SlideShare uma empresa Scribd logo
Estudo de celula
TEMA: A FELICIDADE DO PERDÃO
Texto: Salmos 32.1-7

Introdução: A felicidade tem sido procurada ardentemente pelos povos de todos os tempos. Alguns a
procuram no dinheiro, na riqueza; outros na fama. Muitos tentam encontrá-la no casamento, na família e em
outros lugares. Infelizmente todas estas opções de felicidade estão ligadas a circunstâncias, que nem
sempre permitem que esta felicidade seja duradoura. No entanto a Bíblia, a Palavra de Deus, revela onde
com toda a certeza podemos encontrar a verdadeira felicidade.

1- A FONTE DA FELICIDADE.

   a) Bem-aventurado (feliz) o que é perdoado (vs. 1 e 2) – Quando somos perdoados nosso
       coração fica leve, nosso rosto sorridente, o peso da culpa e da dor são retirados de nós.

   b) O Senhor é quem dá o perdão (Dn 9.9 - 10). O verdadeiro perdão vem de Deus.

   c) Jesus tem autoridade para perdoar (Mt 9.6) – Jesus demonstrou sua autoridade de perdoar
      quando foi para a cruz em nosso lugar. Portanto, só Ele, que se entregou por nós, tem capacidade
      para dizer: “Perdoados estão os teus pecados”.

   d) O bom ânimo vem com o perdão (Mt 9.2) – O Senhor nos diz que o perdão nos dá um ânimo
      novo, novas expectativas, vontade de viver, porque com ele vem a certeza que tudo será diferente.

2- O CAMINHO PARA A FELICIDADE.

   a) Não se calar acerca do pecado (vs. 3,4) – Calar significa tentar esconder, disfarçar, dissimular,
      ou até mesmo não reconhecer o próprio pecado. Quando fazemos assim nosso corpo sofre, nos
      tornamos pessoas secas, vazias, envelhecidas, com um humor ruim e desagradável.

   b)    Confessar o pecado (v.5) – Quando conseguimos enxergar o nosso verdadeiro estado e
        queremos resolver a questão, precisamos saber o que fazer. A Bíblia nos ensina que o salmista,
        confessou ao Senhor, os seus pecados e maldades. Quando fazemos isso, recebemos paz e nos
        tornamos prósperos (Pv 28.13).

   c)   Deixar o caminho do ímpio (Is 55.7) –. Quando recebemos o perdão e desejamos andar de
        maneira vitoriosa, devemos deixar as velhas práticas. Assim evitamos retornar a situação anterior.

3- COMO ACHAR A FELICIDADE.

   a) Pedir a Deus em oração (vs 6a). Devemos pedir claramente a Deus que nos perdoe e que nos
      ajude a romper com o pecado, com as nossas deficiências, sejam elas quais forem: caráter,
      finanças, rejeição, dificuldades de relacionamento, etc.

   b) A tempo de poder achá-Lo (vs 6) – Quanto mais tempo passa, pior fica para nós a ação das
      transgressões. Há pessoas que esperam, por exemplo, que o casamento esteja praticamente
      acabado para então buscar ajuda; que esperam que a angústia, se transforme em mágoa e então,
      quando já estão com depressão, buscam socorro.

   c) No Senhor (vs 7). Não há outro que nos possa Dar a verdadeira felicidade. Só o Senhor nos livra,
      nos esconde, nos preserva, enfim, Ele coloca em nós, novos cânticos de alegria.

Conclusão - A verdadeira felicidade está na fonte do perdão chamada JESUS! Já que só Ele foi até a cruz,
muitos homens e mulheres (João, Maria, Marta, entre outros) estavam próximos da cruz, mas isso não
resolve. Jesus é quem foi pregado, portanto, só Ele tem o caminho para a felicidade. Uma felicidade que não
depende das circunstâncias desta vida, uma felicidade que não é passageira, pelo contrário, é eterna. Se
você quer receber esta felicidade em sua vida hoje, faça uma oração a Deus confessando os seus pecados,
que Ele é fiel e justo para lhe perdoar. Receba Jesus como Senhor e Salvador de sua alma!
TEMA: ANDANDO NA MEDIDA DO SENHOR
Texto: Ez. 47.1-12

Introdução: O Senhor quer nos ministrar nesta lição sobre a necessidade de andarmos, trilharmos à
medida dele. À medida que Ele nos ensina, estabelece patamares que consolidam etapas até chegarmos a
lugares férteis, lugares de multiplicação que não apenas nos abençoarão, mais abençoarão a todos quanto
cruzarem o nosso caminho.

1 - Voltando-se à Porta (v: 1) – O Espírito Santo sempre nos levará a olharmos para a porta. A Porta é
Jesus, Ele é o caminho, é a Verdade, é a Vida, nada existe sem Ele, tudo foi feito por Ele e para Ele. Quem
conhece a Jesus, conhece a seu Pai, quem quer adorar ao Pai, tem que adentrar ao Santo dos Santos
passando pela Porta que é seu Filho. Quem quer tocar ao Pai, tem que beijar o Filho. Esse é o início de tudo.
Sem isso não há trajetória, não se empreende a viagem que nos levará aos lugares férteis, lugares de
multiplicação,           lugares            onde             a            benção               superabunda.

2 - Águas que correm do Santuário – As águas purificadoras correm do Trono de Deus. Este lugar, não
é um lugar geográfico, mas um lugar espiritual. Um lugar que se alcança em Deus. Um lugar que se chega
na adoração. Um lugar que aquele que ama ao Senhor sacia toda a sua sede realiza todo o desejo de sua
alma, clamando cada dia por mais do Senhor. A Palavra de Deus diz que “bom é o Senhor para os que se
atém a Ele, para a alma que o busca” (Lm 3.25). Todas as nossas fontes estão ali, estão no Senhor.

3 - Águas que dão nos artelhos (v: 3) - O profeta agora estava sob a direção “daquele homem” que o
guiava medindo distâncias, estabelecendo limites e etapas. E ele o fez passar por águas que davam nos
artelhos. Os artelhos falam de fundamentos que geram equilíbrio. Não se alcança vitória sem estar bem
fundamentado. A ausência de fundamentos sólidos distorce o caminho, acarretam danos e perdas e muitas
outras coisas e o final é morte. Nossos pés precisam estar bem firmados, tanto espiritualmente, quanto
emocionalmente e materialmente. O ensino, o discipulado, a vida de oração, a leitura da palavra, as
ministrações, todas devem ser encaradas como de grande importância, pois nisso está à edificação de um
caráter sólido e equilibrado que será valioso na caminhada.

4 - Águas que dão nos joelhos (v: 4) – Os joelhos é que nos dão mobilidade e flexibilidade. Temos que
permitir que o mover do Espírito agindo sobre a Palavra em nossas vidas nos levem a nos mover, mas
também a nos prostrarmos diante do Senhor, nos rendendo a Ele em sujeição, e também nos levantarmos
quando temos que enfrentar o inimigo. O Senhor vai nos encaminhar nesse treinamento, ensinando-nos a
sermos obedientes e flexíveis a voz do Espírito.

5 - Águas que dão nos lombos (v: 4b) – Os lombos falam da Aliança, da fidelidade e do compromisso. O
rio de Deus tem que chegar até aos nossos lombos. Temos que ser trabalhados a ponto de nos tornarmos
fiéis ao Senhor irrestritamente. Trazermos sobre nós a responsabilidade, o compromisso com a verdade,
tanto em vivê-la, quanto anunciá-la. É parte do agir de Deus em nós gerar homens e mulheres de
compromisso e aliança. Passe pelas águas que lhe dão sobre os lombos.

6 - Águas Profundas que o eu não pode atravessar – O refino de Deus é para nos levar aos lugares
impossíveis de qualquer eu atravessar. Pois devemos entender isso, que os lugares de muitos peixes,
lugares de abundância, são os lugares onde só podemos chegar pela intervenção divina, pelo agir
sobrenatural de Deus. Em todos os outros momentos o profeta era instado a entrar nas águas, agora a
Palavra diz que toda a criatura vivente por onde entrar essas águas viveria, seria sarada (v: 9). O Senhor
trabalha para que sejamos preparados para romper com a linha racional do eu, nos sujeitando a Ele
totalmente, para que possamos ser levados pela correnteza desse rio, recebendo cura, restauração e
levando vida ao mar (mundo). As correntes de águas curadoras desembocam no mar (fig. Do Mar Morto), o
propósito de Deus é gerar vida onde há morte, é nos tirar do templo e nos encaminhar aos lugares sem
fôlego de vida e tudo restaurarem.

Conclusão: A multiplicação, abundância de peixes (vidas) está intimamente ligada a essa verdade. Se
seguirmos estes princípios, nossas células serão prósperas, nossa Igreja verá uma grande multiplicação,
nossa cidade será totalmente impactada, recebendo da parte do Senhor um grande avivamento. Siga ao
homem com o cordel de medir e não esmoreça na caminhada. Você é um vencedor!
TEMA: CRESCENDO EM TUDO

Texto: “Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Efésios
4.15).

Introdução: Recebemos uma ordem do Pai através do Apóstolo Paulo: “Cresçamos em tudo naquele que é
a cabeça”. Em nenhum lugar da Palavra de Deus está escrito que devemos parar. Isto significa que
enquanto estivermos aqui na terra precisamos continuar buscando o conhecimento do Senhor.
Andrew Anderson diz: “Um escultor às vezes abandona o seu trabalho e volta a ele em outro dia, a fim de
retomar onde parou. Mas o mesmo não acontece com o crescimento da alma. A obra da graça em nós
cresce ou declina, aumenta ou diminui”.
Vejamos como deve ser esse crescimento:

1 – Crescer na graça e no conhecimento (2 Pedro 3.18).
O crescimento na graça e conhecimento traz firmeza para suportar os desafios e vencê-los sem decair na fé
– (2 Pedro 3.17).

2 – Crescer em amor
“E também faço esta oração: que o vosso amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda a
percepção, para aprovardes as coisas excelentes e serdes sinceros e inculpáveis para o Dia de Cristo, cheios
do fruto de justiça, o qual é mediante Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus”
O crescimento no amor traz: conhecimento, percepção, excelência, sinceridade, liberdade, fruto de
justiça. Veja o que diz 1 Tessalonicenses 3.12. O nosso adversário só cruza os braços enquanto os
crentes, líderes, pastores, familiares brigam uns com os outros, até que os relacionamentos, família, obra de
Deus sejam destruídos.

3 – Crescer na intimidade com o Senhor (1 Samuel 3.19).
Samuel crescia não somente em estatura, mas também no conhecimento do Senhor, por isto, O Senhor era
com ele, tornando-se o sucessor do sacerdote Eli.
A falta de intimidade com Deus traz destruição – (Oséias 4.6a)

4 – Crescer em força (Jó 17.9).
Mãos limpas trazem autoridade e aquele que não é puro de mãos terá sua força diminuída.
A ordem de Deus descrita pelo Apóstolo Paulo em Efésios 6.10 é para crescer em força:

5 – Crescer em prudência (Provérbios 1.5).
A prudência é estabelecida através dos princípios contidos na Palavra de Deus.
Crescer em prudência traz habilidade para as grandes conquistas.

6 – Crescer na fé (2 Coríntios 10.15).
A fé não nasce pronta. Ela cresce a medida que é exercida ou praticada.
Para agradar ao Pai precisamos crescer na fé: (Hebreus 11.6).

Conclusão: “Um bom cristão não é como o sol de Ezequias, que recuou, nem como o de Josué, que
permaneceu imóvel, mas como o que está sempre avançando em santidade e elevando-se no crescimento
de Deus” (Thomas Watson).
TEMA: O LÍRIO ENTRE OS ESPINHOS

Texto: (Cantares 2.1,2).

Introdução: Desde os primeiros séculos da era cristã, a história de Salomão e sua amada é interpretada
como uma alegoria sobre Jesus e a igreja. Ele é o Lírio dos Vales e ela também é comparada a um lírio.

1 – Onde a igreja está plantada? Onde você está plantado?
Talvez você esteja em angústias, sendo confrontado com os seus valores antigos do velho homem, ou sendo
levado a renunciar os deleites da alma, a crucificar a carne.
O lírio entre os espinhos nos dá a idéia de uma situação incômoda e de sofrimento.

2 – Reações ao sofrimento
Você quer fugir, abandonar o barco, livrar-se do incômodo. Um lírio não foge. Planta não foge. Se for
retirada do próprio lugar de forma indevida, poderá murchar e morrer.
Muitas pessoas abandonam o lar, o emprego, a escola, a igreja, fugindo dos incômodos, os espinhos.

3 – Em tudo há um propósito
O nosso Pai tem controle sobre todas as coisas e você está aí por um propósito e uma direção de Deus (a
não ser que a sua situação seja contrária à Palavra de Deus ou um ciclo já tenha se fechado).
Cumpra a sua missão, persevere. Veja o que Deus disse a Daniel: “mas o povo que conhece ao seu Deus se
esforçará e fará proezas” (Daniel 11.32b).
Analise o que diz o salmo 92.13,14 – “Os que estão plantados na Casa do SENHOR florescerão nos átrios do
nosso Deus. Na velhice ainda darão frutos; serão viçosos e florescentes”.

4 – O lírio é muito diferente dos espinhos
Mostre a diferença onde você estiver. Somos sal da terra e luz do mundo – “Vocês são o sal para a
humanidade; mas, se o sal perde o gosto, deixa de ser sal e não serve para mais nada. É jogado fora e
pisado pelas pessoas que passam. Vocês são a luz para o mundo. Não se pode esconder uma cidade
construída sobre um monte” (Mateus 5.13,14 NTLH).
Mostre a beleza cristã, o contraste em relação à vida do ímpio – “E eles serão meus, diz o SENHOR dos
Exércitos, naquele dia que farei, serão para mim particular tesouro; poupá-los-ei como um homem poupa a
seu filho que o serve. Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus e
o que não o serve” (Malaquias 3.17,18).

5 – O lírio tem perfume
“Porque para Deus somos o bom cheiro de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem” (2 Coríntios
2.15).
Lírio tem perfume, espinho não tem. Exale seu bom perfume de Cristo em seu modo de viver, modo de
falar, de relacionar com os outros mesmo que sejam espinhos.

Conclusão: Tiago nos instrui que as tentações, desafios, dificuldades vem para o nosso crescimento e
fortalecimento. Veja: “Meus irmãos, sintam-se felizes quando passarem por todo tipo de aflições. Pois vocês
sabem que, quando a sua fé vence essas provações, ela produz perseverança. Que essa perseverança seja
perfeita a fim de que vocês sejam maduros e corretos, não falhando em nada!” (Tiago 1.2-4 NTLH).
Veja o que diz Eclesiastes 7.8: “Melhor é o fim das coisas do que o princípio delas; melhor é o longânime do
que o altivo de coração”.
TEMA: PASSOS PARA CONSTRUIR UMA AUTO-IMAGEM CORRETA
Texto: (Sl 8.3-6)
Introdução: Por causa do pecado que atingiu a raça humana através de Adão e Eva, que originou tantos
flagelos o ser humano perdeu a sua condição original dada pelo Pai e hoje, após inúmeras feridas na alma,
tornou-se distante daquilo que Deus fez e está escrito em sua Palavra.
Quer ser restaurado? Vejamos os passos abaixo:

1) Comece um novo relacionamento com Deus
"Eu pedi a ajuda do SENHOR, e ele me respondeu; ele me livrou de todos os meus medos" (Sl 34.4 NTLH).
"Até os leões não têm comida e passam fome, porém não falta nada aos que procuram a ajuda do SENHOR"
(Sl 34.10 NTLH).
Ele é o nosso Pai, a nossa fonte, o nosso referencial. Converse com Ele, ore, louve, adore, vá à igreja, tenha
comunhão com os irmãos em Cristo e a sua família, persevere. Decida ser uma pessoa de relacionamentos.

2) Limpe o coração
"Felizes as pessoas que têm o coração puro, pois elas verão a Deus" (Mt 5.8 NTLH)). "Quem tenta esconder
os seus pecados não terá sucesso na vida, mas Deus tem misericórdia de quem confessa os seus pecados e
os abandona" (Pv 28.13 NTLH)
Confesse as culpas, arrependa-se, receba pela fé o perdão, tenha humildade e simplicidade, e perdoe-se.

3) Confie nos planos de Deus para você
"Confia no SENHOR e faze o bem; habitarás na terra e, verdadeiramente, serás alimentado. Deleita-te
também no SENHOR, e ele te concederá o que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao SENHOR;
confia nele, e ele tudo fará. E ele fará sobressair a tua justiça como a luz; e o teu juízo, como o meio-dia"
(Sl 37.3-6).
O nosso Pai tem o melhor para nós.
Renda-se sem reservas. Tire as resistências.

4) Seja agradecido(a)
"E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede
agradecidos" (Cl 3.15)
Agradeça a Deus por tudo. Ele tem total controle sobre as nossas vidas e lembre-se que o fim das coisas é
melhor do que o início delas (Ec 7.8).

5) Dependa de Deus para melhorar em todas as áreas de sua vida
"Eu sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido comigo e eu com ele, esse dá muito fruto porque
sem mim vocês não podem fazer nada. Quem não ficar unido comigo será jogado fora e secará; será como
os ramos secos que são juntados e jogados no fogo, onde são queimados. Se vocês ficarem unidos comigo,
e as minhas palavras continuarem em vocês, vocês receberão tudo o que pedirem" (Jo 15.5-7 NTLH)

6) Tome cuidado com as palavras que saem de sua boca
"O que você diz pode salvar ou destruir uma vida; portanto, use bem as suas palavras e você será
recompensado" (Pv.18.21 NTLH). "De sorte que aquele que se bendisser na terra será bendito no Deus da
verdade;..." (Is 65.16a)
Confesse a Palavra de Deus. Profetize vitória e confie, Deus é fiel.

7) Descanse em Deus
"Tendo por certo isto mesmo: que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao Dia de
Jesus Cristo" (Fl 1.6).
Creia que o Espírito Santo está trabalhando por você e em você.

Conclusão: Sabemos que sem a ajuda do Espírito Santo jamais conseguiremos uma restauração completa
de nossa alma. É Ele quem ministra o amor restaurador do Pai em nossos corações.
TEMA: OS NOSSOS RECURSOS
Texto: Ef 6:10-19
 Introdução: Ao que tudo indica o apóstolo, ao permanecer sob a vigilância constante de soldados
romanos, inspirou-se na roupagem de um soldado para descrever o que consta neste trecho de Efésios. A
Armadura de Deus que Ele recomenda a nós é a descrição dos paramentos de um soldado daqueles tempos.
Quanto a sermos soldados, trata-se de uma figura comum nas Escrituras. Por exemplo, em II Timóteo 2:3-
4, lemos: Suporte comigo os meus sofrimentos, como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado se
deixa envolver pelos negócios da vida civil, já que deseja agradar aquele que o alistou.

1º Você é um soldado e não pode ignorar isto! Há um inimigo que investirá contra você e contra todo
o povo de Deus. Somente há uma maneira de você resistir e prevalecer, utilizando-se da força e do poder
que o Senhor coloca ao nosso dispor, através de Jesus Cristo: Fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder
(v. 10). Em II Coríntios 11:3, o apóstolo ensina que Satanás investe contra nós exatamente da mesma
maneira como investiu contra Eva, na intenção de controlar nossas mentes.
 2º Nem subestimando, nem superestimando o inimigo. São dois os erros que precisamos evitar. O
primeiro, de desprezar o inimigo e fazer de conta que ele não existe. Agindo assim, logo você descobrirá a
tolice que fez. O outro erro, o de superestimá-lo, dando-lhe um status que não possui. Ainda que a Bíblia
nos ensine a vigiar contra suas investidas, temos a garantia de que maior é o Senhor que está conosco e
que as armas que Deus nos disponibiliza são suficientes para destruir todas as fortalezas do Maligno (2 Co
10:4).
 3º Você precisa tomar posse de sua armadura! Vistam-se de toda a armadura de Deus, para poderem
ficar firmes contra as ciladas do Diabo (Ef 5:11). O apóstolo garante que devidamente armados, seremos
capazes de resistir no dia mau e permanecer inabaláveis (v. 13). Haverá dias quando os ataques serão mais
concentrados e visarão nos derrubar. A armadura é garantia de resistência. Eis os componentes da
armadura:
 a) O cinto da verdade: A mentira sempre oferece brecha a Satanás, chamado por Jesus de “pai da
mentira” (Jo 8:44). Em contrapartida, Jesus declarou: Eu Sou a Verdade (Jo 14:6). O Espírito Santo é o
Espírito da verdade, e nos guia por ela (Jo 16:13).
b) A couraça da justiça: Deus é perfeitamente justo e da nossa parte devemos ter fome e sede de Sua
justiça (Mt 5:6). Significa estar debaixo da aprovação de Deus, na fidelidade. A obediência é garantia de
uma cobertura, uma couraça sobre nossas vidas.
c) O calçado para os pés: Seus pés têm que ter a formosura peculiar de quem se deixa conduzir pelo
Senhor a anunciar suas Boas Novas. Isaías 52:7 é um texto chave para você entender acerca desta “beleza”
que há nos pés de um ganhador de almas. Há um par de sandálias sobrenaturais, para os pés do que se
prepara e anuncia o Evangelho. São os mesmos calçados que o farão correr com a velocidade da corça e
saltar muralhas...
d) O escudo da fé: Efésios 5:16 explica que o escudo é para nos defender de dardos inflamados, que são
flechas com fogo do inferno. Este escudo serve para nos conservar fiéis – os dardos tentarão minar nossa
fidelidade e nos fazer desistir da fé. De diversas formas estes dardos serão arremessados, principalmente
por meio de palavras vindas de outras pessoas. Todo soldado tinha que manter seu escudo ungido! O
Espírito Santo em sua vida proverá o óleo para seu escudo.
e) O capacete da salvação: Trata-se da sua identidade – a certeza que você precisa ter de quem é diante
de Deus. Você precisa lembrar-se de que recebeu uma nova identidade através de Jesus Cristo, como Filho
de Deus. Esta identidade lhe dá acesso às regiões celestiais e à fonte de poder e autoridade, em Jesus
Cristo.
f) A espada do Espírito: A Palavra de Deus, as Escrituras. Foi com Ela que Jesus venceu Satanás nas
tentações após Seu batismo (Mt 4:1-10). É preciso conhecer, aprender, praticar e saber manejar a Palavra.
g) Oração: Ef 5:18 tem uma alusão toda especial à oração. O Espírito Santo nos ensina e conduz na
oração. Tão importante é a oração que diversas palavras o Senhor Jesus dirigiu aos Seus discípulos acerca
de como orar e da necessidade de orar sempre.


CONCLUSÃO: Tome posse agora da armadura! Comece a orar com seus discípulos neste momento e
leve-os a declarar que reconhecem que são soldados, que o Senhor dos Exércitos é nossa garantia de vitória
e que tomam posse de toda a armadura. Leve-os a declarar que reconhecem cada componente enumerado
e que se apropriam deles, um a um. Em seguida, ore por Eles, peça o revestimento, o fortalecimento e a
proteção do Senhor a eles. Com relação às sandálias, à espada e à oração, aproveite para despertá-los a se
envolverem com a Igreja, com a Escola de Líderes, Escola Bíblica. Explique que a comunhão com a Igreja (o
quartel general) e com os demais soldados é fundamental
TEMA: O DEUS DO SIM
Texto: “Porque o Filho de Deus, Jesus Cristo, que entre vós foi pregado por nós, isto é, por mim, Silvano e
Timóteo, não foi sim e não; mas nele houve sim. Porque, quantas promessas há de Deus, são nele sim, e
por ele o Amém, para glória de Deus por nós” (II Cor. 1: 19, 20)
Introdução: Quando Paulo escreve sua segunda epístola aos Coríntios, dentre tantas preciosidades, ele nos
mostra com grande clareza o caráter constante de Deus ao se posicionar favoravelmente em relação as suas
promessas não hesitando ou se esquecendo delas, antes confirmando-as dizendo sim a todas elas. Deus não
se perde no tempo, não se esquece daquilo que falou, ainda que aqueles a quem foram direcionadas suas
promessas se mostrem infiéis (II Tim. 2: 13), Ele é fiel e irá trabalhar para que aquilo que foi proferido por
sua boca não caia por terra, antes se cumpra.
1 - Quando Deus diz sim – É de suma importância conhecer a Deus e estar sujeito a Ele em amor. O
alinhamento com a sua vontade, a disposição de obedecer e de conformar a vida ao querer dele nos fará
ouvir o sim de sua parte. Deus diz sim quando a sua soberana vontade prevalece em nós. Antes de
existirmos, Ele selou um propósito para a nossa existência (Ef. 1: 11, 12), e as promessas nos encaminham
e nos interam acerca dessa vontade eterna como uma estrada bem sinalizada para aquele que trafega nela.
2 - Quando Deus diz não – Deus não tem prazer em contrariar a ninguém. Ele não se compraz na morte,
na derrota, na tristeza e na aflição daqueles que Ele mesmo criou para glória e louvor do seu nome. Mas,
quando Ele percebe que há nos nossos corações intenções contraditórias à sua vontade, caminhos que
podem nos levar para lugares distantes dele e do melhor para nossas vidas, ele não hesita em dizer não. O
não de Deus é amor, sempre visa nossa segurança, sempre tem o caráter de nos conservar em alegria. Ele
tem olhar amplo, enxerga toda a distância, sabe todos os caminhos que ainda não trilhamos e quer nos
guiar em triunfo em todas as estâncias da nossa existência. Deus nos ama e diz sim, mas por nos amar,
também diz não.

3 - Quando Deus diz espera – Viver a vida com Deus é uma doce aventura. Não existe nada mais
desafiante e estimulador do que relacionar-se com Deus e buscar nele dia após dia o caminho a ser seguido.
O Pai nunca nos dará todo a caminho a ser seguido de antemão, Ele sempre quer gerar em nós
dependência, e dependência é fruto de proximidade. Aquele que é íntimo do Pai, vê nos dias que são
gerados aos seus pés a perda da ansiedade de ver fatos e situações se concretizarem. A espera se torna
mais preciosa do que a conquista propriamente dita. A espera se torna a conquista e a vitória uma
conseqüência da espera. A espera é terapêutica, esperar cura, revigora, restaura, amplia a visão, nos
posiciona, nos molda, tem poder de nos amansar, de nos tornar mais doces, mais amáveis, mais voltados
para o bem do que para o egoísmo das vitórias pessoais que nos levaram primeiramente à busca em Deus.
Devemos ser gratos a Deus por nos aferir na busca. Por mudar nossa trajetória de busca, por nos tirar do
egoísmo e nos fazer ver o que é melhor. Deus é melhor, e suas promessas nos endereçam a Ele. Deus diz
espera quando nosso caráter não está pronto e de alguma forma poderemos por a perder aquilo que ele
possa vir a nos confiar. Se Deus diz espera é porque Ele está trabalhando para que o bem não seja apenas
momentâneo, mais permanente.

Conclusão: Não permita que haja em seu coração nenhuma desconfiança a respeito do Deus que você
serve. Não permita que o inimigo lance setas de incerteza ao seu coração. Deus é sim. O que Ele falou, Ele
cumprirá. A sua saída é certa e Ele virá a você como chuva e regará toda a sua vida com as mais preciosas
bênçãos.
Com certeza o melhor está por vir.
TEMA: AINDA VALE A PENA SONHAR

Texto: “Quando o SENHOR restaurou a sorte de Sião, ficamos como quem sonha” (Salmo 126.1).

Introdução: Alguém já disse que “o homem não morre quando deixa de viver, e sim quando deixa de
sonhar”. Se a vida não tivesse sonhadores tudo seria sem graça, não haveria motivos para se viver, pois a
beleza da vida está no colorido dos sonhos, que nos falam de esperança, de perspectivas, de novos
horizontes a serem visualizados, de uma estrada a ser percorrida.
Alguém já disse que “o homem não morre quando deixa de viver, e sim quando deixa de sonhar”.

1. Há dois tipos de sonhos: O primeiro é aquele que sonhamos dormindo e, o segundo, trata-se do que
sonhamos acordados. Sonhar faz bem para o corpo, para a alma e para o nosso coração! Para quem tem
problemas com dinheiro, temos uma maravilhosa notícia para dar: sonhar não custa nada. Você não terá
que pagar absolutamente nenhum centavo, e sim, acreditar em você mesmo, crer nos seus sonhos e, acima
de qualquer questão, confiar os seus sonhos a Deus.

2. Vale a pena sonhar: Os sonhos regam uma mente infrutífera; os sonhos fazem florescer o jardim do
nosso coração com as mais lindas flores da primavera; os sonhos nos fazem vislumbrar um mundo melhor.
Todos quantos estão parando de sonhar estão abandonando simplesmente o prazer de viver. Os sonhos são
como um novo amanhecer. Vêm nos trazer boas novas de um dia melhor, de um mundo melhor, pois
sonhar faz parte da vida de gente capaz, de gente que pensa, de gente visionária.

3. Sonhe e veja além do óbvio: Acreditar que ainda vale a pena sonhar é para os que conseguem
enxergar além do óbvio; eles vêem onde ninguém viu nem consegue ver; os que ousam sonhar não têm
limites. Seus limites vão além dos demais. Os sonhadores são ilimitados, pois nos seus corações pulsam
conquistas, vitórias. No seu sangue nutrem uma única palavra: “vencer ou vencer”. Eles sabem que a vida
só tem sentido quando se sonha pra valer.

Conclusão: O ex-presidente americano Richard Nixon afirmou: “os covardes nunca tentam, os fracassados
nunca terminam e os vencedores nunca desistem”. Um sonhador nunca se acovarda, está sempre tentando
mais uma vez. Mesmo que surja uma aparente derrota, os sonhadores vêem naquele fracasso uma
experiência vitoriosa a ser usada mais à frente com todo ardor. Sonhe, mas sonhe muito e sempre! Pois
enquanto sonhamos, estamos lançando nesta bela terra as sementes mais lindas da vida. Deus sonhou, um
dia, comigo e com você, sonhou com a nossa salvação e enviou Jesus.
Acredite, ainda vale a pena sonhar!
TEMA: VIVENDO NO SOBRENATURAL DE DEUS

Texto: 1 Rs 17

Introdução: Precisamos aprender a viver no sobrenatural de Deus. Não podemos nos abalar diante das
circunstâncias, mas devemos crer que o nosso Deus é o Deus dos
impossíveis. Se você estiver disposto a caminhar com Deus, Ele se revelará em sua vida demonstrando que
todo o poder está em suas mãos e te dará a vitória diante de todas as circunstancias e provações.

Qual é o segredo para vivermos uma vida no sobrenatural de Deus?

1 - Dependência total de Deus
a - Deus protegeu o seu profeta das mãos de Acabe. “Veio-lhe a palavra do Senhor, dizendo: Retira-te
daqui, vai para o lado oriental e esconde-te junto à torrente de Querite, fronteira ao Jordão” (Vv.2, 3)
b - Deus sustentou o seu profeta de uma forma sobrenatural. “Foi, pois, e fez segundo a palavra do Senhor;
retirou-se e habitou junto à torrente de Querite, fronteira ao Jordão. Os corvos lhe traziam pela manhã pão
e carne, como também pão e carne ao anoitecer; e bebia da torrente” (Vv.5, 6)
c - Você tem aprendido a depender somente de Deus? Compartilhe.

2) Obediência total a Deus
a - Elias obedeceu a Deus e foi para Sarepta. “Dispõe-te, e vai a Sarepta, que pertence a Sidom, e demora-
te ali, onde ordenei a uma mulher viúva que te dê comida” (V.9)
b - Elias seria sustentado mais uma vez de uma forma sobrenatural. “Porém ela respondeu: Tão certo como
vive o Senhor, teu Deus, nada tenho cozido; há somente um punhado de farinha numa panela e um pouco
de azeite numa botija; e, vês aqui, apanhei dois cavacos e vou preparar esse resto de comida para mim e
para o meu filho; comê-lo-emos e morreremos. Elias lhe disse: Não temas; vai e faze o que disseste; mas
primeiro faze dele para mim um bolo pequeno e trazes-mo aqui fora; depois, farás para ti mesma e para teu
filho Porque assim diz o Senhor, Deus de Israel: A farinha da tua panela não se acabará, e o azeite da tua
botija não faltará, até ao dia em que o Senhor fizer chover sobre a terra” (Vv.12-14)
c - A obediência da mulher à palavra profética de Elias produziu prosperidade em sua casa. “Foi ela e fez
segundo a palavra de Elias; assim, comeram ele, ela e a sua casa muitos dias. Da panela a farinha não se
acabou, e da botija o azeite não faltou, segundo a palavra do Senhor, por intermédio de Elias” (Vv.15,16).
d - Lembre-se, "a obediência precede a benção!" Compartilhe.

3) Fé total em Deus
a - Elias clamou ao Senhor e rogou que Deus ressuscitasse o filho da viúva. “E, estendendo-se três vezes
sobre o menino, clamou ao Senhor e disse: Ó Senhor, meu Deus, rogo-te que faças a alma deste menino
tornar a entrar nele. O Senhor atendeu à voz de Elias; e a alma do menino tornou a entrar nele, e reviveu”
(Vv.21-22)
b - Elias experimentou o milagre de Deus porque exercitou sua fé. “Ao que lhe respondeu Jesus: Se podes!
Tudo é possível ao que crê” (Mc 9.23); “Para os homens é impossível; contudo, não para Deus, porque para
Deus tudo é possível” (Mc 10.27).
c - Como está a sua fé? Fraca, forte ou mais ou menos? Lembre-se: Sua fé determina e respalda sua
conquista no sobrenatural!

Conclusão: Deus nos tem chamado para vivermos no sobrenatural, Ele deseja que experimentemos
grandes milagres e conquistemos uma vida espiritual abundante. Lembre-se disto, Deus tem coisas grandes
e ocultas preparadas para todos nós! “Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas,
que não sabes (Jr 33.3).
TEMA: VITÓRIA DEMORADA

Texto: “Dali expulsou Calebe os três filhos de Anaque: Sesai, Aimã e Talmai, gerados de Anaque” (Js
15.14).

Introdução: A tribo de Judá conseguiu expulsar de Hebrom os três filhos de Anaque. Eles eram
descendentes daqueles gigantes que assustaram dez dos doze espias enviados por Moisés a Canaã –
“Também vimos ali gigantes (os filhos de Anaque são descendentes de gigantes), e éramos, aos nossos
próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos” (Nm 13.33).
Mas os mesmos filhos de Judá não puderam, ou não conseguiram expulsar os jebuseus de Jerusalém – “Não
puderam, porém, os filhos de Judá expulsar os jebuseus que habitavam em Jerusalém; assim, habitam os
jebuseus com os filhos de Judá em Jerusalém até ao dia de hoje” (Js 15.63). Foram obrigados a conviver
com eles até que os homens de Davi os derrotaram – “Disseram os moradores de Jebus a Davi: Tu não
entrarás aqui. Porém Davi tomou a fortaleza de Sião; esta é a Cidade de Davi. Porque disse Davi: Qualquer
que primeiro ferir os jebuseus será chefe e comandante. Então, Joabe, filho de Zeruia, subiu primeiro e foi
feito chefe” (I Cr 11.4-9). Entre o fracasso e a vitória, houve um espaço de tempo muito grande, de quase
quatro séculos.

1 - O mesmo pode estar acontecendo com muitos filhos de Deus hoje em dia. Eles vencem o
pecado de modo geral, caminham das trevas para a luz e experimentam vitórias admiráveis. Mas ainda não
conseguiram vencer certos defeitos de caráter, certos pecados, certos vícios. Estes podem ser: a inveja, a
mentira, a ira, a ganância e outros males. A vitória é parcial, e não total. É mais no sentido geral e menos
no sentido particular.

2 - Em Corinto vemos crentes carnais. Eles creram na pregação do Evangelho, converteram-se, eram
templos do Espírito Santo, mas conservavam comportamentos que satisfaziam aos desejos da carne, e não
do espírito – “Na verdade, irmãos, eu não pude falar com vocês como costumo fazer com as pessoas que
têm o Espírito de Deus. Tive de falar com vocês como se vocês fossem pessoas do mundo, como se fossem
crianças na fé cristã” (I Co 3.1 NTLH). Expulsaram alguma coisa de suas vidas, mas não tudo.

3 - Talvez este seja o seu caso. Você está habituado a atitudes, pequenos vícios e pecadinhos , enfim em
práticas que mesmo escondidas desagradam a Deus. Mas hoje Ele te chama para um concerto e uma vitória
completa. Identifique e procure derrotar os jebuseus que ainda habitam com você. Se você expulsou os
gigantes, também vai conseguir expulsar os jebuseus.

Conclusão: Reflita um pouco. Se lembre dos gigantes que você já derrotou em sua vida? Agora veja quais
os jebuseus que precisam ser destruídos? Ore agora e peça a Deus que te fortaleza e te dê estratégias de
vitória. Tome posse desta nova situação em sua vida e viva um novo tempo.
TEMA: COMO DEVEMOS SEGUIR A JESUS

Texto: Mateus 8: 18-22 – “Vendo Jesus muita gente ao seu redor, ordenou que passassem para a outra
margem. Então, aproximando-se dele um escriba, disse-lhe: Mestre, seguir-te-ei para onde quer que fores.
Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não
tem onde reclinar a cabeça. E outro dos discípulos lhe disse: Senhor, permite-me ir primeiro sepultar meu
pai. Replicou-lhe, porém, Jesus: Segue-me, e deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos”

Introdução: Muitos hoje estão se dispondo a seguir a Jesus. Por diversos motivos, diversas intenções,
muitos de boa fé, outros visando ganhos não tão louváveis, mas o que se nota é que nunca em todo o
tempo o nome de Jesus foi tão proclamado, tão anunciado. As pessoas determinam à maneira de se
aproximar da fé ou de tudo o que se refere ao reino de Deus. Mas como será que o Senhor Jesus quer ser
seguido? Ele sim, a pessoa mais implicada deve deixar claro como quer ser servido, adorado e honrado.

1 - Passando para a banda d’além – “Vendo Jesus muita gente ao seu redor, ordenou que passassem
para a outra margem” (v: 18).
Aos seus discípulos Jesus sempre ordenará uma travessia. Ninguém será discípulo do Senhor se não estiver
disposto a olhar adiante, empreender caminhadas, enfrentar seus próprios medos, enfrentar situações
novas, vencer as limitações, aprender, romper com a paralisia, simplesmente ousar, ousar a negar-se,
compreender e querer enxergar a verdade de Jesus e de si mesmo. Enfrentar temporais, crer, apostar na fé,
empenhar a vida, o nome, permitir-se vencer, querer a cura, querer a libertação, querer mais, mais de Deus,
mas do seu poder, mas do seu Espírito, mais do seu amor, servir, romper com o modelo próprio de vida,
parar de querer adaptar o Reino de Deus a si, e adaptar-se ao Reino, porque as multidões estão ao redor
querendo de Jesus, mas os verdadeiros discípulos querem a Jesus.

2 - Eliminar a presunçosa determinação carnal e depender de Deus – Então, aproximando-se dele
um escriba, disse-lhe: Mestre, seguir-te-ei para onde quer que fores. (v: 19).
Qualquer disposição de confiar na carne até mesmo para seguir a Jesus deve ser eliminada. A Bíblia está
repleta de exemplos de pessoas que assumiram compromissos e não puderam dar conta deles. (Lc. 22: 31-
34; Lc. 14: 25-35).

3 - Ser governado pela Mente de Cristo – “Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as
aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça” (v: 20).
O grande desafio é fazer com que as pessoas deixem o governo de suas vidas e o entreguem a Jesus. Para
isso precisamos ser ensinados. Jesus estava falando a pessoas que estavam se dispondo a segui-lo, então
Ele diz: você está disposto a ir aonde vou, fazer o que faço ser o que quero que você seja. Eis aí o grande
desafio.

4 - Deixar os mortos enterrar seus mortos – “E outro dos discípulos lhe disse: Senhor, permite-me ir
primeiro sepultar meu pai. Replicou-lhe porém, Jesus: Segue-me, e deixa aos mortos o sepultar os seus
próprios mortos” (v: 21, 22).
Este discípulo não estava dizendo que seu pai estava à beira da morte. Ele queria viver com ele até que ele
morresse aí então ele seria liberado para seguir a Jesus. O chamado tem prioridade. Em qualquer situação a
pessoa de Jesus, seu reino, seu chamado deve sim ter prioridade em nossa vida. Jesus foi claro: “Deixa os
mortos sepultarem seus mortos”.

Conclusão: Hoje é o dia de começarmos a seguir a Jesus da maneira que Ele deseja que o sigamos. As
nossas vitórias estão diretamente ligadas à obediência.
TEMA: A ORAÇÃO MUDA A GENTE

Texto: “Jesus contou a seguinte parábola, mostrando aos discípulos que deviam orar sempre e nunca
desanimar” (Lc 18.1).

Introdução: Quando pensamos sobre oração, algumas perguntas surgem em nossas mentes: O que é
oração? O que estamos fazendo quando oramos? O que estamos tentando realizar? Qual o propósito que
Deus tem em mente ao incitar-nos a orar?
Infelizmente muito do ensino concernente a oração é essencialmente errônea. Por que? Muitas vezes a
oração é apresentada como um meio ou instrumento para dobrar a Deus; em que nossa vontade torna-se
mais importante do que a vontade de Deus.
A questão é: Por que oramos? Podemos dizer que a oração é vital porque ela nos muda!
Quando pensamos na mudança que a oração opera em nós podemos considerar pelo menos três coisas
importantes:

1) oração nos leva à postura de prostração espiritual diante de Deus.
Precisamos entender que em primeiro lugar, a oração é louvor e não intercessão. Robert Murray McCheyne
afirmou: “o que o homem é, é sobre seus joelhos diante de Deus, e nada mais.”. Buscar a este
Deus em oração muda a nossa postura na vida, pois ultrapassamos a perspectiva da busca da nossa própria
vontade e nos transformamos em humildes suplicantes e adoradores do Deus que é todo-poderoso.
Jesus nos ensina uma lição preciosa dizendo: “quando orardes” e acrescenta: “Vós orareis assim”... “Pai
nosso que estais nos céus, Santificado seja o teu nome. Venha o teu reino, Faça-se a tua vontade, Assim na
terra como no céu” (Mt 6.6,9,10). Pense no ponto central desta oração. Qual é o ponto central? O ponto
central é o louvor e a adoração a Deus! Jesus começa a oração com louvor. O que isto significa? Que
quando entramos na presença de Deus e começamos a expor todas as nossas necessidades, sem antes
darmos a Ele, a honra e a glória que lhe é devida como Deus, estamos completamente mal orientados. Por
isso, Terry Johnson diz: “a oração é mudança não da mente de Deus, mas de toda nossa orientação, de
uma concentração em nossas preocupações, para uma centralização em Deus, na sua glória e vontade”.

2) A oração nos muda construindo nossa fé.
Quando olhamos as orações na Bíblia, percebemos que os profetas e apóstolos sempre começavam suas
orações com louvor e adoração. A oração de Davi na dedicação de materiais para serem usados no templo
começa assim: “Bendito és tu, Senhor, Senhor Deus de Israel, nosso pai, de eternidade em eternidade (1 Cr
29.10). Teu, Senhor, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque teu é tudo quanto há
nos céus e na terra...” Davi se envolve com a grandeza e majestade de Deus que o atrai e o deixa
extasiado. Este envolvimento de adoração e louvor muda a vida de Davi que adquire a consciência do poder
ilimitado de Deus. Em Isaias 37.16, Ezequias orava por causa da ameaça da Assíria que estava para invadir
Jerusalém. O que ele diz em sua oração? “Ó Senhor dos Exércitos, Deus de Israel, que estás entronizado
acima dos querubins, tu somente és o Deus de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra.” Diante
da crise, Ezequiel relembra para si mesmo, que Deus está entronizado no mais alto dos tronos “acima dos
querubins”, que ele é o senhor de todos “os reinos da terra” e que por causa disto, ele podia livrar o povo
da ameaça Assíria.

3) A oração nos muda limpando nossas almas.
Quando buscamos a face de Deus em oração com sinceridade e honestidade, nossa vida é mudada,
transformada, pois descobrimos:
a) Quem nós realmente somos;
b) Quem realmente Deus é!
O profeta Daniel orando e confessando o pecado do povo, começa a oração dizendo: “ah! Senhor! Deus
grande e temível, que guardas a aliança e a misericórdia para com os que te amam e guardam os teus
mandamentos.” Ele vê quem Deus é: Grande e temível! Celebra a fidelidade e misericórdia de Deus.
Entretanto, diante desta grandeza, ele descobre algo muito sério e diz: “temos pecado!” “procedemos
perversamente”! Daniel descobre o seu pecado e o pecado de seu povo e então, suplica e apela para a
graça e a misericórdia divina: “Ó Senhor, ouve; ó Senhor, perdoa; ó Senhor, atende-nos e age; não te
retardes, por amor de ti mesmo, ó Deus meu....” (Dn 9.1-19).
D.M Lloyd-Jones, diz que: “o homem descobre a verdadeira condição de sua vida espiritual quando se
examina em particular, quando está a sós com Deus!” ele continua dizendo, que a oração: “ é a mais
elevada atividade da alma humana e, portanto, é ao mesmo tempo a prova suprema da verdadeira condição
espiritual do homem”.
Conclusão: A oração muda a gente! A oração pode mudar a sua vida! Por isso, comece a orar!
TEMA: O ENCONTRO QUE MUDOU UMA VIDA

Texto: Lucas 19.1-10

Introdução: Zaqueu, um homem que venceu todos os desafios e barreiras para ser livre. Zaqueu, embora
fosse um homem de uma alta posição social, cultural, material e financeira vivia com um grande vazio na
alma, além do fato de ser odiado pela sua própria nação por causa do seu trabalho como cobrador de
impostos para Roma. Ele, porém soube buscar a solução na pessoa certa, “JESUS”.

1) Ele venceu a barreira da multidão
1- Precisamos dar crédito à palavra de Deus e não ao que as pessoas pensam. “E procurava ver quem era
Jesus e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura” (V.3).
2- Precisamos aprender a abrir mão de coisas e pessoas que nos impedem de irmos a Jesus. “E todo aquele
que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor do
meu nome, receberá cem vezes tanto e herdará a vida eterna” (Mt 19.29).
3- As pessoas que estão perto de você, têm te conduzido à presença de Jesus.

2) Ele venceu a barreira dos problemas pessoais.
“E correndo adiante, subiu a uma figueira brava para ver, porque havia de passar por ali” (v.4).
1- Preconceito: Tinha uma alta posição social para subir numa árvore.
2- Complexo: Era baixinho.
3- Orgulho: Falsa aparência e a religiosidade.
4- Você tem sido impedido de aproximar-se de Jesus por causa de algum problema pessoal?

3) Ele venceu a barreira da rejeição.
“E, vendo todos isso, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador. E,
levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se
em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado” (V.7,8).
1- O publicano era odiado pelo seu próprio povo
2- Eram taxados de ladrões e exploradores do povo
3- Ele venceu as críticas e a oposição
4- Você tem sido criticado por causa do seu amor a Jesus?

4) O que aconteceu com Zaqueu?
1- Jesus conhecia a Zaqueu – “E, quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe:
Zaqueu, desce depressa, porque, hoje, me convém pousar em tua casa” (V.5).
2- Jesus foi à casa de Zaqueu – “E disse-lhe Jesus: Hoje, veio a salvação a esta casa, pois também este é
filho de Abraão” (V.9).
3- Jesus transformou a vida de Zaqueu – “Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia
perdido” (V.10).
4- Você já convidou Jesus para habitar em sua casa (coração)?.

Conclusão: Quando Jesus entra no nosso coração, Ele muda toda nossa vida e satisfaz plenamente a nossa
alma, pois, assim como Ele conhecia a triste realidade de Zaqueu, também conhece a realidade de cada um
de nós.
TEMA: VIVER DE MODO DIGNO DO SENHOR

Texto: “Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de
pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento
espiritual; a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado, frutificando em toda boa
obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus; sendo fortalecidos com todo o poder, segundo a força da
sua glória, em toda a perseverança e longanimidade; com alegria, dando graças ao Pai, que vos fez idôneos
à parte que vos cabe da herança dos santos na luz” (Cl 1.9-12).

Introdução: Viver de modo digno do Senhor, isto é, corresponder às suas expectativas, significa
assumirmos posturas corretas. Vejamos quais são estas posturas:

1 – A Cabeça sábia – “Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar
por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e
entendimento espiritual” (v.9).
- Tiago ensina, em seu livro, no capítulo 1.5 que quem tem falta de sabedoria deve pedir a Deus e será dada
abundantemente.
- Provérbios 2.1-6, nos instruem que devemos buscar a sabedoria como a prata e tesouros escondidos.

2 – Os pés firmes – “a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado” (v.10ª).
- O nosso caminhar deve ser firme e constante – (1 Co 15.58).
- Iluminados pela Palavra de Deus – (Sl 119.105).
- Andando pelas carreiras direitas – (Pv 4.10-12)
- Sem medo – (Js 1.9)

3 – As mãos ocupadas – “frutificando em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus”
(v.10b).
- Não há frutificação sem trabalho.
- Necessário: Escolher a semente, escolher a melhor terra, arar, gradear, corrigir, adubar, plantar, regar,
fazer os tratos culturais, combater as pragas, colher e armazenar.
- O trabalhador é digno do seu salário
- Há uma ordem neste versículo: frutificar e crescer no conhecimento de Deus (intimidade).

4 – As costas fortes – “sendo fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua glória, em toda a
perseverança e longanimidade; com alegria” (v.11)
- Paulo nos instrui: “fortalecei no Senhor e na força do seu poder” – (Ef 6.10)
- O fortalecimento vem do Senhor e não do braço humano (“segundo a força da sua glória”).
- Deus nos deu espírito de poder, amor e sabedoria – (2 Tm 1.7).

5 – O rosto alegre – “em toda a perseverança e longanimidade; com alegria” (v.11b)
- O perseverante é motivado a uma conquista e isto alegra o coração
- Ele tem um alvo, persevera por ele, com paciência e alegria, com certeza da vitória – (Hb 11.6)
- A alegria vem de um coração esperançoso e confiante nas promessas de Deus.

Conclusão: “dando graças ao Pai, que vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz”
– (v.12). Quando analisamos o verso 12, entendemos que existe uma herança, e precisamos ser
agradecidos, porque o Pai nos fez merecedor da parte que nos cabe na sua herança.
Glória a Deus somos herdeiros de um Pai fiel e Rei do Universo.
TEMA: GRANDES PRIVILÉGIOS DOS FILHOS DE DEUS

Texto: “Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez, estardes em temor, mas
recebestes o espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. O mesmo Espírito testifica com o
nosso espírito que somos filhos de Deus” (Rm 8.15,16).

Introdução: Nós somos o povo mais privilegiado da face da terra.

Os privilégios:

1 – A dignidade de sermos filhos de Deus – “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus,
esses são filhos de Deus” (Rm 8.14).
O que éramos?
- Mortos em pecados e delitos – “Antigamente, por terem desobedecido a Deus e por terem cometido
pecados, vocês estavam espiritualmente mortos” (Ef 2.1 NTLH).
- Filhos da ira – “entre os quais todos nós também, antes, andávamos nos desejos da nossa carne,
fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros
também” (Ef 2.3)
- Sem Cristo e sem Deus – “Naquele tempo vocês estavam separados de Cristo; eram estrangeiros e não
pertenciam ao povo escolhido de Deus. Não tinham parte nas suas alianças, que eram baseadas nas
promessas de Deus para o seu povo. E neste mundo viviam sem esperança e sem Deus” (Ef 2.12 NTLH)
- Filhos do pai da mentira, o diabo – “Vós tendes por pai ao diabo e quereis satisfazer os desejos de
vosso pai; ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele;
quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira” (Jo 8.44)

2 – A riqueza da sua herança – “E, se nós somos filhos, somos, logo, herdeiros também, herdeiros de
Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos
glorificados” (Rm 8.17).
- Existe uma herança para os filhos, juntamente com Jesus, concedida pelo Pai.
- Através da cruz, temos direitos concedidos, através da Graça de Deus (Ef 2.8).

3 – A bênção de sua amizade – “Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando” (Jo 15.14).
- O Pai espera de nós, os seus filhos, a obediência irrestrita em todas as situações.

4 – O poder do Reino de Deus – “e nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai, a ele, glória e poder
para todo o sempre. Amém!” (Ap 1.6).
- Somos cheios do Espírito Santo para sermos testemunhas fiéis, isto é, realizarmos as obras do Reino de
Deus, com poder.

5 – O privilégio do sacerdócio - “e nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai...” (Ap 1.6a)
- Somos uma geração eleita por Deus - “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o
povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa
luz” (1 Pe 2.9).

6 – A Preciosidade da comunhão – “o que vimos e ouvimos isso vos anunciamos, para que também
tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo” (1 Jo 1.3).
- O homem, após o pecado no Édem, perdeu a preciosa comunhão com o Pai, porém, nós os filhos de Deus
recebemos através de Jesus, novamente, este direito, fomos reconciliados com Deus.

7 – A Posse de todas as bênçãos – “Portanto, ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso: seja
Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro, tudo é
vosso, e vós, de Cristo, e Cristo, de Deus” (1 Co 3.21-23).
- Vejamos o que diz Gn 1.28 – “E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei
a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que
se move sobre a terra”.
- A palavra bênção no original hebraico significa: “Autorização dada por Deus para prosperar”.

Conclusão: Estas benesses acontecem não porque somos melhores ou piores do que os demais, mas por
causa do nosso Salvador Jesus Cristo, o Senhor das nossas vidas.
TEMA: A TRAJETÓRIA DA VIDA DO FILHO DE DEUS
TEXTO: (1 Pe 2.9).
INTRODUÇÃO: Nós somos um povo que sabemos de onde viemos, o que somos, e para onde vamos. “Tu
me viste antes de eu ter nascido. Os dias que me deste para viver foram todos escritos no teu livro quando
ainda nenhum deles existia” (Sl 139.16).

Vejamos a trajetória dos filhos de Deus:

1 - O QUE ÉRAMOS?
- Mortos (Ef 2.1).
- Filhos da (Ef 2.3)
- Sem Cristo e sem (Ef 2.12)
- Filhos do pai da mentira, o diabo (Jo 8.44)

2 – O QUE NÓS SOMOS
- Vivificados, isto é, recebemos vida (Ef 2.4,5).
- Filhos de Deus (1 Jo 3.1 ).
- Somos eternos (Jo 5.24).

3 – O QUE NÓS SEREMOS
- Semelhantes a ELE – “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de
ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o
veremos” (1 Jo 3.2).
- Herdeiros de Deus – “E, se nós somos filhos, somos, logo, herdeiros também, herdeiros de Deus e co-
herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados”
(Rm 8.17).
- Herdeiros de toda glória, toda plenitude – “seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida,
seja a morte, seja o presente, seja o futuro, tudo é vosso, e vós, de Cristo, e Cristo, de Deus” (1 Co
3.22,23).
“Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do
homem são as que Deus preparou para os que o amam. Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque
o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus”.

4 – QUAL DEVE SER A NOSSA POSTURA
- Ser dedicados a Deus – “Portanto, meus irmãos, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês
se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a ele. Esta
é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus” (Rm 12.1 NTLH)
“Deus não é injusto. Ele não esquece o trabalho que vocês fizeram nem o amor que lhe mostraram na ajuda
que deram e ainda estão dando aos seus irmãos na fé” (Hb 6.10 NTLH).
- Buscar e pensar, sempre, nas coisas lá do alto – “ Vocês foram ressuscitados com Cristo. Portanto,
ponham o seu interesse nas coisas que são do céu, onde Cristo está sentado ao lado direito de Deus.
Pensem nas coisas lá do alto e não nas que são aqui da terra” (Cl 3.1,2 NTLH).
- Ser separados do mundo, ser santos – “mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também
santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo” (1 Pe
15,16). - Esperar por sua volta – “Pois Deus revelou a sua graça para dar a salvação a todos. Essa graça nos
ensina a abandonarmos a descrença e as paixões mundanas e a vivermos neste mundo uma vida prudente,
correta e dedicada a Deus, enquanto ficamos esperando o dia feliz em que aparecerá a glória do nosso
grande Deus e Salvador Jesus Cristo. Foi ele quem se deu a si mesmo por nós, a fim de nos livrar de toda
maldade e de nos purificar, fazendo de nós um povo que pertence somente a ele e que se dedica a fazer o
bem” (Tt 2.11-14 NTLH).

Conclusão: Louvamos o nosso Deus e Pai, porque Ele enviou Jesus para morrer por nós e nos resgatar da
morte e hoje somos filhos de Deus.
TEMA: ENTRANDO NUM NOVO TEMPO
Texto: Sl. 144

Introdução: Nós somos responsáveis por tudo àquilo que declaramos e que plantamos no sobrenatural.
Quando nós saímos do reino das trevas e nos declaramos salvos através de Jesus Cristo, assumimos uma
posição de antagonismo contra o reino de Satanás onde reina a maldição, a derrota e a ruína eterna.
A responsabilidade de apropriação das bênçãos e das promessas de Deus agora é nossa, precisamos
aprender a fazer uso da ação declarativa profética no nosso dia a dia, Você tem a escolha de ser e de viver
aquilo que Deus diz que você realmente é, ou viver aquilo que o diabo, mentindo, diz que você é, porque ele
é mentiroso desde o princípio.

1) Quando nós passamos a exercitar a ação declarativa profética no nosso cotidiano, começamos a viver
debaixo de um céu e de uma cobertura profética sobre nós e o reino de Deus vai sendo estabelecido.

2) Precisamos, como profetas de Deus, pedir a Ele para que adestre as nossas mãos para a batalha e os
nossos dedos para a guerra no campo da nossa ação profética e da apropriação dos recursos e valores
sobrenaturais do seu reino. “Bendito seja o SENHOR, minha rocha, que adestra as minhas mãos para a
peleja e os meus dedos para a guerra” (v.1).

3) O Salmista Davi pediu a Deus para que o livrasse da espada maligna, porque enquanto a bíblia é a
espada do Espírito Santo, sabemos que a espada do diabo é o argumento da mentira. “Estende as mãos
desde o alto; livra-me e arrebata-me das muitas águas e das mãos dos filhos estranhos, cuja boca fala
vaidade e cuja mão direita é a destra da falsidade. A ti, ó Deus, cantarei um cântico novo; com o saltério e
com o instrumento de dez cordas te cantarei louvores. É ele que dá a vitória aos reis e que livra a Davi, seu
servo, da espada maligna” (vv.7-10).

4) O salmista termina o texto com uma linda declaração profética sobre seus filhos, sua casa, seus
negócios, seu bens crendo que ele estaria vivendo debaixo de um céu profético de bênçãos. 144:12-15.

a) Ação profética declarativa sobre a família. “Para que nossos filhos sejam, como plantas, bem
desenvolvidos na sua mocidade; para que as nossas filhas sejam como pedras de esquina lavradas, como
colunas de um palácio” (v.12).
b) Ação profética declarativa da provisão e do suprimento. “para que as nossas despensas se
encham de todo o provimento; para que os nossos gados produzam a milhares e a dezenas de milhares em
nossas ruas” (v.13).
c) Ação profética declarativa sobre os negócios, salário e rendas. “Que o gado se reproduza bem, e
as vacas não percam as suas crias!” (v.14a – NTLH).
d) Ação profética declarativa da saúde e proteção sobre a nossa família e o povo de Deus. “para
que não haja nem assaltos, nem saídas, nem clamores em nossas ruas!” (v.14b).
e) Ação profética declarativa da bem aventurança ou felicidade sobre o povo de Deus. “Bem-
aventurado o povo a quem assim sucede! Bem-aventurado é o povo cujo Deus é o SENHOR!” (v.15).

Conclusão: Portanto, cabe a nós, como profetas de Deus, tomarmos posse de um novo tempo, através de
uma decisão e da nossa ação declarativa profética.
TEMA: PORQUE TENHO DIFICULDADES FINANCEIRAS?
INTRODUÇÃO: Essa pergunta tem incomodado muitos cristãos em nossos dias, devido a situação que
muitos estão vivendo. Para entendermos esse assunto vamos meditar em alguns princípios...

Princípio da posse - Sl 24:1
Precisamos reconhecer que tudo o que temos pertence a Deus. Ele apenas permite que temporariamente
desfrutemos de alguns benefícios, como casa, carros, roupas, bens etc.. Importante nunca perdermos de
vista que devemos ser bons mordomos de tudo que Deus nos deu.

Princípio da fidelidade - Ml 3:8-10
Ser fiel no dízimo e nas ofertas. Não é “pagar” o dízimo e sim devolver a Deus o que lhe pertence. Deus
definitivamente não precisa do nosso dinheiro, afinal de contas, Ele é dono de todo ouro e toda prata. O que
Ele quer é a fidelidade do nosso coração.

Princípio da benção - Ml 3:11
Como economista, aprendi a exatidão da matemática. Como cristão aprendi que 90 é mais do que 100. Só
em Deus 90% pode ser mais do que 100%. Hoje eu entendo que consigo viver melhor com 90% dos meus
rendimentos, do que vivia antes com os 100%. Responda-me uma pergunta: Você prefere 100% com o
devorador na sua vida ou 90% com as janelas do céu abertas?

Princípio da Soberania - Rm 11:36
Dele – é por causa da vontade soberana de Deus que você tem o que tem, trabalha onde trabalha e ganha
o que ganha. Por meio Dele – é por causa da atividade soberana de Deus na sua vida, dando-lhe saúde,
renovando a cada dia a sua misericórdia sobre você, dando-lhe capacidade, inteligência, etc. é que você
pode produzir algo. Para Ele – TUDO deve voltar pata Ele, dando-lhe a glória soberana.

Princípio do simples - Mt 6:33
Devemos aprender a viver o simples de Deus. Que coisas são estas às quais se refere o texto? Leia comigo a
partir do verso 25. Estas coisas são: comida, bebida e vestimenta - o simples de Deus. Aqui cabe um alerta
ao consumismo pregado pelo sistema do mundo.

Princípio da boa administração - Lc 14:28-33
Boa administração. Um controle simples, porém eficiente de orçamento doméstico ou um fluxo de caixa da
sua igreja ou organização. Regra básica: não posso gastar mais do que ganho. Óbvio? Se fosse tão óbvio
assim para todos, não precisaria escrever este artigo.

Princípio da “quitação” - Rm 13:8
Isso mesmo. Não dever, quitar nossos compromissos. Certa vez ouvi uma definição de crédito que me
chamou a atenção: Crédito é o meio pelo qual compramos o que não precisamos, com o dinheiro que não
temos, para agradar as pessoas de quem não gostamos. Forte não? Mas crédito sem controle vira dívida.
Vale observar que, na minha concepção, dívida é aquilo que não conseguimos pagar. Um financiamento de
um imóvel por longo prazo, por exemplo, terá suas parcelas a vencer. Este é um compromisso assumido,
planejado, que no vencimento será quitado. Dívida é não pagá-lo.

Princípio do Maná - Ex 16
Quando Deus dá o maná ao povo no deserto, Ele orienta o povo, através de Moisés, a não guardarem o
maná para o dia seguinte. O povo deveria pegar somente a quantidade necessária para o dia. Porém, o
povo desobedeceu, colhendo a mais e guardando. No verso 20 vemos que o maná cheirava mal e tinha
bichos. Fazendo uma aplicação desta passagem, concluo que toda vez que desejamos algo ou nos
apossamos (compramos) de algo que não é para nós naquele momento, vamos ter problemas (cheira mal /
dá bichos).

Poderia escrever mais sobre esta área, mas creio que estes princípios (que assim denominei), já poderão
ajudá-lo a fazer uma análise de como está sua vida nesta área.
TEMA: A VISÃO DO MESSIAS

Texto Chave: “E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o
evangelho do Reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. E, vendo a multidão, teve
grande compaixão deles, porque andavam desgarrados e errantes como ovelhas que não têm pastor. Então,
disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos são os ceifeiros. Rogai, pois, ao Senhor
da seara que mande ceifeiros para a sua seara” (Mt 9.35-38)

Introdução: Há visões de beleza sem par, como o pôr-do-sol, aves, rios ou montanhas, que inspiram os
pintores a pintar belos quadros. Porém, a visão que comovia Jesus era a das multidões que o seguiam.
Vejamos a ótica do Mestre:

1 – A visão de Cristo vendo as multidões
Quem era a multidão que seguia a Jesus?
- Para os imperadores de Roma, apenas contribuintes do tesouro.
- Para os oficiais romanos, escravos para trabalhar a terra.
- Para os sacerdotes, escribas e fariseus, um bando de fanáticos.
- Para Jesus, ovelhas desgarradas do aprisco, exaustas e sem pastor – “E, vendo a multidão, teve grande
compaixão deles, porque andavam desgarrados e errantes como ovelhas que não têm pastor” (v.36).

2 – Os sentimentos de Cristo pelas multidões
- Amor inefável – Foi a base do seu ministério, sua vida e sua morte – “Estando eu com eles no mundo,
guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o
filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse” (Jo 17.12)
- Compaixão – É sentir a dor e o sofrimento do necessitado (Mt 9.35,36; 14.14; Jo 6.5) – Cristo
compadeceu-se das multidões pobres, famintas, enfermas e oprimidas pelos grandes e pelo diabo – “como
Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem e curando a
todos os oprimidos do diabo porque Deus era com ele” (At 10.38).
Certa vez, um bêbado estava caído numa rua e o sol batia em seu rosto, mas uma mulher rica, vendo-o,
cobriu-lhe o rosto com seu lenço e o socorreu. Aquele homem, mais tarde, tornou-se um grande general dos
Estados Unidos.
- Cristo conhece o sofrimento do homem – “O conhecer tudo é perdoar tudo!” Todo coração conhece sua
própria tristeza, mas o coração de Cristo conhece a de todos.

3 – A Preocupação de Cristo com a Seara
“Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos são os ceifeiros” (v.37).
- Cristo preocupava-se com a seara do Pai. Não podemos deixar este sentimento esfriar. Missão deve ser a
nossa visão constante! Os ceifeiros são poucos e a seara é grande.
O que fazer? Orar e pedir ceifeiros ao dono da seara. Antes de tudo, ele mandou os discípulos orarem:
“Rogai”! Se Deus não enviar ceifeiros ninguém faz missões! O dinheiro é importante, mas não vocaciona
obreiros para seara, muito menos a influência política de algum líder. É o Senhor da seara quem chama e
envia os ceifeiros.
- Jesus mesmo orou ao Pai para escolher os Doze – “E aconteceu que, naqueles dias, subiu ao monte a orar
e passou a noite em oração a Deus. E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze
deles, a quem também deu o nome de apóstolos” (Lc 6.12,13). Estes seriam os ceifeiros que colheriam os
frutos semeados por Ele no seu ministério terreno.

Conclusão: A visão de Cristo, hoje, continua a de multidões que perecem sem salvação, porque faltam
ceifeiros dispostos a trabalhar na seara do Pai. Ouve agora o apelo divino: “ A quem enviarei?” você pode
responder: “Eis me aqui, envia-me a mim!” – “Depois disso, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem
enviarei, e quem há de ir por nós? Então, disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8).
TEMA: A PLENITUDE DA CURA
Texto Chave: "E ensinava no sábado, numa das sinagogas. E eis que estava ali uma mulher que tinha um
espírito de enfermidade havia já dezoito anos; e andava curvada e não podia de modo algum endireitar-se.
E, vendo-a Jesus, chamou-a a si, e disse-lhe: Mulher, estás livre da tua enfermidade. E impôs as mãos sobre
ela, e logo se endireitou e glorificava a Deus. (Lc 13.10-13)

Introdução: Este texto é rico, pois nos revela a abrangência do ensino de Jesus, sua inconformidade com
relação àqueles que estão próximos muitas vezes dos ajuntamentos religiosos, mas não estão sendo
alcançados pela sua Graça Salvadora, Restauradora e Libertadora, devido às estruturas que se acomodam
em apenas manifestar ritos, cultos, festas, e não estão dando total liberdade para que o Espírito de Deus se
manifeste, operando aquilo que Ele deseja realizar (Is 61.1, 3).

1. O Ensino de Jesus sempre resultará em cura – o texto no versículo onze nos diz que Jesus estava
ensinando numa sinagoga. Ele estava se atendo ao que era prioridade naquele momento do seu ministério:
Gerando uma base nos corações, para que essa base resultasse em sustentáculo para todas as maravilhas
que ele queria realizar. Sabemos que o Senhor sempre quer se manifestar de maneira sobrenatural no meio
do seu povo, mas antes disso Ele prepara os corações para que fundamentados e arraigados em amor
possam provar com grande amplitude o amor de Deus e serem estáveis na fé. "Aquele que tem os meus
mandamentos e os guarda, este é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o
amarei e me manifestarei a ele." (Jo 14.21).

2. Curando primeiro os que estão próximos – é impossível pensar na cura de um povo, se aqueles que
estão em contato direto com a verdade estão totalmente moribundos. Jesus disse a uma mulher que ele não
podia dar o pão dos filhos a qualquer um e deixar seus filhos famintos (Mt 15.26; Mc 7.27). Jesus não
hesitou em livrar aquela mulher da opressão quando essa compareceu a sua ministração. Há dezoito anos
jazia ela oprimida pelo diabo, quando Jesus compareceu ao lugar do culto, ali ela foi liberta. Realmente é
assim: Quando Jesus comparece às nossas reuniões, os oprimidos são libertos, os doentes são
curados e os caídos são levantados e restaurados. E é totalmente impossível que aquele que
comparece diante de Jesus, e tem sido ministrado onde Ele comparece, esteja cheio de ataduras malignas,
enfermidades emocionais e com seu caminhar totalmente transtornado. Onde Jesus está a cura se
manifesta.

3. A dimensão da cura – Somos fruto de uma geração que foi adoecida pela ação do pecado. A ignorância
que imperava em nossos pais e antepassados nos roubou por muito tempo a compreensão de que alianças
com o inimigo traziam maldições que se alastraram pela nossa linhagem. Essas alianças geraram ataduras,
que por sua vez desvirtuaram toda a nossa existência, produzindo frustrações, tristezas que enclausuraram
a alma. O Espírito Santo veio a nós para nos gerar de novo, pois aquele que está em Cristo está sendo
renovado continuamente pela ação do Espírito e da Palavra (II Cor 5.17). Todas as áreas da nossa vida
deverão ser alcançadas pela ação do Espírito Santo,e nós devemos cooperar com Ele desejando, orando e se
entregando a este tratamento para que possamos desfrutar o melhor de Deus. Aquela mulher que jazia
oprimida por um espírito de enfermidade, andava encurvada sem poder olhar adiante, olhando somente
para os pés, sem perspectiva de futuro, com a alma totalmente podada de sonhos, e de maneira nenhuma
podia se endireitar. Ao estar com Jesus sua sorte foi mudada.

Conclusão: Este é um tempo precioso, pois não queremos liturgias mortas, cultos mortos sem a presença
de nosso amado Senhor. Ele tem comparecido, e tem estado conosco de forma poderosa realizando tudo
quanto lhe apraz e certamente nos alegrando. É tempo de cura, tempo de libertação, tempo de refrigério
pela presença do Senhor. Você não precisa mais viver oprimido, deprimido, encurvado, tolhido dos seus
sonhos, vivendo o pior e não o melhor e sem conseguir se endireitar. Jesus está aqui, deixe-o te curar já.
TEMA: PRINCÍPIOS PARA SAÚDE
Texto Chave: "Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre
si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e
moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras,
fomos sarados" (Isaias 53:4,5).

Introdução: O apóstolo João, em sua terceira carta, no versículo dois, traz-nos o que está no coração do
Pai a nosso respeito: "Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é
próspera a tua alma" (3 Jo 2).

Vejamos como não adoecer e ter qualidade de vida:

1 - Fale dos seus sentimentos
Emoções e sentimentos que são escondidos e reprimidos, acabam em doenças como: Gastrite, úlcera, dores
lombares, dor na coluna.
Com o tempo, repressão de sentimentos degenera até chegar ao câncer. Vamos desabafar, confidenciar,
partilhar intimidades, segredos e pecados.
Diálogos, falas, palavras são poderosos remédios, excelente terapia, porém, não o faça a qualquer pessoa.
Procure uma pessoa madura ou o seu pastor - "Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros
da igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo, em nome do Senhor. E a oração
da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão
perdoados. Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para
serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo" (Tiago 5.14-16).

2 - Tome decisões
A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade e na angústia. A indecisão acumula problemas,
preocupações e agressões. A história humana é feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar,
saber perder vantagens e valores pessoais para ganhar os valores de Deus.
As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele - " Ao homem que
teme ao SENHOR, ele o instruirá no caminho que deve escolher. Na prosperidade repousará a sua alma, e a
sua descendência herdará a terra" (Sl 25.12,13).

3 - Busque soluções
Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas. Preferem a lamentação, a
murmuração e o pessimismo. Melhor acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas
produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo de ruinas, derrotas,
perdas, doenças e insucesso, gerará doenças e todo tipo de fragelo. "Porque, como imagina em sua alma,
assim ele é" (Pv 23.7a).

4 - Não viva de aparências
Quem esconde a realidade, finge, faz pose, usa márcara, quer sempre dar impressão de que está bem, quer
mostrar perfeito, bonzinho, está acumulando toneladas de peso, uma estátua de bronze com pés de barro.
Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas, ter muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a
farmácia, o hospital, a dor.

5 - Aceite-se
Rejeição a si próprio, a ausência de auto-estima, faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu
mesmo é o núcleo de uma vida saudável. Os que não se aceitam são ciumentos, imitadores, competitivos,
destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia. "e que amar
a Deus de todo o coração e de todo o entendimento e de toda a força, e amar ao próximo como a si mesmo
excede a todos os holocaustos e sacrifícios" (Mc 12.33).

6 - Confie
Quem não confia não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer
amizades verdadeiras. Sem confiança não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si e em Deus -
"Confia no Senhor e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade. Agrada-te do Senhor, e ele
satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará. Fará
sobressair a tua justiça como a luz e o teu direito, como o sol ao meio-dia" (Sl 37.3-6).

7 - Não viva triste
O bom humor, a risada, o lazer e a alegria recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o
dom de alegrar o ambiente em que vive. O bom humor nos salva das mãos do doutor. Alegria é saúde e
terapia. Jesus, nos deu o maior exemplo de alegria, mesmo passando pelas piores situações, aqui na terra -
"Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria como a
nenhum dos teus companheiros" (Hb 1.9).
"O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas-novas aos
quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr
em liberdade os algemados; a apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a
consolar todos os que choram e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo
de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem
carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a sua glória" (Is 61.1-3).

Conclusão: São princípios simples, que se observados e cumpridos, gerarão qualidade de vida.
Jesus veio para nos trazer vida abundante, isto é, vida de qualidade - "..., eu vim para que tenham vida e a
tenham em abundância" (João 10.10b).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O Evangelismo e a igreja.ppt
O Evangelismo e a igreja.pptO Evangelismo e a igreja.ppt
O Evangelismo e a igreja.ppt
Herbert de Carvalho
 
Estudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismoEstudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismo
rodrigocristao84
 
O pecado de Davi
O pecado de DaviO pecado de Davi
O pecado de Davi
Paulo Roberto
 
A parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgensA parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgens
Antonio Maciel Santos
 
Ministrações do encontro
Ministrações do  encontroMinistrações do  encontro
Ministrações do encontro
Pastora Rosinha Silva
 
Reencontro em Peniel
Reencontro  em PenielReencontro  em Peniel
Reencontro em Peniel
Ramón Zazatt
 
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Evangelismo   conteúdo, método e motivação.Evangelismo   conteúdo, método e motivação.
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Rodrigo Ribeiro
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Éder Tomé
 
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a UmTreinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Christian Lepelletier
 
I ndo a cruz apostila
I ndo a cruz apostilaI ndo a cruz apostila
I ndo a cruz apostila
Jesiel Freitas
 
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de CristoDons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
Viva a Igreja
 
Escada do sucesso na Visão do MDA
Escada do sucesso na Visão do MDAEscada do sucesso na Visão do MDA
Escada do sucesso na Visão do MDA
Sidinei Kauer
 
Aliança com Deus
Aliança com Deus Aliança com Deus
Aliança com Deus
Jessé Lopes
 
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos GruposApostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
Christian Lepelletier
 
Célula nota 10
Célula nota 10Célula nota 10
Célula nota 10
Rodrigo Costa
 
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02
Mariano Silva
 
Treinamento de líderes de células
Treinamento de líderes de célulasTreinamento de líderes de células
Treinamento de líderes de células
Davison Almeida
 
Mt 28.19-20 - Discipulado e RDLl como estratégia de crescimento
Mt 28.19-20 - Discipulado e RDLl como estratégia de crescimentoMt 28.19-20 - Discipulado e RDLl como estratégia de crescimento
Mt 28.19-20 - Discipulado e RDLl como estratégia de crescimento
Natalino das Neves Neves
 
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristãoO fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
Eduardo Sousa Gomes
 
Visão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionistaVisão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionista
Christian Lepelletier
 

Mais procurados (20)

O Evangelismo e a igreja.ppt
O Evangelismo e a igreja.pptO Evangelismo e a igreja.ppt
O Evangelismo e a igreja.ppt
 
Estudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismoEstudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismo
 
O pecado de Davi
O pecado de DaviO pecado de Davi
O pecado de Davi
 
A parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgensA parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgens
 
Ministrações do encontro
Ministrações do  encontroMinistrações do  encontro
Ministrações do encontro
 
Reencontro em Peniel
Reencontro  em PenielReencontro  em Peniel
Reencontro em Peniel
 
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Evangelismo   conteúdo, método e motivação.Evangelismo   conteúdo, método e motivação.
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
 
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a UmTreinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
 
I ndo a cruz apostila
I ndo a cruz apostilaI ndo a cruz apostila
I ndo a cruz apostila
 
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de CristoDons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
Dons espirituais: Descubra seu lugar no Corpo de Cristo
 
Escada do sucesso na Visão do MDA
Escada do sucesso na Visão do MDAEscada do sucesso na Visão do MDA
Escada do sucesso na Visão do MDA
 
Aliança com Deus
Aliança com Deus Aliança com Deus
Aliança com Deus
 
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos GruposApostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
 
Célula nota 10
Célula nota 10Célula nota 10
Célula nota 10
 
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02
 
Treinamento de líderes de células
Treinamento de líderes de célulasTreinamento de líderes de células
Treinamento de líderes de células
 
Mt 28.19-20 - Discipulado e RDLl como estratégia de crescimento
Mt 28.19-20 - Discipulado e RDLl como estratégia de crescimentoMt 28.19-20 - Discipulado e RDLl como estratégia de crescimento
Mt 28.19-20 - Discipulado e RDLl como estratégia de crescimento
 
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristãoO fruto do espírito a essencia do carater cristão
O fruto do espírito a essencia do carater cristão
 
Visão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionistaVisão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionista
 

Semelhante a Estudo de celula

Plugin cd marco-2011_ipad
Plugin cd marco-2011_ipadPlugin cd marco-2011_ipad
Plugin cd marco-2011_ipad
Rodrigo E Dayane
 
Jormi - Jornal Missionário n° 51
Jormi - Jornal Missionário n° 51Jormi - Jornal Missionário n° 51
Jormi - Jornal Missionário n° 51
trabalho como autonomo
 
Jornal Missionário n° 104
Jornal Missionário n° 104Jornal Missionário n° 104
Jornal Missionário n° 104
Almir Rodrigues
 
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
Instituto Teológico Gamaliel
 
Vencendo em tempos de crise 19 07 21
Vencendo em tempos de crise   19 07 21Vencendo em tempos de crise   19 07 21
Vencendo em tempos de crise 19 07 21
Alexsandro Silva
 
Superando o sofrimento
Superando o sofrimentoSuperando o sofrimento
Superando o sofrimento
Pastor Robson Colaço
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
KARINEVONEYVIEIRABAR
 
005c - O Ordine Gesu Redentore RESPOSTAS RA AS PERGUNTAS EXISTENCIAIS SEGUIN...
005c - O Ordine Gesu Redentore  RESPOSTAS RA AS PERGUNTAS EXISTENCIAIS SEGUIN...005c - O Ordine Gesu Redentore  RESPOSTAS RA AS PERGUNTAS EXISTENCIAIS SEGUIN...
005c - O Ordine Gesu Redentore RESPOSTAS RA AS PERGUNTAS EXISTENCIAIS SEGUIN...
OrdineGesu
 
Todos santos e fieis defuntos nov 2015
Todos santos e fieis defuntos nov 2015Todos santos e fieis defuntos nov 2015
Todos santos e fieis defuntos nov 2015
Cdjp Aveiro
 
Boletim o pae fevereiro 2020
Boletim o pae   fevereiro 2020Boletim o pae   fevereiro 2020
Boletim o pae fevereiro 2020
O PAE PAE
 
01 ALIMENTO DA FÉ JANEIRO DE 2019.pdf
01 ALIMENTO DA FÉ JANEIRO DE 2019.pdf01 ALIMENTO DA FÉ JANEIRO DE 2019.pdf
01 ALIMENTO DA FÉ JANEIRO DE 2019.pdf
SilvioOliveira86
 
Diamica dons espirito
Diamica dons espiritoDiamica dons espirito
A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503
A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503
A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503
Daniel de Melo
 
22 02 12
22 02 1222 02 12
Voz da Paróquia - Julho 2012
Voz da Paróquia - Julho 2012Voz da Paróquia - Julho 2012
Voz da Paróquia - Julho 2012
jesmioma
 
Ebook as-bem-aventuranças
Ebook as-bem-aventurançasEbook as-bem-aventuranças
Ebook as-bem-aventuranças
Luiza Dayana
 
As bem aventuranças (vários autores)
As bem aventuranças (vários autores)As bem aventuranças (vários autores)
As bem aventuranças (vários autores)
Deusdete Soares
 
Ta2011 liturgia de-lancamento
Ta2011 liturgia de-lancamentoTa2011 liturgia de-lancamento
Ta2011 liturgia de-lancamento
Armin Andreas Hollas
 
JORMIi - jornal missionário nº 82
JORMIi  - jornal missionário nº 82JORMIi  - jornal missionário nº 82
JORMIi - jornal missionário nº 82
Almir Rodrigues
 
Amigos de deus
Amigos de deusAmigos de deus
Amigos de deus
Eleutere Soares
 

Semelhante a Estudo de celula (20)

Plugin cd marco-2011_ipad
Plugin cd marco-2011_ipadPlugin cd marco-2011_ipad
Plugin cd marco-2011_ipad
 
Jormi - Jornal Missionário n° 51
Jormi - Jornal Missionário n° 51Jormi - Jornal Missionário n° 51
Jormi - Jornal Missionário n° 51
 
Jornal Missionário n° 104
Jornal Missionário n° 104Jornal Missionário n° 104
Jornal Missionário n° 104
 
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
Alimento bíblico semanal 32“o segredo para a vitória” parte 2 persistência na...
 
Vencendo em tempos de crise 19 07 21
Vencendo em tempos de crise   19 07 21Vencendo em tempos de crise   19 07 21
Vencendo em tempos de crise 19 07 21
 
Superando o sofrimento
Superando o sofrimentoSuperando o sofrimento
Superando o sofrimento
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-5-vivendo-uma-santa.pptx
 
005c - O Ordine Gesu Redentore RESPOSTAS RA AS PERGUNTAS EXISTENCIAIS SEGUIN...
005c - O Ordine Gesu Redentore  RESPOSTAS RA AS PERGUNTAS EXISTENCIAIS SEGUIN...005c - O Ordine Gesu Redentore  RESPOSTAS RA AS PERGUNTAS EXISTENCIAIS SEGUIN...
005c - O Ordine Gesu Redentore RESPOSTAS RA AS PERGUNTAS EXISTENCIAIS SEGUIN...
 
Todos santos e fieis defuntos nov 2015
Todos santos e fieis defuntos nov 2015Todos santos e fieis defuntos nov 2015
Todos santos e fieis defuntos nov 2015
 
Boletim o pae fevereiro 2020
Boletim o pae   fevereiro 2020Boletim o pae   fevereiro 2020
Boletim o pae fevereiro 2020
 
01 ALIMENTO DA FÉ JANEIRO DE 2019.pdf
01 ALIMENTO DA FÉ JANEIRO DE 2019.pdf01 ALIMENTO DA FÉ JANEIRO DE 2019.pdf
01 ALIMENTO DA FÉ JANEIRO DE 2019.pdf
 
Diamica dons espirito
Diamica dons espiritoDiamica dons espirito
Diamica dons espirito
 
A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503
A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503
A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503
 
22 02 12
22 02 1222 02 12
22 02 12
 
Voz da Paróquia - Julho 2012
Voz da Paróquia - Julho 2012Voz da Paróquia - Julho 2012
Voz da Paróquia - Julho 2012
 
Ebook as-bem-aventuranças
Ebook as-bem-aventurançasEbook as-bem-aventuranças
Ebook as-bem-aventuranças
 
As bem aventuranças (vários autores)
As bem aventuranças (vários autores)As bem aventuranças (vários autores)
As bem aventuranças (vários autores)
 
Ta2011 liturgia de-lancamento
Ta2011 liturgia de-lancamentoTa2011 liturgia de-lancamento
Ta2011 liturgia de-lancamento
 
JORMIi - jornal missionário nº 82
JORMIi  - jornal missionário nº 82JORMIi  - jornal missionário nº 82
JORMIi - jornal missionário nº 82
 
Amigos de deus
Amigos de deusAmigos de deus
Amigos de deus
 

Último

quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 

Último (14)

quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 

Estudo de celula

  • 2. TEMA: A FELICIDADE DO PERDÃO Texto: Salmos 32.1-7 Introdução: A felicidade tem sido procurada ardentemente pelos povos de todos os tempos. Alguns a procuram no dinheiro, na riqueza; outros na fama. Muitos tentam encontrá-la no casamento, na família e em outros lugares. Infelizmente todas estas opções de felicidade estão ligadas a circunstâncias, que nem sempre permitem que esta felicidade seja duradoura. No entanto a Bíblia, a Palavra de Deus, revela onde com toda a certeza podemos encontrar a verdadeira felicidade. 1- A FONTE DA FELICIDADE. a) Bem-aventurado (feliz) o que é perdoado (vs. 1 e 2) – Quando somos perdoados nosso coração fica leve, nosso rosto sorridente, o peso da culpa e da dor são retirados de nós. b) O Senhor é quem dá o perdão (Dn 9.9 - 10). O verdadeiro perdão vem de Deus. c) Jesus tem autoridade para perdoar (Mt 9.6) – Jesus demonstrou sua autoridade de perdoar quando foi para a cruz em nosso lugar. Portanto, só Ele, que se entregou por nós, tem capacidade para dizer: “Perdoados estão os teus pecados”. d) O bom ânimo vem com o perdão (Mt 9.2) – O Senhor nos diz que o perdão nos dá um ânimo novo, novas expectativas, vontade de viver, porque com ele vem a certeza que tudo será diferente. 2- O CAMINHO PARA A FELICIDADE. a) Não se calar acerca do pecado (vs. 3,4) – Calar significa tentar esconder, disfarçar, dissimular, ou até mesmo não reconhecer o próprio pecado. Quando fazemos assim nosso corpo sofre, nos tornamos pessoas secas, vazias, envelhecidas, com um humor ruim e desagradável. b) Confessar o pecado (v.5) – Quando conseguimos enxergar o nosso verdadeiro estado e queremos resolver a questão, precisamos saber o que fazer. A Bíblia nos ensina que o salmista, confessou ao Senhor, os seus pecados e maldades. Quando fazemos isso, recebemos paz e nos tornamos prósperos (Pv 28.13). c) Deixar o caminho do ímpio (Is 55.7) –. Quando recebemos o perdão e desejamos andar de maneira vitoriosa, devemos deixar as velhas práticas. Assim evitamos retornar a situação anterior. 3- COMO ACHAR A FELICIDADE. a) Pedir a Deus em oração (vs 6a). Devemos pedir claramente a Deus que nos perdoe e que nos ajude a romper com o pecado, com as nossas deficiências, sejam elas quais forem: caráter, finanças, rejeição, dificuldades de relacionamento, etc. b) A tempo de poder achá-Lo (vs 6) – Quanto mais tempo passa, pior fica para nós a ação das transgressões. Há pessoas que esperam, por exemplo, que o casamento esteja praticamente acabado para então buscar ajuda; que esperam que a angústia, se transforme em mágoa e então, quando já estão com depressão, buscam socorro. c) No Senhor (vs 7). Não há outro que nos possa Dar a verdadeira felicidade. Só o Senhor nos livra, nos esconde, nos preserva, enfim, Ele coloca em nós, novos cânticos de alegria. Conclusão - A verdadeira felicidade está na fonte do perdão chamada JESUS! Já que só Ele foi até a cruz, muitos homens e mulheres (João, Maria, Marta, entre outros) estavam próximos da cruz, mas isso não resolve. Jesus é quem foi pregado, portanto, só Ele tem o caminho para a felicidade. Uma felicidade que não depende das circunstâncias desta vida, uma felicidade que não é passageira, pelo contrário, é eterna. Se você quer receber esta felicidade em sua vida hoje, faça uma oração a Deus confessando os seus pecados, que Ele é fiel e justo para lhe perdoar. Receba Jesus como Senhor e Salvador de sua alma!
  • 3. TEMA: ANDANDO NA MEDIDA DO SENHOR Texto: Ez. 47.1-12 Introdução: O Senhor quer nos ministrar nesta lição sobre a necessidade de andarmos, trilharmos à medida dele. À medida que Ele nos ensina, estabelece patamares que consolidam etapas até chegarmos a lugares férteis, lugares de multiplicação que não apenas nos abençoarão, mais abençoarão a todos quanto cruzarem o nosso caminho. 1 - Voltando-se à Porta (v: 1) – O Espírito Santo sempre nos levará a olharmos para a porta. A Porta é Jesus, Ele é o caminho, é a Verdade, é a Vida, nada existe sem Ele, tudo foi feito por Ele e para Ele. Quem conhece a Jesus, conhece a seu Pai, quem quer adorar ao Pai, tem que adentrar ao Santo dos Santos passando pela Porta que é seu Filho. Quem quer tocar ao Pai, tem que beijar o Filho. Esse é o início de tudo. Sem isso não há trajetória, não se empreende a viagem que nos levará aos lugares férteis, lugares de multiplicação, lugares onde a benção superabunda. 2 - Águas que correm do Santuário – As águas purificadoras correm do Trono de Deus. Este lugar, não é um lugar geográfico, mas um lugar espiritual. Um lugar que se alcança em Deus. Um lugar que se chega na adoração. Um lugar que aquele que ama ao Senhor sacia toda a sua sede realiza todo o desejo de sua alma, clamando cada dia por mais do Senhor. A Palavra de Deus diz que “bom é o Senhor para os que se atém a Ele, para a alma que o busca” (Lm 3.25). Todas as nossas fontes estão ali, estão no Senhor. 3 - Águas que dão nos artelhos (v: 3) - O profeta agora estava sob a direção “daquele homem” que o guiava medindo distâncias, estabelecendo limites e etapas. E ele o fez passar por águas que davam nos artelhos. Os artelhos falam de fundamentos que geram equilíbrio. Não se alcança vitória sem estar bem fundamentado. A ausência de fundamentos sólidos distorce o caminho, acarretam danos e perdas e muitas outras coisas e o final é morte. Nossos pés precisam estar bem firmados, tanto espiritualmente, quanto emocionalmente e materialmente. O ensino, o discipulado, a vida de oração, a leitura da palavra, as ministrações, todas devem ser encaradas como de grande importância, pois nisso está à edificação de um caráter sólido e equilibrado que será valioso na caminhada. 4 - Águas que dão nos joelhos (v: 4) – Os joelhos é que nos dão mobilidade e flexibilidade. Temos que permitir que o mover do Espírito agindo sobre a Palavra em nossas vidas nos levem a nos mover, mas também a nos prostrarmos diante do Senhor, nos rendendo a Ele em sujeição, e também nos levantarmos quando temos que enfrentar o inimigo. O Senhor vai nos encaminhar nesse treinamento, ensinando-nos a sermos obedientes e flexíveis a voz do Espírito. 5 - Águas que dão nos lombos (v: 4b) – Os lombos falam da Aliança, da fidelidade e do compromisso. O rio de Deus tem que chegar até aos nossos lombos. Temos que ser trabalhados a ponto de nos tornarmos fiéis ao Senhor irrestritamente. Trazermos sobre nós a responsabilidade, o compromisso com a verdade, tanto em vivê-la, quanto anunciá-la. É parte do agir de Deus em nós gerar homens e mulheres de compromisso e aliança. Passe pelas águas que lhe dão sobre os lombos. 6 - Águas Profundas que o eu não pode atravessar – O refino de Deus é para nos levar aos lugares impossíveis de qualquer eu atravessar. Pois devemos entender isso, que os lugares de muitos peixes, lugares de abundância, são os lugares onde só podemos chegar pela intervenção divina, pelo agir sobrenatural de Deus. Em todos os outros momentos o profeta era instado a entrar nas águas, agora a Palavra diz que toda a criatura vivente por onde entrar essas águas viveria, seria sarada (v: 9). O Senhor trabalha para que sejamos preparados para romper com a linha racional do eu, nos sujeitando a Ele totalmente, para que possamos ser levados pela correnteza desse rio, recebendo cura, restauração e levando vida ao mar (mundo). As correntes de águas curadoras desembocam no mar (fig. Do Mar Morto), o propósito de Deus é gerar vida onde há morte, é nos tirar do templo e nos encaminhar aos lugares sem fôlego de vida e tudo restaurarem. Conclusão: A multiplicação, abundância de peixes (vidas) está intimamente ligada a essa verdade. Se seguirmos estes princípios, nossas células serão prósperas, nossa Igreja verá uma grande multiplicação, nossa cidade será totalmente impactada, recebendo da parte do Senhor um grande avivamento. Siga ao homem com o cordel de medir e não esmoreça na caminhada. Você é um vencedor!
  • 4. TEMA: CRESCENDO EM TUDO Texto: “Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Efésios 4.15). Introdução: Recebemos uma ordem do Pai através do Apóstolo Paulo: “Cresçamos em tudo naquele que é a cabeça”. Em nenhum lugar da Palavra de Deus está escrito que devemos parar. Isto significa que enquanto estivermos aqui na terra precisamos continuar buscando o conhecimento do Senhor. Andrew Anderson diz: “Um escultor às vezes abandona o seu trabalho e volta a ele em outro dia, a fim de retomar onde parou. Mas o mesmo não acontece com o crescimento da alma. A obra da graça em nós cresce ou declina, aumenta ou diminui”. Vejamos como deve ser esse crescimento: 1 – Crescer na graça e no conhecimento (2 Pedro 3.18). O crescimento na graça e conhecimento traz firmeza para suportar os desafios e vencê-los sem decair na fé – (2 Pedro 3.17). 2 – Crescer em amor “E também faço esta oração: que o vosso amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda a percepção, para aprovardes as coisas excelentes e serdes sinceros e inculpáveis para o Dia de Cristo, cheios do fruto de justiça, o qual é mediante Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus” O crescimento no amor traz: conhecimento, percepção, excelência, sinceridade, liberdade, fruto de justiça. Veja o que diz 1 Tessalonicenses 3.12. O nosso adversário só cruza os braços enquanto os crentes, líderes, pastores, familiares brigam uns com os outros, até que os relacionamentos, família, obra de Deus sejam destruídos. 3 – Crescer na intimidade com o Senhor (1 Samuel 3.19). Samuel crescia não somente em estatura, mas também no conhecimento do Senhor, por isto, O Senhor era com ele, tornando-se o sucessor do sacerdote Eli. A falta de intimidade com Deus traz destruição – (Oséias 4.6a) 4 – Crescer em força (Jó 17.9). Mãos limpas trazem autoridade e aquele que não é puro de mãos terá sua força diminuída. A ordem de Deus descrita pelo Apóstolo Paulo em Efésios 6.10 é para crescer em força: 5 – Crescer em prudência (Provérbios 1.5). A prudência é estabelecida através dos princípios contidos na Palavra de Deus. Crescer em prudência traz habilidade para as grandes conquistas. 6 – Crescer na fé (2 Coríntios 10.15). A fé não nasce pronta. Ela cresce a medida que é exercida ou praticada. Para agradar ao Pai precisamos crescer na fé: (Hebreus 11.6). Conclusão: “Um bom cristão não é como o sol de Ezequias, que recuou, nem como o de Josué, que permaneceu imóvel, mas como o que está sempre avançando em santidade e elevando-se no crescimento de Deus” (Thomas Watson).
  • 5. TEMA: O LÍRIO ENTRE OS ESPINHOS Texto: (Cantares 2.1,2). Introdução: Desde os primeiros séculos da era cristã, a história de Salomão e sua amada é interpretada como uma alegoria sobre Jesus e a igreja. Ele é o Lírio dos Vales e ela também é comparada a um lírio. 1 – Onde a igreja está plantada? Onde você está plantado? Talvez você esteja em angústias, sendo confrontado com os seus valores antigos do velho homem, ou sendo levado a renunciar os deleites da alma, a crucificar a carne. O lírio entre os espinhos nos dá a idéia de uma situação incômoda e de sofrimento. 2 – Reações ao sofrimento Você quer fugir, abandonar o barco, livrar-se do incômodo. Um lírio não foge. Planta não foge. Se for retirada do próprio lugar de forma indevida, poderá murchar e morrer. Muitas pessoas abandonam o lar, o emprego, a escola, a igreja, fugindo dos incômodos, os espinhos. 3 – Em tudo há um propósito O nosso Pai tem controle sobre todas as coisas e você está aí por um propósito e uma direção de Deus (a não ser que a sua situação seja contrária à Palavra de Deus ou um ciclo já tenha se fechado). Cumpra a sua missão, persevere. Veja o que Deus disse a Daniel: “mas o povo que conhece ao seu Deus se esforçará e fará proezas” (Daniel 11.32b). Analise o que diz o salmo 92.13,14 – “Os que estão plantados na Casa do SENHOR florescerão nos átrios do nosso Deus. Na velhice ainda darão frutos; serão viçosos e florescentes”. 4 – O lírio é muito diferente dos espinhos Mostre a diferença onde você estiver. Somos sal da terra e luz do mundo – “Vocês são o sal para a humanidade; mas, se o sal perde o gosto, deixa de ser sal e não serve para mais nada. É jogado fora e pisado pelas pessoas que passam. Vocês são a luz para o mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte” (Mateus 5.13,14 NTLH). Mostre a beleza cristã, o contraste em relação à vida do ímpio – “E eles serão meus, diz o SENHOR dos Exércitos, naquele dia que farei, serão para mim particular tesouro; poupá-los-ei como um homem poupa a seu filho que o serve. Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus e o que não o serve” (Malaquias 3.17,18). 5 – O lírio tem perfume “Porque para Deus somos o bom cheiro de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem” (2 Coríntios 2.15). Lírio tem perfume, espinho não tem. Exale seu bom perfume de Cristo em seu modo de viver, modo de falar, de relacionar com os outros mesmo que sejam espinhos. Conclusão: Tiago nos instrui que as tentações, desafios, dificuldades vem para o nosso crescimento e fortalecimento. Veja: “Meus irmãos, sintam-se felizes quando passarem por todo tipo de aflições. Pois vocês sabem que, quando a sua fé vence essas provações, ela produz perseverança. Que essa perseverança seja perfeita a fim de que vocês sejam maduros e corretos, não falhando em nada!” (Tiago 1.2-4 NTLH). Veja o que diz Eclesiastes 7.8: “Melhor é o fim das coisas do que o princípio delas; melhor é o longânime do que o altivo de coração”.
  • 6. TEMA: PASSOS PARA CONSTRUIR UMA AUTO-IMAGEM CORRETA Texto: (Sl 8.3-6) Introdução: Por causa do pecado que atingiu a raça humana através de Adão e Eva, que originou tantos flagelos o ser humano perdeu a sua condição original dada pelo Pai e hoje, após inúmeras feridas na alma, tornou-se distante daquilo que Deus fez e está escrito em sua Palavra. Quer ser restaurado? Vejamos os passos abaixo: 1) Comece um novo relacionamento com Deus "Eu pedi a ajuda do SENHOR, e ele me respondeu; ele me livrou de todos os meus medos" (Sl 34.4 NTLH). "Até os leões não têm comida e passam fome, porém não falta nada aos que procuram a ajuda do SENHOR" (Sl 34.10 NTLH). Ele é o nosso Pai, a nossa fonte, o nosso referencial. Converse com Ele, ore, louve, adore, vá à igreja, tenha comunhão com os irmãos em Cristo e a sua família, persevere. Decida ser uma pessoa de relacionamentos. 2) Limpe o coração "Felizes as pessoas que têm o coração puro, pois elas verão a Deus" (Mt 5.8 NTLH)). "Quem tenta esconder os seus pecados não terá sucesso na vida, mas Deus tem misericórdia de quem confessa os seus pecados e os abandona" (Pv 28.13 NTLH) Confesse as culpas, arrependa-se, receba pela fé o perdão, tenha humildade e simplicidade, e perdoe-se. 3) Confie nos planos de Deus para você "Confia no SENHOR e faze o bem; habitarás na terra e, verdadeiramente, serás alimentado. Deleita-te também no SENHOR, e ele te concederá o que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará. E ele fará sobressair a tua justiça como a luz; e o teu juízo, como o meio-dia" (Sl 37.3-6). O nosso Pai tem o melhor para nós. Renda-se sem reservas. Tire as resistências. 4) Seja agradecido(a) "E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos" (Cl 3.15) Agradeça a Deus por tudo. Ele tem total controle sobre as nossas vidas e lembre-se que o fim das coisas é melhor do que o início delas (Ec 7.8). 5) Dependa de Deus para melhorar em todas as áreas de sua vida "Eu sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido comigo e eu com ele, esse dá muito fruto porque sem mim vocês não podem fazer nada. Quem não ficar unido comigo será jogado fora e secará; será como os ramos secos que são juntados e jogados no fogo, onde são queimados. Se vocês ficarem unidos comigo, e as minhas palavras continuarem em vocês, vocês receberão tudo o que pedirem" (Jo 15.5-7 NTLH) 6) Tome cuidado com as palavras que saem de sua boca "O que você diz pode salvar ou destruir uma vida; portanto, use bem as suas palavras e você será recompensado" (Pv.18.21 NTLH). "De sorte que aquele que se bendisser na terra será bendito no Deus da verdade;..." (Is 65.16a) Confesse a Palavra de Deus. Profetize vitória e confie, Deus é fiel. 7) Descanse em Deus "Tendo por certo isto mesmo: que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao Dia de Jesus Cristo" (Fl 1.6). Creia que o Espírito Santo está trabalhando por você e em você. Conclusão: Sabemos que sem a ajuda do Espírito Santo jamais conseguiremos uma restauração completa de nossa alma. É Ele quem ministra o amor restaurador do Pai em nossos corações.
  • 7. TEMA: OS NOSSOS RECURSOS Texto: Ef 6:10-19 Introdução: Ao que tudo indica o apóstolo, ao permanecer sob a vigilância constante de soldados romanos, inspirou-se na roupagem de um soldado para descrever o que consta neste trecho de Efésios. A Armadura de Deus que Ele recomenda a nós é a descrição dos paramentos de um soldado daqueles tempos. Quanto a sermos soldados, trata-se de uma figura comum nas Escrituras. Por exemplo, em II Timóteo 2:3- 4, lemos: Suporte comigo os meus sofrimentos, como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado se deixa envolver pelos negócios da vida civil, já que deseja agradar aquele que o alistou. 1º Você é um soldado e não pode ignorar isto! Há um inimigo que investirá contra você e contra todo o povo de Deus. Somente há uma maneira de você resistir e prevalecer, utilizando-se da força e do poder que o Senhor coloca ao nosso dispor, através de Jesus Cristo: Fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder (v. 10). Em II Coríntios 11:3, o apóstolo ensina que Satanás investe contra nós exatamente da mesma maneira como investiu contra Eva, na intenção de controlar nossas mentes. 2º Nem subestimando, nem superestimando o inimigo. São dois os erros que precisamos evitar. O primeiro, de desprezar o inimigo e fazer de conta que ele não existe. Agindo assim, logo você descobrirá a tolice que fez. O outro erro, o de superestimá-lo, dando-lhe um status que não possui. Ainda que a Bíblia nos ensine a vigiar contra suas investidas, temos a garantia de que maior é o Senhor que está conosco e que as armas que Deus nos disponibiliza são suficientes para destruir todas as fortalezas do Maligno (2 Co 10:4). 3º Você precisa tomar posse de sua armadura! Vistam-se de toda a armadura de Deus, para poderem ficar firmes contra as ciladas do Diabo (Ef 5:11). O apóstolo garante que devidamente armados, seremos capazes de resistir no dia mau e permanecer inabaláveis (v. 13). Haverá dias quando os ataques serão mais concentrados e visarão nos derrubar. A armadura é garantia de resistência. Eis os componentes da armadura: a) O cinto da verdade: A mentira sempre oferece brecha a Satanás, chamado por Jesus de “pai da mentira” (Jo 8:44). Em contrapartida, Jesus declarou: Eu Sou a Verdade (Jo 14:6). O Espírito Santo é o Espírito da verdade, e nos guia por ela (Jo 16:13). b) A couraça da justiça: Deus é perfeitamente justo e da nossa parte devemos ter fome e sede de Sua justiça (Mt 5:6). Significa estar debaixo da aprovação de Deus, na fidelidade. A obediência é garantia de uma cobertura, uma couraça sobre nossas vidas. c) O calçado para os pés: Seus pés têm que ter a formosura peculiar de quem se deixa conduzir pelo Senhor a anunciar suas Boas Novas. Isaías 52:7 é um texto chave para você entender acerca desta “beleza” que há nos pés de um ganhador de almas. Há um par de sandálias sobrenaturais, para os pés do que se prepara e anuncia o Evangelho. São os mesmos calçados que o farão correr com a velocidade da corça e saltar muralhas... d) O escudo da fé: Efésios 5:16 explica que o escudo é para nos defender de dardos inflamados, que são flechas com fogo do inferno. Este escudo serve para nos conservar fiéis – os dardos tentarão minar nossa fidelidade e nos fazer desistir da fé. De diversas formas estes dardos serão arremessados, principalmente por meio de palavras vindas de outras pessoas. Todo soldado tinha que manter seu escudo ungido! O Espírito Santo em sua vida proverá o óleo para seu escudo. e) O capacete da salvação: Trata-se da sua identidade – a certeza que você precisa ter de quem é diante de Deus. Você precisa lembrar-se de que recebeu uma nova identidade através de Jesus Cristo, como Filho de Deus. Esta identidade lhe dá acesso às regiões celestiais e à fonte de poder e autoridade, em Jesus Cristo. f) A espada do Espírito: A Palavra de Deus, as Escrituras. Foi com Ela que Jesus venceu Satanás nas tentações após Seu batismo (Mt 4:1-10). É preciso conhecer, aprender, praticar e saber manejar a Palavra. g) Oração: Ef 5:18 tem uma alusão toda especial à oração. O Espírito Santo nos ensina e conduz na oração. Tão importante é a oração que diversas palavras o Senhor Jesus dirigiu aos Seus discípulos acerca de como orar e da necessidade de orar sempre. CONCLUSÃO: Tome posse agora da armadura! Comece a orar com seus discípulos neste momento e leve-os a declarar que reconhecem que são soldados, que o Senhor dos Exércitos é nossa garantia de vitória e que tomam posse de toda a armadura. Leve-os a declarar que reconhecem cada componente enumerado e que se apropriam deles, um a um. Em seguida, ore por Eles, peça o revestimento, o fortalecimento e a proteção do Senhor a eles. Com relação às sandálias, à espada e à oração, aproveite para despertá-los a se envolverem com a Igreja, com a Escola de Líderes, Escola Bíblica. Explique que a comunhão com a Igreja (o quartel general) e com os demais soldados é fundamental
  • 8. TEMA: O DEUS DO SIM Texto: “Porque o Filho de Deus, Jesus Cristo, que entre vós foi pregado por nós, isto é, por mim, Silvano e Timóteo, não foi sim e não; mas nele houve sim. Porque, quantas promessas há de Deus, são nele sim, e por ele o Amém, para glória de Deus por nós” (II Cor. 1: 19, 20) Introdução: Quando Paulo escreve sua segunda epístola aos Coríntios, dentre tantas preciosidades, ele nos mostra com grande clareza o caráter constante de Deus ao se posicionar favoravelmente em relação as suas promessas não hesitando ou se esquecendo delas, antes confirmando-as dizendo sim a todas elas. Deus não se perde no tempo, não se esquece daquilo que falou, ainda que aqueles a quem foram direcionadas suas promessas se mostrem infiéis (II Tim. 2: 13), Ele é fiel e irá trabalhar para que aquilo que foi proferido por sua boca não caia por terra, antes se cumpra. 1 - Quando Deus diz sim – É de suma importância conhecer a Deus e estar sujeito a Ele em amor. O alinhamento com a sua vontade, a disposição de obedecer e de conformar a vida ao querer dele nos fará ouvir o sim de sua parte. Deus diz sim quando a sua soberana vontade prevalece em nós. Antes de existirmos, Ele selou um propósito para a nossa existência (Ef. 1: 11, 12), e as promessas nos encaminham e nos interam acerca dessa vontade eterna como uma estrada bem sinalizada para aquele que trafega nela. 2 - Quando Deus diz não – Deus não tem prazer em contrariar a ninguém. Ele não se compraz na morte, na derrota, na tristeza e na aflição daqueles que Ele mesmo criou para glória e louvor do seu nome. Mas, quando Ele percebe que há nos nossos corações intenções contraditórias à sua vontade, caminhos que podem nos levar para lugares distantes dele e do melhor para nossas vidas, ele não hesita em dizer não. O não de Deus é amor, sempre visa nossa segurança, sempre tem o caráter de nos conservar em alegria. Ele tem olhar amplo, enxerga toda a distância, sabe todos os caminhos que ainda não trilhamos e quer nos guiar em triunfo em todas as estâncias da nossa existência. Deus nos ama e diz sim, mas por nos amar, também diz não. 3 - Quando Deus diz espera – Viver a vida com Deus é uma doce aventura. Não existe nada mais desafiante e estimulador do que relacionar-se com Deus e buscar nele dia após dia o caminho a ser seguido. O Pai nunca nos dará todo a caminho a ser seguido de antemão, Ele sempre quer gerar em nós dependência, e dependência é fruto de proximidade. Aquele que é íntimo do Pai, vê nos dias que são gerados aos seus pés a perda da ansiedade de ver fatos e situações se concretizarem. A espera se torna mais preciosa do que a conquista propriamente dita. A espera se torna a conquista e a vitória uma conseqüência da espera. A espera é terapêutica, esperar cura, revigora, restaura, amplia a visão, nos posiciona, nos molda, tem poder de nos amansar, de nos tornar mais doces, mais amáveis, mais voltados para o bem do que para o egoísmo das vitórias pessoais que nos levaram primeiramente à busca em Deus. Devemos ser gratos a Deus por nos aferir na busca. Por mudar nossa trajetória de busca, por nos tirar do egoísmo e nos fazer ver o que é melhor. Deus é melhor, e suas promessas nos endereçam a Ele. Deus diz espera quando nosso caráter não está pronto e de alguma forma poderemos por a perder aquilo que ele possa vir a nos confiar. Se Deus diz espera é porque Ele está trabalhando para que o bem não seja apenas momentâneo, mais permanente. Conclusão: Não permita que haja em seu coração nenhuma desconfiança a respeito do Deus que você serve. Não permita que o inimigo lance setas de incerteza ao seu coração. Deus é sim. O que Ele falou, Ele cumprirá. A sua saída é certa e Ele virá a você como chuva e regará toda a sua vida com as mais preciosas bênçãos. Com certeza o melhor está por vir.
  • 9. TEMA: AINDA VALE A PENA SONHAR Texto: “Quando o SENHOR restaurou a sorte de Sião, ficamos como quem sonha” (Salmo 126.1). Introdução: Alguém já disse que “o homem não morre quando deixa de viver, e sim quando deixa de sonhar”. Se a vida não tivesse sonhadores tudo seria sem graça, não haveria motivos para se viver, pois a beleza da vida está no colorido dos sonhos, que nos falam de esperança, de perspectivas, de novos horizontes a serem visualizados, de uma estrada a ser percorrida. Alguém já disse que “o homem não morre quando deixa de viver, e sim quando deixa de sonhar”. 1. Há dois tipos de sonhos: O primeiro é aquele que sonhamos dormindo e, o segundo, trata-se do que sonhamos acordados. Sonhar faz bem para o corpo, para a alma e para o nosso coração! Para quem tem problemas com dinheiro, temos uma maravilhosa notícia para dar: sonhar não custa nada. Você não terá que pagar absolutamente nenhum centavo, e sim, acreditar em você mesmo, crer nos seus sonhos e, acima de qualquer questão, confiar os seus sonhos a Deus. 2. Vale a pena sonhar: Os sonhos regam uma mente infrutífera; os sonhos fazem florescer o jardim do nosso coração com as mais lindas flores da primavera; os sonhos nos fazem vislumbrar um mundo melhor. Todos quantos estão parando de sonhar estão abandonando simplesmente o prazer de viver. Os sonhos são como um novo amanhecer. Vêm nos trazer boas novas de um dia melhor, de um mundo melhor, pois sonhar faz parte da vida de gente capaz, de gente que pensa, de gente visionária. 3. Sonhe e veja além do óbvio: Acreditar que ainda vale a pena sonhar é para os que conseguem enxergar além do óbvio; eles vêem onde ninguém viu nem consegue ver; os que ousam sonhar não têm limites. Seus limites vão além dos demais. Os sonhadores são ilimitados, pois nos seus corações pulsam conquistas, vitórias. No seu sangue nutrem uma única palavra: “vencer ou vencer”. Eles sabem que a vida só tem sentido quando se sonha pra valer. Conclusão: O ex-presidente americano Richard Nixon afirmou: “os covardes nunca tentam, os fracassados nunca terminam e os vencedores nunca desistem”. Um sonhador nunca se acovarda, está sempre tentando mais uma vez. Mesmo que surja uma aparente derrota, os sonhadores vêem naquele fracasso uma experiência vitoriosa a ser usada mais à frente com todo ardor. Sonhe, mas sonhe muito e sempre! Pois enquanto sonhamos, estamos lançando nesta bela terra as sementes mais lindas da vida. Deus sonhou, um dia, comigo e com você, sonhou com a nossa salvação e enviou Jesus. Acredite, ainda vale a pena sonhar!
  • 10. TEMA: VIVENDO NO SOBRENATURAL DE DEUS Texto: 1 Rs 17 Introdução: Precisamos aprender a viver no sobrenatural de Deus. Não podemos nos abalar diante das circunstâncias, mas devemos crer que o nosso Deus é o Deus dos impossíveis. Se você estiver disposto a caminhar com Deus, Ele se revelará em sua vida demonstrando que todo o poder está em suas mãos e te dará a vitória diante de todas as circunstancias e provações. Qual é o segredo para vivermos uma vida no sobrenatural de Deus? 1 - Dependência total de Deus a - Deus protegeu o seu profeta das mãos de Acabe. “Veio-lhe a palavra do Senhor, dizendo: Retira-te daqui, vai para o lado oriental e esconde-te junto à torrente de Querite, fronteira ao Jordão” (Vv.2, 3) b - Deus sustentou o seu profeta de uma forma sobrenatural. “Foi, pois, e fez segundo a palavra do Senhor; retirou-se e habitou junto à torrente de Querite, fronteira ao Jordão. Os corvos lhe traziam pela manhã pão e carne, como também pão e carne ao anoitecer; e bebia da torrente” (Vv.5, 6) c - Você tem aprendido a depender somente de Deus? Compartilhe. 2) Obediência total a Deus a - Elias obedeceu a Deus e foi para Sarepta. “Dispõe-te, e vai a Sarepta, que pertence a Sidom, e demora- te ali, onde ordenei a uma mulher viúva que te dê comida” (V.9) b - Elias seria sustentado mais uma vez de uma forma sobrenatural. “Porém ela respondeu: Tão certo como vive o Senhor, teu Deus, nada tenho cozido; há somente um punhado de farinha numa panela e um pouco de azeite numa botija; e, vês aqui, apanhei dois cavacos e vou preparar esse resto de comida para mim e para o meu filho; comê-lo-emos e morreremos. Elias lhe disse: Não temas; vai e faze o que disseste; mas primeiro faze dele para mim um bolo pequeno e trazes-mo aqui fora; depois, farás para ti mesma e para teu filho Porque assim diz o Senhor, Deus de Israel: A farinha da tua panela não se acabará, e o azeite da tua botija não faltará, até ao dia em que o Senhor fizer chover sobre a terra” (Vv.12-14) c - A obediência da mulher à palavra profética de Elias produziu prosperidade em sua casa. “Foi ela e fez segundo a palavra de Elias; assim, comeram ele, ela e a sua casa muitos dias. Da panela a farinha não se acabou, e da botija o azeite não faltou, segundo a palavra do Senhor, por intermédio de Elias” (Vv.15,16). d - Lembre-se, "a obediência precede a benção!" Compartilhe. 3) Fé total em Deus a - Elias clamou ao Senhor e rogou que Deus ressuscitasse o filho da viúva. “E, estendendo-se três vezes sobre o menino, clamou ao Senhor e disse: Ó Senhor, meu Deus, rogo-te que faças a alma deste menino tornar a entrar nele. O Senhor atendeu à voz de Elias; e a alma do menino tornou a entrar nele, e reviveu” (Vv.21-22) b - Elias experimentou o milagre de Deus porque exercitou sua fé. “Ao que lhe respondeu Jesus: Se podes! Tudo é possível ao que crê” (Mc 9.23); “Para os homens é impossível; contudo, não para Deus, porque para Deus tudo é possível” (Mc 10.27). c - Como está a sua fé? Fraca, forte ou mais ou menos? Lembre-se: Sua fé determina e respalda sua conquista no sobrenatural! Conclusão: Deus nos tem chamado para vivermos no sobrenatural, Ele deseja que experimentemos grandes milagres e conquistemos uma vida espiritual abundante. Lembre-se disto, Deus tem coisas grandes e ocultas preparadas para todos nós! “Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes (Jr 33.3).
  • 11. TEMA: VITÓRIA DEMORADA Texto: “Dali expulsou Calebe os três filhos de Anaque: Sesai, Aimã e Talmai, gerados de Anaque” (Js 15.14). Introdução: A tribo de Judá conseguiu expulsar de Hebrom os três filhos de Anaque. Eles eram descendentes daqueles gigantes que assustaram dez dos doze espias enviados por Moisés a Canaã – “Também vimos ali gigantes (os filhos de Anaque são descendentes de gigantes), e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos” (Nm 13.33). Mas os mesmos filhos de Judá não puderam, ou não conseguiram expulsar os jebuseus de Jerusalém – “Não puderam, porém, os filhos de Judá expulsar os jebuseus que habitavam em Jerusalém; assim, habitam os jebuseus com os filhos de Judá em Jerusalém até ao dia de hoje” (Js 15.63). Foram obrigados a conviver com eles até que os homens de Davi os derrotaram – “Disseram os moradores de Jebus a Davi: Tu não entrarás aqui. Porém Davi tomou a fortaleza de Sião; esta é a Cidade de Davi. Porque disse Davi: Qualquer que primeiro ferir os jebuseus será chefe e comandante. Então, Joabe, filho de Zeruia, subiu primeiro e foi feito chefe” (I Cr 11.4-9). Entre o fracasso e a vitória, houve um espaço de tempo muito grande, de quase quatro séculos. 1 - O mesmo pode estar acontecendo com muitos filhos de Deus hoje em dia. Eles vencem o pecado de modo geral, caminham das trevas para a luz e experimentam vitórias admiráveis. Mas ainda não conseguiram vencer certos defeitos de caráter, certos pecados, certos vícios. Estes podem ser: a inveja, a mentira, a ira, a ganância e outros males. A vitória é parcial, e não total. É mais no sentido geral e menos no sentido particular. 2 - Em Corinto vemos crentes carnais. Eles creram na pregação do Evangelho, converteram-se, eram templos do Espírito Santo, mas conservavam comportamentos que satisfaziam aos desejos da carne, e não do espírito – “Na verdade, irmãos, eu não pude falar com vocês como costumo fazer com as pessoas que têm o Espírito de Deus. Tive de falar com vocês como se vocês fossem pessoas do mundo, como se fossem crianças na fé cristã” (I Co 3.1 NTLH). Expulsaram alguma coisa de suas vidas, mas não tudo. 3 - Talvez este seja o seu caso. Você está habituado a atitudes, pequenos vícios e pecadinhos , enfim em práticas que mesmo escondidas desagradam a Deus. Mas hoje Ele te chama para um concerto e uma vitória completa. Identifique e procure derrotar os jebuseus que ainda habitam com você. Se você expulsou os gigantes, também vai conseguir expulsar os jebuseus. Conclusão: Reflita um pouco. Se lembre dos gigantes que você já derrotou em sua vida? Agora veja quais os jebuseus que precisam ser destruídos? Ore agora e peça a Deus que te fortaleza e te dê estratégias de vitória. Tome posse desta nova situação em sua vida e viva um novo tempo.
  • 12. TEMA: COMO DEVEMOS SEGUIR A JESUS Texto: Mateus 8: 18-22 – “Vendo Jesus muita gente ao seu redor, ordenou que passassem para a outra margem. Então, aproximando-se dele um escriba, disse-lhe: Mestre, seguir-te-ei para onde quer que fores. Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça. E outro dos discípulos lhe disse: Senhor, permite-me ir primeiro sepultar meu pai. Replicou-lhe, porém, Jesus: Segue-me, e deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos” Introdução: Muitos hoje estão se dispondo a seguir a Jesus. Por diversos motivos, diversas intenções, muitos de boa fé, outros visando ganhos não tão louváveis, mas o que se nota é que nunca em todo o tempo o nome de Jesus foi tão proclamado, tão anunciado. As pessoas determinam à maneira de se aproximar da fé ou de tudo o que se refere ao reino de Deus. Mas como será que o Senhor Jesus quer ser seguido? Ele sim, a pessoa mais implicada deve deixar claro como quer ser servido, adorado e honrado. 1 - Passando para a banda d’além – “Vendo Jesus muita gente ao seu redor, ordenou que passassem para a outra margem” (v: 18). Aos seus discípulos Jesus sempre ordenará uma travessia. Ninguém será discípulo do Senhor se não estiver disposto a olhar adiante, empreender caminhadas, enfrentar seus próprios medos, enfrentar situações novas, vencer as limitações, aprender, romper com a paralisia, simplesmente ousar, ousar a negar-se, compreender e querer enxergar a verdade de Jesus e de si mesmo. Enfrentar temporais, crer, apostar na fé, empenhar a vida, o nome, permitir-se vencer, querer a cura, querer a libertação, querer mais, mais de Deus, mas do seu poder, mas do seu Espírito, mais do seu amor, servir, romper com o modelo próprio de vida, parar de querer adaptar o Reino de Deus a si, e adaptar-se ao Reino, porque as multidões estão ao redor querendo de Jesus, mas os verdadeiros discípulos querem a Jesus. 2 - Eliminar a presunçosa determinação carnal e depender de Deus – Então, aproximando-se dele um escriba, disse-lhe: Mestre, seguir-te-ei para onde quer que fores. (v: 19). Qualquer disposição de confiar na carne até mesmo para seguir a Jesus deve ser eliminada. A Bíblia está repleta de exemplos de pessoas que assumiram compromissos e não puderam dar conta deles. (Lc. 22: 31- 34; Lc. 14: 25-35). 3 - Ser governado pela Mente de Cristo – “Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça” (v: 20). O grande desafio é fazer com que as pessoas deixem o governo de suas vidas e o entreguem a Jesus. Para isso precisamos ser ensinados. Jesus estava falando a pessoas que estavam se dispondo a segui-lo, então Ele diz: você está disposto a ir aonde vou, fazer o que faço ser o que quero que você seja. Eis aí o grande desafio. 4 - Deixar os mortos enterrar seus mortos – “E outro dos discípulos lhe disse: Senhor, permite-me ir primeiro sepultar meu pai. Replicou-lhe porém, Jesus: Segue-me, e deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos” (v: 21, 22). Este discípulo não estava dizendo que seu pai estava à beira da morte. Ele queria viver com ele até que ele morresse aí então ele seria liberado para seguir a Jesus. O chamado tem prioridade. Em qualquer situação a pessoa de Jesus, seu reino, seu chamado deve sim ter prioridade em nossa vida. Jesus foi claro: “Deixa os mortos sepultarem seus mortos”. Conclusão: Hoje é o dia de começarmos a seguir a Jesus da maneira que Ele deseja que o sigamos. As nossas vitórias estão diretamente ligadas à obediência.
  • 13. TEMA: A ORAÇÃO MUDA A GENTE Texto: “Jesus contou a seguinte parábola, mostrando aos discípulos que deviam orar sempre e nunca desanimar” (Lc 18.1). Introdução: Quando pensamos sobre oração, algumas perguntas surgem em nossas mentes: O que é oração? O que estamos fazendo quando oramos? O que estamos tentando realizar? Qual o propósito que Deus tem em mente ao incitar-nos a orar? Infelizmente muito do ensino concernente a oração é essencialmente errônea. Por que? Muitas vezes a oração é apresentada como um meio ou instrumento para dobrar a Deus; em que nossa vontade torna-se mais importante do que a vontade de Deus. A questão é: Por que oramos? Podemos dizer que a oração é vital porque ela nos muda! Quando pensamos na mudança que a oração opera em nós podemos considerar pelo menos três coisas importantes: 1) oração nos leva à postura de prostração espiritual diante de Deus. Precisamos entender que em primeiro lugar, a oração é louvor e não intercessão. Robert Murray McCheyne afirmou: “o que o homem é, é sobre seus joelhos diante de Deus, e nada mais.”. Buscar a este Deus em oração muda a nossa postura na vida, pois ultrapassamos a perspectiva da busca da nossa própria vontade e nos transformamos em humildes suplicantes e adoradores do Deus que é todo-poderoso. Jesus nos ensina uma lição preciosa dizendo: “quando orardes” e acrescenta: “Vós orareis assim”... “Pai nosso que estais nos céus, Santificado seja o teu nome. Venha o teu reino, Faça-se a tua vontade, Assim na terra como no céu” (Mt 6.6,9,10). Pense no ponto central desta oração. Qual é o ponto central? O ponto central é o louvor e a adoração a Deus! Jesus começa a oração com louvor. O que isto significa? Que quando entramos na presença de Deus e começamos a expor todas as nossas necessidades, sem antes darmos a Ele, a honra e a glória que lhe é devida como Deus, estamos completamente mal orientados. Por isso, Terry Johnson diz: “a oração é mudança não da mente de Deus, mas de toda nossa orientação, de uma concentração em nossas preocupações, para uma centralização em Deus, na sua glória e vontade”. 2) A oração nos muda construindo nossa fé. Quando olhamos as orações na Bíblia, percebemos que os profetas e apóstolos sempre começavam suas orações com louvor e adoração. A oração de Davi na dedicação de materiais para serem usados no templo começa assim: “Bendito és tu, Senhor, Senhor Deus de Israel, nosso pai, de eternidade em eternidade (1 Cr 29.10). Teu, Senhor, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra...” Davi se envolve com a grandeza e majestade de Deus que o atrai e o deixa extasiado. Este envolvimento de adoração e louvor muda a vida de Davi que adquire a consciência do poder ilimitado de Deus. Em Isaias 37.16, Ezequias orava por causa da ameaça da Assíria que estava para invadir Jerusalém. O que ele diz em sua oração? “Ó Senhor dos Exércitos, Deus de Israel, que estás entronizado acima dos querubins, tu somente és o Deus de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra.” Diante da crise, Ezequiel relembra para si mesmo, que Deus está entronizado no mais alto dos tronos “acima dos querubins”, que ele é o senhor de todos “os reinos da terra” e que por causa disto, ele podia livrar o povo da ameaça Assíria. 3) A oração nos muda limpando nossas almas. Quando buscamos a face de Deus em oração com sinceridade e honestidade, nossa vida é mudada, transformada, pois descobrimos: a) Quem nós realmente somos; b) Quem realmente Deus é! O profeta Daniel orando e confessando o pecado do povo, começa a oração dizendo: “ah! Senhor! Deus grande e temível, que guardas a aliança e a misericórdia para com os que te amam e guardam os teus mandamentos.” Ele vê quem Deus é: Grande e temível! Celebra a fidelidade e misericórdia de Deus. Entretanto, diante desta grandeza, ele descobre algo muito sério e diz: “temos pecado!” “procedemos perversamente”! Daniel descobre o seu pecado e o pecado de seu povo e então, suplica e apela para a graça e a misericórdia divina: “Ó Senhor, ouve; ó Senhor, perdoa; ó Senhor, atende-nos e age; não te retardes, por amor de ti mesmo, ó Deus meu....” (Dn 9.1-19). D.M Lloyd-Jones, diz que: “o homem descobre a verdadeira condição de sua vida espiritual quando se examina em particular, quando está a sós com Deus!” ele continua dizendo, que a oração: “ é a mais elevada atividade da alma humana e, portanto, é ao mesmo tempo a prova suprema da verdadeira condição espiritual do homem”.
  • 14. Conclusão: A oração muda a gente! A oração pode mudar a sua vida! Por isso, comece a orar! TEMA: O ENCONTRO QUE MUDOU UMA VIDA Texto: Lucas 19.1-10 Introdução: Zaqueu, um homem que venceu todos os desafios e barreiras para ser livre. Zaqueu, embora fosse um homem de uma alta posição social, cultural, material e financeira vivia com um grande vazio na alma, além do fato de ser odiado pela sua própria nação por causa do seu trabalho como cobrador de impostos para Roma. Ele, porém soube buscar a solução na pessoa certa, “JESUS”. 1) Ele venceu a barreira da multidão 1- Precisamos dar crédito à palavra de Deus e não ao que as pessoas pensam. “E procurava ver quem era Jesus e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura” (V.3). 2- Precisamos aprender a abrir mão de coisas e pessoas que nos impedem de irmos a Jesus. “E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor do meu nome, receberá cem vezes tanto e herdará a vida eterna” (Mt 19.29). 3- As pessoas que estão perto de você, têm te conduzido à presença de Jesus. 2) Ele venceu a barreira dos problemas pessoais. “E correndo adiante, subiu a uma figueira brava para ver, porque havia de passar por ali” (v.4). 1- Preconceito: Tinha uma alta posição social para subir numa árvore. 2- Complexo: Era baixinho. 3- Orgulho: Falsa aparência e a religiosidade. 4- Você tem sido impedido de aproximar-se de Jesus por causa de algum problema pessoal? 3) Ele venceu a barreira da rejeição. “E, vendo todos isso, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador. E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado” (V.7,8). 1- O publicano era odiado pelo seu próprio povo 2- Eram taxados de ladrões e exploradores do povo 3- Ele venceu as críticas e a oposição 4- Você tem sido criticado por causa do seu amor a Jesus? 4) O que aconteceu com Zaqueu? 1- Jesus conhecia a Zaqueu – “E, quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque, hoje, me convém pousar em tua casa” (V.5). 2- Jesus foi à casa de Zaqueu – “E disse-lhe Jesus: Hoje, veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão” (V.9). 3- Jesus transformou a vida de Zaqueu – “Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (V.10). 4- Você já convidou Jesus para habitar em sua casa (coração)?. Conclusão: Quando Jesus entra no nosso coração, Ele muda toda nossa vida e satisfaz plenamente a nossa alma, pois, assim como Ele conhecia a triste realidade de Zaqueu, também conhece a realidade de cada um de nós.
  • 15. TEMA: VIVER DE MODO DIGNO DO SENHOR Texto: “Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual; a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado, frutificando em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus; sendo fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua glória, em toda a perseverança e longanimidade; com alegria, dando graças ao Pai, que vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz” (Cl 1.9-12). Introdução: Viver de modo digno do Senhor, isto é, corresponder às suas expectativas, significa assumirmos posturas corretas. Vejamos quais são estas posturas: 1 – A Cabeça sábia – “Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual” (v.9). - Tiago ensina, em seu livro, no capítulo 1.5 que quem tem falta de sabedoria deve pedir a Deus e será dada abundantemente. - Provérbios 2.1-6, nos instruem que devemos buscar a sabedoria como a prata e tesouros escondidos. 2 – Os pés firmes – “a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado” (v.10ª). - O nosso caminhar deve ser firme e constante – (1 Co 15.58). - Iluminados pela Palavra de Deus – (Sl 119.105). - Andando pelas carreiras direitas – (Pv 4.10-12) - Sem medo – (Js 1.9) 3 – As mãos ocupadas – “frutificando em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus” (v.10b). - Não há frutificação sem trabalho. - Necessário: Escolher a semente, escolher a melhor terra, arar, gradear, corrigir, adubar, plantar, regar, fazer os tratos culturais, combater as pragas, colher e armazenar. - O trabalhador é digno do seu salário - Há uma ordem neste versículo: frutificar e crescer no conhecimento de Deus (intimidade). 4 – As costas fortes – “sendo fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua glória, em toda a perseverança e longanimidade; com alegria” (v.11) - Paulo nos instrui: “fortalecei no Senhor e na força do seu poder” – (Ef 6.10) - O fortalecimento vem do Senhor e não do braço humano (“segundo a força da sua glória”). - Deus nos deu espírito de poder, amor e sabedoria – (2 Tm 1.7). 5 – O rosto alegre – “em toda a perseverança e longanimidade; com alegria” (v.11b) - O perseverante é motivado a uma conquista e isto alegra o coração - Ele tem um alvo, persevera por ele, com paciência e alegria, com certeza da vitória – (Hb 11.6) - A alegria vem de um coração esperançoso e confiante nas promessas de Deus. Conclusão: “dando graças ao Pai, que vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz” – (v.12). Quando analisamos o verso 12, entendemos que existe uma herança, e precisamos ser agradecidos, porque o Pai nos fez merecedor da parte que nos cabe na sua herança. Glória a Deus somos herdeiros de um Pai fiel e Rei do Universo.
  • 16. TEMA: GRANDES PRIVILÉGIOS DOS FILHOS DE DEUS Texto: “Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez, estardes em temor, mas recebestes o espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” (Rm 8.15,16). Introdução: Nós somos o povo mais privilegiado da face da terra. Os privilégios: 1 – A dignidade de sermos filhos de Deus – “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus” (Rm 8.14). O que éramos? - Mortos em pecados e delitos – “Antigamente, por terem desobedecido a Deus e por terem cometido pecados, vocês estavam espiritualmente mortos” (Ef 2.1 NTLH). - Filhos da ira – “entre os quais todos nós também, antes, andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também” (Ef 2.3) - Sem Cristo e sem Deus – “Naquele tempo vocês estavam separados de Cristo; eram estrangeiros e não pertenciam ao povo escolhido de Deus. Não tinham parte nas suas alianças, que eram baseadas nas promessas de Deus para o seu povo. E neste mundo viviam sem esperança e sem Deus” (Ef 2.12 NTLH) - Filhos do pai da mentira, o diabo – “Vós tendes por pai ao diabo e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira” (Jo 8.44) 2 – A riqueza da sua herança – “E, se nós somos filhos, somos, logo, herdeiros também, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados” (Rm 8.17). - Existe uma herança para os filhos, juntamente com Jesus, concedida pelo Pai. - Através da cruz, temos direitos concedidos, através da Graça de Deus (Ef 2.8). 3 – A bênção de sua amizade – “Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando” (Jo 15.14). - O Pai espera de nós, os seus filhos, a obediência irrestrita em todas as situações. 4 – O poder do Reino de Deus – “e nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai, a ele, glória e poder para todo o sempre. Amém!” (Ap 1.6). - Somos cheios do Espírito Santo para sermos testemunhas fiéis, isto é, realizarmos as obras do Reino de Deus, com poder. 5 – O privilégio do sacerdócio - “e nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai...” (Ap 1.6a) - Somos uma geração eleita por Deus - “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1 Pe 2.9). 6 – A Preciosidade da comunhão – “o que vimos e ouvimos isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo” (1 Jo 1.3). - O homem, após o pecado no Édem, perdeu a preciosa comunhão com o Pai, porém, nós os filhos de Deus recebemos através de Jesus, novamente, este direito, fomos reconciliados com Deus. 7 – A Posse de todas as bênçãos – “Portanto, ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso: seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro, tudo é vosso, e vós, de Cristo, e Cristo, de Deus” (1 Co 3.21-23). - Vejamos o que diz Gn 1.28 – “E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra”. - A palavra bênção no original hebraico significa: “Autorização dada por Deus para prosperar”. Conclusão: Estas benesses acontecem não porque somos melhores ou piores do que os demais, mas por causa do nosso Salvador Jesus Cristo, o Senhor das nossas vidas.
  • 17. TEMA: A TRAJETÓRIA DA VIDA DO FILHO DE DEUS TEXTO: (1 Pe 2.9). INTRODUÇÃO: Nós somos um povo que sabemos de onde viemos, o que somos, e para onde vamos. “Tu me viste antes de eu ter nascido. Os dias que me deste para viver foram todos escritos no teu livro quando ainda nenhum deles existia” (Sl 139.16). Vejamos a trajetória dos filhos de Deus: 1 - O QUE ÉRAMOS? - Mortos (Ef 2.1). - Filhos da (Ef 2.3) - Sem Cristo e sem (Ef 2.12) - Filhos do pai da mentira, o diabo (Jo 8.44) 2 – O QUE NÓS SOMOS - Vivificados, isto é, recebemos vida (Ef 2.4,5). - Filhos de Deus (1 Jo 3.1 ). - Somos eternos (Jo 5.24). 3 – O QUE NÓS SEREMOS - Semelhantes a ELE – “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos” (1 Jo 3.2). - Herdeiros de Deus – “E, se nós somos filhos, somos, logo, herdeiros também, herdeiros de Deus e co- herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados” (Rm 8.17). - Herdeiros de toda glória, toda plenitude – “seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro, tudo é vosso, e vós, de Cristo, e Cristo, de Deus” (1 Co 3.22,23). “Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que o amam. Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus”. 4 – QUAL DEVE SER A NOSSA POSTURA - Ser dedicados a Deus – “Portanto, meus irmãos, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus” (Rm 12.1 NTLH) “Deus não é injusto. Ele não esquece o trabalho que vocês fizeram nem o amor que lhe mostraram na ajuda que deram e ainda estão dando aos seus irmãos na fé” (Hb 6.10 NTLH). - Buscar e pensar, sempre, nas coisas lá do alto – “ Vocês foram ressuscitados com Cristo. Portanto, ponham o seu interesse nas coisas que são do céu, onde Cristo está sentado ao lado direito de Deus. Pensem nas coisas lá do alto e não nas que são aqui da terra” (Cl 3.1,2 NTLH). - Ser separados do mundo, ser santos – “mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo” (1 Pe 15,16). - Esperar por sua volta – “Pois Deus revelou a sua graça para dar a salvação a todos. Essa graça nos ensina a abandonarmos a descrença e as paixões mundanas e a vivermos neste mundo uma vida prudente, correta e dedicada a Deus, enquanto ficamos esperando o dia feliz em que aparecerá a glória do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo. Foi ele quem se deu a si mesmo por nós, a fim de nos livrar de toda maldade e de nos purificar, fazendo de nós um povo que pertence somente a ele e que se dedica a fazer o bem” (Tt 2.11-14 NTLH). Conclusão: Louvamos o nosso Deus e Pai, porque Ele enviou Jesus para morrer por nós e nos resgatar da morte e hoje somos filhos de Deus.
  • 18. TEMA: ENTRANDO NUM NOVO TEMPO Texto: Sl. 144 Introdução: Nós somos responsáveis por tudo àquilo que declaramos e que plantamos no sobrenatural. Quando nós saímos do reino das trevas e nos declaramos salvos através de Jesus Cristo, assumimos uma posição de antagonismo contra o reino de Satanás onde reina a maldição, a derrota e a ruína eterna. A responsabilidade de apropriação das bênçãos e das promessas de Deus agora é nossa, precisamos aprender a fazer uso da ação declarativa profética no nosso dia a dia, Você tem a escolha de ser e de viver aquilo que Deus diz que você realmente é, ou viver aquilo que o diabo, mentindo, diz que você é, porque ele é mentiroso desde o princípio. 1) Quando nós passamos a exercitar a ação declarativa profética no nosso cotidiano, começamos a viver debaixo de um céu e de uma cobertura profética sobre nós e o reino de Deus vai sendo estabelecido. 2) Precisamos, como profetas de Deus, pedir a Ele para que adestre as nossas mãos para a batalha e os nossos dedos para a guerra no campo da nossa ação profética e da apropriação dos recursos e valores sobrenaturais do seu reino. “Bendito seja o SENHOR, minha rocha, que adestra as minhas mãos para a peleja e os meus dedos para a guerra” (v.1). 3) O Salmista Davi pediu a Deus para que o livrasse da espada maligna, porque enquanto a bíblia é a espada do Espírito Santo, sabemos que a espada do diabo é o argumento da mentira. “Estende as mãos desde o alto; livra-me e arrebata-me das muitas águas e das mãos dos filhos estranhos, cuja boca fala vaidade e cuja mão direita é a destra da falsidade. A ti, ó Deus, cantarei um cântico novo; com o saltério e com o instrumento de dez cordas te cantarei louvores. É ele que dá a vitória aos reis e que livra a Davi, seu servo, da espada maligna” (vv.7-10). 4) O salmista termina o texto com uma linda declaração profética sobre seus filhos, sua casa, seus negócios, seu bens crendo que ele estaria vivendo debaixo de um céu profético de bênçãos. 144:12-15. a) Ação profética declarativa sobre a família. “Para que nossos filhos sejam, como plantas, bem desenvolvidos na sua mocidade; para que as nossas filhas sejam como pedras de esquina lavradas, como colunas de um palácio” (v.12). b) Ação profética declarativa da provisão e do suprimento. “para que as nossas despensas se encham de todo o provimento; para que os nossos gados produzam a milhares e a dezenas de milhares em nossas ruas” (v.13). c) Ação profética declarativa sobre os negócios, salário e rendas. “Que o gado se reproduza bem, e as vacas não percam as suas crias!” (v.14a – NTLH). d) Ação profética declarativa da saúde e proteção sobre a nossa família e o povo de Deus. “para que não haja nem assaltos, nem saídas, nem clamores em nossas ruas!” (v.14b). e) Ação profética declarativa da bem aventurança ou felicidade sobre o povo de Deus. “Bem- aventurado o povo a quem assim sucede! Bem-aventurado é o povo cujo Deus é o SENHOR!” (v.15). Conclusão: Portanto, cabe a nós, como profetas de Deus, tomarmos posse de um novo tempo, através de uma decisão e da nossa ação declarativa profética.
  • 19. TEMA: PORQUE TENHO DIFICULDADES FINANCEIRAS? INTRODUÇÃO: Essa pergunta tem incomodado muitos cristãos em nossos dias, devido a situação que muitos estão vivendo. Para entendermos esse assunto vamos meditar em alguns princípios... Princípio da posse - Sl 24:1 Precisamos reconhecer que tudo o que temos pertence a Deus. Ele apenas permite que temporariamente desfrutemos de alguns benefícios, como casa, carros, roupas, bens etc.. Importante nunca perdermos de vista que devemos ser bons mordomos de tudo que Deus nos deu. Princípio da fidelidade - Ml 3:8-10 Ser fiel no dízimo e nas ofertas. Não é “pagar” o dízimo e sim devolver a Deus o que lhe pertence. Deus definitivamente não precisa do nosso dinheiro, afinal de contas, Ele é dono de todo ouro e toda prata. O que Ele quer é a fidelidade do nosso coração. Princípio da benção - Ml 3:11 Como economista, aprendi a exatidão da matemática. Como cristão aprendi que 90 é mais do que 100. Só em Deus 90% pode ser mais do que 100%. Hoje eu entendo que consigo viver melhor com 90% dos meus rendimentos, do que vivia antes com os 100%. Responda-me uma pergunta: Você prefere 100% com o devorador na sua vida ou 90% com as janelas do céu abertas? Princípio da Soberania - Rm 11:36 Dele – é por causa da vontade soberana de Deus que você tem o que tem, trabalha onde trabalha e ganha o que ganha. Por meio Dele – é por causa da atividade soberana de Deus na sua vida, dando-lhe saúde, renovando a cada dia a sua misericórdia sobre você, dando-lhe capacidade, inteligência, etc. é que você pode produzir algo. Para Ele – TUDO deve voltar pata Ele, dando-lhe a glória soberana. Princípio do simples - Mt 6:33 Devemos aprender a viver o simples de Deus. Que coisas são estas às quais se refere o texto? Leia comigo a partir do verso 25. Estas coisas são: comida, bebida e vestimenta - o simples de Deus. Aqui cabe um alerta ao consumismo pregado pelo sistema do mundo. Princípio da boa administração - Lc 14:28-33 Boa administração. Um controle simples, porém eficiente de orçamento doméstico ou um fluxo de caixa da sua igreja ou organização. Regra básica: não posso gastar mais do que ganho. Óbvio? Se fosse tão óbvio assim para todos, não precisaria escrever este artigo. Princípio da “quitação” - Rm 13:8 Isso mesmo. Não dever, quitar nossos compromissos. Certa vez ouvi uma definição de crédito que me chamou a atenção: Crédito é o meio pelo qual compramos o que não precisamos, com o dinheiro que não temos, para agradar as pessoas de quem não gostamos. Forte não? Mas crédito sem controle vira dívida. Vale observar que, na minha concepção, dívida é aquilo que não conseguimos pagar. Um financiamento de um imóvel por longo prazo, por exemplo, terá suas parcelas a vencer. Este é um compromisso assumido, planejado, que no vencimento será quitado. Dívida é não pagá-lo. Princípio do Maná - Ex 16 Quando Deus dá o maná ao povo no deserto, Ele orienta o povo, através de Moisés, a não guardarem o maná para o dia seguinte. O povo deveria pegar somente a quantidade necessária para o dia. Porém, o povo desobedeceu, colhendo a mais e guardando. No verso 20 vemos que o maná cheirava mal e tinha bichos. Fazendo uma aplicação desta passagem, concluo que toda vez que desejamos algo ou nos apossamos (compramos) de algo que não é para nós naquele momento, vamos ter problemas (cheira mal / dá bichos). Poderia escrever mais sobre esta área, mas creio que estes princípios (que assim denominei), já poderão ajudá-lo a fazer uma análise de como está sua vida nesta área.
  • 20. TEMA: A VISÃO DO MESSIAS Texto Chave: “E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do Reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. E, vendo a multidão, teve grande compaixão deles, porque andavam desgarrados e errantes como ovelhas que não têm pastor. Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos são os ceifeiros. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande ceifeiros para a sua seara” (Mt 9.35-38) Introdução: Há visões de beleza sem par, como o pôr-do-sol, aves, rios ou montanhas, que inspiram os pintores a pintar belos quadros. Porém, a visão que comovia Jesus era a das multidões que o seguiam. Vejamos a ótica do Mestre: 1 – A visão de Cristo vendo as multidões Quem era a multidão que seguia a Jesus? - Para os imperadores de Roma, apenas contribuintes do tesouro. - Para os oficiais romanos, escravos para trabalhar a terra. - Para os sacerdotes, escribas e fariseus, um bando de fanáticos. - Para Jesus, ovelhas desgarradas do aprisco, exaustas e sem pastor – “E, vendo a multidão, teve grande compaixão deles, porque andavam desgarrados e errantes como ovelhas que não têm pastor” (v.36). 2 – Os sentimentos de Cristo pelas multidões - Amor inefável – Foi a base do seu ministério, sua vida e sua morte – “Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse” (Jo 17.12) - Compaixão – É sentir a dor e o sofrimento do necessitado (Mt 9.35,36; 14.14; Jo 6.5) – Cristo compadeceu-se das multidões pobres, famintas, enfermas e oprimidas pelos grandes e pelo diabo – “como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo porque Deus era com ele” (At 10.38). Certa vez, um bêbado estava caído numa rua e o sol batia em seu rosto, mas uma mulher rica, vendo-o, cobriu-lhe o rosto com seu lenço e o socorreu. Aquele homem, mais tarde, tornou-se um grande general dos Estados Unidos. - Cristo conhece o sofrimento do homem – “O conhecer tudo é perdoar tudo!” Todo coração conhece sua própria tristeza, mas o coração de Cristo conhece a de todos. 3 – A Preocupação de Cristo com a Seara “Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos são os ceifeiros” (v.37). - Cristo preocupava-se com a seara do Pai. Não podemos deixar este sentimento esfriar. Missão deve ser a nossa visão constante! Os ceifeiros são poucos e a seara é grande. O que fazer? Orar e pedir ceifeiros ao dono da seara. Antes de tudo, ele mandou os discípulos orarem: “Rogai”! Se Deus não enviar ceifeiros ninguém faz missões! O dinheiro é importante, mas não vocaciona obreiros para seara, muito menos a influência política de algum líder. É o Senhor da seara quem chama e envia os ceifeiros. - Jesus mesmo orou ao Pai para escolher os Doze – “E aconteceu que, naqueles dias, subiu ao monte a orar e passou a noite em oração a Deus. E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos” (Lc 6.12,13). Estes seriam os ceifeiros que colheriam os frutos semeados por Ele no seu ministério terreno. Conclusão: A visão de Cristo, hoje, continua a de multidões que perecem sem salvação, porque faltam ceifeiros dispostos a trabalhar na seara do Pai. Ouve agora o apelo divino: “ A quem enviarei?” você pode responder: “Eis me aqui, envia-me a mim!” – “Depois disso, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então, disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8).
  • 21. TEMA: A PLENITUDE DA CURA Texto Chave: "E ensinava no sábado, numa das sinagogas. E eis que estava ali uma mulher que tinha um espírito de enfermidade havia já dezoito anos; e andava curvada e não podia de modo algum endireitar-se. E, vendo-a Jesus, chamou-a a si, e disse-lhe: Mulher, estás livre da tua enfermidade. E impôs as mãos sobre ela, e logo se endireitou e glorificava a Deus. (Lc 13.10-13) Introdução: Este texto é rico, pois nos revela a abrangência do ensino de Jesus, sua inconformidade com relação àqueles que estão próximos muitas vezes dos ajuntamentos religiosos, mas não estão sendo alcançados pela sua Graça Salvadora, Restauradora e Libertadora, devido às estruturas que se acomodam em apenas manifestar ritos, cultos, festas, e não estão dando total liberdade para que o Espírito de Deus se manifeste, operando aquilo que Ele deseja realizar (Is 61.1, 3). 1. O Ensino de Jesus sempre resultará em cura – o texto no versículo onze nos diz que Jesus estava ensinando numa sinagoga. Ele estava se atendo ao que era prioridade naquele momento do seu ministério: Gerando uma base nos corações, para que essa base resultasse em sustentáculo para todas as maravilhas que ele queria realizar. Sabemos que o Senhor sempre quer se manifestar de maneira sobrenatural no meio do seu povo, mas antes disso Ele prepara os corações para que fundamentados e arraigados em amor possam provar com grande amplitude o amor de Deus e serem estáveis na fé. "Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele." (Jo 14.21). 2. Curando primeiro os que estão próximos – é impossível pensar na cura de um povo, se aqueles que estão em contato direto com a verdade estão totalmente moribundos. Jesus disse a uma mulher que ele não podia dar o pão dos filhos a qualquer um e deixar seus filhos famintos (Mt 15.26; Mc 7.27). Jesus não hesitou em livrar aquela mulher da opressão quando essa compareceu a sua ministração. Há dezoito anos jazia ela oprimida pelo diabo, quando Jesus compareceu ao lugar do culto, ali ela foi liberta. Realmente é assim: Quando Jesus comparece às nossas reuniões, os oprimidos são libertos, os doentes são curados e os caídos são levantados e restaurados. E é totalmente impossível que aquele que comparece diante de Jesus, e tem sido ministrado onde Ele comparece, esteja cheio de ataduras malignas, enfermidades emocionais e com seu caminhar totalmente transtornado. Onde Jesus está a cura se manifesta. 3. A dimensão da cura – Somos fruto de uma geração que foi adoecida pela ação do pecado. A ignorância que imperava em nossos pais e antepassados nos roubou por muito tempo a compreensão de que alianças com o inimigo traziam maldições que se alastraram pela nossa linhagem. Essas alianças geraram ataduras, que por sua vez desvirtuaram toda a nossa existência, produzindo frustrações, tristezas que enclausuraram a alma. O Espírito Santo veio a nós para nos gerar de novo, pois aquele que está em Cristo está sendo renovado continuamente pela ação do Espírito e da Palavra (II Cor 5.17). Todas as áreas da nossa vida deverão ser alcançadas pela ação do Espírito Santo,e nós devemos cooperar com Ele desejando, orando e se entregando a este tratamento para que possamos desfrutar o melhor de Deus. Aquela mulher que jazia oprimida por um espírito de enfermidade, andava encurvada sem poder olhar adiante, olhando somente para os pés, sem perspectiva de futuro, com a alma totalmente podada de sonhos, e de maneira nenhuma podia se endireitar. Ao estar com Jesus sua sorte foi mudada. Conclusão: Este é um tempo precioso, pois não queremos liturgias mortas, cultos mortos sem a presença de nosso amado Senhor. Ele tem comparecido, e tem estado conosco de forma poderosa realizando tudo quanto lhe apraz e certamente nos alegrando. É tempo de cura, tempo de libertação, tempo de refrigério pela presença do Senhor. Você não precisa mais viver oprimido, deprimido, encurvado, tolhido dos seus sonhos, vivendo o pior e não o melhor e sem conseguir se endireitar. Jesus está aqui, deixe-o te curar já.
  • 22. TEMA: PRINCÍPIOS PARA SAÚDE Texto Chave: "Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados" (Isaias 53:4,5). Introdução: O apóstolo João, em sua terceira carta, no versículo dois, traz-nos o que está no coração do Pai a nosso respeito: "Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma" (3 Jo 2). Vejamos como não adoecer e ter qualidade de vida: 1 - Fale dos seus sentimentos Emoções e sentimentos que são escondidos e reprimidos, acabam em doenças como: Gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo, repressão de sentimentos degenera até chegar ao câncer. Vamos desabafar, confidenciar, partilhar intimidades, segredos e pecados. Diálogos, falas, palavras são poderosos remédios, excelente terapia, porém, não o faça a qualquer pessoa. Procure uma pessoa madura ou o seu pastor - "Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo, em nome do Senhor. E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo" (Tiago 5.14-16). 2 - Tome decisões A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade e na angústia. A indecisão acumula problemas, preocupações e agressões. A história humana é feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar, saber perder vantagens e valores pessoais para ganhar os valores de Deus. As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele - " Ao homem que teme ao SENHOR, ele o instruirá no caminho que deve escolher. Na prosperidade repousará a sua alma, e a sua descendência herdará a terra" (Sl 25.12,13). 3 - Busque soluções Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas. Preferem a lamentação, a murmuração e o pessimismo. Melhor acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo de ruinas, derrotas, perdas, doenças e insucesso, gerará doenças e todo tipo de fragelo. "Porque, como imagina em sua alma, assim ele é" (Pv 23.7a). 4 - Não viva de aparências Quem esconde a realidade, finge, faz pose, usa márcara, quer sempre dar impressão de que está bem, quer mostrar perfeito, bonzinho, está acumulando toneladas de peso, uma estátua de bronze com pés de barro. Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas, ter muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor. 5 - Aceite-se Rejeição a si próprio, a ausência de auto-estima, faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável. Os que não se aceitam são ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia. "e que amar a Deus de todo o coração e de todo o entendimento e de toda a força, e amar ao próximo como a si mesmo excede a todos os holocaustos e sacrifícios" (Mc 12.33). 6 - Confie Quem não confia não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem confiança não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si e em Deus - "Confia no Senhor e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade. Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará. Fará sobressair a tua justiça como a luz e o teu direito, como o sol ao meio-dia" (Sl 37.3-6). 7 - Não viva triste
  • 23. O bom humor, a risada, o lazer e a alegria recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive. O bom humor nos salva das mãos do doutor. Alegria é saúde e terapia. Jesus, nos deu o maior exemplo de alegria, mesmo passando pelas piores situações, aqui na terra - "Amaste a justiça e odiaste a iniqüidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria como a nenhum dos teus companheiros" (Hb 1.9). "O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados; a apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a sua glória" (Is 61.1-3). Conclusão: São princípios simples, que se observados e cumpridos, gerarão qualidade de vida. Jesus veio para nos trazer vida abundante, isto é, vida de qualidade - "..., eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância" (João 10.10b).