SlideShare uma empresa Scribd logo
A CEIA DO SENHOR

1ª PARTE: OS SACRIFÍCIOS ÀS
DIVINDADES.
2ª PARTE: O SACRIFÍCIO DE JESUS E
O SIGNIFICADO DA CEIA DO
SENHOR.            [P. Antenor].
O SACRIFÍCIO ERA UMA OFERTA À
          DIVINDADE




                                                   •
                                                   POLITEISMO
          POVOS ANTIGOS CULTUAVAM AS MAIS VARIADAS DIVIN-
          DADES.
A PRÁTICA DOS SACRIFÍCIOS




SACRIFCIO ENTRE OS JUDEUS.   ABRÃO E O SACRIFÍCIO DE ISAAC.
SACRIFÍCIO E TEOLOGIA

UMA QUESTÃO EM ABERTO. Há diversas razões para que sejam realizados:
-Os deuses precisam para seu sustento e poder
-Era uma troca com os deuses;
-A vida e o sangue das vítimas contém o mana (energia mágica);
-Uma disciplina ascética para as pessoas (privam-se de algo);
-Objetos oferecidos ou sacrificados tornam-se por vezes renda da org. religi;
-Faz parte de uma cerimônia, em que às vezes são consumidos pelos fiéis;
-Javé manda Israel oferecer sacrifícios no santuário ou
tabernáculo (santuário portátil, onde transportavam
a Arca, a Menorá e outros objetos sagrados) Ex 25,23.
OS SACRIFÍCIOS DE ANIMAIS NA BÍBLIA
  Primeiros capítulos do Levítico falam dos sacrifícios pelos pecados.
  É um tema muito importante nas Escrituras:
  - Quando Adão e Eva pecaram foram mortos animais para
  providenciarem
  vestimentas para eles. Gen 3, 21.
   - Caim e Abel trouxeram ofertas ao Senhor. Gen 4, 4,5.
  - Depois do dilúvio Noé ofereceu sacrifícios. Gen 8, 20,21.
  - Deus pediu que Abrão sacrificasse Isaac. Gen 22, 10-13.
  - Quando da ocupação da terra de Canaan, os sacrifícios
    atingiram o ápice. Lev 1, 1-4.
Adão e Eva,                                    Abraão e
após o pecado                                  Isaac no
                                               Moriah
DIA DAS EXPIAÇÕES. Lev 16,15, 20-22
  DIA DOS SACRIFICIOS QUE PERDOAVAM E RETIRAVAM OS
  PECADOS.
  •O BODE SACRIFICADO PROVIDENCIAVA
  OS PECADOS PERDOADOS.
  O ENVIADO AO DESERTO A RETIRADA
  DOS PECADOS.
POR QUE OS ANIMAIS ERAM
          SACRIFICADOS?
Não tinham feito nada de errado. Eram oferecidos à divindade pelos pecados
de quem os sacrificava. No Lev o próprio Javé os indica como vítimas der expiação.
Os sacrifícios gregos
•Templo na Grécia era o local, onde morava o deus a quem ele era consagrado. O templo
não era o local do culto dos fiéis.
•Culto era prestado no bomos, construção quadrangular onde se desenrolava o rito
central da religião grega.
Usava-se um animal doméstico. A cabeça era cortada com uma espada curta, dissimulada
 dentro de um cesto de cereais. A vítima não deveria perceber que ia ser morta. Recolhia-se
sangue do altar. Devia ser uma vítima sadia, por isso era examinada, especialmente
o fígado. A carne era grelhada uma parte cozida. Língua e pele entregues ao sacerdote.
O SACRIFÍCIO NA GRÉCIA ANTIGA
          ERA UMA FESTA
Para os deuses era uma oferenda, para os ofertantes uma refeição, uma festa.
Desde a imolação à repasto a função se envolvia numa atmosfera de fausto e alegria. En-
tre os gregos antigos não se comia outra carne, senão a dos sacrifícios.
O SACRIFÍCIO JUDAICO
KORBAN, sacrifício, significa “vir para junto de Deus”.
Os judeus medievais, reinterpretando a necessidade de sacrifícios, concluíram que Deus
Sempre que Javé dava mais importância ao sacrifício que às orações e à meditação.
Os sacrifícios eram uma necessidade entre o homem e Deus. Deus os permitia para
sanar as deficiências psicológicas do homem (Maimônides).




   Mesquita de Al Acsa (Alcásar) no local onde estava o Templo de Jerusalém.
   No primeiro plano restos do muro do Templo, construído por Salomão.
SACRIFÍCIOS HUMANOS
Muitos povos desde a Antiguidade praticavam este rito hediondo. Famosos
são os Astecas, Maias, Incas na América e os povos do Leste do Mediterrâneo,
 de modo especial os Cananeus. Há ilustrações tétricas
 sobre este assunto. Não as apresentarei.
OCASIÕES EM QUE HOMENS ERAM
         SACRIFICADOS
•Na morte de um rei ou de um alto dignitário religioso. O sacrificado morria para
que pudesse servir ao morto na próxima vida.
•Na criação de um novo templo ou ponte.
•Em épocas de catástrofes naturais: secas terremotos, erupções vulcânicas, maremotos.
Esses fenômenos seriam sinais de fúria dos deuses, os sacrifícios eram forma
de acalmá-los.
2ª Parte: O SACRIFÍCIO DE JESUS E
       A CEIA DO SENHOR




    “Êis o Cordeiro de Deus, êis aquele que tira o pecado do mundo
JESUS TAMBÉM, NÃO FIZERA NADA DE ERRADO,MAS VOLUNTARIAMENTE ENTREGOU-SE
 À MORTE PELOS PECADOS DA HUMANIDADE. 1 Tim, 5-6.
TOMOU PARA SI, NOSSAS FALTAS, NOSSOS CRIMES MORRENDO EM NOSSO LUGAR.
“AQUELE QUE NÃO CONHECEU O PECADO, DEUS O FEZ PECADO POR NÓS, PARA QUE N`ELE
 NÓS NOS TORNÁSSEMOS JUSTIÇA DE DEUS. 2 Cor 5, 21.
O SACRIFÍCIO DE CRISTO E O PERDÃO
              DOS PECADOS
* PELA FÉ NO QUE CRISTO REALIZOU NA CRUZ, QUALQUER PESSOA PODE RECEBER O PERDÃO.
* OS SACRIFÍCIOS DOS ANIMAIS FORAM ORDENADOS POR DEUS, PARA QUE AS PESSOAS
•FOSSEM PERDOADAS DOS PECADOS.
O ANIMAL SUBSTITUIA, MORRIA NO LUGAR DO PECADOS.
•É O QUE ACONTECEU COM O CORDEIRO DE DEUS.
SIGNIFICADOS DA CEIA DO SENHOR
 A PÁSCOA DOS JUDEUS:
 * Com a reprovação no teste em que foram submetidos nossos primeiros pais, Deus
 promete que viria alguém para restabelecer a amizade entre Ele e a humanidade.
 •Enquanto não chega este Enviado Deus estabelece um pacto com o povo judeu.
 •Todos os anos, por ordem de Jevé os judeus celebravam a libertação do Egito e
 a Aliança do Sinai, bem como a entrada na Terra Prometida
SIGNIFICADOS DA CELEBRAÇ AO JUDIA
 •Pão ázimo sem fermento, comemora a páscoa (passagem) da libertação do Egito.
 •O Cálice, pela ação de graças, a páscoa da Aliança do Sinai.
 •O rito era uma renovação, uma representação dos fatos, não mera lembrança.



                                                                       Judeus rezando
                                                                       em frente ao
                                                                       Muro das La-
                                                                       mentações.


Judeus celebram a Páscoa.
 Páscoa judia comemora a libertação do povo do jugo do Faraó.
 •Páscoa cristã comemora, através de J. Cristo, a libertação da humanidade
 Do pecado.
A ESPERA DE UMA NOVA ALIANÇA
Cada páscoa judaica era a espera de uma nova aliança com Deus.
Eles esperavam a expansão do Reino de Javé sobre todo o mundo.
Esperavam o Messias como um guerreira poderoso, invencível que apareceria
durante a celebração da Páscoa.
JESUS A VERDADEIRA PÁSCOA
Quando se completaram os tempos Deus não falou mais pelos profetas e mensageiros.
Ele mesmo veio na pessoa de seu Filho; “o Verbo se fez carne e habitou entre nós”. Jo 1,14.
UMA NOVA ALIANÇA
•Jesus não veio abolir o AT, nem interromper o Plano divino estabelecido no Sinai.
Veio completá-lo.
•Assim a morte e ressurreição de Cristo são a verdadeira PÁSCOA que liberta
a humanidade do pecado, realizando a Nova e Eterna Aliança com o Senhor.
A CEIA DO SENHOR OU COMUNHÃO
           EUCARÍSTCA

A CEIA DO SENHOR éo Sacramento instituídopor Jesus nanoite
da Quinta-feira Santa, duranteoúltimojantarquerealizouemcompanhia
dos Apóstolos, no Cenáculo, em Jerusalém. Jesus ordenou:
“Fazeiistoemmemória de Mim”. (Lc 22, 19)
DESCRIÇÃO DA ÚLTIMA CEIA

* Lucas nos revela que Jesus iniciou a última Ceia celebrando a Páscoa judaica. Pelo meio
Celebração é que introduziu o novo rito sacramental mandando que fosse renovado em
seu nome.
* “Tomando o pão, deu graças, partiu-o e lhes deu, dizendo: Isto é o meu Corpo, que é
dado por vós; fazei isto em memória de Mim”.
Do mesmo modo, tomou também o Cálice e disse: “Este Cálice é a Nova Aliança em
meu Sangue, que é derramado em favor de vós”. Lc 22, 14-20.
* O MILAGRE DA TRANSUBSTANCIAÇÃO: Cristo, o Cordeiro de Deus é imolado de manei-
Ra incruenta para se tornar alimento e sinal de sua passagem entre nós.
• O pão e o vinho são transformados milagrosa, misteriosamente no Corpo, Sangue,
Alma e Divindade de N. S. J. Cristo, permanecendo o mesmo aspecto externo
das espécies de pão e vinho.
•No sacrifício judeu o povo era aspergido com o sangue. No sacrifício cristão X.a to dá de
beber seu próprio Sangue.
QUE REPRESENTA A CEIA DO SENHOR?

É o sacrifício permanente da Nova Lei, mantendo viva a Aliança que Deus fez
com a humanidade.
• Alimento espiritual de nossas almas.
• Perpétua comemoração da Paixão, Morte e Ressurreição de X.to.
• Testemunho do verdadeiro Amor de Deus por nós.
• Garantia da Vida Eterna: “quem como minha Carne e bebe meu Sangue permanece
em Mim e Eu nele.
OS TRÊS ASPECTOS FUNDAMENTAIS
       DA CEIA DO SENHOR
a) Presença real e verdadeira do Senhor.
b) Memorial do Sacrifício de Cristo.
c) A Comunhão com X.to e com a Igreja.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
* OS SACRIFÍCIOS DA ANTIGA LEI PREFIGURAM O SACRIFÍCIO DA NOVA LEI, A CEIA DO
SENHOR.
•ASSIM JESUS SUBSTITUI OS ANIMAIS DA ANTIGA. ALIANÇA.
•UM DOS MAIORES MISTÉRIOS DA NOSSA FÉ É A PRESENÇA DE X.TO NA EUCARISTIA.
•A PARTICIPAÇÃO NA MISSA DEVE ABRIR NOSSO CORAÇÃO PARA DEUS E PARA O
PRÓXIMO.
•QUEM SE RECONCILIA COM DEUS E SUA PALAVRA BUSCA E TEM NECESSIDADE DE
VIVER SUA FÉ ENTRE OS IRMÃOS.
•A IGREJA COMUNIDADE QUE ACREDITA EM CRISTO CONGREGA E CONVIDA PARA A
CELEBRAÇÃO DA CEIA SAGRADA.
•CRISTO PRESENTE NA EUCARISTIA É SINAL E SACRAMENTO DE DOAÇÃO E DESEJO DE
PERMANECER ENTRE NÓS.
•NA EUCARISTIA TODOS NOS UNIMOS EM CRISTO E JUNTOS OFERECEMOS O MESMO
SACRIFÍCIO AO PAI. EM CRISTO FORMAMOS UM SÓ CORPO ESPIRITUAL, MÍSTICO.
•A EUCARISTIA NÃO É UM ATO SOCIAL.
A INSTITUIÇÃO DA EUCARISTIA
   FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA
A SANTA CEIA:

-Mt 26, 17-19: ...Onde queres que preparemos a Ceia Pascal?...
-Mc 14, 12-25: No primeiro dia dos Ázimos...
-Lc 22, 7-23: Raiou o dia dos pães sem fermento em que ...a Páscoa...
-Jo 6, 35-60: ...Eu sou o Pão vivo que desceu do Céu..
1 Cor 11, 23-26. ...Isto é meu Corpo que será entregue por vós...
JERUSALÉM, a cidade que costumava
  matar os profetas e assassinou Jesus




A cúpula dourada é a Mesquita de Al Acsa, erroneamente denomida de Mesquita de Omar.
•O ouro foi doado pelo Rei da Jordânia em 1953. Por baixo da cúpula há uma grande pedra,
onde Abrão colocou o filho Isaac para ser imolado. Impressiona uma visita ao local.
Diz-se que Maomé, quando esteve em Jerusalém dormiu na gruta que está no rochedo do
sacrifício de Abraão. A colina da Mesquita é muito ventilada. As mulheres cananeias batiam
ali o trigo de suas colheitas. As árvores da direita margeiam o Vale do Cedron e fazem parte
do Jardim das Oliveira.
OUTRAS VISTAS DO VALE DO
        CEDRON

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Planejamento
PlanejamentoPlanejamento
Planejamento
Alexandre Alves Rocha
 
Missa parte por_parte
Missa parte por_parteMissa parte por_parte
Missa parte por_parte
Presentepravoce SOS
 
A Santa Missa
A Santa MissaA Santa Missa
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro ppsFormação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
José Luiz Silva Pinto
 
Igreja
IgrejaIgreja
A missa parte por parte
A missa parte por parteA missa parte por parte
A missa parte por parte
nyllolucas
 
Eucaristia
EucaristiaEucaristia
Eucaristia
Jean
 
Formação em Liturgia
Formação em LiturgiaFormação em Liturgia
Formação em Liturgia
iaymesobrino
 
Missa primeira eucaristia
Missa primeira eucaristiaMissa primeira eucaristia
Missa primeira eucaristia
Jean Almeida
 
Lumen Gentium
Lumen GentiumLumen Gentium
Encontro com Catequistas
Encontro com CatequistasEncontro com Catequistas
Encontro com Catequistas
José Vieira Dos Santos
 
Liturgia na Bíblia
Liturgia na BíbliaLiturgia na Bíblia
Liturgia na Bíblia
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Dons do espirito santo
Dons do espirito santoDons do espirito santo
Dons do espirito santo
WebExecutivo1
 
Santa Ceia do Senhor
Santa Ceia do SenhorSanta Ceia do Senhor
Santa Ceia do Senhor
Almy Alves
 
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
Catequese Anjos dos Céus
 
Os sacramentos da igreja - Aula 03
Os sacramentos da igreja - Aula 03Os sacramentos da igreja - Aula 03
Os sacramentos da igreja - Aula 03
Rubens Júnior
 
Pastoral do Dizmo
Pastoral do DizmoPastoral do Dizmo
Pastoral do Dizmo
Rafael Ferreira
 
Catecumenato
CatecumenatoCatecumenato
Catecumenato
paroquiasaojose
 
Missa parte por parte
Missa parte por parteMissa parte por parte
Missa parte por parte
Nahor Lopes de Souza Junior
 
Semana santa formação
Semana santa formaçãoSemana santa formação
Semana santa formação
mbsilva1971
 

Mais procurados (20)

Planejamento
PlanejamentoPlanejamento
Planejamento
 
Missa parte por_parte
Missa parte por_parteMissa parte por_parte
Missa parte por_parte
 
A Santa Missa
A Santa MissaA Santa Missa
A Santa Missa
 
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro ppsFormação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
 
Igreja
IgrejaIgreja
Igreja
 
A missa parte por parte
A missa parte por parteA missa parte por parte
A missa parte por parte
 
Eucaristia
EucaristiaEucaristia
Eucaristia
 
Formação em Liturgia
Formação em LiturgiaFormação em Liturgia
Formação em Liturgia
 
Missa primeira eucaristia
Missa primeira eucaristiaMissa primeira eucaristia
Missa primeira eucaristia
 
Lumen Gentium
Lumen GentiumLumen Gentium
Lumen Gentium
 
Encontro com Catequistas
Encontro com CatequistasEncontro com Catequistas
Encontro com Catequistas
 
Liturgia na Bíblia
Liturgia na BíbliaLiturgia na Bíblia
Liturgia na Bíblia
 
Dons do espirito santo
Dons do espirito santoDons do espirito santo
Dons do espirito santo
 
Santa Ceia do Senhor
Santa Ceia do SenhorSanta Ceia do Senhor
Santa Ceia do Senhor
 
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
21º Encontro - Sacramentos e Sacramentos da iniciação
 
Os sacramentos da igreja - Aula 03
Os sacramentos da igreja - Aula 03Os sacramentos da igreja - Aula 03
Os sacramentos da igreja - Aula 03
 
Pastoral do Dizmo
Pastoral do DizmoPastoral do Dizmo
Pastoral do Dizmo
 
Catecumenato
CatecumenatoCatecumenato
Catecumenato
 
Missa parte por parte
Missa parte por parteMissa parte por parte
Missa parte por parte
 
Semana santa formação
Semana santa formaçãoSemana santa formação
Semana santa formação
 

Destaque

Diálogo com os_filhos_ecc
Diálogo com os_filhos_eccDiálogo com os_filhos_ecc
Diálogo com os_filhos_ecc
Presentepravoce SOS
 
O sentido da_vida-ecc-1
O sentido da_vida-ecc-1O sentido da_vida-ecc-1
O sentido da_vida-ecc-1
Presentepravoce SOS
 
O casal cristão_no_mundo_de_hoje_2
O casal cristão_no_mundo_de_hoje_2O casal cristão_no_mundo_de_hoje_2
O casal cristão_no_mundo_de_hoje_2
Presentepravoce SOS
 
Palestra do Pe. Carlos Alberto da Costa Silva, scj, sobre a “Verbum Domini”
Palestra do Pe. Carlos Alberto da Costa Silva, scj, sobre a “Verbum Domini”Palestra do Pe. Carlos Alberto da Costa Silva, scj, sobre a “Verbum Domini”
Palestra do Pe. Carlos Alberto da Costa Silva, scj, sobre a “Verbum Domini”
Bernadetecebs .
 
16 A ceia do senhor
16 A ceia do senhor 16 A ceia do senhor
16 A ceia do senhor
Hezir Henrique
 
ALIANÇA ONLINE
ALIANÇA ONLINEALIANÇA ONLINE
ALIANÇA ONLINE
vilma martins da silva
 
Tarea 05
Tarea 05Tarea 05
Santa Ceia
Santa CeiaSanta Ceia
Santa Ceia
Karla Nielle
 
Aceiadosenhor
AceiadosenhorAceiadosenhor
Aceiadosenhor
Videlk
 
Porque participar da santa ceia
Porque participar da santa ceiaPorque participar da santa ceia
Porque participar da santa ceia
SUSSURRO DE AMOR
 
Pão e vinho, símbolos pascais
Pão e vinho, símbolos pascaisPão e vinho, símbolos pascais
Pão e vinho, símbolos pascais
Espaço Emrc
 
Eucaristia
EucaristiaEucaristia
Eucaristia
Ramon Gimenez
 
2° trimestre 2015 lição 11
2° trimestre 2015   lição 112° trimestre 2015   lição 11
2° trimestre 2015 lição 11
Joel Silva
 
Lição 11 2 Trimestre 2015
Lição 11 2 Trimestre 2015Lição 11 2 Trimestre 2015
Lição 11 2 Trimestre 2015
José Nilson Virgino
 
A Última Ceia do Senhor
A Última Ceia do SenhorA Última Ceia do Senhor
A Última Ceia do Senhor
Daniel Faria Jr.
 
A páscoa cristã
A páscoa cristãA páscoa cristã
A páscoa cristã
Fatima Ribeiro
 
Eucaristia.
Eucaristia.Eucaristia.
Eucaristia.
soniarepolho
 
CULTO DE SANTA CEIA
CULTO DE SANTA CEIACULTO DE SANTA CEIA
CULTO DE SANTA CEIA
Markson Cézar
 
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
Joary Jossué Carlesso
 
Lição 12ª Santa Ceia
Lição 12ª  Santa CeiaLição 12ª  Santa Ceia
Lição 12ª Santa Ceia
Igreja Presbiteriana Zona Sul
 

Destaque (20)

Diálogo com os_filhos_ecc
Diálogo com os_filhos_eccDiálogo com os_filhos_ecc
Diálogo com os_filhos_ecc
 
O sentido da_vida-ecc-1
O sentido da_vida-ecc-1O sentido da_vida-ecc-1
O sentido da_vida-ecc-1
 
O casal cristão_no_mundo_de_hoje_2
O casal cristão_no_mundo_de_hoje_2O casal cristão_no_mundo_de_hoje_2
O casal cristão_no_mundo_de_hoje_2
 
Palestra do Pe. Carlos Alberto da Costa Silva, scj, sobre a “Verbum Domini”
Palestra do Pe. Carlos Alberto da Costa Silva, scj, sobre a “Verbum Domini”Palestra do Pe. Carlos Alberto da Costa Silva, scj, sobre a “Verbum Domini”
Palestra do Pe. Carlos Alberto da Costa Silva, scj, sobre a “Verbum Domini”
 
16 A ceia do senhor
16 A ceia do senhor 16 A ceia do senhor
16 A ceia do senhor
 
ALIANÇA ONLINE
ALIANÇA ONLINEALIANÇA ONLINE
ALIANÇA ONLINE
 
Tarea 05
Tarea 05Tarea 05
Tarea 05
 
Santa Ceia
Santa CeiaSanta Ceia
Santa Ceia
 
Aceiadosenhor
AceiadosenhorAceiadosenhor
Aceiadosenhor
 
Porque participar da santa ceia
Porque participar da santa ceiaPorque participar da santa ceia
Porque participar da santa ceia
 
Pão e vinho, símbolos pascais
Pão e vinho, símbolos pascaisPão e vinho, símbolos pascais
Pão e vinho, símbolos pascais
 
Eucaristia
EucaristiaEucaristia
Eucaristia
 
2° trimestre 2015 lição 11
2° trimestre 2015   lição 112° trimestre 2015   lição 11
2° trimestre 2015 lição 11
 
Lição 11 2 Trimestre 2015
Lição 11 2 Trimestre 2015Lição 11 2 Trimestre 2015
Lição 11 2 Trimestre 2015
 
A Última Ceia do Senhor
A Última Ceia do SenhorA Última Ceia do Senhor
A Última Ceia do Senhor
 
A páscoa cristã
A páscoa cristãA páscoa cristã
A páscoa cristã
 
Eucaristia.
Eucaristia.Eucaristia.
Eucaristia.
 
CULTO DE SANTA CEIA
CULTO DE SANTA CEIACULTO DE SANTA CEIA
CULTO DE SANTA CEIA
 
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
 
Lição 12ª Santa Ceia
Lição 12ª  Santa CeiaLição 12ª  Santa Ceia
Lição 12ª Santa Ceia
 

Semelhante a Ceia eucarística

LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaicaLBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
Natalino das Neves Neves
 
A divina liturgia_explicada_e_meditada_monsenhor_pedro_arbex
A divina liturgia_explicada_e_meditada_monsenhor_pedro_arbexA divina liturgia_explicada_e_meditada_monsenhor_pedro_arbex
A divina liturgia_explicada_e_meditada_monsenhor_pedro_arbex
José De Moura Oliveira
 
2_07-05-2019_15-06-05.pdf
2_07-05-2019_15-06-05.pdf2_07-05-2019_15-06-05.pdf
2_07-05-2019_15-06-05.pdf
Tiago Silva
 
2_07-05-2019_15-06-05.pdf
2_07-05-2019_15-06-05.pdf2_07-05-2019_15-06-05.pdf
2_07-05-2019_15-06-05.pdf
Tiago Silva
 
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
Lição 2  a salvação na páscoa judaicaLição 2  a salvação na páscoa judaica
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
Junior Miranda
 
5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levítico
mbrandao7
 
Especialidade santuário
Especialidade santuárioEspecialidade santuário
Especialidade santuário
Servo de Deus e Amigos de Todos
 
2_07-05-2019_15-06-05.pptx
2_07-05-2019_15-06-05.pptx2_07-05-2019_15-06-05.pptx
2_07-05-2019_15-06-05.pptx
ssuser2e3fd9
 
3 levitico
3 levitico3 levitico
3 levitico
PIB Penha
 
10 levitico 1 7
10 levitico 1   710 levitico 1   7
10 levitico 1 7
PIB Penha
 
A ceia
A ceiaA ceia
As Revelacoes do Santuario - estudo 10.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 10.pptAs Revelacoes do Santuario - estudo 10.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 10.ppt
Herbert de Carvalho
 
As Revelacoes do Santuario - estudo 10 ver.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 10 ver.pptAs Revelacoes do Santuario - estudo 10 ver.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 10 ver.ppt
Herbert de Carvalho
 
O santuário terrestre e os símbolos
O santuário terrestre e os símbolosO santuário terrestre e os símbolos
O santuário terrestre e os símbolos
Escola Adventista de Amaralina
 
A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.
Márcio Martins
 
Os livros da bíblia
Os livros da bíbliaOs livros da bíblia
Os livros da bíblia
Fábio Soares
 
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGRLição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
A Missa para não-católicos
A Missa para não-católicosA Missa para não-católicos
A Missa para não-católicos
Orlando Junior
 
A pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsohA pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsoh
jesussalveoshumildes
 
História Eclesiástica
História EclesiásticaHistória Eclesiástica
História Eclesiástica
Marco Sousa
 

Semelhante a Ceia eucarística (20)

LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaicaLBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
 
A divina liturgia_explicada_e_meditada_monsenhor_pedro_arbex
A divina liturgia_explicada_e_meditada_monsenhor_pedro_arbexA divina liturgia_explicada_e_meditada_monsenhor_pedro_arbex
A divina liturgia_explicada_e_meditada_monsenhor_pedro_arbex
 
2_07-05-2019_15-06-05.pdf
2_07-05-2019_15-06-05.pdf2_07-05-2019_15-06-05.pdf
2_07-05-2019_15-06-05.pdf
 
2_07-05-2019_15-06-05.pdf
2_07-05-2019_15-06-05.pdf2_07-05-2019_15-06-05.pdf
2_07-05-2019_15-06-05.pdf
 
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
Lição 2  a salvação na páscoa judaicaLição 2  a salvação na páscoa judaica
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
 
5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levítico
 
Especialidade santuário
Especialidade santuárioEspecialidade santuário
Especialidade santuário
 
2_07-05-2019_15-06-05.pptx
2_07-05-2019_15-06-05.pptx2_07-05-2019_15-06-05.pptx
2_07-05-2019_15-06-05.pptx
 
3 levitico
3 levitico3 levitico
3 levitico
 
10 levitico 1 7
10 levitico 1   710 levitico 1   7
10 levitico 1 7
 
A ceia
A ceiaA ceia
A ceia
 
As Revelacoes do Santuario - estudo 10.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 10.pptAs Revelacoes do Santuario - estudo 10.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 10.ppt
 
As Revelacoes do Santuario - estudo 10 ver.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 10 ver.pptAs Revelacoes do Santuario - estudo 10 ver.ppt
As Revelacoes do Santuario - estudo 10 ver.ppt
 
O santuário terrestre e os símbolos
O santuário terrestre e os símbolosO santuário terrestre e os símbolos
O santuário terrestre e os símbolos
 
A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.
 
Os livros da bíblia
Os livros da bíbliaOs livros da bíblia
Os livros da bíblia
 
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGRLição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
 
A Missa para não-católicos
A Missa para não-católicosA Missa para não-católicos
A Missa para não-católicos
 
A pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsohA pascoa visao_espirita jsoh
A pascoa visao_espirita jsoh
 
História Eclesiástica
História EclesiásticaHistória Eclesiástica
História Eclesiástica
 

Mais de Antenor Antenor

Palermo di notte: saudades daquelas paisagens.
Palermo di notte: saudades daquelas paisagens.Palermo di notte: saudades daquelas paisagens.
Palermo di notte: saudades daquelas paisagens.
Antenor Antenor
 
Palermo di notte. Saudades destas vistas maravilhosas da Sicília.
Palermo di notte. Saudades destas vistas maravilhosas da Sicília.Palermo di notte. Saudades destas vistas maravilhosas da Sicília.
Palermo di notte. Saudades destas vistas maravilhosas da Sicília.
Antenor Antenor
 
Visão cristã da história
Visão cristã da históriaVisão cristã da história
Visão cristã da história
Antenor Antenor
 
Olhe!!!=
Olhe!!!=Olhe!!!=
Olhe!!!=
Antenor Antenor
 
A ultima pedra
A ultima pedraA ultima pedra
A ultima pedra
Antenor Antenor
 
Olhe!!!=
Olhe!!!=Olhe!!!=
Olhe!!!=
Antenor Antenor
 
Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!
Antenor Antenor
 
Texto miguelfalabela
Texto miguelfalabelaTexto miguelfalabela
Texto miguelfalabela
Antenor Antenor
 
Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!
Antenor Antenor
 
Texto miguelfalabela
Texto miguelfalabelaTexto miguelfalabela
Texto miguelfalabela
Antenor Antenor
 
Visão cristã da história
Visão cristã da históriaVisão cristã da história
Visão cristã da história
Antenor Antenor
 
75825 regras dos-homens
75825 regras dos-homens75825 regras dos-homens
75825 regras dos-homens
Antenor Antenor
 
Texto miguelfalabela
Texto miguelfalabelaTexto miguelfalabela
Texto miguelfalabela
Antenor Antenor
 
6 contos curtos
6 contos curtos6 contos curtos
6 contos curtos
Antenor Antenor
 
Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!
Antenor Antenor
 
O que fazer senhor
O que fazer senhorO que fazer senhor
O que fazer senhor
Antenor Antenor
 
010 italy i
010 italy i010 italy i
010 italy i
Antenor Antenor
 
Amigo
AmigoAmigo
Coragem
CoragemCoragem
Coragem
CoragemCoragem

Mais de Antenor Antenor (20)

Palermo di notte: saudades daquelas paisagens.
Palermo di notte: saudades daquelas paisagens.Palermo di notte: saudades daquelas paisagens.
Palermo di notte: saudades daquelas paisagens.
 
Palermo di notte. Saudades destas vistas maravilhosas da Sicília.
Palermo di notte. Saudades destas vistas maravilhosas da Sicília.Palermo di notte. Saudades destas vistas maravilhosas da Sicília.
Palermo di notte. Saudades destas vistas maravilhosas da Sicília.
 
Visão cristã da história
Visão cristã da históriaVisão cristã da história
Visão cristã da história
 
Olhe!!!=
Olhe!!!=Olhe!!!=
Olhe!!!=
 
A ultima pedra
A ultima pedraA ultima pedra
A ultima pedra
 
Olhe!!!=
Olhe!!!=Olhe!!!=
Olhe!!!=
 
Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!
 
Texto miguelfalabela
Texto miguelfalabelaTexto miguelfalabela
Texto miguelfalabela
 
Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!
 
Texto miguelfalabela
Texto miguelfalabelaTexto miguelfalabela
Texto miguelfalabela
 
Visão cristã da história
Visão cristã da históriaVisão cristã da história
Visão cristã da história
 
75825 regras dos-homens
75825 regras dos-homens75825 regras dos-homens
75825 regras dos-homens
 
Texto miguelfalabela
Texto miguelfalabelaTexto miguelfalabela
Texto miguelfalabela
 
6 contos curtos
6 contos curtos6 contos curtos
6 contos curtos
 
Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!Não provoque as pessoas inteligentes!
Não provoque as pessoas inteligentes!
 
O que fazer senhor
O que fazer senhorO que fazer senhor
O que fazer senhor
 
010 italy i
010 italy i010 italy i
010 italy i
 
Amigo
AmigoAmigo
Amigo
 
Coragem
CoragemCoragem
Coragem
 
Coragem
CoragemCoragem
Coragem
 

Ceia eucarística

  • 1. A CEIA DO SENHOR 1ª PARTE: OS SACRIFÍCIOS ÀS DIVINDADES. 2ª PARTE: O SACRIFÍCIO DE JESUS E O SIGNIFICADO DA CEIA DO SENHOR. [P. Antenor].
  • 2. O SACRIFÍCIO ERA UMA OFERTA À DIVINDADE • POLITEISMO POVOS ANTIGOS CULTUAVAM AS MAIS VARIADAS DIVIN- DADES.
  • 3. A PRÁTICA DOS SACRIFÍCIOS SACRIFCIO ENTRE OS JUDEUS. ABRÃO E O SACRIFÍCIO DE ISAAC.
  • 4. SACRIFÍCIO E TEOLOGIA UMA QUESTÃO EM ABERTO. Há diversas razões para que sejam realizados: -Os deuses precisam para seu sustento e poder -Era uma troca com os deuses; -A vida e o sangue das vítimas contém o mana (energia mágica); -Uma disciplina ascética para as pessoas (privam-se de algo); -Objetos oferecidos ou sacrificados tornam-se por vezes renda da org. religi; -Faz parte de uma cerimônia, em que às vezes são consumidos pelos fiéis; -Javé manda Israel oferecer sacrifícios no santuário ou tabernáculo (santuário portátil, onde transportavam a Arca, a Menorá e outros objetos sagrados) Ex 25,23.
  • 5. OS SACRIFÍCIOS DE ANIMAIS NA BÍBLIA Primeiros capítulos do Levítico falam dos sacrifícios pelos pecados. É um tema muito importante nas Escrituras: - Quando Adão e Eva pecaram foram mortos animais para providenciarem vestimentas para eles. Gen 3, 21. - Caim e Abel trouxeram ofertas ao Senhor. Gen 4, 4,5. - Depois do dilúvio Noé ofereceu sacrifícios. Gen 8, 20,21. - Deus pediu que Abrão sacrificasse Isaac. Gen 22, 10-13. - Quando da ocupação da terra de Canaan, os sacrifícios atingiram o ápice. Lev 1, 1-4. Adão e Eva, Abraão e após o pecado Isaac no Moriah
  • 6. DIA DAS EXPIAÇÕES. Lev 16,15, 20-22 DIA DOS SACRIFICIOS QUE PERDOAVAM E RETIRAVAM OS PECADOS. •O BODE SACRIFICADO PROVIDENCIAVA OS PECADOS PERDOADOS. O ENVIADO AO DESERTO A RETIRADA DOS PECADOS.
  • 7. POR QUE OS ANIMAIS ERAM SACRIFICADOS? Não tinham feito nada de errado. Eram oferecidos à divindade pelos pecados de quem os sacrificava. No Lev o próprio Javé os indica como vítimas der expiação.
  • 8. Os sacrifícios gregos •Templo na Grécia era o local, onde morava o deus a quem ele era consagrado. O templo não era o local do culto dos fiéis. •Culto era prestado no bomos, construção quadrangular onde se desenrolava o rito central da religião grega. Usava-se um animal doméstico. A cabeça era cortada com uma espada curta, dissimulada dentro de um cesto de cereais. A vítima não deveria perceber que ia ser morta. Recolhia-se sangue do altar. Devia ser uma vítima sadia, por isso era examinada, especialmente o fígado. A carne era grelhada uma parte cozida. Língua e pele entregues ao sacerdote.
  • 9. O SACRIFÍCIO NA GRÉCIA ANTIGA ERA UMA FESTA Para os deuses era uma oferenda, para os ofertantes uma refeição, uma festa. Desde a imolação à repasto a função se envolvia numa atmosfera de fausto e alegria. En- tre os gregos antigos não se comia outra carne, senão a dos sacrifícios.
  • 10. O SACRIFÍCIO JUDAICO KORBAN, sacrifício, significa “vir para junto de Deus”. Os judeus medievais, reinterpretando a necessidade de sacrifícios, concluíram que Deus Sempre que Javé dava mais importância ao sacrifício que às orações e à meditação. Os sacrifícios eram uma necessidade entre o homem e Deus. Deus os permitia para sanar as deficiências psicológicas do homem (Maimônides). Mesquita de Al Acsa (Alcásar) no local onde estava o Templo de Jerusalém. No primeiro plano restos do muro do Templo, construído por Salomão.
  • 11. SACRIFÍCIOS HUMANOS Muitos povos desde a Antiguidade praticavam este rito hediondo. Famosos são os Astecas, Maias, Incas na América e os povos do Leste do Mediterrâneo, de modo especial os Cananeus. Há ilustrações tétricas sobre este assunto. Não as apresentarei.
  • 12. OCASIÕES EM QUE HOMENS ERAM SACRIFICADOS •Na morte de um rei ou de um alto dignitário religioso. O sacrificado morria para que pudesse servir ao morto na próxima vida. •Na criação de um novo templo ou ponte. •Em épocas de catástrofes naturais: secas terremotos, erupções vulcânicas, maremotos. Esses fenômenos seriam sinais de fúria dos deuses, os sacrifícios eram forma de acalmá-los.
  • 13. 2ª Parte: O SACRIFÍCIO DE JESUS E A CEIA DO SENHOR “Êis o Cordeiro de Deus, êis aquele que tira o pecado do mundo JESUS TAMBÉM, NÃO FIZERA NADA DE ERRADO,MAS VOLUNTARIAMENTE ENTREGOU-SE À MORTE PELOS PECADOS DA HUMANIDADE. 1 Tim, 5-6. TOMOU PARA SI, NOSSAS FALTAS, NOSSOS CRIMES MORRENDO EM NOSSO LUGAR. “AQUELE QUE NÃO CONHECEU O PECADO, DEUS O FEZ PECADO POR NÓS, PARA QUE N`ELE NÓS NOS TORNÁSSEMOS JUSTIÇA DE DEUS. 2 Cor 5, 21.
  • 14. O SACRIFÍCIO DE CRISTO E O PERDÃO DOS PECADOS * PELA FÉ NO QUE CRISTO REALIZOU NA CRUZ, QUALQUER PESSOA PODE RECEBER O PERDÃO. * OS SACRIFÍCIOS DOS ANIMAIS FORAM ORDENADOS POR DEUS, PARA QUE AS PESSOAS •FOSSEM PERDOADAS DOS PECADOS. O ANIMAL SUBSTITUIA, MORRIA NO LUGAR DO PECADOS. •É O QUE ACONTECEU COM O CORDEIRO DE DEUS.
  • 15. SIGNIFICADOS DA CEIA DO SENHOR A PÁSCOA DOS JUDEUS: * Com a reprovação no teste em que foram submetidos nossos primeiros pais, Deus promete que viria alguém para restabelecer a amizade entre Ele e a humanidade. •Enquanto não chega este Enviado Deus estabelece um pacto com o povo judeu. •Todos os anos, por ordem de Jevé os judeus celebravam a libertação do Egito e a Aliança do Sinai, bem como a entrada na Terra Prometida
  • 16. SIGNIFICADOS DA CELEBRAÇ AO JUDIA •Pão ázimo sem fermento, comemora a páscoa (passagem) da libertação do Egito. •O Cálice, pela ação de graças, a páscoa da Aliança do Sinai. •O rito era uma renovação, uma representação dos fatos, não mera lembrança. Judeus rezando em frente ao Muro das La- mentações. Judeus celebram a Páscoa. Páscoa judia comemora a libertação do povo do jugo do Faraó. •Páscoa cristã comemora, através de J. Cristo, a libertação da humanidade Do pecado.
  • 17. A ESPERA DE UMA NOVA ALIANÇA Cada páscoa judaica era a espera de uma nova aliança com Deus. Eles esperavam a expansão do Reino de Javé sobre todo o mundo. Esperavam o Messias como um guerreira poderoso, invencível que apareceria durante a celebração da Páscoa.
  • 18. JESUS A VERDADEIRA PÁSCOA Quando se completaram os tempos Deus não falou mais pelos profetas e mensageiros. Ele mesmo veio na pessoa de seu Filho; “o Verbo se fez carne e habitou entre nós”. Jo 1,14.
  • 19. UMA NOVA ALIANÇA •Jesus não veio abolir o AT, nem interromper o Plano divino estabelecido no Sinai. Veio completá-lo. •Assim a morte e ressurreição de Cristo são a verdadeira PÁSCOA que liberta a humanidade do pecado, realizando a Nova e Eterna Aliança com o Senhor.
  • 20. A CEIA DO SENHOR OU COMUNHÃO EUCARÍSTCA A CEIA DO SENHOR éo Sacramento instituídopor Jesus nanoite da Quinta-feira Santa, duranteoúltimojantarquerealizouemcompanhia dos Apóstolos, no Cenáculo, em Jerusalém. Jesus ordenou: “Fazeiistoemmemória de Mim”. (Lc 22, 19)
  • 21. DESCRIÇÃO DA ÚLTIMA CEIA * Lucas nos revela que Jesus iniciou a última Ceia celebrando a Páscoa judaica. Pelo meio Celebração é que introduziu o novo rito sacramental mandando que fosse renovado em seu nome. * “Tomando o pão, deu graças, partiu-o e lhes deu, dizendo: Isto é o meu Corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de Mim”. Do mesmo modo, tomou também o Cálice e disse: “Este Cálice é a Nova Aliança em meu Sangue, que é derramado em favor de vós”. Lc 22, 14-20. * O MILAGRE DA TRANSUBSTANCIAÇÃO: Cristo, o Cordeiro de Deus é imolado de manei- Ra incruenta para se tornar alimento e sinal de sua passagem entre nós. • O pão e o vinho são transformados milagrosa, misteriosamente no Corpo, Sangue, Alma e Divindade de N. S. J. Cristo, permanecendo o mesmo aspecto externo das espécies de pão e vinho. •No sacrifício judeu o povo era aspergido com o sangue. No sacrifício cristão X.a to dá de beber seu próprio Sangue.
  • 22. QUE REPRESENTA A CEIA DO SENHOR? É o sacrifício permanente da Nova Lei, mantendo viva a Aliança que Deus fez com a humanidade. • Alimento espiritual de nossas almas. • Perpétua comemoração da Paixão, Morte e Ressurreição de X.to. • Testemunho do verdadeiro Amor de Deus por nós. • Garantia da Vida Eterna: “quem como minha Carne e bebe meu Sangue permanece em Mim e Eu nele.
  • 23. OS TRÊS ASPECTOS FUNDAMENTAIS DA CEIA DO SENHOR a) Presença real e verdadeira do Senhor. b) Memorial do Sacrifício de Cristo. c) A Comunhão com X.to e com a Igreja.
  • 24. CONSIDERAÇÕES FINAIS * OS SACRIFÍCIOS DA ANTIGA LEI PREFIGURAM O SACRIFÍCIO DA NOVA LEI, A CEIA DO SENHOR. •ASSIM JESUS SUBSTITUI OS ANIMAIS DA ANTIGA. ALIANÇA. •UM DOS MAIORES MISTÉRIOS DA NOSSA FÉ É A PRESENÇA DE X.TO NA EUCARISTIA. •A PARTICIPAÇÃO NA MISSA DEVE ABRIR NOSSO CORAÇÃO PARA DEUS E PARA O PRÓXIMO. •QUEM SE RECONCILIA COM DEUS E SUA PALAVRA BUSCA E TEM NECESSIDADE DE VIVER SUA FÉ ENTRE OS IRMÃOS. •A IGREJA COMUNIDADE QUE ACREDITA EM CRISTO CONGREGA E CONVIDA PARA A CELEBRAÇÃO DA CEIA SAGRADA. •CRISTO PRESENTE NA EUCARISTIA É SINAL E SACRAMENTO DE DOAÇÃO E DESEJO DE PERMANECER ENTRE NÓS. •NA EUCARISTIA TODOS NOS UNIMOS EM CRISTO E JUNTOS OFERECEMOS O MESMO SACRIFÍCIO AO PAI. EM CRISTO FORMAMOS UM SÓ CORPO ESPIRITUAL, MÍSTICO. •A EUCARISTIA NÃO É UM ATO SOCIAL.
  • 25. A INSTITUIÇÃO DA EUCARISTIA FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA A SANTA CEIA: -Mt 26, 17-19: ...Onde queres que preparemos a Ceia Pascal?... -Mc 14, 12-25: No primeiro dia dos Ázimos... -Lc 22, 7-23: Raiou o dia dos pães sem fermento em que ...a Páscoa... -Jo 6, 35-60: ...Eu sou o Pão vivo que desceu do Céu.. 1 Cor 11, 23-26. ...Isto é meu Corpo que será entregue por vós...
  • 26. JERUSALÉM, a cidade que costumava matar os profetas e assassinou Jesus A cúpula dourada é a Mesquita de Al Acsa, erroneamente denomida de Mesquita de Omar. •O ouro foi doado pelo Rei da Jordânia em 1953. Por baixo da cúpula há uma grande pedra, onde Abrão colocou o filho Isaac para ser imolado. Impressiona uma visita ao local. Diz-se que Maomé, quando esteve em Jerusalém dormiu na gruta que está no rochedo do sacrifício de Abraão. A colina da Mesquita é muito ventilada. As mulheres cananeias batiam ali o trigo de suas colheitas. As árvores da direita margeiam o Vale do Cedron e fazem parte do Jardim das Oliveira.
  • 27. OUTRAS VISTAS DO VALE DO CEDRON