SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Sintaxe – é a parte da gramática que estuda as
relações entre as palavras que formam a frase, entre
as orações que formam um período e entre as frases
que formam um discurso.
Sintaxe - Termos da oração
São termos essenciais da oração: sujeito e predicado.
Sujeito
O sujeito é um termo
essencial da oração
sobre o qual se faz uma
declaração e pode ser
classificado em vários
tipos, de acordo com o
núcleo que apresenta.
SUJEITO
•É termo essencial da oração.
•É um termo oracional subordinado ao verbo.
•Em regra, apresenta um substantivo como núcleo. Quando não for
um substantivo, poderá o núcleo ser constituído por um pronome, um
numeral ou, ainda, um verbo.
•Seu núcleo não pode ser preposicionado.
•É o termo com o qual o verbo concorda em número e pessoa, salvo
raríssimas exceções.
•Pode ser simples, composto, oculto (elíptico/desinencial),
indeterminado, oracional ou, ainda, inexistente.
Como posso identificar o sujeito em uma oração?
Geralmente para encontrar o sujeito faz-se a pergunta o quê? (para coisa)
e quem? (para pessoa) ao verbo/predicado da oração.
Exemplo:
O aumento dos preços dos combustíveis nos postos assustou o brasileiro.
Quem/o que assustou o brasileiro? O aumento dos preços dos combustíveis.
Sendo assim, “O aumento dos preços dos combustíveis” é o sujeito.
Retirando o sujeito, o que sobra é o predicado (assustou o brasileiro).
O sujeito poder aparecer no início, no meio ou no final da oração. Veja.
 É fundamental a criação de uma nova empresa.
O que é fundamental? A criação de uma nova empresa (sujeito).
Atenção! Em regra, o verbo concorda com o núcleo do sujeito e o núcleo do
sujeito não deve estar preposicionado,ou seja, não poder vir acompanhado de
preposição. Exemplo: de, para com, sem, da (de+a), do (de+o), etc.
Exemplo:
A oferta de medicação domiciliar pelas operadoras de planos de
saúde traz efeito positivo aos beneficiários.
Núcleo do sujeito: OFERTA (SEM PREPOSIÇÃO)
ATIVIDADE
Separe o sujeito do predicado e identifique o núcleo do sujeito.
Exemplo
A batucada continuou madrugada afora.
Sujeito= A batucada / Predicado= continuou madrugada afora
Núcleo do sujeito= batucada
a) A animada orquestra volta de novo à cidade.
b) Patrões e empregados continuam as negociações.
c) Deixou rápido o palco o engraçado palhaço.
d) Greves e passeatas são formas de luta dos estudantes.
e) O longo desabafo trouxe-lhe a paz.
f) A psicóloga, o professor e a diretora analisaram o caso.
g) As duas meninas passeavam pela calçada.
TIPOS DE SUJEITO
COMPOSTO
Sujeito composto é aquele que possui mais de um núcleo.
Núcleo: eu/ela
SUJEITO DESINENCIAL, ELÍPTICO OU OCULTO
É aqueleque não está explícito na
oração, mas pode ser determinado
pela flexão número-pessoa do verbo
ou por sua presença em alguma
oração antecedente.
Exemplo: quem vagou por anos e
anos? (ele/ela)
INDETERMINADO
É aquele no qual não é possível identificar um
referente explícito na oração (ou no contexto do
enunciado) para a flexão verbal. Pode ser
construído por:
a) Verbo transitivo direto na 3ª pessoa do plural:
EX: Anunciaram a morte do prefeito.
b)Verbo transitivo indireto, verbo intransitivo ou
verbo de ligação flexionado na 3ª pessoa do
singular + pronome “se” (índice de indeterminação
do sujeito):
EX: Não se fala da morte do prefeito no jornal local.
MANEIRAS PRÁTICAS PARA RECONHECER O ÍNDICE DE
INDETERMINAÇÃO DO SUJEITO.
 A partícula “se” só recebe essa classificação se os verbos forem
intransitivos, transitivos indiretos e de ligação.
Lembre-se: o “se” como ÍNDICE DE INDERTEMINAÇÃO DO
SUJEITO é usado apenas em VI, VTI ou VL e o verbo ficará sempre na
3ª pessoa do singular.
REVISÃO – O QUE SÃO VTI, VI, VL?
 Verbo transitivo indireto (VTI) exige um complemento e
necessita de uma preposição em sua regência. Exemplo: o verbo
“precisar”. Ele precisa Precisa de quê? (“de” é preposição).
 Verbos intransitivos (VI) NÃO exige um complemento para que
seu sentido seja completo. Exemplos de verbos: viver, cair, etc. O
livro caiu.
 Os verbos de ligação (VI) são utilizados para indicar um estado,
ou seja, as condições em que alguma coisa ou alguém se encontra
(ser, estar, ficar, andar, parecer, etc.). Exemplo: Aqui se é feliz.
(“é” do verbo ser – verbo de ligação)
CUIDADO:
Quando o “se” estiver sendo usado com verbos transitivos diretos (VTD), ou seja, aqueles verbos
que exigem complementos, porém sem preposicão, ou com verbos transitivos diretos e indiretos
(VTDI), como por exemplo o verbo “vender” em “vendem-se”. Quem vende, vende alguma coisa, a
ORAÇÃO TERÁ SUJEITO EXPLÍCITO, pois nesse caso o “se” NÃO É ÍNDICE DE
INDERTEMINAÇÃO DO SUJEITO E SIM PARTÍCULA APASSIVADORA. Sendo assim,
também será possível transformar uma oração na voz passiva sintética em oração na voz passiva
analítica. Veja.
1 - Vendem-se casas. Casas são vendidas.
O mesmo não acontece em
 2- Precisa-se de ajudantes. Ajudantes são precisados.
No exemplo 1, o “se” é partícula apassivadora e a oração tem sujeito explícito (casas).
No exemplo 2, o “se” é índice de inderteminação do sujeito e, portanto a oração tem sujeito
indeterminado.
ORAÇÃO SEM SUJEITO
Ocorre oração sem sujeito quando temos um verbo
impessoal. O verbo é impessoal quando:
- indicar fenômenos da natureza (chover, nevar,
etc.).
- “haver” no sentido de existir.
- “ser”, “estar”, “fazer” e “haver” na indicação
de tempo ou relacionados a fenômenos da
natureza.
Exemplos de oração sem sujeito
Com o verbo "haver" com o sentido de existir:
•Há alunos interessados no curso.
•Havia muitos pratos saborosos.
•Pode haver muita confusão lá.
•Haverá aulas na quinta-feira?
Com os verbos "ser, estar, fazer, haver" quando indicam tempo ou fenômeno natural:
•São três horas agora.
•É cedo.
•Está frio nesta sala.
•Faz um ano que comecei a trabalhar.
•A cada dia, fazia mais calor.
EXERCÍCIOS
1. Quem é o sujeito da oração do texto ao
lado?
a) Uma vida
b) O tiro
c) roubou
d) inteira
2.A respeito da oração contida no primeiro balão da tirinha (COLOCARAM UMA CESTA
COM GATINHOS NA MINHA PORTA), assinale a alternativa correta.
(A) É um exemplo de oração sem sujeito, pois não se pode atribuir a nenhum ser a ação
expressa pela forma verbal colocaram, que é impessoal (não precisa de sujeito).
(B) Nessa oração, o sujeito é simples, pois há apenas um núcleo (porta).
(C) O sujeito dessa oração é indeterminado, pois não está expresso e não é possível determinar
quem praticou a ação expressa pela forma verbal colocaram.
(D) O sujeito da oração é gatinhos e deve ser classificado como composto, já que o substantivo
está no plural.
3. Assinale a alternativa que apresenta um exemplo de SUJEITO
DESINENCIAL, ou seja, SUJEITO OCULTO ou ELÍPTICO que não está
expresso na oração, mas é possível identificá-lo por meio dadesinência verbal.
(A) “Colocaram uma cesta com gatinhos na minha porta!”
(B) “Eles sabem [...]”
(C) “[...] eu não resisto!”
(D) “Adoro cestas!”
4. Leia a seguinte tirinha e assinale a alternativa correta sobre ela.
(A) A oração “Está chovendo [...]” é um exemplo de oração sem sujeito, já que a locução
verbal está chovendo é impessoal e expressa um fenômeno da natureza.
(B) No segundo balão, a oração “A chuva faz bem às plantinhas” não apresenta sujeito, já
que o verbo chuva é impessoal.
(C) O sujeito da oração “Não suporto mais” é classificado como indeterminado, pois não é
possível identificar quem praticou a ação de suportar.
(D) Na oração “[...] há semanas”, o sujeito é semanas.
5. O enunciado da placa "Há vagas" é uma oração, pois apresenta o verbo
"haver". Sendo assim, nessa oração temos
(A) sujeito simples.
(B) oração sem sujeito.
(C) sujeito
(D) indeterminado.
(E) sujeito oculto.
6. A tirinha de Jean Galvão faz referência a um assunto muito recorrente nas
aulas de Português. A respeito da identificação e classificação do sujeito,
conforme prescreve a norma gramatical, é INCORRETO afirmar que
(A) no 1.º quadrinho, o “se” empregado nos três períodos escritos na lousa (“Precisa-se de
empregados”, “Assiste-se a bons filmes” e “Vende-se casas”) exemplifica a ocorrência de índice de
indeterminação do sujeito nos dois primeiros e partícula apassivadora no último.
(B) o período “Vende-se casas”, no 1.º quadrinho, está riscado porque contém um erro de
concordância verbal: o verbo transitivo direto “vender” deveria ser flexionado no plural para
concordar com o sujeito paciente “casas”.
(C) nas três ocorrências, presentes nos períodos escritos na lousa, o “se” exerce a função sintática de
índice de indeterminação do sujeito, e, para estabelecerem a concordância verbal de acordo com a
norma culta, os verbos devem permanecer no singular.
(D) no contexto da tira, o adjetivo “indeterminado” pode ser associado a um sentido genérico, não
ao critério gramatical, porque apenas qualifica como se sente a personagem (o sujeito), após um dia
exaustivo na escola.
(E) se, no último quadrinho, o garoto analisasse sintaticamente a frase proferida pela mãe,
conforme a norma gramatical, ele responderia assim: "sujeito simples, quem"

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação diagnóstica de língua inglesa 9º ano
Avaliação diagnóstica de língua inglesa 9º anoAvaliação diagnóstica de língua inglesa 9º ano
Avaliação diagnóstica de língua inglesa 9º ano
Escola
 
Aula 1 estrutura e formação de palavras
Aula 1   estrutura e formação de palavrasAula 1   estrutura e formação de palavras
Aula 1 estrutura e formação de palavras
Cooperativa do Saber
 
Tipos de predicado
Tipos de predicadoTipos de predicado
Tipos de predicado
Vivian gusm?
 
Oracões subordinadas adjetivas
Oracões subordinadas adjetivasOracões subordinadas adjetivas
Oracões subordinadas adjetivas
Christiane Queiroz
 

Mais procurados (20)

BALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptx
BALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptxBALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptx
BALADÃO DOS DESCRITORES-1.pptx
 
Tales - Formação de palavras com gabarito
Tales - Formação de palavras com gabaritoTales - Formação de palavras com gabarito
Tales - Formação de palavras com gabarito
 
Avaliação diagnóstica de língua inglesa 9º ano
Avaliação diagnóstica de língua inglesa 9º anoAvaliação diagnóstica de língua inglesa 9º ano
Avaliação diagnóstica de língua inglesa 9º ano
 
Aula 1 estrutura e formação de palavras
Aula 1   estrutura e formação de palavrasAula 1   estrutura e formação de palavras
Aula 1 estrutura e formação de palavras
 
Aula de ortografia
Aula de ortografiaAula de ortografia
Aula de ortografia
 
Sintaxe , Tipos de Sujeito, Tipos de predicado e Exercícios, 7º 8º e 9º
Sintaxe , Tipos de Sujeito, Tipos de predicado e Exercícios, 7º 8º e 9º  Sintaxe , Tipos de Sujeito, Tipos de predicado e Exercícios, 7º 8º e 9º
Sintaxe , Tipos de Sujeito, Tipos de predicado e Exercícios, 7º 8º e 9º
 
Much, many, little and few
Much, many, little and few Much, many, little and few
Much, many, little and few
 
Uso da vírgula
Uso da vírgulaUso da vírgula
Uso da vírgula
 
Frase,oração e período 1
Frase,oração e período 1Frase,oração e período 1
Frase,oração e período 1
 
Tipos de predicado
Tipos de predicadoTipos de predicado
Tipos de predicado
 
Question Tag
Question TagQuestion Tag
Question Tag
 
Oracões subordinadas adjetivas
Oracões subordinadas adjetivasOracões subordinadas adjetivas
Oracões subordinadas adjetivas
 
Substantivação de Palavras.pptx
Substantivação de Palavras.pptxSubstantivação de Palavras.pptx
Substantivação de Palavras.pptx
 
Prova present continuous 7 ano
Prova present continuous 7 anoProva present continuous 7 ano
Prova present continuous 7 ano
 
Frase, oração e período
Frase, oração e períodoFrase, oração e período
Frase, oração e período
 
Ab1 Avaliação Inglês 8 ano
Ab1 Avaliação Inglês 8 anoAb1 Avaliação Inglês 8 ano
Ab1 Avaliação Inglês 8 ano
 
Verbos
VerbosVerbos
Verbos
 
Simple past - verbos regulares
Simple past - verbos regularesSimple past - verbos regulares
Simple past - verbos regulares
 
Lista de Exercícios sobre o Simple Past e Past Continuous
Lista de Exercícios sobre o Simple Past e Past ContinuousLista de Exercícios sobre o Simple Past e Past Continuous
Lista de Exercícios sobre o Simple Past e Past Continuous
 
Tipos de sujeito e predicado- exercícios
Tipos de sujeito e predicado-   exercícios Tipos de sujeito e predicado-   exercícios
Tipos de sujeito e predicado- exercícios
 

Semelhante a 1Slides - SUJEITO.pptx

Aula 13
Aula 13Aula 13
Aula 13
gsbq
 
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptx
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptxAula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptx
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptx
Lili Lod
 
Análise sintática
Análise sintáticaAnálise sintática
Análise sintática
Rebeca Kaus
 
Revisão - SUJEITO E TIPOS DE SUJEITO.pptx
Revisão - SUJEITO E TIPOS DE SUJEITO.pptxRevisão - SUJEITO E TIPOS DE SUJEITO.pptx
Revisão - SUJEITO E TIPOS DE SUJEITO.pptx
BiancaNogueira42
 

Semelhante a 1Slides - SUJEITO.pptx (20)

14ª lista de exercícios português
14ª lista de exercícios   português14ª lista de exercícios   português
14ª lista de exercícios português
 
Aula 13
Aula 13Aula 13
Aula 13
 
sujeito.pptx
sujeito.pptxsujeito.pptx
sujeito.pptx
 
PORTUGUES
PORTUGUESPORTUGUES
PORTUGUES
 
Trabalho de portugues ATUALIZADO
Trabalho de portugues ATUALIZADOTrabalho de portugues ATUALIZADO
Trabalho de portugues ATUALIZADO
 
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptx
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptxAula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptx
Aula 3 - Frase, oração e período_Análise Sintática_Termos Essenciais.pptx
 
4 apostila analise sintatico
4 apostila analise sintatico4 apostila analise sintatico
4 apostila analise sintatico
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Sujeito e Predicado
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Sujeito e Predicadowww.ensinofundamental.net.br - Português -  Sujeito e Predicado
www.ensinofundamental.net.br - Português - Sujeito e Predicado
 
www.aulasapoio.com.br - Português - Sujeito e Predicado
www.aulasapoio.com.br  - Português -  Sujeito e Predicadowww.aulasapoio.com.br  - Português -  Sujeito e Predicado
www.aulasapoio.com.br - Português - Sujeito e Predicado
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Sujeito e Predicado
www.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Sujeito e Predicadowww.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Sujeito e Predicado
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Sujeito e Predicado
 
www.videoaulagratisapoio.com.br - Português - Sujeito e Predicado
www.videoaulagratisapoio.com.br - Português -  Sujeito e Predicadowww.videoaulagratisapoio.com.br - Português -  Sujeito e Predicado
www.videoaulagratisapoio.com.br - Português - Sujeito e Predicado
 
Tipos de Sujeito
Tipos de SujeitoTipos de Sujeito
Tipos de Sujeito
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
 
lisaprofportugues.blogspot.com
lisaprofportugues.blogspot.comlisaprofportugues.blogspot.com
lisaprofportugues.blogspot.com
 
Análise sintática
Análise sintáticaAnálise sintática
Análise sintática
 
Português - Termos Essenciais da Oração - Sujeito e Predicado - CentroApoio.c...
Português - Termos Essenciais da Oração - Sujeito e Predicado - CentroApoio.c...Português - Termos Essenciais da Oração - Sujeito e Predicado - CentroApoio.c...
Português - Termos Essenciais da Oração - Sujeito e Predicado - CentroApoio.c...
 
Rock do Sujeito.pdf
Rock do Sujeito.pdfRock do Sujeito.pdf
Rock do Sujeito.pdf
 
Revisão - SUJEITO E TIPOS DE SUJEITO.pptx
Revisão - SUJEITO E TIPOS DE SUJEITO.pptxRevisão - SUJEITO E TIPOS DE SUJEITO.pptx
Revisão - SUJEITO E TIPOS DE SUJEITO.pptx
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 

Último (20)

MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 

1Slides - SUJEITO.pptx

  • 1. Sintaxe – é a parte da gramática que estuda as relações entre as palavras que formam a frase, entre as orações que formam um período e entre as frases que formam um discurso. Sintaxe - Termos da oração
  • 2.
  • 3. São termos essenciais da oração: sujeito e predicado. Sujeito O sujeito é um termo essencial da oração sobre o qual se faz uma declaração e pode ser classificado em vários tipos, de acordo com o núcleo que apresenta.
  • 4. SUJEITO •É termo essencial da oração. •É um termo oracional subordinado ao verbo. •Em regra, apresenta um substantivo como núcleo. Quando não for um substantivo, poderá o núcleo ser constituído por um pronome, um numeral ou, ainda, um verbo. •Seu núcleo não pode ser preposicionado. •É o termo com o qual o verbo concorda em número e pessoa, salvo raríssimas exceções. •Pode ser simples, composto, oculto (elíptico/desinencial), indeterminado, oracional ou, ainda, inexistente.
  • 5. Como posso identificar o sujeito em uma oração? Geralmente para encontrar o sujeito faz-se a pergunta o quê? (para coisa) e quem? (para pessoa) ao verbo/predicado da oração. Exemplo: O aumento dos preços dos combustíveis nos postos assustou o brasileiro. Quem/o que assustou o brasileiro? O aumento dos preços dos combustíveis. Sendo assim, “O aumento dos preços dos combustíveis” é o sujeito. Retirando o sujeito, o que sobra é o predicado (assustou o brasileiro).
  • 6. O sujeito poder aparecer no início, no meio ou no final da oração. Veja.  É fundamental a criação de uma nova empresa. O que é fundamental? A criação de uma nova empresa (sujeito). Atenção! Em regra, o verbo concorda com o núcleo do sujeito e o núcleo do sujeito não deve estar preposicionado,ou seja, não poder vir acompanhado de preposição. Exemplo: de, para com, sem, da (de+a), do (de+o), etc. Exemplo: A oferta de medicação domiciliar pelas operadoras de planos de saúde traz efeito positivo aos beneficiários. Núcleo do sujeito: OFERTA (SEM PREPOSIÇÃO)
  • 7. ATIVIDADE Separe o sujeito do predicado e identifique o núcleo do sujeito. Exemplo A batucada continuou madrugada afora. Sujeito= A batucada / Predicado= continuou madrugada afora Núcleo do sujeito= batucada a) A animada orquestra volta de novo à cidade. b) Patrões e empregados continuam as negociações. c) Deixou rápido o palco o engraçado palhaço. d) Greves e passeatas são formas de luta dos estudantes. e) O longo desabafo trouxe-lhe a paz. f) A psicóloga, o professor e a diretora analisaram o caso. g) As duas meninas passeavam pela calçada.
  • 9. COMPOSTO Sujeito composto é aquele que possui mais de um núcleo. Núcleo: eu/ela
  • 10. SUJEITO DESINENCIAL, ELÍPTICO OU OCULTO É aqueleque não está explícito na oração, mas pode ser determinado pela flexão número-pessoa do verbo ou por sua presença em alguma oração antecedente. Exemplo: quem vagou por anos e anos? (ele/ela)
  • 11. INDETERMINADO É aquele no qual não é possível identificar um referente explícito na oração (ou no contexto do enunciado) para a flexão verbal. Pode ser construído por: a) Verbo transitivo direto na 3ª pessoa do plural: EX: Anunciaram a morte do prefeito. b)Verbo transitivo indireto, verbo intransitivo ou verbo de ligação flexionado na 3ª pessoa do singular + pronome “se” (índice de indeterminação do sujeito): EX: Não se fala da morte do prefeito no jornal local.
  • 12. MANEIRAS PRÁTICAS PARA RECONHECER O ÍNDICE DE INDETERMINAÇÃO DO SUJEITO.  A partícula “se” só recebe essa classificação se os verbos forem intransitivos, transitivos indiretos e de ligação. Lembre-se: o “se” como ÍNDICE DE INDERTEMINAÇÃO DO SUJEITO é usado apenas em VI, VTI ou VL e o verbo ficará sempre na 3ª pessoa do singular.
  • 13. REVISÃO – O QUE SÃO VTI, VI, VL?  Verbo transitivo indireto (VTI) exige um complemento e necessita de uma preposição em sua regência. Exemplo: o verbo “precisar”. Ele precisa Precisa de quê? (“de” é preposição).  Verbos intransitivos (VI) NÃO exige um complemento para que seu sentido seja completo. Exemplos de verbos: viver, cair, etc. O livro caiu.  Os verbos de ligação (VI) são utilizados para indicar um estado, ou seja, as condições em que alguma coisa ou alguém se encontra (ser, estar, ficar, andar, parecer, etc.). Exemplo: Aqui se é feliz. (“é” do verbo ser – verbo de ligação)
  • 14. CUIDADO: Quando o “se” estiver sendo usado com verbos transitivos diretos (VTD), ou seja, aqueles verbos que exigem complementos, porém sem preposicão, ou com verbos transitivos diretos e indiretos (VTDI), como por exemplo o verbo “vender” em “vendem-se”. Quem vende, vende alguma coisa, a ORAÇÃO TERÁ SUJEITO EXPLÍCITO, pois nesse caso o “se” NÃO É ÍNDICE DE INDERTEMINAÇÃO DO SUJEITO E SIM PARTÍCULA APASSIVADORA. Sendo assim, também será possível transformar uma oração na voz passiva sintética em oração na voz passiva analítica. Veja. 1 - Vendem-se casas. Casas são vendidas. O mesmo não acontece em  2- Precisa-se de ajudantes. Ajudantes são precisados. No exemplo 1, o “se” é partícula apassivadora e a oração tem sujeito explícito (casas). No exemplo 2, o “se” é índice de inderteminação do sujeito e, portanto a oração tem sujeito indeterminado.
  • 15. ORAÇÃO SEM SUJEITO Ocorre oração sem sujeito quando temos um verbo impessoal. O verbo é impessoal quando: - indicar fenômenos da natureza (chover, nevar, etc.). - “haver” no sentido de existir. - “ser”, “estar”, “fazer” e “haver” na indicação de tempo ou relacionados a fenômenos da natureza.
  • 16. Exemplos de oração sem sujeito Com o verbo "haver" com o sentido de existir: •Há alunos interessados no curso. •Havia muitos pratos saborosos. •Pode haver muita confusão lá. •Haverá aulas na quinta-feira? Com os verbos "ser, estar, fazer, haver" quando indicam tempo ou fenômeno natural: •São três horas agora. •É cedo. •Está frio nesta sala. •Faz um ano que comecei a trabalhar. •A cada dia, fazia mais calor.
  • 17. EXERCÍCIOS 1. Quem é o sujeito da oração do texto ao lado? a) Uma vida b) O tiro c) roubou d) inteira
  • 18. 2.A respeito da oração contida no primeiro balão da tirinha (COLOCARAM UMA CESTA COM GATINHOS NA MINHA PORTA), assinale a alternativa correta. (A) É um exemplo de oração sem sujeito, pois não se pode atribuir a nenhum ser a ação expressa pela forma verbal colocaram, que é impessoal (não precisa de sujeito). (B) Nessa oração, o sujeito é simples, pois há apenas um núcleo (porta). (C) O sujeito dessa oração é indeterminado, pois não está expresso e não é possível determinar quem praticou a ação expressa pela forma verbal colocaram. (D) O sujeito da oração é gatinhos e deve ser classificado como composto, já que o substantivo está no plural.
  • 19. 3. Assinale a alternativa que apresenta um exemplo de SUJEITO DESINENCIAL, ou seja, SUJEITO OCULTO ou ELÍPTICO que não está expresso na oração, mas é possível identificá-lo por meio dadesinência verbal. (A) “Colocaram uma cesta com gatinhos na minha porta!” (B) “Eles sabem [...]” (C) “[...] eu não resisto!” (D) “Adoro cestas!”
  • 20. 4. Leia a seguinte tirinha e assinale a alternativa correta sobre ela. (A) A oração “Está chovendo [...]” é um exemplo de oração sem sujeito, já que a locução verbal está chovendo é impessoal e expressa um fenômeno da natureza. (B) No segundo balão, a oração “A chuva faz bem às plantinhas” não apresenta sujeito, já que o verbo chuva é impessoal. (C) O sujeito da oração “Não suporto mais” é classificado como indeterminado, pois não é possível identificar quem praticou a ação de suportar. (D) Na oração “[...] há semanas”, o sujeito é semanas.
  • 21. 5. O enunciado da placa "Há vagas" é uma oração, pois apresenta o verbo "haver". Sendo assim, nessa oração temos (A) sujeito simples. (B) oração sem sujeito. (C) sujeito (D) indeterminado. (E) sujeito oculto.
  • 22. 6. A tirinha de Jean Galvão faz referência a um assunto muito recorrente nas aulas de Português. A respeito da identificação e classificação do sujeito, conforme prescreve a norma gramatical, é INCORRETO afirmar que
  • 23. (A) no 1.º quadrinho, o “se” empregado nos três períodos escritos na lousa (“Precisa-se de empregados”, “Assiste-se a bons filmes” e “Vende-se casas”) exemplifica a ocorrência de índice de indeterminação do sujeito nos dois primeiros e partícula apassivadora no último. (B) o período “Vende-se casas”, no 1.º quadrinho, está riscado porque contém um erro de concordância verbal: o verbo transitivo direto “vender” deveria ser flexionado no plural para concordar com o sujeito paciente “casas”. (C) nas três ocorrências, presentes nos períodos escritos na lousa, o “se” exerce a função sintática de índice de indeterminação do sujeito, e, para estabelecerem a concordância verbal de acordo com a norma culta, os verbos devem permanecer no singular. (D) no contexto da tira, o adjetivo “indeterminado” pode ser associado a um sentido genérico, não ao critério gramatical, porque apenas qualifica como se sente a personagem (o sujeito), após um dia exaustivo na escola. (E) se, no último quadrinho, o garoto analisasse sintaticamente a frase proferida pela mãe, conforme a norma gramatical, ele responderia assim: "sujeito simples, quem"