SlideShare uma empresa Scribd logo
A retomada da Indústria do
Petróleo e Gás no Brasil
Rio de Janeiro
22 de agosto de 2018
Décio Oddone
Diretor Geral
NOTA
• Este documento foi preparado pela ANP e apresenta as
melhores estimativas, com base nos dados disponíveis.
• Entretanto, não há garantia de realização para os
valores previstos ou estimados.
• Os dados, informações, opiniões, estimativas e
projeções apresentados neste documento são sujeitos
a alteração sem prévio aviso.
Exploração e Produção
Conclusões
Cenário
Agenda
Rodadas
Medidas realizadas e em andamento
A competição nos mercados globais de energia se intensificará
O mix de energia global será o mais diversificado que o mundo já viu até 2040, com
petróleo, gás, carvão e combustíveis não-fósseis, cada um contribuindo com cerca de 25%
Demanda por petróleo crescerá, mas atingirá seu pico no final da década de 2030
A demanda por gás natural cresce fortemente e ultrapassa o carvão como a segunda maior fonte de
energia. Será responsável por cerca de um terço do aumento da demanda global de energia.
As energias renováveis ​​são de longe a fonte de combustível que crescerá mais rapidamente,
aumentando em cinco vezes e fornecendo cerca de 14% da energia primária
Fonte: BP Energy Outlook 2018
Como será o futuro?
O Brasil precisa impulsionar as atividades de O&G para produzir
suas reservas enquanto ainda são valiosas
Energy
drives the world economies.
• O uso crescente de tecnologias e inovações e a pressão da
sociedade por baixas emissões de carbono acelerarão a
transformação do mix energético
• As mudanças atualmente em curso no mundo da mobilidade
estão evoluindo mais rápido
• Embora haja incerteza em torno da previsão de demanda por
petróleo e seja cedo demais para se preocupar com o fim dos
combustíveis fósseis no curto prazo, as principais empresas
petrolíferas concordam que a demanda por petróleo atingirá o
pico até 2040, levando a um ambiente competitivo para
produzir as reservas em todo o mundo
A transição para
uma economia
de baixo carbono
já começou
“A Idade da Pedra não terminou por falta de pedra – e a Idade
do Petróleo não terminará por falta de petróleo”
Xeque Yamani
Agenda
Exploração e Produção
Conclusões
Cenário
Rodadas
Medidas realizadas e em andamento
Os números não refletem o potencial do país
E&P no Brasil hoje
454
campos
323
blocos
exploratórios
105
grupos de empresas
2,6
Milhões bpd
Produção de Óleo Produção de Gás
115
Milhões m³/d
~21
Bilhões boe
Produção Acumulada Reservas Provadas
~15
Bilhões boe
(Junho/2018) (Junho/2018)
(31/12/17)(31/12/17)
OnshorePolígono do
Pré-sal
Offshore
Convencional
O Brasil é um país de dimensões continentais,
mas…
2bacias sem um
único poço
Menos de5%
da área sedimentar está
contratada
somente 30.000
poços foram perfurados
15.785 bpd
Produção média de óleo por poço
Onshore Pré-Sal
Offshore
Convencional
Três ambientes de E&P
89 poços
Toda a Margem Leste (além
do pré-sal) e a Margem
Equatorial, incluindo áreas de
nova fronteira e grandes
campos maduros
Bacias Maduras e de
Nova Fronteira (boa parte
propensas a gás).
Potencial para o não
convencional.
Um dos melhores plays
exploratórios do mundo,
com as maiores descobertas
offshore de óleo na última
década
633 poços
6.753 poços
1.656 bpd
17bpd
53%39%8%
Produção
* Junho/2018
Produção Terrestre de Óleo
(Junho/2018)
35%
111.195
Indicadoresdosetor deO&G
91 94
108
149
186 182 176
238 232
163
94 85
39
26
10
Poços Exploratórios Concluídos
89%
2011/2017
0
200
400
600
800
2015 2016 2017 2018
Poços de Desenvolvimento
Concluídos
93
*Updated (06/21/18)
70%
2015/2017
2012/2018
38%
2012/2018
0
500
1,000
1,500
2,000
2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018
Thousandbpd
Produção de Óleo do Pós-Sal da BC
4,500
6,500
8,500
10,500
12,500
14,500
16,500
2013 2014 2015 2016 2017 2018
Thousandbpd
Produção Marítima de Óleo das Bacias
do NE
RNCE SEAL
62%
2014/2018 (SEAL)
0
200
400
600
800
1,000
1,200
1,400
1,600
01/2012
06/2012
11/2012
04/2013
09/2013
02/2014
07/2014
12/2014
05/2015
10/2015
03/2016
08/2016
01/2017
06/2017
11/2017
04/2018
Produção de Óleo do Pré-Sal
722%
2012/2018
Thousandbpd
13
EraprecisoadotarmedidaspararetomaraatividadedeE&P
Blocos em oferta nas novas rodadas contêm algumas das
41 áreas excluídas da 9ª Rodada de Licitação em 2007
A exclusão dos blocos provocou a postergação/perda de
bilhões de reais em participações governamentais e tributos
R$ -520 B
Carga Fiscal
(Royalties, PE, IR, Bônus e P,D&I)
US$ 55 bi em bônus até 2012
-4,3 MM bpd adicionais em
2018
R$ -600 B
Investimentos diretos
-30
plataformas até 2017
A maior oportunidade perdida em uma geração
AgendaAgenda
Exploração e Produção
Conclusões
Cenário
Rodadas
Medidas realizadas e em andamento
Medidas realizadas
Final2016
Fim da Operação
Única do Pré-Sal
(Lei 13.365/2016)
2018
Regulamentação
ANP da Isenção
de CL para
contratos até a
13ª Rodada
(Resolução ANP
nº 726/2018)
6
Rodadas
(em 2017/2018)
2017
Calendário de Rodadas até 2019
(Resolução CNPE nº 10/2017)
Nova Política de CL para as
Rodadas
(Resolução CNPE nº 07/2017)
Novas Políticas de E&P
(Resolução CNPE 17/2017)
Prorrogação da Fase Exploratória
11ª e 12ª Rodadas
(Resolução ANP nº 708/2017)
Extensão do REPETRO
(Lei 13.586/2017)
Resultados das Rodadas
Rodada
Blocos
Arrematados
Bônus de Assinatura
(R$ bilhão)
Empresas
Participantes
Empresas
Vencedoras
Ágio
37
(24 onshore e 13
offshore)
3,84 32 17 1.556%
22 8,01 17 12 622%
3 3,3 10 7 261%
3 2,85 14 6 202%
3 3,15 16 7 202%
Total 68 R$ 21,15 Alta competição e resultados recordes!
O novo cenário exploratório no pré-sal
Antes Depois (até 2019)
US$ 80 Bi
R$ 300 Bi
Investimentos
US$ 334 Bi
R$1.240 Bi
Tributos e PGs
2
Milhões bpd
(pico de produção)
17
Plataformas
Centenas de Poços
Resultados potenciais…
*Brent = US$ 70/bbl
Taxa de Câmbio= R$ 3,70/US$
Resultados Potenciais para as seguintes rodadas:
Mas o ciclo do E&P é longo, o licenciamento demora...
Definição de
Blocos
Exploração
Assinatura do
Contrato
Descoberta
Avaliação da
Descoberta
Comercialidade
Desenvolvimento
1º Óleo
Produção
Descomissionamento
Abandono
Da assinatura do contrato ao 1º óleo:
Média histórica: 8 anos (mar) e 6 anos (terra)
Fase de Exploração Fase de Produção
E desde 2013 não foi autorizada qualquer licença para perfuração em área de fronteira (fora de
Campos e Santos)
Por tudo isso, a retomada já contratada ainda vai demorar até o final de 2019 para tomar força
01 02 03
01 Aumentar as atividades
exploratórias
02
Maximizar a produção e
a recuperação dos
reservatórios
03
Os três principais objetivos
Atrair os players corretos
para cada ambiente
Fração Recuperada
Bacia de Campos
14%
Maximizando o FR
FR Final
Brasil
21%
Média Mundial do FR
Bacia de Campos
23%
FR Final
Mundo
35%
*Fonte: Boletim Anual de Reservas (31/12/17)
1% adicional no FR da Bacia de
Campos:
985Mboe
Novas Reservas
1% adicional no FR do
onshore:
200Mboe
Novas Reservas
Atraindo os players corretos
Supermajors
Grandes Empresas
Grandes Empresas
Especialistas em Exploração
Operadores de Campos
Maduros
Pequenas e Médias
Empresas030201
Pré-Sal Offshore Convencional Onshore
Suportadas por fundos de investimentos e demandando fornecedores e empresas de bens e serviço
Projetos em Andamento (Parceria CPRM/Petrobras)
Centro de Referência em
Geociências
Revitalização do
Museu de Ciências da Terra,
que passará a incorporar o
Museu do Petróleo
Rede de Litotecas
(Banco de Rochas)
Os resultados analíticos de isotopia e
geocronologia a serem oferecidos nos
igualarão aos melhores serviços
geológicos mundiais (USGS, GSC,
GSA). A ser instalado no Parque
Tecnológico da UFRJ, próximo à
universidade e a diversas empresas de
tecnologia.
Permitirá a utilização de amostras oriundas
de todo a exploração de O&G do Brasil.
Unidade Central no RJ, fisicamente
integrada aos laboratórios do Centro de
Referência em Geociências. Unidades
satélites em Manaus e Pojuca (BA).
1 2
3
(11.000 m² de área de exposição)
A implementação dos três projetos colocarão o Serviço Geológico do Brasil em uma
nova dimensão, aumentando o conhecimento das bacias brasileiras e favorecendo as
atividades de E&P.
O potencial do Brasil
5,5
Potencial de Produção em 10
anos
O ambiente offshore mais
proeminente
Baixo fator de recuperação na média.
1% adicional no FR Brasil: 2,2 Bi boe
de novas reservas e US$18 Bi em
novos investimentos
Nós mal conhecemos o nosso potencial.
A discussão sobre o aproveitamento
dos recursos não convencional deve
progredir
bpd
M
>50
Novos
FPSOs
Contratado ou em curso Necessidade de destravar
Nova
Fronteira
Campos
Maduros
Monitoramento de incidentes
15.65
18.82
23.83
28.69
2.40 2.40 2.91 2.92
0.17 0.05 0.11 0.22
0
5
10
15
20
25
30
35
2014 2015 2016 2017
Nºdeincidentes/milhãodehoras
trabalhadas
Taxa de incidentes por gravidade
Leve Moderado Grave
2.34
3.45
4.03
0.00
2.45
1.23
11.87
1.63
6.74
2.12
4.14
2.60
1.73 1.69 1.22 0.94 1.15
1.92
0
2
4
6
8
10
12
14
2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017*
FAR
Fatalidades nas instalações offshore
FAR - Brasil FAR - Países referência IRF
Necessidade de se estabelecer benchmarking mundial, de forma a estimularmos o melhor desempenho possível na área de segurança
operacional
AgendaAgenda
Exploração e Produção
Conclusões
Cenário
Rodadas
Medidas realizadas e em andamento
Setembro
28
1º
Semestre
A partir
de
Novembro
3º Q
Cronograma dasRodadas
A ser confirmada:
2018 2019 2020/2021
1ª Onda 2ª Onda
A ser
definido
5a RodadadePartilha
Estimativa de VOIP
não riscado (P50)
17
Bbbl
Legenda
4
áreas
Oferta Permanente Cercade2000blocosdisponíveisindependentedosleilões
Cardápioparaasfuturas rodadasdeconcessão
Oportunidades daCessãoOnerosa
Campos da Cessão
Onerosa
Legenda
US$ 489 Bi
R$1.809 Bi
Tributos e PGs
10.8
Bilhões de boe
( GCA P50)
17
Plataformas
*Brent = US$ 70/bbl
Taxa de Câmbio= R$ 3,70/US$
10
Campos
Agenda
Exploração e Produção
Conclusões
Cenário
Medidas em Andamento
Rodadas
1953
1997
1975 2010
2017
Exploração & Produção
Nova Política de E&P
Reposicionamento da
Petrobras
(foco em grandes campos marítimos e
desinvestimentos em campos maduros)
Monopólio
Petrobras
Contratos de Risco:
impacto mínimo
Fim do Monopólio
(Lei do Petróleo)
Rodadas de Licitação
(Contratos de Concessão)
Nova Lei do Pré-Sal
(Operação Única da
Petrobras – Contratos de
Partilha)
O setor de O&G desde 1950
Trata-se, potencialmente, da maiortransformação no setor, complementando a abertura iniciada em 1997
Mercado
Diversificado
e
Competitivo
Plano de
Desinvestimentos
da Petrobras
Cronograma de
Rodadas e Oferta
Permanente
Necessidade de uma
cadeia de fornecedores e
prestadores de serviços
renovada
Aprimoramentos nas
Políticas Energéticas e
na Regulação
Oportunidade Única no E&P:
- imediata certificação de reservas
- rápido desenvolvimento da produção
- aumento das reservas e da produção
Pela primeira vez uma abertura efetiva do mercado de gás
natural
Refino e abastecimento: criação de um mercado
competitivo, aberto e diversificado
Desenvolvimento de uma cadeia de fornecedores e
serviços diversificada e competitiva
Quadro atualSetor de O&G no Brasil
*Taxa de Câmbio – R$3,70/US$
InvestimentosPotenciaisnospróximos10anos
Elo da Indústria
Investimentos
(US$ bilhões)
Investimentos
(R$ bilhões)
E&P 568 2.102
Refino, Processamento e
Centrais Petroquímicas 58 216
Biocombustíveis 28 105
Dutos de Transporte,
Escoamento e Distribuição 10 35
Logística de Abastecimento 8 31
Total 672 ~2.500
Investimentos muito acima
da capacidade de uma só
empresa
Necessidade de atrair
muitas empresas para
investir no país
PerspectivasSetor de O&G no Brasil
Mais informações:
rodadas.anp.gov.br/pt/
anp.gov.br
Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis - ANP
Av. Rio Branco, 65, 12º - 22º andar
Rio de Janeiro – Brasil
Tel: +55 (21) 2112-8100

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Desafios regulatórios e legais
Desafios regulatórios e legaisDesafios regulatórios e legais
O Regime de Partilha de Produção de Petróleo do Pré-sal
O Regime de Partilha de Produção de Petróleo do Pré-salO Regime de Partilha de Produção de Petróleo do Pré-sal
O Regime de Partilha de Produção de Petróleo do Pré-sal
ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis
 
Óleo e Gás
Óleo e GásÓleo e Gás
Perspectivas para o Gás Natural e o Plano Plurianual de Geologia & Geofísica ...
Perspectivas para o Gás Natural e o Plano Plurianual de Geologia & Geofísica ...Perspectivas para o Gás Natural e o Plano Plurianual de Geologia & Geofísica ...
Perspectivas para o Gás Natural e o Plano Plurianual de Geologia & Geofísica ...
ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis
 
2008 03 - apresentação diagnósticos-desafios
2008 03 - apresentação diagnósticos-desafios2008 03 - apresentação diagnósticos-desafios
2008 03 - apresentação diagnósticos-desafios
Delcídio do Amaral
 
11ª Rodada de Licitações para exploração & produção de óleo e gás
11ª Rodada de Licitações para exploração & produção de óleo e gás11ª Rodada de Licitações para exploração & produção de óleo e gás
11ª Rodada de Licitações para exploração & produção de óleo e gás
ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis
 
Apresentação SPEtro 17-10-2017
Apresentação SPEtro 17-10-2017Apresentação SPEtro 17-10-2017
Apresentação SPEtro 17-10-2017
Gabriel Costa
 
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian FioccaApresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
CartaCapital
 
RIO OIL & GAS
RIO OIL & GASRIO OIL & GAS
RIO OIL & GAS
André Luiz Bernardes
 
Perspectivas e Oportunidades de Investimentos no Brasil
Perspectivas e Oportunidades de Investimentos no Brasil Perspectivas e Oportunidades de Investimentos no Brasil
Perspectivas e Oportunidades de Investimentos no Brasil
ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis
 
Seminário de Avaliação do Mercado de Combustíveis 2015 (Ano-Base 2014)
Seminário de Avaliação do Mercado de Combustíveis 2015 (Ano-Base 2014)Seminário de Avaliação do Mercado de Combustíveis 2015 (Ano-Base 2014)
Seminário de Avaliação do Mercado de Combustíveis 2015 (Ano-Base 2014)
ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis
 
Perspectivas Economia Petróleo - Outubro 2009 Resumido
Perspectivas Economia Petróleo - Outubro 2009 ResumidoPerspectivas Economia Petróleo - Outubro 2009 Resumido
Perspectivas Economia Petróleo - Outubro 2009 Resumido
Aloizio Mercadante
 
As Licitações de Petróleo e Gás Natural da ANP e as Perspectivas Exploratória...
As Licitações de Petróleo e Gás Natural da ANP e as Perspectivas Exploratória...As Licitações de Petróleo e Gás Natural da ANP e as Perspectivas Exploratória...
As Licitações de Petróleo e Gás Natural da ANP e as Perspectivas Exploratória...
ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis
 
A participação do Estado do Espírito Santo na 11ª Rodada de Licitações da ANP
A participação do Estado do Espírito Santo na 11ª Rodada de Licitações da ANPA participação do Estado do Espírito Santo na 11ª Rodada de Licitações da ANP
A participação do Estado do Espírito Santo na 11ª Rodada de Licitações da ANP
ANP - Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis
 
Edição 41 - Petrobras em Ações - Março 2014
 Edição 41 - Petrobras em Ações - Março 2014 Edição 41 - Petrobras em Ações - Março 2014
Edição 41 - Petrobras em Ações - Março 2014
Petrobras
 
Relatório de Sustentabilidade 2010
Relatório de Sustentabilidade 2010Relatório de Sustentabilidade 2010
Relatório de Sustentabilidade 2010
Petrobras
 
1 - Guilherme Papaterra - ANP (II FEERN - 18-10-13)
1 - Guilherme Papaterra - ANP (II FEERN - 18-10-13)1 - Guilherme Papaterra - ANP (II FEERN - 18-10-13)
1 - Guilherme Papaterra - ANP (II FEERN - 18-10-13)
Guilherme Papaterra
 
Excedentes da Cessão Onerosa
 Excedentes da Cessão Onerosa Excedentes da Cessão Onerosa
Excedentes da Cessão Onerosa
Petrobras
 
Gb2013 marcelo schultz_petrobras
Gb2013 marcelo schultz_petrobrasGb2013 marcelo schultz_petrobras
Gb2013 marcelo schultz_petrobras
Galvabrasil
 
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Katcavenum
 

Mais procurados (20)

Desafios regulatórios e legais
Desafios regulatórios e legaisDesafios regulatórios e legais
Desafios regulatórios e legais
 
O Regime de Partilha de Produção de Petróleo do Pré-sal
O Regime de Partilha de Produção de Petróleo do Pré-salO Regime de Partilha de Produção de Petróleo do Pré-sal
O Regime de Partilha de Produção de Petróleo do Pré-sal
 
Óleo e Gás
Óleo e GásÓleo e Gás
Óleo e Gás
 
Perspectivas para o Gás Natural e o Plano Plurianual de Geologia & Geofísica ...
Perspectivas para o Gás Natural e o Plano Plurianual de Geologia & Geofísica ...Perspectivas para o Gás Natural e o Plano Plurianual de Geologia & Geofísica ...
Perspectivas para o Gás Natural e o Plano Plurianual de Geologia & Geofísica ...
 
2008 03 - apresentação diagnósticos-desafios
2008 03 - apresentação diagnósticos-desafios2008 03 - apresentação diagnósticos-desafios
2008 03 - apresentação diagnósticos-desafios
 
11ª Rodada de Licitações para exploração & produção de óleo e gás
11ª Rodada de Licitações para exploração & produção de óleo e gás11ª Rodada de Licitações para exploração & produção de óleo e gás
11ª Rodada de Licitações para exploração & produção de óleo e gás
 
Apresentação SPEtro 17-10-2017
Apresentação SPEtro 17-10-2017Apresentação SPEtro 17-10-2017
Apresentação SPEtro 17-10-2017
 
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian FioccaApresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
 
RIO OIL & GAS
RIO OIL & GASRIO OIL & GAS
RIO OIL & GAS
 
Perspectivas e Oportunidades de Investimentos no Brasil
Perspectivas e Oportunidades de Investimentos no Brasil Perspectivas e Oportunidades de Investimentos no Brasil
Perspectivas e Oportunidades de Investimentos no Brasil
 
Seminário de Avaliação do Mercado de Combustíveis 2015 (Ano-Base 2014)
Seminário de Avaliação do Mercado de Combustíveis 2015 (Ano-Base 2014)Seminário de Avaliação do Mercado de Combustíveis 2015 (Ano-Base 2014)
Seminário de Avaliação do Mercado de Combustíveis 2015 (Ano-Base 2014)
 
Perspectivas Economia Petróleo - Outubro 2009 Resumido
Perspectivas Economia Petróleo - Outubro 2009 ResumidoPerspectivas Economia Petróleo - Outubro 2009 Resumido
Perspectivas Economia Petróleo - Outubro 2009 Resumido
 
As Licitações de Petróleo e Gás Natural da ANP e as Perspectivas Exploratória...
As Licitações de Petróleo e Gás Natural da ANP e as Perspectivas Exploratória...As Licitações de Petróleo e Gás Natural da ANP e as Perspectivas Exploratória...
As Licitações de Petróleo e Gás Natural da ANP e as Perspectivas Exploratória...
 
A participação do Estado do Espírito Santo na 11ª Rodada de Licitações da ANP
A participação do Estado do Espírito Santo na 11ª Rodada de Licitações da ANPA participação do Estado do Espírito Santo na 11ª Rodada de Licitações da ANP
A participação do Estado do Espírito Santo na 11ª Rodada de Licitações da ANP
 
Edição 41 - Petrobras em Ações - Março 2014
 Edição 41 - Petrobras em Ações - Março 2014 Edição 41 - Petrobras em Ações - Março 2014
Edição 41 - Petrobras em Ações - Março 2014
 
Relatório de Sustentabilidade 2010
Relatório de Sustentabilidade 2010Relatório de Sustentabilidade 2010
Relatório de Sustentabilidade 2010
 
1 - Guilherme Papaterra - ANP (II FEERN - 18-10-13)
1 - Guilherme Papaterra - ANP (II FEERN - 18-10-13)1 - Guilherme Papaterra - ANP (II FEERN - 18-10-13)
1 - Guilherme Papaterra - ANP (II FEERN - 18-10-13)
 
Excedentes da Cessão Onerosa
 Excedentes da Cessão Onerosa Excedentes da Cessão Onerosa
Excedentes da Cessão Onerosa
 
Gb2013 marcelo schultz_petrobras
Gb2013 marcelo schultz_petrobrasGb2013 marcelo schultz_petrobras
Gb2013 marcelo schultz_petrobras
 
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
 

Semelhante a 17h00 decio oddone pao de acucar 22 08

J.gabrieli
J.gabrieliJ.gabrieli
J.gabrieli
Luis Nassif
 
DOC_ORADOR_C_11886_K-Comissao-Permanente-CAE-20130917CNJ016_parte2460_RESULTA...
DOC_ORADOR_C_11886_K-Comissao-Permanente-CAE-20130917CNJ016_parte2460_RESULTA...DOC_ORADOR_C_11886_K-Comissao-Permanente-CAE-20130917CNJ016_parte2460_RESULTA...
DOC_ORADOR_C_11886_K-Comissao-Permanente-CAE-20130917CNJ016_parte2460_RESULTA...
HitaloSantos7
 
Webcast sobre Resultados do 4T13 e Plano de Negócios e Gestão 2014-2018
Webcast sobre Resultados do 4T13 e Plano de Negócios e Gestão 2014-2018Webcast sobre Resultados do 4T13 e Plano de Negócios e Gestão 2014-2018
Webcast sobre Resultados do 4T13 e Plano de Negócios e Gestão 2014-2018
Petrobras
 
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
Petrobras
 
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
Petrobras
 
Edição 40 - Petrobras em Ações - Novembro 2013
Edição 40 - Petrobras em Ações - Novembro 2013Edição 40 - Petrobras em Ações - Novembro 2013
Edição 40 - Petrobras em Ações - Novembro 2013
Petrobras
 
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
Petrobras
 
Compra da Refinaria de Pasadena pela Petrobras
Compra da Refinaria de Pasadena pela PetrobrasCompra da Refinaria de Pasadena pela Petrobras
Compra da Refinaria de Pasadena pela Petrobras
encontrocomgabrielli
 
Petroleo e gas
Petroleo e gasPetroleo e gas
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - AtivaEstrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
Ativa Corretora
 
A Indústria do Petróleo
A Indústria do PetróleoA Indústria do Petróleo
Webcast 3T13
Webcast 3T13Webcast 3T13
Webcast 3T13
Petrobras
 
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian FioccaApresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
CartaCapital
 
Aepet
AepetAepet
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
Petrobras
 
Webcast 1T10
Webcast 1T10Webcast 1T10
Webcast 1T10
Petrobras
 
Webcast 1T10
Webcast 1T10Webcast 1T10
Webcast 1T10
Petrobras
 
Apresentação Gabrielli Assembléia Legislativa Ceará
Apresentação Gabrielli Assembléia Legislativa CearáApresentação Gabrielli Assembléia Legislativa Ceará
Apresentação Gabrielli Assembléia Legislativa Ceará
FatoseDados
 
SLK Óleo e Gás - Trabalho MBA - Relacionamento com Investidores
SLK Óleo e Gás - Trabalho MBA - Relacionamento com InvestidoresSLK Óleo e Gás - Trabalho MBA - Relacionamento com Investidores
SLK Óleo e Gás - Trabalho MBA - Relacionamento com Investidores
Viviane Davico
 
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRSDivulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
Petrobras
 

Semelhante a 17h00 decio oddone pao de acucar 22 08 (20)

J.gabrieli
J.gabrieliJ.gabrieli
J.gabrieli
 
DOC_ORADOR_C_11886_K-Comissao-Permanente-CAE-20130917CNJ016_parte2460_RESULTA...
DOC_ORADOR_C_11886_K-Comissao-Permanente-CAE-20130917CNJ016_parte2460_RESULTA...DOC_ORADOR_C_11886_K-Comissao-Permanente-CAE-20130917CNJ016_parte2460_RESULTA...
DOC_ORADOR_C_11886_K-Comissao-Permanente-CAE-20130917CNJ016_parte2460_RESULTA...
 
Webcast sobre Resultados do 4T13 e Plano de Negócios e Gestão 2014-2018
Webcast sobre Resultados do 4T13 e Plano de Negócios e Gestão 2014-2018Webcast sobre Resultados do 4T13 e Plano de Negócios e Gestão 2014-2018
Webcast sobre Resultados do 4T13 e Plano de Negócios e Gestão 2014-2018
 
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
 
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
 
Edição 40 - Petrobras em Ações - Novembro 2013
Edição 40 - Petrobras em Ações - Novembro 2013Edição 40 - Petrobras em Ações - Novembro 2013
Edição 40 - Petrobras em Ações - Novembro 2013
 
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
 
Compra da Refinaria de Pasadena pela Petrobras
Compra da Refinaria de Pasadena pela PetrobrasCompra da Refinaria de Pasadena pela Petrobras
Compra da Refinaria de Pasadena pela Petrobras
 
Petroleo e gas
Petroleo e gasPetroleo e gas
Petroleo e gas
 
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - AtivaEstrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
 
A Indústria do Petróleo
A Indústria do PetróleoA Indústria do Petróleo
A Indústria do Petróleo
 
Webcast 3T13
Webcast 3T13Webcast 3T13
Webcast 3T13
 
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian FioccaApresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
Apresentação do ex-presidente do BNDES Demian Fiocca
 
Aepet
AepetAepet
Aepet
 
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
 
Webcast 1T10
Webcast 1T10Webcast 1T10
Webcast 1T10
 
Webcast 1T10
Webcast 1T10Webcast 1T10
Webcast 1T10
 
Apresentação Gabrielli Assembléia Legislativa Ceará
Apresentação Gabrielli Assembléia Legislativa CearáApresentação Gabrielli Assembléia Legislativa Ceará
Apresentação Gabrielli Assembléia Legislativa Ceará
 
SLK Óleo e Gás - Trabalho MBA - Relacionamento com Investidores
SLK Óleo e Gás - Trabalho MBA - Relacionamento com InvestidoresSLK Óleo e Gás - Trabalho MBA - Relacionamento com Investidores
SLK Óleo e Gás - Trabalho MBA - Relacionamento com Investidores
 
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRSDivulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
 

Mais de slides-mci

11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
slides-mci
 
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
slides-mci
 
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
slides-mci
 
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
slides-mci
 
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
slides-mci
 
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
slides-mci
 
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
slides-mci
 
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
slides-mci
 
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
slides-mci
 
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
slides-mci
 
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
slides-mci
 
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
slides-mci
 
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
slides-mci
 
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
slides-mci
 
11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra
slides-mci
 
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
slides-mci
 
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
slides-mci
 
09h50 dieter 24 09 paodeacucar
09h50 dieter 24 09 paodeacucar09h50 dieter 24 09 paodeacucar
09h50 dieter 24 09 paodeacucar
slides-mci
 
09h10 stv2 paulo vasconcelos 22 08 flamengo
09h10 stv2 paulo vasconcelos 22 08 flamengo09h10 stv2 paulo vasconcelos 22 08 flamengo
09h10 stv2 paulo vasconcelos 22 08 flamengo
slides-mci
 
09h10 st4 renato lima 21 08 leblon
09h10 st4 renato lima 21 08 leblon09h10 st4 renato lima 21 08 leblon
09h10 st4 renato lima 21 08 leblon
slides-mci
 

Mais de slides-mci (20)

11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar11h00 alex bastos  24 08 pao de acucar
11h00 alex bastos 24 08 pao de acucar
 
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
17h10 2 marco braga politica ufrj 21-08 pao de acucar
 
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
17h10 ricardo gotelib 21 08 pao de acucar
 
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar09h10 1  marcelo sperle 24-08 pao de acucar
09h10 1 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
 
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar14h40 2   marcelo sperle 24-08 pao de acucar
14h40 2 marcelo sperle 24-08 pao de acucar
 
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
11h00 st11 elton dantas 22 8 urca
 
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
09h10 victor ramos 23 08 - corcovado
 
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
09h10 ricardo hirata 22 09 pontal
 
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
17h10 mesa redonda ildeu moreira 23 08 - corcovado
 
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
17h10 marcus marques 21 08 pao de acucar
 
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
17h10 1 marco braga acidentes 21 08 pao de acucar
 
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
15h20 marcelo sperle 24 08 pao de acucar
 
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra14h00 rosangela botelho 22 08 barra
14h00 rosangela botelho 22 08 barra
 
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
11h00 carlos roberto 21 08 botafogo
 
11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra
 
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
10h10 carlos roberto 21 08 botafogo
 
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
09h50 mr marcia gaspar 24 08 pontal
 
09h50 dieter 24 09 paodeacucar
09h50 dieter 24 09 paodeacucar09h50 dieter 24 09 paodeacucar
09h50 dieter 24 09 paodeacucar
 
09h10 stv2 paulo vasconcelos 22 08 flamengo
09h10 stv2 paulo vasconcelos 22 08 flamengo09h10 stv2 paulo vasconcelos 22 08 flamengo
09h10 stv2 paulo vasconcelos 22 08 flamengo
 
09h10 st4 renato lima 21 08 leblon
09h10 st4 renato lima 21 08 leblon09h10 st4 renato lima 21 08 leblon
09h10 st4 renato lima 21 08 leblon
 

Último

EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
jenneferbarbosa21
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
FlorAzaleia1
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
FlorAzaleia1
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
cleidianevieira7
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
FERNANDACAROLINEPONT
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
jenneferbarbosa21
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
jenneferbarbosa21
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MnicaPereira739219
 

Último (8)

EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
 
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
 

17h00 decio oddone pao de acucar 22 08

  • 1. A retomada da Indústria do Petróleo e Gás no Brasil Rio de Janeiro 22 de agosto de 2018 Décio Oddone Diretor Geral
  • 2. NOTA • Este documento foi preparado pela ANP e apresenta as melhores estimativas, com base nos dados disponíveis. • Entretanto, não há garantia de realização para os valores previstos ou estimados. • Os dados, informações, opiniões, estimativas e projeções apresentados neste documento são sujeitos a alteração sem prévio aviso.
  • 4. A competição nos mercados globais de energia se intensificará O mix de energia global será o mais diversificado que o mundo já viu até 2040, com petróleo, gás, carvão e combustíveis não-fósseis, cada um contribuindo com cerca de 25% Demanda por petróleo crescerá, mas atingirá seu pico no final da década de 2030 A demanda por gás natural cresce fortemente e ultrapassa o carvão como a segunda maior fonte de energia. Será responsável por cerca de um terço do aumento da demanda global de energia. As energias renováveis ​​são de longe a fonte de combustível que crescerá mais rapidamente, aumentando em cinco vezes e fornecendo cerca de 14% da energia primária Fonte: BP Energy Outlook 2018 Como será o futuro?
  • 5. O Brasil precisa impulsionar as atividades de O&G para produzir suas reservas enquanto ainda são valiosas Energy drives the world economies. • O uso crescente de tecnologias e inovações e a pressão da sociedade por baixas emissões de carbono acelerarão a transformação do mix energético • As mudanças atualmente em curso no mundo da mobilidade estão evoluindo mais rápido • Embora haja incerteza em torno da previsão de demanda por petróleo e seja cedo demais para se preocupar com o fim dos combustíveis fósseis no curto prazo, as principais empresas petrolíferas concordam que a demanda por petróleo atingirá o pico até 2040, levando a um ambiente competitivo para produzir as reservas em todo o mundo A transição para uma economia de baixo carbono já começou “A Idade da Pedra não terminou por falta de pedra – e a Idade do Petróleo não terminará por falta de petróleo” Xeque Yamani
  • 7. Os números não refletem o potencial do país E&P no Brasil hoje 454 campos 323 blocos exploratórios 105 grupos de empresas 2,6 Milhões bpd Produção de Óleo Produção de Gás 115 Milhões m³/d ~21 Bilhões boe Produção Acumulada Reservas Provadas ~15 Bilhões boe (Junho/2018) (Junho/2018) (31/12/17)(31/12/17)
  • 8. OnshorePolígono do Pré-sal Offshore Convencional O Brasil é um país de dimensões continentais, mas… 2bacias sem um único poço Menos de5% da área sedimentar está contratada somente 30.000 poços foram perfurados
  • 9. 15.785 bpd Produção média de óleo por poço Onshore Pré-Sal Offshore Convencional Três ambientes de E&P 89 poços Toda a Margem Leste (além do pré-sal) e a Margem Equatorial, incluindo áreas de nova fronteira e grandes campos maduros Bacias Maduras e de Nova Fronteira (boa parte propensas a gás). Potencial para o não convencional. Um dos melhores plays exploratórios do mundo, com as maiores descobertas offshore de óleo na última década 633 poços 6.753 poços 1.656 bpd 17bpd 53%39%8% Produção * Junho/2018
  • 10. Produção Terrestre de Óleo (Junho/2018) 35% 111.195 Indicadoresdosetor deO&G 91 94 108 149 186 182 176 238 232 163 94 85 39 26 10 Poços Exploratórios Concluídos 89% 2011/2017 0 200 400 600 800 2015 2016 2017 2018 Poços de Desenvolvimento Concluídos 93 *Updated (06/21/18) 70% 2015/2017 2012/2018 38% 2012/2018 0 500 1,000 1,500 2,000 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 Thousandbpd Produção de Óleo do Pós-Sal da BC 4,500 6,500 8,500 10,500 12,500 14,500 16,500 2013 2014 2015 2016 2017 2018 Thousandbpd Produção Marítima de Óleo das Bacias do NE RNCE SEAL 62% 2014/2018 (SEAL) 0 200 400 600 800 1,000 1,200 1,400 1,600 01/2012 06/2012 11/2012 04/2013 09/2013 02/2014 07/2014 12/2014 05/2015 10/2015 03/2016 08/2016 01/2017 06/2017 11/2017 04/2018 Produção de Óleo do Pré-Sal 722% 2012/2018 Thousandbpd 13
  • 11. EraprecisoadotarmedidaspararetomaraatividadedeE&P Blocos em oferta nas novas rodadas contêm algumas das 41 áreas excluídas da 9ª Rodada de Licitação em 2007 A exclusão dos blocos provocou a postergação/perda de bilhões de reais em participações governamentais e tributos R$ -520 B Carga Fiscal (Royalties, PE, IR, Bônus e P,D&I) US$ 55 bi em bônus até 2012 -4,3 MM bpd adicionais em 2018 R$ -600 B Investimentos diretos -30 plataformas até 2017 A maior oportunidade perdida em uma geração
  • 13. Medidas realizadas Final2016 Fim da Operação Única do Pré-Sal (Lei 13.365/2016) 2018 Regulamentação ANP da Isenção de CL para contratos até a 13ª Rodada (Resolução ANP nº 726/2018) 6 Rodadas (em 2017/2018) 2017 Calendário de Rodadas até 2019 (Resolução CNPE nº 10/2017) Nova Política de CL para as Rodadas (Resolução CNPE nº 07/2017) Novas Políticas de E&P (Resolução CNPE 17/2017) Prorrogação da Fase Exploratória 11ª e 12ª Rodadas (Resolução ANP nº 708/2017) Extensão do REPETRO (Lei 13.586/2017)
  • 14. Resultados das Rodadas Rodada Blocos Arrematados Bônus de Assinatura (R$ bilhão) Empresas Participantes Empresas Vencedoras Ágio 37 (24 onshore e 13 offshore) 3,84 32 17 1.556% 22 8,01 17 12 622% 3 3,3 10 7 261% 3 2,85 14 6 202% 3 3,15 16 7 202% Total 68 R$ 21,15 Alta competição e resultados recordes!
  • 15. O novo cenário exploratório no pré-sal Antes Depois (até 2019)
  • 16. US$ 80 Bi R$ 300 Bi Investimentos US$ 334 Bi R$1.240 Bi Tributos e PGs 2 Milhões bpd (pico de produção) 17 Plataformas Centenas de Poços Resultados potenciais… *Brent = US$ 70/bbl Taxa de Câmbio= R$ 3,70/US$ Resultados Potenciais para as seguintes rodadas:
  • 17. Mas o ciclo do E&P é longo, o licenciamento demora... Definição de Blocos Exploração Assinatura do Contrato Descoberta Avaliação da Descoberta Comercialidade Desenvolvimento 1º Óleo Produção Descomissionamento Abandono Da assinatura do contrato ao 1º óleo: Média histórica: 8 anos (mar) e 6 anos (terra) Fase de Exploração Fase de Produção E desde 2013 não foi autorizada qualquer licença para perfuração em área de fronteira (fora de Campos e Santos) Por tudo isso, a retomada já contratada ainda vai demorar até o final de 2019 para tomar força
  • 18. 01 02 03 01 Aumentar as atividades exploratórias 02 Maximizar a produção e a recuperação dos reservatórios 03 Os três principais objetivos Atrair os players corretos para cada ambiente
  • 19. Fração Recuperada Bacia de Campos 14% Maximizando o FR FR Final Brasil 21% Média Mundial do FR Bacia de Campos 23% FR Final Mundo 35% *Fonte: Boletim Anual de Reservas (31/12/17) 1% adicional no FR da Bacia de Campos: 985Mboe Novas Reservas 1% adicional no FR do onshore: 200Mboe Novas Reservas
  • 20. Atraindo os players corretos Supermajors Grandes Empresas Grandes Empresas Especialistas em Exploração Operadores de Campos Maduros Pequenas e Médias Empresas030201 Pré-Sal Offshore Convencional Onshore Suportadas por fundos de investimentos e demandando fornecedores e empresas de bens e serviço
  • 21. Projetos em Andamento (Parceria CPRM/Petrobras) Centro de Referência em Geociências Revitalização do Museu de Ciências da Terra, que passará a incorporar o Museu do Petróleo Rede de Litotecas (Banco de Rochas) Os resultados analíticos de isotopia e geocronologia a serem oferecidos nos igualarão aos melhores serviços geológicos mundiais (USGS, GSC, GSA). A ser instalado no Parque Tecnológico da UFRJ, próximo à universidade e a diversas empresas de tecnologia. Permitirá a utilização de amostras oriundas de todo a exploração de O&G do Brasil. Unidade Central no RJ, fisicamente integrada aos laboratórios do Centro de Referência em Geociências. Unidades satélites em Manaus e Pojuca (BA). 1 2 3 (11.000 m² de área de exposição) A implementação dos três projetos colocarão o Serviço Geológico do Brasil em uma nova dimensão, aumentando o conhecimento das bacias brasileiras e favorecendo as atividades de E&P.
  • 22. O potencial do Brasil 5,5 Potencial de Produção em 10 anos O ambiente offshore mais proeminente Baixo fator de recuperação na média. 1% adicional no FR Brasil: 2,2 Bi boe de novas reservas e US$18 Bi em novos investimentos Nós mal conhecemos o nosso potencial. A discussão sobre o aproveitamento dos recursos não convencional deve progredir bpd M >50 Novos FPSOs Contratado ou em curso Necessidade de destravar Nova Fronteira Campos Maduros
  • 23. Monitoramento de incidentes 15.65 18.82 23.83 28.69 2.40 2.40 2.91 2.92 0.17 0.05 0.11 0.22 0 5 10 15 20 25 30 35 2014 2015 2016 2017 Nºdeincidentes/milhãodehoras trabalhadas Taxa de incidentes por gravidade Leve Moderado Grave 2.34 3.45 4.03 0.00 2.45 1.23 11.87 1.63 6.74 2.12 4.14 2.60 1.73 1.69 1.22 0.94 1.15 1.92 0 2 4 6 8 10 12 14 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017* FAR Fatalidades nas instalações offshore FAR - Brasil FAR - Países referência IRF Necessidade de se estabelecer benchmarking mundial, de forma a estimularmos o melhor desempenho possível na área de segurança operacional
  • 25. Setembro 28 1º Semestre A partir de Novembro 3º Q Cronograma dasRodadas A ser confirmada: 2018 2019 2020/2021 1ª Onda 2ª Onda A ser definido
  • 26. 5a RodadadePartilha Estimativa de VOIP não riscado (P50) 17 Bbbl Legenda 4 áreas
  • 29. Oportunidades daCessãoOnerosa Campos da Cessão Onerosa Legenda US$ 489 Bi R$1.809 Bi Tributos e PGs 10.8 Bilhões de boe ( GCA P50) 17 Plataformas *Brent = US$ 70/bbl Taxa de Câmbio= R$ 3,70/US$ 10 Campos
  • 31. 1953 1997 1975 2010 2017 Exploração & Produção Nova Política de E&P Reposicionamento da Petrobras (foco em grandes campos marítimos e desinvestimentos em campos maduros) Monopólio Petrobras Contratos de Risco: impacto mínimo Fim do Monopólio (Lei do Petróleo) Rodadas de Licitação (Contratos de Concessão) Nova Lei do Pré-Sal (Operação Única da Petrobras – Contratos de Partilha) O setor de O&G desde 1950
  • 32. Trata-se, potencialmente, da maiortransformação no setor, complementando a abertura iniciada em 1997 Mercado Diversificado e Competitivo Plano de Desinvestimentos da Petrobras Cronograma de Rodadas e Oferta Permanente Necessidade de uma cadeia de fornecedores e prestadores de serviços renovada Aprimoramentos nas Políticas Energéticas e na Regulação Oportunidade Única no E&P: - imediata certificação de reservas - rápido desenvolvimento da produção - aumento das reservas e da produção Pela primeira vez uma abertura efetiva do mercado de gás natural Refino e abastecimento: criação de um mercado competitivo, aberto e diversificado Desenvolvimento de uma cadeia de fornecedores e serviços diversificada e competitiva Quadro atualSetor de O&G no Brasil
  • 33. *Taxa de Câmbio – R$3,70/US$ InvestimentosPotenciaisnospróximos10anos Elo da Indústria Investimentos (US$ bilhões) Investimentos (R$ bilhões) E&P 568 2.102 Refino, Processamento e Centrais Petroquímicas 58 216 Biocombustíveis 28 105 Dutos de Transporte, Escoamento e Distribuição 10 35 Logística de Abastecimento 8 31 Total 672 ~2.500 Investimentos muito acima da capacidade de uma só empresa Necessidade de atrair muitas empresas para investir no país PerspectivasSetor de O&G no Brasil
  • 34. Mais informações: rodadas.anp.gov.br/pt/ anp.gov.br Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis - ANP Av. Rio Branco, 65, 12º - 22º andar Rio de Janeiro – Brasil Tel: +55 (21) 2112-8100