SlideShare uma empresa Scribd logo
BIAGINI ADVOGADOS
Avenida Nove de Julho, nº 4939
7º  andar   Torre Europa
Jardim Europa 01407 200
São  Paulo  SP
Telefone (11) 3507 1100

www.biagini.com.br

Este Boletim tem o caráter meramente informativo, não devendo ser considerado uma opinião legal para qualquer
Boletim operação ou negócio específico. © 2013 Direitos Autorais reservados a Biagini Advogados.
Informativo | Biagini Advogados	
Fevereiro | 2014
www.biagini.com.br
Glúten!
Seguro de Executivos!
Viagens!
Assédio!
Restaurantes não são
Lei ‘anticorrupção’ aumenta
O que pode, ou não,
Empregadores no
obrigados a informar
procura!
trazer na mala…!
banco dos réus!
sua presença!
Página 1
Página 2
Página 2
Página 3

Seguro de Executivos!



Lei ‘anticorrupção' aumenta a procura por seguro de executivos.


!



!

A lei "anticorrupção", que deve entrar em vigor até fevereiro, promete ser mais uma fonte de demandas para os
executivos, que nos últimos tempos já vinham sentido o maior rigor de órgãos de regulação e da Justiça. O
crescente temor de responsabilização de administradores na figura da pessoa física por falhas ocorridas na prática
da gestão de companhias tem impulsionado o segmento de seguros de diretores e conselheiros (conhecido como
D&O, na sigla em inglês).!



O D&O é contratado pelas empresas para proteger o executivo em caso de reclamações de terceiros (seja de
regulador, funcionário, fornecedor ou acionista) relacionadas às suas responsabilidades como administrador de
empresa, muitas vezes exigindo ressarcimento com o patrimônio pessoal do executivo. A apólice cobre desde
custos de defesa até uma "mesada" em caso de bloqueio ou penhora de bens.!
O aumento da percepção de risco e o fato de o preço do seguro estar estável - para alguns segmentos apresenta até
queda - têm feito as empresas aumentarem o valor de cobertura de suas apólices no momento da renovação. Um levantamento realizado pela empresa de
auditoria e consultoria KPMG com 232 empresas de capital aberto mostra que o valor total de cobertura do D&O saltou de R$ 8 bilhões, em 2012, para R$ 11
bilhões, em 2013, alta de 37,5%.!
No caso específico das empresas abertas, a atuação mais forte da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) tem sido decisiva para o aumento do valor de
cobertura das apólices. 



E a "lei anticorrupção" pode adicionar mais complexidade a esse cenário, pois aumenta o temor da chamada penalização por "solidariedade", em que o
executivo pode ser chamado a responder pelos atos de um subordinado e ser considerado culpado por não ter sido diligente no exercício da função. Esse tipo
de responsabilização já existe no país, mas ganhou força com o julgamento da ação penal 470, mais conhecida como mensalão.

Nesse caso, a novidade ficou por conta da teoria do "domínio de fato", utilizada para condenar José Dirceu e José Genoíno. Segundo esse princípio, um
executivo deve ter consciência e é responsável pelo que acontece nas esferas mais baixas de decisão.



A "lei anticorrupção" prevê que as empresas possam ser multadas em até 20% do faturamento bruto caso algum funcionário se envolva em atos de corrupção.
Até então, apenas o funcionário público corrompido era passível de punição. A lei permite redução das multas caso a empresa contribua com as investigações
de forma ativa e incentive canais de denúncias anônimas.



Os maiores "demandantes" de indenizações do seguro de executivos são os órgão fiscalizadores, como a CVM e o Banco Central (BC). Trata-se de um
segmento relativamente pequeno no Brasil, em relação ao tamanho do mercado segurador, mas que tem avançado a passos largos. O volume de indenizações
pagas por seguradoras cresceu 228% de janeiro a outubro do ano passado em relação a igual período de 2012, para R$ 38,8 milhões, segundo os dados mais
recentes da Susep, órgão regulador do mercado de seguros.
Boletim Informativo | Biagini Advogados	

1
"
Viagens!
É tempo de viajar! Mas, você sabe o que pode, ou não, vir na bagagem???!



!

Não podem:

✓Alimentos e outros produtos de origem animal e vegetal não podem ser trazidos na bagagem na volta de
viagens internacionais, a menos que seja obtida com antecedência uma autorização especial. O principal objetivo
da proibição é evitar a disseminação de pragas e doenças no país;

✓ Leite e seus derivados, como queijos, iogurtes e manteigas, não podem entrar no país sem autorização do
Ministério da Agricultura, pois podem colocar em risco a saúde da população e de rebanhos, com doenças como
a tuberculose e a brucelose;

✓ Como derivado do leite, o doce de leite está entre os produtos que não podem ser trazidos de viagens ao
exterior, para evitar a proliferação de doenças no país;

✓ Ovos, assim como outros alimentos não processados, não podem ser trazidos na bagagem de viagens ao
exterior. Como os produtos não estão armazenados corretamente na mala, sem refrigeração, podem se tornar
impróprios para consumo;

✓ Carnes in natura ou industrializadas, como presunto, embutidos, enlatados e pescados, não podem ser trazidas de viagens internacionais; os alimentos
podem estar contaminados com organismos causadores de doenças, e causar problemas à saúde animal e da população;

✓ Vegetais e frutas não podem ser trazidos de outros países, já que há possibilidade de conterem pragas ou estarem contaminados por alguma doença, o que
pode causar danos à agricultura do país ou à saúde humana;

✓ Mel, cera e própolis fazem parte da lista de artigos proibidos pelo Ministério da Agricultura para entrada no país sem autorização. Esses produtos podem
estar contaminados por organismos que provocam uma doença chamada de podridão das crias, que poderia afetar as colmeias brasileiras;

✓ Mudas, sementes, hortaliças frescas, madeira e terra são artigos que não podem trazidos ao Brasil na bagagem, já que podem estar contaminados com
pragas e disseminá-las no país;

✓ Mesmo quando destinados à pesquisa, insetos, moluscos, bactérias e fungos não podem entrar no país sem certificação do Ministério da Agricultura, pois
podem causar danos a plantações e à saúde humana;

✓ Agrotóxicos, produtos veterinários (soro, vacinas, medicamentos), sêmen e embriões de animais não podem ser transportados na bagagem para entrada
no país;

✓ Comidas e lanches servidos a bordo pelas companhias aéreas não podem ser trazidos pelos passageiros. Os itens devem ser consumidos apenas no avião,
pois podem se deteriorar e causar problemas de saúde;

✓ É proibida a entrada e a saída de animais de companhia do Brasil sem que haja autorização do Ministério da Agricultura e se não forem seguidas regras
estabelecidas pelos países a serem visitados. A lista de normas pode ser consultada no site do órgão brasileiro (agricultura.gov.br).



Podem:

✓✓ Chocolates e outros produtos processados estão na lista de artigos que os turistas podem trazer de viagens ao exterior sem restrições. Apesar de ter leite
na composição, a proporção é muito pequena, representando baixo risco de contaminação;

✓✓ O café torrado e moído e outros produtos industrializados podem ingressar livremente no país, de acordo com as normas estabelecidas pelo Ministério
da Agricultura;

✓✓ Azeites, óleos, frutos em calda e vegetais em conserva têm entrada liberada no país pelo Ministério da Agricultura;

✓✓ Vinhos podem circular livremente, mas o viajante deve observar o limite de12 garrafas de uma mesma marca ou até 18 de fabricantes diferentes. Outras
bebidas alcoólicas podem ser trazidas até um limite de 12 litros;

✓✓ Arroz, farinhas, erva-mate e outros tipos de chá estão entre os produtos liberados pela vigilância agropecuária brasileira para entrada no país, pois
apresentam risco muito baixo de contaminação.



Sabendo de tudo isso é só fazer as malas, e Boa Viagem!

Assédio!
Empregadores, isso inclui as mulheres também, podem parar no banco dos réus.!



!

Incluído no Código Penal em 2001, por meio da Lei 10.224, o assédio sexual tem levado empregadores ao banco
dos réus. As reclamações são crescentes e, na maioria dos casos, as vítimas são mulheres. 



De acordo com o artigo 216-A, a prática é a de "constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou
favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente da sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes
ao exercício de emprego, cargo ou função." A pena: um a dois anos de detenção. Nesses casos, a maior dificuldade
é a produção de provas. 




Normalmente, o assédio é praticado a portas fechadas e o assediador, quase sempre um superior hierárquico, tenta
não deixar rastros. Por isso, a Justiça do Trabalho tem aceitado provas indiretas — indícios da ocorrência do fato, como a demissão do assediador. E-mails,
bilhetes, filmagens e gravações de conversas também são válidos para comprovação do assédio.

Boletim Informativo | Biagini Advogados

"2
Glúten!


Produto manufaturado. Restaurante não precisa informar presença de glúten em seus pratos.









A obrigação de informar se o alimento contém ou não glúten, previsto na Lei 10.764/2003, e válido somente
para produtos industrializados. Não é preciso, portanto, que restaurantes coloquem a informação por escrito
em seus alimentos.

“A lei, quando editada, previu essa invialibilidade de se informar de forma escrita, os alimentos que são
servidos nos restaurantes. Imagine a padaria informando que o pão francês [ou pãozinho como é chamado
em outros estados], deva conter a informação de que contém ou não contém glúten, ou o restaurante italiano
informando os clientes que as massas servidas em seu estabelecimento contêm ou não contém glúten”,
afirmou o juiz substituto Matheus Stamillo Santarelli Zuliani, da 10ª Vara Cível de Brasília.



No caso, o juiz julgou improcedente um pedido da Associação Brasileira de Defesa dos Consumidores de
Plano de Saúde para obrigar a rede de restaurantes Habibs a informar sobre a presença ou não de glúten nos
alimentos comercializados. De acordo com a Associação, a proteína acarreta diversos problemas de saúde
aos portadores de doença celíaca. Na ação, a entidade afirma que a omissão nos produtos do Habibs viola a
Lei 10.674/03. Em sua defesa, o Habbis alegou que a lei não alcança seus produtos pois estes não são
industrializados.



Ao analisar a ação o juiz deu razão à rede de restaurantes. Na sentença, Zuliani considerou louvável a atuação da associação, porém concluiu que não é
possível obrigar o restaurante a informar, de forma escrita, a presença ou ausência de glúten no alimento. “Sabe-se que a especialidade do restaurante "fast
food", ora requerido, são suas esfirras. Como viabilizar a informação escrita quando o garçom se dirige à mesa do cliente levando uma porção dessa
especialidade que acabara de sair do forno?”, questiona o juiz.!
Ele explica que o dever de informação, previsto na Constituição Federal e no Código de Defesa do Consumidor (CDC), deve ser respeitado, mas tem limites.
Por isso, segundo o juiz, foi editada a Lei 10.674/2003 que em seu artigo 1º impõe a todos os produtos industrializados a conter em seu rótulo e bula,
obrigatoriamente, as inscrições "contém Glúten" ou "não contém Glúten".



“Nota-se que a lei não contraria o direito de informação, apenas o regulamenta tornando-o viável e exigível. Ora, a Lei, quando editada, previu essa
invialibilidade de se informar de forma escrita, os alimentos que são servidos nos restaurantes”, registrou Zulinani, citando o caso dos pães.

O juiz complementa ainda apontando que o CDC foi publicado para proteção do consumidor contra armadilhas do comércio e para equilíbrio das relações,
tendo em vista a desvantagem natural. "Não foi escrito para superproteção do sujeito que assume riscos pela escolha quanto ao modo de ingerir alimentos de
redes de restaurantes ou de comidas prontas, sendo que qualquer intervenção do Judiciário nos pratos feitos por chefes e cozinhas de alta escala estará
afetando o ciclo natural do comércio e do próprio arbítrio do consumidor. Quem come uma esfirra de R$ 0,99 não quer saber se há glúten ou não nas matérias
primas utilizadas”, concluiu.



Na sentença, o juiz ainda criticou a associação que, segundo ele, subestima a inteligência das pessoas portadoras da doença. “Como se disse, o direito a
informação possui limites, sem contar que essa informação, ainda mais para os doentes celíacos, já encontra-se absorvida e compreendida. A associação, ora
requerente, subestima a inteligência dessas pessoas quando postula tal pedido.”




!






Acompanhe as novidades! @BiaginiAdvogado

Antes de imprimir, pense em sua responsabilidade com o MEIO AMBIENTE

BOLETIM INFORMATIVO | FEVEREIRO 2014	

biagini@biagini.com.br
________________________
Este Boletim tem caráter meramente informativo, não devendo ser considerado opinião legal para quaisquer 
operação ou negócio específicos. © 2014 Direitos Autorais reservados à Biagini Advogados.
www.biagini.com.br

Boletim Informativo | Biagini Advogados	

3
"

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Apostila cf2012 uberlandia-mg
Apostila cf2012 uberlandia-mgApostila cf2012 uberlandia-mg
Apostila cf2012 uberlandia-mg
Eder Hashizume
 
Nuremberg principle latin
Nuremberg principle   latinNuremberg principle   latin
Nuremberg principle latin
VogelDenise
 
031808 obama speech (haitian creole)
031808   obama speech (haitian creole)031808   obama speech (haitian creole)
031808 obama speech (haitian creole)
VogelDenise
 
BARACK OBAMA – Benghazi COVER UP (basque)
BARACK OBAMA – Benghazi COVER UP (basque)BARACK OBAMA – Benghazi COVER UP (basque)
BARACK OBAMA – Benghazi COVER UP (basque)
VogelDenise
 
Direitos humanos cartilha ziraldo
Direitos humanos cartilha ziraldoDireitos humanos cartilha ziraldo
Direitos humanos cartilha ziraldo
igualdadegeneroeraca
 
Gujarati thank you to republic of ecuador (asylum of julian assange)
Gujarati   thank you to  republic of ecuador (asylum of julian assange)Gujarati   thank you to  republic of ecuador (asylum of julian assange)
Gujarati thank you to republic of ecuador (asylum of julian assange)
VogelDenise
 
BARACK OBAMA - READ MY LIPS - ObamaFraudGate (basque)
BARACK OBAMA - READ MY LIPS - ObamaFraudGate (basque)BARACK OBAMA - READ MY LIPS - ObamaFraudGate (basque)
BARACK OBAMA - READ MY LIPS - ObamaFraudGate (basque)
VogelDenise
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
Zé Brocco
 
resume-MARGARET_MILLER (1)
resume-MARGARET_MILLER (1)resume-MARGARET_MILLER (1)
resume-MARGARET_MILLER (1)
Margaret Miller
 
Acido ascorndio
Acido ascorndioAcido ascorndio
Acido ascorndio
James Silva
 
Tatiane vieira rêgo atea 2011
Tatiane vieira rêgo atea 2011Tatiane vieira rêgo atea 2011
Tatiane vieira rêgo atea 2011
southman438
 
Multiclick
MulticlickMulticlick
Multiclick
Jose Santos
 
Unidad de trabajo 5
Unidad de trabajo 5Unidad de trabajo 5
Unidad de trabajo 5
Carmen Larios
 
Nuremberg principle catalan
Nuremberg principle   catalanNuremberg principle   catalan
Nuremberg principle catalan
VogelDenise
 
01/28/13 US Supreme Court Response (basque)
01/28/13 US Supreme Court Response  (basque)01/28/13 US Supreme Court Response  (basque)
01/28/13 US Supreme Court Response (basque)
VogelDenise
 

Destaque (16)

Apostila cf2012 uberlandia-mg
Apostila cf2012 uberlandia-mgApostila cf2012 uberlandia-mg
Apostila cf2012 uberlandia-mg
 
Nuremberg principle latin
Nuremberg principle   latinNuremberg principle   latin
Nuremberg principle latin
 
031808 obama speech (haitian creole)
031808   obama speech (haitian creole)031808   obama speech (haitian creole)
031808 obama speech (haitian creole)
 
BARACK OBAMA – Benghazi COVER UP (basque)
BARACK OBAMA – Benghazi COVER UP (basque)BARACK OBAMA – Benghazi COVER UP (basque)
BARACK OBAMA – Benghazi COVER UP (basque)
 
Direitos humanos cartilha ziraldo
Direitos humanos cartilha ziraldoDireitos humanos cartilha ziraldo
Direitos humanos cartilha ziraldo
 
Gujarati thank you to republic of ecuador (asylum of julian assange)
Gujarati   thank you to  republic of ecuador (asylum of julian assange)Gujarati   thank you to  republic of ecuador (asylum of julian assange)
Gujarati thank you to republic of ecuador (asylum of julian assange)
 
BARACK OBAMA - READ MY LIPS - ObamaFraudGate (basque)
BARACK OBAMA - READ MY LIPS - ObamaFraudGate (basque)BARACK OBAMA - READ MY LIPS - ObamaFraudGate (basque)
BARACK OBAMA - READ MY LIPS - ObamaFraudGate (basque)
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
resume-MARGARET_MILLER (1)
resume-MARGARET_MILLER (1)resume-MARGARET_MILLER (1)
resume-MARGARET_MILLER (1)
 
Acido ascorndio
Acido ascorndioAcido ascorndio
Acido ascorndio
 
Tatiane vieira rêgo atea 2011
Tatiane vieira rêgo atea 2011Tatiane vieira rêgo atea 2011
Tatiane vieira rêgo atea 2011
 
Multiclick
MulticlickMulticlick
Multiclick
 
ÉMILI
ÉMILIÉMILI
ÉMILI
 
Unidad de trabajo 5
Unidad de trabajo 5Unidad de trabajo 5
Unidad de trabajo 5
 
Nuremberg principle catalan
Nuremberg principle   catalanNuremberg principle   catalan
Nuremberg principle catalan
 
01/28/13 US Supreme Court Response (basque)
01/28/13 US Supreme Court Response  (basque)01/28/13 US Supreme Court Response  (basque)
01/28/13 US Supreme Court Response (basque)
 

Semelhante a Boletim biagini fevereiro|2014

Boletim Informativo Biagini Advogados | Nov13
Boletim Informativo Biagini Advogados | Nov13Boletim Informativo Biagini Advogados | Nov13
Boletim Informativo Biagini Advogados | Nov13
Priscila Novacek Biagini
 
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Novembro/13
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Novembro/13Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Novembro/13
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Novembro/13
Priscila Novacek Biagini
 
Newsletter 7 Barreiras de Acesso
Newsletter 7 Barreiras de AcessoNewsletter 7 Barreiras de Acesso
Newsletter 7 Barreiras de Acesso
Barreiras Comerciais
 
Boletim Informativo | Biagini Advogados _ março|2014
Boletim Informativo | Biagini Advogados _ março|2014Boletim Informativo | Biagini Advogados _ março|2014
Boletim Informativo | Biagini Advogados _ março|2014
Priscila Novacek Biagini
 
Aprovado projeto que estabelece regra para importação de leite em pó
Aprovado projeto que estabelece regra para importação de leite em póAprovado projeto que estabelece regra para importação de leite em pó
Aprovado projeto que estabelece regra para importação de leite em pó
RaquelMariaCury
 
ANUÁRIO ABISOLO.pdf
ANUÁRIO ABISOLO.pdfANUÁRIO ABISOLO.pdf
ANUÁRIO ABISOLO.pdf
ssuserc44a301
 
Importância da contabilidade na gestão tributária
Importância da contabilidade na gestão tributáriaImportância da contabilidade na gestão tributária
Importância da contabilidade na gestão tributária
Fabio Rodrigues de Oliveira
 
Cartilha de ziraldo
Cartilha de ziraldo Cartilha de ziraldo
Cartilha de ziraldo
Keylla Tayne
 
Cartilha Ziraldo
Cartilha ZiraldoCartilha Ziraldo
Cartilha Ziraldo
Daiane Santana
 
Cartilha organicos_Olho no Consumidor
Cartilha organicos_Olho no ConsumidorCartilha organicos_Olho no Consumidor
Cartilha organicos_Olho no Consumidor
Erik Oliveira
 
Cartilha sobre produtos orgânicos
Cartilha sobre produtos orgânicosCartilha sobre produtos orgânicos
Cartilha sobre produtos orgânicos
Sodexo Beneficios e Incentivos
 
O olho do_consumidor
O olho do_consumidorO olho do_consumidor
O olho do_consumidor
João Siqueira da Mata
 
Procon
ProconProcon
Indústria deverá-crescer
Indústria deverá-crescerIndústria deverá-crescer
Indústria deverá-crescer
B&R Consultoria Empresarial
 
Covid-19: veja o relatório atualizado de impactos no agronegócio da consultor...
Covid-19: veja o relatório atualizado de impactos no agronegócio da consultor...Covid-19: veja o relatório atualizado de impactos no agronegócio da consultor...
Covid-19: veja o relatório atualizado de impactos no agronegócio da consultor...
José Florentino
 
A empresa glocal
A empresa glocalA empresa glocal
A empresa glocal
Osler Desouzart
 
O custo do golpe no brasil dieese
O custo do golpe no brasil    dieeseO custo do golpe no brasil    dieese
O custo do golpe no brasil dieese
Camila Pelegrini
 
Iquego projeto novo
Iquego projeto novoIquego projeto novo
Iquego projeto novo
Alfob
 
Do recorde produção 1.1.15
Do recorde produção 1.1.15Do recorde produção 1.1.15
Do recorde produção 1.1.15
Agricultura Sao Paulo
 
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no paísSaúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
Ministério da Saúde
 

Semelhante a Boletim biagini fevereiro|2014 (20)

Boletim Informativo Biagini Advogados | Nov13
Boletim Informativo Biagini Advogados | Nov13Boletim Informativo Biagini Advogados | Nov13
Boletim Informativo Biagini Advogados | Nov13
 
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Novembro/13
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Novembro/13Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Novembro/13
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Novembro/13
 
Newsletter 7 Barreiras de Acesso
Newsletter 7 Barreiras de AcessoNewsletter 7 Barreiras de Acesso
Newsletter 7 Barreiras de Acesso
 
Boletim Informativo | Biagini Advogados _ março|2014
Boletim Informativo | Biagini Advogados _ março|2014Boletim Informativo | Biagini Advogados _ março|2014
Boletim Informativo | Biagini Advogados _ março|2014
 
Aprovado projeto que estabelece regra para importação de leite em pó
Aprovado projeto que estabelece regra para importação de leite em póAprovado projeto que estabelece regra para importação de leite em pó
Aprovado projeto que estabelece regra para importação de leite em pó
 
ANUÁRIO ABISOLO.pdf
ANUÁRIO ABISOLO.pdfANUÁRIO ABISOLO.pdf
ANUÁRIO ABISOLO.pdf
 
Importância da contabilidade na gestão tributária
Importância da contabilidade na gestão tributáriaImportância da contabilidade na gestão tributária
Importância da contabilidade na gestão tributária
 
Cartilha de ziraldo
Cartilha de ziraldo Cartilha de ziraldo
Cartilha de ziraldo
 
Cartilha Ziraldo
Cartilha ZiraldoCartilha Ziraldo
Cartilha Ziraldo
 
Cartilha organicos_Olho no Consumidor
Cartilha organicos_Olho no ConsumidorCartilha organicos_Olho no Consumidor
Cartilha organicos_Olho no Consumidor
 
Cartilha sobre produtos orgânicos
Cartilha sobre produtos orgânicosCartilha sobre produtos orgânicos
Cartilha sobre produtos orgânicos
 
O olho do_consumidor
O olho do_consumidorO olho do_consumidor
O olho do_consumidor
 
Procon
ProconProcon
Procon
 
Indústria deverá-crescer
Indústria deverá-crescerIndústria deverá-crescer
Indústria deverá-crescer
 
Covid-19: veja o relatório atualizado de impactos no agronegócio da consultor...
Covid-19: veja o relatório atualizado de impactos no agronegócio da consultor...Covid-19: veja o relatório atualizado de impactos no agronegócio da consultor...
Covid-19: veja o relatório atualizado de impactos no agronegócio da consultor...
 
A empresa glocal
A empresa glocalA empresa glocal
A empresa glocal
 
O custo do golpe no brasil dieese
O custo do golpe no brasil    dieeseO custo do golpe no brasil    dieese
O custo do golpe no brasil dieese
 
Iquego projeto novo
Iquego projeto novoIquego projeto novo
Iquego projeto novo
 
Do recorde produção 1.1.15
Do recorde produção 1.1.15Do recorde produção 1.1.15
Do recorde produção 1.1.15
 
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no paísSaúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
 

Mais de Priscila Novacek Biagini

Boletim informativo | Fevereiro 2015
Boletim informativo | Fevereiro 2015Boletim informativo | Fevereiro 2015
Boletim informativo | Fevereiro 2015
Priscila Novacek Biagini
 
Boletim informativo | Biagini Advogados | Janeiro 2015
Boletim informativo | Biagini Advogados | Janeiro 2015Boletim informativo | Biagini Advogados | Janeiro 2015
Boletim informativo | Biagini Advogados | Janeiro 2015
Priscila Novacek Biagini
 
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Dez | 2014
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Dez | 2014Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Dez | 2014
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Dez | 2014
Priscila Novacek Biagini
 
Boletim Informativo Biagini Advogados | Out14
Boletim Informativo Biagini Advogados | Out14Boletim Informativo Biagini Advogados | Out14
Boletim Informativo Biagini Advogados | Out14
Priscila Novacek Biagini
 
Boletim informativo set14
Boletim informativo set14Boletim informativo set14
Boletim informativo set14
Priscila Novacek Biagini
 
Biagini Advogados Boletim Informativo | Ago14
Biagini Advogados Boletim Informativo | Ago14Biagini Advogados Boletim Informativo | Ago14
Biagini Advogados Boletim Informativo | Ago14
Priscila Novacek Biagini
 
Boletim informativo jun14
Boletim informativo jun14Boletim informativo jun14
Boletim informativo jun14
Priscila Novacek Biagini
 
Biagini Advogados _ Presentation
Biagini Advogados _ PresentationBiagini Advogados _ Presentation
Biagini Advogados _ Presentation
Priscila Novacek Biagini
 
Boletim informativo | Biagini Advogados _ Maio 2014
Boletim informativo | Biagini Advogados _ Maio 2014Boletim informativo | Biagini Advogados _ Maio 2014
Boletim informativo | Biagini Advogados _ Maio 2014
Priscila Novacek Biagini
 
Boletim biagini janeiro|2014
Boletim biagini   janeiro|2014Boletim biagini   janeiro|2014
Boletim biagini janeiro|2014
Priscila Novacek Biagini
 
Boletim Informativo _ Biagini Advogados_Janeiro|2014
Boletim Informativo _ Biagini Advogados_Janeiro|2014Boletim Informativo _ Biagini Advogados_Janeiro|2014
Boletim Informativo _ Biagini Advogados_Janeiro|2014
Priscila Novacek Biagini
 
Manual de Rotinas trabalhistas_2014
Manual de Rotinas trabalhistas_2014Manual de Rotinas trabalhistas_2014
Manual de Rotinas trabalhistas_2014
Priscila Novacek Biagini
 
Rotinas trabalhistas 2014
Rotinas trabalhistas 2014Rotinas trabalhistas 2014
Rotinas trabalhistas 2014
Priscila Novacek Biagini
 
Boletim Biagini _ Dez13
Boletim Biagini _ Dez13Boletim Biagini _ Dez13
Boletim Biagini _ Dez13
Priscila Novacek Biagini
 
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Out13
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Out13Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Out13
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Out13
Priscila Novacek Biagini
 

Mais de Priscila Novacek Biagini (16)

Boletim informativo | Fevereiro 2015
Boletim informativo | Fevereiro 2015Boletim informativo | Fevereiro 2015
Boletim informativo | Fevereiro 2015
 
Boletim informativo | Biagini Advogados | Janeiro 2015
Boletim informativo | Biagini Advogados | Janeiro 2015Boletim informativo | Biagini Advogados | Janeiro 2015
Boletim informativo | Biagini Advogados | Janeiro 2015
 
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Dez | 2014
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Dez | 2014Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Dez | 2014
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Dez | 2014
 
Boletim Informativo Biagini Advogados | Out14
Boletim Informativo Biagini Advogados | Out14Boletim Informativo Biagini Advogados | Out14
Boletim Informativo Biagini Advogados | Out14
 
Boletim informativo set14
Boletim informativo set14Boletim informativo set14
Boletim informativo set14
 
Biagini Advogados Boletim Informativo | Ago14
Biagini Advogados Boletim Informativo | Ago14Biagini Advogados Boletim Informativo | Ago14
Biagini Advogados Boletim Informativo | Ago14
 
Boletim informativo jun14
Boletim informativo jun14Boletim informativo jun14
Boletim informativo jun14
 
Biagini Advogados _ Presentation
Biagini Advogados _ PresentationBiagini Advogados _ Presentation
Biagini Advogados _ Presentation
 
Boletim informativo | Biagini Advogados _ Maio 2014
Boletim informativo | Biagini Advogados _ Maio 2014Boletim informativo | Biagini Advogados _ Maio 2014
Boletim informativo | Biagini Advogados _ Maio 2014
 
Boletim biagini janeiro|2014
Boletim biagini   janeiro|2014Boletim biagini   janeiro|2014
Boletim biagini janeiro|2014
 
Boletim Informativo _ Biagini Advogados_Janeiro|2014
Boletim Informativo _ Biagini Advogados_Janeiro|2014Boletim Informativo _ Biagini Advogados_Janeiro|2014
Boletim Informativo _ Biagini Advogados_Janeiro|2014
 
Manual de Rotinas trabalhistas_2014
Manual de Rotinas trabalhistas_2014Manual de Rotinas trabalhistas_2014
Manual de Rotinas trabalhistas_2014
 
Rotinas trabalhistas 2014
Rotinas trabalhistas 2014Rotinas trabalhistas 2014
Rotinas trabalhistas 2014
 
Feliz 2014!
Feliz 2014!Feliz 2014!
Feliz 2014!
 
Boletim Biagini _ Dez13
Boletim Biagini _ Dez13Boletim Biagini _ Dez13
Boletim Biagini _ Dez13
 
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Out13
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Out13Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Out13
Boletim Informativo _ Biagini Advogados _ Out13
 

Último

Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 

Último (7)

Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 

Boletim biagini fevereiro|2014

  • 1. BIAGINI ADVOGADOS Avenida Nove de Julho, nº 4939 7º  andar   Torre Europa Jardim Europa 01407 200 São  Paulo  SP Telefone (11) 3507 1100 www.biagini.com.br Este Boletim tem o caráter meramente informativo, não devendo ser considerado uma opinião legal para qualquer Boletim operação ou negócio específico. © 2013 Direitos Autorais reservados a Biagini Advogados. Informativo | Biagini Advogados Fevereiro | 2014 www.biagini.com.br Glúten! Seguro de Executivos! Viagens! Assédio! Restaurantes não são Lei ‘anticorrupção’ aumenta O que pode, ou não, Empregadores no obrigados a informar procura! trazer na mala…! banco dos réus! sua presença! Página 1 Página 2 Página 2 Página 3 Seguro de Executivos! 
 Lei ‘anticorrupção' aumenta a procura por seguro de executivos.
 ! 
 ! A lei "anticorrupção", que deve entrar em vigor até fevereiro, promete ser mais uma fonte de demandas para os executivos, que nos últimos tempos já vinham sentido o maior rigor de órgãos de regulação e da Justiça. O crescente temor de responsabilização de administradores na figura da pessoa física por falhas ocorridas na prática da gestão de companhias tem impulsionado o segmento de seguros de diretores e conselheiros (conhecido como D&O, na sigla em inglês).! 
 O D&O é contratado pelas empresas para proteger o executivo em caso de reclamações de terceiros (seja de regulador, funcionário, fornecedor ou acionista) relacionadas às suas responsabilidades como administrador de empresa, muitas vezes exigindo ressarcimento com o patrimônio pessoal do executivo. A apólice cobre desde custos de defesa até uma "mesada" em caso de bloqueio ou penhora de bens.! O aumento da percepção de risco e o fato de o preço do seguro estar estável - para alguns segmentos apresenta até queda - têm feito as empresas aumentarem o valor de cobertura de suas apólices no momento da renovação. Um levantamento realizado pela empresa de auditoria e consultoria KPMG com 232 empresas de capital aberto mostra que o valor total de cobertura do D&O saltou de R$ 8 bilhões, em 2012, para R$ 11 bilhões, em 2013, alta de 37,5%.! No caso específico das empresas abertas, a atuação mais forte da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) tem sido decisiva para o aumento do valor de cobertura das apólices. 
 
 E a "lei anticorrupção" pode adicionar mais complexidade a esse cenário, pois aumenta o temor da chamada penalização por "solidariedade", em que o executivo pode ser chamado a responder pelos atos de um subordinado e ser considerado culpado por não ter sido diligente no exercício da função. Esse tipo de responsabilização já existe no país, mas ganhou força com o julgamento da ação penal 470, mais conhecida como mensalão.
 Nesse caso, a novidade ficou por conta da teoria do "domínio de fato", utilizada para condenar José Dirceu e José Genoíno. Segundo esse princípio, um executivo deve ter consciência e é responsável pelo que acontece nas esferas mais baixas de decisão.
 
 A "lei anticorrupção" prevê que as empresas possam ser multadas em até 20% do faturamento bruto caso algum funcionário se envolva em atos de corrupção. Até então, apenas o funcionário público corrompido era passível de punição. A lei permite redução das multas caso a empresa contribua com as investigações de forma ativa e incentive canais de denúncias anônimas.
 
 Os maiores "demandantes" de indenizações do seguro de executivos são os órgão fiscalizadores, como a CVM e o Banco Central (BC). Trata-se de um segmento relativamente pequeno no Brasil, em relação ao tamanho do mercado segurador, mas que tem avançado a passos largos. O volume de indenizações pagas por seguradoras cresceu 228% de janeiro a outubro do ano passado em relação a igual período de 2012, para R$ 38,8 milhões, segundo os dados mais recentes da Susep, órgão regulador do mercado de seguros. Boletim Informativo | Biagini Advogados 1 "
  • 2. Viagens! É tempo de viajar! Mas, você sabe o que pode, ou não, vir na bagagem???! 
 ! Não podem:
 ✓Alimentos e outros produtos de origem animal e vegetal não podem ser trazidos na bagagem na volta de viagens internacionais, a menos que seja obtida com antecedência uma autorização especial. O principal objetivo da proibição é evitar a disseminação de pragas e doenças no país;
 ✓ Leite e seus derivados, como queijos, iogurtes e manteigas, não podem entrar no país sem autorização do Ministério da Agricultura, pois podem colocar em risco a saúde da população e de rebanhos, com doenças como a tuberculose e a brucelose;
 ✓ Como derivado do leite, o doce de leite está entre os produtos que não podem ser trazidos de viagens ao exterior, para evitar a proliferação de doenças no país;
 ✓ Ovos, assim como outros alimentos não processados, não podem ser trazidos na bagagem de viagens ao exterior. Como os produtos não estão armazenados corretamente na mala, sem refrigeração, podem se tornar impróprios para consumo;
 ✓ Carnes in natura ou industrializadas, como presunto, embutidos, enlatados e pescados, não podem ser trazidas de viagens internacionais; os alimentos podem estar contaminados com organismos causadores de doenças, e causar problemas à saúde animal e da população;
 ✓ Vegetais e frutas não podem ser trazidos de outros países, já que há possibilidade de conterem pragas ou estarem contaminados por alguma doença, o que pode causar danos à agricultura do país ou à saúde humana;
 ✓ Mel, cera e própolis fazem parte da lista de artigos proibidos pelo Ministério da Agricultura para entrada no país sem autorização. Esses produtos podem estar contaminados por organismos que provocam uma doença chamada de podridão das crias, que poderia afetar as colmeias brasileiras;
 ✓ Mudas, sementes, hortaliças frescas, madeira e terra são artigos que não podem trazidos ao Brasil na bagagem, já que podem estar contaminados com pragas e disseminá-las no país;
 ✓ Mesmo quando destinados à pesquisa, insetos, moluscos, bactérias e fungos não podem entrar no país sem certificação do Ministério da Agricultura, pois podem causar danos a plantações e à saúde humana;
 ✓ Agrotóxicos, produtos veterinários (soro, vacinas, medicamentos), sêmen e embriões de animais não podem ser transportados na bagagem para entrada no país;
 ✓ Comidas e lanches servidos a bordo pelas companhias aéreas não podem ser trazidos pelos passageiros. Os itens devem ser consumidos apenas no avião, pois podem se deteriorar e causar problemas de saúde;
 ✓ É proibida a entrada e a saída de animais de companhia do Brasil sem que haja autorização do Ministério da Agricultura e se não forem seguidas regras estabelecidas pelos países a serem visitados. A lista de normas pode ser consultada no site do órgão brasileiro (agricultura.gov.br).
 
 Podem:
 ✓✓ Chocolates e outros produtos processados estão na lista de artigos que os turistas podem trazer de viagens ao exterior sem restrições. Apesar de ter leite na composição, a proporção é muito pequena, representando baixo risco de contaminação;
 ✓✓ O café torrado e moído e outros produtos industrializados podem ingressar livremente no país, de acordo com as normas estabelecidas pelo Ministério da Agricultura;
 ✓✓ Azeites, óleos, frutos em calda e vegetais em conserva têm entrada liberada no país pelo Ministério da Agricultura;
 ✓✓ Vinhos podem circular livremente, mas o viajante deve observar o limite de12 garrafas de uma mesma marca ou até 18 de fabricantes diferentes. Outras bebidas alcoólicas podem ser trazidas até um limite de 12 litros;
 ✓✓ Arroz, farinhas, erva-mate e outros tipos de chá estão entre os produtos liberados pela vigilância agropecuária brasileira para entrada no país, pois apresentam risco muito baixo de contaminação.
 
 Sabendo de tudo isso é só fazer as malas, e Boa Viagem! Assédio! Empregadores, isso inclui as mulheres também, podem parar no banco dos réus.! 
 ! Incluído no Código Penal em 2001, por meio da Lei 10.224, o assédio sexual tem levado empregadores ao banco dos réus. As reclamações são crescentes e, na maioria dos casos, as vítimas são mulheres. 
 
 De acordo com o artigo 216-A, a prática é a de "constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente da sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função." A pena: um a dois anos de detenção. Nesses casos, a maior dificuldade é a produção de provas. 
 
 Normalmente, o assédio é praticado a portas fechadas e o assediador, quase sempre um superior hierárquico, tenta não deixar rastros. Por isso, a Justiça do Trabalho tem aceitado provas indiretas — indícios da ocorrência do fato, como a demissão do assediador. E-mails, bilhetes, filmagens e gravações de conversas também são válidos para comprovação do assédio. Boletim Informativo | Biagini Advogados "2
  • 3. Glúten! 
 Produto manufaturado. Restaurante não precisa informar presença de glúten em seus pratos.
 
 
 
 A obrigação de informar se o alimento contém ou não glúten, previsto na Lei 10.764/2003, e válido somente para produtos industrializados. Não é preciso, portanto, que restaurantes coloquem a informação por escrito em seus alimentos.
 “A lei, quando editada, previu essa invialibilidade de se informar de forma escrita, os alimentos que são servidos nos restaurantes. Imagine a padaria informando que o pão francês [ou pãozinho como é chamado em outros estados], deva conter a informação de que contém ou não contém glúten, ou o restaurante italiano informando os clientes que as massas servidas em seu estabelecimento contêm ou não contém glúten”, afirmou o juiz substituto Matheus Stamillo Santarelli Zuliani, da 10ª Vara Cível de Brasília.
 
 No caso, o juiz julgou improcedente um pedido da Associação Brasileira de Defesa dos Consumidores de Plano de Saúde para obrigar a rede de restaurantes Habibs a informar sobre a presença ou não de glúten nos alimentos comercializados. De acordo com a Associação, a proteína acarreta diversos problemas de saúde aos portadores de doença celíaca. Na ação, a entidade afirma que a omissão nos produtos do Habibs viola a Lei 10.674/03. Em sua defesa, o Habbis alegou que a lei não alcança seus produtos pois estes não são industrializados.
 
 Ao analisar a ação o juiz deu razão à rede de restaurantes. Na sentença, Zuliani considerou louvável a atuação da associação, porém concluiu que não é possível obrigar o restaurante a informar, de forma escrita, a presença ou ausência de glúten no alimento. “Sabe-se que a especialidade do restaurante "fast food", ora requerido, são suas esfirras. Como viabilizar a informação escrita quando o garçom se dirige à mesa do cliente levando uma porção dessa especialidade que acabara de sair do forno?”, questiona o juiz.! Ele explica que o dever de informação, previsto na Constituição Federal e no Código de Defesa do Consumidor (CDC), deve ser respeitado, mas tem limites. Por isso, segundo o juiz, foi editada a Lei 10.674/2003 que em seu artigo 1º impõe a todos os produtos industrializados a conter em seu rótulo e bula, obrigatoriamente, as inscrições "contém Glúten" ou "não contém Glúten".
 
 “Nota-se que a lei não contraria o direito de informação, apenas o regulamenta tornando-o viável e exigível. Ora, a Lei, quando editada, previu essa invialibilidade de se informar de forma escrita, os alimentos que são servidos nos restaurantes”, registrou Zulinani, citando o caso dos pães.
 O juiz complementa ainda apontando que o CDC foi publicado para proteção do consumidor contra armadilhas do comércio e para equilíbrio das relações, tendo em vista a desvantagem natural. "Não foi escrito para superproteção do sujeito que assume riscos pela escolha quanto ao modo de ingerir alimentos de redes de restaurantes ou de comidas prontas, sendo que qualquer intervenção do Judiciário nos pratos feitos por chefes e cozinhas de alta escala estará afetando o ciclo natural do comércio e do próprio arbítrio do consumidor. Quem come uma esfirra de R$ 0,99 não quer saber se há glúten ou não nas matérias primas utilizadas”, concluiu.
 
 Na sentença, o juiz ainda criticou a associação que, segundo ele, subestima a inteligência das pessoas portadoras da doença. “Como se disse, o direito a informação possui limites, sem contar que essa informação, ainda mais para os doentes celíacos, já encontra-se absorvida e compreendida. A associação, ora requerente, subestima a inteligência dessas pessoas quando postula tal pedido.”
 
 ! 
 
 Acompanhe as novidades! @BiaginiAdvogado Antes de imprimir, pense em sua responsabilidade com o MEIO AMBIENTE BOLETIM INFORMATIVO | FEVEREIRO 2014 biagini@biagini.com.br ________________________ Este Boletim tem caráter meramente informativo, não devendo ser considerado opinião legal para quaisquer operação ou negócio específicos. © 2014 Direitos Autorais reservados à Biagini Advogados. www.biagini.com.br Boletim Informativo | Biagini Advogados 3 "