SlideShare uma empresa Scribd logo
Política Nacional de Práticas
Integrativas e Complementares
no SUS - PNPIC
Departamento de Gestão do
Cuidado Integral - DGCI
Daniel Amado
Contexto Internacional
“A OMS reconhece a importâncias das
Medicinas Tradicionais desde à década de
70”. Reafirmando a importância na
Conferência de Alma-Ata e em diversos
documentos das assembleias mundiais de
saúde.
“Promover a utilização segura e eficaz das
MTCI mediante reconhecimento,
regulamentação e pesquisa.”
Até 2018, dos Estados-Membros da OMS, no
campo das MTCI:
• 98 Institucionalizaram políticas nacionais;
• 109 possuem leis ou regulamentações
nacionais;
• 124 regulamentos sobre medicamentos
fitoterápicos;
• 75 tem institutos nacionais de pesquisa.
O Brasil é um dos países de referência para
as MTCI, principalmente no que diz respeito a
integração no SUS em especial na APS.
Inserção de procedimentos em PICS no Rol
de Procedimentos e Eventos em Saúde ANS.
Expansão das MTCI no Mundo
5
Modelo de Cuidado
Modelo de
Cuidado
U.S. Departament of Veterans Affairs. Whole Health. Disponível em: https://www.va.gov/WHOLEHEALTH/circle-of-health/index.asp. Acesso em 11/09/2023.
Eu + Autocuidado + Cuidado Profissional + Comunidade e Meio ambiente = Cuidado Integral/Total
Atividade física
Entorno
(físico e emocional)
Desenvolvimento
Pessoal (pessoal e
profissional)
Nutrição
Recarga
(sono e descanso)
Família, Amigos e
Colegas de trabalho
(relações)
Espírito e Alma
(sentido e propósito)
Mente e Emoções
(relaxamento e cura)
Abordagens
convencionais e complementares
Prevenção e Tratamento
Comunidade
Ambiente
MODELO DE CUIDADO INTEGRAL
Abordagem Individual
• Cuidado centrado na pessoa (bio-psico-socio-espiritual)
• Ampla variedade de práticas
Abordagens Coletivas
• Recuperação da saúde, mas também promoção da
saúde
• Mudanças de hábitos de vida
• Formação de redes cuidadoras
Autocuidado Apoiado
• Consciência sobre seu próprio processo de saúde-
doença
• Aquisição de ferramentas de cuidado de si.
• Noção de quando se precisa de apoio de profissionais
da saúde.
Abordagem
Individual
Abordagem coletiva
Autocuidado
apoiado
Exemplo de cuidado integral da Dor
Autocuidado Apoiado
Modelo de Atenção às Condições Crônicas (MACC)
Modelo de Cuidado com PICS
Impacto da Implementação das PICS na Dispensação de
Medicamentos na Atenção Primária
Redução do uso de Antiinflamatório após
integração das PICS em Campinas - BR
Principais
Contribuiçõ
es
• Manejo da dor (incluindo Chikungunya);
• Doenças cardiovasculares (hipertensão,
fatores de risco para DCV);
• Doenças metabólicas (diabetes
mellitus);
• Doenças osteoarticulares;
• Saúde Mental (ansiedade, depressão,
insônia, etc.)
• Problemas emocionais (relações
familiares);
• Uso Racional de Medicamentos;
• Estímulos motores e cognitivos para
reabilitação;
• Prevenção de quedas e manutenção da
autonomia em idosos;
• Tecnologias sociais para socialização,
promoção da saúde e mudança do
estilo de vida e para o autocuidado;
• Diagnóstico e tratamento de sintomas
inespecíficos para a medicina
convencional (CID-11).
• Transtornos alimentares, Sobrepeso,
Obesidade
Contexto Nacional
8ª Conferência Nacional de Saúde
Relatório final deliberou em seu pela “introdução de
práticas alternativas de assistência à saúde no âmbito
dos serviços de saúde, possibilitando ao usuário o
acesso democrático de escolher a terapêutica
preferida” (CNS, 1986, p. 10).
No eixo: A defesa da Estratégia de Saúde da Família (ESF) para a
consolidação do modelo de atenção resolutivo - Aumento da
resolutividade de ações - acesso às Práticas Integrativas e
Complementares em Saúde.
Conferências Nacionais de Saúde
15ª CNS
2015
16ª CNS
2019
17ª CNS
2023
MTCI E POLÍTICAS
PÚBLICAS DE
SAÚDE
Políticas de saúde em Medicinas Tradicionais:
• Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas;
• Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Povo
Cigano/Romani;
• Política Nacional de Saúde Integral das Populações do
Campo, da Floresta e das Águas (PNSIPCFA);
• Política Nacional de Educação Popular em Saúde;
• Outras.
Políticas de saúde em Medicinas Complementares:
• Políticas Nacional de Práticas Integrativas e
Complementares no SUS.
• Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos
SABERES
TRADICIONAIS E
POPULARES
(REALIZADA PELA
POPULAÇÃO)
NÃO FAZEM PARTE DA
PNPIC:
REZADEIRAS, RAIZEIROS,
CURANDEIROS DAS
DIVERSAS RELIGIÕES OU
COMUNIDADES
TRADICIONAIS.
PRÁTICAS
INTEGRATIVAS E
COMPLEMENTARES
EM SAÚDE
(REALIZADA PELOS
PROFISSIONAIS DE SAÚDE)
CATEGORIAS PRESENTS
NO SUS!
NÃO DEFENDE CRIAÇÃO
OU INCORPORAÇÃO DE
OCUPAÇÕES
2
0 OBJETIVOS DA PNPIC
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS: ampliação da atitude de acesso - 2. ed., 2015. 96 p.
Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/politica_nacional_praticas_integrativas_complementares_2ed.pdf. Acesso em: 11 de abril de 2023.
 Incorporar e implementar as PICS no SUS, na perspectiva da prevenção de agravos e
da promoção e recuperação da saúde, com ênfase na atenção básica, voltada para o
cuidado continuado, humanizado e integral em saúde.
 Contribuir para o aumento da resolubilidade do sistema e ampliação do acesso à
PNPIC, garantindo qualidade, eficácia, eficiência e segurança no uso.
 Promover a racionalização das ações de saúde, estimulando alternativas inovadoras e
socialmente contributivas ao desenvolvimento sustentável de comunidades.
 Estimular as ações referentes ao controle/participação social, promovendo o
envolvimento responsável e continuado dos usuários, gestores e trabalhadores nas
diferentes instâncias de efetivação das políticas de saúde.
As PICS estiveram em algum momento no SUS (APS/MAC) período de
2019 a 2022 em 4.817 municípios (86,46%).
De 2019 a 2022: 88.939 procedimentos coletivos, com total
de 1.160.894 participantes na APS
Nº de procedimentos registrados com PICS no SUS (MAC e APS),
2019 a 2022: 9.200.870 (APS: 2.982.964 | MAC 6.217.906)
Fonte: Secretaria de Atenção Primária à Saúde-Sistemas de Informação : SISAB, SIA e SIH de 2019 até 2022
Fonte nº total de estabelecimentos: https://sisaps.saude.gov.br/painelsaps/situacao-prontuario. Acesso em: 11 de abril de 2023.
Fonte gráfico: Secretaria de Atenção Primária à Saúde-Sistemas de Informação : SISAB, SIA e SIH de 2019 até julho de 2022
Cenário da implementação da PNPIC no território brasileiro
N° de estabelecimentos que registraram PICS na APS em algum
momento (período de 2013 a 2022 ) = 21.928/44.679 (49%)
22
Cinco práticas integrativas e complementares em saúde com maior número de procedimentos
registrados no SUS (MAC e APS), no quadriênio de 2019 – 2022 no BRASIL.
Número de procedimentos registrados
Fonte: Secretaria de Atenção Primária à Saúde – Sistemas de Informação: SISAB, SIA e SIH.
5
PICS
com
maior
número
de
procedimentos
registrados
7.029.052 / 9.200.870 = 76,4% dos procedimentos registrados no SUS
3.294.368
Cenário da implementação da PNPIC no território brasileiro
Educação Permanente
Ambiente Virtual de Aprendizagem do SUS – Avasus. Módulos Educacionais.
Disponível: https://avasus.ufrn.br/local/avasplugin/cursos/cursos.php?search=PICS
Cursos Virtuais AVASUS (UFRN)
Formações UFSC
Ampliação do Cuidado
Práticas
Clínicas
Abordagens
Sociais e
familiares
Práticas
Coletivas de
Promoção da
Saúde
Histórico de Ampliação das Práticas Integrativas e
Complementares no SUS
Práticas Clínicas
Antroposofia Aplicada à Saúde
Ayurveda
Cromoterapia
Hipnoterapia
Homeopatia
MTC/Acupuntura
Naturopatia
Osteopatia
Quiropraxia
Termalismo social
Promoção da Saúde,
Bem estar e Socialização
Arteterapia
Biodança
Bioenergética
Constelação familiar
Dança Circular
Imposição de mãos
Meditação
Musicoterapia
Reflexoterapia
Reiki
Shantala
Terapia Comunitária Integrativa
Yoga
Insumos/produtos
Apiterapia
Aromaterapia
Geoterapia
Ozonioterapia
Plantas Medicinais e Fitoterapia
Crenoterapia
Terapia de Florais
Onde são ofertados
das PICS
• Unidades Básicas de Saúde
• Ambulatórios especializados
• Integrado a serviços de Reabilitação,
Saúde Mental, etc
• Centros de PICS
• Integrado em Hospitais
Prioridade estratégica para 2023-2027
Competências:
- Fortalecimento da PNPIC a partir do direcionamento, priorização, qualificação da oferta, avaliação das
incorporações, e debate ampliado sobre a implementação nos serviços a partir das evidências científicas e
objetivo terapêutico.
- Aprofundamento teórico conceitual a partir de um alinhamento nacional e internacional.
- Integração das PICS, a partir das evidências científicas e objetivos terapêuticos, as políticas, programas e ações
do MS, com foco na APS. Exemplo ações de cuidado ao Idoso/criança/pessoas com condições crônicas,
integração nos processos formativos; informatização e saúde digital;
- Formulação e execução de programas e projetos que fortaleçam a implementação das PICS no território, com
foco nas condições relevantes para à saúde pública, como dores crônicas, saúde mental, doenças crônicas
(formação, produção de documentos técnicos, pesquisas, proposta de indicadores);
- Apoio a implementação das PICS nas linhas de cuidado prioritárias.
- Parcerias Internacionais
Prioridade estratégica para 2023-2027
Propostas:
- Estratégias de formação de trabalhadores(equipes APS) e gestores a partir das evidências cientificas e objetivo
terapêutico;
- Apoio a espaços de promoção da saúde e criação de vinculo com a APS (Academia da Saúde, PSE, UBS, Centros
de PICS, Casas de Parto;
- Expansão para MAC, para além do que existe, CAPS, SER, AD, Hospitais (disputar orçamento da MAC para
qualificação do cuidado no Curso de Vida);
- Consolidação do Brasil como referência internacional e protagonismo regional (Curso de Auriculoterapia);
- Apoio a implementação das PICS nas linhas de cuidado prioritárias.
Prioridade estratégica para 2023-2027
Eixo EIXO 1 FORTALECIMENTO DA PNPIC
Macroprocesso 1
Direcionamento, Priorização, Qualificação,
Aprofundamento conceitual
Macroprocesso 1 Monitoramento e avaliação da PNPIC
Macroprocesso 1
Produção de Evidências, modelos de
implementação
Macroprocesso 1
Sugerir modelo de financiamento para às
PICS (APS, MAC e SECTICS)
Eixo EIXO 2
INTEGRAÇÃO COM AS POLÍTICAS E
PROGRAMAS DO MS
Macroprocesso 1
Ampliar e qualificar as ações de PICS no curso
de Vida e condições de saúde prioritárias
Macroprocesso 1
Integração com as políticas de populações
específicas
Macroprocesso 1
Integração com a pauta de plantas medicinais,
campo, ambiente e territórios saudáveis
Macroprocesso 1 Inclusão das PICS nas estratégias de Pesquisa
Macroprocesso 1
Integração com a pautas intersetoriais e de
promoção da saúde
Eixo EIXO 3
IMPLEMENTAÇÃO NO TERRITÓRIO
Macroprocesso 1
Promover processos formativos para
ampliação da oferta das PICS
Macroprocesso 2 Apoio interfederativo
Macroprocesso 2
Comunicação (gestores, trabalhadores e
população)
Eixo EIXO 4 ARTICULAÇÃO NACIONAL
Macroprocesso 1
Integração com políticas/programas
interministeriais
Macroprocesso 1
Relações com entidades profissionais e da
sociedade civil
Eixo EIXO 5 COOPERAÇÃO INTERNACIONAL
Macroprocesso 1
Integração com os países da região das
Américas
Macroprocesso 1 Integração com outros países
Obrigado!
Departamento de Gestão do Cuidado Integral
Contato: dgci@saude.gov.br
SRTVN, Quadra 701, Via WS Norte, Lote D
Edifício PO 700, 5º andar - Brasília/DF - Brasil

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a CNS_Setembro2023 (1).pdf

1.manual orientacao formulacao_acoes
1.manual orientacao formulacao_acoes1.manual orientacao formulacao_acoes
1.manual orientacao formulacao_acoes
Regiany Prata
 
Apresentacao 08 08 - Sandra de Castro Barros.pptx
Apresentacao 08 08 - Sandra de Castro Barros.pptxApresentacao 08 08 - Sandra de Castro Barros.pptx
Apresentacao 08 08 - Sandra de Castro Barros.pptx
Sandro671810
 
Programas Estratégicos e Assistência Farmacêutica
Programas Estratégicos e Assistência FarmacêuticaProgramas Estratégicos e Assistência Farmacêutica
Programas Estratégicos e Assistência Farmacêutica
Helenice Alexandrino
 
Livro Uso de Medicamentos e Medicalização da vida: recomendações e estratégias
Livro Uso de Medicamentos e Medicalização da vida: recomendações e estratégias Livro Uso de Medicamentos e Medicalização da vida: recomendações e estratégias
Livro Uso de Medicamentos e Medicalização da vida: recomendações e estratégias
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Trabalho plano municipal
Trabalho plano municipalTrabalho plano municipal
Trabalho plano municipal
Bi_Oliveira
 
Slides turma3
Slides turma3Slides turma3
Slides turma3
Marcos Nery
 
Gestão da Informação em Saúde - Management of health information
Gestão da Informação em Saúde - Management of health informationGestão da Informação em Saúde - Management of health information
Gestão da Informação em Saúde - Management of health information
Jamessonjr Leite Junior
 
POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTENCIA E RENAME.pptx
POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTENCIA E RENAME.pptxPOLÍTICA NACIONAL DE ASSISTENCIA E RENAME.pptx
POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTENCIA E RENAME.pptx
JssicaMora1
 
DOC_PARTICIPANTE_EVT_6424_1574864439268_KComissaoPermanenteCAS20191127EXT055_...
DOC_PARTICIPANTE_EVT_6424_1574864439268_KComissaoPermanenteCAS20191127EXT055_...DOC_PARTICIPANTE_EVT_6424_1574864439268_KComissaoPermanenteCAS20191127EXT055_...
DOC_PARTICIPANTE_EVT_6424_1574864439268_KComissaoPermanenteCAS20191127EXT055_...
VicthriaSdeMoraesSpi
 
Vigilância em saúde como ferramenta de Gestão: Integrar as Ações e Qualificar...
Vigilância em saúde como ferramenta de Gestão: Integrar as Ações e Qualificar...Vigilância em saúde como ferramenta de Gestão: Integrar as Ações e Qualificar...
Vigilância em saúde como ferramenta de Gestão: Integrar as Ações e Qualificar...
enfermagemcapsipalma
 
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel LisbôaQuimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
Oncoguia
 
Cartilha de saúde funcional
Cartilha de saúde funcionalCartilha de saúde funcional
Cartilha de saúde funcional
Eduardo Santana Cordeiro
 
Promocaosaude políticas
Promocaosaude políticasPromocaosaude políticas
Promocaosaude políticas
Marcos Nery
 
8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...
8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...
8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Uso de Medicamentos e Medicalização da vida - Ministério da Saúde
Uso de Medicamentos e Medicalização da vida - Ministério da Saúde Uso de Medicamentos e Medicalização da vida - Ministério da Saúde
Uso de Medicamentos e Medicalização da vida - Ministério da Saúde
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Bases legais na saúde pública
Bases legais na saúde públicaBases legais na saúde pública
Bases legais na saúde pública
bel_c
 
Oficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Oficina da CIF em sistemas de informação em CuritibaOficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Oficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Eduardo Santana Cordeiro
 
Pronutri sicnut-vd
Pronutri sicnut-vdPronutri sicnut-vd
Pronutri sicnut-vd
Mab Davilla
 
AULA 6_HSP283_VE VS_2020.pdf
AULA 6_HSP283_VE VS_2020.pdfAULA 6_HSP283_VE VS_2020.pdf
AULA 6_HSP283_VE VS_2020.pdf
QuevellinSantos
 
Aula 14 - SAUDE COLETIVA - Programa Saúde da Família.pdf
Aula 14 - SAUDE COLETIVA -  Programa Saúde da Família.pdfAula 14 - SAUDE COLETIVA -  Programa Saúde da Família.pdf
Aula 14 - SAUDE COLETIVA - Programa Saúde da Família.pdf
Giza Carla Nitz
 

Semelhante a CNS_Setembro2023 (1).pdf (20)

1.manual orientacao formulacao_acoes
1.manual orientacao formulacao_acoes1.manual orientacao formulacao_acoes
1.manual orientacao formulacao_acoes
 
Apresentacao 08 08 - Sandra de Castro Barros.pptx
Apresentacao 08 08 - Sandra de Castro Barros.pptxApresentacao 08 08 - Sandra de Castro Barros.pptx
Apresentacao 08 08 - Sandra de Castro Barros.pptx
 
Programas Estratégicos e Assistência Farmacêutica
Programas Estratégicos e Assistência FarmacêuticaProgramas Estratégicos e Assistência Farmacêutica
Programas Estratégicos e Assistência Farmacêutica
 
Livro Uso de Medicamentos e Medicalização da vida: recomendações e estratégias
Livro Uso de Medicamentos e Medicalização da vida: recomendações e estratégias Livro Uso de Medicamentos e Medicalização da vida: recomendações e estratégias
Livro Uso de Medicamentos e Medicalização da vida: recomendações e estratégias
 
Trabalho plano municipal
Trabalho plano municipalTrabalho plano municipal
Trabalho plano municipal
 
Slides turma3
Slides turma3Slides turma3
Slides turma3
 
Gestão da Informação em Saúde - Management of health information
Gestão da Informação em Saúde - Management of health informationGestão da Informação em Saúde - Management of health information
Gestão da Informação em Saúde - Management of health information
 
POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTENCIA E RENAME.pptx
POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTENCIA E RENAME.pptxPOLÍTICA NACIONAL DE ASSISTENCIA E RENAME.pptx
POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTENCIA E RENAME.pptx
 
DOC_PARTICIPANTE_EVT_6424_1574864439268_KComissaoPermanenteCAS20191127EXT055_...
DOC_PARTICIPANTE_EVT_6424_1574864439268_KComissaoPermanenteCAS20191127EXT055_...DOC_PARTICIPANTE_EVT_6424_1574864439268_KComissaoPermanenteCAS20191127EXT055_...
DOC_PARTICIPANTE_EVT_6424_1574864439268_KComissaoPermanenteCAS20191127EXT055_...
 
Vigilância em saúde como ferramenta de Gestão: Integrar as Ações e Qualificar...
Vigilância em saúde como ferramenta de Gestão: Integrar as Ações e Qualificar...Vigilância em saúde como ferramenta de Gestão: Integrar as Ações e Qualificar...
Vigilância em saúde como ferramenta de Gestão: Integrar as Ações e Qualificar...
 
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel LisbôaQuimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
Quimioterapia oral: Como estamos? - Raquel Lisbôa
 
Cartilha de saúde funcional
Cartilha de saúde funcionalCartilha de saúde funcional
Cartilha de saúde funcional
 
Promocaosaude políticas
Promocaosaude políticasPromocaosaude políticas
Promocaosaude políticas
 
8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...
8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...
8ª Assembleia do CONASS – Plano Diretor dos Hospitais - Programa de Apoio ao ...
 
Uso de Medicamentos e Medicalização da vida - Ministério da Saúde
Uso de Medicamentos e Medicalização da vida - Ministério da Saúde Uso de Medicamentos e Medicalização da vida - Ministério da Saúde
Uso de Medicamentos e Medicalização da vida - Ministério da Saúde
 
Bases legais na saúde pública
Bases legais na saúde públicaBases legais na saúde pública
Bases legais na saúde pública
 
Oficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Oficina da CIF em sistemas de informação em CuritibaOficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
Oficina da CIF em sistemas de informação em Curitiba
 
Pronutri sicnut-vd
Pronutri sicnut-vdPronutri sicnut-vd
Pronutri sicnut-vd
 
AULA 6_HSP283_VE VS_2020.pdf
AULA 6_HSP283_VE VS_2020.pdfAULA 6_HSP283_VE VS_2020.pdf
AULA 6_HSP283_VE VS_2020.pdf
 
Aula 14 - SAUDE COLETIVA - Programa Saúde da Família.pdf
Aula 14 - SAUDE COLETIVA -  Programa Saúde da Família.pdfAula 14 - SAUDE COLETIVA -  Programa Saúde da Família.pdf
Aula 14 - SAUDE COLETIVA - Programa Saúde da Família.pdf
 

CNS_Setembro2023 (1).pdf

  • 1. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - PNPIC Departamento de Gestão do Cuidado Integral - DGCI Daniel Amado
  • 3. “A OMS reconhece a importâncias das Medicinas Tradicionais desde à década de 70”. Reafirmando a importância na Conferência de Alma-Ata e em diversos documentos das assembleias mundiais de saúde. “Promover a utilização segura e eficaz das MTCI mediante reconhecimento, regulamentação e pesquisa.”
  • 4. Até 2018, dos Estados-Membros da OMS, no campo das MTCI: • 98 Institucionalizaram políticas nacionais; • 109 possuem leis ou regulamentações nacionais; • 124 regulamentos sobre medicamentos fitoterápicos; • 75 tem institutos nacionais de pesquisa. O Brasil é um dos países de referência para as MTCI, principalmente no que diz respeito a integração no SUS em especial na APS. Inserção de procedimentos em PICS no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde ANS. Expansão das MTCI no Mundo
  • 5. 5
  • 7. Modelo de Cuidado U.S. Departament of Veterans Affairs. Whole Health. Disponível em: https://www.va.gov/WHOLEHEALTH/circle-of-health/index.asp. Acesso em 11/09/2023. Eu + Autocuidado + Cuidado Profissional + Comunidade e Meio ambiente = Cuidado Integral/Total Atividade física Entorno (físico e emocional) Desenvolvimento Pessoal (pessoal e profissional) Nutrição Recarga (sono e descanso) Família, Amigos e Colegas de trabalho (relações) Espírito e Alma (sentido e propósito) Mente e Emoções (relaxamento e cura) Abordagens convencionais e complementares Prevenção e Tratamento Comunidade Ambiente
  • 8. MODELO DE CUIDADO INTEGRAL Abordagem Individual • Cuidado centrado na pessoa (bio-psico-socio-espiritual) • Ampla variedade de práticas Abordagens Coletivas • Recuperação da saúde, mas também promoção da saúde • Mudanças de hábitos de vida • Formação de redes cuidadoras Autocuidado Apoiado • Consciência sobre seu próprio processo de saúde- doença • Aquisição de ferramentas de cuidado de si. • Noção de quando se precisa de apoio de profissionais da saúde. Abordagem Individual Abordagem coletiva Autocuidado apoiado
  • 9. Exemplo de cuidado integral da Dor
  • 11. Modelo de Atenção às Condições Crônicas (MACC)
  • 12. Modelo de Cuidado com PICS
  • 13. Impacto da Implementação das PICS na Dispensação de Medicamentos na Atenção Primária Redução do uso de Antiinflamatório após integração das PICS em Campinas - BR
  • 14. Principais Contribuiçõ es • Manejo da dor (incluindo Chikungunya); • Doenças cardiovasculares (hipertensão, fatores de risco para DCV); • Doenças metabólicas (diabetes mellitus); • Doenças osteoarticulares; • Saúde Mental (ansiedade, depressão, insônia, etc.) • Problemas emocionais (relações familiares); • Uso Racional de Medicamentos; • Estímulos motores e cognitivos para reabilitação; • Prevenção de quedas e manutenção da autonomia em idosos; • Tecnologias sociais para socialização, promoção da saúde e mudança do estilo de vida e para o autocuidado; • Diagnóstico e tratamento de sintomas inespecíficos para a medicina convencional (CID-11). • Transtornos alimentares, Sobrepeso, Obesidade
  • 16. 8ª Conferência Nacional de Saúde Relatório final deliberou em seu pela “introdução de práticas alternativas de assistência à saúde no âmbito dos serviços de saúde, possibilitando ao usuário o acesso democrático de escolher a terapêutica preferida” (CNS, 1986, p. 10). No eixo: A defesa da Estratégia de Saúde da Família (ESF) para a consolidação do modelo de atenção resolutivo - Aumento da resolutividade de ações - acesso às Práticas Integrativas e Complementares em Saúde. Conferências Nacionais de Saúde 15ª CNS 2015 16ª CNS 2019 17ª CNS 2023
  • 17. MTCI E POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE Políticas de saúde em Medicinas Tradicionais: • Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas; • Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Povo Cigano/Romani; • Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, da Floresta e das Águas (PNSIPCFA); • Política Nacional de Educação Popular em Saúde; • Outras. Políticas de saúde em Medicinas Complementares: • Políticas Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS. • Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos
  • 18. SABERES TRADICIONAIS E POPULARES (REALIZADA PELA POPULAÇÃO) NÃO FAZEM PARTE DA PNPIC: REZADEIRAS, RAIZEIROS, CURANDEIROS DAS DIVERSAS RELIGIÕES OU COMUNIDADES TRADICIONAIS.
  • 19. PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES EM SAÚDE (REALIZADA PELOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE) CATEGORIAS PRESENTS NO SUS! NÃO DEFENDE CRIAÇÃO OU INCORPORAÇÃO DE OCUPAÇÕES
  • 20. 2 0 OBJETIVOS DA PNPIC Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS: ampliação da atitude de acesso - 2. ed., 2015. 96 p. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/politica_nacional_praticas_integrativas_complementares_2ed.pdf. Acesso em: 11 de abril de 2023.  Incorporar e implementar as PICS no SUS, na perspectiva da prevenção de agravos e da promoção e recuperação da saúde, com ênfase na atenção básica, voltada para o cuidado continuado, humanizado e integral em saúde.  Contribuir para o aumento da resolubilidade do sistema e ampliação do acesso à PNPIC, garantindo qualidade, eficácia, eficiência e segurança no uso.  Promover a racionalização das ações de saúde, estimulando alternativas inovadoras e socialmente contributivas ao desenvolvimento sustentável de comunidades.  Estimular as ações referentes ao controle/participação social, promovendo o envolvimento responsável e continuado dos usuários, gestores e trabalhadores nas diferentes instâncias de efetivação das políticas de saúde.
  • 21. As PICS estiveram em algum momento no SUS (APS/MAC) período de 2019 a 2022 em 4.817 municípios (86,46%). De 2019 a 2022: 88.939 procedimentos coletivos, com total de 1.160.894 participantes na APS Nº de procedimentos registrados com PICS no SUS (MAC e APS), 2019 a 2022: 9.200.870 (APS: 2.982.964 | MAC 6.217.906) Fonte: Secretaria de Atenção Primária à Saúde-Sistemas de Informação : SISAB, SIA e SIH de 2019 até 2022 Fonte nº total de estabelecimentos: https://sisaps.saude.gov.br/painelsaps/situacao-prontuario. Acesso em: 11 de abril de 2023. Fonte gráfico: Secretaria de Atenção Primária à Saúde-Sistemas de Informação : SISAB, SIA e SIH de 2019 até julho de 2022 Cenário da implementação da PNPIC no território brasileiro N° de estabelecimentos que registraram PICS na APS em algum momento (período de 2013 a 2022 ) = 21.928/44.679 (49%)
  • 22. 22 Cinco práticas integrativas e complementares em saúde com maior número de procedimentos registrados no SUS (MAC e APS), no quadriênio de 2019 – 2022 no BRASIL. Número de procedimentos registrados Fonte: Secretaria de Atenção Primária à Saúde – Sistemas de Informação: SISAB, SIA e SIH. 5 PICS com maior número de procedimentos registrados 7.029.052 / 9.200.870 = 76,4% dos procedimentos registrados no SUS 3.294.368 Cenário da implementação da PNPIC no território brasileiro
  • 23. Educação Permanente Ambiente Virtual de Aprendizagem do SUS – Avasus. Módulos Educacionais. Disponível: https://avasus.ufrn.br/local/avasplugin/cursos/cursos.php?search=PICS Cursos Virtuais AVASUS (UFRN) Formações UFSC
  • 24. Ampliação do Cuidado Práticas Clínicas Abordagens Sociais e familiares Práticas Coletivas de Promoção da Saúde
  • 25. Histórico de Ampliação das Práticas Integrativas e Complementares no SUS Práticas Clínicas Antroposofia Aplicada à Saúde Ayurveda Cromoterapia Hipnoterapia Homeopatia MTC/Acupuntura Naturopatia Osteopatia Quiropraxia Termalismo social Promoção da Saúde, Bem estar e Socialização Arteterapia Biodança Bioenergética Constelação familiar Dança Circular Imposição de mãos Meditação Musicoterapia Reflexoterapia Reiki Shantala Terapia Comunitária Integrativa Yoga Insumos/produtos Apiterapia Aromaterapia Geoterapia Ozonioterapia Plantas Medicinais e Fitoterapia Crenoterapia Terapia de Florais
  • 26. Onde são ofertados das PICS • Unidades Básicas de Saúde • Ambulatórios especializados • Integrado a serviços de Reabilitação, Saúde Mental, etc • Centros de PICS • Integrado em Hospitais
  • 27. Prioridade estratégica para 2023-2027 Competências: - Fortalecimento da PNPIC a partir do direcionamento, priorização, qualificação da oferta, avaliação das incorporações, e debate ampliado sobre a implementação nos serviços a partir das evidências científicas e objetivo terapêutico. - Aprofundamento teórico conceitual a partir de um alinhamento nacional e internacional. - Integração das PICS, a partir das evidências científicas e objetivos terapêuticos, as políticas, programas e ações do MS, com foco na APS. Exemplo ações de cuidado ao Idoso/criança/pessoas com condições crônicas, integração nos processos formativos; informatização e saúde digital; - Formulação e execução de programas e projetos que fortaleçam a implementação das PICS no território, com foco nas condições relevantes para à saúde pública, como dores crônicas, saúde mental, doenças crônicas (formação, produção de documentos técnicos, pesquisas, proposta de indicadores); - Apoio a implementação das PICS nas linhas de cuidado prioritárias. - Parcerias Internacionais
  • 28. Prioridade estratégica para 2023-2027 Propostas: - Estratégias de formação de trabalhadores(equipes APS) e gestores a partir das evidências cientificas e objetivo terapêutico; - Apoio a espaços de promoção da saúde e criação de vinculo com a APS (Academia da Saúde, PSE, UBS, Centros de PICS, Casas de Parto; - Expansão para MAC, para além do que existe, CAPS, SER, AD, Hospitais (disputar orçamento da MAC para qualificação do cuidado no Curso de Vida); - Consolidação do Brasil como referência internacional e protagonismo regional (Curso de Auriculoterapia); - Apoio a implementação das PICS nas linhas de cuidado prioritárias.
  • 29. Prioridade estratégica para 2023-2027 Eixo EIXO 1 FORTALECIMENTO DA PNPIC Macroprocesso 1 Direcionamento, Priorização, Qualificação, Aprofundamento conceitual Macroprocesso 1 Monitoramento e avaliação da PNPIC Macroprocesso 1 Produção de Evidências, modelos de implementação Macroprocesso 1 Sugerir modelo de financiamento para às PICS (APS, MAC e SECTICS) Eixo EIXO 2 INTEGRAÇÃO COM AS POLÍTICAS E PROGRAMAS DO MS Macroprocesso 1 Ampliar e qualificar as ações de PICS no curso de Vida e condições de saúde prioritárias Macroprocesso 1 Integração com as políticas de populações específicas Macroprocesso 1 Integração com a pauta de plantas medicinais, campo, ambiente e territórios saudáveis Macroprocesso 1 Inclusão das PICS nas estratégias de Pesquisa Macroprocesso 1 Integração com a pautas intersetoriais e de promoção da saúde Eixo EIXO 3 IMPLEMENTAÇÃO NO TERRITÓRIO Macroprocesso 1 Promover processos formativos para ampliação da oferta das PICS Macroprocesso 2 Apoio interfederativo Macroprocesso 2 Comunicação (gestores, trabalhadores e população) Eixo EIXO 4 ARTICULAÇÃO NACIONAL Macroprocesso 1 Integração com políticas/programas interministeriais Macroprocesso 1 Relações com entidades profissionais e da sociedade civil Eixo EIXO 5 COOPERAÇÃO INTERNACIONAL Macroprocesso 1 Integração com os países da região das Américas Macroprocesso 1 Integração com outros países
  • 30. Obrigado! Departamento de Gestão do Cuidado Integral Contato: dgci@saude.gov.br SRTVN, Quadra 701, Via WS Norte, Lote D Edifício PO 700, 5º andar - Brasília/DF - Brasil