SlideShare uma empresa Scribd logo
Grazia.tanta@gmail.com 20/5/2022 3
As desigualdades provenientes da demografia na UE
Os últimos 26 anos (1995/2021) mostram as enormes desigualdades da dinâmica
demográfica na Europa comunitária. Essas desigualdades mostram o natural fracasso
das políticas de igualização na vida e no bem-estar dos europeus e das políticas ditas
de coesão social, por parte das oligarquias partidárias no poder, fiéis respeitadoras dos
interesses do capital, mormente de perfil financeiro.
Essas desigualdades, perante a atonia do que se chama “esquerda” e, a miscigenação
cultural das sociedades atuais favorecem narrativas racistas e fascistas, deixando para o
esquecimento os atentados de origem jihadista, dominantes até há poucos anos. Os
grupos fascistas e racistas são um produto interno na UE e nos EUA, com um
sedimento próprio e, bem integrado no sistema político da Ucrânia, como se vem a
assistir.
Neste documento, são consideradas apenas as situações e as dinâmicas demográficas
no contexto da UE.
No primeiro período considerado (1995/2010), destaca-se o enorme crescimento
demográfico da Espanha1
, seguindo-se-lhe a França com mais 356 mil habitantes e a
Itália com um acréscimo de 156000 pessoas. A crise financeira que desabou sobre os
povos veio a acentuar as desigualdades que, naturalmente, conduziram a movimentos
de emigração, da constituição de bolsas de pessoas vindas de áreas periféricas da
Europa (Leste, Balcãs e Portugal), como da Ásia, da África, da América Latina, com o
caudal de xenofobias e racismos, de grupos fascistas, mais ou menos explícitos, como o
Chega português, o Vox espanhol, o AfD alemão, a consagrada LePen e outras
pestíferas entidades; … cujas diferenças face aos grupos tradicionais de recorte
democrata-cristão, liberal ou social-democrata são, verdadeiros infinitésimos.
No período seguinte (2010/2021), o acréscimo populacional espanhol é muito inferior
ao observado no período anterior (83000 pessoas por ano); e, os maiores volumes de
crescimento demográfico registam-se em França (273 mil, inferior ao período anterior),
na Alemanha (123 mil muito acima dos parcos 18 mil anuais registados em 2010),
seguidos da Suécia (94 mil), da Espanha, dos Países Baixos e outros.
1
Em 1990/2019 o volume de imigrantes registados em Espanha passou de 822 mil para 6,1 milhões,
enquanto os autóctones cresceram apenas três milhões https://grazia-
tanta.blogspot.com/2020/07/desigualdades-na-dinamica-demografica.html
Grazia.tanta@gmail.com 20/5/2022 3
São onze os países com evolução demográfica positiva e crescente, entre os períodos
considerados; para além dos atrás referidos, salientamos a Bélgica, a Áustria, a
Dinamarca e a Rep. Checa. Quanto aos casos de redução dos excedentes populacionais
entre os dois períodos, salientamos, pelo seu volume, a Espanha, a Itália, a França e,
numa escala menor, a Irlanda.
Entre os países com saldos demográficos negativos nos dois períodos - potenciais
fornecedores de mão-de-obra barata para terceiros2
- sublinhem-se, pela sua
dimensão, a Roménia e a Bulgária, para além da Croácia, da Hungria, da Letónia, da
Lituânia e da Polónia. Em onze anos, aqueles países perderam quase três milhões de
habitantes, um terço dos quais na Roménia e na Bulgária; isto é, nos dois últimos
países, mais de 10% da sua população conjunta, em 2010 (cerca de 27 milhões).
É bem evidente que a pujança económica da UE tem um centro tradicional, da França à
Escandinávia, incluindo a Irlanda e, ligado, a zonas intermédias de desenvolvimento
capitalista, como Espanha e Itália, por exemplo. Tudo o mais constitui um leque de
bolsas de recrutamento de mão-de-obra barata (in situ ou emigrada), num contexto de
acirrada concorrência com gente do Próximo e Médio Oriente, de África ou, da América
Latina, zonas acossadas pela desestruturação económica e social, pelos conflitos
armados, próprios das zonas periféricas do capital global; pelo saque e a brutalidade
dos governos, mesmo que se demonstrem como democratas, lá porque realizam
eleições. Estamos longe, portanto, das intenções de homogeneização, desenvolvimento
regional integrado, de bem-estar, definidas oficialmente por todos os gangs
partidários, de burocratas incapazes que se vêm sucedendo nas instituições da UE. A
atual e profunda subalternidade dos burocratas nacionais europeus face aos EUA, a
aceitação canina das ações levadas a cabo por aquele país, apresentam elementos
claros de uma postura colonial por parte dos EUA; estes, claramente mais afastados de
uma forte influência no Oriente, aproveitam-se da fragilidade política dos burocratas
europeus, gestores de populações tendencialmente envelhecidas e conservadoras.
As reduções de população apenas no período 2010/21 registam-se em dois países;
curiosamente dos mais atingidos pelas medidas das troikas – Grécia e Portugal que,
naquele período terão perdido, respetivamente, 440000 e 250000 habitantes. No caso
português, a redução populacional ocorre no seguimento da atuação de dois gangs de
criminosos – PSD e PS – respetivamente dirigidos por dois vermes de nome Passos
Coelho e António Costa.
Como se pode observar no gráfico seguinte, na comparação da evolução registada
entre os dois períodos analisados, há várias situações:
2
Sem que daí se possa inferir uma não chegada de imigrantes, vindos de África, da América Latina ou do
sul da Ásia, destinados aos trabalhos mais duros e mais mal pagos, com menos acesso a direitos.
Grazia.tanta@gmail.com 20/5/2022 3
» situações de crescimento populacional positivo e ascendente nos dois períodos:
Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Luxemburgo,
Malta, Rep. Checa e Suécia;
» situações de crescimento populacional positivo mas descendente entre os dois períodos:
Chipre, Espanha, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Países Baixos e UE
» situações de decrescimento populacional, aliviado entre os dois períodos:
Bulgária, Estónia, Letónia, Polónia e Roménia
» situações de decrescimento populacional, agravado entre os dois períodos:
Croácia, Hungria, Lituânia
» países com passagem direta de crescimento a decrescimento populacional, entre os dois
períodos:
Grécia e Portugal3
- - - - -
Este e outros textos em;
http://grazia-tanta.blogspot.com/
https://pt.scribd.com/uploads
http://www.slideshare.net/durgarrai/documents
3
Com os nossos “agradecimentos” a Passos, a Costa e aos seus gangs de imbecis e malfeitores

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a As desigualdades provenientes da demografia na Europa

Europa e Europeus - Diáspora (2018/2019)
Europa e Europeus - Diáspora (2018/2019)Europa e Europeus - Diáspora (2018/2019)
Europa e Europeus - Diáspora (2018/2019)
Carlos Ribeiro Medeiros
 
A uniao europeia diante do avanco da extrema direita e da extrema esquerda
A uniao europeia diante do avanco da extrema direita e da extrema esquerdaA uniao europeia diante do avanco da extrema direita e da extrema esquerda
A uniao europeia diante do avanco da extrema direita e da extrema esquerda
Roberto Rabat Chame
 
A união europeia diante do avanço da extrema direita e da extrema esquerda
A união europeia diante do avanço da extrema direita e da extrema esquerdaA união europeia diante do avanço da extrema direita e da extrema esquerda
A união europeia diante do avanço da extrema direita e da extrema esquerda
Fernando Alcoforado
 
Desigualdades na dinâmica demográfica na Península Ibérica (1990/2019)
Desigualdades na dinâmica demográfica na Península Ibérica (1990/2019)Desigualdades na dinâmica demográfica na Península Ibérica (1990/2019)
Desigualdades na dinâmica demográfica na Península Ibérica (1990/2019)
GRAZIA TANTA
 
Os governos do pt de lula e dilma rousseff não são progressistas
Os governos do pt de lula e dilma rousseff não são progressistasOs governos do pt de lula e dilma rousseff não são progressistas
Os governos do pt de lula e dilma rousseff não são progressistas
Fernando Alcoforado
 
O ‘projeto’ UE e a democracia de plástico
O ‘projeto’ UE e a democracia de plásticoO ‘projeto’ UE e a democracia de plástico
O ‘projeto’ UE e a democracia de plástico
GRAZIA TANTA
 
A Grécia, o Syriza e a esquerda menor portuguesa
A Grécia, o Syriza e a esquerda menor portuguesaA Grécia, o Syriza e a esquerda menor portuguesa
A Grécia, o Syriza e a esquerda menor portuguesa
GRAZIA TANTA
 
1606 centro e periferias na europa 2- - portugal, um desastre periférico
1606   centro e periferias na europa  2- - portugal, um desastre periférico1606   centro e periferias na europa  2- - portugal, um desastre periférico
1606 centro e periferias na europa 2- - portugal, um desastre periférico
GRAZIA TANTA
 
Centro e periferias na europa – a dinâmica das desigualdades desde 1990 (1)
Centro e periferias na europa – a dinâmica das desigualdades desde 1990 (1)Centro e periferias na europa – a dinâmica das desigualdades desde 1990 (1)
Centro e periferias na europa – a dinâmica das desigualdades desde 1990 (1)
GRAZIA TANTA
 
GlobalizaçAo
GlobalizaçAoGlobalizaçAo
GlobalizaçAo
Formação FURB
 
Bss entrevista istoé
Bss entrevista istoéBss entrevista istoé
Bss entrevista istoé
jlexeni
 
Texto 2- 2ºBimestre
Texto 2- 2ºBimestreTexto 2- 2ºBimestre
Texto 2- 2ºBimestre
Douglas Otavio de Moraees
 
Resolução de questões Geografia (ufpr, ufsm, ufsc)
Resolução de questões Geografia (ufpr, ufsm, ufsc)Resolução de questões Geografia (ufpr, ufsm, ufsc)
Resolução de questões Geografia (ufpr, ufsm, ufsc)
aroudus
 
N aula desigualdade
N aula desigualdadeN aula desigualdade
N aula desigualdade
Péricles Penuel
 
Fernandes, florestan [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
Fernandes, florestan   [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latinaFernandes, florestan   [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
Fernandes, florestan [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
Daylson Lima
 
Ordem mundial
Ordem mundialOrdem mundial
Ordem mundial
Lucas Januzzi
 
MigraçõEs Causadas Pelas AlteraçõEs ClimáTicas
MigraçõEs Causadas Pelas AlteraçõEs ClimáTicasMigraçõEs Causadas Pelas AlteraçõEs ClimáTicas
MigraçõEs Causadas Pelas AlteraçõEs ClimáTicas
guest39a281
 
A União Europeia de 1986 a 2017
A União Europeia de 1986 a 2017A União Europeia de 1986 a 2017
A União Europeia de 1986 a 2017
Idalina Leite
 
A decrepitude periférica
A decrepitude periféricaA decrepitude periférica
A decrepitude periférica
GRAZIA TANTA
 
O projeto UE. Desvalorização interna, o euro e os novos Viriatos
O projeto UE. Desvalorização interna, o euro e os novos ViriatosO projeto UE. Desvalorização interna, o euro e os novos Viriatos
O projeto UE. Desvalorização interna, o euro e os novos Viriatos
GRAZIA TANTA
 

Semelhante a As desigualdades provenientes da demografia na Europa (20)

Europa e Europeus - Diáspora (2018/2019)
Europa e Europeus - Diáspora (2018/2019)Europa e Europeus - Diáspora (2018/2019)
Europa e Europeus - Diáspora (2018/2019)
 
A uniao europeia diante do avanco da extrema direita e da extrema esquerda
A uniao europeia diante do avanco da extrema direita e da extrema esquerdaA uniao europeia diante do avanco da extrema direita e da extrema esquerda
A uniao europeia diante do avanco da extrema direita e da extrema esquerda
 
A união europeia diante do avanço da extrema direita e da extrema esquerda
A união europeia diante do avanço da extrema direita e da extrema esquerdaA união europeia diante do avanço da extrema direita e da extrema esquerda
A união europeia diante do avanço da extrema direita e da extrema esquerda
 
Desigualdades na dinâmica demográfica na Península Ibérica (1990/2019)
Desigualdades na dinâmica demográfica na Península Ibérica (1990/2019)Desigualdades na dinâmica demográfica na Península Ibérica (1990/2019)
Desigualdades na dinâmica demográfica na Península Ibérica (1990/2019)
 
Os governos do pt de lula e dilma rousseff não são progressistas
Os governos do pt de lula e dilma rousseff não são progressistasOs governos do pt de lula e dilma rousseff não são progressistas
Os governos do pt de lula e dilma rousseff não são progressistas
 
O ‘projeto’ UE e a democracia de plástico
O ‘projeto’ UE e a democracia de plásticoO ‘projeto’ UE e a democracia de plástico
O ‘projeto’ UE e a democracia de plástico
 
A Grécia, o Syriza e a esquerda menor portuguesa
A Grécia, o Syriza e a esquerda menor portuguesaA Grécia, o Syriza e a esquerda menor portuguesa
A Grécia, o Syriza e a esquerda menor portuguesa
 
1606 centro e periferias na europa 2- - portugal, um desastre periférico
1606   centro e periferias na europa  2- - portugal, um desastre periférico1606   centro e periferias na europa  2- - portugal, um desastre periférico
1606 centro e periferias na europa 2- - portugal, um desastre periférico
 
Centro e periferias na europa – a dinâmica das desigualdades desde 1990 (1)
Centro e periferias na europa – a dinâmica das desigualdades desde 1990 (1)Centro e periferias na europa – a dinâmica das desigualdades desde 1990 (1)
Centro e periferias na europa – a dinâmica das desigualdades desde 1990 (1)
 
GlobalizaçAo
GlobalizaçAoGlobalizaçAo
GlobalizaçAo
 
Bss entrevista istoé
Bss entrevista istoéBss entrevista istoé
Bss entrevista istoé
 
Texto 2- 2ºBimestre
Texto 2- 2ºBimestreTexto 2- 2ºBimestre
Texto 2- 2ºBimestre
 
Resolução de questões Geografia (ufpr, ufsm, ufsc)
Resolução de questões Geografia (ufpr, ufsm, ufsc)Resolução de questões Geografia (ufpr, ufsm, ufsc)
Resolução de questões Geografia (ufpr, ufsm, ufsc)
 
N aula desigualdade
N aula desigualdadeN aula desigualdade
N aula desigualdade
 
Fernandes, florestan [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
Fernandes, florestan   [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latinaFernandes, florestan   [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
Fernandes, florestan [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
 
Ordem mundial
Ordem mundialOrdem mundial
Ordem mundial
 
MigraçõEs Causadas Pelas AlteraçõEs ClimáTicas
MigraçõEs Causadas Pelas AlteraçõEs ClimáTicasMigraçõEs Causadas Pelas AlteraçõEs ClimáTicas
MigraçõEs Causadas Pelas AlteraçõEs ClimáTicas
 
A União Europeia de 1986 a 2017
A União Europeia de 1986 a 2017A União Europeia de 1986 a 2017
A União Europeia de 1986 a 2017
 
A decrepitude periférica
A decrepitude periféricaA decrepitude periférica
A decrepitude periférica
 
O projeto UE. Desvalorização interna, o euro e os novos Viriatos
O projeto UE. Desvalorização interna, o euro e os novos ViriatosO projeto UE. Desvalorização interna, o euro e os novos Viriatos
O projeto UE. Desvalorização interna, o euro e os novos Viriatos
 

Mais de GRAZIA TANTA

Ucrânia – Uma realidade pobre e volátil.pdf
Ucrânia – Uma realidade pobre e volátil.pdfUcrânia – Uma realidade pobre e volátil.pdf
Ucrânia – Uma realidade pobre e volátil.pdf
GRAZIA TANTA
 
As desigualdades entre mais pobres e menos pobres.doc
As desigualdades entre mais pobres e menos pobres.docAs desigualdades entre mais pobres e menos pobres.doc
As desigualdades entre mais pobres e menos pobres.doc
GRAZIA TANTA
 
Balofas palavras em dia de fuga para as praias.pdf
Balofas palavras em dia de fuga para as praias.pdfBalofas palavras em dia de fuga para as praias.pdf
Balofas palavras em dia de fuga para as praias.pdf
GRAZIA TANTA
 
As balas da guerra parecem beliscar pouco as transações de energia.pdf
As balas da guerra parecem beliscar pouco as transações de energia.pdfAs balas da guerra parecem beliscar pouco as transações de energia.pdf
As balas da guerra parecem beliscar pouco as transações de energia.pdf
GRAZIA TANTA
 
União Europeia – diferenciações nos dinamismos sectoriais.pdf
União Europeia – diferenciações nos dinamismos sectoriais.pdfUnião Europeia – diferenciações nos dinamismos sectoriais.pdf
União Europeia – diferenciações nos dinamismos sectoriais.pdf
GRAZIA TANTA
 
A BideNato flight over
A BideNato flight overA BideNato flight over
A BideNato flight over
GRAZIA TANTA
 
Um sobrevoo do BideNato.pdf
Um sobrevoo do BideNato.pdfUm sobrevoo do BideNato.pdf
Um sobrevoo do BideNato.pdf
GRAZIA TANTA
 
NATO in the wake of Hitler - Drang nach Osten.pdf
NATO in the wake of Hitler - Drang nach Osten.pdfNATO in the wake of Hitler - Drang nach Osten.pdf
NATO in the wake of Hitler - Drang nach Osten.pdf
GRAZIA TANTA
 
USA – A huge danger to Humanity.pdf
USA – A huge danger to Humanity.pdfUSA – A huge danger to Humanity.pdf
USA – A huge danger to Humanity.pdf
GRAZIA TANTA
 
EUA – Um perigo enorme para a Humanidade.pdf
EUA – Um perigo enorme para a Humanidade.pdfEUA – Um perigo enorme para a Humanidade.pdf
EUA – Um perigo enorme para a Humanidade.pdf
GRAZIA TANTA
 
A NATO na senda de Hitler – Drang nach Osten.pdf
A NATO na senda de Hitler – Drang nach Osten.pdfA NATO na senda de Hitler – Drang nach Osten.pdf
A NATO na senda de Hitler – Drang nach Osten.pdf
GRAZIA TANTA
 
Nato, Ucrânia e a menoridade política dos chefes da UE
Nato, Ucrânia e a menoridade política dos chefes da UENato, Ucrânia e a menoridade política dos chefes da UE
Nato, Ucrânia e a menoridade política dos chefes da UE
GRAZIA TANTA
 
Speculative electricity prices in the EU
Speculative electricity prices in the EUSpeculative electricity prices in the EU
Speculative electricity prices in the EU
GRAZIA TANTA
 
Eleições em portugal o assalto à marmita
Eleições em portugal   o assalto à marmitaEleições em portugal   o assalto à marmita
Eleições em portugal o assalto à marmita
GRAZIA TANTA
 
Os especulativos preços da energia elétrica na ue
Os especulativos preços da energia elétrica na ueOs especulativos preços da energia elétrica na ue
Os especulativos preços da energia elétrica na ue
GRAZIA TANTA
 
Human beings, servants of the financial system
Human beings, servants of the financial systemHuman beings, servants of the financial system
Human beings, servants of the financial system
GRAZIA TANTA
 
Seres humanos, servos do sistema financeiro
Seres humanos, servos do sistema financeiroSeres humanos, servos do sistema financeiro
Seres humanos, servos do sistema financeiro
GRAZIA TANTA
 
Textos de circunstância - 10
Textos de circunstância  - 10Textos de circunstância  - 10
Textos de circunstância - 10
GRAZIA TANTA
 
Glasgow – guinness mugs on the loose
Glasgow – guinness mugs on the looseGlasgow – guinness mugs on the loose
Glasgow – guinness mugs on the loose
GRAZIA TANTA
 
As canecas de guiness e os co pos à solta
As canecas de guiness e os co pos à soltaAs canecas de guiness e os co pos à solta
As canecas de guiness e os co pos à solta
GRAZIA TANTA
 

Mais de GRAZIA TANTA (20)

Ucrânia – Uma realidade pobre e volátil.pdf
Ucrânia – Uma realidade pobre e volátil.pdfUcrânia – Uma realidade pobre e volátil.pdf
Ucrânia – Uma realidade pobre e volátil.pdf
 
As desigualdades entre mais pobres e menos pobres.doc
As desigualdades entre mais pobres e menos pobres.docAs desigualdades entre mais pobres e menos pobres.doc
As desigualdades entre mais pobres e menos pobres.doc
 
Balofas palavras em dia de fuga para as praias.pdf
Balofas palavras em dia de fuga para as praias.pdfBalofas palavras em dia de fuga para as praias.pdf
Balofas palavras em dia de fuga para as praias.pdf
 
As balas da guerra parecem beliscar pouco as transações de energia.pdf
As balas da guerra parecem beliscar pouco as transações de energia.pdfAs balas da guerra parecem beliscar pouco as transações de energia.pdf
As balas da guerra parecem beliscar pouco as transações de energia.pdf
 
União Europeia – diferenciações nos dinamismos sectoriais.pdf
União Europeia – diferenciações nos dinamismos sectoriais.pdfUnião Europeia – diferenciações nos dinamismos sectoriais.pdf
União Europeia – diferenciações nos dinamismos sectoriais.pdf
 
A BideNato flight over
A BideNato flight overA BideNato flight over
A BideNato flight over
 
Um sobrevoo do BideNato.pdf
Um sobrevoo do BideNato.pdfUm sobrevoo do BideNato.pdf
Um sobrevoo do BideNato.pdf
 
NATO in the wake of Hitler - Drang nach Osten.pdf
NATO in the wake of Hitler - Drang nach Osten.pdfNATO in the wake of Hitler - Drang nach Osten.pdf
NATO in the wake of Hitler - Drang nach Osten.pdf
 
USA – A huge danger to Humanity.pdf
USA – A huge danger to Humanity.pdfUSA – A huge danger to Humanity.pdf
USA – A huge danger to Humanity.pdf
 
EUA – Um perigo enorme para a Humanidade.pdf
EUA – Um perigo enorme para a Humanidade.pdfEUA – Um perigo enorme para a Humanidade.pdf
EUA – Um perigo enorme para a Humanidade.pdf
 
A NATO na senda de Hitler – Drang nach Osten.pdf
A NATO na senda de Hitler – Drang nach Osten.pdfA NATO na senda de Hitler – Drang nach Osten.pdf
A NATO na senda de Hitler – Drang nach Osten.pdf
 
Nato, Ucrânia e a menoridade política dos chefes da UE
Nato, Ucrânia e a menoridade política dos chefes da UENato, Ucrânia e a menoridade política dos chefes da UE
Nato, Ucrânia e a menoridade política dos chefes da UE
 
Speculative electricity prices in the EU
Speculative electricity prices in the EUSpeculative electricity prices in the EU
Speculative electricity prices in the EU
 
Eleições em portugal o assalto à marmita
Eleições em portugal   o assalto à marmitaEleições em portugal   o assalto à marmita
Eleições em portugal o assalto à marmita
 
Os especulativos preços da energia elétrica na ue
Os especulativos preços da energia elétrica na ueOs especulativos preços da energia elétrica na ue
Os especulativos preços da energia elétrica na ue
 
Human beings, servants of the financial system
Human beings, servants of the financial systemHuman beings, servants of the financial system
Human beings, servants of the financial system
 
Seres humanos, servos do sistema financeiro
Seres humanos, servos do sistema financeiroSeres humanos, servos do sistema financeiro
Seres humanos, servos do sistema financeiro
 
Textos de circunstância - 10
Textos de circunstância  - 10Textos de circunstância  - 10
Textos de circunstância - 10
 
Glasgow – guinness mugs on the loose
Glasgow – guinness mugs on the looseGlasgow – guinness mugs on the loose
Glasgow – guinness mugs on the loose
 
As canecas de guiness e os co pos à solta
As canecas de guiness e os co pos à soltaAs canecas de guiness e os co pos à solta
As canecas de guiness e os co pos à solta
 

As desigualdades provenientes da demografia na Europa

  • 1. Grazia.tanta@gmail.com 20/5/2022 3 As desigualdades provenientes da demografia na UE Os últimos 26 anos (1995/2021) mostram as enormes desigualdades da dinâmica demográfica na Europa comunitária. Essas desigualdades mostram o natural fracasso das políticas de igualização na vida e no bem-estar dos europeus e das políticas ditas de coesão social, por parte das oligarquias partidárias no poder, fiéis respeitadoras dos interesses do capital, mormente de perfil financeiro. Essas desigualdades, perante a atonia do que se chama “esquerda” e, a miscigenação cultural das sociedades atuais favorecem narrativas racistas e fascistas, deixando para o esquecimento os atentados de origem jihadista, dominantes até há poucos anos. Os grupos fascistas e racistas são um produto interno na UE e nos EUA, com um sedimento próprio e, bem integrado no sistema político da Ucrânia, como se vem a assistir. Neste documento, são consideradas apenas as situações e as dinâmicas demográficas no contexto da UE. No primeiro período considerado (1995/2010), destaca-se o enorme crescimento demográfico da Espanha1 , seguindo-se-lhe a França com mais 356 mil habitantes e a Itália com um acréscimo de 156000 pessoas. A crise financeira que desabou sobre os povos veio a acentuar as desigualdades que, naturalmente, conduziram a movimentos de emigração, da constituição de bolsas de pessoas vindas de áreas periféricas da Europa (Leste, Balcãs e Portugal), como da Ásia, da África, da América Latina, com o caudal de xenofobias e racismos, de grupos fascistas, mais ou menos explícitos, como o Chega português, o Vox espanhol, o AfD alemão, a consagrada LePen e outras pestíferas entidades; … cujas diferenças face aos grupos tradicionais de recorte democrata-cristão, liberal ou social-democrata são, verdadeiros infinitésimos. No período seguinte (2010/2021), o acréscimo populacional espanhol é muito inferior ao observado no período anterior (83000 pessoas por ano); e, os maiores volumes de crescimento demográfico registam-se em França (273 mil, inferior ao período anterior), na Alemanha (123 mil muito acima dos parcos 18 mil anuais registados em 2010), seguidos da Suécia (94 mil), da Espanha, dos Países Baixos e outros. 1 Em 1990/2019 o volume de imigrantes registados em Espanha passou de 822 mil para 6,1 milhões, enquanto os autóctones cresceram apenas três milhões https://grazia- tanta.blogspot.com/2020/07/desigualdades-na-dinamica-demografica.html
  • 2. Grazia.tanta@gmail.com 20/5/2022 3 São onze os países com evolução demográfica positiva e crescente, entre os períodos considerados; para além dos atrás referidos, salientamos a Bélgica, a Áustria, a Dinamarca e a Rep. Checa. Quanto aos casos de redução dos excedentes populacionais entre os dois períodos, salientamos, pelo seu volume, a Espanha, a Itália, a França e, numa escala menor, a Irlanda. Entre os países com saldos demográficos negativos nos dois períodos - potenciais fornecedores de mão-de-obra barata para terceiros2 - sublinhem-se, pela sua dimensão, a Roménia e a Bulgária, para além da Croácia, da Hungria, da Letónia, da Lituânia e da Polónia. Em onze anos, aqueles países perderam quase três milhões de habitantes, um terço dos quais na Roménia e na Bulgária; isto é, nos dois últimos países, mais de 10% da sua população conjunta, em 2010 (cerca de 27 milhões). É bem evidente que a pujança económica da UE tem um centro tradicional, da França à Escandinávia, incluindo a Irlanda e, ligado, a zonas intermédias de desenvolvimento capitalista, como Espanha e Itália, por exemplo. Tudo o mais constitui um leque de bolsas de recrutamento de mão-de-obra barata (in situ ou emigrada), num contexto de acirrada concorrência com gente do Próximo e Médio Oriente, de África ou, da América Latina, zonas acossadas pela desestruturação económica e social, pelos conflitos armados, próprios das zonas periféricas do capital global; pelo saque e a brutalidade dos governos, mesmo que se demonstrem como democratas, lá porque realizam eleições. Estamos longe, portanto, das intenções de homogeneização, desenvolvimento regional integrado, de bem-estar, definidas oficialmente por todos os gangs partidários, de burocratas incapazes que se vêm sucedendo nas instituições da UE. A atual e profunda subalternidade dos burocratas nacionais europeus face aos EUA, a aceitação canina das ações levadas a cabo por aquele país, apresentam elementos claros de uma postura colonial por parte dos EUA; estes, claramente mais afastados de uma forte influência no Oriente, aproveitam-se da fragilidade política dos burocratas europeus, gestores de populações tendencialmente envelhecidas e conservadoras. As reduções de população apenas no período 2010/21 registam-se em dois países; curiosamente dos mais atingidos pelas medidas das troikas – Grécia e Portugal que, naquele período terão perdido, respetivamente, 440000 e 250000 habitantes. No caso português, a redução populacional ocorre no seguimento da atuação de dois gangs de criminosos – PSD e PS – respetivamente dirigidos por dois vermes de nome Passos Coelho e António Costa. Como se pode observar no gráfico seguinte, na comparação da evolução registada entre os dois períodos analisados, há várias situações: 2 Sem que daí se possa inferir uma não chegada de imigrantes, vindos de África, da América Latina ou do sul da Ásia, destinados aos trabalhos mais duros e mais mal pagos, com menos acesso a direitos.
  • 3. Grazia.tanta@gmail.com 20/5/2022 3 » situações de crescimento populacional positivo e ascendente nos dois períodos: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Luxemburgo, Malta, Rep. Checa e Suécia; » situações de crescimento populacional positivo mas descendente entre os dois períodos: Chipre, Espanha, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Países Baixos e UE » situações de decrescimento populacional, aliviado entre os dois períodos: Bulgária, Estónia, Letónia, Polónia e Roménia » situações de decrescimento populacional, agravado entre os dois períodos: Croácia, Hungria, Lituânia » países com passagem direta de crescimento a decrescimento populacional, entre os dois períodos: Grécia e Portugal3 - - - - - Este e outros textos em; http://grazia-tanta.blogspot.com/ https://pt.scribd.com/uploads http://www.slideshare.net/durgarrai/documents 3 Com os nossos “agradecimentos” a Passos, a Costa e aos seus gangs de imbecis e malfeitores