SlideShare uma empresa Scribd logo
Foto: Lucilia Guimarães/SMCS
Julho de 2019 - Edição 211 - Curitiba
Curitiba
ganha
prêmio
com
Faróis do
Saber e
Inovação
Página 5
RRRRRUUUUUAS DE TRANSAS DE TRANSAS DE TRANSAS DE TRANSAS DE TRANSTTTTTORNOS RECEBEM PORNOS RECEBEM PORNOS RECEBEM PORNOS RECEBEM PORNOS RECEBEM PAAAAAVIMENTVIMENTVIMENTVIMENTVIMENTAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃO
DE ASFDE ASFDE ASFDE ASFDE ASFALALALALALTTTTTO NO BAIRRO NO BAIRRO NO BAIRRO NO BAIRRO NO BAIRRO SANTO SANTO SANTO SANTO SANTA CÂNDIDA CÂNDIDA CÂNDIDA CÂNDIDA CÂNDIDAAAAA
Página 2
GeGeGeGeGetúlio Vtúlio Vtúlio Vtúlio Vtúlio Vargas,argas,argas,argas,argas,
a Petrobrása Petrobrása Petrobrása Petrobrása Petrobrás
e o silêncioe o silêncioe o silêncioe o silêncioe o silêncio
dos militaresdos militaresdos militaresdos militaresdos militares
Página 4
2
Diretor: Adilson da Costa Moreira - Fones 99894.1462 e 3328-0176
CNPJ 12.698.306/0001-42 - Empresa: Adilson da Costa Moreira
Dep. comercial: Sharon Simão Zunino - Rua Guilherme Ihlenfelt, 765 - Tingui - Curitiba
E-mail: gazetasantacandida@gmail.com Tiragem: 10.000 exemplares
www.gazetasantacandida.blogspot.com Colaborador: José Cândido
As matérias assinadas não refletem necessariamente a opinião do jornal.
EXPEDIENTE
Tel: 3357-3601,
Celular 8462-3354 - 99105354
Rua Ilda C. Manasczuk, 444
Jardim Aliança - Santa Cândida -Curitiba
Contador: Sandro da Silva
Constituição e Encerramento de
Empresas - Imposto de Renda
Assessoria Contábil, Empresarial,
Financeira, RH
Maistranquilidadeaosmoradoresda
Rua Vera Lúcia Vieira Bartenick, no
SantaCândida.Aruademacadameque
causava aborrecimentos em obras para
o pavimento de asfalto nos 97 metros
do trecho entre as ruas Hildo da Paz e
DoutorÁlvaroTeixeiraPinto.
Na manhã desta terça-feira, o pre-
feitoRafaelGrecavistoriouasobrasde
pavimentação e drenagem da rua do
bairro da Regional BoaVista. “Dá tra-
balhofazerasfaltonaruadesaibro.Tem
que fazer os bueiros, a base bem firme,
colocar o meio-fio e daí então lançar o
pavimento. É o trabalho que vamos re-
petiremmaisruasdesaibrodeCuritiba”,
disse Greca.
Há 30 anos morando na Rua Vera
Lúcia Vieira Bartenick, o autônomo
Edson Fernandes Gomes estava con-
tente com o resultado de sua luta de
anos.“Valeuapenainsistirnareivindi-
cação e agora chegou a hora de mudar
de vida. Será o fim da poeira que pre-
judica nossa saúde e suja as nossas ca-
sas”,apontouGomes,aocitarquemui-
tos motoristas usam a rua de sua casa
para desviar do trânsito na Rua
Theodoro Makiolka.
O microempresárioAnderson Luiz
Mirandacontaque,emtodosos25anos
em que mora na RuaVera LúciaVieira
Bartenick, sempre sofreu com as con-
RUAS DE TRANSTORNOS RECEBEM PAVIMENTAÇÃO
DE ASFALTO NO BAIRRO SANTA CÂNDIDA
Prefeito Rafael Greca, vistoria as obras de pavimentação na rua Vera Lúcia Vieira Bartenick,
no Santa Cândida. Foto: Pedro Ribas/SMCS
dições da via em qualquer tempo.
“Quando chove, é a lama. Quando
tem sol, é a poeira.Aobra de coloca-
ção do asfalto representa melhoria to-
tal. Vida nova, com mais qualidade”,
disseMiranda.
Outras duas ruas de saibro da Re-
gional BoaVista ganharão novo pavi-
mentoasfáltico.ARuaCoronelDomin-
gosSoares(BairroAlto),apartirdocru-
zamento com a Rua Marquês de
Abrantes até se transformar na Rua
Arno Feliciano de Castilho; e a Rua
Paulino Franco de Carvalho (Santa
Cândida), da esquina com a Rua Jair
doNascimentoCésaratéofinaldavia.
No total, 535 metros das três ruas
terão obras.
Avistoriafoiacompanhadapelove-
reador Jairo Marcelino.
3
OS MELHORES JORNAIS
DE BAIRROS ESTÃOAQUI998999899989998999894.4.4.4.4.11111462462462462462
Telefones
3357-9272 e 99740-0669
MOACIR RADIADORES
A aposentada Rosa Grozecki
Lesiniakoski, de 99 anos, morado-
ra do bairro Boa Vista, prepara
comemoração de cem anos com
produtos doArmazém da Família.
Curitiba, 03/06/2019. Foto: Levy
Ferreira/SMCS
A aposentada Rosa Grozecki
Lesiniakoski, de 99 anos, morado-
ra do bairro Boa Vista, começou
a abastecer a despensa de casa
com gêneros alimentícios cuida-
dosamente selecionados no Ar-
mazém da Família Boa Vista. São
ingredientes para preparar pratos
e quitutes que agradam os filhos,
netos e bisnetos, pois a família vai
se reunir no início de agosto para
a comemoração dos 100 anos de
dona Rosa.
Os parentes virão de cidades
do interior de São Paulo, de
Brasília, dos Estados Unidos, do
Canadá e da Finlândia para fes-
tejar o centenário da matriarca.
Nascida em 5 de agosto de
1919, a neta de imigrantes polo-
neses e filha de agricultores é a
prova viva de que idade não é li-
mite para nada. Com organização
e planejamento é ela quem prepa-
ra com capricho as receitas que
encantam gerações da família e os
amigos.
Da elaboração dos cardápios
DONA ROSA DO BAIRRO BOA VISTA PREPARA FESTA DE
100 ANOS COM PRODUTOS DO ARMAZÉM DA FAMÍLIA
às compras, tudo é feito pela se-
nhora que esbanja disposição e
serenidade. Célia, a filha de 70
anos, vai junto às compras para
dirigir o carro e acompanhar a
mãe na tarefa, mas nem mesmo
uma lista é preciso levar. Dona
Rosa se orgulha por ter tudo regis-
trado na memória o que precisa
para cozinhar.
“Ceroula virada”
O cardápio para os dias de co-
memoração inclui pierogi, broas
integrais, bolos e a famosa
“ceroula virada” – uma das gulo-
seimas predileta dos netos. Os
produtos para as receitas já foram
comprados com custo em média
30% mais barato que no varejo, no
Armazém da Família Boa Vista.
Armazém da Família chega aos
30 anos beneficiando 260 mil fa-
mílias
Curitiba APP agora cadastra
consumidores para comprar no
Armazém da Família
É lá que dona Rosa faz mensal-
mente as suas compras, desde
1997, quando a unidade foi inau-
gurada.
“Eu já economizei muito com-
prando aqui e hoje em dia nem
pesquiso mais os preços, sei que
aqui é sempre mais barato”, con-
ta dona Rosa.
Carrinho cheio
Além do preço, qualidade e va-
riedade são outras vantagens des-
tacadas pela aposentada. “Dá
para encher o carrinho e sempre
com produtos de primeira”, afirma.
O que poupa com os alimentos, a
aposentada usa para comprar re-
médios e viajar para visitar a fa-
mília.
“Para viver bem é preciso ter
uma boa alimentação, dormir bem
e ter boa cabeça”, declara a futu-
ra aniversariante.
Sobre o futuro, o desejo de
dona Rosa é seguir com qualida-
de de vida, preparando refeições
que reúnam a família. “Quero viver
mais quanto for possível, seja cin-
co, dez ou 20 anos”, conclui.
4
O senador Jean Paul Prates (PT-RN), vice-
presidente da Frente Parlamentar em Defesa da
Petrobrás, escreve sobre os 65 anos do suicídio
deGetúlioVargas,completadosnestesábado(24)
sua importância para o país, e o ataque atual à
empresa petrolífera do coração do povo brasilei-
ro. "Nos 65 anos da morte de Getúlio, o Brasil
pareceretrocedernotempo.Nestedia24deagos-
to,omaisnotóriosucessoreherdeirodeGetúlio,
o metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva, hoje o
mais influente político brasileiro no mundo, está
presoinjustamente".
Brasil 247 - No próximo mês, no dia 24, o
Brasil relembra os 65 anos da morte de Getúlio
Vargas.OpresidentedaRepúblicamaisinfluente
e popular do Brasil no século 20 tirou a vida na
madrugada de 24 de agosto de 1954. O gesto
dramático–umtironopeito–foioúltimoesforço
para barrar a sanha golpista que varria o Brasil
naquele período. Sua morte mudou o curso da
históriadopaís,adiouogolpeporquase10anos
ealterouradicalmenteacenapolíticabrasileira.
Não há paralelo para a importância de Getú-
lio Vargas na história do país. Foi ele quem criou
o moderno Estado brasileiro, ao fundar a
Petrobrás e a Eletrobrás, criar a Companhia Si-
derúrgica Nacional e estabelecer um marco le-
galparaarelaçãoentrecapitaletrabalho.Foiele
quem criou as bases do Brasil democrático,
mesmo tendo sido um ditador na década de 30.
O ideário de Vargas, de tornar o Brasil uma
nação moderna, com justiça social e oportunida-
deparatodos,parecedistante.Asensaçãoéagra-
vada pelos retrocessos do presente. O presi-
denteJairBolsonaroéresponsávelporestepre-
sentefeio,disruptivo,intimidador,antidemocrático
e entreguista. O presente das queimadas, do
desmatamento,dafomenascidadesedaviolên-
cia nas ruas. O presente das privatizações e da
entrega do patrimônio público. O Brasil assiste,
atônito,aumgovernocujoúnicopropósitoédes-
truiradébilpolíticadebem-estarsocial,desenha-
da pela Carta de 1988 e golpeada em 2016 pelo
impeachmentfraudulentodeDilmaRousseff.
Bolsonaro quer entregar nossas riquezas e
se colocar na posição subalterna ante os Esta-
dos Unidos. Faz um governo para atacar a so-
berania, ignora o sofrimento do povo e arranca
do orçamento qualquer investimento em saúde,
educação e cultura. Em nome do mercado, pro-
mete entregar empresas como a Eletrobrás e a
Petrobrás.
ALVO É O PETRÓLEO
Precisamos ter clareza: o petróleo é o alvo.
O Brasil hoje acumula mais de US$ 1 trilhão em
reservasdepetróleoapenasnopré-sal.Emmaio,
bateu recorde de produção diária de petróleo e
gás de quase 3,5 milhões de barris de petróleo
equivalente. Mesmo com todos os problemas
recentes e sofrendo toda sorte de ataques, a
Petrobras está entre as 10 maiores petrolíferas
do mundo. É patrimônio do povo brasileiro. Não
pode ser usada como instrumento de destruição
da economia e da soberania nacional.Apolítica
dedesinvestimentodaPetrobras,comaentrega
de subsidiárias, é um erro. E não apenas estra-
tégico, mas porque os valores são ridículos. O
Congresso é ignorado e as vendas são anuncia-
das sem discussão no Parlamento.Assim, ven-
deram redes de gasodutos, no Nordeste e no
Sudeste, por US$ 15 bilhões. Entregaram o con-
trole da BR Distribuidora por R$ 8,6 bilhões. E
pretendem imolar oito refinarias por US$ 20 bi-
lhões. É pouco.
Getúlio Vargas, a Petrobrás e o silêncio dos militares
Pior. Paulo Guedes já fala abertamente na
privatizaçãodaempresaeRobertoCastelloBran-
co escancara o próximo ato antes da entrega do
botim:ofimdoregimedepartilhadopré-sal.Não
é possível que o agronegócio, a indústria e os
militaresnãovejamopotencialdestrutivododes-
manche promovido na Petrobras. Fala-se pou-
co, mas é preciso ter clareza. A disputa por pe-
tróleo é o que define a geopolítica no mundo. É
por causa do petróleo e do pré-sal que Dilma
Rousseff e a Petrobras foram alvos de espiona-
gem da NSA, a agência de segurança dos Esta-
dos Unidos.
É por causa do petróleo e do pré-sal que a
Lava Jato, sob a desculpa de travar uma guerra
contra a corrupção, atacou a própria Petrobras,
induzindo-a a forjar um acordo com o Departa-
mento de Justiça americano, obrigando-a a pa-
gar R$ 2,5 bilhões para um fundo privado, além
de multa de US$ 682,5 milhões a investidores
americanos. Um escândalo.
CONSUMO E RESERVAS
Oouronegroéoquemantémgirandoaroda
daeconomiamundial.Acadaano,omundobate
recorde no consumo de petróleo. Em 2019, o
consumo vai superar a marca diária de 100 mi-
lhões de barris. E poucas nações têm reservas
para enfrentar um futuro que assegure um cami-
nho de desenvolvimento econômico e social. A
Venezuela é hoje o país com as maiores reser-
vas do mundo: 300,9 bilhões de barris. O segun-
do é aArábia Saudita, com 266,5 bilhões de bar-
ris. O Canadá está em terceiro, com 169,7 bi-
lhões de barris. O Brasil aparece na 15ª posição,
com 12,7 bilhões de barris. E nem esgotamos
as pesquisas em campos a serem descobertos
nos mares brasileiros.
Opré-saléaúltimafronteiradepetróleoaser
exploradanomundonaspróximasdécadas.Este
é o tabuleiro da guerra assimétrica que o Brasil
enfrenta.Nadamalparaquemnosanos50tinha
poucos poços de petróleo em regiões do sertão
nordestino e em Cubatão. Hoje está entre as 10
maiores produtoras do mundo.
Tal resultado não é banal. Veio com esforço,
empenho de homens e mulheres, pesquisado-
res,engenheiros,trabalhadores,patriotaseche-
fes de Estado – como Getúlio, Lula e Dilma
Rousseff.Gentecomvisãodepaíseprojetopara
o povo. Isso tudo é fruto da ação do Estado bra-
sileiro. Este mesmo Estado que Paulo Guedes e
Bolsonaro sonham em destruir de maneira
afrontosa.
PAPEL DO EXÉRCITO
O futuro que se avizinha com este governo é
sombrio. E isso ocorre, ironicamente, com o go-
verno com o maior número de autoridades
egressas das Forças Armadas e o próprio pre-
sidente da República é um capitão do Exército.
Este mesmo Exército que foi vital para tirar a
Petrobras do papel ainda nos anos 40 e
transformá-lanamaiorempresadoBrasilenuma
das mais importantes do mundo.
Vale lembrar que o sonho da Petrobras nas-
ceu dentro do Exército. Em 1938, o Estado Mai-
or das ForçasArmadas foi quem primeiro apon-
tou a necessidade de uma política para o petró-
leo,propondoomonopólioestatal.Em29deabril
de1938,GetúlioVargascriouoConselhoNacio-
nal do Petróleo, restringindo o refino de óleo a
empresas formadas por brasileiros natos. O pri-
meiropresidentedoconse-
lho foi o General Horta Bar-
bosa.Foiquandoopetróleo
jorrou no país pela primeira
vez, em 1939, em Lobato,
na Bahia. Também foi sob
aliderançadestemilitarque
foram iniciados estudos
paraarefinariadeMataripe,
também na Bahia.
O que hoje é realidade
palpável em reservas robustas de petróleo pare-
cia uma miragem há 70 anos. Em novembro de
1942, o Brasil só se convenceu de que havia
fartopetróleonopaísquandoojornalistaSamuel
Wainer,narevistaDiretrizes,entrevistouogeólogo
Glen Ruby. E este americano, responsável pela
descoberta de petróleo naTerra do Fogo, abriu o
jogo:“ExistemuitopetróleonoBrasil”.Eadvertiu:
“Só as nações que controlam sua energia po-
dem controlar seu destino”.
HISTÓRIA DE LUTA
Entre 1945 e 1953, quando Getúlio criou a
Petrobrás, foi pela ação dos militares que o so-
nho de o Brasil desenvolver uma indústria de
petróleo deixou de ser miragem e passou a ser
possível.Em1947,oClubeMilitardeflagravaum
movimento contrário a abertura do mercado de
petróleoaocapitalestrangeiro.Nosdebates,foio
General Horta quem fez a defesa fervorosa do
monopólioestatal.
Em21deabrilde1948,umatonoAutomóvel
Clube do Rio marcava a ampla rejeição dos bra-
sileiros ao projeto do Estatuto do Petróleo, que
abria o mercado. Nascia ali o Centro de Estudos
e Defesa do Petróleo.Aentidade civil reuniu mili-
tares,civis,intelectuais,estudantesetrabalhado-
res em torno da campanha do “petróleo é nos-
so”. O centro era presidido pelo General
Felicíssimo Cardoso, chamado de “General do
Petróleo”. Era tio de Fernando Henrique Cardo-
so.
Quando Getúlio Vargas iniciou seu segundo
governo, em 1951, o movimento de opinião pú-
blica tinha preparado o terreno para o projeto de
lei que viria a dar vida à Petrobrás. Entre 1951 e
1953,opaísassistiuaumintensodebatesobrea
conveniência de se criar uma empresa para ex-
plorar e refinar o petróleo. Até que, em 21 de
setembro de 1953, a Câmara aprovou o projeto.
Nascia a Petrobras, empresa de capital misto,
comcontroledaUnião.ALei2004foisancionada
por Getúlio em 3 de outubro de 1953. Seis me-
ses depois, em 10 de maio de 1954, a Petrobras
entrava em atividade. Herdava do Conselho Na-
cionaldoPetróleo,criadonosanos30peloExér-
cito, poucos campos de petróleo, com capacida-
de de produção diária de 2.700 barris, além da
refinaria de Mataripe, que processava 2,5 mil
barris por dia.
Quando Getúlio se suicidou, dali a três me-
ses, pressentia que estava em jogo o destino da
nação, cujas reservas de petróleo já eram alvo
dacobiçadeinteressesestrangeiros.Nasuacarta
dedespedida,emquedizsairdavidaparaentrar
na história, aponta: “Quis criar a liberdade nacio-
nalnapotencializaçãodasnossasriquezasatra-
vésdaPetrobras,malcomeçaestaafuncionara
onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi
obstaculadaatéodesespero.Nãoqueremqueo
trabalhador seja livre, não querem que o povo
sejaindependente”.
Nosanos70,emplenaditaduramilitar,soba
liderançadoGeneralErnestoGeisel,aPetrobras
deuoutrosalto.Alémdeprospecção,produçãoe
refino, transformou a insuficiência em superávit.
Geiselimplementouapolíticadeconteúdonacio-
nal, por meio do fortalecimento das compras in-
ternas. Com isso, milhares de empresas nacio-
nais se desenvolveram. Na administração deste
general, construiu-se mais refinarias e começou
a exploração em “águas profundas”, que resul-
tounosanos2000nadescobertadopré-salpelo
governo Lula.
SILÊNCIO DA CASERNA
A amarga ironia dos nossos tempos é que
os militares, defensores da criação da Petrobras
e que lutaram – dentro e fora do governo e do
Brasil–emdefesadosinteressesnacionais,hoje
estão calados quanto ao destino do país e da
empresa. Não se sabe o que generais pensam
da venda de ativos da Petrobras – das refinarias
aos gasodutos, passando pela distribuidora – ou
do desmanche da empresa, cuja política de pre-
çoscomparidadenodólaréumaafrontaàsobe-
rania. Nem mesmo o que pensam da venda da
Eletrobrás.
Jair Bolsonaro, que nos anos 90 era crítico à
quebra do monopólio do petróleo aprovada por
Fernando Henrique Cardoso, hoje tem o
neoliberalismocomobandeira.OcapitãodoExér-
cito é quem mantém no seu ministério um grupo
deeconomistasqueapostanoneoliberalismotar-
dio,moldadopelaEscoladeChicago,incapazde
acenar com dias melhores para o povo. O mes-
mogovernoquemantéminalteradoostatusquo,
remunerandoosmaisricos,mantendoopaíscom
a maior concentração de renda do planeta e as
maiselevadastaxasdedesigualdadeentretodas
as democracias. É triste que seja assim. Difícil
encararofatodequeoExércitodoGeneralHorta,
do General Felicíssimo e do General Geisel, de
tanto nacionalismo, esteja silente ante os
desmandoseosataquesàsoberanianacional.
A SOLUÇÃO NA CELA
Nos 65 anos da morte de Getúlio, o Brasil
pareceretrocedernotempo.Nestedia24deagos-
to,omaisnotóriosucessoreherdeirodeGetúlio,
o metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva, hoje o
mais influente político brasileiro no mundo, está
preso injustamente, condenado sem provas e
em um processo que, sabe-se agora, por conta
do The Intercept Brasil, repleto de ilegalidades,
vícios e fraudes. Daí que é preciso denunciar os
ataquesàsoberaniaedizerqueasoluçãoparao
país está numa cela. Lula está preso, mas não
estámorto.
Em setembro, o país assistirá a um grande
ato em defesa da soberania nacional, como em
outros momentos da nossa história, quando os
democratas estarão mais uma vez reunidos. Lí-
derespolíticos,partidos,parlamentares,estudan-
tes, trabalhadores, militantes sociais e represen-
tantesdeentidadesdasociedadecivilvãolançar
a Frente em Defesa da Soberania Nacional.
Alutacontraosdesmandosnosobrigaanos
mantermos alertas e firmes. Não percamos a
esperança.
Viva Getúlio Vargas! Viva Lula! Viva o povo
brasileiro!
5
FARÓIS DO SABER E INOVAÇÃO, CURITIBA
GANHA O PRÊMIO INOVACIDADE 2019
Os Faróis do Saber e Inovação, es-
paços maker para criação de protóti-
pos, com impressora 3D, deram a
Curitiba o prêmio InovaCidade 2019,
queseráentreguenapróximasegunda-
feira (22/7), em São Paulo, durante o
Smart City Business Brazil Congress
&Expo.
O evento é promovido pelo Institu-
to Smart City Business America que
premia projetos e práticas inovadoras
comimpactospositivosnamelhoriade
vida das cidades.
De acordo com Cris Alessi, presi-
dente daAgência Curitiba, a proposta
dosFaróisestáalinhadaaoconceitodo
Vale do Pinhão, movimento do
ecossistema de inovação da cidade, e
tambématendênciasnacionaiseinter-
nacionais de tecnologia educacional,
comfoconaaprendizagemcriativa.
Em sua 7ª edição, o prêmio
InovaCidade recebeu 53 inscrições.
Desse total, recebem o prêmio 20 pro-
jetos que são reconhecidos por gerar
impactospositivosmensuráveisereco-
nhecidos pela sociedade.
Os Faróis do Saber e Inovação, es-
paços maker para criação de protóti-
pos, com impressora 3D, deram a
Curitiba o prêmio InovaCidade 2019.
Evento - O Smart City Business
Brazil Congress & Expo, que
ocorre entre 22 e 24 de julho, é um
evento que reúne todo ecossistema de
cidades inteli-
gentes,reunindo
líderes do setor
público,especi-
alistaseminici-
ativas inovado-
ras e
transformadoras,
empresários,
empreendedo-
res, represen-
tantesdegover-
nos e agências,
possibilitandoa
troca de experiências,
compartilhamentodeideias,soluçõese
casos de sucesso.
Faróis - Os Faróis do Saber, cria-
dos originalmente em 1994 com o ob-
jetivo de descentralizar o acesso às bi-
bliotecas públicas e lan houses, incor-
poraram a partir de 2017 o conceito
deinovaçãotecnológica.
Em sua nova versão, foram trans-
formados em espaços maker, onde é
aplicada a metodologia do Design
Thinking.
Os Faróis do Saber e Inovação, es-
paços maker para criação de protóti-
pos, com impressora 3D, deram a
Curitiba o prêmio InovaCidade 2019.
Foto: Daniel Castellano / SMCS
“Os Faróis do Saber e Inovação são
locais de descoberta, exploração e
empoderamentodosestudantesdarede
pública de Educação. É a inovação
tecnológicaaoalcancedosalunos”,diz
CrisAlessi.
Dezenove unidades já foram entre-
gues neste novo modelo. Até o final
deste ano, a cidade contará com 33
Faróis de Inovação.
“São verdadeiras oficinas de
criatividade que trazem reflexões e so-
luções para o dia a dia. São essas cri-
anças que vão fazer a Curitiba do futu-
ro”,comentouasecretáriamunicipalda
Educação,MariaSílviaBacila.
Foto:PedroRibas/SMCS
6
7
Prefeito Rafael Greca assina convênio
para manter tarifa a R$ 4,50 até 2020
O prefeito Rafael Greca e o gover-
nadoremexercícioDarciPianaassina-
ram nesta sexta-feira, no Palácio 29 de
Março, o convênio que formaliza o re-
passe de R$ 90 milhões para a Rede
Integrada de Transporte (RIT) de
Curitiba e Região Metropolitana. Do
total, R$ 50 milhões foram aportados
pelo Município e os outros R$ 40 mi-
lhões pelo Estado.
Oconvêniocelebradopermiteama-
nutenção do valor da tarifa em de R$
4,50, durante o período tarifário 2019-
2020.Atarifa permanecerá neste pre-
ço até no mínimo fevereiro de 2020.
Para garantir esse patamar tarifário, os
recursos serão injetados no Fundo de
UrbanizaçãodeCuritiba(FUC)atítulo
desubsídio.
Além disso, a parceria também re-
presenta a ampliação da integração do
transporte metropolitano, com a linha
Tupy (Jardim Tupy, em Araucária) -
Terminal Pinheirinho, a ligação por
canaleta entre oTerminal Boqueirão e
a cidade de São José dos Pinhais e a
integração entre Pinhais e o Terminal
Centenário.
Para o prefeito Rafael Greca, o
convênio traz mais qualidade de vida
para todo o povo trabalhador, que
vai e volta da capital para as cida-
des vizinhas.
“Todasaspessoasquevivememtor-
no de Curitiba, querem a integração
metropolitana e eu também quero. A
grande cidade de Curitiba é uma só”,
disse Greca.
Greca também fez questão de lem-
brar que o convênio celebrado com o
governoestadualpermitiráaimplanta-
ção de novas faixas exclusivas para
ônibus.“Cadacanaletaexclusivasignifi-
ca uma economia de tempo de até uma
hora. Isso permite que as pessoas che-
guemmaiscedoemcasadepoisdotra-
balhooucheguemmaisrápidonotraba-
lhotodasasmanhãs”,apontou.
O governador em exercício ava-
liou que o convênio é uma represen-
tação do relacionamento estreito en-
tre Prefeitura de Curitiba e
Governo do Paraná. “O
governo do Estado não
poderia ficar de fora de um
projeto dessa envergadu-
ra, que beneficia milhares
de pessoas por dia”, disse
Darci Piana.
“Aparceriaatendepesso-
asquetêmquetransitarpara
trabalhar,estudar,passear,ir
ao hospital para cuidar da
saúde, e não podem pagar
mais caro pelo transporte”,
completouogovernadorem
exercício.
De acordo com o presi-
dente da Urbanização de
Curitiba S.A. (Urbs), em-
presa responsável pela ges-
tão do sistema de transpor-
te coletivo da cidade,
Ogeny Pedro Maia Neto,
o aumento dos custos do
transporte – combustível, lubrifican-
tes, pneus, salários de motoristas, co-
bradores e colaboradores administra-
tivos – pressiona o preço da tarifa.
“Por este motivo, a Prefeitura de
Curitiba e o Governo do Estado ce-
lebraramoconvênio,paragarantirque
o preço da passagem não suba neste
momento”, avaliou.
O convênio celebrado permite a manutenção do valor da tarifa em de R$ 4,50, durante o período tarifário 2019-2020
Prefeito Rafael Greca, com o governador em exercício Darci Piana, o presidente da Urbs,
Ogeny Pedro Maia Neto, o secretário de Desenvolvimento Urbano, João Carlos
Ortega e o presidente da Comec, Gilson de Jesus dos Santos, assina convênio
para subsídio da tarifa do sistema de transporte. Foto: Pedro Ribas/SMCS
A 8ª Câmara Cível do Tribunal
de Justiça do Paraná (TJPR)
condenou na semana passada o
Supermercado Condor a
indenizar um cliente que, por duas
vezes, escorregou e caiu no chão
do estabelecimento durante as
compras. O caso ocorreu em
agosto de 2017, na cidade de
Londrina, no interior do Estado.
O autor da ação – pessoa com
uma deficiência que limita os
movimentos da perna esquerda –
sofreu as quedas em um local
molhado que passava por limpeza.
Segundo o cliente, as placas
capazes de indicar o perigo aos
consumidores que circulavam
pelo lugar não foram utilizadas
Supermercado Condor condenado a indenizar cliente
pelos funcionários do mercado. Em
decorrência dos acidentes, o homem
foi diagnosticado com uma luxação
no joelho direito e precisou ficar
em repouso absoluto por quatro
dias. Devido ao constrangimento,
ele procurou a Justiça e pediu mais
de R$ 70 mil de compensação a
título de danos morais.
Em 1º grau, o pedido de
indenização foi negado, pois o
magistrado considerou que o
cliente não provou a ausência de
sinalização de “piso molhado” ou
“piso escorregadio”. O autor
recorreu ao TJPR e pediu a reforma
da sentença.
Negligência
Ao apreciar o caso, a 8ª Câmara
Cível do TJPR, por unanimidade,
condenou o supermercado a pagar
R$ 7 mil de indenização ao cliente
– o valor inicialmente pleiteado foi
considerado excessivo diante das
circunstâncias. “Uma queda em
local público, por si só, já é uma
situação vexatória, ainda mais
quando ocorre por negligência do
estabelecimento na limpeza do
local, o que configura o dever de
indenizar o dano moral suportado
pelo consumidor, pelo que o valor
referido respeitará as condições
econômicas das partes envolvidas,
as condições pessoais do ofendido,
a gravidade da lesão, a repercussão
do dano e a culpa do agente”,
destacou a decisão.
Além disso, o Desembargador
Relator observou que o
estabelecimento (não o cliente)
deveria ter comprovado a correta
sinalização do local de limpeza.
O acórdão salientou que o
supermercado “não logrou êxito
satisfatório em comprovar a
colocação das placas de
advertência quanto ao piso
molhado, sendo que facilmente
teria confirmado tal tese com
vídeos das câmeras de segurança,
por exemplo, ou o depoimento de
outros clientes do
estabelecimento, o que não o fez,
deixando de cumprir com o ônus
que lhe fora atribuído em razão da
inversão do ônus probatório”.
8
O Programa Leite das Cri-
anças, em Curitiba, foi lança-
do oficialmente no dia 15 de
julho de 2004, na Ceasa, com
aproximadamente 1.200 famí-
lias, num grande mutirão.
Inicialmente,o programa con-
tava com 27 escolas/colégios.
Hoje, Curitiba conta com 84
pontos de distribuição e 8 pon-
tos de redistribuição ( entida-
des parceiras ) mais a Ceasa.
Recebem o benefício, hoje, em
Curitiba, 5.241 famílias. No to-
tal, desde a implantação, mais
PROGRAMA LEITE DAS CRIANÇAS
DO GOVERNO DO ESTADO
COMPLETOU 15 ANOS EM CURITIBA
de 70.000 famílias já recebe-
ram o benefício, que é entre-
gue três vezes por semana nas
escolas/colégios estaduais.
As Secretarias parceiras,
Seed, Sejuf, Seab e Sesa,
são responsáveis pelo suces-
so do programa em todo o
estado. Graças ao empenho
das Comissões Municipais,
formadas por um Represen-
tante do Estado, da Prefeitu-
ra e da Sociedade Civil, o pro-
grama é um sucesso, com óti-
ma parceria entre as direções
das escolas/colégios e entida-
des que se associam às Se-
cretarias para levar saúde e
dignidade a centenas de fa-
mílias carentes da periferia da
capital.
Segundo o Coordenador do
PLC pelo NRE de Curitiba,
prof.Paulo José Leonart, que
completou 15 anos de traba-
lho junto com o programa, o
PLC veio para ficar, devido
ao sucesso, seriedade e com-
prometimento dos órgãos
competentes e da Sociedade
Civil Organizada e está rece-
bendo todo apoio do atual go-
verno, que não está medindo
esforços para implementar
mudanças e melhorias no pro-
grama, facilitando o atendi-
mento às mães e diminuindo
a burocracia no sistema.
Destaque-se, também, o
comprometimento das dire-
ções das escolas/colégios
que assumiram o programa
como uma forma de contribuir
com o estado na diminuição
da pobreza.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2019

INFORMAÇÃO COMPLETA 97 - JUNHO 2014
INFORMAÇÃO COMPLETA 97 - JUNHO 2014INFORMAÇÃO COMPLETA 97 - JUNHO 2014
INFORMAÇÃO COMPLETA 97 - JUNHO 2014
Pery Salgado
 
448 an 09_outubro_2013.ok
448 an 09_outubro_2013.ok448 an 09_outubro_2013.ok
448 an 09_outubro_2013.ok
Roberto Rabat Chame
 
Guaianas 065
Guaianas 065Guaianas 065
Guaianas 065
Divaldo Rosa
 
Guaianas 065
Guaianas 065Guaianas 065
Guaianas 065
grupoacontece
 
Jornal zoada bonita abril 2013
Jornal zoada bonita abril 2013 Jornal zoada bonita abril 2013
Jornal zoada bonita abril 2013
paulo maia
 
EDIÇÃO 334
EDIÇÃO 334EDIÇÃO 334
EDIÇÃO 334
Afonso Pena
 
JORNAL ATUAL 28/08/2014
JORNAL ATUAL 28/08/2014JORNAL ATUAL 28/08/2014
JORNAL ATUAL 28/08/2014
PortalCocal
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA AGOSTO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA AGOSTO 2015GAZETA DO SANTA CÂNDIDA AGOSTO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA AGOSTO 2015
Adilson Moreira
 
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
Pery Salgado
 
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
Pery Salgado
 
Jornal do sertão Edição 99 Maio 2014
Jornal do sertão Edição 99 Maio 2014 Jornal do sertão Edição 99 Maio 2014
Jornal do sertão Edição 99 Maio 2014
JORNAL DO SERTÃO Enes
 
511 an 17_fevereiro_2015.ok
511 an 17_fevereiro_2015.ok511 an 17_fevereiro_2015.ok
511 an 17_fevereiro_2015.ok
Roberto Rabat Chame
 
Direito a terra
Direito  a terraDireito  a terra
Direito a terra
tyromello
 
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1100 que circula no dia 08...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1100 que circula no dia 08...Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1100 que circula no dia 08...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1100 que circula no dia 08...
JornalACidade
 
Jornal Atual ed. 130
Jornal Atual ed. 130Jornal Atual ed. 130
Jornal Atual ed. 130
Chicos Cataletras
 
Boletim13
Boletim13Boletim13
Boletim13
largodapaz
 
Até quando a população terá que conviver com isso?...
Até quando a população terá que conviver com isso?...Até quando a população terá que conviver com isso?...
Até quando a população terá que conviver com isso?...
winston_blog1
 
Revista cachoeiro rc73
Revista cachoeiro rc73Revista cachoeiro rc73
Revista cachoeiro rc73
Frédéric Decatoire
 
3 ano artes campo grande
 3 ano artes campo grande 3 ano artes campo grande
3 ano artes campo grande
Marines Adiers Alves Pereira
 
GAZETA POPULAR, DEZEMBRO 2022
GAZETA POPULAR, DEZEMBRO 2022GAZETA POPULAR, DEZEMBRO 2022
GAZETA POPULAR, DEZEMBRO 2022
Gazeta Santa Cândida
 

Semelhante a GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2019 (20)

INFORMAÇÃO COMPLETA 97 - JUNHO 2014
INFORMAÇÃO COMPLETA 97 - JUNHO 2014INFORMAÇÃO COMPLETA 97 - JUNHO 2014
INFORMAÇÃO COMPLETA 97 - JUNHO 2014
 
448 an 09_outubro_2013.ok
448 an 09_outubro_2013.ok448 an 09_outubro_2013.ok
448 an 09_outubro_2013.ok
 
Guaianas 065
Guaianas 065Guaianas 065
Guaianas 065
 
Guaianas 065
Guaianas 065Guaianas 065
Guaianas 065
 
Jornal zoada bonita abril 2013
Jornal zoada bonita abril 2013 Jornal zoada bonita abril 2013
Jornal zoada bonita abril 2013
 
EDIÇÃO 334
EDIÇÃO 334EDIÇÃO 334
EDIÇÃO 334
 
JORNAL ATUAL 28/08/2014
JORNAL ATUAL 28/08/2014JORNAL ATUAL 28/08/2014
JORNAL ATUAL 28/08/2014
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA AGOSTO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA AGOSTO 2015GAZETA DO SANTA CÂNDIDA AGOSTO 2015
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA AGOSTO 2015
 
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
 
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
CULTURARTEEN 151 - setembro 2015
 
Jornal do sertão Edição 99 Maio 2014
Jornal do sertão Edição 99 Maio 2014 Jornal do sertão Edição 99 Maio 2014
Jornal do sertão Edição 99 Maio 2014
 
511 an 17_fevereiro_2015.ok
511 an 17_fevereiro_2015.ok511 an 17_fevereiro_2015.ok
511 an 17_fevereiro_2015.ok
 
Direito a terra
Direito  a terraDireito  a terra
Direito a terra
 
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1100 que circula no dia 08...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1100 que circula no dia 08...Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1100 que circula no dia 08...
Jornal A Cidade Edição Digital Completa. Edição n. 1100 que circula no dia 08...
 
Jornal Atual ed. 130
Jornal Atual ed. 130Jornal Atual ed. 130
Jornal Atual ed. 130
 
Boletim13
Boletim13Boletim13
Boletim13
 
Até quando a população terá que conviver com isso?...
Até quando a população terá que conviver com isso?...Até quando a população terá que conviver com isso?...
Até quando a população terá que conviver com isso?...
 
Revista cachoeiro rc73
Revista cachoeiro rc73Revista cachoeiro rc73
Revista cachoeiro rc73
 
3 ano artes campo grande
 3 ano artes campo grande 3 ano artes campo grande
3 ano artes campo grande
 
GAZETA POPULAR, DEZEMBRO 2022
GAZETA POPULAR, DEZEMBRO 2022GAZETA POPULAR, DEZEMBRO 2022
GAZETA POPULAR, DEZEMBRO 2022
 

Mais de Adilson Moreira

GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023
GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023
GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020
Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020
Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019
Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019
Adilson Moreira
 
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
Adilson Moreira
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JANEIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JANEIRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JANEIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JANEIRO 2019
Adilson Moreira
 

Mais de Adilson Moreira (20)

GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023
GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023
GAZETA DO SANTA CANDIDA, ABRIL DE 2023
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA FEVEREIRO 2023
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, SETEMBRO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MAIO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, MARÇO 2021
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, EDIÇÃO DEZEMBRO 2020
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, ABRIL 2020
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2020
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, NOVEMBRO DE 2019
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, OUTUBRO 2019
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, AGOSTO 2019
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JUNHO 2019
 
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019
GAZETA SANTA CÂNDIDA, MAIO 2019
 
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019
GAZETA SANTA CANDIDA, ABRIL 2019
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, FEVEREIRO 2019
 
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JANEIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JANEIRO 2019GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JANEIRO 2019
GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JANEIRO 2019
 

GAZETA DO SANTA CÂNDIDA, JULHO 2019

  • 1. Foto: Lucilia Guimarães/SMCS Julho de 2019 - Edição 211 - Curitiba Curitiba ganha prêmio com Faróis do Saber e Inovação Página 5 RRRRRUUUUUAS DE TRANSAS DE TRANSAS DE TRANSAS DE TRANSAS DE TRANSTTTTTORNOS RECEBEM PORNOS RECEBEM PORNOS RECEBEM PORNOS RECEBEM PORNOS RECEBEM PAAAAAVIMENTVIMENTVIMENTVIMENTVIMENTAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃOAÇÃO DE ASFDE ASFDE ASFDE ASFDE ASFALALALALALTTTTTO NO BAIRRO NO BAIRRO NO BAIRRO NO BAIRRO NO BAIRRO SANTO SANTO SANTO SANTO SANTA CÂNDIDA CÂNDIDA CÂNDIDA CÂNDIDA CÂNDIDAAAAA Página 2 GeGeGeGeGetúlio Vtúlio Vtúlio Vtúlio Vtúlio Vargas,argas,argas,argas,argas, a Petrobrása Petrobrása Petrobrása Petrobrása Petrobrás e o silêncioe o silêncioe o silêncioe o silêncioe o silêncio dos militaresdos militaresdos militaresdos militaresdos militares Página 4
  • 2. 2 Diretor: Adilson da Costa Moreira - Fones 99894.1462 e 3328-0176 CNPJ 12.698.306/0001-42 - Empresa: Adilson da Costa Moreira Dep. comercial: Sharon Simão Zunino - Rua Guilherme Ihlenfelt, 765 - Tingui - Curitiba E-mail: gazetasantacandida@gmail.com Tiragem: 10.000 exemplares www.gazetasantacandida.blogspot.com Colaborador: José Cândido As matérias assinadas não refletem necessariamente a opinião do jornal. EXPEDIENTE Tel: 3357-3601, Celular 8462-3354 - 99105354 Rua Ilda C. Manasczuk, 444 Jardim Aliança - Santa Cândida -Curitiba Contador: Sandro da Silva Constituição e Encerramento de Empresas - Imposto de Renda Assessoria Contábil, Empresarial, Financeira, RH Maistranquilidadeaosmoradoresda Rua Vera Lúcia Vieira Bartenick, no SantaCândida.Aruademacadameque causava aborrecimentos em obras para o pavimento de asfalto nos 97 metros do trecho entre as ruas Hildo da Paz e DoutorÁlvaroTeixeiraPinto. Na manhã desta terça-feira, o pre- feitoRafaelGrecavistoriouasobrasde pavimentação e drenagem da rua do bairro da Regional BoaVista. “Dá tra- balhofazerasfaltonaruadesaibro.Tem que fazer os bueiros, a base bem firme, colocar o meio-fio e daí então lançar o pavimento. É o trabalho que vamos re- petiremmaisruasdesaibrodeCuritiba”, disse Greca. Há 30 anos morando na Rua Vera Lúcia Vieira Bartenick, o autônomo Edson Fernandes Gomes estava con- tente com o resultado de sua luta de anos.“Valeuapenainsistirnareivindi- cação e agora chegou a hora de mudar de vida. Será o fim da poeira que pre- judica nossa saúde e suja as nossas ca- sas”,apontouGomes,aocitarquemui- tos motoristas usam a rua de sua casa para desviar do trânsito na Rua Theodoro Makiolka. O microempresárioAnderson Luiz Mirandacontaque,emtodosos25anos em que mora na RuaVera LúciaVieira Bartenick, sempre sofreu com as con- RUAS DE TRANSTORNOS RECEBEM PAVIMENTAÇÃO DE ASFALTO NO BAIRRO SANTA CÂNDIDA Prefeito Rafael Greca, vistoria as obras de pavimentação na rua Vera Lúcia Vieira Bartenick, no Santa Cândida. Foto: Pedro Ribas/SMCS dições da via em qualquer tempo. “Quando chove, é a lama. Quando tem sol, é a poeira.Aobra de coloca- ção do asfalto representa melhoria to- tal. Vida nova, com mais qualidade”, disseMiranda. Outras duas ruas de saibro da Re- gional BoaVista ganharão novo pavi- mentoasfáltico.ARuaCoronelDomin- gosSoares(BairroAlto),apartirdocru- zamento com a Rua Marquês de Abrantes até se transformar na Rua Arno Feliciano de Castilho; e a Rua Paulino Franco de Carvalho (Santa Cândida), da esquina com a Rua Jair doNascimentoCésaratéofinaldavia. No total, 535 metros das três ruas terão obras. Avistoriafoiacompanhadapelove- reador Jairo Marcelino.
  • 3. 3 OS MELHORES JORNAIS DE BAIRROS ESTÃOAQUI998999899989998999894.4.4.4.4.11111462462462462462 Telefones 3357-9272 e 99740-0669 MOACIR RADIADORES A aposentada Rosa Grozecki Lesiniakoski, de 99 anos, morado- ra do bairro Boa Vista, prepara comemoração de cem anos com produtos doArmazém da Família. Curitiba, 03/06/2019. Foto: Levy Ferreira/SMCS A aposentada Rosa Grozecki Lesiniakoski, de 99 anos, morado- ra do bairro Boa Vista, começou a abastecer a despensa de casa com gêneros alimentícios cuida- dosamente selecionados no Ar- mazém da Família Boa Vista. São ingredientes para preparar pratos e quitutes que agradam os filhos, netos e bisnetos, pois a família vai se reunir no início de agosto para a comemoração dos 100 anos de dona Rosa. Os parentes virão de cidades do interior de São Paulo, de Brasília, dos Estados Unidos, do Canadá e da Finlândia para fes- tejar o centenário da matriarca. Nascida em 5 de agosto de 1919, a neta de imigrantes polo- neses e filha de agricultores é a prova viva de que idade não é li- mite para nada. Com organização e planejamento é ela quem prepa- ra com capricho as receitas que encantam gerações da família e os amigos. Da elaboração dos cardápios DONA ROSA DO BAIRRO BOA VISTA PREPARA FESTA DE 100 ANOS COM PRODUTOS DO ARMAZÉM DA FAMÍLIA às compras, tudo é feito pela se- nhora que esbanja disposição e serenidade. Célia, a filha de 70 anos, vai junto às compras para dirigir o carro e acompanhar a mãe na tarefa, mas nem mesmo uma lista é preciso levar. Dona Rosa se orgulha por ter tudo regis- trado na memória o que precisa para cozinhar. “Ceroula virada” O cardápio para os dias de co- memoração inclui pierogi, broas integrais, bolos e a famosa “ceroula virada” – uma das gulo- seimas predileta dos netos. Os produtos para as receitas já foram comprados com custo em média 30% mais barato que no varejo, no Armazém da Família Boa Vista. Armazém da Família chega aos 30 anos beneficiando 260 mil fa- mílias Curitiba APP agora cadastra consumidores para comprar no Armazém da Família É lá que dona Rosa faz mensal- mente as suas compras, desde 1997, quando a unidade foi inau- gurada. “Eu já economizei muito com- prando aqui e hoje em dia nem pesquiso mais os preços, sei que aqui é sempre mais barato”, con- ta dona Rosa. Carrinho cheio Além do preço, qualidade e va- riedade são outras vantagens des- tacadas pela aposentada. “Dá para encher o carrinho e sempre com produtos de primeira”, afirma. O que poupa com os alimentos, a aposentada usa para comprar re- médios e viajar para visitar a fa- mília. “Para viver bem é preciso ter uma boa alimentação, dormir bem e ter boa cabeça”, declara a futu- ra aniversariante. Sobre o futuro, o desejo de dona Rosa é seguir com qualida- de de vida, preparando refeições que reúnam a família. “Quero viver mais quanto for possível, seja cin- co, dez ou 20 anos”, conclui.
  • 4. 4 O senador Jean Paul Prates (PT-RN), vice- presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Petrobrás, escreve sobre os 65 anos do suicídio deGetúlioVargas,completadosnestesábado(24) sua importância para o país, e o ataque atual à empresa petrolífera do coração do povo brasilei- ro. "Nos 65 anos da morte de Getúlio, o Brasil pareceretrocedernotempo.Nestedia24deagos- to,omaisnotóriosucessoreherdeirodeGetúlio, o metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva, hoje o mais influente político brasileiro no mundo, está presoinjustamente". Brasil 247 - No próximo mês, no dia 24, o Brasil relembra os 65 anos da morte de Getúlio Vargas.OpresidentedaRepúblicamaisinfluente e popular do Brasil no século 20 tirou a vida na madrugada de 24 de agosto de 1954. O gesto dramático–umtironopeito–foioúltimoesforço para barrar a sanha golpista que varria o Brasil naquele período. Sua morte mudou o curso da históriadopaís,adiouogolpeporquase10anos ealterouradicalmenteacenapolíticabrasileira. Não há paralelo para a importância de Getú- lio Vargas na história do país. Foi ele quem criou o moderno Estado brasileiro, ao fundar a Petrobrás e a Eletrobrás, criar a Companhia Si- derúrgica Nacional e estabelecer um marco le- galparaarelaçãoentrecapitaletrabalho.Foiele quem criou as bases do Brasil democrático, mesmo tendo sido um ditador na década de 30. O ideário de Vargas, de tornar o Brasil uma nação moderna, com justiça social e oportunida- deparatodos,parecedistante.Asensaçãoéagra- vada pelos retrocessos do presente. O presi- denteJairBolsonaroéresponsávelporestepre- sentefeio,disruptivo,intimidador,antidemocrático e entreguista. O presente das queimadas, do desmatamento,dafomenascidadesedaviolên- cia nas ruas. O presente das privatizações e da entrega do patrimônio público. O Brasil assiste, atônito,aumgovernocujoúnicopropósitoédes- truiradébilpolíticadebem-estarsocial,desenha- da pela Carta de 1988 e golpeada em 2016 pelo impeachmentfraudulentodeDilmaRousseff. Bolsonaro quer entregar nossas riquezas e se colocar na posição subalterna ante os Esta- dos Unidos. Faz um governo para atacar a so- berania, ignora o sofrimento do povo e arranca do orçamento qualquer investimento em saúde, educação e cultura. Em nome do mercado, pro- mete entregar empresas como a Eletrobrás e a Petrobrás. ALVO É O PETRÓLEO Precisamos ter clareza: o petróleo é o alvo. O Brasil hoje acumula mais de US$ 1 trilhão em reservasdepetróleoapenasnopré-sal.Emmaio, bateu recorde de produção diária de petróleo e gás de quase 3,5 milhões de barris de petróleo equivalente. Mesmo com todos os problemas recentes e sofrendo toda sorte de ataques, a Petrobras está entre as 10 maiores petrolíferas do mundo. É patrimônio do povo brasileiro. Não pode ser usada como instrumento de destruição da economia e da soberania nacional.Apolítica dedesinvestimentodaPetrobras,comaentrega de subsidiárias, é um erro. E não apenas estra- tégico, mas porque os valores são ridículos. O Congresso é ignorado e as vendas são anuncia- das sem discussão no Parlamento.Assim, ven- deram redes de gasodutos, no Nordeste e no Sudeste, por US$ 15 bilhões. Entregaram o con- trole da BR Distribuidora por R$ 8,6 bilhões. E pretendem imolar oito refinarias por US$ 20 bi- lhões. É pouco. Getúlio Vargas, a Petrobrás e o silêncio dos militares Pior. Paulo Guedes já fala abertamente na privatizaçãodaempresaeRobertoCastelloBran- co escancara o próximo ato antes da entrega do botim:ofimdoregimedepartilhadopré-sal.Não é possível que o agronegócio, a indústria e os militaresnãovejamopotencialdestrutivododes- manche promovido na Petrobras. Fala-se pou- co, mas é preciso ter clareza. A disputa por pe- tróleo é o que define a geopolítica no mundo. É por causa do petróleo e do pré-sal que Dilma Rousseff e a Petrobras foram alvos de espiona- gem da NSA, a agência de segurança dos Esta- dos Unidos. É por causa do petróleo e do pré-sal que a Lava Jato, sob a desculpa de travar uma guerra contra a corrupção, atacou a própria Petrobras, induzindo-a a forjar um acordo com o Departa- mento de Justiça americano, obrigando-a a pa- gar R$ 2,5 bilhões para um fundo privado, além de multa de US$ 682,5 milhões a investidores americanos. Um escândalo. CONSUMO E RESERVAS Oouronegroéoquemantémgirandoaroda daeconomiamundial.Acadaano,omundobate recorde no consumo de petróleo. Em 2019, o consumo vai superar a marca diária de 100 mi- lhões de barris. E poucas nações têm reservas para enfrentar um futuro que assegure um cami- nho de desenvolvimento econômico e social. A Venezuela é hoje o país com as maiores reser- vas do mundo: 300,9 bilhões de barris. O segun- do é aArábia Saudita, com 266,5 bilhões de bar- ris. O Canadá está em terceiro, com 169,7 bi- lhões de barris. O Brasil aparece na 15ª posição, com 12,7 bilhões de barris. E nem esgotamos as pesquisas em campos a serem descobertos nos mares brasileiros. Opré-saléaúltimafronteiradepetróleoaser exploradanomundonaspróximasdécadas.Este é o tabuleiro da guerra assimétrica que o Brasil enfrenta.Nadamalparaquemnosanos50tinha poucos poços de petróleo em regiões do sertão nordestino e em Cubatão. Hoje está entre as 10 maiores produtoras do mundo. Tal resultado não é banal. Veio com esforço, empenho de homens e mulheres, pesquisado- res,engenheiros,trabalhadores,patriotaseche- fes de Estado – como Getúlio, Lula e Dilma Rousseff.Gentecomvisãodepaíseprojetopara o povo. Isso tudo é fruto da ação do Estado bra- sileiro. Este mesmo Estado que Paulo Guedes e Bolsonaro sonham em destruir de maneira afrontosa. PAPEL DO EXÉRCITO O futuro que se avizinha com este governo é sombrio. E isso ocorre, ironicamente, com o go- verno com o maior número de autoridades egressas das Forças Armadas e o próprio pre- sidente da República é um capitão do Exército. Este mesmo Exército que foi vital para tirar a Petrobras do papel ainda nos anos 40 e transformá-lanamaiorempresadoBrasilenuma das mais importantes do mundo. Vale lembrar que o sonho da Petrobras nas- ceu dentro do Exército. Em 1938, o Estado Mai- or das ForçasArmadas foi quem primeiro apon- tou a necessidade de uma política para o petró- leo,propondoomonopólioestatal.Em29deabril de1938,GetúlioVargascriouoConselhoNacio- nal do Petróleo, restringindo o refino de óleo a empresas formadas por brasileiros natos. O pri- meiropresidentedoconse- lho foi o General Horta Bar- bosa.Foiquandoopetróleo jorrou no país pela primeira vez, em 1939, em Lobato, na Bahia. Também foi sob aliderançadestemilitarque foram iniciados estudos paraarefinariadeMataripe, também na Bahia. O que hoje é realidade palpável em reservas robustas de petróleo pare- cia uma miragem há 70 anos. Em novembro de 1942, o Brasil só se convenceu de que havia fartopetróleonopaísquandoojornalistaSamuel Wainer,narevistaDiretrizes,entrevistouogeólogo Glen Ruby. E este americano, responsável pela descoberta de petróleo naTerra do Fogo, abriu o jogo:“ExistemuitopetróleonoBrasil”.Eadvertiu: “Só as nações que controlam sua energia po- dem controlar seu destino”. HISTÓRIA DE LUTA Entre 1945 e 1953, quando Getúlio criou a Petrobrás, foi pela ação dos militares que o so- nho de o Brasil desenvolver uma indústria de petróleo deixou de ser miragem e passou a ser possível.Em1947,oClubeMilitardeflagravaum movimento contrário a abertura do mercado de petróleoaocapitalestrangeiro.Nosdebates,foio General Horta quem fez a defesa fervorosa do monopólioestatal. Em21deabrilde1948,umatonoAutomóvel Clube do Rio marcava a ampla rejeição dos bra- sileiros ao projeto do Estatuto do Petróleo, que abria o mercado. Nascia ali o Centro de Estudos e Defesa do Petróleo.Aentidade civil reuniu mili- tares,civis,intelectuais,estudantesetrabalhado- res em torno da campanha do “petróleo é nos- so”. O centro era presidido pelo General Felicíssimo Cardoso, chamado de “General do Petróleo”. Era tio de Fernando Henrique Cardo- so. Quando Getúlio Vargas iniciou seu segundo governo, em 1951, o movimento de opinião pú- blica tinha preparado o terreno para o projeto de lei que viria a dar vida à Petrobrás. Entre 1951 e 1953,opaísassistiuaumintensodebatesobrea conveniência de se criar uma empresa para ex- plorar e refinar o petróleo. Até que, em 21 de setembro de 1953, a Câmara aprovou o projeto. Nascia a Petrobras, empresa de capital misto, comcontroledaUnião.ALei2004foisancionada por Getúlio em 3 de outubro de 1953. Seis me- ses depois, em 10 de maio de 1954, a Petrobras entrava em atividade. Herdava do Conselho Na- cionaldoPetróleo,criadonosanos30peloExér- cito, poucos campos de petróleo, com capacida- de de produção diária de 2.700 barris, além da refinaria de Mataripe, que processava 2,5 mil barris por dia. Quando Getúlio se suicidou, dali a três me- ses, pressentia que estava em jogo o destino da nação, cujas reservas de petróleo já eram alvo dacobiçadeinteressesestrangeiros.Nasuacarta dedespedida,emquedizsairdavidaparaentrar na história, aponta: “Quis criar a liberdade nacio- nalnapotencializaçãodasnossasriquezasatra- vésdaPetrobras,malcomeçaestaafuncionara onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculadaatéodesespero.Nãoqueremqueo trabalhador seja livre, não querem que o povo sejaindependente”. Nosanos70,emplenaditaduramilitar,soba liderançadoGeneralErnestoGeisel,aPetrobras deuoutrosalto.Alémdeprospecção,produçãoe refino, transformou a insuficiência em superávit. Geiselimplementouapolíticadeconteúdonacio- nal, por meio do fortalecimento das compras in- ternas. Com isso, milhares de empresas nacio- nais se desenvolveram. Na administração deste general, construiu-se mais refinarias e começou a exploração em “águas profundas”, que resul- tounosanos2000nadescobertadopré-salpelo governo Lula. SILÊNCIO DA CASERNA A amarga ironia dos nossos tempos é que os militares, defensores da criação da Petrobras e que lutaram – dentro e fora do governo e do Brasil–emdefesadosinteressesnacionais,hoje estão calados quanto ao destino do país e da empresa. Não se sabe o que generais pensam da venda de ativos da Petrobras – das refinarias aos gasodutos, passando pela distribuidora – ou do desmanche da empresa, cuja política de pre- çoscomparidadenodólaréumaafrontaàsobe- rania. Nem mesmo o que pensam da venda da Eletrobrás. Jair Bolsonaro, que nos anos 90 era crítico à quebra do monopólio do petróleo aprovada por Fernando Henrique Cardoso, hoje tem o neoliberalismocomobandeira.OcapitãodoExér- cito é quem mantém no seu ministério um grupo deeconomistasqueapostanoneoliberalismotar- dio,moldadopelaEscoladeChicago,incapazde acenar com dias melhores para o povo. O mes- mogovernoquemantéminalteradoostatusquo, remunerandoosmaisricos,mantendoopaíscom a maior concentração de renda do planeta e as maiselevadastaxasdedesigualdadeentretodas as democracias. É triste que seja assim. Difícil encararofatodequeoExércitodoGeneralHorta, do General Felicíssimo e do General Geisel, de tanto nacionalismo, esteja silente ante os desmandoseosataquesàsoberanianacional. A SOLUÇÃO NA CELA Nos 65 anos da morte de Getúlio, o Brasil pareceretrocedernotempo.Nestedia24deagos- to,omaisnotóriosucessoreherdeirodeGetúlio, o metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva, hoje o mais influente político brasileiro no mundo, está preso injustamente, condenado sem provas e em um processo que, sabe-se agora, por conta do The Intercept Brasil, repleto de ilegalidades, vícios e fraudes. Daí que é preciso denunciar os ataquesàsoberaniaedizerqueasoluçãoparao país está numa cela. Lula está preso, mas não estámorto. Em setembro, o país assistirá a um grande ato em defesa da soberania nacional, como em outros momentos da nossa história, quando os democratas estarão mais uma vez reunidos. Lí- derespolíticos,partidos,parlamentares,estudan- tes, trabalhadores, militantes sociais e represen- tantesdeentidadesdasociedadecivilvãolançar a Frente em Defesa da Soberania Nacional. Alutacontraosdesmandosnosobrigaanos mantermos alertas e firmes. Não percamos a esperança. Viva Getúlio Vargas! Viva Lula! Viva o povo brasileiro!
  • 5. 5 FARÓIS DO SABER E INOVAÇÃO, CURITIBA GANHA O PRÊMIO INOVACIDADE 2019 Os Faróis do Saber e Inovação, es- paços maker para criação de protóti- pos, com impressora 3D, deram a Curitiba o prêmio InovaCidade 2019, queseráentreguenapróximasegunda- feira (22/7), em São Paulo, durante o Smart City Business Brazil Congress &Expo. O evento é promovido pelo Institu- to Smart City Business America que premia projetos e práticas inovadoras comimpactospositivosnamelhoriade vida das cidades. De acordo com Cris Alessi, presi- dente daAgência Curitiba, a proposta dosFaróisestáalinhadaaoconceitodo Vale do Pinhão, movimento do ecossistema de inovação da cidade, e tambématendênciasnacionaiseinter- nacionais de tecnologia educacional, comfoconaaprendizagemcriativa. Em sua 7ª edição, o prêmio InovaCidade recebeu 53 inscrições. Desse total, recebem o prêmio 20 pro- jetos que são reconhecidos por gerar impactospositivosmensuráveisereco- nhecidos pela sociedade. Os Faróis do Saber e Inovação, es- paços maker para criação de protóti- pos, com impressora 3D, deram a Curitiba o prêmio InovaCidade 2019. Evento - O Smart City Business Brazil Congress & Expo, que ocorre entre 22 e 24 de julho, é um evento que reúne todo ecossistema de cidades inteli- gentes,reunindo líderes do setor público,especi- alistaseminici- ativas inovado- ras e transformadoras, empresários, empreendedo- res, represen- tantesdegover- nos e agências, possibilitandoa troca de experiências, compartilhamentodeideias,soluçõese casos de sucesso. Faróis - Os Faróis do Saber, cria- dos originalmente em 1994 com o ob- jetivo de descentralizar o acesso às bi- bliotecas públicas e lan houses, incor- poraram a partir de 2017 o conceito deinovaçãotecnológica. Em sua nova versão, foram trans- formados em espaços maker, onde é aplicada a metodologia do Design Thinking. Os Faróis do Saber e Inovação, es- paços maker para criação de protóti- pos, com impressora 3D, deram a Curitiba o prêmio InovaCidade 2019. Foto: Daniel Castellano / SMCS “Os Faróis do Saber e Inovação são locais de descoberta, exploração e empoderamentodosestudantesdarede pública de Educação. É a inovação tecnológicaaoalcancedosalunos”,diz CrisAlessi. Dezenove unidades já foram entre- gues neste novo modelo. Até o final deste ano, a cidade contará com 33 Faróis de Inovação. “São verdadeiras oficinas de criatividade que trazem reflexões e so- luções para o dia a dia. São essas cri- anças que vão fazer a Curitiba do futu- ro”,comentouasecretáriamunicipalda Educação,MariaSílviaBacila. Foto:PedroRibas/SMCS
  • 6. 6
  • 7. 7 Prefeito Rafael Greca assina convênio para manter tarifa a R$ 4,50 até 2020 O prefeito Rafael Greca e o gover- nadoremexercícioDarciPianaassina- ram nesta sexta-feira, no Palácio 29 de Março, o convênio que formaliza o re- passe de R$ 90 milhões para a Rede Integrada de Transporte (RIT) de Curitiba e Região Metropolitana. Do total, R$ 50 milhões foram aportados pelo Município e os outros R$ 40 mi- lhões pelo Estado. Oconvêniocelebradopermiteama- nutenção do valor da tarifa em de R$ 4,50, durante o período tarifário 2019- 2020.Atarifa permanecerá neste pre- ço até no mínimo fevereiro de 2020. Para garantir esse patamar tarifário, os recursos serão injetados no Fundo de UrbanizaçãodeCuritiba(FUC)atítulo desubsídio. Além disso, a parceria também re- presenta a ampliação da integração do transporte metropolitano, com a linha Tupy (Jardim Tupy, em Araucária) - Terminal Pinheirinho, a ligação por canaleta entre oTerminal Boqueirão e a cidade de São José dos Pinhais e a integração entre Pinhais e o Terminal Centenário. Para o prefeito Rafael Greca, o convênio traz mais qualidade de vida para todo o povo trabalhador, que vai e volta da capital para as cida- des vizinhas. “Todasaspessoasquevivememtor- no de Curitiba, querem a integração metropolitana e eu também quero. A grande cidade de Curitiba é uma só”, disse Greca. Greca também fez questão de lem- brar que o convênio celebrado com o governoestadualpermitiráaimplanta- ção de novas faixas exclusivas para ônibus.“Cadacanaletaexclusivasignifi- ca uma economia de tempo de até uma hora. Isso permite que as pessoas che- guemmaiscedoemcasadepoisdotra- balhooucheguemmaisrápidonotraba- lhotodasasmanhãs”,apontou. O governador em exercício ava- liou que o convênio é uma represen- tação do relacionamento estreito en- tre Prefeitura de Curitiba e Governo do Paraná. “O governo do Estado não poderia ficar de fora de um projeto dessa envergadu- ra, que beneficia milhares de pessoas por dia”, disse Darci Piana. “Aparceriaatendepesso- asquetêmquetransitarpara trabalhar,estudar,passear,ir ao hospital para cuidar da saúde, e não podem pagar mais caro pelo transporte”, completouogovernadorem exercício. De acordo com o presi- dente da Urbanização de Curitiba S.A. (Urbs), em- presa responsável pela ges- tão do sistema de transpor- te coletivo da cidade, Ogeny Pedro Maia Neto, o aumento dos custos do transporte – combustível, lubrifican- tes, pneus, salários de motoristas, co- bradores e colaboradores administra- tivos – pressiona o preço da tarifa. “Por este motivo, a Prefeitura de Curitiba e o Governo do Estado ce- lebraramoconvênio,paragarantirque o preço da passagem não suba neste momento”, avaliou. O convênio celebrado permite a manutenção do valor da tarifa em de R$ 4,50, durante o período tarifário 2019-2020 Prefeito Rafael Greca, com o governador em exercício Darci Piana, o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, o secretário de Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega e o presidente da Comec, Gilson de Jesus dos Santos, assina convênio para subsídio da tarifa do sistema de transporte. Foto: Pedro Ribas/SMCS A 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) condenou na semana passada o Supermercado Condor a indenizar um cliente que, por duas vezes, escorregou e caiu no chão do estabelecimento durante as compras. O caso ocorreu em agosto de 2017, na cidade de Londrina, no interior do Estado. O autor da ação – pessoa com uma deficiência que limita os movimentos da perna esquerda – sofreu as quedas em um local molhado que passava por limpeza. Segundo o cliente, as placas capazes de indicar o perigo aos consumidores que circulavam pelo lugar não foram utilizadas Supermercado Condor condenado a indenizar cliente pelos funcionários do mercado. Em decorrência dos acidentes, o homem foi diagnosticado com uma luxação no joelho direito e precisou ficar em repouso absoluto por quatro dias. Devido ao constrangimento, ele procurou a Justiça e pediu mais de R$ 70 mil de compensação a título de danos morais. Em 1º grau, o pedido de indenização foi negado, pois o magistrado considerou que o cliente não provou a ausência de sinalização de “piso molhado” ou “piso escorregadio”. O autor recorreu ao TJPR e pediu a reforma da sentença. Negligência Ao apreciar o caso, a 8ª Câmara Cível do TJPR, por unanimidade, condenou o supermercado a pagar R$ 7 mil de indenização ao cliente – o valor inicialmente pleiteado foi considerado excessivo diante das circunstâncias. “Uma queda em local público, por si só, já é uma situação vexatória, ainda mais quando ocorre por negligência do estabelecimento na limpeza do local, o que configura o dever de indenizar o dano moral suportado pelo consumidor, pelo que o valor referido respeitará as condições econômicas das partes envolvidas, as condições pessoais do ofendido, a gravidade da lesão, a repercussão do dano e a culpa do agente”, destacou a decisão. Além disso, o Desembargador Relator observou que o estabelecimento (não o cliente) deveria ter comprovado a correta sinalização do local de limpeza. O acórdão salientou que o supermercado “não logrou êxito satisfatório em comprovar a colocação das placas de advertência quanto ao piso molhado, sendo que facilmente teria confirmado tal tese com vídeos das câmeras de segurança, por exemplo, ou o depoimento de outros clientes do estabelecimento, o que não o fez, deixando de cumprir com o ônus que lhe fora atribuído em razão da inversão do ônus probatório”.
  • 8. 8 O Programa Leite das Cri- anças, em Curitiba, foi lança- do oficialmente no dia 15 de julho de 2004, na Ceasa, com aproximadamente 1.200 famí- lias, num grande mutirão. Inicialmente,o programa con- tava com 27 escolas/colégios. Hoje, Curitiba conta com 84 pontos de distribuição e 8 pon- tos de redistribuição ( entida- des parceiras ) mais a Ceasa. Recebem o benefício, hoje, em Curitiba, 5.241 famílias. No to- tal, desde a implantação, mais PROGRAMA LEITE DAS CRIANÇAS DO GOVERNO DO ESTADO COMPLETOU 15 ANOS EM CURITIBA de 70.000 famílias já recebe- ram o benefício, que é entre- gue três vezes por semana nas escolas/colégios estaduais. As Secretarias parceiras, Seed, Sejuf, Seab e Sesa, são responsáveis pelo suces- so do programa em todo o estado. Graças ao empenho das Comissões Municipais, formadas por um Represen- tante do Estado, da Prefeitu- ra e da Sociedade Civil, o pro- grama é um sucesso, com óti- ma parceria entre as direções das escolas/colégios e entida- des que se associam às Se- cretarias para levar saúde e dignidade a centenas de fa- mílias carentes da periferia da capital. Segundo o Coordenador do PLC pelo NRE de Curitiba, prof.Paulo José Leonart, que completou 15 anos de traba- lho junto com o programa, o PLC veio para ficar, devido ao sucesso, seriedade e com- prometimento dos órgãos competentes e da Sociedade Civil Organizada e está rece- bendo todo apoio do atual go- verno, que não está medindo esforços para implementar mudanças e melhorias no pro- grama, facilitando o atendi- mento às mães e diminuindo a burocracia no sistema. Destaque-se, também, o comprometimento das dire- ções das escolas/colégios que assumiram o programa como uma forma de contribuir com o estado na diminuição da pobreza.