SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Baixar para ler offline
A maior flor
do mundo
José
Saramago
Ilustração: João Caetano
Editora: Caminho
Adaptação
As histórias para
crianças devem ser
escritas com palavras
muito simples…
Quem me dera saber
escrever essas histórias…
José
Saramago
Se eu tivesse aquelas
qualidades, poderia
contar, com
pormenores, uma linda
história que um dia
inventei…
…seria a mais linda
de todas as que se
escreveram desde o
tempo dos contos de
fadas e princesas
encantadas…
… havia uma aldeia.
…e um menino.
… havia uma aldeia.
… sai o menino
pelos fundos do
quintal, e, de árvore
em árvore, como um
pintassilgo, desce o rio
e depois por ele
abaixo…
Em certa altura,
chegou ao limite
das terras até onde
se aventurara
sozinho. Dali para
diante começava o
“planeta Marte”.
Dali para diante,
para o nosso
menino, será só
uma pergunta:
«Vou ou não vou?»
E foi.
O rio fazia um desvio grande,
afastava-se, e de rio ele
estava já um pouco farto,
tanto que o via desde que
nascera. Resolveu cortar a
direito pelos campos, entre
extensos olivais, ladeando
misteriosas sebes cobertas
de campainhas brancas, e
outras vezes metendo pelos
bosques de altas árvores
onde havia clareiras macias
sem rasto de gente ou bicho,
e ao redor um silêncio que
zumbia, e também um calor
vegetal, um cheiro de caule
fresco.
Ó que feliz ia o menino! Andou, andou, foram
rareando as árvores, e agora havia uma charneca rasa,
de mato ralo e seco, e no meio dela uma inclinada
colina redonda como uma tigela voltada.
Deu-se o menino ao trabalho de subir a encosta, e
quando chegou lá acima, que viu ele? Nem a sorte nem
a morte, nem as tábuas do destino… Era só uma flor.
Mas tão caída, tão
murcha, que o menino
se achegou, de
cansado. E como este
menino era especial de
história, achou que
tinha de salvar a flor.
Mas que é da água?
Ali, no alto, nem pinga.
Cá por baixo, só no rio,
e esse que longe
estava!...
Não importa.
Desce o menino a montanha, atravessa o mundo
todo, chega ao grande rio, com as mãos recolhe quanta
de água lá cabia, volta o mundo atravessar, pelo monte
se arrasta, três gotas que lá chegaram, bebeu-as a flor
com sede. Vinte vezes cá e lá…
Mas a flor aprumada já dava cheiro no ar, e como se
fosse uma grande árvore deitava sombra no chão.
O menino
adormeceu debaixo da
flor. Passaram as
horas, e os pais, como
é costume nestes
casos, começaram a
afligir-se muito. Saiu
toda a família e mais
vizinhos à busca do
menino perdido. E não
o acharam.
Correram tudo, já em
lágrimas tantas, e era
quase sol-pôr quando
levantaram os olhos e
viram ao longe uma flor
enorme que ninguém se
lembrava que estivesse
ali.
Foram todos de
carreira, subiram a colina
e deram com o menino
adormecido. Sobre ele,
resguardando-o do
fresco da tarde, estava
uma grande pétala
perfumada…
Este menino foi levado para casa, rodeado de todo o
respeito, como obra de milagre.
Quando depois
passava pelas
ruas, as pessoas
diziam que ele
saíra da aldeia
para ir fazer uma
coisa que era
muito maior do
que o seu
tamanho e do
que todos os
tamanhos.
FIM
Este era o conto que eu
queria contar. Tenho muita
pena de não saber escrever
histórias para crianças. Mas
ao menos ficaram sabendo
como a história seria, e
poderão contá-la doutra
maneira, com palavras mais
simples do que as minhas, e
talvez mais tarde venham a
saber escrever histórias para
crianças…
Quem sabe se um dia virei a ler outra vez esta
história, escrita por ti que me lês, mas muito mais
bonita?...

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Família de palavras e Campo lexical
Família de palavras e Campo lexicalFamília de palavras e Campo lexical
Família de palavras e Campo lexical
gifamiliar
 
Teatro da lenda de São Martinho
Teatro da lenda de São MartinhoTeatro da lenda de São Martinho
Teatro da lenda de São Martinho
bjcp
 
Menina gotinha de água
Menina gotinha de águaMenina gotinha de água
Menina gotinha de água
Paula Almeida
 
Conto torrado trinta-por-uma-linha_18pages
Conto torrado trinta-por-uma-linha_18pagesConto torrado trinta-por-uma-linha_18pages
Conto torrado trinta-por-uma-linha_18pages
Rita Arantes
 
A liberdade o que é? José Jorge Letria
A liberdade o que é? José Jorge LetriaA liberdade o que é? José Jorge Letria
A liberdade o que é? José Jorge Letria
M José Buenavida
 

Mais procurados (20)

O beijo da palavrinha mia couto
O beijo da palavrinha mia couto O beijo da palavrinha mia couto
O beijo da palavrinha mia couto
 
Ficha de compreensão oral
Ficha de compreensão oralFicha de compreensão oral
Ficha de compreensão oral
 
O primeiro dia de escola antónio mota 2011
O primeiro dia de escola   antónio mota 2011O primeiro dia de escola   antónio mota 2011
O primeiro dia de escola antónio mota 2011
 
A lenda de arlequim
A lenda de arlequimA lenda de arlequim
A lenda de arlequim
 
O senhor do seu nariz
O senhor do seu narizO senhor do seu nariz
O senhor do seu nariz
 
História com recadinho
História com recadinhoHistória com recadinho
História com recadinho
 
O H perdeu uma perna
O H perdeu uma pernaO H perdeu uma perna
O H perdeu uma perna
 
Família de palavras e Campo lexical
Família de palavras e Campo lexicalFamília de palavras e Campo lexical
Família de palavras e Campo lexical
 
Cartaz familia de palavras
Cartaz familia de palavrasCartaz familia de palavras
Cartaz familia de palavras
 
O elefante cor de-rosa
O elefante cor de-rosaO elefante cor de-rosa
O elefante cor de-rosa
 
O sapo apaixonado
O sapo apaixonado O sapo apaixonado
O sapo apaixonado
 
Teatro da lenda de São Martinho
Teatro da lenda de São MartinhoTeatro da lenda de São Martinho
Teatro da lenda de São Martinho
 
A Bruxa Mimi
A Bruxa MimiA Bruxa Mimi
A Bruxa Mimi
 
bichos-bicharocos
bichos-bicharocosbichos-bicharocos
bichos-bicharocos
 
As fadas verdes
As fadas verdesAs fadas verdes
As fadas verdes
 
25 de Abril O tesouro e ficha de trabalho
25 de Abril O tesouro e ficha de trabalho25 de Abril O tesouro e ficha de trabalho
25 de Abril O tesouro e ficha de trabalho
 
Menina gotinha de água
Menina gotinha de águaMenina gotinha de água
Menina gotinha de água
 
História de outono
História de outonoHistória de outono
História de outono
 
Conto torrado trinta-por-uma-linha_18pages
Conto torrado trinta-por-uma-linha_18pagesConto torrado trinta-por-uma-linha_18pages
Conto torrado trinta-por-uma-linha_18pages
 
A liberdade o que é? José Jorge Letria
A liberdade o que é? José Jorge LetriaA liberdade o que é? José Jorge Letria
A liberdade o que é? José Jorge Letria
 

Destaque

O 25 de abril e os livros
O 25 de abril e os livrosO 25 de abril e os livros
O 25 de abril e os livros
francisco abreu
 
O tesouro 25 de abril
O tesouro   25 de abrilO tesouro   25 de abril
O tesouro 25 de abril
vera martins
 

Destaque (20)

O aniversário da princesa
O aniversário da princesaO aniversário da princesa
O aniversário da princesa
 
A maior flor do mundo - B2.8
A maior flor do mundo - B2.8A maior flor do mundo - B2.8
A maior flor do mundo - B2.8
 
O nabo gigante - P2.2
O nabo gigante - P2.2O nabo gigante - P2.2
O nabo gigante - P2.2
 
História das cinco vogais - B2.2
História das cinco vogais - B2.2História das cinco vogais - B2.2
História das cinco vogais - B2.2
 
Liberdade
LiberdadeLiberdade
Liberdade
 
O voo do golfinho - B2.3
O voo do golfinho - B2.3O voo do golfinho - B2.3
O voo do golfinho - B2.3
 
O 25 de abril e os livros
O 25 de abril e os livrosO 25 de abril e os livros
O 25 de abril e os livros
 
Era uma vez 25 de abril
Era uma vez 25 de abrilEra uma vez 25 de abril
Era uma vez 25 de abril
 
Princesa Arabela, mimada que só ela!
Princesa Arabela, mimada que só ela!Princesa Arabela, mimada que só ela!
Princesa Arabela, mimada que só ela!
 
Livro das letras
Livro das letrasLivro das letras
Livro das letras
 
AltaMente
AltaMenteAltaMente
AltaMente
 
25 de abril de 1974
25 de abril de 197425 de abril de 1974
25 de abril de 1974
 
Ana jaqueline e ana lis
Ana jaqueline e ana lisAna jaqueline e ana lis
Ana jaqueline e ana lis
 
O tesouro 25 de abril
O tesouro   25 de abrilO tesouro   25 de abril
O tesouro 25 de abril
 
A Menina e o Monstro
A Menina e o MonstroA Menina e o Monstro
A Menina e o Monstro
 
Como reconhecer um monstro
Como reconhecer um monstroComo reconhecer um monstro
Como reconhecer um monstro
 
Livro - Quem é o Bicho Papão
Livro -  Quem é o Bicho PapãoLivro -  Quem é o Bicho Papão
Livro - Quem é o Bicho Papão
 
A fantástica máquina dos bichos
A fantástica máquina dos bichosA fantástica máquina dos bichos
A fantástica máquina dos bichos
 
Quando nasce um monstro
Quando nasce um monstro Quando nasce um monstro
Quando nasce um monstro
 
Livro a primavera da lagarta completo
Livro a primavera da  lagarta completoLivro a primavera da  lagarta completo
Livro a primavera da lagarta completo
 

Semelhante a A maior-flor-do-mundo

a maior flor do mundo projeto tic - à descoberta com o magalhães
 a maior flor do mundo  projeto tic - à descoberta com o magalhães a maior flor do mundo  projeto tic - à descoberta com o magalhães
a maior flor do mundo projeto tic - à descoberta com o magalhães
eb1penha4
 
As histórias para crianças têm de ser contadas de forma simples
As histórias para crianças têm de ser contadas de forma simplesAs histórias para crianças têm de ser contadas de forma simples
As histórias para crianças têm de ser contadas de forma simples
Cláudia Pires
 
Ano Iinternacional das Florestas
Ano Iinternacional das FlorestasAno Iinternacional das Florestas
Ano Iinternacional das Florestas
BE ESGN
 
Recriação do conto de José Saramago
Recriação do conto de José SaramagoRecriação do conto de José Saramago
Recriação do conto de José Saramago
Lurdes Augusto
 
O Menino que Pensava Verde, de Maria do Céu Nogueira, in Mais-Valia: conto e ...
O Menino que Pensava Verde, de Maria do Céu Nogueira, in Mais-Valia: conto e ...O Menino que Pensava Verde, de Maria do Céu Nogueira, in Mais-Valia: conto e ...
O Menino que Pensava Verde, de Maria do Céu Nogueira, in Mais-Valia: conto e ...
BE ESGN
 
Língua port 9º sem edição
Língua port 9º  sem ediçãoLíngua port 9º  sem edição
Língua port 9º sem edição
Austonio Santos
 
25 de abril história de uma flor1
25 de abril história de uma flor125 de abril história de uma flor1
25 de abril história de uma flor1
PeroVaz
 

Semelhante a A maior-flor-do-mundo (20)

A maior Flor do mundo
A maior Flor do mundoA maior Flor do mundo
A maior Flor do mundo
 
A Maior Flor do Mundo
A Maior Flor do MundoA Maior Flor do Mundo
A Maior Flor do Mundo
 
A maior flor do mundo
 A maior flor do mundo A maior flor do mundo
A maior flor do mundo
 
A maior flor do mundo jose saramago
A maior flor do mundo  jose saramagoA maior flor do mundo  jose saramago
A maior flor do mundo jose saramago
 
a maior flor do mundo projeto tic - à descoberta com o magalhães
 a maior flor do mundo  projeto tic - à descoberta com o magalhães a maior flor do mundo  projeto tic - à descoberta com o magalhães
a maior flor do mundo projeto tic - à descoberta com o magalhães
 
A maior flor do mundo atividades interpretação
A maior flor do mundo atividades interpretaçãoA maior flor do mundo atividades interpretação
A maior flor do mundo atividades interpretação
 
As histórias para crianças têm de ser contadas de forma simples
As histórias para crianças têm de ser contadas de forma simplesAs histórias para crianças têm de ser contadas de forma simples
As histórias para crianças têm de ser contadas de forma simples
 
Maior flor mundo-guiao (1)
Maior flor mundo-guiao (1)Maior flor mundo-guiao (1)
Maior flor mundo-guiao (1)
 
Ano Iinternacional das Florestas
Ano Iinternacional das FlorestasAno Iinternacional das Florestas
Ano Iinternacional das Florestas
 
áLvaro.magalhães2014
áLvaro.magalhães2014áLvaro.magalhães2014
áLvaro.magalhães2014
 
áLvaro.magalhães2014
áLvaro.magalhães2014áLvaro.magalhães2014
áLvaro.magalhães2014
 
Contos para o ensino médio
Contos para o ensino médioContos para o ensino médio
Contos para o ensino médio
 
Recriação do conto de José Saramago
Recriação do conto de José SaramagoRecriação do conto de José Saramago
Recriação do conto de José Saramago
 
O Menino que Pensava Verde, de Maria do Céu Nogueira, in Mais-Valia: conto e ...
O Menino que Pensava Verde, de Maria do Céu Nogueira, in Mais-Valia: conto e ...O Menino que Pensava Verde, de Maria do Céu Nogueira, in Mais-Valia: conto e ...
O Menino que Pensava Verde, de Maria do Céu Nogueira, in Mais-Valia: conto e ...
 
Língua port 9º sem edição
Língua port 9º  sem ediçãoLíngua port 9º  sem edição
Língua port 9º sem edição
 
Natércia Freire
Natércia FreireNatércia Freire
Natércia Freire
 
A maior flor do mundo ficha de trabalho
A maior flor do mundo   ficha de trabalhoA maior flor do mundo   ficha de trabalho
A maior flor do mundo ficha de trabalho
 
25 de abril história de uma flor1
25 de abril história de uma flor125 de abril história de uma flor1
25 de abril história de uma flor1
 
Uma ideia toda azul - Marina Colasanti.pdf
Uma ideia toda azul - Marina Colasanti.pdfUma ideia toda azul - Marina Colasanti.pdf
Uma ideia toda azul - Marina Colasanti.pdf
 
José Saramago
José SaramagoJosé Saramago
José Saramago
 

Mais de Ebimontargil Pte

Concurso regional palavras com história Regulamento
Concurso regional palavras com história RegulamentoConcurso regional palavras com história Regulamento
Concurso regional palavras com história Regulamento
Ebimontargil Pte
 
Lista dos vencedores do ii concurso regional palavras com história
Lista dos vencedores do ii concurso regional palavras com históriaLista dos vencedores do ii concurso regional palavras com história
Lista dos vencedores do ii concurso regional palavras com história
Ebimontargil Pte
 

Mais de Ebimontargil Pte (20)

Susana Teles Margarido
Susana Teles MargaridoSusana Teles Margarido
Susana Teles Margarido
 
Natália correia
Natália correiaNatália correia
Natália correia
 
Dia municipal da igualdade 1
Dia municipal da igualdade 1Dia municipal da igualdade 1
Dia municipal da igualdade 1
 
Dia municipal da igualdade o dragão - 6º ano
Dia municipal da igualdade   o dragão - 6º anoDia municipal da igualdade   o dragão - 6º ano
Dia municipal da igualdade o dragão - 6º ano
 
Concurso regional palavras com história Regulamento
Concurso regional palavras com história RegulamentoConcurso regional palavras com história Regulamento
Concurso regional palavras com história Regulamento
 
Regulamento criapoesia 2017
Regulamento criapoesia 2017Regulamento criapoesia 2017
Regulamento criapoesia 2017
 
Regulamento concurso mealheiro
Regulamento concurso mealheiroRegulamento concurso mealheiro
Regulamento concurso mealheiro
 
Presentation
PresentationPresentation
Presentation
 
Regulamento um conto_que_contas_concurso201617
Regulamento um conto_que_contas_concurso201617Regulamento um conto_que_contas_concurso201617
Regulamento um conto_que_contas_concurso201617
 
Rota postal da biodiversidade
Rota postal da biodiversidadeRota postal da biodiversidade
Rota postal da biodiversidade
 
Lista dos vencedores do ii concurso regional palavras com história
Lista dos vencedores do ii concurso regional palavras com históriaLista dos vencedores do ii concurso regional palavras com história
Lista dos vencedores do ii concurso regional palavras com história
 
O xaile da minha mãe
O xaile da minha mãeO xaile da minha mãe
O xaile da minha mãe
 
Apres. lenda 7 cidades123
Apres. lenda 7 cidades123Apres. lenda 7 cidades123
Apres. lenda 7 cidades123
 
Ilustrações do príncipe nabo
Ilustrações do príncipe naboIlustrações do príncipe nabo
Ilustrações do príncipe nabo
 
Dia dos namorados
Dia dos namoradosDia dos namorados
Dia dos namorados
 
Da histoìria com amor...
Da histoìria com amor...Da histoìria com amor...
Da histoìria com amor...
 
Concurso lusófono trofa conto infantil
Concurso lusófono trofa  conto infantilConcurso lusófono trofa  conto infantil
Concurso lusófono trofa conto infantil
 
OS Nossos Gostos - EBS Nordeste
OS Nossos Gostos - EBS NordesteOS Nossos Gostos - EBS Nordeste
OS Nossos Gostos - EBS Nordeste
 
Paisagens do nordeste
Paisagens do nordestePaisagens do nordeste
Paisagens do nordeste
 
Regulamento a melhor_carta_2016
Regulamento a melhor_carta_2016Regulamento a melhor_carta_2016
Regulamento a melhor_carta_2016
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 

Último (20)

Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 

A maior-flor-do-mundo

  • 1. A maior flor do mundo José Saramago Ilustração: João Caetano Editora: Caminho Adaptação
  • 2. As histórias para crianças devem ser escritas com palavras muito simples… Quem me dera saber escrever essas histórias… José Saramago
  • 3. Se eu tivesse aquelas qualidades, poderia contar, com pormenores, uma linda história que um dia inventei… …seria a mais linda de todas as que se escreveram desde o tempo dos contos de fadas e princesas encantadas…
  • 4. … havia uma aldeia. …e um menino.
  • 5. … havia uma aldeia. … sai o menino pelos fundos do quintal, e, de árvore em árvore, como um pintassilgo, desce o rio e depois por ele abaixo…
  • 6. Em certa altura, chegou ao limite das terras até onde se aventurara sozinho. Dali para diante começava o “planeta Marte”. Dali para diante, para o nosso menino, será só uma pergunta: «Vou ou não vou?» E foi.
  • 7. O rio fazia um desvio grande, afastava-se, e de rio ele estava já um pouco farto, tanto que o via desde que nascera. Resolveu cortar a direito pelos campos, entre extensos olivais, ladeando misteriosas sebes cobertas de campainhas brancas, e outras vezes metendo pelos bosques de altas árvores onde havia clareiras macias sem rasto de gente ou bicho, e ao redor um silêncio que zumbia, e também um calor vegetal, um cheiro de caule fresco.
  • 8. Ó que feliz ia o menino! Andou, andou, foram rareando as árvores, e agora havia uma charneca rasa, de mato ralo e seco, e no meio dela uma inclinada colina redonda como uma tigela voltada. Deu-se o menino ao trabalho de subir a encosta, e quando chegou lá acima, que viu ele? Nem a sorte nem a morte, nem as tábuas do destino… Era só uma flor.
  • 9. Mas tão caída, tão murcha, que o menino se achegou, de cansado. E como este menino era especial de história, achou que tinha de salvar a flor. Mas que é da água? Ali, no alto, nem pinga. Cá por baixo, só no rio, e esse que longe estava!... Não importa.
  • 10. Desce o menino a montanha, atravessa o mundo todo, chega ao grande rio, com as mãos recolhe quanta de água lá cabia, volta o mundo atravessar, pelo monte se arrasta, três gotas que lá chegaram, bebeu-as a flor com sede. Vinte vezes cá e lá… Mas a flor aprumada já dava cheiro no ar, e como se fosse uma grande árvore deitava sombra no chão.
  • 11. O menino adormeceu debaixo da flor. Passaram as horas, e os pais, como é costume nestes casos, começaram a afligir-se muito. Saiu toda a família e mais vizinhos à busca do menino perdido. E não o acharam.
  • 12. Correram tudo, já em lágrimas tantas, e era quase sol-pôr quando levantaram os olhos e viram ao longe uma flor enorme que ninguém se lembrava que estivesse ali. Foram todos de carreira, subiram a colina e deram com o menino adormecido. Sobre ele, resguardando-o do fresco da tarde, estava uma grande pétala perfumada…
  • 13. Este menino foi levado para casa, rodeado de todo o respeito, como obra de milagre.
  • 14. Quando depois passava pelas ruas, as pessoas diziam que ele saíra da aldeia para ir fazer uma coisa que era muito maior do que o seu tamanho e do que todos os tamanhos.
  • 15. FIM
  • 16. Este era o conto que eu queria contar. Tenho muita pena de não saber escrever histórias para crianças. Mas ao menos ficaram sabendo como a história seria, e poderão contá-la doutra maneira, com palavras mais simples do que as minhas, e talvez mais tarde venham a saber escrever histórias para crianças…
  • 17. Quem sabe se um dia virei a ler outra vez esta história, escrita por ti que me lês, mas muito mais bonita?...