SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
Baixar para ler offline
   é o nome comum de uma
    condição degenerativo-
    paralítica encontrada no
    homem e em outros
    vertebrados.



               Nuno Correia 10/11   2
Até ao século XX, essa doença era relativamente comum
em populações humanas, especialmente de áreas como
Bornéu e Java.




              Nuno Correia 10/11                        3
      Em 1893 o governo holandês
                     enviou uma comissão às Índias
                     Orientais para investigar o
                     beribéri, particularmente
                     prevalente na região.
                    Um membro dessa comissão,
                     Christian Eijkman (1858-1930)
                     realizou observações que o
                     levaram a formular uma
                     hipótese diferente quanto às
                     causas da doença.

Nuno Correia 10/11                               4
   Dispôs-se, então, Eijkman a planear uma
    experiência para comprovar sua hipótese.
   Esse trabalho constitui exemplo clássico de
    planeamento e execução de uma experiência
    científica.




               Nuno Correia 10/11                 5
Indução                             Dedução

               • Reunir informações,                 • O que poderia acontecer
                 utilizar conhecimentos                se a hipótese for
                 para explicar uma                     verdadeira
Informações      situação.
                                          Hipótese
 disponíveis




                    Nuno Correia 10/11                                       6
Nuno Correia 10/11   7
   Eijkman observou que galinhas destinadas a
    trabalho experimental, criadas junto ao
    laboratório, eram alimentadas com dieta que
    consistia principalmente em arroz polido.
   Muitas dessas galinhas pareciam apresentar
    uma condição que se assemelhava ao beribéri.
   Eijkman decidiu verificar se havia qualquer
    relação entre dieta de arroz polido e a ocorrência
    de beribéri.

               Nuno Correia 10/11                        8
   Hipótese I: beribéri resulta de um
    desequilíbrio de dieta e não é devido à infecção
    bacteriana.

   Hipótese II: um factor existente na película
    externa do grão de arroz parece impedir o
    aparecimento dessa condição.


               Nuno Correia 10/11                      9
   Hipótese I : se ... o beribéri é uma condição
    decorrente da dieta . . .
e
   Hipótese II: se ... o beribéri resulta da alimentação
    com arroz polido . . .

   Dedução : então ... a alimentação de galinhas com
    arroz polido deveria produzir tal condição.
    Opostamente, alimentá-las com arroz não-polido
    deveria mantê-las sadias.

                  Nuno Correia 10/11                        10
Arroz Polido - o produto que, ao ser beneficiado, retira-se o
germe, a camada externa e a maior parte da camada interna do
tegumento, podendo ainda apresentar grãos com estrias
longitudinais, visíveis a olho nu.

Arroz Integral - o produto do qual somente se retira a
casca durante o beneficiamento, mantendo-se intacto o
germe e as camadas interna e externa do grão, sendo
obtido a partir do arroz em casca natural.

Arroz Em Casca Natural - o produto que , antes do
beneficiamento, não passa por qualquer preparo industrial
ou processo tecnológico aditivo.




                      Nuno Correia 10/11                        11
Modelo
Observação   Hipótese             Experiência   Teoria
                                                         Científico




             Nuno Correia 10/11                                       12
   Separou dois grupos de galinhas normais,
    sadias.
   Um dos grupos, alimentou com arroz polido,
    o outro, com arroz bruto.
   As galinhas foram colocadas em galinheiros
    e mantidas sob condições idênticas por um
    período de duas semanas.



                   Nuno Correia 10/11            13
   Após esse período, muitas das galinhas
    alimentadas com arroz polido apresentavam
    sintomas de beribéri.
   Entre as que haviam sido alimentadas com arroz
    integral, entretanto, não havia tais sintomas.




              Nuno Correia 10/11                 14
   Em primeiro lugar, foi pensada para testar
    uma dedução feita com base em uma
    hipótese preliminar.




              Nuno Correia 10/11                 15
   Uma boa experiência é aquela programada
    para comprovar uma dedução específica, que
    a experiência pode tanto confirmar como
    rejeitar.
   Se se verificar a dedução de uma dada
    hipótese, a hipótese pode estar correcta.



             Nuno Correia 10/11                  16
   Em segundo lugar, a experiência de Eijkman
    fez uso de controles.




             Nuno Correia 10/11                  17
Controlada

Grupo Controlo ou                                   Grupo
  Testemunho                                     Experimental


                                           Grupo onde é testada uma variável
 Grupo onde as variáveis da                independente sendo as restantes
 experiência são mantidas                  condições e contituição mantidas
       inalteráveis.                       iguais ao grupo controlo.
                      Nuno Correia 10/11                                       18
    Na experiência devidamente controlada, dois
    grupos de organismos são submetidos a
    tratamento idêntico em todos os aspectos,
    menos um.
   Essa diferença única é o factor investigado, tal
    como o arroz polido ou integral, na dieta.




               Nuno Correia 10/11                      19
   Na experiência de Eijkman, as galinhas alimentadas
    com arroz polido constituem o grupo-controle,
    enquanto as alimentadas com arroz integral formam
    o grupo experimental.
   Em geral, os grupos-controle representam a
    situação normal, enquanto os grupos experimentais
    representam a variação.
   O grupo-controle proporciona base para
    comparação — um padrão contra o qual se podem
    medir as alterações que se verificarem no grupo
    experimental.
               Nuno Correia 10/11                        20
   Se Eijkman não tivesse realizado as suas experiências como
    acabou de se descrever, mas tivesse utilizado patos no seu grupo
    experimental e galinhas no grupo-controle, isso teria introduzido
    duas variáveis na experiência: a diferença na dieta e a diferença
    no tipo de organismo.
   Se o grupo experimental tivesse apresentado elevada incidência
    de beribéri, Eijkman teria tido muito menos certeza nos
    resultados obtidos.




                    Nuno Correia 10/11                            21
   Eijkman não pôde concluir a partir de suas
    investigações, que, porque uma dieta de
    arroz polido causava beribéri em galinhas,
    ela teria necessariamente o mesmo efeito
    noutros animais. Ele precisaria comprovar a
    sua hipótese em relação aos seres humanos.



              Nuno Correia 10/11                  22
   Quanto maior for o número de dados
    disponíveis como ponto de partida para a
    pesquisa, mais válida será a generalização.




              Nuno Correia 10/11                  23
Normalmente, é muito difícil realizar experiências em larga escala com seres humanos,
especialmente sob condições passíveis de produzirem efeitos nocivos.

Uma situação já existente, porém, ajudou Eijkman a resolver esse problema.

O beribéri era especialmente comum nas instituições penais de Java.
Eijkman ordenou que fosse incluído arroz integral nas dietas dos reclusos em algumas das prisões
onde o beribéri era bastante prevalente.

Isso constituiu um progresso definido, mas os resultados ainda eram inconclusivos.

Havia sempre a possibilidade, remota embora, de que os prisioneiros se teriam recuperado de
qualquer maneira devido a modificações dos outros componentes da alimentação de sua dieta
durante o período de observação. Era necessário um grupo-controle.

Por sorte, usos locais proporcionaram exactamente o que era necessário. As dietas das prisões por Java
toda eram notavelmente semelhantes, excepto num factor.
Embora o arroz fosse o prato básico em todas as prisões, em algumas áreas consumia-se arroz
polido em lugar de arroz integral.

                           Nuno Correia 10/11                                                       24
Nuno Correia 10/11   25
   As experiências de Eijkman ilustraram dois
    aspectos adicionais, de alguma importância
    na análise experimental.
     Eijkman utilizou grande número de amostras a
     fim de evitar erro de amostragem e coletou
     dados numéricos.




              Nuno Correia 10/11                     26
   As informações coletadas a partir da
    observação ou da experimentação podem
    ser de dois tipos:
     quantitativos e qualitativos

                                     Muito Bom
                                     Bom
                                     Suficiente
                                     Insuficiente



               Nuno Correia 10/11                   27
Nuno Correia 10/11   28
Nuno Correia 10/11   29
Nuno Correia 10/11   30

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Propuesta comunicación arken internacional
Propuesta comunicación  arken internacionalPropuesta comunicación  arken internacional
Propuesta comunicación arken internacionalcabeltrace
 
Emplois du temps_3emes
Emplois du temps_3emesEmplois du temps_3emes
Emplois du temps_3emesChennoufi Med
 
Cicle mitjà propostes de lectura
Cicle mitjà   propostes de lecturaCicle mitjà   propostes de lectura
Cicle mitjà propostes de lecturaescolajocdelabola
 
Gewijzigd voorstel van Wet Arbeidsomstandighedenwet (doorlopende tekst)
Gewijzigd voorstel van Wet Arbeidsomstandighedenwet (doorlopende tekst)Gewijzigd voorstel van Wet Arbeidsomstandighedenwet (doorlopende tekst)
Gewijzigd voorstel van Wet Arbeidsomstandighedenwet (doorlopende tekst)Igor Janssen
 
Dupla renovação mensagem abertura
Dupla renovação  mensagem aberturaDupla renovação  mensagem abertura
Dupla renovação mensagem aberturaFatima Carvalho
 
Integrantes club de prensa
Integrantes club de prensaIntegrantes club de prensa
Integrantes club de prensatianchrisv
 
Karen juega con manfre
Karen juega con manfreKaren juega con manfre
Karen juega con manfrekrnsitta
 
Presentacion proyecto de aula 24820.docx
Presentacion proyecto de aula 24820.docxPresentacion proyecto de aula 24820.docx
Presentacion proyecto de aula 24820.docxoflorezmeza
 

Destaque (14)

Propuesta comunicación arken internacional
Propuesta comunicación  arken internacionalPropuesta comunicación  arken internacional
Propuesta comunicación arken internacional
 
Taller no. 1 do
Taller no. 1 doTaller no. 1 do
Taller no. 1 do
 
DOFA
DOFADOFA
DOFA
 
Emplois du temps_3emes
Emplois du temps_3emesEmplois du temps_3emes
Emplois du temps_3emes
 
writing course cert.
writing course cert.writing course cert.
writing course cert.
 
Cicle mitjà propostes de lectura
Cicle mitjà   propostes de lecturaCicle mitjà   propostes de lectura
Cicle mitjà propostes de lectura
 
Gewijzigd voorstel van Wet Arbeidsomstandighedenwet (doorlopende tekst)
Gewijzigd voorstel van Wet Arbeidsomstandighedenwet (doorlopende tekst)Gewijzigd voorstel van Wet Arbeidsomstandighedenwet (doorlopende tekst)
Gewijzigd voorstel van Wet Arbeidsomstandighedenwet (doorlopende tekst)
 
Dupla renovação mensagem abertura
Dupla renovação  mensagem aberturaDupla renovação  mensagem abertura
Dupla renovação mensagem abertura
 
Integrantes club de prensa
Integrantes club de prensaIntegrantes club de prensa
Integrantes club de prensa
 
Uncertainty princepale
Uncertainty princepaleUncertainty princepale
Uncertainty princepale
 
Curacion de contenidos
Curacion de contenidosCuracion de contenidos
Curacion de contenidos
 
Dossier de Estudio Trama 2012
Dossier de Estudio Trama 2012Dossier de Estudio Trama 2012
Dossier de Estudio Trama 2012
 
Karen juega con manfre
Karen juega con manfreKaren juega con manfre
Karen juega con manfre
 
Presentacion proyecto de aula 24820.docx
Presentacion proyecto de aula 24820.docxPresentacion proyecto de aula 24820.docx
Presentacion proyecto de aula 24820.docx
 

Mais de Nuno Correia

Sismologia parte 1
Sismologia   parte 1Sismologia   parte 1
Sismologia parte 1Nuno Correia
 
Geologia - Variações Climáticas
Geologia   - Variações ClimáticasGeologia   - Variações Climáticas
Geologia - Variações ClimáticasNuno Correia
 
Biologia 12 imunidade celular
Biologia 12   imunidade celularBiologia 12   imunidade celular
Biologia 12 imunidade celularNuno Correia
 
Biologia 12 imunidade humoral
Biologia 12   imunidade humoralBiologia 12   imunidade humoral
Biologia 12 imunidade humoralNuno Correia
 
Geologia 12 estratotipo
Geologia 12   estratotipoGeologia 12   estratotipo
Geologia 12 estratotipoNuno Correia
 
Geologia 12 biozonas
Geologia 12   biozonasGeologia 12   biozonas
Geologia 12 biozonasNuno Correia
 
Geologia 12 movimentos horizontais
Geologia 12   movimentos horizontaisGeologia 12   movimentos horizontais
Geologia 12 movimentos horizontaisNuno Correia
 
Geologia 12 isostasia
Geologia 12   isostasiaGeologia 12   isostasia
Geologia 12 isostasiaNuno Correia
 
Geologia 12 paleomagnetismo
Geologia 12   paleomagnetismoGeologia 12   paleomagnetismo
Geologia 12 paleomagnetismoNuno Correia
 
Geologia 12 deriva dos continentes
Geologia 12   deriva dos continentesGeologia 12   deriva dos continentes
Geologia 12 deriva dos continentesNuno Correia
 
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12   biologia e os desafios da atualidadeBiologia 12   biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidadeNuno Correia
 
Geologia 12 paleoclimas
Geologia 12   paleoclimasGeologia 12   paleoclimas
Geologia 12 paleoclimasNuno Correia
 
Geologia 12 arcos insulares
Geologia 12   arcos insularesGeologia 12   arcos insulares
Geologia 12 arcos insularesNuno Correia
 
Deriva dos continentes
Deriva dos continentesDeriva dos continentes
Deriva dos continentesNuno Correia
 
Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Nuno Correia
 
Genética (monobridismo exercícios)
Genética (monobridismo   exercícios)Genética (monobridismo   exercícios)
Genética (monobridismo exercícios)Nuno Correia
 
Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Nuno Correia
 
Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Nuno Correia
 

Mais de Nuno Correia (20)

Sismologia parte 1
Sismologia   parte 1Sismologia   parte 1
Sismologia parte 1
 
Geologia - Variações Climáticas
Geologia   - Variações ClimáticasGeologia   - Variações Climáticas
Geologia - Variações Climáticas
 
Biologia 12 imunidade celular
Biologia 12   imunidade celularBiologia 12   imunidade celular
Biologia 12 imunidade celular
 
Biologia 12 imunidade humoral
Biologia 12   imunidade humoralBiologia 12   imunidade humoral
Biologia 12 imunidade humoral
 
Geologia 12 estratotipo
Geologia 12   estratotipoGeologia 12   estratotipo
Geologia 12 estratotipo
 
Geologia 12 biozonas
Geologia 12   biozonasGeologia 12   biozonas
Geologia 12 biozonas
 
Geologia 12 movimentos horizontais
Geologia 12   movimentos horizontaisGeologia 12   movimentos horizontais
Geologia 12 movimentos horizontais
 
Geologia 12 isostasia
Geologia 12   isostasiaGeologia 12   isostasia
Geologia 12 isostasia
 
Geologia 12 paleomagnetismo
Geologia 12   paleomagnetismoGeologia 12   paleomagnetismo
Geologia 12 paleomagnetismo
 
Geologia 12 deriva dos continentes
Geologia 12   deriva dos continentesGeologia 12   deriva dos continentes
Geologia 12 deriva dos continentes
 
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12   biologia e os desafios da atualidadeBiologia 12   biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
 
Geologia 12 paleoclimas
Geologia 12   paleoclimasGeologia 12   paleoclimas
Geologia 12 paleoclimas
 
Geologia 12 arcos insulares
Geologia 12   arcos insularesGeologia 12   arcos insulares
Geologia 12 arcos insulares
 
Deriva dos continentes
Deriva dos continentesDeriva dos continentes
Deriva dos continentes
 
Zonas costeiras
Zonas costeirasZonas costeiras
Zonas costeiras
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)
 
Genética (monobridismo exercícios)
Genética (monobridismo   exercícios)Genética (monobridismo   exercícios)
Genética (monobridismo exercícios)
 
Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)
 
Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)
 

Último

A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 

Último (20)

A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 

Bg 3 comprovação de hipóteses e deduções

  • 1.
  • 2. é o nome comum de uma condição degenerativo- paralítica encontrada no homem e em outros vertebrados. Nuno Correia 10/11 2
  • 3. Até ao século XX, essa doença era relativamente comum em populações humanas, especialmente de áreas como Bornéu e Java. Nuno Correia 10/11 3
  • 4. Em 1893 o governo holandês enviou uma comissão às Índias Orientais para investigar o beribéri, particularmente prevalente na região.  Um membro dessa comissão, Christian Eijkman (1858-1930) realizou observações que o levaram a formular uma hipótese diferente quanto às causas da doença. Nuno Correia 10/11 4
  • 5. Dispôs-se, então, Eijkman a planear uma experiência para comprovar sua hipótese.  Esse trabalho constitui exemplo clássico de planeamento e execução de uma experiência científica. Nuno Correia 10/11 5
  • 6. Indução Dedução • Reunir informações, • O que poderia acontecer utilizar conhecimentos se a hipótese for para explicar uma verdadeira Informações situação. Hipótese disponíveis Nuno Correia 10/11 6
  • 8. Eijkman observou que galinhas destinadas a trabalho experimental, criadas junto ao laboratório, eram alimentadas com dieta que consistia principalmente em arroz polido.  Muitas dessas galinhas pareciam apresentar uma condição que se assemelhava ao beribéri.  Eijkman decidiu verificar se havia qualquer relação entre dieta de arroz polido e a ocorrência de beribéri. Nuno Correia 10/11 8
  • 9. Hipótese I: beribéri resulta de um desequilíbrio de dieta e não é devido à infecção bacteriana.  Hipótese II: um factor existente na película externa do grão de arroz parece impedir o aparecimento dessa condição. Nuno Correia 10/11 9
  • 10. Hipótese I : se ... o beribéri é uma condição decorrente da dieta . . . e  Hipótese II: se ... o beribéri resulta da alimentação com arroz polido . . .  Dedução : então ... a alimentação de galinhas com arroz polido deveria produzir tal condição. Opostamente, alimentá-las com arroz não-polido deveria mantê-las sadias. Nuno Correia 10/11 10
  • 11. Arroz Polido - o produto que, ao ser beneficiado, retira-se o germe, a camada externa e a maior parte da camada interna do tegumento, podendo ainda apresentar grãos com estrias longitudinais, visíveis a olho nu. Arroz Integral - o produto do qual somente se retira a casca durante o beneficiamento, mantendo-se intacto o germe e as camadas interna e externa do grão, sendo obtido a partir do arroz em casca natural. Arroz Em Casca Natural - o produto que , antes do beneficiamento, não passa por qualquer preparo industrial ou processo tecnológico aditivo. Nuno Correia 10/11 11
  • 12. Modelo Observação Hipótese Experiência Teoria Científico Nuno Correia 10/11 12
  • 13. Separou dois grupos de galinhas normais, sadias.  Um dos grupos, alimentou com arroz polido, o outro, com arroz bruto.  As galinhas foram colocadas em galinheiros e mantidas sob condições idênticas por um período de duas semanas. Nuno Correia 10/11 13
  • 14. Após esse período, muitas das galinhas alimentadas com arroz polido apresentavam sintomas de beribéri.  Entre as que haviam sido alimentadas com arroz integral, entretanto, não havia tais sintomas. Nuno Correia 10/11 14
  • 15. Em primeiro lugar, foi pensada para testar uma dedução feita com base em uma hipótese preliminar. Nuno Correia 10/11 15
  • 16. Uma boa experiência é aquela programada para comprovar uma dedução específica, que a experiência pode tanto confirmar como rejeitar.  Se se verificar a dedução de uma dada hipótese, a hipótese pode estar correcta. Nuno Correia 10/11 16
  • 17. Em segundo lugar, a experiência de Eijkman fez uso de controles. Nuno Correia 10/11 17
  • 18. Controlada Grupo Controlo ou Grupo Testemunho Experimental Grupo onde é testada uma variável Grupo onde as variáveis da independente sendo as restantes experiência são mantidas condições e contituição mantidas inalteráveis. iguais ao grupo controlo. Nuno Correia 10/11 18
  • 19. Na experiência devidamente controlada, dois grupos de organismos são submetidos a tratamento idêntico em todos os aspectos, menos um.  Essa diferença única é o factor investigado, tal como o arroz polido ou integral, na dieta. Nuno Correia 10/11 19
  • 20. Na experiência de Eijkman, as galinhas alimentadas com arroz polido constituem o grupo-controle, enquanto as alimentadas com arroz integral formam o grupo experimental.  Em geral, os grupos-controle representam a situação normal, enquanto os grupos experimentais representam a variação.  O grupo-controle proporciona base para comparação — um padrão contra o qual se podem medir as alterações que se verificarem no grupo experimental. Nuno Correia 10/11 20
  • 21. Se Eijkman não tivesse realizado as suas experiências como acabou de se descrever, mas tivesse utilizado patos no seu grupo experimental e galinhas no grupo-controle, isso teria introduzido duas variáveis na experiência: a diferença na dieta e a diferença no tipo de organismo.  Se o grupo experimental tivesse apresentado elevada incidência de beribéri, Eijkman teria tido muito menos certeza nos resultados obtidos. Nuno Correia 10/11 21
  • 22. Eijkman não pôde concluir a partir de suas investigações, que, porque uma dieta de arroz polido causava beribéri em galinhas, ela teria necessariamente o mesmo efeito noutros animais. Ele precisaria comprovar a sua hipótese em relação aos seres humanos. Nuno Correia 10/11 22
  • 23. Quanto maior for o número de dados disponíveis como ponto de partida para a pesquisa, mais válida será a generalização. Nuno Correia 10/11 23
  • 24. Normalmente, é muito difícil realizar experiências em larga escala com seres humanos, especialmente sob condições passíveis de produzirem efeitos nocivos. Uma situação já existente, porém, ajudou Eijkman a resolver esse problema. O beribéri era especialmente comum nas instituições penais de Java. Eijkman ordenou que fosse incluído arroz integral nas dietas dos reclusos em algumas das prisões onde o beribéri era bastante prevalente. Isso constituiu um progresso definido, mas os resultados ainda eram inconclusivos. Havia sempre a possibilidade, remota embora, de que os prisioneiros se teriam recuperado de qualquer maneira devido a modificações dos outros componentes da alimentação de sua dieta durante o período de observação. Era necessário um grupo-controle. Por sorte, usos locais proporcionaram exactamente o que era necessário. As dietas das prisões por Java toda eram notavelmente semelhantes, excepto num factor. Embora o arroz fosse o prato básico em todas as prisões, em algumas áreas consumia-se arroz polido em lugar de arroz integral. Nuno Correia 10/11 24
  • 26. As experiências de Eijkman ilustraram dois aspectos adicionais, de alguma importância na análise experimental.  Eijkman utilizou grande número de amostras a fim de evitar erro de amostragem e coletou dados numéricos. Nuno Correia 10/11 26
  • 27. As informações coletadas a partir da observação ou da experimentação podem ser de dois tipos:  quantitativos e qualitativos Muito Bom Bom Suficiente Insuficiente Nuno Correia 10/11 27