SlideShare uma empresa Scribd logo
ALUNOS: Laura Coêlho, Maria Andrade,
Lucas Alves, Lindoelma, Stefanie Nayan,
Andreza, Weleson Santos, Alilson Paiva e
Claudilene.
GEOGRAFIA
Climas e vegetações
no mundo
• Biodiversidade;
• Tipos climáticos;
• Formações vegetais;
• Clima equatorial;
• Florestas equatoriais;
• Clima tropical;
• Florestas tropicais;
• Clima de monções;
• Clima temperado;
• Florestas temperadas;
• Estepes ou Pradarias;
• Clima Mediterrâneo;
• Vegetação mediterrânea;
• Clima Frio;
• Floresta boreal;
• Clima de montanha;
• Vegetação de altitude;
• Clima polar, TUNDRA;
• Clima desértico Xerófilas;
Biodiversidade
Biodiversidade é a diversidade da natureza
viva.
A biodiversidade possui três grandes níveis:
1) Diversidade genética - os indivíduos de
uma mesma espécie não são geneticamente
idênticos entre si. Cada indivíduo possui uma
combinação única de genes que fazem com
que alguns sejam mais altos e outros mais
baixos, alguns possuam os olhos azuis
enquanto outros os tenham castanhos,
tenham o nariz chato ou pontiagudo. As
diferenças genéticas fazem com que a Terra
possua uma grande variedade de vida.
2) Diversidade orgânica - os cientistas agrupam os
indivíduos que possuem uma história evolutiva
comum em espécies. Possuir a mesma história
evolutiva faz com que cada espécie possua
características únicas que não são compartilhadas
com outros seres vivos. Os cientistas já
identificaram cerca de 1,75 milhões de espécies.
Contudo, eles estão somente no começo. Algumas
estimativas apontam que podem existir entre 10 a
30 milhões de espécies na Terra.
3) Diversidade ecológica - As populações da
mesma espécie e de espécies diferentes
interagem entre si formando comunidades;
essas comunidades interagem com o ambiente
formando ecossistemas, que interagem entre si
formando paisagens, que formam os biomas.
Desertos, florestas, oceanos, são tipos de
biomas. Cada um deles possui vários tipos de
ecossistemas, os quais possuem espécies únicas.
Quando um ecossistema é ameaçado todas as
suas espécies também são ameaçadas
• Clima equatorial;
• Clima tropical;
• Clima de monções;
• Clima temperado;
• Clima Mediterrâneo;
• Clima Frio;
• Clima de montanha;
• Clima polar;
• Clima desértico.
TIPOS CLIMÁTICOS
Porquê está tão quente?
Aqui não costumava ser tão frio?
O que está rolando com o clima, ora está
quente, ora está frio?
Gente olhe o céu parece que a chuva veio de
repente.
Credo este calor esta de matar.
Nossa que tempestade.
Perguntas assim rodeiam nosso cotidiano.
Mas por que realmente isso ocorre?
As mudanças climáticas são alterações que ocorrem no clima
geral do PLANETA TERRA.
Fatores geradores: As mudanças climáticas são provocadas
por fenômenos naturais ou por ações dos seres humanos.
Consequências: Atualmente as mudanças climáticas têm sido
alvo de diversas discussões e pesquisas científicas. Os
climatologistas verificaram que, nas últimas décadas, ocorreu
um significativo aumento da temperatura mundial, fenômeno
conhecido como aquecimento global.
Mudança climática
A resposta para nossa pergunta apenas gera outras. O que são mudanças climáticas? Por que
elas ocorrem? Quais sus consequências?
• Formações vegetais;
• Florestas equatoriais;
• Florestas tropicais;
• Florestas temperadas;
• Estepes ou Pradarias;
• Vegetação mediterrânea;
• Floresta boreal;
• Vegetação de altitude;
• Xerófilas.
FORMAÇÕES VEGETAIS
O tipo de vegetação de determinada região irá
depender, primordialmente, do seu tipo de
clima. Entretanto, essa regra aplica-se
somente a vegetações naturais ou nativas,
pois a formação vegetal é o primeiro
elemento da paisagem que o homem modifica
e, portanto, está em constante
transformação.
Alguns exemplos:
Florestas equatoriais que estão localizadas em
regiões próximas a linha do Equador.
Florestas tropicais localizam-se em locais secos
próximos aos litorais.
Florestas tropical de monções ocorrem em regiões
leste da África e sul da Índia.
Florestas temperadas em regiões centrais da
Europa.
Florestas Mediterrâneas no sul do oceano pacifico.
Florestas Fria em regiões frias.
Florestas de montanha em altos picos ou
montanhas.
TUNDRA nas regiões polares.
Xerófilas nos desertos.
Climas e vegetações mundiais
Clima equatorial é dos tipos climáticos das
regiões intertropicais utilizado no sistema de
classificação climática de Köppen-Geiger, no
qual é denotado pelo grupo Af, para
classificar o clima das zonas geográficas
caracterizadas pela elevada temperatura
média do ar; entre 24º C e 27°C, com média
mensal sempre superior a 18°C e pela alta
pluviosidade. A generalidade das regiões de
clima equatorial encontram-se concentradas
numa faixa de 5º de latitude em torno da
linha do Equador, razão que justifica a
atribuição da designação de equatorial dada
ao tipo. A dinâmica da atmosfera nestas
regiões é dominada pela presença da Zona
de Convergência Intertropical e pelo
predomínio de fenómenos do tipo
convectivo, produzindo precipitação intensa
em geral associada a trovoadas durante o
período mais quente do dia. As elevadas
temperaturas asseguram uma elevada
evapotranspiração.
CLIMA
EQUATORIAL
O clima tropical é um clima quente
que abrange a região próxima aos
trópicos de Câncer e de Capricórnio.
Podemos dividi-lo em dois tipos
diferentes: o clima tropical úmido e o
tropical seco. Os climas tropicais são
caracterizados por temperaturas
elevadas - todos os meses do ano
apresentam temperaturas médias de
18 °C ou superiores.
CLIMA TROPICAL
Ocorre nas regiões próximas a linha do
equador. Alto índice pluviométrico (chuvas),
sendo que em quase todos os meses do ano
chove acima de 60 mm.
Clima tropical seco
Caracterizado pela ocorrência de uma
estação seca durante o ano. Nesta estação, o
índice médio mensal de chuvas fica abaixo de
60 mm.
Clima tropical de monção
Ocorrência de um período do ano em que o
índice de chuvas é muito elevado. Ocorre
principalmente na região leste do continente
africano e sul da Índia.
Clima tropical de altitude
Típico de regiões de altitudes elevadas. As
temperaturas são semelhantes às do clima
subtropical. O índice pluviométrico mensal é
abaixo de 60 mm. Ocasionalmente, ocorrem
geadas nestas regiões. No Brasil, podemos
citar a região de Serra da Mantiqueira como
exemplo de clima tropical de altitude.
FLORESTA TROPICAIS
As monções são um fenômeno típico da região sul
e sudeste da Ásia, onde o clima é condicionado
por massas de ar que ora viajam do interior do
continente para a costa, monção continental, ora
da costa para o continente, monção marítima.
Devido às diferenças de temperatura e pressão
das massas de ar sobre o continente e o mar o
clima de países como a Índia e o Paquistão é
inteiramente afetado pelo regime das monções.
Durante o verão, que vai de junho a agosto, o
calor aquece rapidamente terra do continente
que absorve calor bem mais rápido do que o
oceano (a terra pode chegar a 45ºC). Com o
aquecimento da terra, as massas de ar sobre o
continente também ficam mais quentes e sobem
dando lugar a uma rajada de ventos vindos do
oceano Índico, que, como toda massa de ar que
se forma sobre os oceanos, vem carregada de
umidade. Essa umidade é despejado sobre o
continente em chuvas torrenciais que podem
durar dias. Esse é o período das monções
marítimas que todo ano causam enchentes nessas
regiões.
CLIMA DE MONÇÕES
O clima temperado é aquele que ocorre nas
regiões central da Europa, sudeste da
Austrália, litoral sul da América do Sul,
nordeste da China, norte do Japão e parte do
Oriente Médio.
O clima Temperado possui as seguintes
características:
- Nas áreas de clima temperado, os verões
costumam ser moderados e os invernos frios;
- O índice pluviométrico varia entre 1.500 mm e
2.000 mm;
- Na época do inverno, a umidade relativa do ar
fica em torno de 80%. Já no verão ela aumenta
para cerca de 90%.
- No período do inverno, a média de
temperatura fica em torno de -2°C. No verão, a
média sobre para 15°C.
- O clima temperado pode ser subdivido, de
acordo com a região em que atua. Desta forma
tempos o temperado mediterrânico,
subtropical úmido, temperado marítimo,
temperado subártico, temperado continental.
CLIMA TEMPERADO
As florestas temperadas são formações vegetais
típicas de regiões de clima temperado. Embora
tenha sofrido nos últimos séculos intenso
processo de devastação, ainda podemos
encontrar resquícios de floresta temperada em
algumas áreas do planeta, principalmente em
parque e reservas florestais.
Características da Floresta Temperada
- Formação vegetal diversificada com
predominância de árvores. Porém, há também
presença, em menor quantidade, de arbustos,
musgos e ervas.
- As florestas de coníferas e bosques com árvores
de folhas caducas e perenes são as formações
vegetais mais comuns nas florestas temperadas.
- As árvores mais comuns são faia presente na
Europa, América do Norte e Ásia; nogueira
presente na Europa e Ásia; sequoias e carvalho.
Também podemos encontrar abetos e pinheiros.
- Presença de quatro camadas de vegetação:
árvores mais altas; vegetação arbustiva; ervas e
musgos.
- Solo fértil com presença de grande quantidade
de nutrientes e material orgânico.
FLORESTA TEMPERADA
O clima mediterrâneo é um tipo de clima temperado
com estação seca no verão. Ocorre na Europa
meridional, no sudoeste da Austrália, na Califórnia e
no centro do Chile. O verão nessas regiões é quente e
seco, e o inverno é instável e úmido.
Mediterrânico com influência continental
Nem todas as zonas mediterrânicas do mundo são
iguais. Por exemplo, a meseta norte da Península
Ibérica, tem essencialmente um clima mediterrânico,
mas com vários elementos do clima continental, como
as amplitude térmicas pronunciadas, tanto diárias
como anuais, com Verões quentes e Invernos severos
com algumas precipitações de neve. Geralmente, os
máximos de chuvas estão associados ao solstício de
Inverno, que é quando se retiram os potentes
anticiclones subtropicais. Apesar disso, nos lugares
com menor influência oceânica, não é no Inverno que
ocorrem as maiores chuvas. Estas ocorrem na
Primavera e no Outono.
Mediterrânico com influência oceânica
O sudoeste da Austrália, na península ibérica e o
centro do Chile são o paradigma do primeiro caso
comentado, onde a influência oceânica dá lugar a
chuvas concentradas no Inverno. Apesar de tudo,
como a Austrália são influenciadas por ciclones
tropicais, no Verão pode ocorrer mais precipitação.
CLIMA MEDITERRÂNEO
Vegetação mediterrânea ou floresta
mediterrânea é um tipo de vegetação que
se forma em regiões onde o clima
predominante é o mediterrâneo, é
constituída por plantas (tipo xerófilas)
dispostas distantes uma das outras. Essa
cobertura vegetal apresenta duas
características, os maquis e garrigue. Em
regiões influenciadas pelo clima
mediterrâneo, os verões são secos e os
invernos chuvosos.
As espécies arbóreas identificadas na
vegetação mediterrânea são sobreiro,
azinheiro, oliveira-brava, pinheiro, cedro
e cipreste.
Atualmente, a floresta mediterrânea
original quase não existe mais, isso é
resultado da ação antrópica.
VEGETAÇÃO
MEDITERRÂNEA
Os climas glaciais ou clima polar são um
conjunto de climas, agrupados na
Classificação climática de Köppen-Geiger
no grupo E. Ocorre nas costas eurasianas
do Ártico, na Groenlândia, ao norte do
Canadá, no Alasca, na Patagônia e na
Antártida.
Existe grande variação entre os tipos de
clima glacial uma vez que a temperatura
média mensal no mês mais frio não é
estipulada. Em muitos casos a
temperatura média no mês mais frio é
maior do que em algumas áreas com
climas do grupo D ou mesmo do grupo C.
Esta situação ocorre frequentemente em
áreas mais distantes dos polos onde a
variação de temperatura média entre o
mês mais frio e o mês mais quente é
pouco ampla, sendo quase constante em
picos próximos à linha do Equador.
CLIMA FRIO
Floresta boreal, é um bioma comumente
encontrado no norte do Alasca, Canadá, sul
da Groenlândia, parte da Noruega, Suécia,
Finlândia, Sibéria e Japão. No Canadá, usa-se
o termo floresta boreal para designar a parte
meridional desse bioma, e o termo taiga é
usado para designar as áreas menos
arborizadas a sul da linha de vegetação
arbórea do Ártico.
Na taiga, diferente da tundra, o solo
descongela por completo no verão
permitindo a formação de florestas
aciculifoliadas e há migração de animais de
grande e médio portes. É uma região
biogeográfica subártica setentrional e seca,
na qual as formas de vida vegetal principais
são lariços, abetos, pinheiros e estroces, que
estão adaptadas ao clima frio. Também
ocorrem algumas árvores de folha larga,
nomeadamente vidoeiros, faias, salgueiros e
sorverias. Os pauis e as plantas a eles
associadas também são comuns nesta zona,
que ocupa a maior parte do interior do
Canadá e do norte da Rússia.
FLORESTA BOREAL
As temperaturas são baixas. Quanto maior a
altitude mais baixa é a temperatura. Numa
montanha, a cada mil metros acima, a
temperatura cai cerca de 5ºC.
- A umidade relativa do ar é bem elevada no
lado em que bate o vento: de 80 a 90%. Já no
lado em que não ocorre a incidência de
vento, ela cai para cerca de 40%.
- O índice pluviométrico varia de acordo com
a localização geográfica. Em regiões
equatoriais e tropicais costuma chover entre
1500 e 2000 milímetros por ano. Já em áreas
de clima subtropical os índices ficam entre
300 e 1000 milímetros por ano.
- Nas áreas da montanha acima de dois mil
metros de altitude, há presença de gelo
durante o ano todo. Nestas áreas, as
temperaturas são baixíssimas, o ar é
rarefeito e quase não há presença de
vegetação ou vida animal.
CLIMA DE MONTANHAS
As pastagens e matagais de montanha
constituem um bioma definido pelo
World Wildlife Fund. Este bioma inclui
pradarias e arbustos de altitude ao redor
do mundo.
As pastagens e matagais de montanha
localizados acima da linha das árvores são
comumente conhecidas como tundra
alpina, que ocorre em regiões
montanhosas ao redor do mundo. Abaixo
da linha das árvores se encontram a
tundra subalpina e as pastagens matagais
de montanha. Florestas subalpinas
atrofiadas são conhecidas como
krummholz, e ocorrem logo abaixo da
linha das árvores, onde o clima severo e
de ventos fortes combinados a um solo
pobre criam florestas nanicas e retorcidas
de árvores de crescimento lento.
VEGETAÇÃO DE ALTITUDE
A vegetação predominante é composta
de líquens, musgos, ervas e arbustos
baixos, devido às condições climáticas
que as impedem de crescer. As plantas
com raízes longas não podem se
desenvolver pois o subsolo permanece
gelado. Por outro lado, como as
temperaturas são muito baixas, a matéria
orgânica decompõe-se muito lentamente
e consequentemente, o crescimento da
vegetação é lento.
Uma adaptação que as plantas destas
regiões desenvolveram é o crescimento
em maciços, o que as ajuda a evitar o ar
frio. Outra adaptação é que elas crescem
junto ao solo, o que as protege dos
ventos fortes. As folhas são pequenas,
retendo a umidade com maior facilidade.
Apesar das condições inóspitas, existe
uma grande variedade de plantas que
vivem na Tundra Ártica.
TUNDRA
O Clima desértico caracteriza-se por pequena quantidade
de chuvas e grande amplitude térmica. Ocorre tanto em
áreas tropicais como em áreas temperadas: norte da
África, Oriente Médio, oeste dos Estados Unidos e norte
do México, litoral do Chile e do Peru Austrália, sudoeste
da África e noroeste da Índia.
Trata-se de um clima quente e muito seco, com índices
pluviométricos inferiores a 250mm anuais. Devido à
aridez, de dia a temperatura chega a 45 °C e a noite -5 °C.
O clima desértico geralmente ocorre em latitudes entre
15° e 30º. A baixa pluviosidade dá aos locais de clima
desértico sua fisionomia característica, com solo árido e
flora esparsa e seca.
O clima desértico pode ser dividido em duas categorias
diferentes, segundo a amplitude térmica e a localização:
clima desértico quente
clima desértico frio.
Em ambos os casos, apresenta alta amplitude térmica
tanto anual quanto diurna. Ou seja, uma vez que ambos
ocorrem em regiões de alta pressão, a insolação durante
o dia é muito intensa, o que facilmente eleva a
temperatura, a qual pode chegar a até 50 °C em alguns
lugares. Durante a noite ocorre o inverso. O calor irradia
muito rápido e a temperatura cai drasticamente. Mas, nas
regiões desérticas quentes, a temperatura nunca fica
abaixo de 0 °C, enquanto nas frias, pode ficar abaixo de
0 °C a qualquer momento, podendo até nevar.
CLIMA DESÉRTICO
Um organismo xerófilo é um organismo adaptado à vida
num meio seco, num meio com pouca umidade.
Aplicando-se às plantas e associações vegetais, ou seja, a
plantas que podem suportar a escassez de água na zona
em que habitam, como as estepes ou o sertão brasileiro,
utiliza-se o termo xerófita.
Se localizam em regiões climáticas áridas (desérticas) e
ambientes secos de regiões semiáridas e semiúmidas,
como na caatinga.
Possui raízes largas, talos grossos e folhas reduzidas a
espinhos.
Os cactos do deserto são exemplos de xerófilas, pois são
plantas secas. Um organismo xerófilo é um organismo
adaptado à vida num meio seco, num meio com pouca
umidade. Aplicando-se às plantas e associações vegetais,
ou seja, a plantas que podem suportar a escassez de água
na zona em que habitam, como as estepes ou o a região
do clima semiárido brasileiro, utiliza-se o termo xerófita.
Se localizam em regiões climáticas áridas (desérticas) e
ambientes secos de regiões semiáridas e semiúmidas,
como na caatinga. Possui raízes largas para que possam
retirar água do solo, talos grossos e folhas reduzidas a
espinhos (normalmente). Os cactos do deserto são
exemplos de xerófilas, pois são plantas adaptadas à um
clima extremamente seco e quente. Por possuir raízes
longas, são capazes de absorver água do solo,
armazenando-a. Xerófilas também pode ser encontradas
em Salvador conhecida pelo nome de Juliana ou Gnomo
de Jardim
XERÓFILAS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

TSVA - Aula 4 - Biomas - Carlos Miyazawa
TSVA - Aula 4 - Biomas - Carlos MiyazawaTSVA - Aula 4 - Biomas - Carlos Miyazawa
TSVA - Aula 4 - Biomas - Carlos Miyazawa
Adriana Rosalem
 
Ifes aula 9-os-biomas_do_mundo
Ifes aula 9-os-biomas_do_mundoIfes aula 9-os-biomas_do_mundo
Ifes aula 9-os-biomas_do_mundo
Kéliton Ferreira
 
As formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoAs formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundo
Professor
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
Tânia Reis
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
8ºC
 
Biomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasilBiomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasil
Washington sucupira
 
6º ano unidade 6 (temas 3 e 4).ppt
6º ano unidade 6 (temas 3 e 4).ppt6º ano unidade 6 (temas 3 e 4).ppt
6º ano unidade 6 (temas 3 e 4).ppt
Christie Freitas
 
Biomas
BiomasBiomas
Clima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do BrasilClima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do Brasil
Portal do Vestibulando
 
Biomas do mundo
Biomas do mundoBiomas do mundo
Biomas do mundo
André Luiz Marques
 
Biomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasilBiomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasil
Italo Alan
 
Os grandes biomas terrestres e aquáticos
Os grandes biomas terrestres e aquáticosOs grandes biomas terrestres e aquáticos
Os grandes biomas terrestres e aquáticos
Fábio Oliveira
 
0 s grandes biomas terrestres regiões temperadas e frias
0 s grandes biomas terrestres regiões temperadas e frias0 s grandes biomas terrestres regiões temperadas e frias
0 s grandes biomas terrestres regiões temperadas e frias
pibid geografia
 
Vegetação mundial
Vegetação mundialVegetação mundial
Vegetação mundial
dela28
 
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicaisOs grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
Bruna M
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
BiomasBiomas
Meio ambiente cerrado
Meio ambiente   cerradoMeio ambiente   cerrado
Meio ambiente cerrado
Diego Santos
 
Biomas do brasil
Biomas do brasilBiomas do brasil
Biomas do brasil
Washington sucupira
 
Biomas
BiomasBiomas

Mais procurados (20)

TSVA - Aula 4 - Biomas - Carlos Miyazawa
TSVA - Aula 4 - Biomas - Carlos MiyazawaTSVA - Aula 4 - Biomas - Carlos Miyazawa
TSVA - Aula 4 - Biomas - Carlos Miyazawa
 
Ifes aula 9-os-biomas_do_mundo
Ifes aula 9-os-biomas_do_mundoIfes aula 9-os-biomas_do_mundo
Ifes aula 9-os-biomas_do_mundo
 
As formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoAs formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundo
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Biomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasilBiomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasil
 
6º ano unidade 6 (temas 3 e 4).ppt
6º ano unidade 6 (temas 3 e 4).ppt6º ano unidade 6 (temas 3 e 4).ppt
6º ano unidade 6 (temas 3 e 4).ppt
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Clima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do BrasilClima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do Brasil
 
Biomas do mundo
Biomas do mundoBiomas do mundo
Biomas do mundo
 
Biomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasilBiomas do mundo e do brasil
Biomas do mundo e do brasil
 
Os grandes biomas terrestres e aquáticos
Os grandes biomas terrestres e aquáticosOs grandes biomas terrestres e aquáticos
Os grandes biomas terrestres e aquáticos
 
0 s grandes biomas terrestres regiões temperadas e frias
0 s grandes biomas terrestres regiões temperadas e frias0 s grandes biomas terrestres regiões temperadas e frias
0 s grandes biomas terrestres regiões temperadas e frias
 
Vegetação mundial
Vegetação mundialVegetação mundial
Vegetação mundial
 
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicaisOs grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Meio ambiente cerrado
Meio ambiente   cerradoMeio ambiente   cerrado
Meio ambiente cerrado
 
Biomas do brasil
Biomas do brasilBiomas do brasil
Biomas do brasil
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 

Semelhante a Climas e vegetações mundiais

O clima
O climaO clima
O clima
Diogo Reis
 
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetação
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetaçãoGEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetação
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetação
ElisabeteCosta63
 
Formação vegetacional e climática
Formação vegetacional e climáticaFormação vegetacional e climática
Formação vegetacional e climática
joao paulo
 
Tiposdeclima
TiposdeclimaTiposdeclima
Tiposdeclima
danielcpacheco2
 
A CLASSIFICAÇAO CLIMÁTICA.pptx
A CLASSIFICAÇAO CLIMÁTICA.pptxA CLASSIFICAÇAO CLIMÁTICA.pptx
A CLASSIFICAÇAO CLIMÁTICA.pptx
bandaencontros
 
Biomas Tropicais
Biomas TropicaisBiomas Tropicais
Biomas Tropicais
geochp
 
A Geografia dos biomas tropicais
A Geografia dos biomas tropicaisA Geografia dos biomas tropicais
A Geografia dos biomas tropicais
Francicléa Avelino Ribeiro
 
Módulo 41 ( fernanda)
Módulo 41 ( fernanda)Módulo 41 ( fernanda)
Módulo 41 ( fernanda)
dennysosm
 
Climas do mundo
Climas do mundoClimas do mundo
Climas do mundo
Blog do Prof. Elienai
 
Slide trabalho de geografia
Slide   trabalho de geografiaSlide   trabalho de geografia
Slide trabalho de geografia
claricessantos
 
Climas e formações vegetais
Climas e formações vegetaisClimas e formações vegetais
Climas e formações vegetais
Wander Junior
 
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptx
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptxClimas e Formações Vegetais no Mundo.pptx
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptx
JOOMARCOSALVESDESOUS
 
Fatores climaticos-e-tipos-de-clima
Fatores climaticos-e-tipos-de-climaFatores climaticos-e-tipos-de-clima
Fatores climaticos-e-tipos-de-clima
julio2012souto
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
Pré Master
 
Tipos de clima
Tipos de climaTipos de clima
Tipos de clima
Adriana Gomes Messias
 
Clima equatorial seminario
Clima equatorial seminarioClima equatorial seminario
Clima equatorial seminario
Ruana Viana
 
Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4
Christie Freitas
 
Clima equatorial
Clima equatorialClima equatorial
Clima equatorial
gibs007
 
África – clima e vegetação
África – clima e vegetaçãoÁfrica – clima e vegetação
África – clima e vegetação
Gerson Francisco de Moraes
 
Climas Frios,Temperados e Quentes
Climas Frios,Temperados e QuentesClimas Frios,Temperados e Quentes
Climas Frios,Temperados e Quentes
FranciscoOliveira301
 

Semelhante a Climas e vegetações mundiais (20)

O clima
O climaO clima
O clima
 
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetação
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetaçãoGEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetação
GEOGRAFIA 7 - O clima - Distribuição e caraterísticas dos climas e da vegetação
 
Formação vegetacional e climática
Formação vegetacional e climáticaFormação vegetacional e climática
Formação vegetacional e climática
 
Tiposdeclima
TiposdeclimaTiposdeclima
Tiposdeclima
 
A CLASSIFICAÇAO CLIMÁTICA.pptx
A CLASSIFICAÇAO CLIMÁTICA.pptxA CLASSIFICAÇAO CLIMÁTICA.pptx
A CLASSIFICAÇAO CLIMÁTICA.pptx
 
Biomas Tropicais
Biomas TropicaisBiomas Tropicais
Biomas Tropicais
 
A Geografia dos biomas tropicais
A Geografia dos biomas tropicaisA Geografia dos biomas tropicais
A Geografia dos biomas tropicais
 
Módulo 41 ( fernanda)
Módulo 41 ( fernanda)Módulo 41 ( fernanda)
Módulo 41 ( fernanda)
 
Climas do mundo
Climas do mundoClimas do mundo
Climas do mundo
 
Slide trabalho de geografia
Slide   trabalho de geografiaSlide   trabalho de geografia
Slide trabalho de geografia
 
Climas e formações vegetais
Climas e formações vegetaisClimas e formações vegetais
Climas e formações vegetais
 
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptx
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptxClimas e Formações Vegetais no Mundo.pptx
Climas e Formações Vegetais no Mundo.pptx
 
Fatores climaticos-e-tipos-de-clima
Fatores climaticos-e-tipos-de-climaFatores climaticos-e-tipos-de-clima
Fatores climaticos-e-tipos-de-clima
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Tipos de clima
Tipos de climaTipos de clima
Tipos de clima
 
Clima equatorial seminario
Clima equatorial seminarioClima equatorial seminario
Clima equatorial seminario
 
Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4Unidade5 temas2 3_4
Unidade5 temas2 3_4
 
Clima equatorial
Clima equatorialClima equatorial
Clima equatorial
 
África – clima e vegetação
África – clima e vegetaçãoÁfrica – clima e vegetação
África – clima e vegetação
 
Climas Frios,Temperados e Quentes
Climas Frios,Temperados e QuentesClimas Frios,Temperados e Quentes
Climas Frios,Temperados e Quentes
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 

Climas e vegetações mundiais

  • 1. ALUNOS: Laura Coêlho, Maria Andrade, Lucas Alves, Lindoelma, Stefanie Nayan, Andreza, Weleson Santos, Alilson Paiva e Claudilene. GEOGRAFIA
  • 2. Climas e vegetações no mundo • Biodiversidade; • Tipos climáticos; • Formações vegetais; • Clima equatorial; • Florestas equatoriais; • Clima tropical; • Florestas tropicais; • Clima de monções; • Clima temperado; • Florestas temperadas; • Estepes ou Pradarias; • Clima Mediterrâneo; • Vegetação mediterrânea; • Clima Frio; • Floresta boreal; • Clima de montanha; • Vegetação de altitude; • Clima polar, TUNDRA; • Clima desértico Xerófilas;
  • 4. Biodiversidade é a diversidade da natureza viva. A biodiversidade possui três grandes níveis:
  • 5. 1) Diversidade genética - os indivíduos de uma mesma espécie não são geneticamente idênticos entre si. Cada indivíduo possui uma combinação única de genes que fazem com que alguns sejam mais altos e outros mais baixos, alguns possuam os olhos azuis enquanto outros os tenham castanhos, tenham o nariz chato ou pontiagudo. As diferenças genéticas fazem com que a Terra possua uma grande variedade de vida.
  • 6. 2) Diversidade orgânica - os cientistas agrupam os indivíduos que possuem uma história evolutiva comum em espécies. Possuir a mesma história evolutiva faz com que cada espécie possua características únicas que não são compartilhadas com outros seres vivos. Os cientistas já identificaram cerca de 1,75 milhões de espécies. Contudo, eles estão somente no começo. Algumas estimativas apontam que podem existir entre 10 a 30 milhões de espécies na Terra.
  • 7. 3) Diversidade ecológica - As populações da mesma espécie e de espécies diferentes interagem entre si formando comunidades; essas comunidades interagem com o ambiente formando ecossistemas, que interagem entre si formando paisagens, que formam os biomas. Desertos, florestas, oceanos, são tipos de biomas. Cada um deles possui vários tipos de ecossistemas, os quais possuem espécies únicas. Quando um ecossistema é ameaçado todas as suas espécies também são ameaçadas
  • 8. • Clima equatorial; • Clima tropical; • Clima de monções; • Clima temperado; • Clima Mediterrâneo; • Clima Frio; • Clima de montanha; • Clima polar; • Clima desértico. TIPOS CLIMÁTICOS
  • 9. Porquê está tão quente? Aqui não costumava ser tão frio? O que está rolando com o clima, ora está quente, ora está frio? Gente olhe o céu parece que a chuva veio de repente. Credo este calor esta de matar. Nossa que tempestade.
  • 10. Perguntas assim rodeiam nosso cotidiano. Mas por que realmente isso ocorre? As mudanças climáticas são alterações que ocorrem no clima geral do PLANETA TERRA. Fatores geradores: As mudanças climáticas são provocadas por fenômenos naturais ou por ações dos seres humanos. Consequências: Atualmente as mudanças climáticas têm sido alvo de diversas discussões e pesquisas científicas. Os climatologistas verificaram que, nas últimas décadas, ocorreu um significativo aumento da temperatura mundial, fenômeno conhecido como aquecimento global. Mudança climática A resposta para nossa pergunta apenas gera outras. O que são mudanças climáticas? Por que elas ocorrem? Quais sus consequências?
  • 11. • Formações vegetais; • Florestas equatoriais; • Florestas tropicais; • Florestas temperadas; • Estepes ou Pradarias; • Vegetação mediterrânea; • Floresta boreal; • Vegetação de altitude; • Xerófilas. FORMAÇÕES VEGETAIS
  • 12. O tipo de vegetação de determinada região irá depender, primordialmente, do seu tipo de clima. Entretanto, essa regra aplica-se somente a vegetações naturais ou nativas, pois a formação vegetal é o primeiro elemento da paisagem que o homem modifica e, portanto, está em constante transformação. Alguns exemplos:
  • 13. Florestas equatoriais que estão localizadas em regiões próximas a linha do Equador. Florestas tropicais localizam-se em locais secos próximos aos litorais. Florestas tropical de monções ocorrem em regiões leste da África e sul da Índia. Florestas temperadas em regiões centrais da Europa. Florestas Mediterrâneas no sul do oceano pacifico. Florestas Fria em regiões frias. Florestas de montanha em altos picos ou montanhas. TUNDRA nas regiões polares. Xerófilas nos desertos.
  • 15. Clima equatorial é dos tipos climáticos das regiões intertropicais utilizado no sistema de classificação climática de Köppen-Geiger, no qual é denotado pelo grupo Af, para classificar o clima das zonas geográficas caracterizadas pela elevada temperatura média do ar; entre 24º C e 27°C, com média mensal sempre superior a 18°C e pela alta pluviosidade. A generalidade das regiões de clima equatorial encontram-se concentradas numa faixa de 5º de latitude em torno da linha do Equador, razão que justifica a atribuição da designação de equatorial dada ao tipo. A dinâmica da atmosfera nestas regiões é dominada pela presença da Zona de Convergência Intertropical e pelo predomínio de fenómenos do tipo convectivo, produzindo precipitação intensa em geral associada a trovoadas durante o período mais quente do dia. As elevadas temperaturas asseguram uma elevada evapotranspiração. CLIMA EQUATORIAL
  • 16. O clima tropical é um clima quente que abrange a região próxima aos trópicos de Câncer e de Capricórnio. Podemos dividi-lo em dois tipos diferentes: o clima tropical úmido e o tropical seco. Os climas tropicais são caracterizados por temperaturas elevadas - todos os meses do ano apresentam temperaturas médias de 18 °C ou superiores. CLIMA TROPICAL
  • 17. Ocorre nas regiões próximas a linha do equador. Alto índice pluviométrico (chuvas), sendo que em quase todos os meses do ano chove acima de 60 mm. Clima tropical seco Caracterizado pela ocorrência de uma estação seca durante o ano. Nesta estação, o índice médio mensal de chuvas fica abaixo de 60 mm. Clima tropical de monção Ocorrência de um período do ano em que o índice de chuvas é muito elevado. Ocorre principalmente na região leste do continente africano e sul da Índia. Clima tropical de altitude Típico de regiões de altitudes elevadas. As temperaturas são semelhantes às do clima subtropical. O índice pluviométrico mensal é abaixo de 60 mm. Ocasionalmente, ocorrem geadas nestas regiões. No Brasil, podemos citar a região de Serra da Mantiqueira como exemplo de clima tropical de altitude. FLORESTA TROPICAIS
  • 18. As monções são um fenômeno típico da região sul e sudeste da Ásia, onde o clima é condicionado por massas de ar que ora viajam do interior do continente para a costa, monção continental, ora da costa para o continente, monção marítima. Devido às diferenças de temperatura e pressão das massas de ar sobre o continente e o mar o clima de países como a Índia e o Paquistão é inteiramente afetado pelo regime das monções. Durante o verão, que vai de junho a agosto, o calor aquece rapidamente terra do continente que absorve calor bem mais rápido do que o oceano (a terra pode chegar a 45ºC). Com o aquecimento da terra, as massas de ar sobre o continente também ficam mais quentes e sobem dando lugar a uma rajada de ventos vindos do oceano Índico, que, como toda massa de ar que se forma sobre os oceanos, vem carregada de umidade. Essa umidade é despejado sobre o continente em chuvas torrenciais que podem durar dias. Esse é o período das monções marítimas que todo ano causam enchentes nessas regiões. CLIMA DE MONÇÕES
  • 19. O clima temperado é aquele que ocorre nas regiões central da Europa, sudeste da Austrália, litoral sul da América do Sul, nordeste da China, norte do Japão e parte do Oriente Médio. O clima Temperado possui as seguintes características: - Nas áreas de clima temperado, os verões costumam ser moderados e os invernos frios; - O índice pluviométrico varia entre 1.500 mm e 2.000 mm; - Na época do inverno, a umidade relativa do ar fica em torno de 80%. Já no verão ela aumenta para cerca de 90%. - No período do inverno, a média de temperatura fica em torno de -2°C. No verão, a média sobre para 15°C. - O clima temperado pode ser subdivido, de acordo com a região em que atua. Desta forma tempos o temperado mediterrânico, subtropical úmido, temperado marítimo, temperado subártico, temperado continental. CLIMA TEMPERADO
  • 20. As florestas temperadas são formações vegetais típicas de regiões de clima temperado. Embora tenha sofrido nos últimos séculos intenso processo de devastação, ainda podemos encontrar resquícios de floresta temperada em algumas áreas do planeta, principalmente em parque e reservas florestais. Características da Floresta Temperada - Formação vegetal diversificada com predominância de árvores. Porém, há também presença, em menor quantidade, de arbustos, musgos e ervas. - As florestas de coníferas e bosques com árvores de folhas caducas e perenes são as formações vegetais mais comuns nas florestas temperadas. - As árvores mais comuns são faia presente na Europa, América do Norte e Ásia; nogueira presente na Europa e Ásia; sequoias e carvalho. Também podemos encontrar abetos e pinheiros. - Presença de quatro camadas de vegetação: árvores mais altas; vegetação arbustiva; ervas e musgos. - Solo fértil com presença de grande quantidade de nutrientes e material orgânico. FLORESTA TEMPERADA
  • 21. O clima mediterrâneo é um tipo de clima temperado com estação seca no verão. Ocorre na Europa meridional, no sudoeste da Austrália, na Califórnia e no centro do Chile. O verão nessas regiões é quente e seco, e o inverno é instável e úmido. Mediterrânico com influência continental Nem todas as zonas mediterrânicas do mundo são iguais. Por exemplo, a meseta norte da Península Ibérica, tem essencialmente um clima mediterrânico, mas com vários elementos do clima continental, como as amplitude térmicas pronunciadas, tanto diárias como anuais, com Verões quentes e Invernos severos com algumas precipitações de neve. Geralmente, os máximos de chuvas estão associados ao solstício de Inverno, que é quando se retiram os potentes anticiclones subtropicais. Apesar disso, nos lugares com menor influência oceânica, não é no Inverno que ocorrem as maiores chuvas. Estas ocorrem na Primavera e no Outono. Mediterrânico com influência oceânica O sudoeste da Austrália, na península ibérica e o centro do Chile são o paradigma do primeiro caso comentado, onde a influência oceânica dá lugar a chuvas concentradas no Inverno. Apesar de tudo, como a Austrália são influenciadas por ciclones tropicais, no Verão pode ocorrer mais precipitação. CLIMA MEDITERRÂNEO
  • 22. Vegetação mediterrânea ou floresta mediterrânea é um tipo de vegetação que se forma em regiões onde o clima predominante é o mediterrâneo, é constituída por plantas (tipo xerófilas) dispostas distantes uma das outras. Essa cobertura vegetal apresenta duas características, os maquis e garrigue. Em regiões influenciadas pelo clima mediterrâneo, os verões são secos e os invernos chuvosos. As espécies arbóreas identificadas na vegetação mediterrânea são sobreiro, azinheiro, oliveira-brava, pinheiro, cedro e cipreste. Atualmente, a floresta mediterrânea original quase não existe mais, isso é resultado da ação antrópica. VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
  • 23. Os climas glaciais ou clima polar são um conjunto de climas, agrupados na Classificação climática de Köppen-Geiger no grupo E. Ocorre nas costas eurasianas do Ártico, na Groenlândia, ao norte do Canadá, no Alasca, na Patagônia e na Antártida. Existe grande variação entre os tipos de clima glacial uma vez que a temperatura média mensal no mês mais frio não é estipulada. Em muitos casos a temperatura média no mês mais frio é maior do que em algumas áreas com climas do grupo D ou mesmo do grupo C. Esta situação ocorre frequentemente em áreas mais distantes dos polos onde a variação de temperatura média entre o mês mais frio e o mês mais quente é pouco ampla, sendo quase constante em picos próximos à linha do Equador. CLIMA FRIO
  • 24. Floresta boreal, é um bioma comumente encontrado no norte do Alasca, Canadá, sul da Groenlândia, parte da Noruega, Suécia, Finlândia, Sibéria e Japão. No Canadá, usa-se o termo floresta boreal para designar a parte meridional desse bioma, e o termo taiga é usado para designar as áreas menos arborizadas a sul da linha de vegetação arbórea do Ártico. Na taiga, diferente da tundra, o solo descongela por completo no verão permitindo a formação de florestas aciculifoliadas e há migração de animais de grande e médio portes. É uma região biogeográfica subártica setentrional e seca, na qual as formas de vida vegetal principais são lariços, abetos, pinheiros e estroces, que estão adaptadas ao clima frio. Também ocorrem algumas árvores de folha larga, nomeadamente vidoeiros, faias, salgueiros e sorverias. Os pauis e as plantas a eles associadas também são comuns nesta zona, que ocupa a maior parte do interior do Canadá e do norte da Rússia. FLORESTA BOREAL
  • 25. As temperaturas são baixas. Quanto maior a altitude mais baixa é a temperatura. Numa montanha, a cada mil metros acima, a temperatura cai cerca de 5ºC. - A umidade relativa do ar é bem elevada no lado em que bate o vento: de 80 a 90%. Já no lado em que não ocorre a incidência de vento, ela cai para cerca de 40%. - O índice pluviométrico varia de acordo com a localização geográfica. Em regiões equatoriais e tropicais costuma chover entre 1500 e 2000 milímetros por ano. Já em áreas de clima subtropical os índices ficam entre 300 e 1000 milímetros por ano. - Nas áreas da montanha acima de dois mil metros de altitude, há presença de gelo durante o ano todo. Nestas áreas, as temperaturas são baixíssimas, o ar é rarefeito e quase não há presença de vegetação ou vida animal. CLIMA DE MONTANHAS
  • 26. As pastagens e matagais de montanha constituem um bioma definido pelo World Wildlife Fund. Este bioma inclui pradarias e arbustos de altitude ao redor do mundo. As pastagens e matagais de montanha localizados acima da linha das árvores são comumente conhecidas como tundra alpina, que ocorre em regiões montanhosas ao redor do mundo. Abaixo da linha das árvores se encontram a tundra subalpina e as pastagens matagais de montanha. Florestas subalpinas atrofiadas são conhecidas como krummholz, e ocorrem logo abaixo da linha das árvores, onde o clima severo e de ventos fortes combinados a um solo pobre criam florestas nanicas e retorcidas de árvores de crescimento lento. VEGETAÇÃO DE ALTITUDE
  • 27. A vegetação predominante é composta de líquens, musgos, ervas e arbustos baixos, devido às condições climáticas que as impedem de crescer. As plantas com raízes longas não podem se desenvolver pois o subsolo permanece gelado. Por outro lado, como as temperaturas são muito baixas, a matéria orgânica decompõe-se muito lentamente e consequentemente, o crescimento da vegetação é lento. Uma adaptação que as plantas destas regiões desenvolveram é o crescimento em maciços, o que as ajuda a evitar o ar frio. Outra adaptação é que elas crescem junto ao solo, o que as protege dos ventos fortes. As folhas são pequenas, retendo a umidade com maior facilidade. Apesar das condições inóspitas, existe uma grande variedade de plantas que vivem na Tundra Ártica. TUNDRA
  • 28. O Clima desértico caracteriza-se por pequena quantidade de chuvas e grande amplitude térmica. Ocorre tanto em áreas tropicais como em áreas temperadas: norte da África, Oriente Médio, oeste dos Estados Unidos e norte do México, litoral do Chile e do Peru Austrália, sudoeste da África e noroeste da Índia. Trata-se de um clima quente e muito seco, com índices pluviométricos inferiores a 250mm anuais. Devido à aridez, de dia a temperatura chega a 45 °C e a noite -5 °C. O clima desértico geralmente ocorre em latitudes entre 15° e 30º. A baixa pluviosidade dá aos locais de clima desértico sua fisionomia característica, com solo árido e flora esparsa e seca. O clima desértico pode ser dividido em duas categorias diferentes, segundo a amplitude térmica e a localização: clima desértico quente clima desértico frio. Em ambos os casos, apresenta alta amplitude térmica tanto anual quanto diurna. Ou seja, uma vez que ambos ocorrem em regiões de alta pressão, a insolação durante o dia é muito intensa, o que facilmente eleva a temperatura, a qual pode chegar a até 50 °C em alguns lugares. Durante a noite ocorre o inverso. O calor irradia muito rápido e a temperatura cai drasticamente. Mas, nas regiões desérticas quentes, a temperatura nunca fica abaixo de 0 °C, enquanto nas frias, pode ficar abaixo de 0 °C a qualquer momento, podendo até nevar. CLIMA DESÉRTICO
  • 29. Um organismo xerófilo é um organismo adaptado à vida num meio seco, num meio com pouca umidade. Aplicando-se às plantas e associações vegetais, ou seja, a plantas que podem suportar a escassez de água na zona em que habitam, como as estepes ou o sertão brasileiro, utiliza-se o termo xerófita. Se localizam em regiões climáticas áridas (desérticas) e ambientes secos de regiões semiáridas e semiúmidas, como na caatinga. Possui raízes largas, talos grossos e folhas reduzidas a espinhos. Os cactos do deserto são exemplos de xerófilas, pois são plantas secas. Um organismo xerófilo é um organismo adaptado à vida num meio seco, num meio com pouca umidade. Aplicando-se às plantas e associações vegetais, ou seja, a plantas que podem suportar a escassez de água na zona em que habitam, como as estepes ou o a região do clima semiárido brasileiro, utiliza-se o termo xerófita. Se localizam em regiões climáticas áridas (desérticas) e ambientes secos de regiões semiáridas e semiúmidas, como na caatinga. Possui raízes largas para que possam retirar água do solo, talos grossos e folhas reduzidas a espinhos (normalmente). Os cactos do deserto são exemplos de xerófilas, pois são plantas adaptadas à um clima extremamente seco e quente. Por possuir raízes longas, são capazes de absorver água do solo, armazenando-a. Xerófilas também pode ser encontradas em Salvador conhecida pelo nome de Juliana ou Gnomo de Jardim XERÓFILAS