SlideShare uma empresa Scribd logo
Professor: Willian Dadalto
1º Ano EM
HIDROGRAFIA
A hidrografia é o ramo da geografia física que
estuda as águas do planeta, abrangendo portanto
rios, mares, oceanos, lagos, geleiras, água do
subsolo.
A grande parte da reserva hídrica mundial (mais de
97%) concentra-se em oceanos e mar e solo e da
atmosfera.
Já as águas continentais representam pouco mais
de 2% da água do planeta.
Oceanos correspondem a gigantescos volumes de água
salgada que se encontram dispersas sobre grande parte
da superfície terrestre.
Planeta são identificados cinco oceanos, apesar de
todos possuírem ligações uns com os outros, são
classificados como: oceano Pacífico, Atlântico, Índico,
Glacial Antártico e Glacial Ártico.
Inseridos nesses oceanos estão os mares, essa
expressão significa regiões ou partes dos oceanos que
se encontram nas proximidades dos continentes, em
alguns casos eles se estabelecem no interior dos
mesmos.
A origem dos rios nada mais é que o afloramento do
lençol freático, quando as águas subterrâneas
chegam à superfície dando origem as chamadas
“minas d´água”, e as águas das “minas”escoam nas
irregularidades do relevo, formando os rios.
Os rios também podem se formar a partir do
derretimento de geleiras como ocorre com o rio
Amazonas e da chuva.
Rios perenes: São rios cujas águas não secam,
mesmo nos períodos de pouca precipitação (chuva),
esses rios são muito importantes em regiões de
climas seco, árido e semiárido, principalmente na
agricultura.
Rios temporários ou intermitentes: São rios
temporários que secam nos períodos com pouco ou
nenhum volume de precipitação.
Retilíneo _ tem essa configuração por que
geralmente correm em relevos com
declividade acentuada; as águas escoam com
grande velocidade e os desvios tendem a ser
pequenos.
Canal meandrante _ adquire essa feição por
atravessar relevos planos, onde a baixa
declividade e a conseqüente pequena
velocidade de escoamento das águas tornam
os desvios mais acentuados.
Canal anastomosado _ em relevos com a
presença de vários morros, colinas ou
pequenas elevações, os cursos d’água se
dividem e se entrelaçam, constituindo um rio
sem canal principal.
Canal entrelaçado _ caracterizam um rio
permeado por ilhas e barras formadas por
assoreamento do material transportado em
suspensão por suas próprias águas.
Um dos principais problemas que afetam os
rios, principalmente os que passam por
grandes cidades, é o assoreamento. Neste
processo ocorre o acúmulo de lixo, entulho e
outros detritos no fundo dos rios. Com isso, o
rio passa a suportar cada vez menos água,
provocando enchentes em épocas de grande
quantidade de chuvas.
A formação da bacia hidrográfica dá-se através dos
desníveis dos terrenos que orientam os cursos
da água, sempre das áreas mais altas para as mais
baixas.
Essa área é limitada por um divisor de águas que a
separa das bacias adjacentes e que pode ser
determinado nas cartas topográficas. As águas
superficiais, originárias de qualquer ponto da área
delimitada pelo divisor, saem da bacia passando
pela seção definida e a água que precipita fora da
área da bacia não contribui para o escoamento na
seção considerada.
Bacias hidrográficas
A maioria das bacias vai desaguar para fora,
no caso, o mar, outras vão para o interior do
continente, elas são denominadas de:
Exorreica - Corresponde às bacias que
escoam as águas dos rios em direção aos
oceanos.
Endorreica - Corresponde às bacias que
escoam as águas para o interior do
continente.
Água subterrânea é toda a água que ocorre
abaixo da superfície da Terra, preenchendo os
poros ou vazios intergranulares das rochas
sedimentares, ou as fraturas, falhas e fissuras
das rochas compactas, e que sendo submetida a
duas forças (de adesão e de gravidade)
desempenha um papel essencial na manutenção
da umidade do solo, do fluxo dos rios, lagos e
brejos. As águas subterrâneas cumprem uma
fase do ciclo hidrológico, uma vez que
constituem uma parcela da água precipitada.
• Apesar da importância do Aquífero
Guarani, as atividades humanas,
sobretudo as industriais e agrícolas, têm
provocado a contaminação da água. Os
maiores vilões desse processo são o
agrotóxico utilizado na agricultura e o
vinhoto (resíduo da destilação fracionada
da cana-de-açúcar), que atingem o
reservatório.
• Com intuito de utilizar a água do aquífero
de forma sustentável e planejada, está
sendo desenvolvido o Projeto de
Proteção Ambiental e Desenvolvimento
Sustentável do Sistema Aquífero Guarani.
Esse projeto, elaborado em conjunto pela
Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, visa
o uso racional da água e a preservação do
Aquífero Guarani.
De acordo com os dados da FAO (2002) o consumo anual de água
no mundo em 2000 foi de 3.811,4 km³, sendo 69% (2.652,1 km³)
destinado no setor agrícola, 21% (783,1 km³) no industrial e apenas
10% (376,3 km³) no doméstico (consumo humano, uso sanitário,
serviços urbanos municipais). A Ásia é o continente que mais
consome água no mundo. Os cinco países que mais consomem
água no mundo são Índia, China, Estados Unidos, Paquistão e
Japão.
Ásia, África e Europa são os continentes menos favorecidos com
água disponível ao consumo humano. A América Latina, mesmo
possuindo a melhor condição quanto à disponibilidade de água,
enfrenta problemas de escassez desse recurso devido à má
distribuição, provocada pela falta de gerenciamento
(GONÇALVES et al., 2001).
Aproveitamento da água da chuva para uso
doméstico;
Implantação de cisternas;
Tratamento de esgoto;
Uso consciente;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
Waender Soares
 
Hidrografia
Hidrografia Hidrografia
Hidrografia
whybells
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
Clayton_Gabriel
 
Hidrografia do Brasil 2013
Hidrografia do Brasil 2013Hidrografia do Brasil 2013
Hidrografia do Brasil 2013
Edmar Alves da Cruz
 
Hidrografia geral
Hidrografia geralHidrografia geral
Hidrografia geral
Gabriel Lecoque Francisco
 
Hidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasilHidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasil
Salageo Cristina
 
Aula geografia física_américas_14-09-2012_hidrografia
Aula geografia física_américas_14-09-2012_hidrografiaAula geografia física_américas_14-09-2012_hidrografia
Aula geografia física_américas_14-09-2012_hidrografia
Antonio Pessoa
 
Os Principais Rios e Bacias Mundias
Os Principais Rios e Bacias MundiasOs Principais Rios e Bacias Mundias
Os Principais Rios e Bacias Mundias
Giulia Soares
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
Professor
 
A Hidrografia Brasileira Cleiton E Marcos
A Hidrografia Brasileira  Cleiton E  MarcosA Hidrografia Brasileira  Cleiton E  Marcos
A Hidrografia Brasileira Cleiton E Marcos
valdeniDinamizador
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
Sérgio Saribera
 
Hidrografia do Brasil
Hidrografia do Brasil   Hidrografia do Brasil
Hidrografia do Brasil
Silmara Vedoveli
 
Geografia do brasil - Hidrografia
Geografia do brasil - HidrografiaGeografia do brasil - Hidrografia
Geografia do brasil - Hidrografia
Tom Lima
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
IPA Metodista
 
Bacia hidrográfica amazônica
Bacia hidrográfica amazônicaBacia hidrográfica amazônica
Bacia hidrográfica amazônica
Edmar Souza
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
Roberta Sumar
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
flaviocosac
 
Aula hidrografia 6 ano Colégio Barjas Negri THE Antonio Carlos
Aula hidrografia 6 ano Colégio Barjas Negri THE Antonio Carlos Aula hidrografia 6 ano Colégio Barjas Negri THE Antonio Carlos
Aula hidrografia 6 ano Colégio Barjas Negri THE Antonio Carlos
Antonio Feitosa
 

Mais procurados (20)

Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
 
Hidrografia
Hidrografia Hidrografia
Hidrografia
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Hidrografia do Brasil 2013
Hidrografia do Brasil 2013Hidrografia do Brasil 2013
Hidrografia do Brasil 2013
 
Hidrografia geral
Hidrografia geralHidrografia geral
Hidrografia geral
 
Hidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasilHidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasil
 
Aula geografia física_américas_14-09-2012_hidrografia
Aula geografia física_américas_14-09-2012_hidrografiaAula geografia física_américas_14-09-2012_hidrografia
Aula geografia física_américas_14-09-2012_hidrografia
 
Os Principais Rios e Bacias Mundias
Os Principais Rios e Bacias MundiasOs Principais Rios e Bacias Mundias
Os Principais Rios e Bacias Mundias
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
 
A Hidrografia Brasileira Cleiton E Marcos
A Hidrografia Brasileira  Cleiton E  MarcosA Hidrografia Brasileira  Cleiton E  Marcos
A Hidrografia Brasileira Cleiton E Marcos
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Hidrografia do Brasil
Hidrografia do Brasil   Hidrografia do Brasil
Hidrografia do Brasil
 
Geografia do brasil - Hidrografia
Geografia do brasil - HidrografiaGeografia do brasil - Hidrografia
Geografia do brasil - Hidrografia
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
 
Bacia hidrográfica amazônica
Bacia hidrográfica amazônicaBacia hidrográfica amazônica
Bacia hidrográfica amazônica
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Aula hidrografia 6 ano Colégio Barjas Negri THE Antonio Carlos
Aula hidrografia 6 ano Colégio Barjas Negri THE Antonio Carlos Aula hidrografia 6 ano Colégio Barjas Negri THE Antonio Carlos
Aula hidrografia 6 ano Colégio Barjas Negri THE Antonio Carlos
 

Destaque

Hidrogafia
HidrogafiaHidrogafia
Hidrogafia
cpbegona
 
Azogues
AzoguesAzogues
Cañar
CañarCañar
Cañar
alymantha
 
Geografia da Europa 2015/2016 - Orografia e Hidrografia
Geografia da Europa 2015/2016 - Orografia e HidrografiaGeografia da Europa 2015/2016 - Orografia e Hidrografia
Geografia da Europa 2015/2016 - Orografia e Hidrografia
Carlos Ribeiro Medeiros
 
Provincia cañar 2
Provincia cañar 2Provincia cañar 2
Provincia cañar 2
sandrayesenia1980
 
Provincia del cañar
Provincia del cañarProvincia del cañar
Provincia del cañar
Mary Elena Arevalo Rodriguez
 
Guía Turística de Cañar
Guía Turística de CañarGuía Turística de Cañar
Guía Turística de Cañar
Majo Paucar
 
Dinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da  crosta terrestreDinâmica da  crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestre
vitor moraes ribeiro
 
Hidrografia (principais rios .....)
Hidrografia   (principais rios .....)Hidrografia   (principais rios .....)
Hidrografia (principais rios .....)
TROLITO LALALAL
 
Geografia da Europa - Geografia Física - Orografia e Hidrografia
Geografia da Europa - Geografia Física - Orografia e HidrografiaGeografia da Europa - Geografia Física - Orografia e Hidrografia
Geografia da Europa - Geografia Física - Orografia e Hidrografia
Carlos Ribeiro Medeiros
 
Google Academico Google Libros
Google Academico Google LibrosGoogle Academico Google Libros
Google Academico Google Libros
guesta4666a
 
Hidrografía de europa
Hidrografía de europaHidrografía de europa
Hidrografía de europa
elysarueda
 
Revisão de geografia europa - 9º ano
Revisão de geografia   europa - 9º anoRevisão de geografia   europa - 9º ano
Revisão de geografia europa - 9º ano
Simone Aguiar
 

Destaque (13)

Hidrogafia
HidrogafiaHidrogafia
Hidrogafia
 
Azogues
AzoguesAzogues
Azogues
 
Cañar
CañarCañar
Cañar
 
Geografia da Europa 2015/2016 - Orografia e Hidrografia
Geografia da Europa 2015/2016 - Orografia e HidrografiaGeografia da Europa 2015/2016 - Orografia e Hidrografia
Geografia da Europa 2015/2016 - Orografia e Hidrografia
 
Provincia cañar 2
Provincia cañar 2Provincia cañar 2
Provincia cañar 2
 
Provincia del cañar
Provincia del cañarProvincia del cañar
Provincia del cañar
 
Guía Turística de Cañar
Guía Turística de CañarGuía Turística de Cañar
Guía Turística de Cañar
 
Dinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da  crosta terrestreDinâmica da  crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestre
 
Hidrografia (principais rios .....)
Hidrografia   (principais rios .....)Hidrografia   (principais rios .....)
Hidrografia (principais rios .....)
 
Geografia da Europa - Geografia Física - Orografia e Hidrografia
Geografia da Europa - Geografia Física - Orografia e HidrografiaGeografia da Europa - Geografia Física - Orografia e Hidrografia
Geografia da Europa - Geografia Física - Orografia e Hidrografia
 
Google Academico Google Libros
Google Academico Google LibrosGoogle Academico Google Libros
Google Academico Google Libros
 
Hidrografía de europa
Hidrografía de europaHidrografía de europa
Hidrografía de europa
 
Revisão de geografia europa - 9º ano
Revisão de geografia   europa - 9º anoRevisão de geografia   europa - 9º ano
Revisão de geografia europa - 9º ano
 

Semelhante a Hidrogafia Geral

Revisão de prova de geografia 1º ano
Revisão de prova de geografia 1º anoRevisão de prova de geografia 1º ano
Revisão de prova de geografia 1º ano
eunamahcado
 
recursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.docrecursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.doc
Aida Cunha
 
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º anoHidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
Josecler Rocha
 
Fluvial.ppt
Fluvial.pptFluvial.ppt
Fluvial.ppt
SaadTaman
 
Hidrografia: Oceanos, Mares, Rios e Lagos.
Hidrografia: Oceanos, Mares, Rios e Lagos.Hidrografia: Oceanos, Mares, Rios e Lagos.
Hidrografia: Oceanos, Mares, Rios e Lagos.
Ely Leal
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
Eliena Leal
 
hidrosfera-140825140645-phpapp02.pdf
hidrosfera-140825140645-phpapp02.pdfhidrosfera-140825140645-phpapp02.pdf
hidrosfera-140825140645-phpapp02.pdf
ROSANGELABAHLS
 
hidrosfera-140825140645-phpapp02 (1).pptx
hidrosfera-140825140645-phpapp02 (1).pptxhidrosfera-140825140645-phpapp02 (1).pptx
hidrosfera-140825140645-phpapp02 (1).pptx
alessandraoliveira324
 
hidrosfera-140825140645-phpapphidrosfera02.pptx
hidrosfera-140825140645-phpapphidrosfera02.pptxhidrosfera-140825140645-phpapphidrosfera02.pptx
hidrosfera-140825140645-phpapphidrosfera02.pptx
alessandraoliveira324
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrosfera
HidrosferaHidrosfera
Hidrosfera
profleofonseca
 
Terra planeta agua
Terra planeta aguaTerra planeta agua
Terra planeta agua
Adriana Gomes Messias
 
Recursos Hidricos.ppt
Recursos Hidricos.pptRecursos Hidricos.ppt
Recursos Hidricos.ppt
RicardoNeto60
 
A NOSSA VIAGEM AO ENCONTRO DO CONHECIMENTO...
A NOSSA VIAGEM AO ENCONTRO DO CONHECIMENTO...A NOSSA VIAGEM AO ENCONTRO DO CONHECIMENTO...
A NOSSA VIAGEM AO ENCONTRO DO CONHECIMENTO...
grupoc1
 
Disponibilidades hídricas
Disponibilidades hídricasDisponibilidades hídricas
Disponibilidades hídricas
Anabelafernandes
 
Dinamica hidrografica
Dinamica hidrograficaDinamica hidrografica
Dinamica hidrografica
Débora Sales
 
Trabalho de geografia. desmatamento 7 ano
Trabalho de geografia. desmatamento 7 anoTrabalho de geografia. desmatamento 7 ano
Trabalho de geografia. desmatamento 7 anoolecramsepol
 
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remotoBACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
sw4kfysgx7
 
Aquíferos
AquíferosAquíferos
Aquíferos
João Bastos
 
Samuel Barrêto
Samuel BarrêtoSamuel Barrêto
Samuel Barrêto
ambev
 

Semelhante a Hidrogafia Geral (20)

Revisão de prova de geografia 1º ano
Revisão de prova de geografia 1º anoRevisão de prova de geografia 1º ano
Revisão de prova de geografia 1º ano
 
recursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.docrecursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.doc
 
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º anoHidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
 
Fluvial.ppt
Fluvial.pptFluvial.ppt
Fluvial.ppt
 
Hidrografia: Oceanos, Mares, Rios e Lagos.
Hidrografia: Oceanos, Mares, Rios e Lagos.Hidrografia: Oceanos, Mares, Rios e Lagos.
Hidrografia: Oceanos, Mares, Rios e Lagos.
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
hidrosfera-140825140645-phpapp02.pdf
hidrosfera-140825140645-phpapp02.pdfhidrosfera-140825140645-phpapp02.pdf
hidrosfera-140825140645-phpapp02.pdf
 
hidrosfera-140825140645-phpapp02 (1).pptx
hidrosfera-140825140645-phpapp02 (1).pptxhidrosfera-140825140645-phpapp02 (1).pptx
hidrosfera-140825140645-phpapp02 (1).pptx
 
hidrosfera-140825140645-phpapphidrosfera02.pptx
hidrosfera-140825140645-phpapphidrosfera02.pptxhidrosfera-140825140645-phpapphidrosfera02.pptx
hidrosfera-140825140645-phpapphidrosfera02.pptx
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Hidrosfera
HidrosferaHidrosfera
Hidrosfera
 
Terra planeta agua
Terra planeta aguaTerra planeta agua
Terra planeta agua
 
Recursos Hidricos.ppt
Recursos Hidricos.pptRecursos Hidricos.ppt
Recursos Hidricos.ppt
 
A NOSSA VIAGEM AO ENCONTRO DO CONHECIMENTO...
A NOSSA VIAGEM AO ENCONTRO DO CONHECIMENTO...A NOSSA VIAGEM AO ENCONTRO DO CONHECIMENTO...
A NOSSA VIAGEM AO ENCONTRO DO CONHECIMENTO...
 
Disponibilidades hídricas
Disponibilidades hídricasDisponibilidades hídricas
Disponibilidades hídricas
 
Dinamica hidrografica
Dinamica hidrograficaDinamica hidrografica
Dinamica hidrografica
 
Trabalho de geografia. desmatamento 7 ano
Trabalho de geografia. desmatamento 7 anoTrabalho de geografia. desmatamento 7 ano
Trabalho de geografia. desmatamento 7 ano
 
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remotoBACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
 
Aquíferos
AquíferosAquíferos
Aquíferos
 
Samuel Barrêto
Samuel BarrêtoSamuel Barrêto
Samuel Barrêto
 

Mais de williandadalto

Continente américano e México
Continente américano e MéxicoContinente américano e México
Continente américano e México
williandadalto
 
Industrialização no mundo
Industrialização no mundoIndustrialização no mundo
Industrialização no mundo
williandadalto
 
Aula sobre a África
Aula sobre a ÁfricaAula sobre a África
Aula sobre a África
williandadalto
 
Continente Europeu
Continente EuropeuContinente Europeu
Continente Europeu
williandadalto
 
GLOBALIZAÇÃO
GLOBALIZAÇÃOGLOBALIZAÇÃO
GLOBALIZAÇÃO
williandadalto
 
Oriente Médio
Oriente MédioOriente Médio
Oriente Médio
williandadalto
 
ASPECTOS DEMOGRÁFICOS
ASPECTOS DEMOGRÁFICOSASPECTOS DEMOGRÁFICOS
ASPECTOS DEMOGRÁFICOS
williandadalto
 
Os Climas
Os ClimasOs Climas
Os Climas
williandadalto
 
Aulaorientemdio 110312114058-phpapp012
Aulaorientemdio 110312114058-phpapp012Aulaorientemdio 110312114058-phpapp012
Aulaorientemdio 110312114058-phpapp012
williandadalto
 
Projeções
ProjeçõesProjeções
Projeções
williandadalto
 
As 12 maiores cidades do mundo
As 12 maiores cidades do mundoAs 12 maiores cidades do mundo
As 12 maiores cidades do mundo
williandadalto
 
Tipos de clima
Tipos de climaTipos de clima
Tipos de clima
williandadalto
 

Mais de williandadalto (12)

Continente américano e México
Continente américano e MéxicoContinente américano e México
Continente américano e México
 
Industrialização no mundo
Industrialização no mundoIndustrialização no mundo
Industrialização no mundo
 
Aula sobre a África
Aula sobre a ÁfricaAula sobre a África
Aula sobre a África
 
Continente Europeu
Continente EuropeuContinente Europeu
Continente Europeu
 
GLOBALIZAÇÃO
GLOBALIZAÇÃOGLOBALIZAÇÃO
GLOBALIZAÇÃO
 
Oriente Médio
Oriente MédioOriente Médio
Oriente Médio
 
ASPECTOS DEMOGRÁFICOS
ASPECTOS DEMOGRÁFICOSASPECTOS DEMOGRÁFICOS
ASPECTOS DEMOGRÁFICOS
 
Os Climas
Os ClimasOs Climas
Os Climas
 
Aulaorientemdio 110312114058-phpapp012
Aulaorientemdio 110312114058-phpapp012Aulaorientemdio 110312114058-phpapp012
Aulaorientemdio 110312114058-phpapp012
 
Projeções
ProjeçõesProjeções
Projeções
 
As 12 maiores cidades do mundo
As 12 maiores cidades do mundoAs 12 maiores cidades do mundo
As 12 maiores cidades do mundo
 
Tipos de clima
Tipos de climaTipos de clima
Tipos de clima
 

Último

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 

Último (20)

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 

Hidrogafia Geral

  • 1. Professor: Willian Dadalto 1º Ano EM HIDROGRAFIA
  • 2. A hidrografia é o ramo da geografia física que estuda as águas do planeta, abrangendo portanto rios, mares, oceanos, lagos, geleiras, água do subsolo. A grande parte da reserva hídrica mundial (mais de 97%) concentra-se em oceanos e mar e solo e da atmosfera. Já as águas continentais representam pouco mais de 2% da água do planeta.
  • 3. Oceanos correspondem a gigantescos volumes de água salgada que se encontram dispersas sobre grande parte da superfície terrestre. Planeta são identificados cinco oceanos, apesar de todos possuírem ligações uns com os outros, são classificados como: oceano Pacífico, Atlântico, Índico, Glacial Antártico e Glacial Ártico. Inseridos nesses oceanos estão os mares, essa expressão significa regiões ou partes dos oceanos que se encontram nas proximidades dos continentes, em alguns casos eles se estabelecem no interior dos mesmos.
  • 4.
  • 5.
  • 6. A origem dos rios nada mais é que o afloramento do lençol freático, quando as águas subterrâneas chegam à superfície dando origem as chamadas “minas d´água”, e as águas das “minas”escoam nas irregularidades do relevo, formando os rios. Os rios também podem se formar a partir do derretimento de geleiras como ocorre com o rio Amazonas e da chuva.
  • 7. Rios perenes: São rios cujas águas não secam, mesmo nos períodos de pouca precipitação (chuva), esses rios são muito importantes em regiões de climas seco, árido e semiárido, principalmente na agricultura. Rios temporários ou intermitentes: São rios temporários que secam nos períodos com pouco ou nenhum volume de precipitação.
  • 8.
  • 9. Retilíneo _ tem essa configuração por que geralmente correm em relevos com declividade acentuada; as águas escoam com grande velocidade e os desvios tendem a ser pequenos.
  • 10. Canal meandrante _ adquire essa feição por atravessar relevos planos, onde a baixa declividade e a conseqüente pequena velocidade de escoamento das águas tornam os desvios mais acentuados.
  • 11. Canal anastomosado _ em relevos com a presença de vários morros, colinas ou pequenas elevações, os cursos d’água se dividem e se entrelaçam, constituindo um rio sem canal principal.
  • 12. Canal entrelaçado _ caracterizam um rio permeado por ilhas e barras formadas por assoreamento do material transportado em suspensão por suas próprias águas.
  • 13. Um dos principais problemas que afetam os rios, principalmente os que passam por grandes cidades, é o assoreamento. Neste processo ocorre o acúmulo de lixo, entulho e outros detritos no fundo dos rios. Com isso, o rio passa a suportar cada vez menos água, provocando enchentes em épocas de grande quantidade de chuvas.
  • 14.
  • 15. A formação da bacia hidrográfica dá-se através dos desníveis dos terrenos que orientam os cursos da água, sempre das áreas mais altas para as mais baixas. Essa área é limitada por um divisor de águas que a separa das bacias adjacentes e que pode ser determinado nas cartas topográficas. As águas superficiais, originárias de qualquer ponto da área delimitada pelo divisor, saem da bacia passando pela seção definida e a água que precipita fora da área da bacia não contribui para o escoamento na seção considerada. Bacias hidrográficas
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19. A maioria das bacias vai desaguar para fora, no caso, o mar, outras vão para o interior do continente, elas são denominadas de: Exorreica - Corresponde às bacias que escoam as águas dos rios em direção aos oceanos. Endorreica - Corresponde às bacias que escoam as águas para o interior do continente.
  • 20. Água subterrânea é toda a água que ocorre abaixo da superfície da Terra, preenchendo os poros ou vazios intergranulares das rochas sedimentares, ou as fraturas, falhas e fissuras das rochas compactas, e que sendo submetida a duas forças (de adesão e de gravidade) desempenha um papel essencial na manutenção da umidade do solo, do fluxo dos rios, lagos e brejos. As águas subterrâneas cumprem uma fase do ciclo hidrológico, uma vez que constituem uma parcela da água precipitada.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24. • Apesar da importância do Aquífero Guarani, as atividades humanas, sobretudo as industriais e agrícolas, têm provocado a contaminação da água. Os maiores vilões desse processo são o agrotóxico utilizado na agricultura e o vinhoto (resíduo da destilação fracionada da cana-de-açúcar), que atingem o reservatório. • Com intuito de utilizar a água do aquífero de forma sustentável e planejada, está sendo desenvolvido o Projeto de Proteção Ambiental e Desenvolvimento Sustentável do Sistema Aquífero Guarani. Esse projeto, elaborado em conjunto pela Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, visa o uso racional da água e a preservação do Aquífero Guarani.
  • 25. De acordo com os dados da FAO (2002) o consumo anual de água no mundo em 2000 foi de 3.811,4 km³, sendo 69% (2.652,1 km³) destinado no setor agrícola, 21% (783,1 km³) no industrial e apenas 10% (376,3 km³) no doméstico (consumo humano, uso sanitário, serviços urbanos municipais). A Ásia é o continente que mais consome água no mundo. Os cinco países que mais consomem água no mundo são Índia, China, Estados Unidos, Paquistão e Japão. Ásia, África e Europa são os continentes menos favorecidos com água disponível ao consumo humano. A América Latina, mesmo possuindo a melhor condição quanto à disponibilidade de água, enfrenta problemas de escassez desse recurso devido à má distribuição, provocada pela falta de gerenciamento (GONÇALVES et al., 2001).
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30. Aproveitamento da água da chuva para uso doméstico; Implantação de cisternas; Tratamento de esgoto; Uso consciente;