Perspectivas para aInflaçãoCarlos Hamilton AraújoDezembro de 2011
Índice         I. Ambiente Internacional         II. Condições Financeiras         III. Demanda         IV. Oferta        ...
2011- Balanço Positivo •   Inflação em trajetória declinante; •   Moderação do crescimento do crédito; •   Contenção das d...
2012 - Perspectivas Favoráveis  •   Inflação convergindo para a trajetória de      metas;  •   Crescimento moderado do cré...
Cenário Prospectivo - Balanço de Riscos/Hipóteses de TrabalhoNo âmbito externo, o cenário prospectivo contempla:  • Baixo ...
Cenário Prospectivo - Balanço de Riscos/Hipóteses de TrabalhoDo lado interno, o cenário prospectivo contempla:  • Atividad...
Cenário Prospectivo – Balanço de Riscos/Hipóteses de TrabalhoDesde a divulgação do último Relatório:  • Em segmentos espec...
Cenário Prospectivo - Visão Geral  As projeções indicam dinâmica para a inflação mais benigna  do que a constante do últim...
Cenário Prospectivo - Inflação• O Comitê reconhece um ambiente econômico em que  prevalece nível de incerteza muito acima ...
Cenário Prospectivo - Inflação• O Copom entende que, ao tempestivamente mitigar os efeitos  vindos de um ambiente global m...
I. Ambiente Internacional                            11
%                                                                                 0                                       ...
%                                                                  10                                                     ...
Projeções Crescimento Mundial em Revisão   Projeções para o Crescimento Mundial em Revisão                                ...
Ambiente Internacional• Mundo com perspectivas desinflacionárias;• Alta volatilidade e aversão ao risco, ampliação dos ris...
II. Condições Financeiras                            16
Operações de Mercado de Capitais Domésticas  Emissões Primárias                            250                            ...
% a.a.                        20                                     25                                                   ...
%                       15                            20                                        25                        ...
Condições Financeiras• Incertezas no cenário internacional contribuem para contenção  das emissões no mercado de capitais;...
III. Demanda               21
Consumo das Famílias e Formação Bruta de Capital Fixo             190                           FBCF             180      ...
dessaz., set/05=100Fonte: FGV                                                110                                          ...
crescimento sobre o mesmo                                                                     período do ano anterior (%) ...
escala 0-100                                                                                              50              ...
Resultados Fiscais – Superávit Primário  Resultados Fiscais – Superávit Primário   Acumulado em 12 Meses              5   ...
% (12m/12m ant)                           -15                                 -10                                       -5...
Demanda• Consumo das famílias expandindo a taxas mais moderadas  (perspectivas são favoráveis – confiança, expansão do cré...
IV. Oferta             29
mm3m, dessaz., jan/08 = 100Fonte: IBGE                                                            105                     ...
ICS e PIB Serviços            15                                                                                          ...
Safra Agrícola                                                                                            159,5       160,...
%, dessazonalizado                                                                               74                       ...
%                     -2                                              10                          0                       ...
Oferta• Recuo    da    produção industrial (competição        externa,  competitividade);• Indicadores do setor de serviço...
V. Evolução da Inflação                          36
% em 12 meses                                                                                                    % em 12 m...
% em 12 meses                        3                                       5                                            ...
Estimativas para o IPCA 2012 e 2013     Mediana por Segmento de Mercado          5,7                                      ...
Estimativas do Mercado para 2012 Estimativas do Mercado para 2012                                      29/set   16/dez    ...
Estimativas do Mercado para 2013 Estimativas do Mercado para 2013                                      29/set       16/dez...
Inflação • A inflação ao consumidor em doze meses começou a   recuar neste trimestre e essa tendência deve continuar; • Nú...
VI. Projeções para a Inflação                                43
Projeção de Inflação  Cenário de Referência* e Cenário de Mercado                           Período             Referência...
Trajetória das Metas e Projeções  Inflação Acumulada em 12 Meses        8        7        6   %        5        4         ...
%                     -2                                               10                          0                      ...
VII. Boxes             47
Boxe: Projeção do Balanço de PagamentosBoxe: Projeção do Balanço de Pagamentos  • 2011: redução da estimativa de déficit e...
Boxe: Projeção para o PIB de 2011 e 2012   • Crescimento de 3% para o PIB em 2011 e de 3,5% em 2012;   • 2011: Recuos nas ...
Carlos hamilton relatório_inflação_ 22-12-2011
Carlos hamilton relatório_inflação_ 22-12-2011
Carlos hamilton relatório_inflação_ 22-12-2011
Carlos hamilton relatório_inflação_ 22-12-2011
Carlos hamilton relatório_inflação_ 22-12-2011
Carlos hamilton relatório_inflação_ 22-12-2011
Carlos hamilton relatório_inflação_ 22-12-2011
Carlos hamilton relatório_inflação_ 22-12-2011
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Carlos hamilton relatório_inflação_ 22-12-2011

338 visualizações

Publicada em

Há boas perspectivas para o nosso mercado, mesmo com o aumento da taxa SELIC, que dá medo em alguns, temos uma projeção de Inflação menor.
O crescimento para 2012 fica em torno de 3,2%.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
338
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Carlos hamilton relatório_inflação_ 22-12-2011

  1. 1. Perspectivas para aInflaçãoCarlos Hamilton AraújoDezembro de 2011
  2. 2. Índice I. Ambiente Internacional II. Condições Financeiras III. Demanda IV. Oferta V. Evolução da Inflação VI. Projeções para a Inflação 2
  3. 3. 2011- Balanço Positivo • Inflação em trajetória declinante; • Moderação do crescimento do crédito; • Contenção das despesas do setor público; • Déficit em conta corrente (2,1% do PIB) financiado inteiramente com IED; • Taxas de desemprego baixas; e • Economia crescendo em torno de 3%. 3
  4. 4. 2012 - Perspectivas Favoráveis • Inflação convergindo para a trajetória de metas; • Crescimento moderado do crédito; • Disciplina fiscal; • Déficit em conta corrente (2,4% do PIB) financiado essencialmente com IED; • Taxas de desemprego baixas; e • Economia crescendo em torno de 3,5%. 4
  5. 5. Cenário Prospectivo - Balanço de Riscos/Hipóteses de TrabalhoNo âmbito externo, o cenário prospectivo contempla: • Baixo ritmo de crescimento global por período de tempo prolongado, com alta probabilidade de que ocorra recessão em algumas economias maduras; • Condições de crédito mais restritivas; e • Dinâmica relativamente benigna dos preços das commodities. 5
  6. 6. Cenário Prospectivo - Balanço de Riscos/Hipóteses de TrabalhoDo lado interno, o cenário prospectivo contempla: • Atividade ganhando impulso ao longo do próximo ano; • Expansão moderada da oferta de crédito; • Alguma moderação no mercado de fatores; • Cumprimento das metas de superávit primário; • Moderação das pressões inerciais (inflação em doze meses, ao consumidor e no atacado, recuando); e • Efeitos de ações de política monetária recentemente implementadas, que são defasados e cumulativos. 6
  7. 7. Cenário Prospectivo – Balanço de Riscos/Hipóteses de TrabalhoDesde a divulgação do último Relatório: • Em segmentos específicos persistiu descompasso, embora decrescente, entre ritmos de expansão da oferta e da demanda; • No mercado de fatores, houve recuo no nível de utilização da capacidade instalada e sinais de moderação do mercado de trabalho; • Inflação ao produtor seguiu em moderação, mas a inflação dos preços industriais ainda mostra certa resistência; e • Inflação ao consumidor em doze meses começou a recuar. 7
  8. 8. Cenário Prospectivo - Visão Geral As projeções indicam dinâmica para a inflação mais benigna do que a constante do último Relatório de Inflação: • As projeções para 2011 – cenário de referência e de mercado - posicionam-se em 6,5%; recuam bastante em 2012, para 4,7% no cenário de referência e para 4,8% no de mercado; para 2013, apontam inflação de 4,7% no cenário de referência e de 5,3% no de mercado; e • A taxa estimada para o crescimento do PIB em 2011 foi revisada para 3,0%, ante 3,5% constante no Relatório de setembro e, para 2012, a taxa estimada é de 3,5%. 8
  9. 9. Cenário Prospectivo - Inflação• O Comitê reconhece um ambiente econômico em que prevalece nível de incerteza muito acima do usual;• O Copom identifica riscos decrescentes à concretização de um cenário em que a inflação convirja tempestivamente para o valor central da meta, para 4,5%; e• O Copom reafirma sua visão de que a inflação acumulada em doze meses alcançou o pico no último trimestre, começa a recuar no trimestre corrente e, assim, a se deslocar na direção da trajetória de metas. 9
  10. 10. Cenário Prospectivo - Inflação• O Copom entende que, ao tempestivamente mitigar os efeitos vindos de um ambiente global mais restritivo, ajustes moderados no nível da taxa básica são consistentes com o cenário de convergência da inflação para a meta em 2012. 10
  11. 11. I. Ambiente Internacional 11
  12. 12. % 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Brasil Reino Unido Suécia 2011 2012 Noruega Polônia México Chile África do Sul Colômbia Nova Zelândia Austrália EUA Expectativa de Inflação China Índia Rússia dez/05 = 100 100 120 140 160 180 220 240 260 280 300 200 60 80 jan 08 mar 08 mai 08 jul 08Fontes: Bloomberg (em 20/12), Consensus nov/11 (Índia) e BCB set 08 nov 08 jan 09 mar 09 metálicas mai 09 energéticas jul 09 set 09 agropecuárias nov 09 Expectativa de Inflação em Países Selecionados e IC-Br jan 10 mar 10 mai 10 jul 10 IC-Br (US$) set 10 nov 10 jan 11 mar 11 mai 11 jul 11 set 11 nov 1112
  13. 13. % 10 20 25 30 35 40 45 50 15 5 jan 10 fev 10Fonte: Bloomberg mar 10 abr 10 mai 10 VIX (esq.) jun 10 jul 10 ago 10 set 10 taxa de câmbio (dir.) out 10 nov 10 VIX e Taxa de Câmbio dez 10 jan 11 fev 11 mar 11 abr 11 mai 11 jun 11 jul 11 ago 11 set 11 out 11 nov 11 dez 11 1,50 1,55 1,60 1,65 1,70 1,75 1,80 1,85 1,90 1,95 dados até 20/12 R$/US$13
  14. 14. Projeções Crescimento Mundial em Revisão Projeções para o Crescimento Mundial em Revisão OCDE Diferença em relação a nov/11 mai/11 2011 2012 2013 2011 2012 Total OCDE 1,9 1,6 2,3 -0,4 -0,5 EUA 1,7 2,0 2,5 -0,9 -1,1 Área do Euro 1,6 0,2 1,4 -0,4 -1,8 Japão -0,3 2,0 1,6 0,6 -0,2 Reino Unido 0,9 0,5 1,8 -0,5 -1,3 Canadá 2,2 1,9 2,5 -0,8 -0,9 Economias Emergentes e em -0,1 -0,4 Desenvolvimento China 9,3 8,5 9,5 0,3 -0,7 Índia 7,7 7,2 8,2 -0,8 -1,4 Brasil 3,4 3,2 3,9 -0,7 -1,3Fonte: OCDE/Economic Outlook (nov/11) 14
  15. 15. Ambiente Internacional• Mundo com perspectivas desinflacionárias;• Alta volatilidade e aversão ao risco, ampliação dos riscos para a estabilidade financeira global;• Para 2012, reduções significativas nas previsões de crescimento, em particular para EUA e Europa, com perspectivas de aceleração moderada em 2013;• De modo geral, nas economias maduras, a capacidade de reação das políticas monetária e fiscal é limitada; e• Nas economias emergentes, recuo, em magnitude menor, nas projeções de crescimento para 2012; para 2013, perspectivas de aceleração mais intensa do que nas economias maduras. 15
  16. 16. II. Condições Financeiras 16
  17. 17. Operações de Mercado de Capitais Domésticas Emissões Primárias 250 200 R$ bilhões em 12 meses 150 100 50 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011* ações debêntures outros * até nov/11Fonte: CVM 17
  18. 18. % a.a. 20 25 30 35 40 45 50 55 60 jan 08 mar 08Fonte: BCB mai 08 jul 08 set 08 nov 08 jan 09 mar 09 mai 09 jul 09 set 09 nov 09 jan 10 mar 10 mai 10 jul 10 Taxa de Juros set 10 nov 10 jan 11 39,1 27,9 mar 11 pessoa física mai 11 46,8 pessoa jurídica jul 11 31,4 set 11 29,8 44,7 nov 11 % % 5,5 6,0 7,0 7,5 8,5 9,0 1,0 1,5 2,0 2,5 3,0 3,5 4,0 4,5 5,0 6,5 8,0 jan 08 jan 08 mar 08 mar 08 mai 08 mai 08 jul 08 jul 08 set 08 set 08 nov 08 nov 08 jan 09 jan 09 mar 09 mar 09 inadimplência mai 09 mai 09 Pessoa Física jul 09 jul 09 set 09 set 09 nov 09 nov 09 atrasos de 15 a 90 dias jan 10 jan 10 mar 10 mar 10 mai 10 mai 10 jul 10 jul 10 set 10 set 10 Crédito Referencial - Taxa de Juros, Inadimplência e Atrasos nov 10 nov 10 jan 11 jan 11 inadimplência mar 11 mar 11 mai 11 mai 11 jul 11 jul 11 set 11 set 11 atrasos de 15 a 90 dias 6,5 7,3 2,2 4,0 Pessoa Jurídica nov 11 nov 1118
  19. 19. % 15 20 25 30 35 40 45Fonte: BCB jan 08 mar 08 mai 08 jul 08 set 08 nov 08 jan 09 mar 09 mai 09 endividamento das famílias comprometimento da renda jul 09 set 09 nov 09 jan 10 mar 10 mai 10 jul 10 set 10 nov 10 jan 11 mar 11 mai 11 jul 11 Endividamento e Comprometimento da Renda 22,2 42,2 set 1119
  20. 20. Condições Financeiras• Incertezas no cenário internacional contribuem para contenção das emissões no mercado de capitais;• Taxas de juros declinantes nas operações de crédito (PJ e PF);• Elevação moderada da inadimplência; e• Comprometimento da renda relativamente estável. 20
  21. 21. III. Demanda 21
  22. 22. Consumo das Famílias e Formação Bruta de Capital Fixo 190 FBCF 180 consumo das famílias 170 160 1T 03=100 150 140 130 120 110 1T 08 2T 08 3T 08 4T 08 1T 09 2T 09 3T 09 4T 09 1T 10 2T 10 3T 10 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11Fontes: IBGE e BCB 22
  23. 23. dessaz., set/05=100Fonte: FGV 110 115 90 100 105 120 125 95 jan 08 mar 08 mai 08 jul 08 set 08 nov 08 jan 09 mar 09 média histórica mai 09 jul 09 set 09 nov 09 Confiança do Consumidor jan 10 mar 10 mai 10 jul 10 set 10 nov 10 jan 11 mar 11 mai 11 jul 11 set 11 nov 1123
  24. 24. crescimento sobre o mesmo período do ano anterior (%) 10 12 0 2 4 6 8 jan 08 abr 08 jul 08 out 08 mês jan 09 trimestre abr 09 jul 09 Massa Salarial Real out 09 jan 10 abr 10 jul 10 out 10 Massa Salarial Real jan 11 abr 11Fontes: IBGE (Massa Salarial) e BCB (Crédito) jul 11 out 11 R$ bilhões 50 55 60 65 70 75 80 85 jan 08 mar 08 mai 08 jul 08 set 08 nov 08 jan 09 mar 09 observado mai 09 jul 09 set 09 Massa Salarial Real e Crédito à PF dessazonalizado nov 09 jan 10 mar 10 mai 10 jul 10 set 10 nov 10 jan 11 mar 11 mai 11 jul 11 set 11 Concessões Acumuladas no Mês24 nov 11
  25. 25. escala 0-100 50 55 65 70 45 60 75 jan 08 mar 08 mai 08 jul 08 set 08 nov 08 jan 09 mar 09 mai 09 jul 09 set 09 nov 09 jan 10 mar 10 mai 10 jul 10 set 10 nov 10 do Setor de Serviços jan 11 ICST (dir.) mar 11 Confiança do Empresário Industrial, da Construção e mai 11 ICS FGV (dir.) jul 11 ICEI CNI (esq.) set 11 nov 11 90 110 100 130 140 120 150 escala 0-200 R$ bilhõesFontes: CNI (ICEI), FGV (ICS e ICST) e BCB (Crédito) 400 500 600 700 800 900 1000 jan 08 mar 08 mai 08 jul 08 set 08 nov 08 jan 09 mar 09 mai 09 jul 09 set 09 nov 09 jan 10 mar 10 externo (dir.) mai 10 jul 10 doméstico (esq.) set 10 nov 10 Crédito à PJ jan 11 mar 11 Confiança dos Empresários e Crédito à PJ mai 11 jul 11 set 11 nov 11 40 50 60 70 80 90 100 R$ bilhões25
  26. 26. Resultados Fiscais – Superávit Primário Resultados Fiscais – Superávit Primário Acumulado em 12 Meses 5 3,83 4 3,33 3,46 3 % do PIB 2 1 0,98 0 out 08 jan 08 jan 09 jan 10 jan 11 abr 08 abr 09 out 09 abr 10 out 10 abr 11 jul 08 jul 09 jul 10 jul 11 out 11 Meta para 2011: R$127,9 bilhõesFonte: BCB 26
  27. 27. % (12m/12m ant) -15 -10 -5 5 10 15 0Fonte: Funcex jan 08 mar 08 mai 08 jul 08 set 08 nov 08 Crescimento em 12 Meses jan 09 mar 09 mai 09 jul 09 set 09 nov 09 jan 10 mar 10 Exportações Totais - Quantum mai 10 jul 10 set 10 nov 10 jan 11 mar 11 mai 11 jul 11 set 11 nov 1127
  28. 28. Demanda• Consumo das famílias expandindo a taxas mais moderadas (perspectivas são favoráveis – confiança, expansão do crédito; transferências, mercado de trabalho);• Investimentos em moderação (perspectivas são favoráveis – setor de serviços, infraestrutura, etc.);• O superávit primário de 3,3% do PIB em doze meses reforça a visão de que está em curso processo de consolidação fiscal (perspectivas de continuidade); e• Demanda externa em moderação. 28
  29. 29. IV. Oferta 29
  30. 30. mm3m, dessaz., jan/08 = 100Fonte: IBGE 105 115 75 85 95 jan 08 abr 08 jul 08 out 08 jan 09 Produção Industrial abr 09 jul 09 out 09 jan 10 abr 10 jul 10 out 10 geral jan 11 abr 11 bens de capital jul 11 semi- e não-duráveis out 1130
  31. 31. ICS e PIB Serviços 15 3 10 2 5 1 % t/t-1, dessaz. 0 % t/t-1 0 -5 -1 -10 -15 ICS (esq.) -2 PIB Serviços (dir.) -20 -3 4T 08 1T 09 2T 09 3T 09 4T 09 1T 10 2T 10 3T 10 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11Fontes: FGV e IBGE 31
  32. 32. Safra Agrícola 159,5 160,5 149,6 145,9 milhões de toneladas 133,1 134,0 123,6 119,3 117,0 112,6 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 2011/12: estimativa IBGE em nov/11Fonte: IBGE 32
  33. 33. %, dessazonalizado 74 76 78 80 82 84 86 88 jan 08 mar 08 mai 08 jul 08 set 08 nov 08 jan 09 mar 09 mai 09 jul 09 set 09 nov 09 jan 10 mar 10 UCI mai 10 jul 10 set 10Fontes: FGV, Fiesp, CNI, BCB e IBGE nov 10 jan 11 mar 11 mai 11 CNI FGV jul 11 Fiesp set 11 CNI e Fiesp: dados até out/11 81,4 82,4 83,3 nov 11 %, dessazonalizado 5,0 5,5 6,0 6,5 7,0 7,5 8,0 8,5 9,0 jan 08 abr 08 jul 08 out 08 jan 09 abr 09 jul 09 out 09 jan 10 abr 10 Utilização da Capacidade Instalada e Desemprego jul 10 Desemprego out 10 jan 11 abr 11 jul 11 out 11 6,033
  34. 34. % -2 10 0 2 4 6 8Fonte: BCB 1T 10 2T 10 Cenário de Referência 3T 10 Projeção de PIB 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11 4T 11 1T 12 2T 12 3T 12 4T 1234
  35. 35. Oferta• Recuo da produção industrial (competição externa, competitividade);• Indicadores do setor de serviços em expansão mais moderada;• Safra agrícola recorde em 2011 e perspectivas favoráveis para 2012;• No mercado de fatores, nível de utilização da capacidade instalada da indústria em recuo e desemprego em patamar historicamente baixo; e• Perspectivas favoráveis para a evolução da atividade, com tendência de aceleração entre o primeiro e o segundo semestre de 2012. 35
  36. 36. V. Evolução da Inflação 36
  37. 37. % em 12 meses % em 12 meses 0 2 4 6 8 0 2 4 6 8 10 jan 08 jan 08 mar 08 mai 08 mai 08 set 08 Inflação IPCA jul 08 set 08 jan 09 nov 08 mai 09 jan 09 set 09 mar 09 mai 09 jan 10 jul 09 mai 10 set 09 set 10Fontes: IBGE, FGV e BCB nov 09 jan 10 jan 11 6,64% nov 11: mar 10 mai 11 2011: 6,52%* mai 10 set 11 jul 10 set 10 jan 12 mai 12 Inflação e IC-Br nov 10 monitorados 2012: 5,39%* jan 11 set 12 mar 11 comercializáveis jan 13 de mercado expectativas mai 11 jul 11 mai 13 não-comercializáveis * dados de 16/12/11; expectativas até mai/13 set 11 set 13 nov 11 dez/05=100 % em 12 meses -5 -15 -10 0 5 10 15 20 25 35 40 30 60 80 100 120 140 160 180 200 220 jan 08 jan 08 mar 08 mar 08 mai 08 mai 08 jul 08 jul 08 set 08 set 08 nov 08 nov 08 jan 09 jan 09 mar 09 metálicas mar 09 energéticas mai 09 mai 09 jul 09 jul 09 agropecuárias set 09 set 09 nov 09 nov 09 IPA-DI jan 10 IC-Br jan 10 mar 10 mar 10 mai 10 mai 10 jul 10 jul 10 set 10 set 10 nov 10 nov 10 jan 11 jan 11 mar 11 mar 11 mai 11 mai 11 agrícola industrial jul 11 jul 11 set 11 set 11 nov 11 nov 1137
  38. 38. % em 12 meses 3 5 9 7 11 15 13Fonte: IBGE jan 08 abr 08 jul 08 out 08 real (dir.) jan 09 nominal (esq.) abr 09 jul 09 out 09 jan 10 abr 10 jul 10 out 10 jan 11 abr 11 jul 11 Rendimentos Real e Nominal Habitual out 11 3 5 9 1 7 -3 -1 % em 12 meses38
  39. 39. Estimativas para o IPCA 2012 e 2013 Mediana por Segmento de Mercado 5,7 5,1 5,6 bancos 2012 bancos 2013 5,0 5,5 AMs AMs 5,4 demais 4,9 demais 5,3 total total 5,2 4,8% a.a. 5,1 5,0 4,7 4,9 4,8 4,6 4,7 4,6 4,5 4,5 4,4 4,4 ago 11 jul 11 mar 11 abr 11 out 10 nov 10 dez 10 set 10 mai 11 out 11 nov 11 jan 11 jun 11 set 11 fev 11 jul 11 mar 11 abr 11 out 10 set 10 ago 11 nov 10 dez 10 set 11 fev 11 mai 11 out 11 nov 11 jan 11 jun 11 dados até 16/12Fonte: BCB 39
  40. 40. Estimativas do Mercado para 2012 Estimativas do Mercado para 2012 29/set 16/dez IPCA 5,53 5,39 Preços Administrados 4,57 4,50 IGP-M 5,18 5,17 IPA-DI 4,98 5,29 Selic (Fim) 10,50 9,50 Câmbio (Fim) 1,70 1,75 PIB 3,75 3,40 Produção Industrial 4,30 3,46 Balança Comercial 16,50 17,95 Investimento Estrangeiro Direto 50,00 54,50 Resultado Primário 2,65 2,80 40
  41. 41. Estimativas do Mercado para 2013 Estimativas do Mercado para 2013 29/set 16/dez IPCA 4,80 5,00 Preços Administrados 4,50 = 4,50 IGP-M 4,70 4,80 IPA-DI 4,85 4,90 Selic (Fim) 11,00 10,50 Câmbio (Fim) 1,71 1,75 PIB 4,40 = 4,40 Produção Industrial 4,55 4,00 Balança Comercial 11,00 14,00 Investimento Estrangeiro Direto 45,00 54,60 Superávit Primário 2,80 2,90 41
  42. 42. Inflação • A inflação ao consumidor em doze meses começou a recuar neste trimestre e essa tendência deve continuar; • Núcleos elevados, mas com moderação na margem; • Preços de serviços seguem pressionados; • Inflação ao produtor com comportamento relativamente benigno, com resistência no caso dos preços industriais; • Comportamento favorável dos preços das commoditites; • Inflação de salários recuando na margem; e • Expectativa de inflação em revisão para baixo. 42
  43. 43. VI. Projeções para a Inflação 43
  44. 44. Projeção de Inflação Cenário de Referência* e Cenário de Mercado Período Referência Mercado 2011 4 6,5 6,5 2012 1 5,9 5,9 2012 2 5,5 5,5 2012 3 4,7 4,7 2012 4 4,7 4,8 2013 1 4,6 4,8 2013 2 4,4 4,7 2013 3 4,7 5,2 2013 4 4,7 5,3 Obs.: inflação acumulada em 12 meses (%a.a.) * juros constantes de 11% a.a.Fonte: BCB 44
  45. 45. Trajetória das Metas e Projeções Inflação Acumulada em 12 Meses 8 7 6 % 5 4 meta ocorrido cenário de mercado cenário de referência 3 out 11 dez 11 ago 11 ago 12 ago 13 abr 12 abr 13 dez 10 abr 11 dez 12 dez 13 fev 12 out 12 fev 13 out 13 fev 11 jun 11 jun 12 jun 13Fonte: BCB 45
  46. 46. % -2 10 0 2 4 6 8Fonte: BCB 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11 4T 11 1T 12 2T 12 3T 12 4T 12 Cenário de Referência 1T 13 Projeção de Inflação 2T 13 (juros constantes de 11,00% a.a.) 3T 13 4T 13 10 -2 0 2 4 6 8 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11 4T 11 1T 12 2T 12 3T 12 4T 12 Cenário de Mercado 1T 13 2T 13 3T 13 4T 1346
  47. 47. VII. Boxes 47
  48. 48. Boxe: Projeção do Balanço de PagamentosBoxe: Projeção do Balanço de Pagamentos • 2011: redução da estimativa de déficit em transações correntes e elevação da previsão dos fluxos de IED; • 2012: déficit em transações correntes de $65 bi, superávit comercial de $23 bi e IED de $50 bi. US$ bilhões 2011 2012 RI - set RI - dez RI - dez Transações correntes -54,0 -53,0 -65,0 Balança comercial 29,0 28,0 23,0 Exportações 258,0 256,0 267,0 Importações 229,0 228,0 244,0 Serviços, rendas e transferências -83,0 -81,0 -88,0 Conta capital e financeira 111,4 110,0 70,0 IED 60,0 65,0 50,0 Ações e renda fixa no país 5,0 5,3 17,0 Empréstimos e títulos de médio e longo prazos 48,3 44,7 6,2 Empréstimos e títulos de curto prazo -5,0 -2,0 -4,0 Créditos comerciais estrangeiros e demais 30,0 21,4 24,9 Ativos brasileiros no exterior ( - = aumento) -26,9 -26,0 -25,6 Ativos de reserva ( - = aumento) -57,4 -57,0 -5,0 48
  49. 49. Boxe: Projeção para o PIB de 2011 e 2012 • Crescimento de 3% para o PIB em 2011 e de 3,5% em 2012; • 2011: Recuos nas taxas de crescimento da indústria e do setor de serviços, pela oferta; e nas do consumo das famílias e das importações, pela demanda; • 2012: aceleração da indústria e dos serviços, pela oferta; estabilidade no crescimento do consumo das famílias e recuo do vazamento externo. Produto Interno Bruto 2010 2011 2011 2012 Anterior Nova PIB a preços de mercado 7,5 3,5 3,0 3,5 Agropecuária 6,3 2,1 2,9 2,5 Indústria 10,4 2,3 2,0 3,7 Serviços 5,5 3,5 2,9 3,3 Consumo das famílias 6,9 4,5 4,1 4,0 Consumo do governo 4,2 2,1 2,0 3,2 FBCF 21,3 5,6 5,1 5,0 Exportação 11,5 4,7 4,4 3,0 Importação 35,8 12,9 10,4 7,0Fontes: IBGE e BCB 49

×