SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Exercício para estudantes do 7º ano do Colégio Salvatoriano Imaculada Conceição sobre o Feudalismo.
Leia o texto sobre o surgimento do feudalismo abaixo, posteriormente encontre as palavras em destaque
(negrito e sublinhadas) no cação palavras.
Surgimento do Feudalismo
A formação do feudalismo, na Europa Ocidental, envolveu uma série de elementos estruturais, de origem
romana e germânica, associados aos fatores conjunturais, num longo período, que engloba a crise do Império Romano
a partir do século III, a formação dos Reinos Bárbaros e a desagregação do Império Carolíngio no século IX.
A partir do século III a crise do Império Romano tornou-se intensa e manifestou-se principalmente nas cidades,
através das lutas sociais, da retração do comércio e das invasões bárbaras. Esses elementos estimularam um processo de
ruralização, envolvendo tanto as elites como a massa plebeia,determinando o desenvolvimento de uma nova estrutura
sócio econômica, baseada nas Vilas e no colonato.
As transformações da estrutura produtiva desenvolveram-se principalmente nos séculos IV e V e ocorreram
também mesmo nas regiões onde se fixaram os povos bárbaros, que, de uma forma geral, tenderam a se organizar
seguindo a nova tendência do Império, com uma economia rural, aprofundando o processo de fragmentação. Em meio
a crise, as Vilas tenderam a se transformar no núcleo básico da economia. A grande propriedade rural passou a
diversificar a produção de gêneros agrícolas, além da criação de animais e da produção artesanal,deixando de produzir
para o mercado, atendendo suas próprias necessidades. Foi dentro deste contexto que se desenvolveu o colonato, novo
sistema de trabalho, que atendia aos interesses dos grandes proprietários rurais ao substituir o trabalho escravo, aos
interesses do Estado, que preservava uma fonte de arrecadação tributária e mesmo aos interesses da plebe, que
migrando para as áreas rurais, encontrava trabalho.
O colono é o trabalhador rural, colocado agora em uma nova situação. Nas regiões próximas à Roma a origem
do colono é o antigo plebeu ou ainda o ex-escravo, enquanto nas áreas mais afastadas é normalmente o homem de
origem bárbara, que, ao abandonar o nomadismo e a guerra é fixado à terra. O colono é um homem livre por não ser
escravo,porém está preso à terra. A grande propriedade passou a dividir-se em duas grandes partes,ambas trabalhadas
pelo colono; uma utilizada exclusivamente pelo proprietário, a outra dividida entre os colonos. Cada colono tinha a
posse de seu lote de terra, não podendo abandona-lo e nem ser expulso dele, devendo trabalhar na terra do senhor e
entregar parte da produção de seu lote (como forma de imposto). Dessa maneira percebe-se que a estrutura fundiária se
desenvolve de uma maneira que pode ser considerada como embrionária da economia feudal. É importante notar que
durante todo o período de gestação do feudalismo ainda serão encontrados escravos na Europa, porém em pequena
quantidade e com importância cada vez mais reduzida.
Os povos "bárbaros", ao ocuparem parte das terras do Império Romano, contribuíram com o processo de
ruralização e com a fragmentação do poder, no entanto assimilaram aspectos da organização sócio econômica romana,
fazendo com que os membros da tribo se tornassem pequenos proprietários ou rendeiros e,com o passar do tempo, cada
vez mais dependentes dos grandes proprietários rurais, antigos líderes tribais. O colapso do "Mundo Romano"
possibilitou o desenvolvimento de diversos reinos de origem bárbara na Europa, destacando-se o Reino dos Francos,
formado no final do século V, a partir da união de diversas tribos francas sob a autoridade de Clóvis, iniciador da
Dinastia Merovíngia.
A aliança dastribos, assim como a aliança de Clóvis coma Igreja Católica impulsionou o processode conquistas
territoriais, que estendeu-se até o século IX e foi responsável pela consolidação do "beneficium", que transformaria a
elite militar em elite agrária. O "Beneficium" era uma instituição bárbara,a partir da qual o chefe tribalconcedia certos
benefícios a seus subordinados, em troca de serviços e principalmente de fidelidade. Em um período de crise
generalizada, marcada pela retração do comércio, da economia monetária e pela ruralização, a terra tornou-se o bem
mais valioso e passou a ser doada pelos reis a seus principais comandantes.
Durante o reinado de Carlos Magno (768 - 814), a autoridade real havia se fortalecido, freando
momentaneamente as tendências descentralizadoras. Como explicar então a formação do feudalismo, se o poder real
é fortalecido? Primeiro a centralização deve ser vista dentro do quadro de conquistas da época, comandadas pelo rei,
reforçando sua autoridade, mas ao mesmo tempo, preservando o beneficium. Com o Estado centralizado, a cobrança
das obrigações baseadas na fidelidade ainda são eficientes e esse função é destinada aos "Missi Dominici"( enviados
do rei). Segundo, a Igreja Católica já era uma importante instituição, que, ao apoiar as conquistas do rei, referenda sua
autoridade e poder, ao mesmo tempo que interfere nas relações sociais, como demostra o "Juramento de Fidelidade"
instituição de origem bárbara que passou a ser realizada sob "os olhos de
Deus" legitimando-a como representativa de sua vontade.
No entanto é importante perceber as contradições existentes nesse processo: a Igreja construiu sua própria autoridade
e como grande proprietária rural tendeu, em vários momentos, a desvincular-se do poder central.
As relações de subordinação desenvolveram-se desde o século V, no entanto foi durante o reinado de Carlos
Magno que tomaram sua forma mais desenvolvida. O incentivo aos laços de vassalagem num primeiro momento
fortalecia o poder real, pois direta ou indiretamente estendia-se a toda a sociedade, no entanto, com o passar do tempo
o resultado tornou-se oposto na medida em que asrelaçõespessoaisforam reforçadas,diminuindo portanto a importância
do Estado.
Z R N H K N Q A O M O D O B P F F Q M X G L O N J R I H F T
L X N U V S P N U S D I U A J J Q P I L T Q P W X E D X B Z
S I V O L C G I L B C E H I Z B E E C S E T G A J D K Y R G
B D Y D N A C U T A C I L Ó T A C N I N N B M F C V J N H Q
Y R G M M I P H B R E O R H P K H K O V K F C V X I O V O B
E X T O F X Q A G B T K Z U D L F D G X R K N Z B L R Q E D
S A U E E J D P N A V U W P K C B S B F T U C O L A P S O P
V Q N J L P K V X R V E M L C X Y K M F Y W V I I S T J L C
A E C H L E Z P R O P R I E T A R I O I G N I L O R A C Q V
B I S H J C R R Z S Y I S L O S N U N Q P X G S K V T O Z T
I E R A E L X L E L Y T P A H E Y M O D G G D Q R S H S Y Z
D P E A R F Y S P G A Q W E T O K R L O P H B N U P T J X Z
O R R Z T O E G K D C T Y G L C S T O M I S S I R O Y K K S
Q I O E S U D A O F H A J N N A C Q C S N W K E A F U X Z O
A A R M P Z B A T A D V R I X M V O H F X J D I L J L L C H
K I J E A C G I Z U L P W V A R C T N W P U P P I P E V B F
D E J D P N D C R I N U E O L O M E O T Z G P Z Z B S R Y Z
H B S I X M O L X T L D V R A F I A K I R F E P A B D J G M
J E V C N X I M I F N A G E Q N C N D O D I W B C W O L Y I
D L D E A H S O E U H V R M C A X A C E D B B I A R M O T O
H P W R S D T U C L G V V T T R O H U E Z U P U O N I E R X
G M V N F G D Q U P V V U N N T C S C F N L B Q I P N N H X
D B S W O A Y P Q C Z U E O H E V F L F N T Y D Z R I B A E
L H X Y L A C C V C S M W V J L C K F M O C I Q D G A D H F
I I N I D R F Q U A G I T G L W E S E J K X B V L B L M E J
V R S G B B G Z Z A L B E V W Z R L E A B G V T O K T S Z D
Q M E T V P H Q R T O P F W Y H X S Z D X D U M H Q X W N X
O C G Q G N Y F X Q Y D A E W Z B R T O Z J O M D D P Q J U
H W M T B V W C W Y V H J C B K U Q J E W N Q P V C W O L D
F I D E L I D A D E H R B Q Y O C M Y J O O K H D C J S B H
Agora utilizando as palavras encontradas, escreva um texto com no máximo 20 linhas e no mínimo 10
linhas, em seu caderno, comparando como era a vida durante o início do feudalismo em detrimento a
vida atual. Conclua seu texto explicando qual das épocas, em sua opinião, é ou era mais propícia para
se viver.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Exercício sobre a formação do feudalismo (6)

Caça palavras sobre a Idade Média
Caça palavras sobre a Idade MédiaCaça palavras sobre a Idade Média
Caça palavras sobre a Idade Média
 
Caça-palavras sobre as Revoluções Inglesas
Caça-palavras sobre as Revoluções InglesasCaça-palavras sobre as Revoluções Inglesas
Caça-palavras sobre as Revoluções Inglesas
 
Caça palavras Revolução Pernambucana,Inconfidência Mineira e Conjuração Baiana.
Caça palavras Revolução Pernambucana,Inconfidência Mineira e Conjuração Baiana.Caça palavras Revolução Pernambucana,Inconfidência Mineira e Conjuração Baiana.
Caça palavras Revolução Pernambucana,Inconfidência Mineira e Conjuração Baiana.
 
Revista Passatempos Missionários 2 - Os segmentos menos evangelizados do Brasil
Revista Passatempos Missionários 2 - Os segmentos menos evangelizados do BrasilRevista Passatempos Missionários 2 - Os segmentos menos evangelizados do Brasil
Revista Passatempos Missionários 2 - Os segmentos menos evangelizados do Brasil
 
21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade
21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade
21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade
 
CAÇA PALAVRAS MONARQUIAS ABSOLUTUSITAS CERTO.docx
CAÇA PALAVRAS MONARQUIAS ABSOLUTUSITAS CERTO.docxCAÇA PALAVRAS MONARQUIAS ABSOLUTUSITAS CERTO.docx
CAÇA PALAVRAS MONARQUIAS ABSOLUTUSITAS CERTO.docx
 

Mais de Ócio do Ofício

Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
Ócio do Ofício
 

Mais de Ócio do Ofício (20)

A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA
A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA
A DA INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO DE HISTÓRIA
 
Constituicoes brasileiras v1_1824
Constituicoes brasileiras v1_1824Constituicoes brasileiras v1_1824
Constituicoes brasileiras v1_1824
 
A identidade nacional brasileira
A identidade nacional brasileiraA identidade nacional brasileira
A identidade nacional brasileira
 
Era meiji
Era meijiEra meiji
Era meiji
 
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
 
Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980
Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980
Cultura e sociedade decada de 1960 a 1980
 
Antigo do regime 1
Antigo do regime 1Antigo do regime 1
Antigo do regime 1
 
Era meiji
Era meijiEra meiji
Era meiji
 
Contrato pedagógico
Contrato pedagógicoContrato pedagógico
Contrato pedagógico
 
Bobbio
BobbioBobbio
Bobbio
 
Confissões de um assassino econmico
Confissões de um assassino econmicoConfissões de um assassino econmico
Confissões de um assassino econmico
 
A rebelião das massas
A rebelião das massasA rebelião das massas
A rebelião das massas
 
Redemocratização brasileira 1985 2002
Redemocratização brasileira 1985 2002Redemocratização brasileira 1985 2002
Redemocratização brasileira 1985 2002
 
Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985
Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985
Exercício 3ªº série período mi litar 1964 – 1985
 
Exercício 3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditadura
Exercício  3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditaduraExercício  3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditadura
Exercício 3ªº informações sobre abreviaturas e síglas usadas durante a ditadura
 
Exercício 3ªº séire era getúlio 1930 1945
Exercício 3ªº séire era getúlio 1930   1945Exercício 3ªº séire era getúlio 1930   1945
Exercício 3ªº séire era getúlio 1930 1945
 
Exercício 3ªº política populista brasileira 1945 1964
Exercício 3ªº política populista brasileira 1945   1964Exercício 3ªº política populista brasileira 1945   1964
Exercício 3ªº política populista brasileira 1945 1964
 
Exercício 2º série belle époque
Exercício 2º série belle époqueExercício 2º série belle époque
Exercício 2º série belle époque
 
Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
Exercício avaliativo 3ªº período regencial e primeiro reinado 1841 – 1850.
 
Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946 1964
Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946  1964Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946  1964
Exercício 9º ano populismo brasileiro 1946 1964
 

Último

ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 

Último (20)

Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da provaESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
ESPANHOL PARA O ENEM (2).pdf questões da prova
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 

Exercício sobre a formação do feudalismo

  • 1. Exercício para estudantes do 7º ano do Colégio Salvatoriano Imaculada Conceição sobre o Feudalismo. Leia o texto sobre o surgimento do feudalismo abaixo, posteriormente encontre as palavras em destaque (negrito e sublinhadas) no cação palavras. Surgimento do Feudalismo A formação do feudalismo, na Europa Ocidental, envolveu uma série de elementos estruturais, de origem romana e germânica, associados aos fatores conjunturais, num longo período, que engloba a crise do Império Romano a partir do século III, a formação dos Reinos Bárbaros e a desagregação do Império Carolíngio no século IX. A partir do século III a crise do Império Romano tornou-se intensa e manifestou-se principalmente nas cidades, através das lutas sociais, da retração do comércio e das invasões bárbaras. Esses elementos estimularam um processo de ruralização, envolvendo tanto as elites como a massa plebeia,determinando o desenvolvimento de uma nova estrutura sócio econômica, baseada nas Vilas e no colonato. As transformações da estrutura produtiva desenvolveram-se principalmente nos séculos IV e V e ocorreram também mesmo nas regiões onde se fixaram os povos bárbaros, que, de uma forma geral, tenderam a se organizar seguindo a nova tendência do Império, com uma economia rural, aprofundando o processo de fragmentação. Em meio a crise, as Vilas tenderam a se transformar no núcleo básico da economia. A grande propriedade rural passou a diversificar a produção de gêneros agrícolas, além da criação de animais e da produção artesanal,deixando de produzir para o mercado, atendendo suas próprias necessidades. Foi dentro deste contexto que se desenvolveu o colonato, novo sistema de trabalho, que atendia aos interesses dos grandes proprietários rurais ao substituir o trabalho escravo, aos interesses do Estado, que preservava uma fonte de arrecadação tributária e mesmo aos interesses da plebe, que migrando para as áreas rurais, encontrava trabalho. O colono é o trabalhador rural, colocado agora em uma nova situação. Nas regiões próximas à Roma a origem do colono é o antigo plebeu ou ainda o ex-escravo, enquanto nas áreas mais afastadas é normalmente o homem de origem bárbara, que, ao abandonar o nomadismo e a guerra é fixado à terra. O colono é um homem livre por não ser escravo,porém está preso à terra. A grande propriedade passou a dividir-se em duas grandes partes,ambas trabalhadas pelo colono; uma utilizada exclusivamente pelo proprietário, a outra dividida entre os colonos. Cada colono tinha a posse de seu lote de terra, não podendo abandona-lo e nem ser expulso dele, devendo trabalhar na terra do senhor e entregar parte da produção de seu lote (como forma de imposto). Dessa maneira percebe-se que a estrutura fundiária se desenvolve de uma maneira que pode ser considerada como embrionária da economia feudal. É importante notar que durante todo o período de gestação do feudalismo ainda serão encontrados escravos na Europa, porém em pequena quantidade e com importância cada vez mais reduzida. Os povos "bárbaros", ao ocuparem parte das terras do Império Romano, contribuíram com o processo de ruralização e com a fragmentação do poder, no entanto assimilaram aspectos da organização sócio econômica romana, fazendo com que os membros da tribo se tornassem pequenos proprietários ou rendeiros e,com o passar do tempo, cada vez mais dependentes dos grandes proprietários rurais, antigos líderes tribais. O colapso do "Mundo Romano" possibilitou o desenvolvimento de diversos reinos de origem bárbara na Europa, destacando-se o Reino dos Francos, formado no final do século V, a partir da união de diversas tribos francas sob a autoridade de Clóvis, iniciador da Dinastia Merovíngia. A aliança dastribos, assim como a aliança de Clóvis coma Igreja Católica impulsionou o processode conquistas territoriais, que estendeu-se até o século IX e foi responsável pela consolidação do "beneficium", que transformaria a elite militar em elite agrária. O "Beneficium" era uma instituição bárbara,a partir da qual o chefe tribalconcedia certos benefícios a seus subordinados, em troca de serviços e principalmente de fidelidade. Em um período de crise generalizada, marcada pela retração do comércio, da economia monetária e pela ruralização, a terra tornou-se o bem mais valioso e passou a ser doada pelos reis a seus principais comandantes. Durante o reinado de Carlos Magno (768 - 814), a autoridade real havia se fortalecido, freando momentaneamente as tendências descentralizadoras. Como explicar então a formação do feudalismo, se o poder real é fortalecido? Primeiro a centralização deve ser vista dentro do quadro de conquistas da época, comandadas pelo rei, reforçando sua autoridade, mas ao mesmo tempo, preservando o beneficium. Com o Estado centralizado, a cobrança das obrigações baseadas na fidelidade ainda são eficientes e esse função é destinada aos "Missi Dominici"( enviados do rei). Segundo, a Igreja Católica já era uma importante instituição, que, ao apoiar as conquistas do rei, referenda sua
  • 2. autoridade e poder, ao mesmo tempo que interfere nas relações sociais, como demostra o "Juramento de Fidelidade" instituição de origem bárbara que passou a ser realizada sob "os olhos de Deus" legitimando-a como representativa de sua vontade. No entanto é importante perceber as contradições existentes nesse processo: a Igreja construiu sua própria autoridade e como grande proprietária rural tendeu, em vários momentos, a desvincular-se do poder central. As relações de subordinação desenvolveram-se desde o século V, no entanto foi durante o reinado de Carlos Magno que tomaram sua forma mais desenvolvida. O incentivo aos laços de vassalagem num primeiro momento fortalecia o poder real, pois direta ou indiretamente estendia-se a toda a sociedade, no entanto, com o passar do tempo o resultado tornou-se oposto na medida em que asrelaçõespessoaisforam reforçadas,diminuindo portanto a importância do Estado. Z R N H K N Q A O M O D O B P F F Q M X G L O N J R I H F T L X N U V S P N U S D I U A J J Q P I L T Q P W X E D X B Z S I V O L C G I L B C E H I Z B E E C S E T G A J D K Y R G B D Y D N A C U T A C I L Ó T A C N I N N B M F C V J N H Q Y R G M M I P H B R E O R H P K H K O V K F C V X I O V O B E X T O F X Q A G B T K Z U D L F D G X R K N Z B L R Q E D S A U E E J D P N A V U W P K C B S B F T U C O L A P S O P V Q N J L P K V X R V E M L C X Y K M F Y W V I I S T J L C A E C H L E Z P R O P R I E T A R I O I G N I L O R A C Q V B I S H J C R R Z S Y I S L O S N U N Q P X G S K V T O Z T I E R A E L X L E L Y T P A H E Y M O D G G D Q R S H S Y Z D P E A R F Y S P G A Q W E T O K R L O P H B N U P T J X Z O R R Z T O E G K D C T Y G L C S T O M I S S I R O Y K K S Q I O E S U D A O F H A J N N A C Q C S N W K E A F U X Z O A A R M P Z B A T A D V R I X M V O H F X J D I L J L L C H K I J E A C G I Z U L P W V A R C T N W P U P P I P E V B F D E J D P N D C R I N U E O L O M E O T Z G P Z Z B S R Y Z H B S I X M O L X T L D V R A F I A K I R F E P A B D J G M J E V C N X I M I F N A G E Q N C N D O D I W B C W O L Y I D L D E A H S O E U H V R M C A X A C E D B B I A R M O T O H P W R S D T U C L G V V T T R O H U E Z U P U O N I E R X G M V N F G D Q U P V V U N N T C S C F N L B Q I P N N H X D B S W O A Y P Q C Z U E O H E V F L F N T Y D Z R I B A E L H X Y L A C C V C S M W V J L C K F M O C I Q D G A D H F I I N I D R F Q U A G I T G L W E S E J K X B V L B L M E J V R S G B B G Z Z A L B E V W Z R L E A B G V T O K T S Z D Q M E T V P H Q R T O P F W Y H X S Z D X D U M H Q X W N X O C G Q G N Y F X Q Y D A E W Z B R T O Z J O M D D P Q J U H W M T B V W C W Y V H J C B K U Q J E W N Q P V C W O L D F I D E L I D A D E H R B Q Y O C M Y J O O K H D C J S B H Agora utilizando as palavras encontradas, escreva um texto com no máximo 20 linhas e no mínimo 10 linhas, em seu caderno, comparando como era a vida durante o início do feudalismo em detrimento a vida atual. Conclua seu texto explicando qual das épocas, em sua opinião, é ou era mais propícia para se viver.