SlideShare uma empresa Scribd logo
Crise e desafios para a
ciência no Brasil
Ildeu de Castro Moreira
Presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
Instituto de Física – UFRJ
Contexto e desafios da ciência no Brasil
1.Avanços da C&T no Brasil
2. Situação atual
3. Principais desafios
1. Educação de qualidade
2. Recursos adequados para C&T
3. Desburocratização e marcos legais
4. Melhorar a qualidade da pesquisa produzida
5. Inovações: tecnológica e social
6. Compartilhar a ciência produzida
Projeto de nação democrática: mais rica,
menos desigual, mais justa e soberana
BRASIL, PAÍS DA CIÊNCIA!
8 DE JULHO
Dia da Fundação da SBPC - Dia Nacional da Ciência
(Lei 10221/2001) - Dia Nacional do Pesquisador (Lei Nº 11.807/2008)
"A SBPC tem hoje uma briga por cidadania:
pelo direito e pela obrigação de lutar pelo
direito individual e social. " [S. Ferreira]
SBPC
Luta pela democracia e pela cidadania
FAPERJ
21 5 1980
SBPC
Luta pela CT&I
Criação do
CNPq e Capes
(1951)
Distribuição de programas de pós-graduação (1998 - 2017)
CURSOS
DE PG
Em discussão no
momento:
critérios de avaliação
Brasil:
% Artigos no Mundo (1985-2015)
0.3
0.8
1.3
1.8
2.3
2.8
3.3
InCitesTM, Thomson Reuters (2012). Report Created: Jul 4, 2015
Data Processed March 18, 2015 Data Source: Web of Science
• Crescimento da Pós-graduação: 20.000 doutores e 58.000 mestres (2016)
• Aumento na produtividade científica. O Brasil ocupa o 13º lugar.
• Resultado de investimentos continuados (CNPq, Capes, Finep, FAPs).
Rank Country Papers
% of total papers in the
world
1 USA 378.625 27,0
2 CHINA 219.281 15,6
3 GERMANY 102.271 7,3
4 ENGLAND 94.660 6,8
5 JAPAN 78.447 5,6
6 FRANCE 70.732 5,0
7 CANADA 62.804 4,5
8 ITALY 61.963 4,4
9 SPAIN 55.096 3,9
10 AUSTRALIA 53.296 3,8
11 INDIA 51.660 3,7
12 SOUTH KOREA 51.051 3,6
13 BRAZIL 38.523 2,7
14 NETHERLANDS 37.570 2,7
15 RUSSIA 29.077 2,1
16 TAIWAN 27.699 2,0
17 SWITZERLAND 27.325 1,9
18 TURKEY 25.510 1,8
19 IRAN 25.415 1,8
100
“Não existe educação de qualidade sem ciência de
qualidade. E não há ciência, tecnologia e inovação de
qualidade sem uma boa educação.” [Luiz Davidovich]
DESAFIO 1
MELHORIA DE QUALIDADE NA
EDUCAÇÃO CIENTÍFICA
CONSTRUÇÃO DE UMA CULTURA CIENTÍFICA
NA SOCIEDADE BRASILEIRA
Nota de estudantes
de centros
tecnológicos e de
institutos e escolas
federais
Economias Média
1º - Xangai-China 613
2º - Cingapura 573
3º - Hong Kong-China 561
4º - Taiwan (Taipei-China) 560
5º - Coreia do Sul 554
6º - Macau-China 538
7º - Japão 536
Média da OCDE 494
56º - Costa Rica 407
57º - Albânia 394
58º - Brasil 391
Economias Média
1º - Xangai-China 580
2º - Hong Kong-China 555
3º - Cingapura 551
4º - Japão 547
5º - Finlândia 545
6º - Estônia 541
7º - Coreia do Sul 538
8º - Vietnã 528
9º - Polônia 526
10º - Canadá 525
Média OCDE 501
57º - Jordânia 409
58º - Argentina 406
59º - Brasil 405
60º - Colômbia 399
61º - Tunísia 398
65º - Peru 373
RANKING DE CIÊNCIAS
DO PISA
RANKING DE
MATEMÁTICA
DO PISA
DESEMPENHO EM EDUCAÇÃO EM
CIÊNCIAS E MATEMÁTICA
Modificações em curso e pouco discutidas:
• Reforma do Ensino Médio
• BNCC do Ensino Médio - Onde está o ensino de ciência?
• Alteração do PIBID e criação de programa de residência docente
COMO MELHORAR A EDUCAÇÃO BÁSICA?
É NECESSÁRIA UMA MAIOR DISCUSSÃO/PARTICIPAÇÃO E AS ENTIDADES
CIENTÍFICAS, AS UNIVERSIDADES E OS PROFESSORES SEREM TAMBÉM OUVIDOS.
DESAFIO 2
RECURSOS PARA CT&I
TRAGÉDIA ANUNCIADA:
EC 95
"A pesquisa caminha mal porque um país em desenvolvimento deveria
reservar um mínimo de 3% de seu Produto Interno Bruto para a pesquisa.
Além disso, é preciso fazer uma política nacionalista." [W. Kerr]
Situação extremamente preocupante do CNPq: 100 mil bolsistas de IC, de PG e de Pesquisa.
Recursos orçamentários para 2018 mantidos em patamar muito baixo
Edital Universal: 2016 (pagamento de 2/3 o valor); 2017 (inexistente); 2018 (???)
CNPQ
2018 2019
0,8 bi
1,2 bi
Número de bolsas e auxílios à pesquisa concedidos pelo CNPq.
Fonte: CNPq / Dados atualizados até junho/2017
Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia - INCT
5
5
1
3
1
2
4
1
5
1
2
4
4
1
Distribuição nacional
252 aprovados
102 financiados, com cortes
FNDCT – Recursos para Pesquisa e Inovação
2006 a 2017
-
1.000
2.000
3.000
4.000
5.000
6.000
7.000
2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017
Milhões
FNDCT - Recursos para Inovação em Empresas e Pesquisa em ICTs
Valores Constantes(IPCA 31/12/2017)
Arrecadação Empréstimo (Empresas) Operações Especiais (Empresas) Pesquisa em ICTs
FNDCT
Contingenciado
2019
2017 2018 2019
? 20.200
364.250
224.000
166.600
Nature – September 2017
Brazil
Xi Jinping – maio 2016
Com informações
de Luiz Davidovich
Dispêndio nacional em P&D em relação ao PIB: 2000 - 2013
INVESTIMENTOS
PRIVADOS
USO ADEQUADO DOS
FUNDOS PARA P&D
DESAFIO 2
RECURSOS PARA CT&I
DESAFIO 3
DESBUROCRATIZAÇÃO
E MARCOS LEGAIS
EC 85/ 2015
Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação (Lei nº 13.243/2016): medidas
para a desburocratização das atividades de C&T no Brasil, incentivo à inovação e à
pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo.
Tem vantagens, mas há desafios para a implantação e riscos.
Construção do Marco Legal da CT&I
10 anos de ações
Cornell University, INSEAD and WIPO
The Global Innovation Index 2016
Global Innovation Index
Em 2011, O Brasil ocupava a 47ª posição - a
melhor colocação já registrada – mas caiu
para a 69ª em 2016 e em 2017. O Brasil ficou
atrás de diversos vizinhos latinos no ranking
regional de inovação.
Na América Latina e Caribe, o país mais bem
colocado é o Chile (46º), seguido por Costa
Rica (53º), México (58º), Panamá (63º),
Colômbia (65º) e Uruguai (67º).
DESAFIO 4
Inovações:
tecnológica
e social
NECESSIDADE DE POLÍTICAS PÚBLICAS ADEQUADAS,
SUBVENÇÃO ECONÔMICA, ETC
https://www.cgee.org.br/documents/10195/734063/percepcao_web.pdf
DESAFIO 5
COMPARTILHAR A CIÊNCIA
E SEUS RESULTADOS
COMUNICAÇÃO PÚBLICA DA CT
Albert Einstein - Berliner Tageblatt, 1924
“A comunidade dos pesquisadores é uma
espécie de órgão do corpo da humanidade:
alimentado por seu sangue, esse órgão
secreta uma substância essencial à vida que
deve ser fornecida a todas as partes do
corpo, na falta da qual ele perecerá.
“(...) é necessário que cada homem que pensa tenha a possibilidade de participar com toda lucidez
dos grandes problemas científicos de sua época e isso, mesmo se sua posição social não lhe
permite consagrar uma parte importante de seu tempo e de sua energia à reflexão científica. É
somente quando cumpre essa importante missão que a ciência adquire, do ponto de vista social, o
direito de existir.”
A IMPORTÂNCIA DA CIÊNCIA
CARTA DAS ENTIDADES CIENTÍFICAS AOS PARLAMENTARES BRASILEIROS
• É muito grave a situação da ciência e tecnologia no País. O contingenciamento de recursos,
em 2017, produziu uma redução drástica nos recursos para a CT&I e universidades públicas.
• A proposta para o Orçamento de 2018, com recursos ainda mais baixos para CT&I, ameaça
seriamente a própria sobrevivência da C&T brasileira e o futuro do País e sua soberania.
• O investimento em CT&I é essencial para garantir o aumento do PIB em períodos de
recessão. E é notável o retorno que o investimento em C&T já proporcionou ao Brasil.
Nós, entidades representativas das comunidades científica, tecnológica e acadêmica
e dos sistemas estaduais de CT&I, alertamos os parlamentares brasileiros sobre
as graves consequências que advirão para a sociedade brasileira caso os recursos
para a CT&I sejam mantidos neste patamar extremamente baixo.
Retorno que o investimento em C&T já proporcionou ao Brasil
• Universidades públicas e EMBRAPA: processo de fixação do nitrogênio (por meio de bactérias):
Eliminação de adubos nitrogenados e aumento grande na produtividade da soja: R$ 15 bilhões/ano.
• Petrobras e laboratórios em universidades: exploração de petróleo em águas profundas e pelo êxito
do Pré-Sal (47% da produção). 60 bilhões de reais/ano
• Empresas de forte protagonismo internacional, como a EMBRAER (carteira de US $ 20 bi) , a
EMBRACO e a WEG [universidades públicas: formação e inovação].
• Saúde pública: melhoria da qualidade de vida dos brasileiros, com o enfrentamento de epidemias
emergentes e o aumento da expectativa de vida dos brasileiros (4 anos/década).
Ligação entre o vírus Zika e a microcefalia: trabalho pioneiro de pesquisadores brasileiros.
Q64. Sabendo que os recursos de qualquer governo são limitados, e que gastar mais com
alguma coisa significa ter que gastar menos com outras, você acredita que o Governo deveria
aumentar, manter ou diminuir os investimentos em investigação científica e tecnológica nos
próximos anos?
78.1%
13.4%
4.8%
3.4%
0.3%
Aumentar os investimentos.
Manter os investimentos.
NS
Diminuir os investimentos.
NR
Só 3% consideram que deveriam diminuir, contra
12% nos EUA. Na Argentina a porcentagem dos
que defendem mais recursos para a C&T alcança
63%, na Suécia, Espanha e França está em 40%, e
cai para cerca de 25% na Alemanha e no UK. Uma
parcela significativa da população destes países
acha que os investimentos em pesquisa devem ser
mantidos como estão.
Percepção pública da Ciência e Tecnologia no Brasil
Nobel de Fisiologia e Medicina:
Harold Varmus (1989)
Jules Hoffman (2011)
Tim Hunt (2001)
Torsten Wiesel (1981)
Nobel de Química:
Martin Chalfie (2008)
Johann Deisenhofer (1988)
Robert Huber (1988)
Ada Yonath (2009)
Dan Shechtmann (2011)
Venkatraman Ramakrishnan (2009)
Jean-Marie Lehn (1987)
Yuan Lee (1986)
Nobel de Física:
Albert Fert (2007)
David Gross (2004)
Serge Haroche (2012)
Claude Cohen-Tannoudji (1977)
Andre Geim (2010)
Robert Laughlin (1998)
Frederic Haldane (2016)
Klaus von Klitzing (1985)
Arthur McDonald (2015)
Takaaki Kajita (2015)
Jerome Friedman (1990)
ESTRATÉGIA PARA 2018 - CT&I NO BRASIL
“Ciência não é gasto, é investimento!”
1. Pressionar o governo e o Congresso: recursos
contingenciados serem repostos em 2018
2. Pressionar para que o montante alocado na Reserva de
Contingência no Orçamento de 2018, referentes a recursos
do FNDCT, sejam progressivamente liberados.
3. Examinar e apoiar os Projetos de Lei no Congresso que
apoiem o Sistema Nacional de CT&I.
4. Reunião do CCT pleno. Levantamento de fontes de
recursos para P&D. Grandes projetos de cooperação
internacional (ESO, CERN, Programa Antar, Torre Alta da
Amazônia, ...)
5. Atuação nos estados para a destinação dos recursos das
FAPs
6. Implantação e aprimoramento do Marco Legal da CT&I
7. Observatório Legislativo – Presença mais organizada em
Brasília. Revogação da EC 95
DESAFIO: PROJETO DE NAÇÃO
GRANDES PROGRAMAS
MOBILIZADORES NACIONAIS
Seminários Temáticos – SBPC 70 Anos
Políticas públicas para o país que queremos
Debate com os presidenciáveis
Compromisso para os candidatos ao Legislativo
CARTA DE PERNAMBUCO
"POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS"
1. A revogação da Emenda Constitucional 95 (a chamada Lei do Teto) ou a sua alteração radical;
2. A recriação do Ministério de CT&I inteiramente destinado a esta área. Ele deve estar articulado e apoiar os
órgãos de CT&I estaduais e municipais e, em especial, as FAPs que estão em grave crise;
3. O impedimento de contingenciamento dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e
Tecnológico (FNDCT) e a recuperação paulatina dos recursos já contingenciados. O uso adequado e o
acompanhamento permanente de todos os fundos públicos de apoio a atividades de P&D;
4. A recuperação dos níveis orçamentários de investimento em CT&I ao valor máximo do período 2009-2014;
5. O estabelecimento da meta de investir 2,0% do Produto Interno Bruto nos recursos para P&D nos próximos
anos, com um planejamento efetivo para alcançar a meta;
6. O apoio e o fortalecimento dos programas e instrumentos essenciais à C&T, como os Institutos Nacionais de
Ciência e Tecnologia (INCTs), o Edital Universal e o Programa de Infraestrutura da Finep (PROINFRA), bem
como a consolidação e modernização de centros nacionais de equipamentos multiusuários;
7. O cumprimento dos acordos internacionais em andamento na área cientifica e o apoio à participação do Brasil
nos grandes programas internacionais de pesquisa que forem julgados adequados para o país;
8. A efetiva aplicação nos níveis federal, estadual e municipal, do novo Marco Legal de CT&I, e o seu
aprimoramento, a partir da avaliação de seu funcionamento. Remoção ou aperfeiçoamento de outras legislações
que dificultem a realização de pesquisas científicas e tecnológicas;
9. A construção de um Plano Nacional de CT&I, com prioridades conectadas com as grandes questões nacionais, e
o estabelecimento de projetos mobilizadores nacionais, em articulação com uma política industrial moderna e
com o apoio a processos e investimentos em inovação nas empresas. O Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia
deve ser articulador desse Plano, que deve destacar o papel decisivo das estruturas estaduais e regionais de CT&I;
10. A melhoria da qualidade da educação em todos os níveis, em particular a educação científica, com a
valorização salarial e simbólica do professor da educação básica, a utilização de metodologias de ensino baseadas
na investigação e o uso adequado de política de cotas;
11. O estabelecimento de gestões públicas que levem em conta os resultados provenientes do conhecimento
científico, respeitem o meio ambiente e promovam a inovação e a inclusão sociais;
12. A defesa da soberania nacional em questões estratégicas como a Petrobrás, a exploração do Pré-sal, as fontes
de energia solar e eólica, a indústria aeronáutica nacional, a política espacial brasileira, e o Marco Civil da
Internet.
http://portal.sbpcnet.org.br/seminarios-tematicos-politicas-publicas-para-o-brasil-que-queremos/
TECENDO A MANHÃ
JOÃO CABRAL DE MELO NETO
UM GALO SOZINHO NÃO TECE UMA MANHÃ:
ELE PRECISARÁ SEMPRE DE OUTROS GALOS.
DE UM QUE APANHE ESSE GRITO QUE ELE
E O LANCE A OUTRO; DE UM OUTRO GALO
QUE APANHE O GRITO QUE UM GALO ANTES
E O LANCE A OUTRO; E DE OUTROS GALOS
QUE COM MUITOS OUTROS GALOS SE CRUZEM
OS FIOS DE SOL DE SEUS GRITOS DE GALO,
PARA QUE A MANHÃ, DESDE UMA TEIA TÊNUE,
SE VÁ TECENDO, ENTRE TODOS OS GALOS.
Muito obrigado!
ildeucastro@gmail.com
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado

C t i minimizando assimetrias cenrios para a 4 cncti 2010
C t i   minimizando assimetrias  cenrios para a 4 cncti 2010C t i   minimizando assimetrias  cenrios para a 4 cncti 2010
C t i minimizando assimetrias cenrios para a 4 cncti 2010
FOPROP
 
Ciência sem Fronteiras
Ciência sem FronteirasCiência sem Fronteiras
Ciência sem Fronteiras
Confap
 
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINAORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
Antônio Diomário de Queiroz
 
Ciência,tecnologia e informação
Ciência,tecnologia e informaçãoCiência,tecnologia e informação
Ciência,tecnologia e informação
Everson Rodrigues
 
A Pesquisa Científica Brasileira
A Pesquisa Científica BrasileiraA Pesquisa Científica Brasileira
A Pesquisa Científica Brasileira
marcelo otenio
 
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e InovaçãoCostituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação
Antônio Diomário de Queiroz
 
Por quê o Brasil não inova?
Por quê o Brasil não inova?Por quê o Brasil não inova?
Por quê o Brasil não inova?
Marcos CAVALCANTI
 
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo HorizontePalestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
Sistema Mineiro de Inovação
 
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteiras
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem FronteirasInternacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteiras
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteiras
cartaconsulta
 
Financiamento Público a Inovação - Aula FGV
Financiamento Público a Inovação - Aula FGVFinanciamento Público a Inovação - Aula FGV
Financiamento Público a Inovação - Aula FGV
Hudson Mendonça
 
Entrevista com ministro Sérgio Rezende
Entrevista com ministro Sérgio RezendeEntrevista com ministro Sérgio Rezende
Entrevista com ministro Sérgio Rezende
Ana Cecilia Americano
 
Do “brain drain” às redes científicas globais.pptx
Do “brain drain” às redes científicas globais.pptxDo “brain drain” às redes científicas globais.pptx
Do “brain drain” às redes científicas globais.pptx
Instituto Diáspora Brasil (IDB)
 
2019-12-03-16-00 IncoDay 2019 - Apresentacao BSRIA 2020 Draft .pdf
2019-12-03-16-00 IncoDay 2019 - Apresentacao BSRIA 2020 Draft .pdf2019-12-03-16-00 IncoDay 2019 - Apresentacao BSRIA 2020 Draft .pdf
2019-12-03-16-00 IncoDay 2019 - Apresentacao BSRIA 2020 Draft .pdf
DanielSieses
 
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...
Antônio Diomário de Queiroz
 
Sociedade informação no_brasil_livro_verde
Sociedade informação no_brasil_livro_verdeSociedade informação no_brasil_livro_verde
Sociedade informação no_brasil_livro_verde
Amorim Albert
 
PRECITYE- BRASIL
PRECITYE- BRASIL PRECITYE- BRASIL
PRECITYE- BRASIL
Esteban Campero
 
A sociedade brasileira e a ciência
A sociedade brasileira e a ciênciaA sociedade brasileira e a ciência
A sociedade brasileira e a ciência
Bruno Henrique Hoinschy
 
Lutando por um Programa Ciencia sem Fronteiras mais inclusivo
Lutando por um Programa Ciencia sem Fronteiras mais inclusivoLutando por um Programa Ciencia sem Fronteiras mais inclusivo
Lutando por um Programa Ciencia sem Fronteiras mais inclusivo
Fundação Getúlio Vargas - EBAPE
 
Manual Fp7
Manual Fp7Manual Fp7
Manual Fp7
nielsleidecker
 
Competitividade e Inovação - Carlos Pacheco - Professor do Instituto de Econo...
Competitividade e Inovação - Carlos Pacheco - Professor do Instituto de Econo...Competitividade e Inovação - Carlos Pacheco - Professor do Instituto de Econo...
Competitividade e Inovação - Carlos Pacheco - Professor do Instituto de Econo...
Confederação Nacional da Indústria
 

Semelhante a 17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado (20)

C t i minimizando assimetrias cenrios para a 4 cncti 2010
C t i   minimizando assimetrias  cenrios para a 4 cncti 2010C t i   minimizando assimetrias  cenrios para a 4 cncti 2010
C t i minimizando assimetrias cenrios para a 4 cncti 2010
 
Ciência sem Fronteiras
Ciência sem FronteirasCiência sem Fronteiras
Ciência sem Fronteiras
 
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINAORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
 
Ciência,tecnologia e informação
Ciência,tecnologia e informaçãoCiência,tecnologia e informação
Ciência,tecnologia e informação
 
A Pesquisa Científica Brasileira
A Pesquisa Científica BrasileiraA Pesquisa Científica Brasileira
A Pesquisa Científica Brasileira
 
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e InovaçãoCostituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação
Costituição de 1988 e o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação
 
Por quê o Brasil não inova?
Por quê o Brasil não inova?Por quê o Brasil não inova?
Por quê o Brasil não inova?
 
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo HorizontePalestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
 
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteiras
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem FronteirasInternacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteiras
Internacionalização do Ensino e o Programa Ciência sem Fronteiras
 
Financiamento Público a Inovação - Aula FGV
Financiamento Público a Inovação - Aula FGVFinanciamento Público a Inovação - Aula FGV
Financiamento Público a Inovação - Aula FGV
 
Entrevista com ministro Sérgio Rezende
Entrevista com ministro Sérgio RezendeEntrevista com ministro Sérgio Rezende
Entrevista com ministro Sérgio Rezende
 
Do “brain drain” às redes científicas globais.pptx
Do “brain drain” às redes científicas globais.pptxDo “brain drain” às redes científicas globais.pptx
Do “brain drain” às redes científicas globais.pptx
 
2019-12-03-16-00 IncoDay 2019 - Apresentacao BSRIA 2020 Draft .pdf
2019-12-03-16-00 IncoDay 2019 - Apresentacao BSRIA 2020 Draft .pdf2019-12-03-16-00 IncoDay 2019 - Apresentacao BSRIA 2020 Draft .pdf
2019-12-03-16-00 IncoDay 2019 - Apresentacao BSRIA 2020 Draft .pdf
 
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...
Posicionamento estratégico de Santa Catarina para a inovação tecnológica nas ...
 
Sociedade informação no_brasil_livro_verde
Sociedade informação no_brasil_livro_verdeSociedade informação no_brasil_livro_verde
Sociedade informação no_brasil_livro_verde
 
PRECITYE- BRASIL
PRECITYE- BRASIL PRECITYE- BRASIL
PRECITYE- BRASIL
 
A sociedade brasileira e a ciência
A sociedade brasileira e a ciênciaA sociedade brasileira e a ciência
A sociedade brasileira e a ciência
 
Lutando por um Programa Ciencia sem Fronteiras mais inclusivo
Lutando por um Programa Ciencia sem Fronteiras mais inclusivoLutando por um Programa Ciencia sem Fronteiras mais inclusivo
Lutando por um Programa Ciencia sem Fronteiras mais inclusivo
 
Manual Fp7
Manual Fp7Manual Fp7
Manual Fp7
 
Competitividade e Inovação - Carlos Pacheco - Professor do Instituto de Econo...
Competitividade e Inovação - Carlos Pacheco - Professor do Instituto de Econo...Competitividade e Inovação - Carlos Pacheco - Professor do Instituto de Econo...
Competitividade e Inovação - Carlos Pacheco - Professor do Instituto de Econo...
 

Mais de slides-mci

11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
slides-mci
 
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
slides-mci
 
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea 09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
slides-mci
 
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
slides-mci
 
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
slides-mci
 
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
slides-mci
 
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
slides-mci
 
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
slides-mci
 
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
slides-mci
 
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
slides-mci
 
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
slides-mci
 
17h00 decio oddone pao de acucar 22 08
17h00 decio oddone pao de acucar 22 0817h00 decio oddone pao de acucar 22 08
17h00 decio oddone pao de acucar 22 08
slides-mci
 
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
slides-mci
 
14h40 marcio remedio 23 08 leme
14h40 marcio remedio 23 08 leme 14h40 marcio remedio 23 08 leme
14h40 marcio remedio 23 08 leme
slides-mci
 
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
slides-mci
 
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
slides-mci
 
11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra
slides-mci
 
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
slides-mci
 
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
slides-mci
 
09h50 dieter 24 09 paodeacucar
09h50 dieter 24 09 paodeacucar09h50 dieter 24 09 paodeacucar
09h50 dieter 24 09 paodeacucar
slides-mci
 

Mais de slides-mci (20)

11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
 
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
 
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea 09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
09h10 1 fernanda delgado 23 08 pedra da gavea
 
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
 
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
 
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
 
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
 
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
 
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
 
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
 
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
 
17h00 decio oddone pao de acucar 22 08
17h00 decio oddone pao de acucar 22 0817h00 decio oddone pao de acucar 22 08
17h00 decio oddone pao de acucar 22 08
 
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
 
14h40 marcio remedio 23 08 leme
14h40 marcio remedio 23 08 leme 14h40 marcio remedio 23 08 leme
14h40 marcio remedio 23 08 leme
 
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
 
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
 
11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra
 
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
 
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
 
09h50 dieter 24 09 paodeacucar
09h50 dieter 24 09 paodeacucar09h50 dieter 24 09 paodeacucar
09h50 dieter 24 09 paodeacucar
 

17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado

  • 1. Crise e desafios para a ciência no Brasil Ildeu de Castro Moreira Presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) Instituto de Física – UFRJ
  • 2. Contexto e desafios da ciência no Brasil 1.Avanços da C&T no Brasil 2. Situação atual 3. Principais desafios 1. Educação de qualidade 2. Recursos adequados para C&T 3. Desburocratização e marcos legais 4. Melhorar a qualidade da pesquisa produzida 5. Inovações: tecnológica e social 6. Compartilhar a ciência produzida Projeto de nação democrática: mais rica, menos desigual, mais justa e soberana
  • 3. BRASIL, PAÍS DA CIÊNCIA!
  • 4. 8 DE JULHO Dia da Fundação da SBPC - Dia Nacional da Ciência (Lei 10221/2001) - Dia Nacional do Pesquisador (Lei Nº 11.807/2008)
  • 5. "A SBPC tem hoje uma briga por cidadania: pelo direito e pela obrigação de lutar pelo direito individual e social. " [S. Ferreira] SBPC Luta pela democracia e pela cidadania
  • 6. FAPERJ 21 5 1980 SBPC Luta pela CT&I Criação do CNPq e Capes (1951)
  • 7. Distribuição de programas de pós-graduação (1998 - 2017)
  • 8. CURSOS DE PG Em discussão no momento: critérios de avaliação
  • 9. Brasil: % Artigos no Mundo (1985-2015) 0.3 0.8 1.3 1.8 2.3 2.8 3.3 InCitesTM, Thomson Reuters (2012). Report Created: Jul 4, 2015 Data Processed March 18, 2015 Data Source: Web of Science
  • 10. • Crescimento da Pós-graduação: 20.000 doutores e 58.000 mestres (2016) • Aumento na produtividade científica. O Brasil ocupa o 13º lugar. • Resultado de investimentos continuados (CNPq, Capes, Finep, FAPs). Rank Country Papers % of total papers in the world 1 USA 378.625 27,0 2 CHINA 219.281 15,6 3 GERMANY 102.271 7,3 4 ENGLAND 94.660 6,8 5 JAPAN 78.447 5,6 6 FRANCE 70.732 5,0 7 CANADA 62.804 4,5 8 ITALY 61.963 4,4 9 SPAIN 55.096 3,9 10 AUSTRALIA 53.296 3,8 11 INDIA 51.660 3,7 12 SOUTH KOREA 51.051 3,6 13 BRAZIL 38.523 2,7 14 NETHERLANDS 37.570 2,7 15 RUSSIA 29.077 2,1 16 TAIWAN 27.699 2,0 17 SWITZERLAND 27.325 1,9 18 TURKEY 25.510 1,8 19 IRAN 25.415 1,8 100
  • 11. “Não existe educação de qualidade sem ciência de qualidade. E não há ciência, tecnologia e inovação de qualidade sem uma boa educação.” [Luiz Davidovich] DESAFIO 1 MELHORIA DE QUALIDADE NA EDUCAÇÃO CIENTÍFICA CONSTRUÇÃO DE UMA CULTURA CIENTÍFICA NA SOCIEDADE BRASILEIRA
  • 12. Nota de estudantes de centros tecnológicos e de institutos e escolas federais Economias Média 1º - Xangai-China 613 2º - Cingapura 573 3º - Hong Kong-China 561 4º - Taiwan (Taipei-China) 560 5º - Coreia do Sul 554 6º - Macau-China 538 7º - Japão 536 Média da OCDE 494 56º - Costa Rica 407 57º - Albânia 394 58º - Brasil 391 Economias Média 1º - Xangai-China 580 2º - Hong Kong-China 555 3º - Cingapura 551 4º - Japão 547 5º - Finlândia 545 6º - Estônia 541 7º - Coreia do Sul 538 8º - Vietnã 528 9º - Polônia 526 10º - Canadá 525 Média OCDE 501 57º - Jordânia 409 58º - Argentina 406 59º - Brasil 405 60º - Colômbia 399 61º - Tunísia 398 65º - Peru 373 RANKING DE CIÊNCIAS DO PISA RANKING DE MATEMÁTICA DO PISA DESEMPENHO EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS E MATEMÁTICA
  • 13. Modificações em curso e pouco discutidas: • Reforma do Ensino Médio • BNCC do Ensino Médio - Onde está o ensino de ciência? • Alteração do PIBID e criação de programa de residência docente COMO MELHORAR A EDUCAÇÃO BÁSICA? É NECESSÁRIA UMA MAIOR DISCUSSÃO/PARTICIPAÇÃO E AS ENTIDADES CIENTÍFICAS, AS UNIVERSIDADES E OS PROFESSORES SEREM TAMBÉM OUVIDOS.
  • 14. DESAFIO 2 RECURSOS PARA CT&I TRAGÉDIA ANUNCIADA: EC 95 "A pesquisa caminha mal porque um país em desenvolvimento deveria reservar um mínimo de 3% de seu Produto Interno Bruto para a pesquisa. Além disso, é preciso fazer uma política nacionalista." [W. Kerr]
  • 15. Situação extremamente preocupante do CNPq: 100 mil bolsistas de IC, de PG e de Pesquisa. Recursos orçamentários para 2018 mantidos em patamar muito baixo Edital Universal: 2016 (pagamento de 2/3 o valor); 2017 (inexistente); 2018 (???) CNPQ 2018 2019 0,8 bi 1,2 bi
  • 16. Número de bolsas e auxílios à pesquisa concedidos pelo CNPq. Fonte: CNPq / Dados atualizados até junho/2017
  • 17.
  • 18. Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia - INCT 5 5 1 3 1 2 4 1 5 1 2 4 4 1 Distribuição nacional 252 aprovados 102 financiados, com cortes
  • 19. FNDCT – Recursos para Pesquisa e Inovação 2006 a 2017 - 1.000 2.000 3.000 4.000 5.000 6.000 7.000 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 Milhões FNDCT - Recursos para Inovação em Empresas e Pesquisa em ICTs Valores Constantes(IPCA 31/12/2017) Arrecadação Empréstimo (Empresas) Operações Especiais (Empresas) Pesquisa em ICTs FNDCT Contingenciado 2019
  • 21.
  • 23. Xi Jinping – maio 2016 Com informações de Luiz Davidovich
  • 24. Dispêndio nacional em P&D em relação ao PIB: 2000 - 2013 INVESTIMENTOS PRIVADOS USO ADEQUADO DOS FUNDOS PARA P&D DESAFIO 2 RECURSOS PARA CT&I
  • 26. Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação (Lei nº 13.243/2016): medidas para a desburocratização das atividades de C&T no Brasil, incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo. Tem vantagens, mas há desafios para a implantação e riscos. Construção do Marco Legal da CT&I 10 anos de ações
  • 27. Cornell University, INSEAD and WIPO The Global Innovation Index 2016 Global Innovation Index Em 2011, O Brasil ocupava a 47ª posição - a melhor colocação já registrada – mas caiu para a 69ª em 2016 e em 2017. O Brasil ficou atrás de diversos vizinhos latinos no ranking regional de inovação. Na América Latina e Caribe, o país mais bem colocado é o Chile (46º), seguido por Costa Rica (53º), México (58º), Panamá (63º), Colômbia (65º) e Uruguai (67º). DESAFIO 4 Inovações: tecnológica e social NECESSIDADE DE POLÍTICAS PÚBLICAS ADEQUADAS, SUBVENÇÃO ECONÔMICA, ETC
  • 28. https://www.cgee.org.br/documents/10195/734063/percepcao_web.pdf DESAFIO 5 COMPARTILHAR A CIÊNCIA E SEUS RESULTADOS COMUNICAÇÃO PÚBLICA DA CT
  • 29. Albert Einstein - Berliner Tageblatt, 1924 “A comunidade dos pesquisadores é uma espécie de órgão do corpo da humanidade: alimentado por seu sangue, esse órgão secreta uma substância essencial à vida que deve ser fornecida a todas as partes do corpo, na falta da qual ele perecerá. “(...) é necessário que cada homem que pensa tenha a possibilidade de participar com toda lucidez dos grandes problemas científicos de sua época e isso, mesmo se sua posição social não lhe permite consagrar uma parte importante de seu tempo e de sua energia à reflexão científica. É somente quando cumpre essa importante missão que a ciência adquire, do ponto de vista social, o direito de existir.” A IMPORTÂNCIA DA CIÊNCIA
  • 30. CARTA DAS ENTIDADES CIENTÍFICAS AOS PARLAMENTARES BRASILEIROS • É muito grave a situação da ciência e tecnologia no País. O contingenciamento de recursos, em 2017, produziu uma redução drástica nos recursos para a CT&I e universidades públicas. • A proposta para o Orçamento de 2018, com recursos ainda mais baixos para CT&I, ameaça seriamente a própria sobrevivência da C&T brasileira e o futuro do País e sua soberania. • O investimento em CT&I é essencial para garantir o aumento do PIB em períodos de recessão. E é notável o retorno que o investimento em C&T já proporcionou ao Brasil. Nós, entidades representativas das comunidades científica, tecnológica e acadêmica e dos sistemas estaduais de CT&I, alertamos os parlamentares brasileiros sobre as graves consequências que advirão para a sociedade brasileira caso os recursos para a CT&I sejam mantidos neste patamar extremamente baixo.
  • 31. Retorno que o investimento em C&T já proporcionou ao Brasil • Universidades públicas e EMBRAPA: processo de fixação do nitrogênio (por meio de bactérias): Eliminação de adubos nitrogenados e aumento grande na produtividade da soja: R$ 15 bilhões/ano. • Petrobras e laboratórios em universidades: exploração de petróleo em águas profundas e pelo êxito do Pré-Sal (47% da produção). 60 bilhões de reais/ano • Empresas de forte protagonismo internacional, como a EMBRAER (carteira de US $ 20 bi) , a EMBRACO e a WEG [universidades públicas: formação e inovação]. • Saúde pública: melhoria da qualidade de vida dos brasileiros, com o enfrentamento de epidemias emergentes e o aumento da expectativa de vida dos brasileiros (4 anos/década). Ligação entre o vírus Zika e a microcefalia: trabalho pioneiro de pesquisadores brasileiros.
  • 32. Q64. Sabendo que os recursos de qualquer governo são limitados, e que gastar mais com alguma coisa significa ter que gastar menos com outras, você acredita que o Governo deveria aumentar, manter ou diminuir os investimentos em investigação científica e tecnológica nos próximos anos? 78.1% 13.4% 4.8% 3.4% 0.3% Aumentar os investimentos. Manter os investimentos. NS Diminuir os investimentos. NR Só 3% consideram que deveriam diminuir, contra 12% nos EUA. Na Argentina a porcentagem dos que defendem mais recursos para a C&T alcança 63%, na Suécia, Espanha e França está em 40%, e cai para cerca de 25% na Alemanha e no UK. Uma parcela significativa da população destes países acha que os investimentos em pesquisa devem ser mantidos como estão. Percepção pública da Ciência e Tecnologia no Brasil
  • 33. Nobel de Fisiologia e Medicina: Harold Varmus (1989) Jules Hoffman (2011) Tim Hunt (2001) Torsten Wiesel (1981) Nobel de Química: Martin Chalfie (2008) Johann Deisenhofer (1988) Robert Huber (1988) Ada Yonath (2009) Dan Shechtmann (2011) Venkatraman Ramakrishnan (2009) Jean-Marie Lehn (1987) Yuan Lee (1986) Nobel de Física: Albert Fert (2007) David Gross (2004) Serge Haroche (2012) Claude Cohen-Tannoudji (1977) Andre Geim (2010) Robert Laughlin (1998) Frederic Haldane (2016) Klaus von Klitzing (1985) Arthur McDonald (2015) Takaaki Kajita (2015) Jerome Friedman (1990)
  • 34.
  • 35. ESTRATÉGIA PARA 2018 - CT&I NO BRASIL “Ciência não é gasto, é investimento!” 1. Pressionar o governo e o Congresso: recursos contingenciados serem repostos em 2018 2. Pressionar para que o montante alocado na Reserva de Contingência no Orçamento de 2018, referentes a recursos do FNDCT, sejam progressivamente liberados. 3. Examinar e apoiar os Projetos de Lei no Congresso que apoiem o Sistema Nacional de CT&I. 4. Reunião do CCT pleno. Levantamento de fontes de recursos para P&D. Grandes projetos de cooperação internacional (ESO, CERN, Programa Antar, Torre Alta da Amazônia, ...) 5. Atuação nos estados para a destinação dos recursos das FAPs 6. Implantação e aprimoramento do Marco Legal da CT&I 7. Observatório Legislativo – Presença mais organizada em Brasília. Revogação da EC 95
  • 36.
  • 37.
  • 38. DESAFIO: PROJETO DE NAÇÃO GRANDES PROGRAMAS MOBILIZADORES NACIONAIS
  • 39. Seminários Temáticos – SBPC 70 Anos Políticas públicas para o país que queremos Debate com os presidenciáveis Compromisso para os candidatos ao Legislativo
  • 40. CARTA DE PERNAMBUCO "POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS" 1. A revogação da Emenda Constitucional 95 (a chamada Lei do Teto) ou a sua alteração radical; 2. A recriação do Ministério de CT&I inteiramente destinado a esta área. Ele deve estar articulado e apoiar os órgãos de CT&I estaduais e municipais e, em especial, as FAPs que estão em grave crise; 3. O impedimento de contingenciamento dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) e a recuperação paulatina dos recursos já contingenciados. O uso adequado e o acompanhamento permanente de todos os fundos públicos de apoio a atividades de P&D; 4. A recuperação dos níveis orçamentários de investimento em CT&I ao valor máximo do período 2009-2014; 5. O estabelecimento da meta de investir 2,0% do Produto Interno Bruto nos recursos para P&D nos próximos anos, com um planejamento efetivo para alcançar a meta; 6. O apoio e o fortalecimento dos programas e instrumentos essenciais à C&T, como os Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs), o Edital Universal e o Programa de Infraestrutura da Finep (PROINFRA), bem como a consolidação e modernização de centros nacionais de equipamentos multiusuários; 7. O cumprimento dos acordos internacionais em andamento na área cientifica e o apoio à participação do Brasil nos grandes programas internacionais de pesquisa que forem julgados adequados para o país;
  • 41. 8. A efetiva aplicação nos níveis federal, estadual e municipal, do novo Marco Legal de CT&I, e o seu aprimoramento, a partir da avaliação de seu funcionamento. Remoção ou aperfeiçoamento de outras legislações que dificultem a realização de pesquisas científicas e tecnológicas; 9. A construção de um Plano Nacional de CT&I, com prioridades conectadas com as grandes questões nacionais, e o estabelecimento de projetos mobilizadores nacionais, em articulação com uma política industrial moderna e com o apoio a processos e investimentos em inovação nas empresas. O Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia deve ser articulador desse Plano, que deve destacar o papel decisivo das estruturas estaduais e regionais de CT&I; 10. A melhoria da qualidade da educação em todos os níveis, em particular a educação científica, com a valorização salarial e simbólica do professor da educação básica, a utilização de metodologias de ensino baseadas na investigação e o uso adequado de política de cotas; 11. O estabelecimento de gestões públicas que levem em conta os resultados provenientes do conhecimento científico, respeitem o meio ambiente e promovam a inovação e a inclusão sociais; 12. A defesa da soberania nacional em questões estratégicas como a Petrobrás, a exploração do Pré-sal, as fontes de energia solar e eólica, a indústria aeronáutica nacional, a política espacial brasileira, e o Marco Civil da Internet. http://portal.sbpcnet.org.br/seminarios-tematicos-politicas-publicas-para-o-brasil-que-queremos/
  • 42. TECENDO A MANHÃ JOÃO CABRAL DE MELO NETO UM GALO SOZINHO NÃO TECE UMA MANHÃ: ELE PRECISARÁ SEMPRE DE OUTROS GALOS. DE UM QUE APANHE ESSE GRITO QUE ELE E O LANCE A OUTRO; DE UM OUTRO GALO QUE APANHE O GRITO QUE UM GALO ANTES E O LANCE A OUTRO; E DE OUTROS GALOS QUE COM MUITOS OUTROS GALOS SE CRUZEM OS FIOS DE SOL DE SEUS GRITOS DE GALO, PARA QUE A MANHÃ, DESDE UMA TEIA TÊNUE, SE VÁ TECENDO, ENTRE TODOS OS GALOS. Muito obrigado! ildeucastro@gmail.com