SlideShare uma empresa Scribd logo
IA
                   F L
                  A A
                 R G
                G U
               O T
             E R
            G O
           E P
        RIA DE
   TÓ
 IS
                      O
                    ID
H          G AR
                  R

      RO
   PED
DESENVOLVIMENTO DA CULTURA E
                         DA ARTE:
A cultura e a arte desenvolveram-se muito no século XIX.
   Em grande parte devido às reformas feitas no ensino
   e ao progresso dos meios de comunicação.
Durante a segunda metade do século XIX, foram
  publicadas algumas leis, tais como:
•   Abolição da pena de morte para os crimes políticos,
    em 1852, e para os crimes civis, em 1867.
•   Extinção das rodas dos enjeitados em 1867.
•   Abolição da escravatura em todos os domínios
    portugueses, em 1869.
DESENVOLVIMENTO DA CULTURA:
•   O ensino primário passou a ser obrigatório e gratuito,
    e aumentaram-se o número de escolas primárias
•   Em 1876, João de Deus publicou a Cartilha Maternal,
    que foi o primeiro manual escolar usado pelos
    professores para ensinar a ler.
•   As crianças do campo continuavam a não frequentar a
    escola e o ensino superior era privilégio de poucos. A
    obrigatoriedade do ensino não era cumprida e
    raramente se aplicavam as devidas punições para
    combater o absentismo escolar que, muitas vezes, se
    devia à recusa dos pais mandarem os filhos para a
    escola, obrigando-os a trabalhar.
DESENVOLVIMENTO DA ARTE:
•   No romantismo, destacaram-se escritores como
    Almeida Garrett, Alexandre Herculano, Camilo Castelo
    Branco e Júlio Dinis.
•   No realismo, era descrita a realidade da vida
    quotidiana, fazendo-se fortes críticas à sociedade
    burguesa. Ficaram célebres escritores como Eça de
    Queirós, Ramalho Ortigão e Antero de Quental.
•   Na pintura destacaram-se: Silva Porto, José Malhoa e
    Columbano Bordalo Pinheiro.
•   A arquitetura inspirou-se no passado, imitando o
    estilo romântico, gótico e manuelino.
,
                                                          e   i ro
                                                      h
                                               P   in
                                           o

             O ”                      d al
                                   o r ovo
                                 lB p
            H                   e o
                             fa e

         VIN               Ra lho
                        or ba
        O
                      p
                     a tra
      P            d
                 ia o
               cr ta          75
 ZÉ         a n
          ur ese           18
“   i
        t
      ca epr ês. o d
  ar e r gu nh
 C u u
                         e

  q or t e Ju
     p       d
        12
A   L
                   N A m o.
                 IO ENica enand
                C P nt er
               A
              N A româr D. F
          C IO Deturauir po
     LÁ
                       t r
                     ui nst

PA            d
                 a rq o
                e oc
             o dad
           pl n
          m a
       xe , m
      e l
         a
  um tug
 É or
  P
ES
                      B R
                   ÉLE
                 C
           A S
       R
      U XIX
 IGULO
F SÉC
U S
                              DE                    1   8 30
                                                               1   8 96


               DE             m
                                  ar
                                     ç   o
                                             de

                                             ne
                                                i   ro
                                                         de



   ÃO            :   8
                         de
                              de
                                     ja


JO
              to       11
         en       to
                     :
    im
     c         en
  as
 N leci
        m
  Fa
à
                                                                          se

                O A                           33      ed
                                                           i   co
                                                                  u   -



              LH
                                                    D
                                         19     .
                                    de       ês
            A                      r o t
                                           u
                                         ug es.

           M        55
                              t ub por str
                            ou or pe

   SÉ          : 18      de
            t o : 16 t e n s
                              p
                                  t
                                in cam


JO
         en to            n e
     i m       n      r ta ag
   sc ime po ais
 Na lec          im e p
   Fa i u m r a d
       Fo n t u
         pi
S
             O S
            D I                             d e ei ro
                                                        .
           O UA
         P T
                                          o
                                        er nqu
                                      nt Ju
        U C
      R E                         s ,A a
                                in err
     G L                    a
                          M eG
                              rt u


       T E          e ira gão

     IN
                  iv r ti
                Ol O
              s, ho
           iró al
       Q ue am
    d e l, R
  a nta
Eç ue
  Q
ÓS                                                   se
                                                                               s   .


                     IR                          45                     e
                                               8                 u gu

                    E
                                           1                 t
                                      de        00      or

                 QU          br
                                  o
                             em o d
                                    e
                                       19 res
                                          rit
                                              o
                                                      p



         E
                           v
                        no ost       e sc

        D        25
                    de      ag tes
                         de tan

 Ç A           :
            t o : 16 p o r
          en to
EN
     c im en
   as cim ma
        e
                    i s
                        im


    F al dos
        Um
S                                                  da

                          IN                                            v   e
                                                                     ha

                        RT                                  as
                                                                 c

                      A                             u   r
                                    45     94   fig
                     M         18
                                  e  1   8    s
                                            da a.
            A                i ld     de ma es

          IR             a br sto é u gu
                        e ago al, r tu
        E             d
                                    ci p
                                         o

   IV
                     0 de
                  :3 4          so ea

 L
                o            a n
          e nt o: 2 tíst orâ

O
                   t
     c im en ien mp
                         e
  as cim e c nt
 N le                  o
     a        i co a c
   F       lít óri
        Po i st
          h
L
                                   NTA                                             no

                                U E                                 p   e nh
                                                                               o


                               Q                          es
                                                               em


                     DE           e
                                    1 8 42 1891
                                          de gra
                                                 n de
                                                        d



     RO                a b r il
                                d
                                     br
                                        o
                                    m , co .
                                            m

    E
                                  e
                     e         et        s 0
  T                                  uê e 7
                   d         s
               18      de tug d

AN  i m
             :
           to : 11 p o ç ã
        e n to
             n         ta er
                      e G
                                r
                                  a
                                      o

  sc ime           po da
Na lec           e
             or nto
  Fa c r i t e
               m
      Es ov i
         m
à O
                            TIG
                          OR         1 83
                                            6
                                                9 15


               HO               br
                                   o
                                     de e 1
                                         o
                                           d


    A        L        de
                             tu
                         ou tem
                              se
                                      br



 A M          o
                    4
                :2 7d .
           nt o: 2 uês
                           e


R   ci
       m
         e
  as cim po
                  t
              en r tu
                         g

 N le            r
   F a       ito
          cr
       Es
O
                            EIR
                         QU                 50
                                                                de o,
                                                             de lític
                        N
                                                           a
                                         18            s id po

                     JU
                                     de            v er vo,
                                b ro     23 Uni ati
                                       19 a st r

     RA                   t e m
                                    e
                       se o d ito min
                    de julh
                                            n    i



  E R          :1
                  7
                      de em ár sc
                                      r e d r.
                                   di i o a rito

 U         t o      7               n e
         en to:          do cio e
G   ci
       m
  as cim l f lto na
 N le           e a
                       a n a
             en orm fu list
                            r
   F a       ar a, , jo
           h r
         ac mb ado
       B oi       t
          C pu
           de
FIM

Mais conteúdo relacionado

Destaque

O trabalho escravo
O trabalho escravoO trabalho escravo
O trabalho escravo
Rebeca Neiva
 
Africanos no brasil dominação e resistência
Africanos no brasil dominação e resistênciaAfricanos no brasil dominação e resistência
Africanos no brasil dominação e resistência
Graciley Borges
 
Escravidão no brasil
Escravidão no brasilEscravidão no brasil
Escravidão no brasil
LaerteCamargo
 
5 Formas de Resistência à Escravidão
5  Formas de Resistência à Escravidão5  Formas de Resistência à Escravidão
5 Formas de Resistência à Escravidão
Marcas da Luta
 
Escravidão no Brasil
Escravidão no BrasilEscravidão no Brasil
Escravidão no Brasil
bastianbe
 
Africanos no brasil: dominação e resistência
Africanos no brasil: dominação e resistênciaAfricanos no brasil: dominação e resistência
Africanos no brasil: dominação e resistência
Edvaldo S. Júnior
 
Escravidão e Resistência
Escravidão e ResistênciaEscravidão e Resistência
Escravidão e Resistência
Profª Bruna Morrana
 
Africanos no Brasil - dominação e resistência
Africanos no Brasil - dominação e resistênciaAfricanos no Brasil - dominação e resistência
Africanos no Brasil - dominação e resistência
Carlos Zaranza
 
Escravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasilEscravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasil
Fatima Freitas
 
A Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonialA Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonial
Alex Ferreira dos Santos
 

Destaque (10)

O trabalho escravo
O trabalho escravoO trabalho escravo
O trabalho escravo
 
Africanos no brasil dominação e resistência
Africanos no brasil dominação e resistênciaAfricanos no brasil dominação e resistência
Africanos no brasil dominação e resistência
 
Escravidão no brasil
Escravidão no brasilEscravidão no brasil
Escravidão no brasil
 
5 Formas de Resistência à Escravidão
5  Formas de Resistência à Escravidão5  Formas de Resistência à Escravidão
5 Formas de Resistência à Escravidão
 
Escravidão no Brasil
Escravidão no BrasilEscravidão no Brasil
Escravidão no Brasil
 
Africanos no brasil: dominação e resistência
Africanos no brasil: dominação e resistênciaAfricanos no brasil: dominação e resistência
Africanos no brasil: dominação e resistência
 
Escravidão e Resistência
Escravidão e ResistênciaEscravidão e Resistência
Escravidão e Resistência
 
Africanos no Brasil - dominação e resistência
Africanos no Brasil - dominação e resistênciaAfricanos no Brasil - dominação e resistência
Africanos no Brasil - dominação e resistência
 
Escravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasilEscravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasil
 
A Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonialA Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonial
 

Semelhante a História e geografia de portugal

Cv + portfolio Urbino dec. 2011
Cv + portfolio Urbino dec. 2011Cv + portfolio Urbino dec. 2011
Cv + portfolio Urbino dec. 2011
JonathanChorhy
 
Mapa Mental La Entrevista
Mapa Mental La EntrevistaMapa Mental La Entrevista
Mapa Mental La Entrevista
CésarZamora
 
Aula de historia ditadura militar Parte II 64 pérysson
Aula de historia   ditadura militar Parte II 64 péryssonAula de historia   ditadura militar Parte II 64 pérysson
Aula de historia ditadura militar Parte II 64 pérysson
Pérysson Nogueira
 
Are u paying attention? by Konstantinos Koukoulis
Are u paying attention? by Konstantinos Koukoulis Are u paying attention? by Konstantinos Koukoulis
Are u paying attention? by Konstantinos Koukoulis
Konstantinos11
 
Convite
ConviteConvite
www.Laurentphil.Com
www.Laurentphil.Comwww.Laurentphil.Com
www.Laurentphil.Com
laurentphil
 
Jarchas
Jarchas Jarchas
Jarchas
joanpedi
 
Ache Isabel Fundacao vale
Ache Isabel Fundacao valeAche Isabel Fundacao vale
Ache Isabel Fundacao vale
FOMINDEL
 
Ache isabel fundacao vale
Ache isabel fundacao valeAche isabel fundacao vale
Ache isabel fundacao vale
FOMINDEL
 
Módulo de Banco - SmartERP
Módulo de Banco - SmartERPMódulo de Banco - SmartERP
Módulo de Banco - SmartERP
SmartINC
 
Tema 5
Tema 5Tema 5
Tema 5
amorsj
 
Tema 5
Tema 5Tema 5
Tema 5
amorsj
 
Tema 5
Tema 5Tema 5
Tema 5
amorsuarez
 
Tema 5
Tema 5Tema 5
Tema 5
amorsj
 
Tema 5
Tema 5Tema 5
Tema 5
amorsj
 
importance des reseaux sociaux dans l'entreprise la cible 118
importance des reseaux sociaux dans l'entreprise la cible 118importance des reseaux sociaux dans l'entreprise la cible 118
importance des reseaux sociaux dans l'entreprise la cible 118
Éric Delcroix
 
Consultoría los inolvidables
Consultoría los inolvidablesConsultoría los inolvidables
Consultoría los inolvidables
Carlos847135
 
palavras cruzadas sobre trovadorismo resposta
palavras cruzadas sobre trovadorismo respostapalavras cruzadas sobre trovadorismo resposta
palavras cruzadas sobre trovadorismo resposta
Dilmara Faria
 
Cz trovd1 resp(2)
Cz trovd1 resp(2)Cz trovd1 resp(2)
Cz trovd1 resp(2)
Dilmara Faria
 
Argentina vera final parte 2
Argentina vera final parte 2Argentina vera final parte 2
Argentina vera final parte 2
rosialqueria
 

Semelhante a História e geografia de portugal (20)

Cv + portfolio Urbino dec. 2011
Cv + portfolio Urbino dec. 2011Cv + portfolio Urbino dec. 2011
Cv + portfolio Urbino dec. 2011
 
Mapa Mental La Entrevista
Mapa Mental La EntrevistaMapa Mental La Entrevista
Mapa Mental La Entrevista
 
Aula de historia ditadura militar Parte II 64 pérysson
Aula de historia   ditadura militar Parte II 64 péryssonAula de historia   ditadura militar Parte II 64 pérysson
Aula de historia ditadura militar Parte II 64 pérysson
 
Are u paying attention? by Konstantinos Koukoulis
Are u paying attention? by Konstantinos Koukoulis Are u paying attention? by Konstantinos Koukoulis
Are u paying attention? by Konstantinos Koukoulis
 
Convite
ConviteConvite
Convite
 
www.Laurentphil.Com
www.Laurentphil.Comwww.Laurentphil.Com
www.Laurentphil.Com
 
Jarchas
Jarchas Jarchas
Jarchas
 
Ache Isabel Fundacao vale
Ache Isabel Fundacao valeAche Isabel Fundacao vale
Ache Isabel Fundacao vale
 
Ache isabel fundacao vale
Ache isabel fundacao valeAche isabel fundacao vale
Ache isabel fundacao vale
 
Módulo de Banco - SmartERP
Módulo de Banco - SmartERPMódulo de Banco - SmartERP
Módulo de Banco - SmartERP
 
Tema 5
Tema 5Tema 5
Tema 5
 
Tema 5
Tema 5Tema 5
Tema 5
 
Tema 5
Tema 5Tema 5
Tema 5
 
Tema 5
Tema 5Tema 5
Tema 5
 
Tema 5
Tema 5Tema 5
Tema 5
 
importance des reseaux sociaux dans l'entreprise la cible 118
importance des reseaux sociaux dans l'entreprise la cible 118importance des reseaux sociaux dans l'entreprise la cible 118
importance des reseaux sociaux dans l'entreprise la cible 118
 
Consultoría los inolvidables
Consultoría los inolvidablesConsultoría los inolvidables
Consultoría los inolvidables
 
palavras cruzadas sobre trovadorismo resposta
palavras cruzadas sobre trovadorismo respostapalavras cruzadas sobre trovadorismo resposta
palavras cruzadas sobre trovadorismo resposta
 
Cz trovd1 resp(2)
Cz trovd1 resp(2)Cz trovd1 resp(2)
Cz trovd1 resp(2)
 
Argentina vera final parte 2
Argentina vera final parte 2Argentina vera final parte 2
Argentina vera final parte 2
 

Mais de CarinaGarrido

Viagem apresentação oral
Viagem   apresentação oralViagem   apresentação oral
Viagem apresentação oral
CarinaGarrido
 
Jogos tradicionais
Jogos tradicionaisJogos tradicionais
Jogos tradicionais
CarinaGarrido
 
Metodos contraceptivos e planeamento familiar
Metodos contraceptivos e planeamento familiarMetodos contraceptivos e planeamento familiar
Metodos contraceptivos e planeamento familiar
CarinaGarrido
 
A lua de joana
A lua de joanaA lua de joana
A lua de joana
CarinaGarrido
 
Musique
MusiqueMusique
Musique
CarinaGarrido
 
Découvertes
DécouvertesDécouvertes
Découvertes
CarinaGarrido
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
CarinaGarrido
 
A lua de joana
A lua de joanaA lua de joana
A lua de joana
CarinaGarrido
 

Mais de CarinaGarrido (8)

Viagem apresentação oral
Viagem   apresentação oralViagem   apresentação oral
Viagem apresentação oral
 
Jogos tradicionais
Jogos tradicionaisJogos tradicionais
Jogos tradicionais
 
Metodos contraceptivos e planeamento familiar
Metodos contraceptivos e planeamento familiarMetodos contraceptivos e planeamento familiar
Metodos contraceptivos e planeamento familiar
 
A lua de joana
A lua de joanaA lua de joana
A lua de joana
 
Musique
MusiqueMusique
Musique
 
Découvertes
DécouvertesDécouvertes
Découvertes
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
A lua de joana
A lua de joanaA lua de joana
A lua de joana
 

História e geografia de portugal

  • 1. IA F L A A R G G U O T E R G O E P RIA DE TÓ IS O ID H G AR R RO PED
  • 2. DESENVOLVIMENTO DA CULTURA E DA ARTE: A cultura e a arte desenvolveram-se muito no século XIX. Em grande parte devido às reformas feitas no ensino e ao progresso dos meios de comunicação. Durante a segunda metade do século XIX, foram publicadas algumas leis, tais como: • Abolição da pena de morte para os crimes políticos, em 1852, e para os crimes civis, em 1867. • Extinção das rodas dos enjeitados em 1867. • Abolição da escravatura em todos os domínios portugueses, em 1869.
  • 3. DESENVOLVIMENTO DA CULTURA: • O ensino primário passou a ser obrigatório e gratuito, e aumentaram-se o número de escolas primárias • Em 1876, João de Deus publicou a Cartilha Maternal, que foi o primeiro manual escolar usado pelos professores para ensinar a ler. • As crianças do campo continuavam a não frequentar a escola e o ensino superior era privilégio de poucos. A obrigatoriedade do ensino não era cumprida e raramente se aplicavam as devidas punições para combater o absentismo escolar que, muitas vezes, se devia à recusa dos pais mandarem os filhos para a escola, obrigando-os a trabalhar.
  • 4. DESENVOLVIMENTO DA ARTE: • No romantismo, destacaram-se escritores como Almeida Garrett, Alexandre Herculano, Camilo Castelo Branco e Júlio Dinis. • No realismo, era descrita a realidade da vida quotidiana, fazendo-se fortes críticas à sociedade burguesa. Ficaram célebres escritores como Eça de Queirós, Ramalho Ortigão e Antero de Quental. • Na pintura destacaram-se: Silva Porto, José Malhoa e Columbano Bordalo Pinheiro. • A arquitetura inspirou-se no passado, imitando o estilo romântico, gótico e manuelino.
  • 5. , e i ro h P in o O ” d al o r ovo lB p H e o fa e VIN Ra lho or ba O p a tra P d ia o cr ta 75 ZÉ a n ur ese 18 “ i t ca epr ês. o d ar e r gu nh C u u e q or t e Ju p d 12
  • 6. A L N A m o. IO ENica enand C P nt er A N A româr D. F C IO Deturauir po LÁ t r ui nst PA d a rq o e oc o dad pl n m a xe , m e l a um tug É or P
  • 7. ES B R ÉLE C A S R U XIX IGULO F SÉC
  • 8. U S DE 1 8 30 1 8 96 DE m ar ç o de ne i ro de ÃO : 8 de de ja JO to 11 en to : im c en as N leci m Fa
  • 9. à se O A 33 ed i co u - LH D 19 . de ês A r o t u ug es. M 55 t ub por str ou or pe SÉ : 18 de t o : 16 t e n s p t in cam JO en to n e i m n r ta ag sc ime po ais Na lec im e p Fa i u m r a d Fo n t u pi
  • 10. S O S D I d e ei ro . O UA P T o er nqu nt Ju U C R E s ,A a in err G L a M eG rt u T E e ira gão IN iv r ti Ol O s, ho iró al Q ue am d e l, R a nta Eç ue Q
  • 11. ÓS se s . IR 45 e 8 u gu E 1 t de 00 or QU br o em o d e 19 res rit o p E v no ost e sc D 25 de ag tes de tan Ç A : t o : 16 p o r en to EN c im en as cim ma e i s im F al dos Um
  • 12. S da IN v e ha RT as c A u r 45 94 fig M 18 e 1 8 s da a. A i ld de ma es IR a br sto é u gu e ago al, r tu E d ci p o IV 0 de :3 4 so ea L o a n e nt o: 2 tíst orâ O t c im en ien mp e as cim e c nt N le o a i co a c F lít óri Po i st h
  • 13. L NTA no U E p e nh o Q es em DE e 1 8 42 1891 de gra n de d RO a b r il d br o m , co . m E e e et s 0 T uê e 7 d s 18 de tug d AN i m : to : 11 p o ç ã e n to n ta er e G r a o sc ime po da Na lec e or nto Fa c r i t e m Es ov i m
  • 14. Ã O TIG OR 1 83 6 9 15 HO br o de e 1 o d A L de tu ou tem se br A M o 4 :2 7d . nt o: 2 uês e R ci m e as cim po t en r tu g N le r F a ito cr Es
  • 15. O EIR QU 50 de o, de lític N a 18 s id po JU de v er vo, b ro 23 Uni ati 19 a st r RA t e m e se o d ito min de julh n i E R :1 7 de em ár sc r e d r. di i o a rito U t o 7 n e en to: do cio e G ci m as cim l f lto na N le e a a n a en orm fu list r F a ar a, , jo h r ac mb ado B oi t C pu de
  • 16. FIM