SlideShare uma empresa Scribd logo
A formação das galáxias
• Os modelos cosmológicos atuais do início
do universo são baseados na teoria do Big
Bang.
• O Big Bang, ou grande explosão,
também conhecido como modelo
da grande explosão térmica,
onde, enquanto o Universo se
expande, a radiação contida e a
matéria se esfriam.
A formação das galáxias
• Galáxia é um termo que se origina da palavra gala, que
significa "leite", em grego. Inicialmente, era a
denominação da nossa galáxia, a Via Láctea, e, depois,
se generalizou como denominação de todas as demais.
• Cerca de 300 mil anos depois deste evento,
átomos de hidrogénio e hélio começaram a
formar-se, num evento chamado “recombinação”
• A galáxia é uma coleção de massas solares que
podem conter entre 100 mil e 3.000 bilhões de
estrelas.
• As galáxias são compostas por nuvens de gás e
poeira, um grande número de estrelas, planetas,
cometas e asteroides e diversos corpos celestes
unidos pela ação da força gravitacional.
• Numa noite estrelada, podemos ver uma
faixa esbranquiçada que corta o céu. Essa
"faixa" de astros é apenas uma parte da
galáxia onde está localizado o planeta Terra.
Os antigos a denominaram Via Láctea, cujo
significado em latim é "caminho de leite".
• A Via Láctea pertence a um conjunto, ou seja,
uma aglomerado de diversas galáxias. O
Universo contém mais de 200 bilhões de
galáxias de tamanho e formas variadas.
•Elípticas
•Espirais
•Irregulares
A formação das galáxias
Todas as espirais têm duas componentes morfológicas
• disco composto de estrelas, gás e poeira. No disco
encontra-se a estrutura espiral
• esferoide de estrelas, com pouco gás e pouca poeira:
núcleo, bojo e halo.
• classificam-se de acordo com a tamanho do bojo e grau
de enrolamento dos braços espirais.
Os braços espirais partem do núcleo
• Sa: núcleo maior, braços pequenos e bem enrolados
• Sb: núcleo e braços intermediários
• Sc: núcleo menor, braços grandes e mais abertos
Espirais barradas: os braços espirais partem de uma barra
formada de estrelas
• SBa
• SBb
• SBc
Só tem a componente esferoidal, mostrando pouca
estrutura interna.
• • forma elíptica
• • não têm disco, braços espirais, nem gás nem poeira
Classificam-se de acordo com o achatamento aparente (n)
• • E0 é circular: b/a=1
• • E7 é a mais achatada. (b/a=0,3)
• • n = 10x(1-b/a)
A formação das galáxias
• Apresentam estrutura irregular, caótica.
• Assume-se que as estrelas e o gás são mantidos em sua
órbita pela massa interna à órbita.
• Gravitação universal:
Onde
• M(R) = massa interior ao raio R
• Vrot = velocidade de rotação
A formação das galáxias
• Teorema do Virial:
•
• M = massa total da galáxia
• v = velocidade média das estrelas
• R = raio da galáxia
A formação das galáxias
A formação das galáxias
A formação das galáxias
• Tendo em vista as distâncias entre as estrelas, a grande maioria
dos sistemas estelares em galáxias que colidem não é afetada.
Entretanto, a remoção gravitacional do gás e poeira
interestelares que formam os braços espirais produz uma longa
cadeia de estrelas conhecida como caudas de maré.
• Como exemplo de tais interações, a Via Láctea e a vizinha
Galáxia de Andrómeda aproximam-se uma em direção à outra a
cerca de 130 km/s e – dependendo dos movimentos laterais – as
duas podem vir a colidir dentro de cinco a seis biliões de anos.
Embora a Via Láctea nunca tenha colidido com uma galáxia tão
grande quanto a de Andrómeda, há crescentes evidências de ela
ter colidido no passado com galáxias anãs.
• Interações de grande escala como esta são raras. À medida
que o tempo passa, as junções de sistemas do mesmo tornam-
se menos comuns. A maioria das galáxias brilhantes
permaneceu basicamente inalterada nos últimos biliões de anos,
e a taxa global de formação de estrelas provavelmente teve seu
pico há aproximadamente dez biliões de anos.
A formação das galáxias
A formação das galáxias
• Um bilião de anos após o início
da formação de uma galáxia, as
estruturas chave começam a
aparecer. Formam-se
aglomerados globulares, o buraco
negro supermaciço central e um
bolbo galáctico de estrelas pobres
em metal.
A formação das galáxias
A formação das galáxias

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Aula 07 núcleo e cromossomos
Aula 07   núcleo e cromossomosAula 07   núcleo e cromossomos
Aula 07 núcleo e cromossomos
Hamilton Nobrega
 
UNIVERSO - SISTEMA SOLAR - MOVIMENTOS DA TERRA
UNIVERSO - SISTEMA SOLAR - MOVIMENTOS DA TERRAUNIVERSO - SISTEMA SOLAR - MOVIMENTOS DA TERRA
UNIVERSO - SISTEMA SOLAR - MOVIMENTOS DA TERRA
Ana Beatriz Cargnin
 
Propriedades da Matéria - Química
Propriedades da Matéria - QuímicaPropriedades da Matéria - Química
Propriedades da Matéria - Química
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
Silvana Sanches
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
Wellington Sampaio
 
9 ano origem da vida
9  ano origem da vida9  ano origem da vida
9 ano origem da vida
Jane Jeiza
 
Como nascem-estrelas
Como nascem-estrelasComo nascem-estrelas
Como nascem-estrelas
Rildo Borges
 
IV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesIV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espécies
Rebeca Vale
 
I.1 A origem do universo
I.1 A origem do universoI.1 A origem do universo
I.1 A origem do universo
Rebeca Vale
 
O big bang
O big bangO big bang
O big bang
Rildo Borges
 
A Origem Do Universo
A Origem Do UniversoA Origem Do Universo
A Origem Do Universo
Olga Maria
 
Nascimento Morte Estrelas
Nascimento Morte EstrelasNascimento Morte Estrelas
Nascimento Morte Estrelas
bethbal
 
9º aula
9º aula9º aula
9º aula
bioontheweb
 
Teorias evolutivas
Teorias evolutivasTeorias evolutivas
Teorias evolutivas
Raphaell Garcia
 
Introdução à Astronomia
Introdução à AstronomiaIntrodução à Astronomia
Introdução à Astronomia
Colégio Espaço Aberto
 
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
Janaina Alves
 
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Bio
 
Codominancia e letalidade
Codominancia e letalidadeCodominancia e letalidade
Codominancia e letalidade
Colégio Batista de Mantena
 
Big Bang
Big BangBig Bang
Big Bang
nickson1992
 

Mais procurados (20)

Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Reino Animal
 
Aula 07 núcleo e cromossomos
Aula 07   núcleo e cromossomosAula 07   núcleo e cromossomos
Aula 07 núcleo e cromossomos
 
UNIVERSO - SISTEMA SOLAR - MOVIMENTOS DA TERRA
UNIVERSO - SISTEMA SOLAR - MOVIMENTOS DA TERRAUNIVERSO - SISTEMA SOLAR - MOVIMENTOS DA TERRA
UNIVERSO - SISTEMA SOLAR - MOVIMENTOS DA TERRA
 
Propriedades da Matéria - Química
Propriedades da Matéria - QuímicaPropriedades da Matéria - Química
Propriedades da Matéria - Química
 
Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
9 ano origem da vida
9  ano origem da vida9  ano origem da vida
9 ano origem da vida
 
Como nascem-estrelas
Como nascem-estrelasComo nascem-estrelas
Como nascem-estrelas
 
IV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesIV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espécies
 
I.1 A origem do universo
I.1 A origem do universoI.1 A origem do universo
I.1 A origem do universo
 
O big bang
O big bangO big bang
O big bang
 
A Origem Do Universo
A Origem Do UniversoA Origem Do Universo
A Origem Do Universo
 
Nascimento Morte Estrelas
Nascimento Morte EstrelasNascimento Morte Estrelas
Nascimento Morte Estrelas
 
9º aula
9º aula9º aula
9º aula
 
Teorias evolutivas
Teorias evolutivasTeorias evolutivas
Teorias evolutivas
 
Introdução à Astronomia
Introdução à AstronomiaIntrodução à Astronomia
Introdução à Astronomia
 
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
 
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
 
Codominancia e letalidade
Codominancia e letalidadeCodominancia e letalidade
Codominancia e letalidade
 
Big Bang
Big BangBig Bang
Big Bang
 

Destaque

Modelos do Universo
Modelos do UniversoModelos do Universo
Modelos do Universo
fbsantos
 
Las galaxias
Las galaxiasLas galaxias
Las galaxias
Segundo Medio A
 
Sistema solar
Sistema solarSistema solar
Sistema solar
Arlete Capitao
 
fases da lua e eclipses
  fases da lua e eclipses  fases da lua e eclipses
fases da lua e eclipses
dinartegaspar
 
6 ano o universo e o sistema solar
6 ano o universo e o sistema solar6 ano o universo e o sistema solar
6 ano o universo e o sistema solar
crisbassanimedeiros
 
Movimentos da terra
Movimentos da terraMovimentos da terra
Movimentos da terra
dinartegaspar
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
Professor
 

Destaque (7)

Modelos do Universo
Modelos do UniversoModelos do Universo
Modelos do Universo
 
Las galaxias
Las galaxiasLas galaxias
Las galaxias
 
Sistema solar
Sistema solarSistema solar
Sistema solar
 
fases da lua e eclipses
  fases da lua e eclipses  fases da lua e eclipses
fases da lua e eclipses
 
6 ano o universo e o sistema solar
6 ano o universo e o sistema solar6 ano o universo e o sistema solar
6 ano o universo e o sistema solar
 
Movimentos da terra
Movimentos da terraMovimentos da terra
Movimentos da terra
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 

Semelhante a A formação das galáxias

Aula (março 14)
Aula (março 14)Aula (março 14)
Aula (março 14)
Manoel Junior
 
3 ° aula
3 ° aula3 ° aula
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
guestf7e853
 
Saturno
SaturnoSaturno
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃOAstronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Nuricel Aguilera
 
Espaço
EspaçoEspaço
Espaço
oalvesegay
 
Espaço
EspaçoEspaço
Espaço
oalvesegay
 
Via láctea d
Via láctea dVia láctea d
Via láctea d
Escola Dromos - DF
 
Via láctea d 3
Via láctea d 3Via láctea d 3
Via láctea d 3
Escola Dromos - DF
 
Objetos estelares
Objetos estelaresObjetos estelares
Objetos estelares
Ana Paula Roldão
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
karolpoa
 
FormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema SolarFormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema Solar
Cidalia Aguiar
 
Formação do Sistema Solar
Formação do Sistema SolarFormação do Sistema Solar
Formação do Sistema Solar
guestdbe434
 
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema SolarC:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
guestd7f9cbb
 
Astronomia
AstronomiaAstronomia
1.1 terra no espaã§o - universo - informaã§ã£o
1.1   terra no espaã§o - universo - informaã§ã£o1.1   terra no espaã§o - universo - informaã§ã£o
1.1 terra no espaã§o - universo - informaã§ã£o
Ana Garcez
 
Sistema solar
Sistema solarSistema solar
Sistema solar
Raphael Zanandrais
 
Projecto do G.A.T. - EBSSC
Projecto do G.A.T. - EBSSCProjecto do G.A.T. - EBSSC
Projecto do G.A.T. - EBSSC
Joaogil Nóbrega
 
Biologia e geologia - Saturno
Biologia e geologia - SaturnoBiologia e geologia - Saturno
Biologia e geologia - Saturno
Sara Afonso
 
Aula formação do universo
Aula formação do universoAula formação do universo
Aula formação do universo
kaliandra Lisboa
 

Semelhante a A formação das galáxias (20)

Aula (março 14)
Aula (março 14)Aula (março 14)
Aula (março 14)
 
3 ° aula
3 ° aula3 ° aula
3 ° aula
 
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
 
Saturno
SaturnoSaturno
Saturno
 
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃOAstronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
Astronomia 3 - SISTEMA SOLAR E SUA FORMAÇÃO
 
Espaço
EspaçoEspaço
Espaço
 
Espaço
EspaçoEspaço
Espaço
 
Via láctea d
Via láctea dVia láctea d
Via láctea d
 
Via láctea d 3
Via láctea d 3Via láctea d 3
Via láctea d 3
 
Objetos estelares
Objetos estelaresObjetos estelares
Objetos estelares
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
FormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema SolarFormaçãO Do Sistema Solar
FormaçãO Do Sistema Solar
 
Formação do Sistema Solar
Formação do Sistema SolarFormação do Sistema Solar
Formação do Sistema Solar
 
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema SolarC:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
C:\Fakepath\FormaçãO Do Sistema Solar
 
Astronomia
AstronomiaAstronomia
Astronomia
 
1.1 terra no espaã§o - universo - informaã§ã£o
1.1   terra no espaã§o - universo - informaã§ã£o1.1   terra no espaã§o - universo - informaã§ã£o
1.1 terra no espaã§o - universo - informaã§ã£o
 
Sistema solar
Sistema solarSistema solar
Sistema solar
 
Projecto do G.A.T. - EBSSC
Projecto do G.A.T. - EBSSCProjecto do G.A.T. - EBSSC
Projecto do G.A.T. - EBSSC
 
Biologia e geologia - Saturno
Biologia e geologia - SaturnoBiologia e geologia - Saturno
Biologia e geologia - Saturno
 
Aula formação do universo
Aula formação do universoAula formação do universo
Aula formação do universo
 

A formação das galáxias

  • 2. • Os modelos cosmológicos atuais do início do universo são baseados na teoria do Big Bang.
  • 3. • O Big Bang, ou grande explosão, também conhecido como modelo da grande explosão térmica, onde, enquanto o Universo se expande, a radiação contida e a matéria se esfriam.
  • 5. • Galáxia é um termo que se origina da palavra gala, que significa "leite", em grego. Inicialmente, era a denominação da nossa galáxia, a Via Láctea, e, depois, se generalizou como denominação de todas as demais.
  • 6. • Cerca de 300 mil anos depois deste evento, átomos de hidrogénio e hélio começaram a formar-se, num evento chamado “recombinação” • A galáxia é uma coleção de massas solares que podem conter entre 100 mil e 3.000 bilhões de estrelas. • As galáxias são compostas por nuvens de gás e poeira, um grande número de estrelas, planetas, cometas e asteroides e diversos corpos celestes unidos pela ação da força gravitacional.
  • 7. • Numa noite estrelada, podemos ver uma faixa esbranquiçada que corta o céu. Essa "faixa" de astros é apenas uma parte da galáxia onde está localizado o planeta Terra. Os antigos a denominaram Via Láctea, cujo significado em latim é "caminho de leite". • A Via Láctea pertence a um conjunto, ou seja, uma aglomerado de diversas galáxias. O Universo contém mais de 200 bilhões de galáxias de tamanho e formas variadas.
  • 10. Todas as espirais têm duas componentes morfológicas • disco composto de estrelas, gás e poeira. No disco encontra-se a estrutura espiral • esferoide de estrelas, com pouco gás e pouca poeira: núcleo, bojo e halo. • classificam-se de acordo com a tamanho do bojo e grau de enrolamento dos braços espirais.
  • 11. Os braços espirais partem do núcleo • Sa: núcleo maior, braços pequenos e bem enrolados • Sb: núcleo e braços intermediários • Sc: núcleo menor, braços grandes e mais abertos
  • 12. Espirais barradas: os braços espirais partem de uma barra formada de estrelas • SBa • SBb • SBc
  • 13. Só tem a componente esferoidal, mostrando pouca estrutura interna. • • forma elíptica • • não têm disco, braços espirais, nem gás nem poeira Classificam-se de acordo com o achatamento aparente (n) • • E0 é circular: b/a=1 • • E7 é a mais achatada. (b/a=0,3) • • n = 10x(1-b/a)
  • 15. • Apresentam estrutura irregular, caótica.
  • 16. • Assume-se que as estrelas e o gás são mantidos em sua órbita pela massa interna à órbita. • Gravitação universal: Onde • M(R) = massa interior ao raio R • Vrot = velocidade de rotação
  • 18. • Teorema do Virial: •
  • 19. • M = massa total da galáxia • v = velocidade média das estrelas • R = raio da galáxia
  • 23. • Tendo em vista as distâncias entre as estrelas, a grande maioria dos sistemas estelares em galáxias que colidem não é afetada. Entretanto, a remoção gravitacional do gás e poeira interestelares que formam os braços espirais produz uma longa cadeia de estrelas conhecida como caudas de maré. • Como exemplo de tais interações, a Via Láctea e a vizinha Galáxia de Andrómeda aproximam-se uma em direção à outra a cerca de 130 km/s e – dependendo dos movimentos laterais – as duas podem vir a colidir dentro de cinco a seis biliões de anos. Embora a Via Láctea nunca tenha colidido com uma galáxia tão grande quanto a de Andrómeda, há crescentes evidências de ela ter colidido no passado com galáxias anãs. • Interações de grande escala como esta são raras. À medida que o tempo passa, as junções de sistemas do mesmo tornam- se menos comuns. A maioria das galáxias brilhantes permaneceu basicamente inalterada nos últimos biliões de anos, e a taxa global de formação de estrelas provavelmente teve seu pico há aproximadamente dez biliões de anos.
  • 26. • Um bilião de anos após o início da formação de uma galáxia, as estruturas chave começam a aparecer. Formam-se aglomerados globulares, o buraco negro supermaciço central e um bolbo galáctico de estrelas pobres em metal.