Módulo 6 - Gnu/Linux

578 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
578
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Módulo 6 - Gnu/Linux

  1. 1. CURSO NOBREO QUE É SOFTWARE LIVRE?Não é fácil definir o termo Softwarelivre ou Software de Código Abertoem poucas palavras, devido àsmúltiplas variantes que existem. Mastambém não é complicado, já que aidéia em si própria é simples. Noentanto, antes de usarmos definições exatas, dediquemosum momento a explicar, de um modo relativamenteinformal, o que é que entendemos por software livre.IDÉIA GERAL DE SOFTWARE LIVREQuando falamos em inglês o termo Software Livre (FreeSoftware) há uma ambiguidade com relação ao termoFREE que significa, tanto “livre” quanto “grátis”. Por isso,utiliza-se mais comumente o termo Código Aberto (OpenSource) que felizmente na nossa língua não existenenhuma segunda palavra para o mesmo termo. Portanto,ao se falar em Free Software pense em Software Livre enão grátis, pois existem empresas que já apostaram nocrescimento do Linux e portou vários dos seus aplicativospara o sistema e cobra-se taxar pela utilização.Usar Software Livre que dizer: Usar o software como desejarem, para o quedesejarem, em tantos computadores desejarem e emqualquer situação tecnicamente apropriada. Ter o software a sua disposição para o adequarem àssuas necessidades. Com certeza, isso inclui melhorá-lo,corrigir os seus erros, aumentar a sua funcionalidade eestudar o seu funcionamento. Redistribuir o software a outros utilizadores, quepoderão por sua vez utilizá-lo de acordo com as suasnecessidades. Esta redistribuição pode ser gratuita, oumediante contratação de prestação de serviços.É importante esclarecer que estamos falando de liberdadee não de obrigações. Isto é, os utilizadores de umprograma livre podem modificá-lo se achar necessidade.Para cumprir essas necessidades, existe ainda umaquarta condição básica e derivada das anteriores. Os utilizadores de uma parte do software devem teracesso ao código fonte. O código fonte de um programa,geralmente escrito em uma linguagem de programação dealto nível, é absolutamente necessário para poderentender a sua funcionabilidade, para melhorar e/oumodificar o programa.LINUX X WINDOWSA diferença mais marcante entreLinux e Windows é o fato do Linuxser um sistema de código aberto,desenvolvido por programadoresvoluntários espalhados por todainternet e distribuído sob a licençapública GPL. Enquanto o Windows ésoftware proprietário, não possui código-fontedisponível, e você ainda precisa comprar uma licença prater o direito de usá-lo.Você não precisa pagar nada para usar o Linux. Não écrime fazer cópias para instalar em outros computadores.A vantagem de um sistema de código aberto é que ele setorna flexível às necessidades do usuário, tornando assimsuas adaptações e "correções" muito mais rápidas.Lembre-se que ao nosso favor, temos milhões deprogramadores espalhados pelo mundo pensando apenasem fazer do Linux um sistema cada vez melhor.O código fonte aberto permite que qualquer pessoa vejacomo o sistema funciona, corrija algum problema ou façaalguma sugestão sobre sua melhoria. Esse é um dosmotivos de seu rápido crescimento, assim como dacompatibilidade com novos hardwares, sem falar de seualto desempenho e de sua estabilidade.A HISTÓRIA DO LINUXO sistema Linux tem sua origem no Unix, um sistemaoperacional multitarefa e multiusuário que tem a vantagemde rodar em uma grande variedade de computadores.O Linux surgiu de forma muitointeressante. Tudo começou em 1991,quando um programador finlandês de21 anos, Linus Benedict Torvalds,enviou a seguinte mensagem para umalista de discussão na Internet:"Olá para todos que estão usando Minix. Estou fazendoum sistema operacional free (como passatempo) para386, 486, AT e clones".Minix era um limitado sistema operacional baseado emUnix que rodava em microcomputadores maquiavélicoscomo o AT. Linus pretendia desenvolver uma versãomelhorada do Minix e mal sabia que seu suposto"passatempo" acabaria num sistema engenhosamentemagnífico. Muitos acadêmicos conceituados ficaraminteressados na idéia do Linus e, a partir daí,programadores das mais variadas partes do mundopassaram a trabalhar em prol desse projeto. Cadamelhoria desenvolvida por um programador era distribuídapela Internet e, imediatamente, integrada ao núcleo doLinux.No decorrer dos anos, este trabalho árduo e voluntário decentenas de sonhadores tornou-se num sistemaoperacional bem amadurecido e que hoje está explodindono mercado de servidores corporativos e PCs. Linus, quehoje coordena uma equipe de desenvolvedores do núcleode seu sistema, foi eleito em pesquisa pública apersonalidade do ano de 1998 do mundo da informática.
  2. 2. CURSO NOBREO QUE É LINUX?Linux é um sistema operacional, programaresponsável pelo funcionamento docomputador, que faz a comunicação entrehardware (impressora, monitor, mouse,teclado) e software (aplicativos em geral).O conjunto de um Kernel e demaisprogramas responsáveis pela comunicação com este é oque denominamos Distribuição de Sistema OperacionalLinux.Uma Distribuição Linux nada mais é que o conjunto dekernel, programas de sistema e aplicativos reunidos numúnico CD/DVD. Hoje em dia temos milhares de aplicativospara a plataforma Linux, onde cada empresa responsávelpor sua distribuição escolhe os aplicativos que deverãoestar incluídos em seu CD/DVD.O KERNELKernel de um sistema operacional é entendido como oseu núcleo. Ele representa a camada de software maispróxima do hardware, sendo responsável por gerenciar osrecursos do sistema computacional como um todo.Por isso o kernel do Linux é atualizado constantemente,acrescentando suporte a novas tecnologias. Usa módulospara adicionar suporte ou para melhorar no suporte a itensjá existentes.LINUX E SUA INTERFACE GRÁFICAO sistema X-Window, também chamado de X, fornece oambiente gráfico do Linux. Diferentemente do Macintoshe Windows, o X torna o gerenciador de janelas (ainterface visual em si) um processo separado. Na verdade,a vantagem de separar o gerenciador de janelas é quevocê pode escolher entre uma variedade de gerenciadoresexistentes o que melhor lhe convém, tais como Gnome,KDE, XFCE dentre outros.ONDE E COMO DIGITAR OS COMANDOS?Se o Linux que você utiliza entra direto no modo gráfico aoser inicializado, é possível inserir comandos no sistemaatravés de uma aplicação de terminal. Esse recurso éfacilmente localizável em qualquer distribuição. A imagemabaixo, por exemplo, mostra um terminal no Ubuntu Linux:Terminal de comandos Ubuntu LinuxSHELLO termo Shell é, normalmente, mais usado para se referiraos sistemas do tipo Unix que podem ser utilizados comomeio de interação entre o usuário e o computador. Este éum programa que recebe, interpreta e executa oscomandos de usuário, a partir de linhas de comandos,representada por um prompt, que aguarda na tela oscomandos do usuário.PORTABILIDADEEmbora Linus Torvalds não tenha tido como objetivo inicialtornar o Linux um sistema portável, ele evoluiu nessadireção. Linux é hoje, na verdade, um dos núcleos(kernels) de sistema operacional com mais portabilidade,correndo em sistemas desde o iPaq (um computadorportátil) até o IBM S/390 (um denso e altamente custosomainframe).De qualquer modo, é importante notar que os esforços deLinus foram também dirigidos a um diferente tipo deportabilidade. Portabilidade, de acordo com Linus, era ahabilidade de facilmente compilar aplicações de umavariedade de fontes no seu sistema; portanto o Linuxoriginalmente tornou-se popular em parte devido aoesforço para que as fontes GPL ou outras favoritas detodos “rodassem” em Linux.O Linux hoje funciona em dezenas de plataformas, desdemainframes até um relógio de pulso, passando por váriasarquiteturas: x86 (Intel, AMD), x86-64 (Intel EM64T,AMD64), ARM, PowerPC, Alpha etc., com grandepenetração também em sistemas embarcados, comohandhelds, PVR, videogames e media centers, entreoutros. Pode se dizer que não há vírus no linux. Desdeque se siga uma política de segurança correta não háriscos de infecção. Mesmo assim para que o vírus seinstale é preciso de privilégios de administrador desistemas (root).
  3. 3. CURSO NOBRESISTEMA DE ARQUIVOSO Linux possui suporte de leitura e escrita, a váriossistemas de arquivos, de diversos sistemas operacionais,além de diversos sistemas nativos. Por isso em casos, emque o Linux é instalado em dual boot, com outrossistemas, como Windows, por exemplo, ou mesmofuncionando como LiveCD, ele poderá ler e escrever naspartições, formatadas em FAT e NTFS. Por isto, LiveCdsLinux são muito utilizados na manutenção, e recuperação,de outros sistemas operacionais.Sistemas suportados:FAT NTFSJFS XFSHPFSSistemas de arquivos nativos:Ext2 Ext3ReiserFS Reiser4LiveCDLiveCD é um CD que contém um sistema operacional(GNU/Linux, BSD ou outro) que não precisa ser instaladano disco rígido do usuário uma vez que o sistemaoperacional completo é executado diretamente a partir doCD e da memória RAM. A maioria dessas distribuiçõestambém permitem que se instale o sistema operacional nodisco rígido com as mesmas configurações do sistemaque roda no CD, caso o usuário deseje.ENTENDENDO OS DIRETÓRIOSO primeiro choque para quem está chegando agora é aestrutura de diretórios do Linux, que não lembra em nadao que temos no Windows. No Windows temos os arquivosdo sistema concentrados nas pastas Windows e Arquivosde programas, e você pode criar e organizar suas pastasda forma que quiser. No Linux é basicamente o contrário.O diretório raiz está tomado pelas pastas do sistema eespera-se que você armazene seus arquivos pessoaisdentro da sua pasta no diretório /home.A primeira coisa com que você precisa se habituar é queno Linux os discos e partições não aparecemnecessariamente como unidades diferentes, como o C:,D:, E: do Windows. Tudo faz parte de um único diretório,chamado diretório raiz ou simplesmente "/".Dentro deste diretório temos não apenas todos arquivos eas partições de disco, mas também o CD-ROM, drive dedisquete e outros dispositivos, formando a estrutura quevocê vê no gerenciador de arquivos.Estrutura de diretórios no LinuxO diretório "/bin" armazena os executáveis de algunscomandos básicos do sistema, como o su, tar, cat, rm,pwd, etc. Geralmente isto soma de 5 a 7 MB, pouca coisa.O grosso dos programas ficam instalados dentro dodiretório /usr (de "Unix System Resources", ou recursosde sistema Unix). Este é de longe o diretório com maisarquivos em qualquer distribuição Linux, pois é aqui queficam os executáveis e bibliotecas de todos os principaisprogramas. A pasta "/usr/bin" (bin de binário), porexemplo, armazena cerca de 2.000 programas e atalhospara programas em uma instalação típica. Se você tiverque chutar em que pasta está o executável de umprograma qualquer, o melhor chute seria justamente apasta /usr/bin.Outro diretório "povoado" é o "/usr/lib", onde ficamarmazenadas bibliotecas usadas pelos programas. Afunção destas bibliotecas lembra um pouco a dos arquivos.dll no Windows. As bibliotecas com extensão ".a" sãobibliotecas estáticas, que fazem parte de um programaespecífico, enquanto as terminadas em ".so.versão"(xxx.so.1, yyy.so.3, etc.) são bibliotecas compartilhadas,usadas por vários programas.Subindo de novo, a pasta "/boot" armazena (como era dese esperar) o Kernel e alguns arquivos usados pelo Lilo (ogerenciador de boot do sistema), que são carregados nafase inicial do boot. Estes arquivos são pequenos,geralmente ocupam menos de 5 MB.Logo abaixo temos o diretório "/dev", que é de longe oexemplo mais exótico de estrutura de diretório no Linux.Todos os arquivos contidos aqui, como, por exemplo,"/dev/hda", "/dev/dsp", "/dev/modem", etc., não sãoarquivos armazenados no HD, mas sim ponteiros paradispositivos de hardware. Por exemplo, o "arquivo""/dev/mouse" contém as informações enviadas pelomouse, enquanto o "/dev/dsp" permite acessar a placa desom. Esta organização visa facilitar a vida dosprogramadores, que podem acessar o hardware do microsimplesmente fazendo seus programas lerem e gravaremem arquivos, deixando que o Kernel se encarregue daparte complicada.O diretório "/etc" concentra os arquivos de configuraçãodo sistema, substituindo de certa forma o registro doWindows. A vantagem é que enquanto o registro é umaespécie de caixa preta, os scripts do diretório "/etc" sãodesenvolvidos justamente para facilitar a edição manual. É
  4. 4. CURSO NOBREverdade que na maioria dos casos isto não é necessário,graças aos vários utilitários de configuração disponíveis,mas a possibilidade continua aí.Os arquivos recebem o nome dos programas seguidosgeralmente da extensão .conf. Por exemplo, o arquivo deconfiguração do servidor DHCP (que pode ser configuradopara atribuir endereços IP aos outros micros da rede) é o"/etc/dhcpd.conf", enquanto o do servidor FTP é o"/etc/proftpd.conf". Claro, ao contrário do registro doWindows, os arquivos do "/etc" não se corrompemsozinhos e é fácil fazer cópias de segurança casonecessário.O diretório "/mnt" (de "mount") recebe este nomejustamente por servir de ponto de montagem para o CD-ROM (/mnt/cdrom), drive de disquetes (/mnt/floppy), drivesZip e outros dispositivos de armazenamento. O uso dodiretório /mnt é apenas uma convenção. Você pode alteraro ponto de montagem do CD-ROM para /CD ou qualqueroutro lugar se quiser. Isso é configurável através doarquivo "/etc/fstab", onde vai a lista de todos osdispositivos usados pelo sistema e as pastas em que cadaum é montado.COMO OBTER O LINUXUma vez escolhida a distribuição que você utilizará, opróximo passo é fazer o download de uma imagem ISOpara gravação e instalação em seu computador. Éextremamente recomendável optar por uma distribuiçãoLinux popular, bem testada e na qual você encontrarádocumentação abundante na internet caso precise deajuda.DISTRIBUIÇÕES LINUXO Linux possui vários sabores e estes são denominadosdistribuições. Uma distribuição Linux nada mais é que umkernel acrescido de programas escolhidos a dedo pelaequipe que a desenvolve. Cada distribuição possui suasparticularidades, tais como forma de se instalar um pacote(ou software), interface de instalação do sistemaoperacional em si, interface gráfica, suporte a hardware.Então resta ao usuário definir que distribuição atendemelhor suas necessidades.Vejamos algumas distribuições:Ubuntu é uma das distribuições Linux mais populares daatualidade e isso se deve ao fato dela se preocupar muitocom o usuário final (desktop). Originalmente baseada noDebian, diferencia-se além do foco no desktop, em suaforma de publicação de novas versões, que são lançadassemestralmente.Desktop do UbuntuPara maiores informações, acesse o site do Ubuntu doBrasil, em www.ubuntu-br.org.OpenSuSE é a versão livre do belíssimo sistemaoperacional Novell SuSE. Além de se comportar de formamuito estável e robusta como servidor, também é muitopoderoso quando o assunto é desktop.Seu diferencial é o famoso YaST (Yeah Another SetupTool), um software que centraliza todo o processo deinstalação, configuração e personalização do sistema.Podemos dizer que esta é uma das cartas-mestre doSuSE, pois pode se comparar ao painel de controle doWindows.Desktop do OpenSuSEVisite o site oficial do OpenSuSE: www.opensuse.org.Para a comunidade brasileira, acesse www.susebr.org.
  5. 5. CURSO NOBREO Debian foi criado por um grupo de programadoresvoluntários. É um projeto inteiramente não-comercial, masprovê suporte para produtos comerciais em suadistribuição. É uma distribuição relativamente fácil deinstalar e traz a opção de instalador gráfico.Para isso, veja as opções no menu inicial do boot deinstalação, use a opção dada. Embora fácil de usar, é umadas preferidas dos usuários mais experientes, sendo umdos motivos a inteireza não-comercial. Provê suporte parauma variedade de arquiteturas, como a Alpha, ARM, intel,PowerPC, amd64, todas disponível pelo sitewww.debian.org.Desktop do DebianCriada por Patrick Volkerding, a distribuição Slackwareé considerada uma distribuição expert do Linux. Desde oseu início, em abril de 1993, busca ser o mais compatívelpossível com Unix. No entanto, por vezes é consideradamais difícil de usar que outras distribuições. Inclui amaioria dos mesmos pacotes de outras distros. É muitomais amigável do que sua reputação indica, e pode serencontrada em www.slackware.com.Desktop do SlackwareIdealizada por Carlos Morimoto, o Kurumin é uma dasdistribuições Linux mais usadas em território nacional.Originalmente baseada no Knoppix, que veio do Debian,esse sistema operacional se destacou por ser um desktop,fácil de instalar e agradável de usar.Sua característica mais marcante são os ícones mágicos,que transformam tarefas relativamente complexas (hojenem tanto) como configurar um modem ou instalar umcodec de vídeo numa experiência NNF (next, next, finish),como no Windows.Desktop do KuruminPara maiores informações, visite o site oficial do Kurumin:www.gdhpress.com.br/kurumin.Até hoje alguns consideram como uma meta-distribuiçãodo Linux. Suporta características avançadas, comodependências, gerenciamento de pacotes, e muito mais.As ferramentas do Gentoo permitem que você instale oque realmente necessita para rodar seu sistema.Por exemplo, se você não instalar o KDE, nenhum módulode suporte ao KDE será instalado. Mas se você selecionaro KDE, todos os módulos necessários serão instalados.Isto é utilíssimo para o controle de instalação de pacotesmenos usados ou até mesmo desnecessários. Adistribuição está disponível em www.gentoo.org.
  6. 6. CURSO NOBREDesktop do GentooFedora, segundo o próprio site, "é uma coleção deprojetos moderados pela Red Hat e desenvolvido comouma parceria entre a comunidade open source e osengenheiros da Red Hat. O objetivo da Fedora é oprogresso rápido de software open source e free. Pode serencontrado em www.fedoraproject.org.Desktop do FedoraCentOS é uma distribuição Linux de classe Enterprisederivada de códigos fonte gratuitamente distribuídos pelaRed Hat Enterprise Linux e mantida pelo CentOS Project.Suporta tanto ambientes de servidores para aplicações demissão crítica quanto ambientes de estações de trabalho eainda possui uma versão LiveCD.CentOS possui numerosas vantagens, incluindo: umacomunidade ativa e crescente, um rápido desenvolvimentoe teste de pacotes, uma extensa rede para downloads,desenvolvedores acessíveis, múltiplos canais de suporteincluindo suporte em português e suporte comercialatravés de parceiros.Desktop do CentOSSite oficial: www.centos.org (inglês), CentOS Brasil:http://centosbr.org/.COMANDOS DO LINUXO Linux, assim como qualquer sistema operacionalmoderno, é perfeitamente capaz de oferecer interaçãocom o usuário através de gráficos, fazendo com que sejapossível utilizar a maioria de seus recursos através domouse. Porém, em dado momento, o modo gráfico podenão estar disponível, restando apenas o modo texto (paraa inserção de comandos). Além disso, determinadastarefas só podem ser executadas por comandos digitados.Para não ficar perdido em qualquer dessas situações, énecessário conhecer alguns comandos do Linux.Quando um terminal é acessado, uma informaçãoaparece no campo de inserção de comandos. Éimportante saber interpretá-la. Para isso, veja os exemplosabaixo:Exemplo 1: [root@ppguimaraes /root]#Exemplo 2: [pepa@ppguimaraes /]$Nos exemplos, a palavra existente antes do símbolo @ dizqual o nome do usuário que está usando o terminal(lembre-se de que no Linux é necessário ter um usuáriopara utilizar o sistema). Os nomes que aparecem depoisdo @ indicam o computador que está sendo acessadoseguido do diretório.
  7. 7. CURSO NOBREAvenida Oliveira Lima, 841, Boa Vista, Recife/PE Página 78Fones: 3221-6401 / 3221-4536 - www.cursonobre.netO caractere que aparece no final indica qual o poder dousuário. Se o símbolo for #, significa que usuário tempoderes de administrador (root). Por outro lado, se osímbolo for $, significa que este é um usuário comum,incapaz de acessar todos os recursos que umadministrador acessa. Independente de qual seja, édepois do caractere que o usuário pode digitar oscomandos.Os comandos básicos do LinuxAgora que você já sabe como agir em um terminal, vamosaos comandos do Linux mais comuns. Para utilizá-los,basta digitá-los e pressionar a tecla ENTER de seuteclado. É importante frisar que, dependendo de suadistribuição Linux, um ou outro comando pode estarindisponível. Além disso, alguns comandos só podem serexecutados por usuários com privilégios de administrador.A relação a seguir mostra os comandos seguidos de umadescrição:cal: exibe um calendário;cat arquivo: mostra o conteúdo de um arquivo. Porexemplo, para ver o arquivo ppguimaraes.txt, basta digitarcat ppguimaraes.txt;cd diretório: abre um diretório. Por exemplo, para abrir apasta /mnt, basta digitar cd /mnt. Para ir ao diretório raiz apartir de qualquer outro, digite apenas cd;chmod: comando para alterar as permissões de arquivose diretórios.clear: elimina todo o conteúdo visível, deixando a linha decomando no topo, como se o sistema acabasse de ter sidoacessado;cp origem destino: copia um arquivo ou diretório paraoutro local. Por exemplo, para copiar o arquivoppguimaraes.txt com o nome ppguimaraes2.txt para/home, basta digitar cp ppguimaraes.txt/home/ppguimaraes2.txt;date: mostra a data e a hora atual;df: mostra as partições usadas;diff arquivo1 arquivo2: indica as diferenças entre doisarquivos, por exemplo: diff calc.c calc2.c;du diretório: mostra o tamanho de um diretório;emacs: abre o editor de textos emacs;file arquivo: mostra informações de um arquivo;find diretório parâmetro termo: o comando find serve paralocalizar informações. Para isso, deve-se digitar ocomando seguido do diretório da pesquisa mais umparâmetro (ver lista abaixo) e o termo da busca.Parâmetros:Exemplo: find /home name tristanianame: busca por nome;type: busca por tipo;size: busca pelo tamanho do arquivo;mtime: busca por data de modificação;finger usuário: exibe informações sobre o usuárioindicado;free: mostra a quantidade de memória RAM disponível;halt: desliga o computador;history: mostra os últimos comandos inseridos;id usuário: mostra qual o número de identificação dousuário especificado no sistema;kill: encerra processados em andamento;ls: lista os arquivos e diretórios da pasta atual;lpr arquivo: imprime o arquivo especificado;lpq: mostra o status da fila de impressão;lprm: remove trabalhos da fila de impressão;lynx: abre o navegador de internet de mesmo nome;mv origem destino: tem a mesma função do comando cp,só que ao invés de copiar, move o arquivo ou o diretóriopara o destino especificado;mkdir diretório: cria um diretório, por exemplo, mkdirppguimaraes cria uma pasta de nome ppguimaraes;passwd: altera sua senha. Para um administrador mudara senha de um usuário, basta digitar passwd seguido donome deste;ps: mostra os processos em execução;pwd: mostra o diretório em que você está;reboot: reinicia o sistema imediatamente (poucorecomendável, preferível shutdown -r now);rm arquivo: apaga o arquivo especificado;rmdir diretório: apaga o diretório especificado, desde quevazio;
  8. 8. CURSO NOBREAvenida Oliveira Lima, 841, Boa Vista, Recife/PE Página 79Fones: 3221-6401 / 3221-4536 - www.cursonobre.netshutdown: desliga ou reinicia o computador, veja:shutdown -r now: reinicia o computadorshutdown -h now: desliga o computadorO parâmetro now pode ser mudado. Por exemplo: digiteshutdown -r +10 e o sistema irá reiniciar daqui a 10minutos;su: passa para o usuário administrador, isto é, root(perceba que o símbolo $ mudará para #);tar -xzvf arquivo.tar.gz: extrai um arquivo compactado emtar.gz;telnet: ativa o serviço de Telnet em uma máquina. Paraacessar esse computador a partir de outros por Telnet,basta digitar telnet nomedamáquina ou telnet IP. Porexemplo: telnet 192.168.0.10. Após abrir o Telnet, digitehelp para conhecer suas funções;top: exibe a lista dos processos, conforme os recursos dememória consumidos;uname: mostra informações do sistema operacional e docomputador. Digite uname -a para obter mais detalhes;useradd usuário: cria uma nova conta usuário, porexemplo, useradd wester cria o usuário wester;userdel usuário: apaga a conta do usuário especificado;uptime: mostra a quantas horas seu computador estáligado;vi: inicia o editor de textos vi;whereis nome: procura pelo binário do arquivo indicado,útil para conhecer seu diretório ou se ele existe nosistema;w: mostra os usuários logados atualmente no computador(útil para servidores);who: mostra quem está usando o sistema.FinalizandoPraticamente todos os comandos citados possuemparâmetros que permitem incrementar suasfuncionalidades. Por exemplo, se você digitar o comandols com o parâmetro -R (ls -R), este mostrará todos osarquivos do diretório, inclusive os ocultos.A melhor forma de conhecer os parâmetros adicionais decada comando é consultando as informações de ajuda.Para isso, pode-se usar o recurso --help. Veja o exemplopara o comando ls:ls --helpTambém é possível utilizar o comando man (desde queseu conteúdo esteja instalado), que geralmente forneceinformações mais detalhadas. Par usar o man para obterdetalhes do comando cp, por exemplo, a sintaxe é:man cpSe você estiver utilizando o bash, pode-se aplicar ocomando help ou info da mesma forma que o comandoman:help cpinfo cpAssim como conhecer os comandos básicos do Linux éimportante, também o é saber como acessar seusrecursos de ajuda, pois isso te desobriga de decorar asseqüências das funcionalidades extras. Sabendo usartodos os recursos, você certamente terá boa produtividadeem suas tarefas no Linux.APLICATIVOS PARA LINUXO Linux possui uma riqueza incomparável de aplicativos,oferecendo mais de uma solução à certas necessidades.A maior dificuldade está em encontrar um aplicativo quesirva às suas necessidades. Como há inúmerosaplicativos para as mesmas funções, eles apresentamcertas características, estas que se adaptam ou não aogosto do usuário, por isto temos tanta variedade deaplicativos disponíveis hoje em dia.O fato de quase 100% dos aplicativos Linux serem Open-Source ajuda para que esta lista cada vez mais venhacrescer. Dentre outras coisas, os aplicativos Linuxpermitem ser alterados conforme as necessidades dosusuários, por termos acesso liberado ao código-fontedeles.Navegador WebAqui é onde a migração é mais simples. Duas dasalternativas mais usadas no Linux também estão noWindows, tornando a migração um pouco menoscomplicada. São os já bastante conhecidos Firefox eOpera. Além dessas duas opções, existem navegadoresespecíficos para o KDE (como o Konqueror) ou para oGnome (Epiphany). Porém não se comparam ao Firefoxou Opera.Suíte de EscritóriosQuem está acostumado com o Microsoft Office não vaiter dificuldades em se adaptar ao OpenOffice.org. Eletem um equivalente a cada aplicativo do MsOffice, comoeditor de texto, planilhas, slides, banco de dados, e écompatível com a suíte da Microsoft. Isso significa que osdocumentos criados pelo Office podem ser abertos peloOpenOffice.org.Leitor de E-MailsO Linux conta com algumas excelentes opções. Além doThunderbird (também presente no Windows), podemosusar o Evolution ou o Kontact. Ambos trazem funçõespresentes no Outlook (Windows), como agenda ecalendário.
  9. 9. CURSO NOBREAvenida Oliveira Lima, 841, Boa Vista, Recife/PE Página 80Fones: 3221-6401 / 3221-4536 - www.cursonobre.netMensagens InstantâneasHoje todo mundo usa Messenger. Seja para lazer ou paratrabalho, sempre estamos conectados. No Windows omais conhecido e usado é o Windows Live Messenger,mas quem usa outras plataformas, faz o que? No Linuxtemos alguns aplicativos de mensagens instantâneas.Alguns melhores, outros piores, mas cada um com suascaracterísticas. Alguns exemplos: Emesene - O Emesene conecta somente a rede doMSN Messenger, e é bastante simples. Apesar de serescrito originalmente pra interfaces GTK ele rodoumuito bem no KDE. A interface é limpa, tanto najanela principal, como na janela de conversa. Pidgin - O Pidgin já é famoso. É um IM bastanteconhecido tanto pelos usuários Linux quanto usuáriosWindows. Com ele é possível se conectar a váriasredes: MSN, ICQ, Gtalk, Irc, Aim, Yahoo… Assimcomo o Emesene, o Pidgin é bastante simples. aMSN - o aMSN é o messenger para Linux quereproduz com maior fidelidade as funções (e até aaparência) do WLM. Ele tem tudo o que o IM daMicrosoft possui: Winks, Emoticons personalizados,suporte a webcam, mensagens de voz, suporte acelular… enfim, toda a parafernalha que existe noLive Messenger.Players de ÁudioAqui a vantagem do Linux é evidente. Eu nunca usei emnenhum sistema (seja Windows ou Mac OS X) um playerde áudio tão bom quanto o Amarok. Além dele tambémexistem o Rhythmbox e Banshee. Apesar da enormeevolução que o Windows Media Player sofreu na 11ªversão, ele ainda não chega ao mesmo nível de algunsplayers para Linux e até mesmo para Windows.Players de VídeoNo Windows o player mais comum é, e sempre foi, oWindows Media Player. No Linux os usuários possuemalgumas variedades de opções. Entre elas estão o Totem,Mplayer (também presente no Windows), Kaffeine e oXine. Todos boas opções para o sistema do Pingüim.Gravadores de CD/DVDO Nero é bastante conhecido e usado no Windows. NoLinux ele também está disponível, mas não é uma boaopção frente a outras alternativas (até porque ele é pago).Entre elas está o K3B, que é bastante poderoso.Além dos aplicativos citados, existem outras opções emcada categoria, mas estes são certamente os maisconhecidos e usados pelos usuários do Linux.APLICATIVOS LINUX PARA USUÁRIOSDOMÉSTICOSO usuário doméstico que está migrando para o Linux podesofrer dificuldades em encontrar aplicativos quesubstituam os que está acostumado a usar no Windows. Aseguir, uma pequena seleção de programas bastanteusados no Linux por usuários domésticos, para que amigração para o sistema seja menos dolorosa.ESCRITÓRIOMicrosoft Windows LinuxAcrobat Reader Acrobat Reader, Evince, Xpdf, KpdfBloco de Notas, Word Pad Gedit, Kate, Leaf, Emacs, MousepadMicrosoft Word Writer, AbiWord, KWordMicrosoft Excel Calc, GnuMeric, KCalcMicrosoft Power Point Impress, KPresenterMicrosoft Access Base, KexiMicrosoft Money GnuCash, KMyMoneyMicrosoft Project PlannerMicrosoft Visio Dia, KivioUTILITÁRIOSMicrosoft Windows LinuxWinZip, WinRar File Roller, ArkWindows ExplorerNautilus, Konqueror, Thunar, Rox-FilerGadgets, Google DesktopGadgetsgDesklets, aDesklets,SuperKaramba, GkrellmPesquisa BeagleGoogle Desktop Search,busca inteligente doWindows VistaGoogle Desktop Search for LinuxBeta, Deskbar (Gnome)Aero Compiz-FusionVMware, Virtual PCVMware, VirtualBox, Qemu, Bochs,Xen, DOSEMU, dosboxAdicionar e RemoverProgramasSynaptic, AdeptNorton Anti Vírus, AVG,Avast, McAfee, PandaDr. Web, Trend ServerProtect, RAVAntiVirus, F-Prot, Clam AntiVirus,Kaspersky, YAVRVírus, Trojans, Spywares,AdwaresNão há registrosPartition MagicGparted, QTparted, Partition Image,Paragon Partition Manager, AcronisPartition ExpertINTERNETMicrosoft Windows LinuxWindows Live MessengerPidgin, aMSN, Mercury, Kopete,EmeseneICQ, YIM, Jabber, Gtalk, MSN Pidgin, Kopete, EmpathyInternet ExplorerFirefox, Swiftfox, Konqueror,Opera, EpiphanyOutlook Express, MicrosoftOutlookEvolution, Kontact, ThunderbirdSkype Skype for LinuxGizmo Gizmo for LinuxgTalk Tapioca, Gajim, LandellNetMeeting Ekiga, Xten Lite, KphoneTeamSpeak TeamSpeakKazaa LimeWire, FrostWireSoulseek NicotineeMule aMuleMicrosoft FrontPage,DreamweaverKompoZer, Quanta+, BluefishmIRCXChat, Ksirc, Konversation, Kvirc,IrssiGoogle Earth Google Earth, Earth 3DBittorrent, AzureusBittorrent, Gnome Torrent,Azureus, Deluge, FrostWire,KtorrentCuteFTP, Bullet Proof FTP,WSftpgFTP, Kbear, Nautilus, Konqueror,FileZillaJigdo JigdoGetRight Gwget, Downloader for XZone Alarm, McAfee Firewall,Norton Internet SecurityFirestarter, Kmyfirewall,GuardDog, FireWall Builder
  10. 10. CURSO NOBREAvenida Oliveira Lima, 841, Boa Vista, Recife/PE Página 81Fones: 3221-6401 / 3221-4536 - www.cursonobre.netMÚSICA E VÍDEOMicrosoft Windows LinuxWindows Media Player (áudio),iTunesamaroK, Rhythmbox, Banshee,Listen, ExaileWindows media Player (vídeo)Totem, Kaffeine, Mplayer, Xine,Gxine, VLCReal Player Real PlayerNero, Easy CD CreatorNautilus, Nero, K3B, Brasero,Gnome BakerDVD ShrinkXdvdshrink, K9copy, Acidrip,DVD::RIP, ThoggenWinampXMMS, Beep-Media-Player,AudaciousSound Forge Audacity, ArdourFinale, Encore, Sibelius Rosegarden, MusEAdobe Premiere, WindowsMovie MakerAvidemux, DIVA, Cinelerra, Lives,Kino, Kdenlive, Main ActorGRÁFICOS E IMAGEMMicrosoft Windows LinuxPhotoshop Lite, Picasa F-Spot, digiKam, PicasaAdobe Photoshop GIMP, Pixel Edit, KritaAdobe Illustrator, CorelDRAW! Inkscape, Xara XtremeAdobe InDesign, Quark Xpress,Page MakerScribus, OpenOffice.org DrawAdobe Flash Synfig, SWFToolsPaintGnuPaint, Tux Paint,KolourPaintAutoCad, Pro EngineerPro Engineer, Qcad, Varicad,Archimedes3D Max, XSI, Maya Maya, XSI, BlenderVueScanXsane, Kooka, Xvscan,VueScanPicasa Picasa for Linux (beta)PLUGINSMicrosoft Windows LinuxAdobe Flash Player Adobe Flash Player, GnashJava JavaJOGOSMicrosoft Windows LinuxQuake 4 Quake 4, Nexuiz, TremulousWolfenstein Enemy Territory Wolfenstein Enemy TerritoryCounter Strike Urban Terror, True CombatFlight Simulator Flight Gear, Silent Wings, X-PlaneSecond Life Second LifeUnreal Tournament 2004 Unreal Tournament 2004Coelho Sabido GcomprisDESENVOLVIMENTO DE SOFTWAREMicrosoft Windows LinuxJava JavaNetbeans (Java) Netbeans (Java)Eclipse (Java) Eclipse (Java)MSVC++, Netbeans com C++Pack, Eclipse/CDT, CodeBlocksNetbeans com C++ Pack,Eclipse/CDT, CodeBlocks,KDevelop, Qt Designer, gcc,AnjutaVisualBasic GambasDelphi LazarusC# - Visual Studio MonodevelopPROGRAMAS CIENTÍFICOSMicrosoft Windows Ubuntu LinuxOrigin, Gnuplot LabPlot, GnuplotMaple, Mathematica Mathematica, wxMaxima, AxiomMatlab Octave, SciLabMinitab QtiPlot"Qualquer coisa que você possa fazer ousonhar, você pode começar. A ousadia temgenialidade, poder e magia em si."Johann Wolfgang von Goethe

×