Imperialismo e neocolonialismo - Historia

977 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
977
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Imperialismo e neocolonialismo - Historia

  1. 1. Alunos: Henrique Ito; Marcos Negreli; Gabriel Ian Matéria: Historia. Prof.ª: Patrícia.
  2. 2. Imperialismo é a política de expansão edomínio territorial, cultural e econômico deuma nação sobre outras, ou sobre uma ouvarias regiões geográficas.
  3. 3. O neocolonialismo foi a principal expressão doimperialismo. O domínio das expansõesEuropeias não foi somenteeconomicamente, mas por completa. Tendoassim dominado áreas na política, militar esocialmente, impondo a força um novo modelode organização de trabalho.
  4. 4. Como as empresas estavam esmagando umasas outras nos países industrializados, a soluçãofoi buscar mercados consumidores nos paísesnão industrializados. Além disso, buscavamnesses países fontes de energia para as linhasde montagem das empresas. Como era o casodo carvão e do petróleo.
  5. 5. O governo usava o imperialismo paraaumentar o orgulho dos cidadãos pela nação.O cidadão ficava orgulhoso de fazer parte danação que estava progredindo frente asdemais nações. Algo como o Patriotismo.
  6. 6. A justificativa que o homem branco estava emuma missão civilizadora que levaria aos povos“atrasados” as ciências e as indústrias. Dessesentimento de superioridade, obviamentevinha junto um sentimento de racismo sobreos povos dominados.
  7. 7. Com a industrialização da Europa, foi marcadoum intenso processo de expansão econômica eo crescimento das indústria e acumulo decapitais fizeram com que as grandes potenciaseconômicas da Europa buscassem a matériaprima disponíveis a baixo custo. Com isso apartir do século XIX, essas nações buscaramexplorar regiões na África e Ásia.
  8. 8. Na metade do século XIX, por influencia daInglaterra, o Japão, Estados Unidos e aAlemanha também queria ter tanto poderquanto, e começaram a “ se industrializar”após ela.
  9. 9. A Bélgica, por causa de um casamento entre afilha de um dos fundadores da Bélgica e um daAlemanha, se fundiu a mesma. Mas por razõesfinanceiras as duas famílias brigaram entre si ea Bélgica se tornou independente. E hoje éuma das cidades mais industrializadas por suaindústria de carvão.
  10. 10. Em ritmo acelerado a partir de 1870, aindustrialização alemã se beneficiou daunificação nacional, da decidida proteçãoesta-tal, da atuação do capital bancário e docresci-mento demográfico. A peculiaridadeaqui está no casamento entre indústria ebancos, bem como no uso de técnicas quepermitiram alto grau de racionalização.
  11. 11. A Alemanha já era grande produtora de carvãodesde 1848. A siderurgia avançou, estimuladapelo desenvolvimento ferroviário. Na décadade 1880, a indústria têxtil ameaçava superar ainglesa, devido à adoção de fibras sintéticas enovos corantes; destaque-se aqui a expansãoda indústria química, ligada à pesquisacientífica. No fim do século, graças a Werner Siemens, a indústria elétrica tomou grande impulso. Em 1914, a Ale-manha iria produzir 35 % da energia elétrica mundial, seguida por Estados Unidos (29%) e Inglaterra (16 %).
  12. 12. Quando os europeus dividiram a África entresi, foi como se alguém que não conhecesse ocontinente pegasse seu mapa e traçassefronteiras com um régua. A conferência deBerlim definiu fronteiras artificiais nocontinente africano, dividindo a África demaneira aleatória; tribos inimigas foramcolocadas sob uma mesma administração edividindo um mesmo espaço geográfico. Essasfronteiras artificiais ainda hoje dificultam aunidade nacional e ocasionam inúmerasguerras civis.
  13. 13. A China tem uma história bastante vasta deenvolvimento com a África, que remonta aosprimórdios dos movimentos de independênciana década de 1960. Nesse período, Pequim selimitou a influenciar através da diplomacia compoucos investimentos diretos. Contudo, o investimento decolou na década de 1990, atrelado ao crescimento vertiginoso da China e sua crescente demanda por commodities, principalmente petróleo.

×