significativa. É a mensagem icônica. Como nas anedotas e piadas, o humorista e o leitor deve compartilhar conhecimentos pragmáticos, vivências culturais. Ou não haverá humor. Como muitas charges são críticas políticas, quem não está a par dos acontecimentos políticos mais recentes, não vai rir, com certeza. Os cartuns estão geralmente relacionados com questões sociais. Qual a diferença entre charge e cartum? Geralmente, considera-se que os dois termos são sinônimos. Mas há diferenças entre eles. O cartum é apenas um desenho humorístico ficcional e atemporal. Isso quer dizer que não estão necessariamente relacionadas nem com alguém existente, nem com uma ocasião especial. Existe sempre a presença do humor universal. Por exemplo: Se um desenho mostra dois personagens sentados numa sala de espera, um ovo e uma galinha. O funcionário pergunta a eles quem chegou primeiro. Trata-se de uma piada atemporal e ficcional, ou seja, ela é compreendida em qualquer ocasião e não se relaciona com um fato real. Além disso, os personagens não se relacionam com alguém em especial. É, portanto, um cartum. Exemplos de charges e cartuns: A charge abaixo foi publicada em 22 de Maio de 2011 por Ivan Cabral - Nela o chargista utiliza a linguagem verbal e não verbal para criar uma situação de humor e mostrar as questões políticas presentes. O cartum abaixo foi postado em 13 de maio de 2011 sobre a abolição da escravatura – cartunista Edra: • O mais importante é relacionar a imagem (desenho) a seus conhecimentos prévios de atualidades !
  • 2. CURSO E COLÉGIO ACESSO LABORATÓRIO DE REDAÇÃO 2 Há cerca de dez anos, os exames escolares passaram a se utilizar de charges para avaliar a capacidade de interpretação dos alunos. No ENEM 2010, por exemplo, o tema proposto para a prova de redação era “O indivíduo frente à ética nacional”, que vinha, como de costume, acompanhado de uma coletânea composta por dois textos opinativos, publicados na mídia impressa, e a seguinte charge: De autoria de Millôr Fernandes, a charge discute a honestidade social a partir de uma cena irônica: a lamentação de um indivíduo que, por só poder lidar com gente honesta, encontra-se num deserto. A charge, associada aos textos da coletânea e ao tema anunciado na proposta, compunham um panorama mais amplo do problema incluído na proposta, conduzindo o leitor a alguns questionamentos que poderiam direcionar a elaboração de seu texto: 1. Existe alguma pessoa completamente honesta no mundo? O que isso significa? 2. O indivíduo que chama os outros de desonestos e antiéticos apresenta realmente um comportamento ético que o diferencie dos demais? 3. O fato de acharmos que a maioria age de modo antiético nos daria o direito de assim também o fazer, para não sermos os únicos diferentes? 4. A ética que deveria nortear as relações humanas é hoje característica de poucos? Ela se tornou uma exceção? Para compreendê-las, o leitor precisa acionar uma série de conhecimentos prévios que já possui no seu próprio repertório cultural. Vamos examinar cada um dos casos: Charge da Folha de S. Paulo Criada por Glauco, não possui texto verbal. Assim, toda a informação deve ser identificada no desenho. Nele, pode-se ver um avião sendo consertado por um mecânico, um homem careca dentro do aparelho, com expressão abor- recida, e um triângulo usado no trânsito para indicar que o veículo está quebrado (esta já é uma informação prévia do leitor). Após a identificação desses elementos básicos, entram outros mais específicos que também precisam ser conhe- cidos pelo leitor: o reconhecimento dos personagens e das situações específicas a que se refere o desenho: o avião tem formato de tucano, uma referência ao símbolo de um partido político, o PSDB; o piloto do avião deve ser associado a José Serra, por ser careca e pertencer ao partido tucano; o avião quebrado é uma referência à dificuldade de Serra para “decolar” (metáfora política para designar avanço nas intenções de voto) no início da campanha para Presidência da República de 2010.
  • 3. CURSO E COLÉGIO ACESSO LABORATÓRIO DE REDAÇÃO 3 Observe os cartuns abaixo e depreenda os temas: _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ TIRINHAS E QUADRINHOS A diferença principal é que as tirinhas são curtas, geralmente têm 3 quadrinhos e usam a ironia para satirizar diversos problemas. Já a história em quadrinhos tem páginas elaboradas com início, meio e fim. As tirinhas são fontes ricas de leitura, pois contêm histórias, opiniões, situações e discussões sobre o cotidiano, logo os alunos se interessam mais por este gênero textual. Elas estão cada vez mais ganhando espaço, no que antes era algo concentrado apenas em livros infantis e gibis, hoje é encontrando em qualquer jornal, revistas e até em livros didáticos, servindo como mediadores de ensinamento. É muito comum também encontrá-las em concursos.
  • 4. CURSO E COLÉGIO ACESSO LABORATÓRIO DE REDAÇÃO 4 Observe alguns exemplos abaixo: A tira acima, de Laerte, satiriza a violência que nos últimos tempos vem tomando conta do país, e que começa a atingir de modo mais intenso a classe média. Na tira, um homem reclama porque seu carro foi roubado, e logo depois seu filho tem o carrinho de brinquedo furtado por um ladrão. Dessa forma, Laerte demonstra de modo bem-humorado que a violência atinge a todos indiscriminadamente, e que de certa maneira essa violência já é aceita como normal e corriqueira, o que está expresso na fala do garoto lamentando-se pelo fato de não ter seguro do carrinho de brinquedo.