SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
Espaço confinado
É qualquer área não projetada para
ocupação continua, à qual tem meios
limitados de entrada e saída, e na qual a
ventilação existente é insuficiente para
remover contaminantes perigosos e / ou
deficiência / enriquecimento de oxigênio que
podem existir ou se desenvolverem.
Aprisionamento:
 Condição de retenção do trabalhador
no interior do espaço confinado que
impeça sua saída do local pelos
meios normais de escape ou que
proporcione lesões ou a morte do
trabalhador.
Condição Imediatamente Perigosa à
Vida ou à Saúde
 Nota : Algumas substancias podem produzir
efeitos transientes imediatos que apesar de
severos , possam passar sem atenção
medica, mas são seguidos de repentina
possibilidade de colapso fatal após 12- 72
horas de exposição .
Condição Imediatamente Perigosa à
Vida ou à Saúde
 A vitima “sente-se normal”da recuperação
dos efeitos transientes até o colapso. Tais
substancias em concentrações perigosas
são consideradas como sendo
“imediatamente perigosas” à vida e a saúde
.
Atmosfera de Risco:
 Gás / Vapor ou névoa inflamável em
concentrações superiores a 10% do seu
limite inferior de Explosividade LIE ou Lower
Explosividade Limita LEL;
 Poeira combustível viável em uma
concentração que se encontre ou exceda o
Limite Inferior de Explosividade LIE ou Lower
Explosividade Limita LEL;
Atmosfera de Risco:
 Nota: Esta concentração pode ser estimada
pela observação da condição na qual a
poeira obscureça a visão numa distancia de
1,5m ou menos.
Atmosfera de Risco:
 Concentração de oxigênio atmosférico
abaixo de 19,5% ou acima de 23,0%;
 A Concentração atmosférica de qualquer
substância cujo Limite de Tolerância seja
publicado na NR-15 ou em norma mais
restritiva( ACGIH) e que possa resultar na
exposição do trabalhador acima desse Limite
de Tolerância; (Comparar LT`s da NR-15 e
ACGIH e adotar o mais restritivo)
Atmosfera de Risco:
 Qualquer outra condição atmosférica
Imediatamente Perigosa à Vida ou à Saúde -
IPVS ou IDLH - Immediately Dangerous to
Health and Life;
Atmosfera de Risco:
 Condição em que a atmosfera, em um
espaço confinado, possa oferecer riscos ao
local e expor os trabalhadores ao perigo de
morte, incapacitação, restrição da habilidade
para auto-resgate, lesão ou doença aguda
causada por uma ou mais das seguintes
causas:
Avaliação do local
 É o processo de analise onde os riscos aos quais
os trabalhadores possam estar expostos num
espaço confinado são identificados e quantificados.
A avaliação inclui a especificação dos testes que
devem ser realizados e os critérios que devem ser
utilizados.
Avaliação do local
 Nota : Os testes permitem aos empregados planejar
e implementar medidas de controle adequadas para
proteção dos trabalhadores autorizados e para
determinar se as condições de entrada são
aceitáveis no presente imediato , antes e durante a
entrada.
Auto - Resgate
 Capacidade , desenvolvida pelo trabalhador
através de treinamento, que escape com
segurança de ambiente confinado em que
entrou em IPVS.
Condição de Entrada
 Condições ambientais que devem permitir
adentrar em um espaço confinado que não
apresenta riscos atmosféricos , físicos ,
químicos , biológicos e/ou mecânicos e onde
critérios técnicos de proteção permitam a
entrada e execução dos trabalhadores em
seu interior.
Condição Imediatamente Perigosa à
Vida ou à Saúde
 É qualquer condição que cause uma ameaça
imediata à vida ou que pode causar efeitos
adversos irreversíveis à saúde ou que
interfira com a habilidade dos indivíduos para
escapar de um espaço confinado sem ajuda.
Condição Proibitiva de Entrada
 É qualquer condição de risco que não
permita a entrada em um espaço confinado
durante o período para a qual a entrada é
autorizada.
Emergência
 É qualquer interferência (incluindo qualquer
falha nos equipamentos de controle e
monitoramento de riscos ) ou evento interno
ou externo, no espaço confinado, que possa
causar perigo aos trabalhadores.
 OBS: CALIBRAÇÃO e VERIFICAÇÃO DE
INSTRUMENTOS - Imprescindível .
..... Erros Comuns
 Utilizar apenas explosimetro em áreas
inflamáveis onde possam ocorrer vazamentos
que provoquem atmosfera saturada ... Deve-se
utilizar oxi-explosímetro .
 Fazer medição de gases tóxicos (por ex.. CO-
monóxido de carbono ) com explosimetro, com
alegação de que o CO é inflamável . Antes de
haver o risco de inflamabilidade, o risco é de
gás toxico .
....Erros Comuns
 Tentar fazer a medição de , por exemplo CO
com a utilização de oximetro , com alegação
de que o CO desloca o oxigênio.
 Não saber se o equipamento esta
funcionando corretamente efetuando o teste
de verificação com gás . Não confundir com
calibracão .
Circuito Intrinsecamente Seguro
 Um circuito ou parte dele é intrinsecamente
seguro quando não é capaz de liberar energia
elétrica (faisca) ou térmica suficiente para , em
condições normais (isto é , abrindo ou
fechando o circuito ) ou anormais (por
exemplo, curto-circuito ou falta à terra), causar
a ignição de uma dada atmosfera explosiva,
conforme expresso no certificado de
conformidade do equipamento.
Engolfamento / Envolvimento :
 Condição em que uma substancia solida ou
liquida , finamente dividida e flutuante na
atmosfera, possa envolver uma pessoa e no
processo de inalação, possa causar a morte
por asfixia .
Entrada
 Ação pela qual as pessoas ingressam
através de uma abertura para o interior de
um espaço confinado . Essa ação passa a
ser considerada como tendo ocorrido logo
que alguma parte do corpo do trabalhador
rompa o plano de uma abertura no espaço
confinado.
Inertização
 É um procedimento de segurança num
espaço confinado que visa evitar uma
atmosfera potencialmente explosiva através
do deslocamento da mesma por um fluido
inerte. Este procedimento produz uma
atmosfera IPVS deficiente de oxigênio.
Permissão de Entrada
 É uma autorização escrita que é fornecida
pelo empregador,ou seu representante legal,
para permitir e controlar a entrada em um
espaço confinado.
Permissão para trabalho a quente
 É uma autorização escrita do empregador ,
ou seu representante legal , para permitir
operações capazes de fornecer uma fonte de
ignição.
Supervisor de Entrada
 É a pessoa com capacitação e
responsabilidade pela determinação se as
condições de entrada são aceitáveis e estão
presentes numa Permissão de Entrada,
como determina esta norma.
Trabalhador autorizado
 É o profissional com capacitação que recebe
autorização do empregador, ou seu
representante legal, para entrar em um
espaço confinado permitido.
Isolamento
 É a separação física de uma área ou espaço
considerado próprio e permitido ao
adentramento, de uma área ou espaço
considerado impróprio (perigoso)e não
preparado ao adentramento.
Espaço confinado não Permitido
 É um espaço confinado cuja condição
atmosférica ou operacional, tem o potencial
de conter qualquer risco capaz de causar
morte ou seria lesão física e deve estar
proibido para a entrada dos trabalhadores.
Espaço Confinado representativo
 É um simulador de um espaço confinado em
tamanho de abertura , configuração e meios
de acesso para o treinamento do trabalhador
que não apresente riscos.
Programa p/ entrada em espaço
confinado
 É um programa geral do empregador ou seu
representante legal , elaborado para
controlar para proteger os trabalhadores de
riscos em espaços confinados e para
regulamentação da entrada dos
trabalhadores neste espaços.
Abertura de linha
 É o alivio internacional de um tubo , linha ou
duto que é ou tenha sido transportador de
substancia tóxicas, corrosivas ou inflamáveis
, um gás inerte ou qualquer fluido num
volume, pressão ou temperatura capaz de
causar lesão.
Procedimento de permissão
 É o documento escrito do empregador para a
preparação e emissão da permissão de
entrada.
 Assegura também, a continuidade do serviço
no espaço confinado permitido, após o
termino da entrada.
Observador de Segurança
 É o trabalhador que se posiciona fora do
espaço confinado e monitora os
trabalhadores autorizados realizando todos
os deveres definidos no programa para
entrada em espaços confinados.
Requerimentos Gerais
 Todo espaço confinado deve ser
adequadamente sinalizado , identificado e
isolado para evitar que pessoas não
autorizadas adentrem a estes locais.
 Se o empregador , ou seu representante legal ,
decidir que os trabalhadores contratados e
sub-contratados não devem entrar no espaço ,
o mesmo devera tomar todas as medidas
efetivas para evitar que os trabalhadores
entrem no espaço.
Requerimento Gerais
 Se o empregador , ou seu representante legal ,
decidir que os trabalhadores podem entrar no
espaço , o empregador devera desenvolver e
implantar um programa escrito de espaços com
permissão de entrada.
 O programa escrito devera estar disponível para
o conhecimento dos trabalhadores , seus
representantes autorizados e órgãos
fiscalizadores.
Equipe de resgate
 É o pessoal capacitado e regularmente
treinado para retirar os trabalhadores dos
espaços confinados em situação de
emergência.
Equipamentos de resgate
 São os materiais necessários
para equipe de resgate utilizar
nas operações de salvamento em
espaços confinados.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Espaços confinados: riscos e procedimentos de segurança

0-Trabalho_em_Espa_o_Confinado (1).pdf
0-Trabalho_em_Espa_o_Confinado (1).pdf0-Trabalho_em_Espa_o_Confinado (1).pdf
0-Trabalho_em_Espa_o_Confinado (1).pdfRenatoRibeiro188
 
Apostila nr 33 - espaço confinado
Apostila   nr 33 - espaço confinadoApostila   nr 33 - espaço confinado
Apostila nr 33 - espaço confinadoWilliamsNascimento3
 
NR-33 Espaço Confinado - Modulo I
NR-33   Espaço Confinado - Modulo INR-33   Espaço Confinado - Modulo I
NR-33 Espaço Confinado - Modulo Iemanueltstegeon
 
Espaço Confinado.ppt
Espaço Confinado.pptEspaço Confinado.ppt
Espaço Confinado.pptBrenoRocha33
 
TREINAMENTO DE ESPAÇO CONFINADO NR33.pptx
TREINAMENTO DE ESPAÇO CONFINADO NR33.pptxTREINAMENTO DE ESPAÇO CONFINADO NR33.pptx
TREINAMENTO DE ESPAÇO CONFINADO NR33.pptxDiogoEmanuelBatistaD2
 
Espaço Confinado NR 33 - Reciclagem ok.pptx
Espaço Confinado NR 33 - Reciclagem ok.pptxEspaço Confinado NR 33 - Reciclagem ok.pptx
Espaço Confinado NR 33 - Reciclagem ok.pptxCelsoJungton2
 
Treinamento Espaço confinados
Treinamento Espaço confinados Treinamento Espaço confinados
Treinamento Espaço confinados Ane Costa
 
Treinamento Espaço confinados
Treinamento Espaço confinados  Treinamento Espaço confinados
Treinamento Espaço confinados Ane Costa
 
Apresentaçao-NR-33.pdf
Apresentaçao-NR-33.pdfApresentaçao-NR-33.pdf
Apresentaçao-NR-33.pdfssuser22319e
 
Apresentação espaço confinado fev2010 completa
Apresentação  espaço confinado fev2010 completaApresentação  espaço confinado fev2010 completa
Apresentação espaço confinado fev2010 completaGliceu Grossi
 
NR-33 SEGURANÇA E SAUDE EM ESPAÇO CONFINADO.pptx
NR-33 SEGURANÇA E SAUDE EM ESPAÇO CONFINADO.pptxNR-33 SEGURANÇA E SAUDE EM ESPAÇO CONFINADO.pptx
NR-33 SEGURANÇA E SAUDE EM ESPAÇO CONFINADO.pptxPreservandoAbelhas
 
Nbr 14787 espaço confinado - prevenção de acidentes, procedimentos e medida...
Nbr 14787   espaço confinado - prevenção de acidentes, procedimentos e medida...Nbr 14787   espaço confinado - prevenção de acidentes, procedimentos e medida...
Nbr 14787 espaço confinado - prevenção de acidentes, procedimentos e medida...100604
 
Nbr 14787 espaco confinado - prevencao de acidentes procedimentos e medidas...
Nbr 14787   espaco confinado - prevencao de acidentes procedimentos e medidas...Nbr 14787   espaco confinado - prevencao de acidentes procedimentos e medidas...
Nbr 14787 espaco confinado - prevencao de acidentes procedimentos e medidas...Sandra C Prelle
 
Treinamento de Espaço Confinado_Trabalhadores e Vigias NR 33.ppt
Treinamento de Espaço Confinado_Trabalhadores e Vigias NR 33.pptTreinamento de Espaço Confinado_Trabalhadores e Vigias NR 33.ppt
Treinamento de Espaço Confinado_Trabalhadores e Vigias NR 33.pptJosé Valfrido
 
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptx
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptxTREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptx
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptxJoyceMarina2
 
ENTRADA EM ESPAÇO CONFINADO AUTORIZAÇÃO NECESSÁRIA.ppt
ENTRADA EM ESPAÇO CONFINADO AUTORIZAÇÃO NECESSÁRIA.pptENTRADA EM ESPAÇO CONFINADO AUTORIZAÇÃO NECESSÁRIA.ppt
ENTRADA EM ESPAÇO CONFINADO AUTORIZAÇÃO NECESSÁRIA.pptLivsonLima
 

Semelhante a Espaços confinados: riscos e procedimentos de segurança (20)

0-Trabalho_em_Espa_o_Confinado (1).pdf
0-Trabalho_em_Espa_o_Confinado (1).pdf0-Trabalho_em_Espa_o_Confinado (1).pdf
0-Trabalho_em_Espa_o_Confinado (1).pdf
 
Nr 33
Nr   33Nr   33
Nr 33
 
Apostila nr 33 - espaço confinado
Apostila   nr 33 - espaço confinadoApostila   nr 33 - espaço confinado
Apostila nr 33 - espaço confinado
 
NR-33 Espaço Confinado - Modulo I
NR-33   Espaço Confinado - Modulo INR-33   Espaço Confinado - Modulo I
NR-33 Espaço Confinado - Modulo I
 
Espaço Confinado.ppt
Espaço Confinado.pptEspaço Confinado.ppt
Espaço Confinado.ppt
 
TREINAMENTO DE ESPAÇO CONFINADO NR33.pptx
TREINAMENTO DE ESPAÇO CONFINADO NR33.pptxTREINAMENTO DE ESPAÇO CONFINADO NR33.pptx
TREINAMENTO DE ESPAÇO CONFINADO NR33.pptx
 
TREINAMENTO Nº 3.pptx
TREINAMENTO Nº 3.pptxTREINAMENTO Nº 3.pptx
TREINAMENTO Nº 3.pptx
 
Espaço Confinado NR 33 - Reciclagem ok.pptx
Espaço Confinado NR 33 - Reciclagem ok.pptxEspaço Confinado NR 33 - Reciclagem ok.pptx
Espaço Confinado NR 33 - Reciclagem ok.pptx
 
Treinamento Espaço confinados
Treinamento Espaço confinados Treinamento Espaço confinados
Treinamento Espaço confinados
 
Treinamento Espaço confinados
Treinamento Espaço confinados  Treinamento Espaço confinados
Treinamento Espaço confinados
 
treinamento-NR-33.pptx
treinamento-NR-33.pptxtreinamento-NR-33.pptx
treinamento-NR-33.pptx
 
Apresentaçao-NR-33.pdf
Apresentaçao-NR-33.pdfApresentaçao-NR-33.pdf
Apresentaçao-NR-33.pdf
 
Apresentação espaço confinado fev2010 completa
Apresentação  espaço confinado fev2010 completaApresentação  espaço confinado fev2010 completa
Apresentação espaço confinado fev2010 completa
 
NR-33 SEGURANÇA E SAUDE EM ESPAÇO CONFINADO.pptx
NR-33 SEGURANÇA E SAUDE EM ESPAÇO CONFINADO.pptxNR-33 SEGURANÇA E SAUDE EM ESPAÇO CONFINADO.pptx
NR-33 SEGURANÇA E SAUDE EM ESPAÇO CONFINADO.pptx
 
Nbr 14787 espaço confinado - prevenção de acidentes, procedimentos e medida...
Nbr 14787   espaço confinado - prevenção de acidentes, procedimentos e medida...Nbr 14787   espaço confinado - prevenção de acidentes, procedimentos e medida...
Nbr 14787 espaço confinado - prevenção de acidentes, procedimentos e medida...
 
Nbr 14787 espaco confinado - prevencao de acidentes procedimentos e medidas...
Nbr 14787   espaco confinado - prevencao de acidentes procedimentos e medidas...Nbr 14787   espaco confinado - prevencao de acidentes procedimentos e medidas...
Nbr 14787 espaco confinado - prevencao de acidentes procedimentos e medidas...
 
Treinamento de Espaço Confinado_Trabalhadores e Vigias NR 33.ppt
Treinamento de Espaço Confinado_Trabalhadores e Vigias NR 33.pptTreinamento de Espaço Confinado_Trabalhadores e Vigias NR 33.ppt
Treinamento de Espaço Confinado_Trabalhadores e Vigias NR 33.ppt
 
Nr 33 rayane
Nr 33 rayaneNr 33 rayane
Nr 33 rayane
 
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptx
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptxTREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptx
TREINAMENTO NR-33 ESPACO CONFINADO.pptx
 
ENTRADA EM ESPAÇO CONFINADO AUTORIZAÇÃO NECESSÁRIA.ppt
ENTRADA EM ESPAÇO CONFINADO AUTORIZAÇÃO NECESSÁRIA.pptENTRADA EM ESPAÇO CONFINADO AUTORIZAÇÃO NECESSÁRIA.ppt
ENTRADA EM ESPAÇO CONFINADO AUTORIZAÇÃO NECESSÁRIA.ppt
 

Mais de ssuser22319e

-Treinamento-Operador-Plataforma-de-Trabalho-Aereo.pdf
-Treinamento-Operador-Plataforma-de-Trabalho-Aereo.pdf-Treinamento-Operador-Plataforma-de-Trabalho-Aereo.pdf
-Treinamento-Operador-Plataforma-de-Trabalho-Aereo.pdfssuser22319e
 
nr-37-atualizada-2022-1.pdf
nr-37-atualizada-2022-1.pdfnr-37-atualizada-2022-1.pdf
nr-37-atualizada-2022-1.pdfssuser22319e
 
Nr-26-Sinalizacao-de-Seguranca.pdf
Nr-26-Sinalizacao-de-Seguranca.pdfNr-26-Sinalizacao-de-Seguranca.pdf
Nr-26-Sinalizacao-de-Seguranca.pdfssuser22319e
 
Nocoes-Basicas-de-Amarracao-Sinalizacao-e-Movimentacao-de-Cargas-SENAI-.pdf
Nocoes-Basicas-de-Amarracao-Sinalizacao-e-Movimentacao-de-Cargas-SENAI-.pdfNocoes-Basicas-de-Amarracao-Sinalizacao-e-Movimentacao-de-Cargas-SENAI-.pdf
Nocoes-Basicas-de-Amarracao-Sinalizacao-e-Movimentacao-de-Cargas-SENAI-.pdfssuser22319e
 
urso-avancado-bloqueio-sinalizacao-rev2-0-ppt.p427325485-cdf
urso-avancado-bloqueio-sinalizacao-rev2-0-ppt.p427325485-cdfurso-avancado-bloqueio-sinalizacao-rev2-0-ppt.p427325485-cdf
urso-avancado-bloqueio-sinalizacao-rev2-0-ppt.p427325485-cdfssuser22319e
 
SINALIZAÇÃO.TREINAMENTO NR 26.pdf
SINALIZAÇÃO.TREINAMENTO NR 26.pdfSINALIZAÇÃO.TREINAMENTO NR 26.pdf
SINALIZAÇÃO.TREINAMENTO NR 26.pdfssuser22319e
 
Produtos-Perigosos. nr 26.pdf
Produtos-Perigosos. nr 26.pdfProdutos-Perigosos. nr 26.pdf
Produtos-Perigosos. nr 26.pdfssuser22319e
 
Curso-Produtos-quimicos.pdf
Curso-Produtos-quimicos.pdfCurso-Produtos-quimicos.pdf
Curso-Produtos-quimicos.pdfssuser22319e
 
PRODUTOS.PERIGOSOS
PRODUTOS.PERIGOSOSPRODUTOS.PERIGOSOS
PRODUTOS.PERIGOSOSssuser22319e
 
PRODUTOS.PERIGOSOS.pdf
PRODUTOS.PERIGOSOS.pdfPRODUTOS.PERIGOSOS.pdf
PRODUTOS.PERIGOSOS.pdfssuser22319e
 
Manual-de-Produtos-Perigosos.pdf
Manual-de-Produtos-Perigosos.pdfManual-de-Produtos-Perigosos.pdf
Manual-de-Produtos-Perigosos.pdfssuser22319e
 
Produtos Perigosos. Apostila 2022.pdf
Produtos Perigosos. Apostila 2022.pdfProdutos Perigosos. Apostila 2022.pdf
Produtos Perigosos. Apostila 2022.pdfssuser22319e
 
Apostila. Produtos Perigosos -CFBP 2022-1.pdf
Apostila. Produtos Perigosos -CFBP 2022-1.pdfApostila. Produtos Perigosos -CFBP 2022-1.pdf
Apostila. Produtos Perigosos -CFBP 2022-1.pdfssuser22319e
 
ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUIMICOS.pdf
ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUIMICOS.pdfARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUIMICOS.pdf
ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUIMICOS.pdfssuser22319e
 
manual_nr10 (1).pdf
manual_nr10 (1).pdfmanual_nr10 (1).pdf
manual_nr10 (1).pdfssuser22319e
 
construcao_civil_manual.pdf
construcao_civil_manual.pdfconstrucao_civil_manual.pdf
construcao_civil_manual.pdfssuser22319e
 
Manual_Acesso por Corda_NR-35 (1).pdf
Manual_Acesso por Corda_NR-35 (1).pdfManual_Acesso por Corda_NR-35 (1).pdf
Manual_Acesso por Corda_NR-35 (1).pdfssuser22319e
 
CURSO NR 17 ERGONOMIA 3.ppt
CURSO  NR 17 ERGONOMIA 3.pptCURSO  NR 17 ERGONOMIA 3.ppt
CURSO NR 17 ERGONOMIA 3.pptssuser22319e
 
APOSTILA DE ERGONOMIA NR 17.pdf
APOSTILA DE ERGONOMIA NR 17.pdfAPOSTILA DE ERGONOMIA NR 17.pdf
APOSTILA DE ERGONOMIA NR 17.pdfssuser22319e
 

Mais de ssuser22319e (20)

-Treinamento-Operador-Plataforma-de-Trabalho-Aereo.pdf
-Treinamento-Operador-Plataforma-de-Trabalho-Aereo.pdf-Treinamento-Operador-Plataforma-de-Trabalho-Aereo.pdf
-Treinamento-Operador-Plataforma-de-Trabalho-Aereo.pdf
 
nr-37-atualizada-2022-1.pdf
nr-37-atualizada-2022-1.pdfnr-37-atualizada-2022-1.pdf
nr-37-atualizada-2022-1.pdf
 
Nr-26-Sinalizacao-de-Seguranca.pdf
Nr-26-Sinalizacao-de-Seguranca.pdfNr-26-Sinalizacao-de-Seguranca.pdf
Nr-26-Sinalizacao-de-Seguranca.pdf
 
Nocoes-Basicas-de-Amarracao-Sinalizacao-e-Movimentacao-de-Cargas-SENAI-.pdf
Nocoes-Basicas-de-Amarracao-Sinalizacao-e-Movimentacao-de-Cargas-SENAI-.pdfNocoes-Basicas-de-Amarracao-Sinalizacao-e-Movimentacao-de-Cargas-SENAI-.pdf
Nocoes-Basicas-de-Amarracao-Sinalizacao-e-Movimentacao-de-Cargas-SENAI-.pdf
 
urso-avancado-bloqueio-sinalizacao-rev2-0-ppt.p427325485-cdf
urso-avancado-bloqueio-sinalizacao-rev2-0-ppt.p427325485-cdfurso-avancado-bloqueio-sinalizacao-rev2-0-ppt.p427325485-cdf
urso-avancado-bloqueio-sinalizacao-rev2-0-ppt.p427325485-cdf
 
SINALIZAÇÃO.TREINAMENTO NR 26.pdf
SINALIZAÇÃO.TREINAMENTO NR 26.pdfSINALIZAÇÃO.TREINAMENTO NR 26.pdf
SINALIZAÇÃO.TREINAMENTO NR 26.pdf
 
Produtos-Perigosos. nr 26.pdf
Produtos-Perigosos. nr 26.pdfProdutos-Perigosos. nr 26.pdf
Produtos-Perigosos. nr 26.pdf
 
Curso-Produtos-quimicos.pdf
Curso-Produtos-quimicos.pdfCurso-Produtos-quimicos.pdf
Curso-Produtos-quimicos.pdf
 
PRODUTOS.PERIGOSOS
PRODUTOS.PERIGOSOSPRODUTOS.PERIGOSOS
PRODUTOS.PERIGOSOS
 
PRODUTOS.PERIGOSOS.pdf
PRODUTOS.PERIGOSOS.pdfPRODUTOS.PERIGOSOS.pdf
PRODUTOS.PERIGOSOS.pdf
 
Manual-de-Produtos-Perigosos.pdf
Manual-de-Produtos-Perigosos.pdfManual-de-Produtos-Perigosos.pdf
Manual-de-Produtos-Perigosos.pdf
 
Produtos Perigosos. Apostila 2022.pdf
Produtos Perigosos. Apostila 2022.pdfProdutos Perigosos. Apostila 2022.pdf
Produtos Perigosos. Apostila 2022.pdf
 
Apostila. Produtos Perigosos -CFBP 2022-1.pdf
Apostila. Produtos Perigosos -CFBP 2022-1.pdfApostila. Produtos Perigosos -CFBP 2022-1.pdf
Apostila. Produtos Perigosos -CFBP 2022-1.pdf
 
ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUIMICOS.pdf
ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUIMICOS.pdfARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUIMICOS.pdf
ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUIMICOS.pdf
 
manual_nr12.pdf
manual_nr12.pdfmanual_nr12.pdf
manual_nr12.pdf
 
manual_nr10 (1).pdf
manual_nr10 (1).pdfmanual_nr10 (1).pdf
manual_nr10 (1).pdf
 
construcao_civil_manual.pdf
construcao_civil_manual.pdfconstrucao_civil_manual.pdf
construcao_civil_manual.pdf
 
Manual_Acesso por Corda_NR-35 (1).pdf
Manual_Acesso por Corda_NR-35 (1).pdfManual_Acesso por Corda_NR-35 (1).pdf
Manual_Acesso por Corda_NR-35 (1).pdf
 
CURSO NR 17 ERGONOMIA 3.ppt
CURSO  NR 17 ERGONOMIA 3.pptCURSO  NR 17 ERGONOMIA 3.ppt
CURSO NR 17 ERGONOMIA 3.ppt
 
APOSTILA DE ERGONOMIA NR 17.pdf
APOSTILA DE ERGONOMIA NR 17.pdfAPOSTILA DE ERGONOMIA NR 17.pdf
APOSTILA DE ERGONOMIA NR 17.pdf
 

Último

William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 

Último (20)

Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 

Espaços confinados: riscos e procedimentos de segurança

  • 1. Espaço confinado É qualquer área não projetada para ocupação continua, à qual tem meios limitados de entrada e saída, e na qual a ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes perigosos e / ou deficiência / enriquecimento de oxigênio que podem existir ou se desenvolverem.
  • 2. Aprisionamento:  Condição de retenção do trabalhador no interior do espaço confinado que impeça sua saída do local pelos meios normais de escape ou que proporcione lesões ou a morte do trabalhador.
  • 3. Condição Imediatamente Perigosa à Vida ou à Saúde  Nota : Algumas substancias podem produzir efeitos transientes imediatos que apesar de severos , possam passar sem atenção medica, mas são seguidos de repentina possibilidade de colapso fatal após 12- 72 horas de exposição .
  • 4. Condição Imediatamente Perigosa à Vida ou à Saúde  A vitima “sente-se normal”da recuperação dos efeitos transientes até o colapso. Tais substancias em concentrações perigosas são consideradas como sendo “imediatamente perigosas” à vida e a saúde .
  • 5. Atmosfera de Risco:  Gás / Vapor ou névoa inflamável em concentrações superiores a 10% do seu limite inferior de Explosividade LIE ou Lower Explosividade Limita LEL;  Poeira combustível viável em uma concentração que se encontre ou exceda o Limite Inferior de Explosividade LIE ou Lower Explosividade Limita LEL;
  • 6. Atmosfera de Risco:  Nota: Esta concentração pode ser estimada pela observação da condição na qual a poeira obscureça a visão numa distancia de 1,5m ou menos.
  • 7. Atmosfera de Risco:  Concentração de oxigênio atmosférico abaixo de 19,5% ou acima de 23,0%;  A Concentração atmosférica de qualquer substância cujo Limite de Tolerância seja publicado na NR-15 ou em norma mais restritiva( ACGIH) e que possa resultar na exposição do trabalhador acima desse Limite de Tolerância; (Comparar LT`s da NR-15 e ACGIH e adotar o mais restritivo)
  • 8. Atmosfera de Risco:  Qualquer outra condição atmosférica Imediatamente Perigosa à Vida ou à Saúde - IPVS ou IDLH - Immediately Dangerous to Health and Life;
  • 9. Atmosfera de Risco:  Condição em que a atmosfera, em um espaço confinado, possa oferecer riscos ao local e expor os trabalhadores ao perigo de morte, incapacitação, restrição da habilidade para auto-resgate, lesão ou doença aguda causada por uma ou mais das seguintes causas:
  • 10. Avaliação do local  É o processo de analise onde os riscos aos quais os trabalhadores possam estar expostos num espaço confinado são identificados e quantificados. A avaliação inclui a especificação dos testes que devem ser realizados e os critérios que devem ser utilizados.
  • 11. Avaliação do local  Nota : Os testes permitem aos empregados planejar e implementar medidas de controle adequadas para proteção dos trabalhadores autorizados e para determinar se as condições de entrada são aceitáveis no presente imediato , antes e durante a entrada.
  • 12. Auto - Resgate  Capacidade , desenvolvida pelo trabalhador através de treinamento, que escape com segurança de ambiente confinado em que entrou em IPVS.
  • 13. Condição de Entrada  Condições ambientais que devem permitir adentrar em um espaço confinado que não apresenta riscos atmosféricos , físicos , químicos , biológicos e/ou mecânicos e onde critérios técnicos de proteção permitam a entrada e execução dos trabalhadores em seu interior.
  • 14. Condição Imediatamente Perigosa à Vida ou à Saúde  É qualquer condição que cause uma ameaça imediata à vida ou que pode causar efeitos adversos irreversíveis à saúde ou que interfira com a habilidade dos indivíduos para escapar de um espaço confinado sem ajuda.
  • 15. Condição Proibitiva de Entrada  É qualquer condição de risco que não permita a entrada em um espaço confinado durante o período para a qual a entrada é autorizada.
  • 16. Emergência  É qualquer interferência (incluindo qualquer falha nos equipamentos de controle e monitoramento de riscos ) ou evento interno ou externo, no espaço confinado, que possa causar perigo aos trabalhadores.  OBS: CALIBRAÇÃO e VERIFICAÇÃO DE INSTRUMENTOS - Imprescindível .
  • 17. ..... Erros Comuns  Utilizar apenas explosimetro em áreas inflamáveis onde possam ocorrer vazamentos que provoquem atmosfera saturada ... Deve-se utilizar oxi-explosímetro .  Fazer medição de gases tóxicos (por ex.. CO- monóxido de carbono ) com explosimetro, com alegação de que o CO é inflamável . Antes de haver o risco de inflamabilidade, o risco é de gás toxico .
  • 18. ....Erros Comuns  Tentar fazer a medição de , por exemplo CO com a utilização de oximetro , com alegação de que o CO desloca o oxigênio.  Não saber se o equipamento esta funcionando corretamente efetuando o teste de verificação com gás . Não confundir com calibracão .
  • 19. Circuito Intrinsecamente Seguro  Um circuito ou parte dele é intrinsecamente seguro quando não é capaz de liberar energia elétrica (faisca) ou térmica suficiente para , em condições normais (isto é , abrindo ou fechando o circuito ) ou anormais (por exemplo, curto-circuito ou falta à terra), causar a ignição de uma dada atmosfera explosiva, conforme expresso no certificado de conformidade do equipamento.
  • 20. Engolfamento / Envolvimento :  Condição em que uma substancia solida ou liquida , finamente dividida e flutuante na atmosfera, possa envolver uma pessoa e no processo de inalação, possa causar a morte por asfixia .
  • 21. Entrada  Ação pela qual as pessoas ingressam através de uma abertura para o interior de um espaço confinado . Essa ação passa a ser considerada como tendo ocorrido logo que alguma parte do corpo do trabalhador rompa o plano de uma abertura no espaço confinado.
  • 22. Inertização  É um procedimento de segurança num espaço confinado que visa evitar uma atmosfera potencialmente explosiva através do deslocamento da mesma por um fluido inerte. Este procedimento produz uma atmosfera IPVS deficiente de oxigênio.
  • 23. Permissão de Entrada  É uma autorização escrita que é fornecida pelo empregador,ou seu representante legal, para permitir e controlar a entrada em um espaço confinado.
  • 24. Permissão para trabalho a quente  É uma autorização escrita do empregador , ou seu representante legal , para permitir operações capazes de fornecer uma fonte de ignição.
  • 25. Supervisor de Entrada  É a pessoa com capacitação e responsabilidade pela determinação se as condições de entrada são aceitáveis e estão presentes numa Permissão de Entrada, como determina esta norma.
  • 26. Trabalhador autorizado  É o profissional com capacitação que recebe autorização do empregador, ou seu representante legal, para entrar em um espaço confinado permitido.
  • 27. Isolamento  É a separação física de uma área ou espaço considerado próprio e permitido ao adentramento, de uma área ou espaço considerado impróprio (perigoso)e não preparado ao adentramento.
  • 28. Espaço confinado não Permitido  É um espaço confinado cuja condição atmosférica ou operacional, tem o potencial de conter qualquer risco capaz de causar morte ou seria lesão física e deve estar proibido para a entrada dos trabalhadores.
  • 29. Espaço Confinado representativo  É um simulador de um espaço confinado em tamanho de abertura , configuração e meios de acesso para o treinamento do trabalhador que não apresente riscos.
  • 30. Programa p/ entrada em espaço confinado  É um programa geral do empregador ou seu representante legal , elaborado para controlar para proteger os trabalhadores de riscos em espaços confinados e para regulamentação da entrada dos trabalhadores neste espaços.
  • 31. Abertura de linha  É o alivio internacional de um tubo , linha ou duto que é ou tenha sido transportador de substancia tóxicas, corrosivas ou inflamáveis , um gás inerte ou qualquer fluido num volume, pressão ou temperatura capaz de causar lesão.
  • 32. Procedimento de permissão  É o documento escrito do empregador para a preparação e emissão da permissão de entrada.  Assegura também, a continuidade do serviço no espaço confinado permitido, após o termino da entrada.
  • 33. Observador de Segurança  É o trabalhador que se posiciona fora do espaço confinado e monitora os trabalhadores autorizados realizando todos os deveres definidos no programa para entrada em espaços confinados.
  • 34. Requerimentos Gerais  Todo espaço confinado deve ser adequadamente sinalizado , identificado e isolado para evitar que pessoas não autorizadas adentrem a estes locais.  Se o empregador , ou seu representante legal , decidir que os trabalhadores contratados e sub-contratados não devem entrar no espaço , o mesmo devera tomar todas as medidas efetivas para evitar que os trabalhadores entrem no espaço.
  • 35. Requerimento Gerais  Se o empregador , ou seu representante legal , decidir que os trabalhadores podem entrar no espaço , o empregador devera desenvolver e implantar um programa escrito de espaços com permissão de entrada.  O programa escrito devera estar disponível para o conhecimento dos trabalhadores , seus representantes autorizados e órgãos fiscalizadores.
  • 36. Equipe de resgate  É o pessoal capacitado e regularmente treinado para retirar os trabalhadores dos espaços confinados em situação de emergência.
  • 37. Equipamentos de resgate  São os materiais necessários para equipe de resgate utilizar nas operações de salvamento em espaços confinados.