Trab. sociologia 2

274 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
274
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trab. sociologia 2

  1. 1. Universidade Federal de Lavras A comunidade urbana como configuração espacial e ordem moral Robert E. Park
  2. 2.  Professor Eugenius Warming, publicou um pequeno volume intitulado Comunidade de Plantas. Ele chamava a atenção para o fato de que diferentes espécies de plantas tendem a formar grupos permanentes, que ele chamou de “comunidades”. As comunidades de plantas começam existir gradualmente, passam por certas mudanças características e finalmente se desintegram e são sucedidas por outras comunidades de gêneros diversos.
  3. 3.  E estas observações tornaram-se mais tarde o ponto de partida para uma série de estudos que desde então tornaram-se familiares sob o título de “ECOLOGIA” A Ecologia Humana ,como os sociólogos gostariam de empregar o termo, não se identifica com a Geografia, nem mesmo com a Geografia Humana, porque não se trata do homem, e sim da comunidade; não é a relação do homem com a terra em que vive, o que mais nos preocupa, e sim as suas relações com outros homens.
  4. 4. Dentro dos limites de cada “área natural”, a distribuição da população tende a assumir padrões definidos e típicos. Pois, cada grupo local apresenta um modo (conjunto) mais ou menos definido das unidades individuais que o compõem. Segundo Durkheim e seus discípulos a forma que esseconjunto toma ou a posição de cada individuo na comunidadecom referência a cada um dos outros indivíduos são denominadoaspectos morfológicos da sociedade.
  5. 5.  A Ecologia Humana, conforme concebem-na os sociólogos procura ressaltar não tanto a geografia como o espaço. Na sociedade, não só vivemos juntos, como ao mesmo tempo vivemos separados, e as relações humanas podem sempre ser computadas, com maior ou menor exatidão, em termos de distância. As comunidades locais podem ser comparadas com referência às áreas que ocupam e com referência à relativa densidade da distribuição de população dentro daquelas áreas.
  6. 6.  As cidades, especialmente as grandes, onde maior tem sido a seleção e segregação das populações, demonstram certas características morfológicas que não são encontradas em agregados menores de população. Um dos incidentes do tamanho é a diversidade. Quando outras coisas são iguais, quanto maior for a comunidade, tanto mais larga é a divisão de trabalho.
  7. 7. CRESCIMENTO DA CIDADE Envolve não só o  Crescimento de novas aumento de número, regiões que com isso como todas as passam a ter aumento mudanças e nos valores de movimentos que são terrenos, multiplicação associadas aos das ocupações. indivíduos para encontrar seu lugar na complexidade da vida urbana.
  8. 8.  A comunidade, diferenciada dos indivíduos que a compõem, tem duração de existência indefinida. Sabemos que as comunidades começam a existir, expandem-se e florescem por algum tempo, depois declinam. Isto se dá tanto com as sociedades humanas quanto com as comunidades de plantas.
  9. 9.  Toda nova geração tem de aprender a acomodar-se a uma ordem de coisas determinada e mantida principalmente pelos mais velhos. Os indivíduos crescem, incorporam-se à vida da comunidade e finalmente retiram-se e desaparecem. Mas a comunidade, com a ordem moral que encerra, continua a viver.
  10. 10.  Numa sociedade em que se operam grandes e rápidas mudanças, maior é a necessidade da educação pública que ordinariamente se obtém por meio da imprensa, das discussões e das conversas. O nosso conhecimento e político e o nosso senso comum , observações baseadas no pessoal e na tradição, não acompanham as verdadeiras mudanças que estão verificando na nossa vida comum.
  11. 11.  Um dos incidentes do crescimento da comunidade é a seleção e a segregação da população, e a criação, de um lado, dos grupos sociais naturais, e do outro, das áreas sociais naturais. As segregações de população se verificam, primeiro, baseadas na língua e na cultura, e segundo, baseadas na raça. Alguns exemplos são os guetos, os “bairros chineses”, as “ Pequenas Sicílias”.
  12. 12.  Dentro dessas colônias outros processos de seleção se verificam, provocando a segregação baseada sobre os interesses vocacionais, sobre a inteligência e sobre a ambição pessoal. O resultado é que os mais sagazes, os mais energéticos e os mais ambiciosos emergem de suas colônias de imigrantes e se mudam para uma área secundária de fixação. O ponto chave é que, a mudança de ocupação, o êxito ou o fracasso pessoal- em suma, as mudanças na posição social e econômica tendem a registrar-se nas mudanças de localização.
  13. 13.  A seleção e a segregação sociais, que criam os grupos naturais, determinam ao mesmo tempo as áreas naturais da cidade.
  14. 14. A cidade moderna difere da antiga em um ponto importante: Cidade Antiga  Cidade ModernaCrescia em volta de uma Cresce em volta de um fortaleza; mercado;Era o centro de uma região Tende a ser o centro de que relativamente se uma região altamente bastava assim mesmo; especializada,com umaAs mercadorias eram para área correspondente de consumo doméstico, comércio largamente apenas da comunidade. extensa.
  15. 15.  Nessas circunstâncias, as linhas gerais da cidade moderna serão determinadas : 1. Pela geografia local 2. Pelas vias de transporteA geografia local, modificada por estrada de ferro e outros meios principais de transporte, ligando-se todos eles, como se dá invariavelmente, às maiores indústrias, fornece as configurações gerais da estrutura da cidade.
  16. 16.  A comunidade urbana típica é na verdade muito mais complicada e existem variações características para diferentes tipos e tamanhos de cidades. O principal ponto, entretanto, é que em toda parte a comunidade tende a assumir algum padrão, e esse padrão invariavelmente vem a ser um conjunto de áreas urbanas típicas, as quais podem todas ser geograficamente localizadas e espacialmente definidas.
  17. 17.  As áreas naturais são os habitats de grupos naturais. Cada área urbana típica pode conter uma seleção característica da população da comunidade em geral. Nas cidades grandes, a divergência de maneiras, do padrão de vida e da perspectiva geral da vida nas diferentes áreas urbanas que às vezes surpreende. Isto ressalta a importância da localização, da posição e da mobilidade como índices para medir, descrever e , afinal, explicar os fenômenos sociais.
  18. 18.  A mobilidade mede a mudança social e sua desorganização, porque esta mudança quase sempre compreende alguma mudança de posição no espaço, mesmo aquela que chamamos de “progresso”. Professor Burgess aponta várias formas de desorganização social, a qual parecem estar aproximadamente correlacionadas com mudanças na vida da cidade as quais podem ser medidas em termos de mobilidade.
  19. 19.  A mobilidade é importante como conceito sociológico, somente enquanto ela garante novos contatos sociais e a distância física é importante para as relações sociais, somente quando é possível interpretá-la em termos de distância social. Organismo social: é feito de unidades capazes de locomoção. O fato de que cada indivíduo é capaz de movimento no espaço, assegura-lhe uma experiência que é particular e peculiar.
  20. 20.  A necessidade do saber surge da própria necessidade de verificar e fundir essas experiências individuais divergentes e reduzi-las a termos que as tornem inteligíveis a todos nós. A autoconsciência é apenas a nossa consciência dessas diferenças individuais de experiência, juntamente com um senso da sua incomunicabilidade. Portanto, o espaço não é o único obstáculo à comunicação e que as distancias sociais nem sempre podem ser adequadamente medidas em termos puramente físicos.
  21. 21.  A sociedade em que vivemos vem a ser invariavelmente uma ordem moral em que a posição do indivíduo, bem como a concepção de si próprio é determinada pelas atitudes de outros indivíduos e pelos padrões que o grupo mantém. Em tal sociedade, o indivíduo torna-se uma pessoa, sendo esta simplesmente um indivíduo que tem em alguma parte, um “status” social. Os fatos sociais e psíquicos podem ser medidos apenas até o ponto em que eles podem ser reduzidos ou correlacionados com fatos espaciais.
  22. 22. OBRIGADO !

×