SlideShare uma empresa Scribd logo
REVISTA EXIT® 28ª edição “Da Inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável” Jan-
Dec 2012


                                                                        Artigo Actualidade: “Investimento
                                                                        Social no Reino Unido – Uma
                                                                        viagem com destino
                                                                        desconhecido”, Neil Reeder, Fellow
                                                                        at Young Foundation & Founder of
                                                                        Heart &and Heart Economics
                                                                        (London, UK)




Desde Maio de 2010, altura em que a coligação de Conservadores/ Liberais Democratas chegou ao
poder no Reino Unido, têm havido tentativas enérgicas para fazer cortes na despesa pública. Em
simultâneo, o novo governo foi perspicaz ao focar-se mais nos “resultados” das suas políticas de
aquisições, passando a efectuar contractos que premeiam o sucesso no cumprimento dos objectivos,
restringindo o financiamento se estes não forem alcançados.

O investimento social – com a sua combinação de retorno social e financeiro para os investidores – tem
atraído muito interesse neste novo contexto político. Está a aumentar a oferta de uma série de produtos
financeiros sociais, dos empréstimos com taxas de juro reduzidas a taxas sub-comerciais, passando por
produtos mais arriscados que mimetizam o valor.

Claramente, há um grande interesse entre os fornecedores pelo investimento social. Tal é visto como
um caminho para alcançar a melhor sociedade que as empresas sociais e os empreendedores sociais tão
apaixonadamente desejam ver. Tal como com os fundos ”up-front”, os empreendedores vêem um
bónus extra num risco mais baixo percepcionado da “interferência” na forma como operam.

Ainda assim, o mercado do investimento social é pequeno e dominado por poucos e grandes players.

O “Lightning The Touchpaper”, um relatório de 2011 da autoria da Young Foundation e do Boston
Consulting Group sobre uma perspectiva global do mercado do investimento social no Reino Unido,
reportou uma escala total de 165 milhões de libras de investimento em 2010, dominado por um


Revista EXIT® 28ª Jan-Dez 2012 “Da inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável”   1
empréstimo assegurado por 4 bancos sociais. Deste montante, apenas 5% foram categorizados como
capital próprio ou equiparados a capital próprio.

Um outro relatório de 2011 realizado pela Young Foundation – o “Growing Interest”, centrado no
investimento social nos serviços para jovens – concluiu que menos de 1 em 10 organizações no sector
estava preparada para o investimento social. Ainda assim, estas organizações estavam apenas
preparadas para contractos equivalentes a uma pequena proporção da sua facturação.




O que pode ser feito, então?




Um fundo pioneiro importante para a divulgação do papel do investimento social foi o Big Society
Finance Fund, estabelecido pela NESTA em 2010. O seu objectivo passou por apoiar produtos de
investimento inovadores, apresentando as várias possibilidades a um leque mais vasto de financiadores,
bem como as acções em destaque que os decisores poderiam executar para melhorar as perspectivas
para a sua agenda.

O fundo da NESTA apoiou finalmente 20 projectos-piloto, incluindo:

    •   “Abundance” – um programa de investimento de “finança democrática”, permitindo às
        comunidades e ao público em geral investir no domínio da energia renovável;
    •   O programa “Charity Bank Medium Term Note” – um regime de obrigações para denominações
        de 25 mil libras e montantes usados para apoiar grandes instituições de solidariedade e
        empresas sociais, organizado pela Investing for Good;
    •   O fundo “Social Impact Co-Investment”. Este irá providenciar, em primeiro lugar, empréstimos
        entre 25 mil libras e 10 mil libras para capacitar empresas. Este fundo irá encorajar a
        participação activa de “business angels” que tragam consigo competências, experiência e
        contactos para o negócio.




Um dos outros planos que atraíram interesse foi o “London Partnership”, uma empresa de interesse
comunitário, projectada para reduzir os maus resultados entre aqueles que estão a enfrentar a exclusão
social, trazendo pessoal de várias organizações, incluindo o Departamento de Saúde, as autoridades
locais e o Serviço Nacional de Saúde.



Revista EXIT® 28ª Jan-Dez 2012 “Da inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável”   2
O que é transversal a este conjunto de projectos é a diversidade de tipos de investimento social, bem
como a miríade de agendas nas quais esta abordagem pode ser aplicada – da educação ao apoio ao
emprego, dos cuidados de saúde à habitação social.

No entanto, como os relatórios “Lighting the Touchpaper” e “Growing Interest” esclarecem, os
investimentos-piloto e o mercado do investimento social estão ainda agora a dar os primeiros passos.

Ainda não conseguimos vislumbrar as elevadas taxas de retorno que trarão consigo grandes volumes de
financiamento do sector privado, bem como do investimento social. Os casos dos investimentos-piloto
da NESTA, tal como a experiência do plano Peterborough Social Impact Bond, onde as taxas máximas de
retorno foram estancadas, indicam que as taxas de retorno esperadas e disponíveis para investidores
sociais situam-se frequentemente abaixo das taxas de retorno comerciais.

Esta situação apresenta um desafio importante aos impacientes por grandes tranches de fundos
comerciais para entrar no mercado do investimento social. Por contraste, os investimentos-piloto
requerem particularmente financiadores que desejem arriscar, e ver taxas de retorno relativamente
baixas, mesmo depois de vários anos. O investimento social tende a não ser uma receita para um
sucesso retumbante.




O que mais precisa de acontecer?




Os governos têm um papel importante a desempenhar em determinar o crescimento do mercado do
investimento social. O “Strenghtening social innovation in Europe: funding and financing”, um relatório
que está a ser preparado sobre a Inovação Social na Europa, esboça ideias-chave de como a intervenção
pode fazer uma grande diferença – por um custo reduzido, comparativamente.

Uma destas intervenções é a chamada “Angel Networks” para empresas sociais (social ventures). Um
investidor “angel” é um indivíduo rico que providencia capital para uma “start-up”, habitualmente em
troca de dívida convertível ou capitais próprios. As redes de “business angels” permitem-lhes partilhar o
seu capital de investimento, mas estes são frequentemente constrangidos a investir em
empreendimentos sociais. O Fundo Europeu de Investimento pode, contudo, transformar a “paisagem
dos “social angels’”, mesmo com investimentos relativamente reduzidos, na ordem dos 5 a 10 milhões
de euros.




Revista EXIT® 28ª Jan-Dez 2012 “Da inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável”   3
Uma segunda maneira de fazer crescer o investimento social é, por intermédio do capital de
crescimento para empresas sociais, providenciar serviços públicos. Idealmente, haveria um Fundo de
Ideias, um Fundo de Protótipo, um Fundo de Implementação e um Fundo de Escala, alinhando recursos
de uma série de fontes, incluindo o Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e o Banco Europeu de
Investimento. Um plano de investimento como este providenciaria o capital de desenvolvimento que é
bastante necessário – agindo para assegurar que objectivos estratégicos mais amplos de construir
conhecimento, boa vontade e capacidade dentro do mercado do investimento social são cumpridos,
enquanto se reconhece que as perspectivas de retorno são incertas.

Um terceiro, e ainda mais importante papel, é o do cliente que paga pelos resultados. Para aceder a
investimento de capital social em taxas realistas, qualquer empresa social ou instituição de
solidariedade social necessita de um comprador inequívoco que possa – e vá – pagar pelos seus
serviços. A agenda de obrigações do impacto social tem sido relativamente lenta a fazer progressos,
apesar de muito interesse, em parte devido ao número relativamente reduzido de recursos que os
departamentos governamentais estão dispostos a gastar neste caminho, comparado com a abordagem
habitual de concessão de bolsas e de contratar por rendimento.

Ao mesmo tempo, os investidores precisam de melhorar a sua actuação. Pode ser uma transição difícil
mudar de uma abordagem através da qual o doador de bolsas específica os rendimentos, para uma
outra na qual os investidores sociais escrutinem a capacidade organizacional e a base do conhecimento
no alcance dos resultados. A capacidade de demonstrar impacto e valor é vital, e está a tornar-se ainda
mais importante. Os financiadores e os organismos profissionais têm um papel-chave a desempenhar,
não apenas forjando o consenso em avaliações de um resultado específico e benchmarks associados,
mas tornando também a análise de valor acrescentado bem mais fácil.

Os intermediários também podem desempenhar um papel importante apoiando uma capacidade
analítica mais forte. Ainda há um dilema do género “galinha e ovo”. Os intermediários não estão aptos
para desempenhar uma função de apoio a investimentos sociais sem financiar; os fornecedores não
estão aptos a pagar aos intermediários sem aceder aos recursos que o investimento social pode trazer.
Esta “infra-estrutura de mercado” geralmente não é monitorizada pelos governos – ao falhar essa
monitorização, é travada fortemente a capacidade para estruturar negociações apropriadas e oportunas
entre os investidores sociais e os riscos sociais.




Investimento social será um processo lento – e haverá algumas decepções



Revista EXIT® 28ª Jan-Dez 2012 “Da inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável”   4
A paixão de tantos empreendedores sociais e organizações de solidariedade social em fazer a diferença
junto dos mais necessitados não está posta em dúvida. O investimento social é uma ferramenta que
pode apoiá-los e as expectativas de crescimento no mercado são altas. De acordo com o relatório
“Lighting the Touchpaper”, 75% dos intermediários do fundo de investimento social planeiam expandir
os seus fundos em cerca de 35% ao ano, durante os próximos 3 anos. Isto equivale a um capital
adicional de 650 milhões de libras para o Reino Unido.

Em contrapartida, a análise da NESTA sugere que o desenvolvimento deste mercado não será rápido e é
provável que esta mudança dure uma década ou mais. Tal está mais em sintonia com a experiência de
obrigações de impacto social no Reino Unido, que demorou 18 meses a mudar de um plano para uma
mão cheia de projectos. As dificuldades técnicas nas métricas têm sido difíceis de ultrapassar; e a cultura
adversa ao risco nos serviços públicos, na qual as aquisições com base nos rendimentos são vistas como
uma melhor garantia, é ainda mais difícil de mudar.

Actualmente não é claro que visão irá vencer. Certamente há ainda expectativas muito diferentes entre
os players – vários no sector privado procuram um retorno elevado para um baixo risco, enquanto os
agentes do sector público querem um baixo retorno para os investidores e um risco elevado. Um
desfecho, no qual o investimento social não é uma panaceia, mas uma alavanca útil para uma
focalização maior nos resultados e um maior profissionalismo na análise, parece ser o mais provável.




Ler   versão    original   (EN)    e   completa     da    Revista   EXIT    28ª    edição    Jan-Dez    2012:
http://issuu.com/dianovaportugal/docs/exit_magazine_28_jandec2012_dianova




Revista EXIT® 28ª Jan-Dez 2012 “Da inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável”   5

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Guia de aprendizaje_semana1_word (1)
Guia de  aprendizaje_semana1_word (1)Guia de  aprendizaje_semana1_word (1)
Guia de aprendizaje_semana1_word (1)
Aura Cecilia Prieto Martinez
 
Depapepe one basic chord
Depapepe one basic chordDepapepe one basic chord
Depapepe one basic chord
penipumonyet
 
Ley general de educacion capitulo 2
Ley general de educacion capitulo 2Ley general de educacion capitulo 2
Ley general de educacion capitulo 2
lopsan19
 
Concurso migrantes na europa dianova 2013
Concurso migrantes na europa dianova 2013Concurso migrantes na europa dianova 2013
Concurso migrantes na europa dianova 2013
Dianova
 
Centro de Formaçao Dianova
Centro de Formaçao DianovaCentro de Formaçao Dianova
Centro de Formaçao DianovaDianova
 
matriz de memoria
 matriz de memoria matriz de memoria
matriz de memoria
lopsan19
 
Entroido09
Entroido09Entroido09
Entroido09
celesceles
 
credit seminor 2 - Copy
credit seminor 2 - Copycredit seminor 2 - Copy
credit seminor 2 - Copy
gireesh s
 
Ingratidão oficina g3 tablatura solo
Ingratidão oficina g3   tablatura soloIngratidão oficina g3   tablatura solo
Ingratidão oficina g3 tablatura sologuitarracompulsiva
 
Saima Noor - SAP HCM Certificate
Saima Noor - SAP HCM CertificateSaima Noor - SAP HCM Certificate
Saima Noor - SAP HCM CertificateSaima Shahid
 
Acuerdo 592
Acuerdo 592Acuerdo 592
Acuerdo 592
lopsan19
 
SEO para Ecommerce - Denis Andrade
SEO para Ecommerce - Denis AndradeSEO para Ecommerce - Denis Andrade
SEO para Ecommerce - Denis Andrade
Ecommerce School - Cursos de Ecommerce e Redes Sociais
 
Pariptra dt. 27-3-2012
Pariptra dt. 27-3-2012Pariptra dt. 27-3-2012
Pariptra dt. 27-3-2012
muljibhai
 
Mock-up Event Program
Mock-up Event ProgramMock-up Event Program
Mock-up Event Program
Jessica Van Ort
 
Los Grupos
Los GruposLos Grupos
Los Grupos
keibern17
 
Ladiesswim
LadiesswimLadiesswim
Ladiesswim
itsfortheladies
 
Artigo formação e educação caso dianova_2012
Artigo formação e educação caso dianova_2012Artigo formação e educação caso dianova_2012
Artigo formação e educação caso dianova_2012
Dianova
 
ESTRATEGIA BTL
ESTRATEGIA BTLESTRATEGIA BTL
ESTRATEGIA BTL
Gaby Castro
 

Destaque (20)

Guia de aprendizaje_semana1_word (1)
Guia de  aprendizaje_semana1_word (1)Guia de  aprendizaje_semana1_word (1)
Guia de aprendizaje_semana1_word (1)
 
Brenda moreno 9 c my diary
Brenda moreno 9 c my diaryBrenda moreno 9 c my diary
Brenda moreno 9 c my diary
 
Depapepe one basic chord
Depapepe one basic chordDepapepe one basic chord
Depapepe one basic chord
 
Ley general de educacion capitulo 2
Ley general de educacion capitulo 2Ley general de educacion capitulo 2
Ley general de educacion capitulo 2
 
Concurso migrantes na europa dianova 2013
Concurso migrantes na europa dianova 2013Concurso migrantes na europa dianova 2013
Concurso migrantes na europa dianova 2013
 
Centro de Formaçao Dianova
Centro de Formaçao DianovaCentro de Formaçao Dianova
Centro de Formaçao Dianova
 
matriz de memoria
 matriz de memoria matriz de memoria
matriz de memoria
 
Entroido09
Entroido09Entroido09
Entroido09
 
credit seminor 2 - Copy
credit seminor 2 - Copycredit seminor 2 - Copy
credit seminor 2 - Copy
 
Test1
Test1Test1
Test1
 
Ingratidão oficina g3 tablatura solo
Ingratidão oficina g3   tablatura soloIngratidão oficina g3   tablatura solo
Ingratidão oficina g3 tablatura solo
 
Saima Noor - SAP HCM Certificate
Saima Noor - SAP HCM CertificateSaima Noor - SAP HCM Certificate
Saima Noor - SAP HCM Certificate
 
Acuerdo 592
Acuerdo 592Acuerdo 592
Acuerdo 592
 
SEO para Ecommerce - Denis Andrade
SEO para Ecommerce - Denis AndradeSEO para Ecommerce - Denis Andrade
SEO para Ecommerce - Denis Andrade
 
Pariptra dt. 27-3-2012
Pariptra dt. 27-3-2012Pariptra dt. 27-3-2012
Pariptra dt. 27-3-2012
 
Mock-up Event Program
Mock-up Event ProgramMock-up Event Program
Mock-up Event Program
 
Los Grupos
Los GruposLos Grupos
Los Grupos
 
Ladiesswim
LadiesswimLadiesswim
Ladiesswim
 
Artigo formação e educação caso dianova_2012
Artigo formação e educação caso dianova_2012Artigo formação e educação caso dianova_2012
Artigo formação e educação caso dianova_2012
 
ESTRATEGIA BTL
ESTRATEGIA BTLESTRATEGIA BTL
ESTRATEGIA BTL
 

Semelhante a Artigo/ Tema Actualidade: Neil Reeder | Exit 28_2012 (pt)

Investimentos de Impacto - por Roberto Goldstajn.pdf
Investimentos de Impacto - por Roberto Goldstajn.pdfInvestimentos de Impacto - por Roberto Goldstajn.pdf
Investimentos de Impacto - por Roberto Goldstajn.pdf
Roberto Goldstajn
 
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Everton742248
 
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de FinanciamentoLuís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
João Tàtá dos Anjos
 
Dianova na Bolsa Valores Sociais
Dianova na Bolsa Valores SociaisDianova na Bolsa Valores Sociais
Dianova na Bolsa Valores Sociais
Dianova
 
ODS e captacão de recursos.pdf
ODS e captacão de recursos.pdfODS e captacão de recursos.pdf
ODS e captacão de recursos.pdf
Ana Carolina Pinheiro Carrenho
 
Filantropia e Investimentos Sociais
Filantropia e Investimentos SociaisFilantropia e Investimentos Sociais
Filantropia e Investimentos Sociais
Feliphe Pereira, CFP®
 
Guia metodolígico para franchising social
Guia metodolígico para franchising socialGuia metodolígico para franchising social
Guia metodolígico para franchising social
João Pedro Ferreira Silva
 
Artigo apresentado para congresso ENAPEGS
Artigo apresentado para congresso ENAPEGSArtigo apresentado para congresso ENAPEGS
Artigo apresentado para congresso ENAPEGS
Paula Bonazzi
 
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
IDIS
 
Modelos de atuação (business models) no novo contexto do investimento social
Modelos de atuação (business models) no novo contexto do investimento socialModelos de atuação (business models) no novo contexto do investimento social
Modelos de atuação (business models) no novo contexto do investimento social
Symnetics Business Transformation
 
Artigo/ Tema Actualidade: Nuno Delicado | Exit_28_2012 (pt)
Artigo/ Tema Actualidade: Nuno Delicado | Exit_28_2012 (pt)Artigo/ Tema Actualidade: Nuno Delicado | Exit_28_2012 (pt)
Artigo/ Tema Actualidade: Nuno Delicado | Exit_28_2012 (pt)
Dianova
 
Inovacao Social 2020 V2 210809
Inovacao Social 2020 V2 210809Inovacao Social 2020 V2 210809
Inovacao Social 2020 V2 210809
jsoffer
 
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
ExpoGestão
 
Exit 27 gestao_mudancaterceirosector
Exit 27 gestao_mudancaterceirosectorExit 27 gestao_mudancaterceirosector
Exit 27 gestao_mudancaterceirosector
Dianova
 
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no BrasilCenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
Rodrigo Alvarez
 
ANDE Impact Report
ANDE Impact ReportANDE Impact Report
ANDE Impact Report
Startupi
 
Responsabilidade Social
Responsabilidade SocialResponsabilidade Social
Responsabilidade Social
Patricia Melero
 
Carta de-principios-negócios-de-impacto-no-brasil
Carta de-principios-negócios-de-impacto-no-brasilCarta de-principios-negócios-de-impacto-no-brasil
Carta de-principios-negócios-de-impacto-no-brasil
fellowsocialgoodbrasil
 
ProtóTipo A
ProtóTipo AProtóTipo A
Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014
Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014
Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014
Rui Martins PR & Marketing Strategy
 

Semelhante a Artigo/ Tema Actualidade: Neil Reeder | Exit 28_2012 (pt) (20)

Investimentos de Impacto - por Roberto Goldstajn.pdf
Investimentos de Impacto - por Roberto Goldstajn.pdfInvestimentos de Impacto - por Roberto Goldstajn.pdf
Investimentos de Impacto - por Roberto Goldstajn.pdf
 
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
Da Experiência, Um Método - Manual de Sistematização de Jornada Integral para...
 
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de FinanciamentoLuís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
Luís Jerónimo - Definir Necessidades e Estrategia de Financiamento
 
Dianova na Bolsa Valores Sociais
Dianova na Bolsa Valores SociaisDianova na Bolsa Valores Sociais
Dianova na Bolsa Valores Sociais
 
ODS e captacão de recursos.pdf
ODS e captacão de recursos.pdfODS e captacão de recursos.pdf
ODS e captacão de recursos.pdf
 
Filantropia e Investimentos Sociais
Filantropia e Investimentos SociaisFilantropia e Investimentos Sociais
Filantropia e Investimentos Sociais
 
Guia metodolígico para franchising social
Guia metodolígico para franchising socialGuia metodolígico para franchising social
Guia metodolígico para franchising social
 
Artigo apresentado para congresso ENAPEGS
Artigo apresentado para congresso ENAPEGSArtigo apresentado para congresso ENAPEGS
Artigo apresentado para congresso ENAPEGS
 
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
 
Modelos de atuação (business models) no novo contexto do investimento social
Modelos de atuação (business models) no novo contexto do investimento socialModelos de atuação (business models) no novo contexto do investimento social
Modelos de atuação (business models) no novo contexto do investimento social
 
Artigo/ Tema Actualidade: Nuno Delicado | Exit_28_2012 (pt)
Artigo/ Tema Actualidade: Nuno Delicado | Exit_28_2012 (pt)Artigo/ Tema Actualidade: Nuno Delicado | Exit_28_2012 (pt)
Artigo/ Tema Actualidade: Nuno Delicado | Exit_28_2012 (pt)
 
Inovacao Social 2020 V2 210809
Inovacao Social 2020 V2 210809Inovacao Social 2020 V2 210809
Inovacao Social 2020 V2 210809
 
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
 
Exit 27 gestao_mudancaterceirosector
Exit 27 gestao_mudancaterceirosectorExit 27 gestao_mudancaterceirosector
Exit 27 gestao_mudancaterceirosector
 
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no BrasilCenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
 
ANDE Impact Report
ANDE Impact ReportANDE Impact Report
ANDE Impact Report
 
Responsabilidade Social
Responsabilidade SocialResponsabilidade Social
Responsabilidade Social
 
Carta de-principios-negócios-de-impacto-no-brasil
Carta de-principios-negócios-de-impacto-no-brasilCarta de-principios-negócios-de-impacto-no-brasil
Carta de-principios-negócios-de-impacto-no-brasil
 
ProtóTipo A
ProtóTipo AProtóTipo A
ProtóTipo A
 
Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014
Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014
Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014
 

Mais de Dianova

Youth alcohol prevention multi annual initiative mocktails dianova portugal
Youth alcohol prevention multi annual initiative mocktails dianova portugalYouth alcohol prevention multi annual initiative mocktails dianova portugal
Youth alcohol prevention multi annual initiative mocktails dianova portugal
Dianova
 
Flyer Comunidade Terapêutica 2018
Flyer Comunidade Terapêutica 2018Flyer Comunidade Terapêutica 2018
Flyer Comunidade Terapêutica 2018
Dianova
 
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018
Dianova
 
EXIT® Magazine n.º31 2018
EXIT® Magazine n.º31 2018EXIT® Magazine n.º31 2018
EXIT® Magazine n.º31 2018
Dianova
 
WFTC The Declaration of Mallorca 2016
WFTC The Declaration of Mallorca 2016WFTC The Declaration of Mallorca 2016
WFTC The Declaration of Mallorca 2016
Dianova
 
Therapeutic Communities Joint Statement CND UNODC 2018
Therapeutic Communities Joint Statement CND UNODC 2018Therapeutic Communities Joint Statement CND UNODC 2018
Therapeutic Communities Joint Statement CND UNODC 2018
Dianova
 
Listen First Global Outreach CND UNODC 2018
Listen First Global Outreach CND UNODC 2018Listen First Global Outreach CND UNODC 2018
Listen First Global Outreach CND UNODC 2018
Dianova
 
Dianova Listen First International Campaign CND UNODC 2018
Dianova Listen First International Campaign CND UNODC 2018Dianova Listen First International Campaign CND UNODC 2018
Dianova Listen First International Campaign CND UNODC 2018
Dianova
 
Special Event Therapeutic Communities CND UNODC 2018
Special Event Therapeutic Communities CND UNODC 2018Special Event Therapeutic Communities CND UNODC 2018
Special Event Therapeutic Communities CND UNODC 2018
Dianova
 
Side Event 40 Years of Drugs CND UNDC 2018
Side Event 40 Years of Drugs CND UNDC 2018Side Event 40 Years of Drugs CND UNDC 2018
Side Event 40 Years of Drugs CND UNDC 2018
Dianova
 
Dianova Listen First Brief Intervention Prevention CND UNODC 2018
Dianova Listen First Brief Intervention Prevention CND UNODC 2018Dianova Listen First Brief Intervention Prevention CND UNODC 2018
Dianova Listen First Brief Intervention Prevention CND UNODC 2018
Dianova
 
Dianova Network Addiction Treatment Results CND UNODC 2018
Dianova Network Addiction Treatment Results CND UNODC 2018Dianova Network Addiction Treatment Results CND UNODC 2018
Dianova Network Addiction Treatment Results CND UNODC 2018
Dianova
 
Dianova Listen First Campaign CND UNODC 2018
Dianova Listen First Campaign CND UNODC 2018Dianova Listen First Campaign CND UNODC 2018
Dianova Listen First Campaign CND UNODC 2018
Dianova
 
Livro Comunicacao OSC Conhecimento Reconhecimento
Livro Comunicacao OSC Conhecimento ReconhecimentoLivro Comunicacao OSC Conhecimento Reconhecimento
Livro Comunicacao OSC Conhecimento Reconhecimento
Dianova
 
Estatuto da Comunicação nas OSC em Portugal
Estatuto da Comunicação nas OSC em PortugalEstatuto da Comunicação nas OSC em Portugal
Estatuto da Comunicação nas OSC em Portugal
Dianova
 
Dianova Quality Treament IFNGO Macau 2017
Dianova Quality Treament IFNGO Macau 2017Dianova Quality Treament IFNGO Macau 2017
Dianova Quality Treament IFNGO Macau 2017
Dianova
 
Listen First Global Outcomes EFTC Dublin 2017
Listen First Global Outcomes EFTC Dublin 2017Listen First Global Outcomes EFTC Dublin 2017
Listen First Global Outcomes EFTC Dublin 2017
Dianova
 
Mocktails Resultados 2017
Mocktails Resultados 2017Mocktails Resultados 2017
Mocktails Resultados 2017
Dianova
 
Presentation unodc cnd side_event_dawa_portugal_dianova 2017
Presentation unodc cnd side_event_dawa_portugal_dianova 2017Presentation unodc cnd side_event_dawa_portugal_dianova 2017
Presentation unodc cnd side_event_dawa_portugal_dianova 2017
Dianova
 
Empresa Inserção Floricultura Dianova ISUP A3S 2016
Empresa Inserção Floricultura Dianova ISUP A3S 2016Empresa Inserção Floricultura Dianova ISUP A3S 2016
Empresa Inserção Floricultura Dianova ISUP A3S 2016
Dianova
 

Mais de Dianova (20)

Youth alcohol prevention multi annual initiative mocktails dianova portugal
Youth alcohol prevention multi annual initiative mocktails dianova portugalYouth alcohol prevention multi annual initiative mocktails dianova portugal
Youth alcohol prevention multi annual initiative mocktails dianova portugal
 
Flyer Comunidade Terapêutica 2018
Flyer Comunidade Terapêutica 2018Flyer Comunidade Terapêutica 2018
Flyer Comunidade Terapêutica 2018
 
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018
 
EXIT® Magazine n.º31 2018
EXIT® Magazine n.º31 2018EXIT® Magazine n.º31 2018
EXIT® Magazine n.º31 2018
 
WFTC The Declaration of Mallorca 2016
WFTC The Declaration of Mallorca 2016WFTC The Declaration of Mallorca 2016
WFTC The Declaration of Mallorca 2016
 
Therapeutic Communities Joint Statement CND UNODC 2018
Therapeutic Communities Joint Statement CND UNODC 2018Therapeutic Communities Joint Statement CND UNODC 2018
Therapeutic Communities Joint Statement CND UNODC 2018
 
Listen First Global Outreach CND UNODC 2018
Listen First Global Outreach CND UNODC 2018Listen First Global Outreach CND UNODC 2018
Listen First Global Outreach CND UNODC 2018
 
Dianova Listen First International Campaign CND UNODC 2018
Dianova Listen First International Campaign CND UNODC 2018Dianova Listen First International Campaign CND UNODC 2018
Dianova Listen First International Campaign CND UNODC 2018
 
Special Event Therapeutic Communities CND UNODC 2018
Special Event Therapeutic Communities CND UNODC 2018Special Event Therapeutic Communities CND UNODC 2018
Special Event Therapeutic Communities CND UNODC 2018
 
Side Event 40 Years of Drugs CND UNDC 2018
Side Event 40 Years of Drugs CND UNDC 2018Side Event 40 Years of Drugs CND UNDC 2018
Side Event 40 Years of Drugs CND UNDC 2018
 
Dianova Listen First Brief Intervention Prevention CND UNODC 2018
Dianova Listen First Brief Intervention Prevention CND UNODC 2018Dianova Listen First Brief Intervention Prevention CND UNODC 2018
Dianova Listen First Brief Intervention Prevention CND UNODC 2018
 
Dianova Network Addiction Treatment Results CND UNODC 2018
Dianova Network Addiction Treatment Results CND UNODC 2018Dianova Network Addiction Treatment Results CND UNODC 2018
Dianova Network Addiction Treatment Results CND UNODC 2018
 
Dianova Listen First Campaign CND UNODC 2018
Dianova Listen First Campaign CND UNODC 2018Dianova Listen First Campaign CND UNODC 2018
Dianova Listen First Campaign CND UNODC 2018
 
Livro Comunicacao OSC Conhecimento Reconhecimento
Livro Comunicacao OSC Conhecimento ReconhecimentoLivro Comunicacao OSC Conhecimento Reconhecimento
Livro Comunicacao OSC Conhecimento Reconhecimento
 
Estatuto da Comunicação nas OSC em Portugal
Estatuto da Comunicação nas OSC em PortugalEstatuto da Comunicação nas OSC em Portugal
Estatuto da Comunicação nas OSC em Portugal
 
Dianova Quality Treament IFNGO Macau 2017
Dianova Quality Treament IFNGO Macau 2017Dianova Quality Treament IFNGO Macau 2017
Dianova Quality Treament IFNGO Macau 2017
 
Listen First Global Outcomes EFTC Dublin 2017
Listen First Global Outcomes EFTC Dublin 2017Listen First Global Outcomes EFTC Dublin 2017
Listen First Global Outcomes EFTC Dublin 2017
 
Mocktails Resultados 2017
Mocktails Resultados 2017Mocktails Resultados 2017
Mocktails Resultados 2017
 
Presentation unodc cnd side_event_dawa_portugal_dianova 2017
Presentation unodc cnd side_event_dawa_portugal_dianova 2017Presentation unodc cnd side_event_dawa_portugal_dianova 2017
Presentation unodc cnd side_event_dawa_portugal_dianova 2017
 
Empresa Inserção Floricultura Dianova ISUP A3S 2016
Empresa Inserção Floricultura Dianova ISUP A3S 2016Empresa Inserção Floricultura Dianova ISUP A3S 2016
Empresa Inserção Floricultura Dianova ISUP A3S 2016
 

Artigo/ Tema Actualidade: Neil Reeder | Exit 28_2012 (pt)

  • 1. REVISTA EXIT® 28ª edição “Da Inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável” Jan- Dec 2012 Artigo Actualidade: “Investimento Social no Reino Unido – Uma viagem com destino desconhecido”, Neil Reeder, Fellow at Young Foundation & Founder of Heart &and Heart Economics (London, UK) Desde Maio de 2010, altura em que a coligação de Conservadores/ Liberais Democratas chegou ao poder no Reino Unido, têm havido tentativas enérgicas para fazer cortes na despesa pública. Em simultâneo, o novo governo foi perspicaz ao focar-se mais nos “resultados” das suas políticas de aquisições, passando a efectuar contractos que premeiam o sucesso no cumprimento dos objectivos, restringindo o financiamento se estes não forem alcançados. O investimento social – com a sua combinação de retorno social e financeiro para os investidores – tem atraído muito interesse neste novo contexto político. Está a aumentar a oferta de uma série de produtos financeiros sociais, dos empréstimos com taxas de juro reduzidas a taxas sub-comerciais, passando por produtos mais arriscados que mimetizam o valor. Claramente, há um grande interesse entre os fornecedores pelo investimento social. Tal é visto como um caminho para alcançar a melhor sociedade que as empresas sociais e os empreendedores sociais tão apaixonadamente desejam ver. Tal como com os fundos ”up-front”, os empreendedores vêem um bónus extra num risco mais baixo percepcionado da “interferência” na forma como operam. Ainda assim, o mercado do investimento social é pequeno e dominado por poucos e grandes players. O “Lightning The Touchpaper”, um relatório de 2011 da autoria da Young Foundation e do Boston Consulting Group sobre uma perspectiva global do mercado do investimento social no Reino Unido, reportou uma escala total de 165 milhões de libras de investimento em 2010, dominado por um Revista EXIT® 28ª Jan-Dez 2012 “Da inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável” 1
  • 2. empréstimo assegurado por 4 bancos sociais. Deste montante, apenas 5% foram categorizados como capital próprio ou equiparados a capital próprio. Um outro relatório de 2011 realizado pela Young Foundation – o “Growing Interest”, centrado no investimento social nos serviços para jovens – concluiu que menos de 1 em 10 organizações no sector estava preparada para o investimento social. Ainda assim, estas organizações estavam apenas preparadas para contractos equivalentes a uma pequena proporção da sua facturação. O que pode ser feito, então? Um fundo pioneiro importante para a divulgação do papel do investimento social foi o Big Society Finance Fund, estabelecido pela NESTA em 2010. O seu objectivo passou por apoiar produtos de investimento inovadores, apresentando as várias possibilidades a um leque mais vasto de financiadores, bem como as acções em destaque que os decisores poderiam executar para melhorar as perspectivas para a sua agenda. O fundo da NESTA apoiou finalmente 20 projectos-piloto, incluindo: • “Abundance” – um programa de investimento de “finança democrática”, permitindo às comunidades e ao público em geral investir no domínio da energia renovável; • O programa “Charity Bank Medium Term Note” – um regime de obrigações para denominações de 25 mil libras e montantes usados para apoiar grandes instituições de solidariedade e empresas sociais, organizado pela Investing for Good; • O fundo “Social Impact Co-Investment”. Este irá providenciar, em primeiro lugar, empréstimos entre 25 mil libras e 10 mil libras para capacitar empresas. Este fundo irá encorajar a participação activa de “business angels” que tragam consigo competências, experiência e contactos para o negócio. Um dos outros planos que atraíram interesse foi o “London Partnership”, uma empresa de interesse comunitário, projectada para reduzir os maus resultados entre aqueles que estão a enfrentar a exclusão social, trazendo pessoal de várias organizações, incluindo o Departamento de Saúde, as autoridades locais e o Serviço Nacional de Saúde. Revista EXIT® 28ª Jan-Dez 2012 “Da inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável” 2
  • 3. O que é transversal a este conjunto de projectos é a diversidade de tipos de investimento social, bem como a miríade de agendas nas quais esta abordagem pode ser aplicada – da educação ao apoio ao emprego, dos cuidados de saúde à habitação social. No entanto, como os relatórios “Lighting the Touchpaper” e “Growing Interest” esclarecem, os investimentos-piloto e o mercado do investimento social estão ainda agora a dar os primeiros passos. Ainda não conseguimos vislumbrar as elevadas taxas de retorno que trarão consigo grandes volumes de financiamento do sector privado, bem como do investimento social. Os casos dos investimentos-piloto da NESTA, tal como a experiência do plano Peterborough Social Impact Bond, onde as taxas máximas de retorno foram estancadas, indicam que as taxas de retorno esperadas e disponíveis para investidores sociais situam-se frequentemente abaixo das taxas de retorno comerciais. Esta situação apresenta um desafio importante aos impacientes por grandes tranches de fundos comerciais para entrar no mercado do investimento social. Por contraste, os investimentos-piloto requerem particularmente financiadores que desejem arriscar, e ver taxas de retorno relativamente baixas, mesmo depois de vários anos. O investimento social tende a não ser uma receita para um sucesso retumbante. O que mais precisa de acontecer? Os governos têm um papel importante a desempenhar em determinar o crescimento do mercado do investimento social. O “Strenghtening social innovation in Europe: funding and financing”, um relatório que está a ser preparado sobre a Inovação Social na Europa, esboça ideias-chave de como a intervenção pode fazer uma grande diferença – por um custo reduzido, comparativamente. Uma destas intervenções é a chamada “Angel Networks” para empresas sociais (social ventures). Um investidor “angel” é um indivíduo rico que providencia capital para uma “start-up”, habitualmente em troca de dívida convertível ou capitais próprios. As redes de “business angels” permitem-lhes partilhar o seu capital de investimento, mas estes são frequentemente constrangidos a investir em empreendimentos sociais. O Fundo Europeu de Investimento pode, contudo, transformar a “paisagem dos “social angels’”, mesmo com investimentos relativamente reduzidos, na ordem dos 5 a 10 milhões de euros. Revista EXIT® 28ª Jan-Dez 2012 “Da inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável” 3
  • 4. Uma segunda maneira de fazer crescer o investimento social é, por intermédio do capital de crescimento para empresas sociais, providenciar serviços públicos. Idealmente, haveria um Fundo de Ideias, um Fundo de Protótipo, um Fundo de Implementação e um Fundo de Escala, alinhando recursos de uma série de fontes, incluindo o Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e o Banco Europeu de Investimento. Um plano de investimento como este providenciaria o capital de desenvolvimento que é bastante necessário – agindo para assegurar que objectivos estratégicos mais amplos de construir conhecimento, boa vontade e capacidade dentro do mercado do investimento social são cumpridos, enquanto se reconhece que as perspectivas de retorno são incertas. Um terceiro, e ainda mais importante papel, é o do cliente que paga pelos resultados. Para aceder a investimento de capital social em taxas realistas, qualquer empresa social ou instituição de solidariedade social necessita de um comprador inequívoco que possa – e vá – pagar pelos seus serviços. A agenda de obrigações do impacto social tem sido relativamente lenta a fazer progressos, apesar de muito interesse, em parte devido ao número relativamente reduzido de recursos que os departamentos governamentais estão dispostos a gastar neste caminho, comparado com a abordagem habitual de concessão de bolsas e de contratar por rendimento. Ao mesmo tempo, os investidores precisam de melhorar a sua actuação. Pode ser uma transição difícil mudar de uma abordagem através da qual o doador de bolsas específica os rendimentos, para uma outra na qual os investidores sociais escrutinem a capacidade organizacional e a base do conhecimento no alcance dos resultados. A capacidade de demonstrar impacto e valor é vital, e está a tornar-se ainda mais importante. Os financiadores e os organismos profissionais têm um papel-chave a desempenhar, não apenas forjando o consenso em avaliações de um resultado específico e benchmarks associados, mas tornando também a análise de valor acrescentado bem mais fácil. Os intermediários também podem desempenhar um papel importante apoiando uma capacidade analítica mais forte. Ainda há um dilema do género “galinha e ovo”. Os intermediários não estão aptos para desempenhar uma função de apoio a investimentos sociais sem financiar; os fornecedores não estão aptos a pagar aos intermediários sem aceder aos recursos que o investimento social pode trazer. Esta “infra-estrutura de mercado” geralmente não é monitorizada pelos governos – ao falhar essa monitorização, é travada fortemente a capacidade para estruturar negociações apropriadas e oportunas entre os investidores sociais e os riscos sociais. Investimento social será um processo lento – e haverá algumas decepções Revista EXIT® 28ª Jan-Dez 2012 “Da inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável” 4
  • 5. A paixão de tantos empreendedores sociais e organizações de solidariedade social em fazer a diferença junto dos mais necessitados não está posta em dúvida. O investimento social é uma ferramenta que pode apoiá-los e as expectativas de crescimento no mercado são altas. De acordo com o relatório “Lighting the Touchpaper”, 75% dos intermediários do fundo de investimento social planeiam expandir os seus fundos em cerca de 35% ao ano, durante os próximos 3 anos. Isto equivale a um capital adicional de 650 milhões de libras para o Reino Unido. Em contrapartida, a análise da NESTA sugere que o desenvolvimento deste mercado não será rápido e é provável que esta mudança dure uma década ou mais. Tal está mais em sintonia com a experiência de obrigações de impacto social no Reino Unido, que demorou 18 meses a mudar de um plano para uma mão cheia de projectos. As dificuldades técnicas nas métricas têm sido difíceis de ultrapassar; e a cultura adversa ao risco nos serviços públicos, na qual as aquisições com base nos rendimentos são vistas como uma melhor garantia, é ainda mais difícil de mudar. Actualmente não é claro que visão irá vencer. Certamente há ainda expectativas muito diferentes entre os players – vários no sector privado procuram um retorno elevado para um baixo risco, enquanto os agentes do sector público querem um baixo retorno para os investidores e um risco elevado. Um desfecho, no qual o investimento social não é uma panaceia, mas uma alavanca útil para uma focalização maior nos resultados e um maior profissionalismo na análise, parece ser o mais provável. Ler versão original (EN) e completa da Revista EXIT 28ª edição Jan-Dez 2012: http://issuu.com/dianovaportugal/docs/exit_magazine_28_jandec2012_dianova Revista EXIT® 28ª Jan-Dez 2012 “Da inovação ao Investimento Social: aliados de propósito sustentável” 5