SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 142
O MUNDO DO BREVE SECULO XX ATIVIDADE DA TURMA 2º MB COLÉGIO JESUS CRISTO REI
FRASE 01 Na segunda metade do século XIX, países europeus como a Inglaterra, França, Alemanha, Bélgica e Itália, eram considerados grandes potências industriais. Na América, eram os Estados Unidos quem apresentavam um grande desenvolvimento no campo industrial. Todos estes países exerceram atitudes imperialistas, pois estavam interessados em formar grandes impérios econômicos, levando suas áreas de influência para outros continentes. Com o objetivo de aumentarem sua margem de lucro e também de conseguirem um custo consideravelmente baixo, estes países se dirigiram à África, Ásia e Oceania, dominando e explorando estes povos. Não muito diferente do colonialismo dos séculos XV e XVI, que utilizou como desculpa a divulgação do cristianismo; o neocolonialismo do século XIX usou o argumento de levar o progresso da ciência e da tecnologia ao mundo. Na verdade, o que estes países realmente queriam era o reconhecimento industrial internacional, e, para isso, foram em busca de locais onde pudessem encontrar matérias primas e fontes de energia. Os países escolhidos foram colonizados e seus povos desrespeitados. Um exemplo deste desrespeito foi o ponto culminante da dominação neocolonialista, quando países europeus dividiram entre si os territórios africano e asiático, sem sequer levar em conta as diferenças éticas e culturais destes povos.
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
frase 2 Entre os anos de 1870 e 1914, o mundo vivia a euforia da chamada Belle Epóque (Bela Época). Do ponto de vista da burguesia dos grandes países industrializados, o planeta experimentava um tempo de progresso econômico e tecnológico. Confiantes de que a civilização atingira o ápice de suas potencialidades, os países ricos viviam a simples expectativa de disseminar seus paradigmas às nações menos desenvolvidas. Entretanto, todo esse otimismo encobria um sério conjunto de tensões. Com o passar do tempo, a relação entre os maiores países industrializados se transformou em uma relação marcada pelo signo da disputa e da tensão. Nações como Itália, Alemanha e Japão, promoveram a modernização de suas economias. Com isso, a concorrência pelos territórios imperialistas acabava se acirrando a cada dia. Orientados pela lógica do lucro capitalista, as potências industriais disputavam cada palmo das matérias-primas e dos mercados consumidores mundiais.
Na frase 2 denomina-se um período de progressos econômicos e tecnológicos mais que teve muitas tensões.Estava no período de uma história A Belle Époque que foi uma época marcada de transformações culturais  Enquanto a arte e a inovação floresciam, essa época também viu o crescimento do proletariado e ascensão de movimentos organizados contrários à ordem capitalista vigente, como o movimento anarquista e o socialista, duramente reprimidos pelas autoridades. Com a difusão dessas doutrinas, houve uma polarização cada vez maior entre defensores e detratores do capitalismo, o que gerou enfrentamentos muitas vezes violentos por causa que nações promoveram a modernização de suas economias e as potências industriais começaram a disputar cada palmo da matéria-prima e mercados consumidores.
 
FRASE 04 ,[object Object]
Comentário ,[object Object],[object Object]
 
Frase 5 O entre-guerras, período compreendido entre o término da Primeira Guerra Mundial (1918) e o início da Segunda Guerra Mundial, foi marcado por crises econômicas, políticas e sociais em vários países. Quando o primeiro conflito mundial terminou, os EUA era uma nação poderosa, a mais rica do mundo. Assim, em 1918, novamente a presença americana era flagrante. Empréstimos e mais empréstimos foram contratados pelos europeus visando à reconstrução dos países destruídos. Esses fatores condicionaram aos EUA uma prosperidade sem precedentes. Um período de grande abundância gerou uma idêntica euforia social. Os empresários americanos nadavam em capitais. Exportava também o "modelo de homens de negócios", o Self-made-mam. Aquele empreendedor, que, saindo das camadas humildes da população, competentemente prosperou. Toda essa riqueza gerou, nos EUA, um novo ideal de vida ou um novo estilo de vida americano, o "american way of life". Estilo de vida baseado na febre de consumo de produtos industrializados. Mas essa abundância era ilusória, pelo menos para a maioria do povo norte-americano.
Explicação Os empresários que se diziam estar nadando em capitais, logo viram que a maioria da população não estavam dando maior importância por produtos industrializados de primeiro mundo, logo perceberam a grande quebra na bolsa de valores de Nova York, compreendendo o que havia gastado em industrialização não havia válido nada.Esse processo havia gerado o que os americanos chamavam de “american way of life”, ou seja, um novo estilo de vida americano.Esses investimentos visando aumento de produtos industrializados para o país, para muitos  não passava de uma pequena força americana, achavam isso como se fosse uma ilusão.Como meio de tapar o que aconteceu após a segunda guerra mundial, as crises  econômicas, políticas e sociais em vários países, principalmente no EUA.
Imagem Ilustrativa A máscara da farça americana após 2ª guerra mundial.
FRASE 06 ,[object Object]
Explicação ,[object Object]
Imagem
Frase 07 Considerada uma verdadeira guerra mundial, a Segunda Guerra foi conseqüência de um conjunto de continuidades e questões mal resolvidas pelos tratados de paz estabelecidos após a Primeira Guerra Mundial. Os confrontos foram divididos entre duas grandes coalizões militares: os Aliados, liderados por Estados Unidos, Inglaterra, França e União Soviética; e o Eixo, composto pela Itália, Alemanha e Japão. Em conseqüência de suas maiores dimensões, os conflitos foram desenvolvidos na Europa, Norte da África e países do Oceano Pacífico. No período entre 1918 e 1939, a economia mundial sofreu um grande abalo gerado pela crise de 1929. Na época, a economia dos EUA financiava e fornecia produtos às principias nações européias atingidas pelos conflitos da Primeira Guerra Mundial. Além disso, a miséria de algumas nações, como no caso da Itália e da Alemanha, propiciou a ascensão de grupos políticos nacionalistas de extrema direita. Ao mesmo tempo, as disputas imperialistas ainda dominavam a concorrência da economia mundial.
[object Object],[object Object],COMENTÁRIO
 
O confronto entre socialistas e capitalistas ganhou esse nome porque não houve nenhum confronto direto envolvendo Estados Unidos e União Soviética. Nessa época, a possibilidade de confronto entre essas duas nações causava temor em vários membros da comunidade internacional. Afinal de contas, após a invenção das armas de destruição em massa, a projeção de uma Terceira Guerra Mundial era naturalmente marcada por expectativas desastrosas. Geralmente, percebemos que os episódios ligados à Guerra Fria estiveram cercados por diferentes demonstrações de poder que visavam indicar a supremacia do mundo capitalista sobre o socialista, ou vice-versa. Um primeiro episódio de tal natureza ocorreu com o lançamento das bombas atômicas em território japonês. Através do uso dessa tecnologia, o mundo capitalista-ocidental visava quebrar a hegemonia socialista no Oriente.
[object Object]
 
FRASE 10 Um dos aspectos da Guerra Fria está na questão de Berlin, onde os soviéticos bloquearam a cidade de Berlim em reação contra a tentativa de garantir a hegemonia política capitalista na região. Em resultado desse confronto, o território alemão foi dividido em dois Estados: a República Federal da Alemanha, de orientação capitalista; e a República Democrática Alemã, dominada pelos socialistas. Nessa mesma região seria construído o Muro de Berlim, ícone máximo da ordem bipolar estabelecida pela Guerra Fria. Buscando garantir oficialmente o apoio de um amplo conjunto de nações, os Estados Unidos anunciaram formulação do Plano Marshall, que concedia fundos às nações capitalistas, e logo depois, a criação da OTAN, Organização do Tratado do Atlântico Norte. Por meio dessa última organização militar, os capitalistas definiram claramente quais países apoiariam os EUA em uma possível guerra contra o avanço das forças socialistas.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],COMENTÁRIO
 
Frase 11- “ Sem demora, a União Soviética também conclamou os países influenciados pela esfera socialista a assinarem o Pacto de Varsóvia, criado em 1955. Tendo pretensões muito semelhantes à OTAN, a união congregava União Soviética, Albânia, Bulgária, Romênia, Tchecoslováquia, Hungria, Polônia e a República Democrática Alemã. Um pouco antes, respondendo às bombas de Hiroshima e Nagasaki, os soviéticos ainda promoveram testes nucleares no Deserto do Cazaquistão. Essa seria apenas uma pequena amostra da truculenta corrida armamentista que se desenhou entre os capitalistas e socialistas. Como se não bastassem tais ações, a Guerra Fria também esteve profundamente marcada pelo envolvimento de exércitos socialistas e capitalistas em guerras civis, onde a hegemonia política e ideológica desses dois modelos esteve em pauta. Somente nos fins da década de 1980, quando a União Soviética começou a dar os primeiros sinais de seu colapso econômico e político, foi que essa tensão bipolar veio a se reorganizar. Antes disso, conforme muito bem salientou o historiador Eric Hobsbawm, milhares de trabalhadores, burocratas, engenheiros, fornecedores e intelectuais, tomaram ações diversas em torno da ameaça de uma desastrosa guerra.
Explicação da frase 11 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
FRASE 12 O mundo depois da Segunda Guerra foi politicamente marcado pelo “racha” político e ideológico travado entre Estados Unidos e União Soviética. As duas principais potências vitoriosas do conflito mundial dividiram entre si áreas de influência econômica, política e ideológica, inaugurando um período conhecido como “Guerra Fria”. É nesse contexto que temos condições de compreender o conflito que dividiu a Coréia em dois diferentes Estados Nacionais. De fato essa divisão é anterior ao conflito já que, durante o processo de ocupação das áreas colonizadas pelo Japão, as tropas norte-americanas controlaram o sul e os exércitos soviéticos lutaram na parte norte. A partir desse processo de ocupação militar, as duas potências resolveram criar uma fronteira artificial que delimitaria o predomínio de ambas naquela região. Após um acordo, o paralelo 38° fixou os limites da socialista Coréia do Norte e da capitalista Coréia do Sul.
COMENTÁRIO ,[object Object],[object Object]
 
Frase  13 Ao longo de sua história, o território vietnamita foi marcado por uma longa sucessão de conflitos e guerras. Durante o período imperialista, o Vietnã – juntamente com o Laos e o Camboja – foi alvo da dominação política e econômica exercida pelos franceses. No entanto, no ano de 1939, um grupo político comunista liderado por Ho Chi Min encabeçou uma luta contra a presença francesa na região. Logo depois, esse mesmo movimento teve que fazer frente ao interesses imperialistas japoneses na região. Passado os conflitos da Segunda Guerra, os vietnamitas ainda tiveram que sofrer com as lutas travadas na Guerra da Indochina, conflito onde a França tentou retomar o controle da região. Essa guerra só chegou ao fim quando os comunistas ligados à Liga da Independência conseguiram derrotar os franceses na Batalha de Diem Bien Phu, em maio de 1954. Depois disso, as negociações diplomáticas firmadas com o Tratado de Genebra dividiram o país em Vietnã do Norte e Vietnã do Sul.
COMENTÁRIO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
O conflito entre o norte e o sul do Vietnã, começou em 1957, quatro anos depois os EUA passaram a participar do confronto, enviando conselheiros militares. Logo em seguida, com o assassinato de Dinh Diem, os EUA começaram a utilizar de seus exércitos para lutar contra o avanço do vietcongues, nome dado aos comunistas que participaram da guerra. Para justificar sua ação, os EUA acusaram o Vietnã do Norte de participar do ataque a embarcações norte-americanas no Golfo de Tonquim. Sem conseguir resolver militarmente a questão e derrotado em diversos confrontos, o governo norte-americano saiu da guerra com a assinatura do Acordo de Paris, em 1973. Nos três anos subseqüentes ainda houve conflitos na região, configurando agora, uma guerra civil no Vietnã. Em 1976, o grupo comunista venceu a guerra, formando a República Socialista do Vietnã. Ao total, a Guerra do Vietnã foi responsável pela morte de três milhões de vietnamitas, contando as perdas militares e civis. Frase 14
COMENTÁRIO O conflito entre o Vietnã do Norte, comandado por Ho Chi Minh e o Vietnã do Sul, que passava por uma ditadura militar, liderada por Dinh Diem, era dado em função das divergências políticas e ideológicas, já que o norte possuía orientação comunista e o Sul, um sistema capitalista aliado aos Estados Unidos. Em 1959, surgiu a Guerra do Vietnã, quando Ho Chi Minh e os soviéticos apoiaram os ataques provocados por guerrilheiros comunistas (os vietcongues) a uma base norte americana no Vietnã do Sul. Quatro anos depois veio a intervenção militar dos EUA, que para difundir a opinião pública de seu país, apresentou como pretexto um ataque do Vietnã do Norte a barcos americanos no Golfo de Tonquim. Mas a sua intervenção não obteve muito sucesso, apesar de possuírem armas de última geração, armas químicas, bombas, helicópteros e alta tecnologia, suas estratégias eram inferiores as dos Vietcongues, que possuíam táticas de guerrilha e um alto conhecimento territorial, o que possibilitou muitas vitórias. Com todas as derrotas, o governo norte americano assina um cessar fogo no começo da década de 1970, o Acordo de Paris, que vai até 1973, contudo, só em 1975 suas tropas foram totalmente retiradas do Vietnã. Dada então, a vitória do Vietnã do Norte.  A Guerra do Vietnã gerou prejuízos econômicos gravíssimos e em 2 de julho de 1976, o Vietnã foi reunificado sob regime comunista .
Em 8 de junho de 1972, um avião do Vietnã do Sul acidentalmente lançou sua carga de napalm no vilarejo de Trang Bang. Com suas roupas em chamas, Kim Phuc fugiu do vilarejo com a família, para ser transportada para um hospital. Ela sobreviveu e hoje mora nos Estados Unidos.  Kim Phuc, 9 anos. Esta foi a primeira guerra que usou helicópteros. As tropas podiam ser deslocadas rapidamente para qualquer lugar no país, fazendo com que os soldados participassem de mais combates do que na Segunda Guerra Mundial.  Protestos contra a guerra foram registrados nos Estados Unidos e no resto do mundo.  Já perto do fim, esta mulher carrega a filha ferida para longe das batalhas.   No dia 30 de abril de 1975, soldados do Exército norte-vietnamita entraram em Saigon, no Vietnã do Sul, capturaram o palácio presidencial e assumiram o controle do país. Muitos dos vietnamitas do sul que trabalharam com os EUA temeram por suas vidas, mas muitos mais correram às ruas para ver os tanques.
FRASE 15 ,[object Object]
A Revolução Cubana foi um movimento guerrilheiro liderado por Fidel Castro, apoiado por Che Guevara, em 26 de Julho de 1959, que constituiu na derruba do governo de Fulgêncio Batista , enfraquecendo a ascendência norte-americana no país e o início de um novo governo durante o período da Guerra Fria.  O objetivo da revolução era livrar Cuba da dominação norte-americana, que se viu debilitada com a deposição de Fulgêncio Batista.  Arrebatando seguidores, Fidel Castro consegue se livrar das ameaças de invasões dos E.U.A e recebe o apoio  da União Soviética, adotando aos poucos medidas socialistas, incluindo Cuba no bloco soviético. As primeiras medidas tomada por Fidel Castro foram a reforma agrária, que livrava a maioria da população do domínio latifundiário, e a nacionalização das empresas estrangeiras, em sua maioria norte-americana.  A partir da visão que rege o socialismo o Estado  ditava o objetivo da nova política econômica ,  impunha os objetivos de produção e direcionava os investimentos. Era papel do Estado, e não o mercado, a formulação dos preços e distribuição de mercadorias. A prioridade do governo foi levar os serviços de saúde e de educação para todo o povo. Foram medidas associadas a eliminação total do desemprego que assombrava população daquela época  e que dilaceraram com a negatividade social que até hoje está presente nos países centro-americanos.
 
FRASE 16 ,[object Object]
Comentário •  A Guerra Fria foi um confronto ideológico entre o bloco capitalista e o bloco socialista.  • A Segunda Guerra Mundial foi bem mais arrasadora, considerado o conflito que causou mais vitimas em toda a história da humanidade.  • O Plano Marshall  foi o principal plano dos Estados Unidos para a reconstrução dos países aliados da Europa nos anos seguintes à Segunda Guerra Mundial. • A OTAN tinha como objetivo constituir uma frente oposta ao bloco socialista. Os estados do tratado estabeleceram um compromisso de cooperação estratégica em tempo de paz e contraíram uma obrigação de auxílio mútuo em caso de ataque a qualquer dos países membros. • O Comecon visava a integração econômica das nações do Leste Europeu. • O Pacto de Varsóvia foi uma aliança militar que estabeleceu um compromisso de ajuda mútua em caso de agressões militares. • Mao Tse-tung implantou a sua interpretação ortodoxa mesclada de aproximações a formas de capitalismo, Empreendeu a chamada "Revolução Cultural", com que tentou excluir todo o estado e população  chinesa.
SOCIALISMO X CAPITALISMO
No final dos anos 50, o governo soviético Kruschev e os norte-americanos Eisenhower e Kennedy ensaiaram uma aproximação e tentativas de distensão, no que ficou conhecido como política da Coexistência Pacífica. Entretanto, tal política não impediu novas rivalidades e confrontações, ao contrário, restabeleceu o clima de Guerra Fria, que foi seguido mais tarde de nova aproximação, como aconteceu com a Détente dos anos 70. Após a reativação das rivalidades norte-americanas e soviéticas durante os anos 80, no final desta década teve fim a Guerra Fria, quando houve o colapso do bloco soviético seguido do fim da URSS. Na América Latina, Cuba engrossou o bloco soviético, durante a bipolarização mundial, tendo à frente Fidel Castro, o qual reestruturou profundamente a ordem tradicional da economia e a sociedade cubana. Frase 17
[object Object],Comentário
 
FRASE 18 Em 1962, o país foi o epicentro de outra grave crise internacional, a chamada Crise dos Mísseis. Nos demais países latino-americanos a instabilidade, as ditaduras e os confrontos políticos não conseguiram alterar substancialmente a tradicional situação de subdesenvolvimento, de miséria e de enormes desigualdades sociais. Na descolonização da Ásia e da África, destacou-se a iniciativa da Conferência da Bandung, onde se oficializou o bloco do Terceiro Mundo, disposto a não se alinhar automaticamente à União Soviética ou aos Estados Unidos. No processo de independência indiano destacou-se a atuação de Mahatma Gandhi, através da resistência pacífica. Na independência da Indochina, deu-se a incorporação dos confrontos da Guerra Fria, transformando essa área numa da mais violentas do mundo, sendo, portanto, ameaçadora à paz internacional, com a Guerra do Vietnã. Outra área de permanente tensão no pós-Segunda Guerra Mundial, e até hoje marcada por intensos conflitos, é a do Oriente Médio, envolvido nos sucessivos confrontos árabe-israelenses, nos conflitos do Líbano, na Guerra do Iraque contra o Irã e na Guerra do Golfo. Também na África, a herança colonial e as lutas libertadoras desembocaram em sangrentos confrontos e impasses políticos que se prolongam até hoje, como o caso de Angola, Moçambique, África do Sul, entre tantos outros.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
FRASE 19 ,[object Object]
EXPLICANDO ,[object Object]
 
FRASE 20 O poder da imagem tornou-se questão estratégica durante o século XX, com o desenvolvimento de mídias de grande impacto como a fotografia, o cinema, o rádio e a televisão. Com o avanço da tecnologia, a reprodução e o alcance das comunicações passaram a abranger virtualmente todo o planeta. Na Guerra Fria, os temas da propaganda ideológica eram complexos porque envolviam ideais distintos de vida, democracia e felicidade. No bloco soviético, por exemplo, esses ideais refletiam o processo político desencadeado com a Revolução de 1917. No lado capitalista, as coisas tomaram um rumo diametralmente oposto. Nos Estados Unidos, o ideal de felicidade tem sido, há muitos anos, quase sinônimo de riqueza e bem-estar individuais. É o chamado ideal do self-made-man. Um dos primeiros símbolos desse ideal foi o automóvel. Para muitos americanos do início do século não havia felicidade sem um carro na garagem. Um homem, em particular, teve grande influência na construção do modo de vida americano: Henry Ford, o criador da linha de produção em série do automóvel.
Comentário  ,[object Object]
 
 
 
 
Frase 22: ,[object Object]
Comentário: ,[object Object],[object Object]
 
Frase 23 Às vésperas do ano de 1990, ainda existiam duas Alemanhas e continuava de pé o Pacto de Varsóvia, a aliança militar do bloco socialista da qual a Alemanha Oriental fazia parte. Inicialmente, a proposta de reunificação das Alemanhas não foi bem recebida pela França, Grã-Bretanha e outros países europeus, que temiam o ressurgimento da grande potência germânica, berço do nazismo e de ambições históricas de hegemonia sobre a Europa. Dentro da própria Alemanha Ocidental, a oposição argumentava que o lado capitalista teria de arcar com um preço muito alto para modernizar as empresas obsoletas e adaptar as estruturas sociais da Alemanha Oriental. Em 7 de junho de 1990, o Pacto de Varsóvia anunciou que deixaria de exercer suas funções militares, o que representava, na prática, o fim da aliança socialista. Acabava, assim, o único grande obstáculo geopolítico à reunificação das duas Alemanhas. Exatamente em 3 de outubro de 90, a Alemanha Oriental deixava de existir. Com o apoio dos Estados Unidos, a potência germânica renascia no coração de uma Europa perplexa e preocupada. Nessa época, a União Soviética atravessava uma das piores crises de sua história. O líder Mikhail Gorbatchev era acusado de traidor por seus adversários. Além disso, ganhavam força os movimentos de independência nas 15 repúblicas soviéticas. O país estava politicamente paralisado, ao passo que uma crise econômica sem precedentes afetava o nível de vida da população. A União Soviética ainda era uma potência militar, mas já não possuía a estatura de uma superpotência.
Análise de Frase ,[object Object]
 
Do ponto de vista geopolítico, a invasão tinha motivos mais consistentes. No dia 1º de janeiro de 1990 venceria o prazo para que os Estados Unidos entregassem ao governo panamenho o controle administrativo do Canal do Panamá, que liga o Oceano Atlântico ao Pacífico. A Casa Branca não estava disposta a cumprir o prazo, estabelecido num acordo em 1977. O Canal do Panamá, além de sua importância econômica, tinha um forte significado estratégico, como base do Comando Sul do Exército dos Estados Unidos. Na época da Guerra Fria, o Comando Sul tinha como missão lutar contra o avanço comunista na América Central. Depois que o comunismo deixou de ser uma ameaça a Washington, o combate ao narcotráfico passou a ser a justificativa norte-americana para manter a base e o controle sobre o Canal do Panamá. FRASE 24
[object Object]
 
Frase 25 ,[object Object]
[object Object]
Iraquianos queimados depois de tentarem impedir o desembarque americano
F RASE 26 “Com o fim do comunismo, os antigos países socialistas abriram suas fronteiras e seus mercados. No ocidente, os países detentores de tecnologias avançadas, como Alemanha e Japão, já não precisavam se submeter à lógica da Guerra Fria e à liderança dos Estados Unidos. O resultado foi o início de uma feroz disputa pelo mercado mundial. Em junho de 91, os Estados Unidos lançaram uma ofensiva em seu comércio exterior com a "Iniciativa Para as Américas", um plano que pretendia criar um mercado unificado do Alasca à Terra do Fogo. Em 93, os Estados Unidos ganharam mais motivos concretos para se preocupar. Em 1.º de janeiro daquele ano, foi criada a União Européia, uma zona de livre comércio entre os antigos países-membros da Comunidade Econômica Européia. No outro lado do mundo, o Japão e os Tigres Asiáticos, como eram conhecidos Hong Kong, Taiwan, Coréia do Sul, Cingapura e Malásia, constituíam outro pólo em plena expansão, com que os Estados Unidos vinham mantendo relações comerciais tensas desde o final dos anos 80. Apenas o continente africano estava fora das grandes disputas comerciais, com a exceção de alguns países ricos, como a África do Sul.”
[object Object],[object Object],[object Object]
 
FRASE  27 Em dezembro de 1992, a Casa Branca determinou a invasão da Somália, com autorização da ONU. Oficialmente, o objetivo era prestar ajuda humanitária a um dos países mais miseráveis do mundo, envolto em uma guerra civil. A guerra contra o Iraque, em 91, já havia permitido a Washington o controle militar sobre o Golfo Pérsico. Com a invasão da Somália, os Estados Unidos completavam seu domínio sobre a região. A invasão da Somália teve também uma importância simbólica: ela consagrou o poder dos Estados Unidos de intervir em qualquer ponto do planeta, bastando que esse tipo de operação fosse de interesse da Casa Branca. Ações norte-americanas em outros países não eram novidade. O fato novo é que, na condição de única superpotência do planeta, os Estados Unidos passaram a agir sem encontrar resistências internacionais muito significativas. E, nos anos 90, as operações em solo estrangeiro determinadas por Washington foram bem além da Somália. Também no Oriente Médio os Estados Unidos agiram livremente.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
Frase 28 Em julho de 94, a Casa Branca voltou suas atenções para a América Central e desembarcou suas tropas em Porto Príncipe, capital do Haiti. Desesperados com a situação de miséria sob o regime militar, milhares de haitianos fugiram para os Estados Unidos em jangadas e botes precários, criando um impasse político e social para o presidente Clinton. Mais uma vez autorizados pela ONU, os norte-americanos queriam remover o governo militar e reinstalar o residente eleito Jean-Bertrand Aristide, deposto por um golpe militar em 1991. Além das razões de inspiração humanitária e democrática, os Estados Unidos agiam em busca de uma solução para o problema social criado pelos refugiados haitianos em solo americano.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
Frase 29 Os Estados Unidos foram também a força decisiva na intervenção da ONU na guerra civil da Bósnia, no final de 95. Através da OTAN, Washington praticamente impôs um acordo às forças sérvias, muçulmanas e croatas, em conflito desde 91. O acordo não resolveu nenhum dos problemas que provocaram a guerra, mas pacificou a região e reforçou a campanha de Bill Clinton à reeleição, no final de 96. No final de fevereiro de 98, os Estados Unidos suspenderam na última hora o início de um novo conflito armado no Golfo Pérsico. Os norte-americanos, apoiados especialmente pela Grã-Bretanha do primeiro-ministro trabalhista Tony Blair, mobilizaram quatro porta-aviões, 27 mil homens e 372 aviões para a região. A perspectiva era de usar a força para obrigar o ditador iraquiano Saddam Hussein a permitir o trabalho de emissários da ONU, que inspecionavam o Iraque em busca de armas químicas e nucleares proibidas. O ataque dos norte-americanos e aliados foi evitado pela atuação diplomática do secretário-geral da ONU, o ganês Kofi Annan. Nos últimos dias de fevereiro, Annan convenceu Saddam a permitir o livre trânsito dos inspetores da ONU em seu território. Neste episódio, Washington enfrentou a resistência da França, da China, dos países árabes e particularmente da Rússia de Bóris Ieltsin. Esses países procuraram dissuadir os Estados Unidos a resolver diplomaticamente a questão. E, em último caso, a limitar os bombardeios somente aos locais suspeitos de abrigar as armas proibidas pelas Nações Unidas.
Explicação Os EUA e suas intervenções : Bósnia e Golfo pérsico  ,[object Object]
 
FRASE 31 A URSS tinha a capacidade de lançar mísseis intercontinentais e de manter uma estação espacial em órbita, mas era absolutamente incapaz de produzir automóveis ou eletrodomésticos de qualidade. Diante dessas necessidades, Gorbachev deu início a um amplo processo de abertura política – glasnost – e de reestruturação da economia – perestroika. A abertura política, que possibilitaria à população manifestar-se a respeito de suas necessidades, tornando-a co-autora da ação do Estado que efetivamente a representaria, possibilitou, no entanto, a eclosão de sentimentos nacionalistas, sufocados duramente durante a Guerra Fria. A reestruturação da economia, que redirecionaria a ação do planejamento estatal para o setor civil, fez vir à tona o que de fato era sabido pelo governo e pela sociedade soviética: que o planejamento estatal fora um fracasso, se não em sua totalidade, pelo menos devido à consolidação da burocracia e da maquiagem dos resultados que o Estado procurou contabilizar politicamente. O caos econômico, associado à instabilidade política, efeitos colaterais do processo de modernização do país, levaram a URSS ao fim em 1991. E diante da necessidade de manutenção da integração econômica das ex-repúblicas soviéticas, visto que ainda não gozavam de autonomia nesse setor para se inserirem no mercado internacional, criou-se a CEI – Comunidade dos Estados Independentes, que tinha também como atributo o monitoramento do arsenal da ex-URSS.
[object Object],[object Object]
 
FRASE  32  ,[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
Anexo:
Frase 33 Na Europa Ocidental, o fim do socialismo significou a aparente vitória do neoliberalismo. No início dos anos 90 a política da Europa do Oeste inclinou-se para propostas com menor participação do Estado, atribuindo ao mercado a solução de muitos problemas. Afortunadamente, a população desses países entendeu muito rápido que essa política neoliberal traria o retrocesso, e as grandes perdas seriam sentidas na área social. Na segunda metade da década de 90, a tendência neoliberal foi desbancada politicamente na Alemanha, na França, na Itália e na Inglaterra. A globalização que derruba fronteiras poderia desestabilizar a economia da Europa unida e colocá-la à mercê do capital especulativo internacional, criando espaço para a ação maior de capitais americanos.
Análise da Frase ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
•  Frase 34 A nova ordem internacional acabou com um sem-número de conflitos diretamente ligados à ação das superpotências; mas fez surgir outros, na sua maioria de origem étnica, religiosa e nacional, que durante a Guerra Fria foram mantidos em estado latente, pois poderiam ameaçar a hegemonia das superpotências sobre determinados países ou regiões. Entre os países capitalistas, a despeito de ter-se pronunciado ainda mais a diferença entre ricos e pobres, agora Norte-Sul, vale a abertura dos mercados, o fim de restrições comerciais e a implantação de um comércio mais amplo, sob a égide da OMC – Organização Mundial do Comércio, que substituiu o GATT – General Agreement of Taxes and Trading (Acordo Geral de Tarifas e Comércio). A palavra de ordem é a inserção no mercado mundial. Os capitais estão cada vez mais livres e, perante uma variada gama de possibilidades de investimentos, deslocam-se facilmente de um país para outro, de uma economia menos atraente para outra mais atraente, até que uma outra surja, num fluxo contínuo de investimentos que se movimentam ao sabor dos ventos da economia .
COMENTÁRIO Após o termino da Guerra Fria o mundo deixou de ter países de primeiro, segundo e terceiro mundo e passou a ter pobres e ricos. Hoje a economia de cada país é fundamental para sua visualização diante do mundo inteiro. Os capitais estão cada vez mais livres o que pode ser muito bom ou muito ruim para cada país. Os países Norte-Sul, pobres e ricos, respectivamente, possuem uma liberdade econômica nunca vista antes na história o que pode ser beneficente, se souberem utilizar os artifícios a seu favor, ou maléfico, quando não se sabe lidar com toda a pressão e autonomia que essa Nova Ordem Mundial exerce.
 
FRASE 35 Os países emergentes, como os Tigres Asiáticos, a Rússia, e o Brasil, sucumbiram à mobilidade do capital internacional. Dependentes de investimentos externos, esses países foram obrigados a abrir suas economias e seu mercado consumidor. No entanto, a concorrência dos produtos importados frente aos nacionais abalou o parque industrial dos países do sul, exceção feita aos Tigres Asiáticos. Seus governos, por sua vez, não responderam ao chamado neoliberal de atribuir cada vez mais ao mercado o equacionamento das questões sociais. Endividadas e com máquinas administrativas inoperantes do ponto de vista político e monetário, essas economias quebraram.
Comentário ,[object Object]
 
Frase 36 ,[object Object]
COMENTÁRIO ,[object Object]
IMAGEM
FRASE 37: ,[object Object]
Comentário: ,[object Object]
 
FRASE 38 O mundo passa por uma acelerada transição. As áreas de concentração industrial não se restringem mais aos países desenvolvidos do Hemisfério Norte. Fora das regiões tradicionalmente industrializadas da Europa, América do Norte e Japão surgiram várias outras: Brasil, África do Sul, México, Ásia e os Tigres Asiáticos. A Nova Ordem Mundial não é mais estável ou segura. Países socialistas, como a China, por exemplo, têm cedido espaço à abertura de mercado e atraído capitais estrangeiros. A necessidade de reformar a economia chinesa e alterar as condições sociais no país fez com que a China se estruturasse na esfera econômica. Desde o final dos anos 70, a China adota uma crescente liberalização da economia, concentrada em Zonas Econômicas Especiais (ZEEs). Esta abertura progressiva, no entanto, foi cautelosa. As autoridades escolheram a região sul do país, deixando o “coração” da China, o norte e o centro isolados das influências ou “contágios” que se viessem verificar. As ZEEs foram criadas para acabar com a estagnação econômica que atingia os países socialistas e os afastavam do nível de desenvolvimento do capitalismo. São espaços territoriais onde foram concedidas condições especiais para a fixação de capitais estrangeiros e também algumas liberalizações do mercado, semelhantes às existentes nos países ocidentais Com o objetivo de atrair capital externo, expandir as exportações, receber novas tecnologias e absorver métodos ocidentais de administração, essa iniciativa contribuiu para alavancar o desenvolvimento econômico e tecnológico, além de fortalecer a inserção do país no cenário internacional.
COMENTÁRIO  Hoje em dia os países industrializados não são mais mérito no hemisfério norte, o mundo todo tem chances de entrar para o grupo e o Brasil está incluído. Os países desse grupo são, geralmente, capitalistas e os socialistas ficam para trás nesse quesito, mas, para se livrar desse "carma", alguns países que adotam o socialismo têm cedido espaço para a abertura do mercado. A necessidade de reformar a economia chinesa fez com o que o país, no final dos anos 70, adotasse um plano, o chamado ZEEs (Zonas econômicas especiais), mas, para que o país todo não passasse por isso, o plano só foi aplicado na região sul do país. O norte e o centro se livraram disso. Essa região tem o objetivo de atrair capital externo e expandir as exportações.
 
FRASE 39 As ZEEs Chinesas, localizam-se em áreas litorâneas, estabelecendo-se medidas semelhantes às adotadas nos Tigres Asiáticos: baixos impostos, isenção total para a implantação de máquinas e equipamentos industriais e facilidades para a remessa de lucros ao exterior. Além disso, as empresas que nelas se instalam podem estabelecer os seus próprios planos de desenvolvimento, desde que consigam encontrar fundos para tal e contam com a mão-de-obra mais barata do mundo, o que torna os preços dos produtos imbatíveis no mercado internacional. As conseqüências dessas medidas foram altas taxas de crescimento e invasão de mercadorias chinesas por todo o mundo, aumentando a demanda por produtos “Made in China”.
COMENTÁRIO Como resultado da Guerra Fria, a China foi um dos países que se manteve socialista até a atualidade, mas a grande diferença é a sua economia, chamada socialismo de mercado. As ZEE’s são os primeiros traços desta abertura, que tem sido de extrema importância para os EUA, já que há ampla exportação dos produtos chineses para os norte-americanos e vice-versa, como também para outros países. A economia da China tem posição de destaque no mercado internacional, por ter mão-de-obra barata.Em contrapartida, agravam a desigualdade e o abandono das zonas rurais. Não se pode dizer que foi uma abertura abrangente: a política não acompanhou as mudanças econômicas, é uma mudança lenta, mas que com o tempo, aumenta expressivamente o capital chinês. Essa iniciativa contribuiu para novas tecnologias, atração do capital estrangeiro, expansão das exportações e principalmente, para o desenvolvimento econômico e tecnológico.
"Sempre que pensamos em mudar queremos tudo o mais rápido possível. Não tenha pressa, pois as pequenas mudanças são as que mais importam. Por isso, não tenha medo de mudar lentamente, tenha medo de ficar parado."  (Provérbio chinês)
FRASE – 40 ,[object Object]
Explicação  ,[object Object],[object Object],[object Object]
O centro financeiro de  Seul ,  Coreia do Sul . Panorama do  centro financeiro  de  Hong Kong   Centro financeiro de  Singapura   China - OMC  China - OMC
[object Object],[object Object]
[object Object]
 
Com o fim da guerra fria e o ingresso de quase todo o mundo socialista na economia de mercado, Cuba passou a enfrentar uma grave crise econômica. Afinal, após a revolução, a ilha deixou de fazer parte do mercado internacional capitalista para ter como parceiros exclusivos os membros do Comecon (o mercado comum de países socialistas). Seu isolamento foi ainda agravado pelo embargo econômico imposto pêlos Estados Unidos, desde 1962. Para pressionar outros países a fazer o mesmo, ainda hoje os Estados Unidos prevêem sanções para as empresas estrangeiras que mantiverem negócios com Cuba. Atualmente o embargo à ilha tem tido como principais opositores os países europeus e o Canadá. Este último tem sido o principal parceiro comercial de Cuba, além de responsável por numerosos turistas que levam divisas ao país. FRASE 42 Os desafios de Cuba após o fim da Guerra Fria
Explicação da minha frase O que a minha frase quer dizer, é que, no fim da guerra fria com todos os problemas evidenciados cuba não deixou de ser um país socialista como fora toda vida, passou por vários problemas que comprometeu toda a sociedade, o que chamamos de crise econômica, ficando assim dependente do mercado internacional para comercializar seu principal produto de exportação (o açúcar).Com isso Cuba ficou praticamente “isolada”, mas o grande desafio dos cubanos foi a onda causada pela “vitória do capitalismo”, que fez com que o socialismo fosse mostrado como uma propaganda falsa e ultrapassada.O crescimento de turistas no pais, e a conseqüente chegada de estrangeiros, gastando dólares e colocando em seus bolsos se diferencia muito entre a sociedade.Um ponto importante que Cuba possui hoje é a sua comunidade estabelecida na Flórida(EUA), que todavia manda recursos financeiros para ajudar parentes da ilha.Cuba hoje continua sendo um modelo para o resto do mundo em vários indicadores de saúde e educação.
Anexo: Jamais renunciaremos à nossos princípios
FRASE 43
 
 
Frase 44 Com o final da Guerra Fria, Cuba tomou medidas, dentre as quais, destacam-se: liberar a entrada de investimentos estrangeiros, de acordo com regras específicas; modificar o regime jurídico da propriedade, abrindo espaço para o retorno de formas de propriedade privada; abolir os subsídios dados a agricultores sem condições de competição no mercado; entregar 75% das terras a cooperativas e agricultores individuais, praticamente extinguindo as fazendas estatais coletivas; suprimir o monopólio estatal sobre o comércio exterior, concedendo autonomia tanto para estatais quanto para empresas privadas; aproveitar a mão-de-obra do país, que, por seu alto grau de instrução, tem um grande potencial de qualificação. Apesar das mudanças, Cuba não se transformou numa economia socialista de caráter misto, em que o Estado e o mercado atuam conjuntamente na determinação das regras de produção e de comércio. Afinal, as empresas públicas ainda são dominantes, e as empresas privadas são pequenas e frágeis. No entanto, já se pode falar na existência de uma "segunda economia", ou seja, aquela que envolve a ação privada de indivíduos. Politicamente, porém, a grande crítica apontada ao governo socialista é a falta de democracia, pois desde a revolução vigora a ditadura personalista de Fidel Castro, mesmo sem sua presença e com o atual governo de seu irmão Raul Castro.
[object Object],[object Object]
 
FRASE 45 A denominação de “Tigres Asiáticos” é dada ao grupo de países que na década de 80 apresentaram um crescimento econômico elevado e repentino baseado em táticas agressivas de atração de capital estrangeiro como a isenção de impostos e mão-de-obra barata. O grupo formado por Coréia do Sul, Taiwan (Formosa), Cingapura e Hong Kong (localizados na Ásia, óbviamente), surgiu durante a disputa comercial iniciada com o fim do comunismo e a abertura dos mercados de antigos países socialistas. Durante esse período iniciou-se a criação de vários blocos econômicos com o fim de facilitar o as transações comerciais e financeiras. O Japão, que a essa altura já era um país bastante desenvolvido, foi o principal propulsor do crescimento dos países do sudoeste asiático. Após a Segunda Guerra Mundial o Japão estava completamente arrasado. Mas, através de uma política voltada para a capitação de recursos externos e na criação de uma poupança interna o Japão conseguiu criar um terreno propício para o crescimento das indústrias no local.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object]
Frase 46 TIGRES ASIÁTICOS, apelido faz com que a gente se lembre do animal TIGRE, que é forte, agressivo e impetuoso. A economia desses países que são chamados de Tigres é assim, uma economia altamente competitiva e dinâmica, a produtividade é alta. Os funcionários das indústrias, ganham três vezes mais do que os dos países do 3° Mundo, embora bem menos do que os do 1° Mundo. São pessoas de uma cultura completamente diferente do mundo ocidental, lá existe muita disciplina e um grande respeito à hierarquia. São povos que sofreram com muitas guerras e ocupações e possuem uma história muito antiga. Na economia dos Tigres a grande característica de sua indústria é produzir produtos mais baratos com rígido controle de qualidade e para eles o cliente tem sempre razão. É dessa forma que seus produtos invadem os mercados de, praticamente todos os outros países. Isto é conseguido com muita luta e dedicação porque sempre há altos impostos de importação que é a arma que os outros países usam para não sofrer tanto com a concorrência dos produtos baratos dos Tigres. Essa é a economia competitiva, os Tigres ganham na quantidade.
Comentário ,[object Object],[object Object]
 
[object Object],FRASE 47
[object Object],Comentário
Esta imagem ilustra o elevado índice de desenvolvimento dos Tigres Asiáticos
Frase 48 – Os Tigres Asiáticos Atualmente fazem parte dos Tigres Asiáticos oito países, sendo que Cingapura, Indonésia, Malásia, Tailândia e Vietnã estão localizados no sudeste asiático. E no extremo oriente se encontram Coréia do Sul, Hong Kong e Taiwan. No início, eram considerados integrantes dos Tigres Asiáticos somente quatro países, que foram citados anteriormente, posteriormente ingressaram os chamados “Novos Tigres” que são Indonésia, Malásia, Tailândia e Vietnã. Os principais investidores externos nos países que integram os Tigres Asiáticos são especialmente os japoneses, transnacionais norte-americanas, além da Coréia do Sul e Taiwan. O intenso crescimento ocorrido ao longo de praticamente três décadas levou as exportações nos anos 90 a atingir números elevados, como o crescimento em 202% do Produto Nacional Bruto (PNB), em Cingapura, e em Hong Kong 132%. Para alcançar resultados tão significativos foi necessário um conjunto de medidas e um profundo planejamento, além de outros fatores não menos importantes como: Abertura da economia para o capital externo, como o norte-americano e o japonês, e com isso se afirmarem como nações capitalistas evitando aproximação de idéias e influências socialistas. Lucratividade sobre a força de trabalho, pois devido às leis trabalhistas frágeis, os salários são, em grande maioria, baixos, as férias são reduzidas, elevada carga horária de trabalho e sistema previdenciário desfortalecido. O modelo econômico dos Tigres Asiáticos é fundamentalmente exportador, dessa forma sua produção é diversificada e voltada para o mercado de países desenvolvidos, no entanto, o consumo interno não é incentivado, uma vez que os impostos inseridos nos produtos são elevados.
Explicação Sobre a Frase ,[object Object],[object Object]
Imagem
FRASE 49 FATORES QUE FAVORECERAM O DESENVOLVIMENTO DOS TIGRES ASIÁTICOS: Além de um sério planejamento econômico, outros fatores favoreceram o desenvolvimento destes países. Alguns fatores muito importantes: Investimento de capital estrangeiro, principalmente norte-americano e japonês, que via nesses países uma localização estratégica para fortalecer o capitalismo contra o socialismo, na época da Guerra Fria; Exploração da força de trabalho, relativamente barata, que compensava a falta de matérias-primas - as férias são muito reduzidas, a jornada de trabalho elevada e a previdência social restrita; Distribuição mais equilibrada de renda em relação a outros países capitalistas; - Estados altamente centralizados e ditatoriais; - Economias voltadas fundamentalmente para o mercado externo; Ética confucionista - estabelece um modelo socioeconômico que enfatiza o equilíbrio social, a consciência de grupo, a hierarquia, a disciplina e o nacionalismo. As grandes empresas são vistas como grandes famílias, viabilizando, muitas vezes, a ordem e a maior produtividade, o crescimento econômico dos Tigres Asiáticos alicerçou-se na associação entre as empresa privadas e o governo, que garantiu proteção às empresas nacionais por meio de barreiras alfandegárias e criou mecanismos legais de incentivo à exportação e investimentos estrangeiros. Nos países dos Tigres Asiáticos foram criadas as Zonas de Processamento de Exportação (ZPEs), com isenção de impostos e terrenos cedidos pelo estado. Num segundo momento o crescimento das ZPEs foi apoiado pelas próprias empresas?
COMENTÁRIO  Um dos fatores que favorecem o desenvolvimento dos tigres Asiáticos é o planejamento econômico, mas não só o fator econômico, um outro  fator muito importante é o investimento do capital estrangeiro sendo ele norte americano e japonês , que nesses países havia uma localização estratégica, fortalecendo o capitalismo contra o socialismo na época da Guerra Fria. A exploração do trabalho relativamente barata , que compensava a falta de matérias primas, as férias eram muito reduzidas, a jornada de trabalho era muito elevada e a previdência social totalmente restrita, quase não existindo. A distribuição de renda em comparação com outros países  capitalistas eram totalmente equilibrada. As economias eram voltadas para o mercado externo, que estabelecia um modelo socioeconômica que enfatizava o equilíbrio social, a hierarquia, a disciplina e o nacionalismo. As grandes empresas eram conhecidas como grandes famílias , viabilizando, muitas vezes, a ordem e a maior produtividade, o crescimento econômico dos Tigres Asiáticos alicerçou-se na associação entre as empresa privadas e o governo, que garantia proteção as empresas nacionais por meio de barreiras alfandegárias. Nos países conhecidos como tigres Asiáticos foram criadas as Zonas de Processamento de Exportação (ZPES), com isenção de impostos e terrenos cedidos pelo estado.
 
FRASE 50 A crise asiática foi disparada por um processo de fuga de capital e deflação de ativos financeiros em certo conjunto de economias da
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Mb
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Mb

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

TCD GEOGRAFIA DO MUNDO I
TCD GEOGRAFIA DO MUNDO ITCD GEOGRAFIA DO MUNDO I
TCD GEOGRAFIA DO MUNDO I
Rodrigo Lopes
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
karolpoa
 
O dinamismo económico do países capitalistas 9ºf juliana, sara e marta
O dinamismo económico do países capitalistas 9ºf   juliana, sara e martaO dinamismo económico do países capitalistas 9ºf   juliana, sara e marta
O dinamismo económico do países capitalistas 9ºf juliana, sara e marta
Carla Teixeira
 
O mundo pos guerra fria
O mundo pos guerra friaO mundo pos guerra fria
O mundo pos guerra fria
Isabel Aguiar
 
Capitalismo e socialismo_
Capitalismo e socialismo_Capitalismo e socialismo_
Capitalismo e socialismo_
Lucas pk'
 
Capitalismo global jeffry a. frieden
Capitalismo global   jeffry a. friedenCapitalismo global   jeffry a. frieden
Capitalismo global jeffry a. frieden
fernelio
 
9º ano a nova ordem
9º ano a nova ordem9º ano a nova ordem
9º ano a nova ordem
Renata Cabral
 
O agudizar das tensões politicas e sociais a partir dos anos 30
O agudizar das tensões politicas e sociais a partir dos anos 30O agudizar das tensões politicas e sociais a partir dos anos 30
O agudizar das tensões politicas e sociais a partir dos anos 30
Ana Vilardouro
 

Mais procurados (20)

TCD GEOGRAFIA DO MUNDO I
TCD GEOGRAFIA DO MUNDO ITCD GEOGRAFIA DO MUNDO I
TCD GEOGRAFIA DO MUNDO I
 
Aula 3 Ordem Mundial AZ
Aula 3 Ordem Mundial AZAula 3 Ordem Mundial AZ
Aula 3 Ordem Mundial AZ
 
Aula 01 sistemas econômicos e globalização
Aula 01   sistemas econômicos e globalizaçãoAula 01   sistemas econômicos e globalização
Aula 01 sistemas econômicos e globalização
 
A Grande Depressao dos anos 30
A Grande Depressao dos anos 30A Grande Depressao dos anos 30
A Grande Depressao dos anos 30
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
 
O dinamismo económico do países capitalistas 9ºf juliana, sara e marta
O dinamismo económico do países capitalistas 9ºf   juliana, sara e martaO dinamismo económico do países capitalistas 9ºf   juliana, sara e marta
O dinamismo económico do países capitalistas 9ºf juliana, sara e marta
 
O mundo pos guerra fria
O mundo pos guerra friaO mundo pos guerra fria
O mundo pos guerra fria
 
Nova des ordem mundial 2015
Nova des ordem mundial 2015Nova des ordem mundial 2015
Nova des ordem mundial 2015
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
 
Texto de apoio: Capitalismo
Texto de apoio: CapitalismoTexto de apoio: Capitalismo
Texto de apoio: Capitalismo
 
Ordens Mundiais
Ordens MundiaisOrdens Mundiais
Ordens Mundiais
 
O mundo unipolar
O mundo unipolarO mundo unipolar
O mundo unipolar
 
Capitalismo e socialismo_
Capitalismo e socialismo_Capitalismo e socialismo_
Capitalismo e socialismo_
 
Resenha de CAPITALISMO GLOBAL: HISTÓRIA ECONÔMICA E POLÍTICA DO SÉCULO XX
Resenha de CAPITALISMO GLOBAL: HISTÓRIA ECONÔMICA E POLÍTICA DO SÉCULO XXResenha de CAPITALISMO GLOBAL: HISTÓRIA ECONÔMICA E POLÍTICA DO SÉCULO XX
Resenha de CAPITALISMO GLOBAL: HISTÓRIA ECONÔMICA E POLÍTICA DO SÉCULO XX
 
dinamismo economico dos paises capitalistas
dinamismo economico dos paises capitalistasdinamismo economico dos paises capitalistas
dinamismo economico dos paises capitalistas
 
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo
6 01 as transformacoes economicas na europa e no mundo
 
Capitalismo global jeffry a. frieden
Capitalismo global   jeffry a. friedenCapitalismo global   jeffry a. frieden
Capitalismo global jeffry a. frieden
 
A Hegemonia dos EUA
A Hegemonia dos EUAA Hegemonia dos EUA
A Hegemonia dos EUA
 
9º ano a nova ordem
9º ano a nova ordem9º ano a nova ordem
9º ano a nova ordem
 
O agudizar das tensões politicas e sociais a partir dos anos 30
O agudizar das tensões politicas e sociais a partir dos anos 30O agudizar das tensões politicas e sociais a partir dos anos 30
O agudizar das tensões politicas e sociais a partir dos anos 30
 

Destaque (20)

.
..
.
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Grupo 02
Grupo 02Grupo 02
Grupo 02
 
A formação do império feudal 7º anos
A formação do império feudal   7º anosA formação do império feudal   7º anos
A formação do império feudal 7º anos
 
Aula De Sociologia Do Professor Mario
Aula De Sociologia Do Professor MarioAula De Sociologia Do Professor Mario
Aula De Sociologia Do Professor Mario
 
.
..
.
 
100 DICAS ENEM PARTE 08
100 DICAS ENEM PARTE 08100 DICAS ENEM PARTE 08
100 DICAS ENEM PARTE 08
 
100 DICAS ENEM PARTE 09
100 DICAS ENEM PARTE 09100 DICAS ENEM PARTE 09
100 DICAS ENEM PARTE 09
 
.
..
.
 
I mperio biznantino
I mperio biznantinoI mperio biznantino
I mperio biznantino
 
Grupo 03
Grupo 03Grupo 03
Grupo 03
 
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Ma
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º MaO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Ma
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Ma
 
100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10
 
2º Va Grupo 03
2º Va   Grupo 032º Va   Grupo 03
2º Va Grupo 03
 
.
..
.
 
.
..
.
 
.
..
.
 
Descolonização áfrica e asia
Descolonização áfrica e asiaDescolonização áfrica e asia
Descolonização áfrica e asia
 
Grupo 01
Grupo 01Grupo 01
Grupo 01
 
100 DICAS ENEM PARTE 07
100 DICAS ENEM PARTE 07100 DICAS ENEM PARTE 07
100 DICAS ENEM PARTE 07
 

Semelhante a O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Mb

O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Mc
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º McO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Mc
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Mc
ProfMario De Mori
 
Resumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exameResumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exame
Maria Rebelo
 
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIALVIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
Márcia Diniz
 
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415
Laboratório de História
 
DOS ANTIGOS IMPÉRIOS AO IMPÉRIO GLOBAL CONTEMPORÂNEO.pdf
DOS ANTIGOS IMPÉRIOS AO IMPÉRIO GLOBAL CONTEMPORÂNEO.pdfDOS ANTIGOS IMPÉRIOS AO IMPÉRIO GLOBAL CONTEMPORÂNEO.pdf
DOS ANTIGOS IMPÉRIOS AO IMPÉRIO GLOBAL CONTEMPORÂNEO.pdf
Faga1939
 

Semelhante a O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Mb (20)

O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Mc
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º McO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Mc
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Mc
 
Resumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exameResumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exame
 
História
HistóriaHistória
História
 
História contemporânea
História contemporâneaHistória contemporânea
História contemporânea
 
Riqueza x Pobreza
Riqueza x PobrezaRiqueza x Pobreza
Riqueza x Pobreza
 
Zoeira apresentation
Zoeira apresentationZoeira apresentation
Zoeira apresentation
 
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIALVIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
VIDEO-AULA 8ª SÉRIES REVISÃO IMPERIALISMO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
 
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415
Caderno diário a grande depressão n.º 18 1415
 
Caderno diário a grande depressão 1314
Caderno diário a grande depressão 1314Caderno diário a grande depressão 1314
Caderno diário a grande depressão 1314
 
Apogeu e declinio da influencia europeia
Apogeu e declinio da influencia europeiaApogeu e declinio da influencia europeia
Apogeu e declinio da influencia europeia
 
Apostila eja unid. 8
Apostila eja unid. 8Apostila eja unid. 8
Apostila eja unid. 8
 
Crise de 1929.pptx
 Crise de 1929.pptx Crise de 1929.pptx
Crise de 1929.pptx
 
9.1.pptx
9.1.pptx9.1.pptx
9.1.pptx
 
Apostila 3ª fase - Sagrado
Apostila 3ª fase - SagradoApostila 3ª fase - Sagrado
Apostila 3ª fase - Sagrado
 
DOS ANTIGOS IMPÉRIOS AO IMPÉRIO GLOBAL CONTEMPORÂNEO.pdf
DOS ANTIGOS IMPÉRIOS AO IMPÉRIO GLOBAL CONTEMPORÂNEO.pdfDOS ANTIGOS IMPÉRIOS AO IMPÉRIO GLOBAL CONTEMPORÂNEO.pdf
DOS ANTIGOS IMPÉRIOS AO IMPÉRIO GLOBAL CONTEMPORÂNEO.pdf
 
Período entre guerras
Período entre guerrasPeríodo entre guerras
Período entre guerras
 
Caderno Diário Crise Anos 30 1314
Caderno Diário Crise Anos 30 1314Caderno Diário Crise Anos 30 1314
Caderno Diário Crise Anos 30 1314
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
Regionalização Mundial por Desenvolvimento (IDH)
Regionalização Mundial por Desenvolvimento (IDH)Regionalização Mundial por Desenvolvimento (IDH)
Regionalização Mundial por Desenvolvimento (IDH)
 
Imperialismo e Neocolonialismo (parte1e2)
Imperialismo e Neocolonialismo (parte1e2)Imperialismo e Neocolonialismo (parte1e2)
Imperialismo e Neocolonialismo (parte1e2)
 

Mais de ProfMario De Mori

Aula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anosAula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anos
ProfMario De Mori
 
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
ProfMario De Mori
 
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anosAula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
ProfMario De Mori
 
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anosAula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
ProfMario De Mori
 

Mais de ProfMario De Mori (20)

100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
100 DICAS PARA ACERTAR NO ENEM
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 2º ANOS
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 9º ANOS
 
100 DICAS ENEM PARTE 11
100 DICAS ENEM PARTE 11100 DICAS ENEM PARTE 11
100 DICAS ENEM PARTE 11
 
100 DICAS ENEM PARTE 06
100 DICAS ENEM PARTE 06100 DICAS ENEM PARTE 06
100 DICAS ENEM PARTE 06
 
100 DICAS ENEM PARTE 05
100 DICAS ENEM PARTE 05100 DICAS ENEM PARTE 05
100 DICAS ENEM PARTE 05
 
100 DICAS ENEM PARTE 04
100 DICAS ENEM PARTE 04100 DICAS ENEM PARTE 04
100 DICAS ENEM PARTE 04
 
100 DICAS ENEM PARTE 03
100 DICAS ENEM PARTE 03100 DICAS ENEM PARTE 03
100 DICAS ENEM PARTE 03
 
100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02
 
100 DICAS ENEM PARTE 01
100 DICAS ENEM PARTE 01100 DICAS ENEM PARTE 01
100 DICAS ENEM PARTE 01
 
Aula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anosAula charges sociologia 2º anos
Aula charges sociologia 2º anos
 
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 2º anos - 2º BIMESTRE
 
Aula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anosAula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anos
 
Aula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anosAula charges sociologia 1º anos
Aula charges sociologia 1º anos
 
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
Aula atlas 1º anos - 2º BIMESTRE
 
Aula atlas 2º anos
Aula atlas 2º anosAula atlas 2º anos
Aula atlas 2º anos
 
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anosAula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 9º anos
 
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anosAula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
Aula ATLAS GEOGRÁFICO 1º anos
 
GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL
GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL
GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
GisellySobral
 

Último (20)

Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 

O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Mb

  • 1. O MUNDO DO BREVE SECULO XX ATIVIDADE DA TURMA 2º MB COLÉGIO JESUS CRISTO REI
  • 2. FRASE 01 Na segunda metade do século XIX, países europeus como a Inglaterra, França, Alemanha, Bélgica e Itália, eram considerados grandes potências industriais. Na América, eram os Estados Unidos quem apresentavam um grande desenvolvimento no campo industrial. Todos estes países exerceram atitudes imperialistas, pois estavam interessados em formar grandes impérios econômicos, levando suas áreas de influência para outros continentes. Com o objetivo de aumentarem sua margem de lucro e também de conseguirem um custo consideravelmente baixo, estes países se dirigiram à África, Ásia e Oceania, dominando e explorando estes povos. Não muito diferente do colonialismo dos séculos XV e XVI, que utilizou como desculpa a divulgação do cristianismo; o neocolonialismo do século XIX usou o argumento de levar o progresso da ciência e da tecnologia ao mundo. Na verdade, o que estes países realmente queriam era o reconhecimento industrial internacional, e, para isso, foram em busca de locais onde pudessem encontrar matérias primas e fontes de energia. Os países escolhidos foram colonizados e seus povos desrespeitados. Um exemplo deste desrespeito foi o ponto culminante da dominação neocolonialista, quando países europeus dividiram entre si os territórios africano e asiático, sem sequer levar em conta as diferenças éticas e culturais destes povos.
  • 3.
  • 4.
  • 5. frase 2 Entre os anos de 1870 e 1914, o mundo vivia a euforia da chamada Belle Epóque (Bela Época). Do ponto de vista da burguesia dos grandes países industrializados, o planeta experimentava um tempo de progresso econômico e tecnológico. Confiantes de que a civilização atingira o ápice de suas potencialidades, os países ricos viviam a simples expectativa de disseminar seus paradigmas às nações menos desenvolvidas. Entretanto, todo esse otimismo encobria um sério conjunto de tensões. Com o passar do tempo, a relação entre os maiores países industrializados se transformou em uma relação marcada pelo signo da disputa e da tensão. Nações como Itália, Alemanha e Japão, promoveram a modernização de suas economias. Com isso, a concorrência pelos territórios imperialistas acabava se acirrando a cada dia. Orientados pela lógica do lucro capitalista, as potências industriais disputavam cada palmo das matérias-primas e dos mercados consumidores mundiais.
  • 6. Na frase 2 denomina-se um período de progressos econômicos e tecnológicos mais que teve muitas tensões.Estava no período de uma história A Belle Époque que foi uma época marcada de transformações culturais Enquanto a arte e a inovação floresciam, essa época também viu o crescimento do proletariado e ascensão de movimentos organizados contrários à ordem capitalista vigente, como o movimento anarquista e o socialista, duramente reprimidos pelas autoridades. Com a difusão dessas doutrinas, houve uma polarização cada vez maior entre defensores e detratores do capitalismo, o que gerou enfrentamentos muitas vezes violentos por causa que nações promoveram a modernização de suas economias e as potências industriais começaram a disputar cada palmo da matéria-prima e mercados consumidores.
  • 7.  
  • 8.
  • 9.
  • 10.  
  • 11. Frase 5 O entre-guerras, período compreendido entre o término da Primeira Guerra Mundial (1918) e o início da Segunda Guerra Mundial, foi marcado por crises econômicas, políticas e sociais em vários países. Quando o primeiro conflito mundial terminou, os EUA era uma nação poderosa, a mais rica do mundo. Assim, em 1918, novamente a presença americana era flagrante. Empréstimos e mais empréstimos foram contratados pelos europeus visando à reconstrução dos países destruídos. Esses fatores condicionaram aos EUA uma prosperidade sem precedentes. Um período de grande abundância gerou uma idêntica euforia social. Os empresários americanos nadavam em capitais. Exportava também o "modelo de homens de negócios", o Self-made-mam. Aquele empreendedor, que, saindo das camadas humildes da população, competentemente prosperou. Toda essa riqueza gerou, nos EUA, um novo ideal de vida ou um novo estilo de vida americano, o "american way of life". Estilo de vida baseado na febre de consumo de produtos industrializados. Mas essa abundância era ilusória, pelo menos para a maioria do povo norte-americano.
  • 12. Explicação Os empresários que se diziam estar nadando em capitais, logo viram que a maioria da população não estavam dando maior importância por produtos industrializados de primeiro mundo, logo perceberam a grande quebra na bolsa de valores de Nova York, compreendendo o que havia gastado em industrialização não havia válido nada.Esse processo havia gerado o que os americanos chamavam de “american way of life”, ou seja, um novo estilo de vida americano.Esses investimentos visando aumento de produtos industrializados para o país, para muitos não passava de uma pequena força americana, achavam isso como se fosse uma ilusão.Como meio de tapar o que aconteceu após a segunda guerra mundial, as crises econômicas, políticas e sociais em vários países, principalmente no EUA.
  • 13. Imagem Ilustrativa A máscara da farça americana após 2ª guerra mundial.
  • 14.
  • 15.
  • 17. Frase 07 Considerada uma verdadeira guerra mundial, a Segunda Guerra foi conseqüência de um conjunto de continuidades e questões mal resolvidas pelos tratados de paz estabelecidos após a Primeira Guerra Mundial. Os confrontos foram divididos entre duas grandes coalizões militares: os Aliados, liderados por Estados Unidos, Inglaterra, França e União Soviética; e o Eixo, composto pela Itália, Alemanha e Japão. Em conseqüência de suas maiores dimensões, os conflitos foram desenvolvidos na Europa, Norte da África e países do Oceano Pacífico. No período entre 1918 e 1939, a economia mundial sofreu um grande abalo gerado pela crise de 1929. Na época, a economia dos EUA financiava e fornecia produtos às principias nações européias atingidas pelos conflitos da Primeira Guerra Mundial. Além disso, a miséria de algumas nações, como no caso da Itália e da Alemanha, propiciou a ascensão de grupos políticos nacionalistas de extrema direita. Ao mesmo tempo, as disputas imperialistas ainda dominavam a concorrência da economia mundial.
  • 18.
  • 19.  
  • 20. O confronto entre socialistas e capitalistas ganhou esse nome porque não houve nenhum confronto direto envolvendo Estados Unidos e União Soviética. Nessa época, a possibilidade de confronto entre essas duas nações causava temor em vários membros da comunidade internacional. Afinal de contas, após a invenção das armas de destruição em massa, a projeção de uma Terceira Guerra Mundial era naturalmente marcada por expectativas desastrosas. Geralmente, percebemos que os episódios ligados à Guerra Fria estiveram cercados por diferentes demonstrações de poder que visavam indicar a supremacia do mundo capitalista sobre o socialista, ou vice-versa. Um primeiro episódio de tal natureza ocorreu com o lançamento das bombas atômicas em território japonês. Através do uso dessa tecnologia, o mundo capitalista-ocidental visava quebrar a hegemonia socialista no Oriente.
  • 21.
  • 22.  
  • 23. FRASE 10 Um dos aspectos da Guerra Fria está na questão de Berlin, onde os soviéticos bloquearam a cidade de Berlim em reação contra a tentativa de garantir a hegemonia política capitalista na região. Em resultado desse confronto, o território alemão foi dividido em dois Estados: a República Federal da Alemanha, de orientação capitalista; e a República Democrática Alemã, dominada pelos socialistas. Nessa mesma região seria construído o Muro de Berlim, ícone máximo da ordem bipolar estabelecida pela Guerra Fria. Buscando garantir oficialmente o apoio de um amplo conjunto de nações, os Estados Unidos anunciaram formulação do Plano Marshall, que concedia fundos às nações capitalistas, e logo depois, a criação da OTAN, Organização do Tratado do Atlântico Norte. Por meio dessa última organização militar, os capitalistas definiram claramente quais países apoiariam os EUA em uma possível guerra contra o avanço das forças socialistas.
  • 24.
  • 25.  
  • 26. Frase 11- “ Sem demora, a União Soviética também conclamou os países influenciados pela esfera socialista a assinarem o Pacto de Varsóvia, criado em 1955. Tendo pretensões muito semelhantes à OTAN, a união congregava União Soviética, Albânia, Bulgária, Romênia, Tchecoslováquia, Hungria, Polônia e a República Democrática Alemã. Um pouco antes, respondendo às bombas de Hiroshima e Nagasaki, os soviéticos ainda promoveram testes nucleares no Deserto do Cazaquistão. Essa seria apenas uma pequena amostra da truculenta corrida armamentista que se desenhou entre os capitalistas e socialistas. Como se não bastassem tais ações, a Guerra Fria também esteve profundamente marcada pelo envolvimento de exércitos socialistas e capitalistas em guerras civis, onde a hegemonia política e ideológica desses dois modelos esteve em pauta. Somente nos fins da década de 1980, quando a União Soviética começou a dar os primeiros sinais de seu colapso econômico e político, foi que essa tensão bipolar veio a se reorganizar. Antes disso, conforme muito bem salientou o historiador Eric Hobsbawm, milhares de trabalhadores, burocratas, engenheiros, fornecedores e intelectuais, tomaram ações diversas em torno da ameaça de uma desastrosa guerra.
  • 27.
  • 28.  
  • 29. FRASE 12 O mundo depois da Segunda Guerra foi politicamente marcado pelo “racha” político e ideológico travado entre Estados Unidos e União Soviética. As duas principais potências vitoriosas do conflito mundial dividiram entre si áreas de influência econômica, política e ideológica, inaugurando um período conhecido como “Guerra Fria”. É nesse contexto que temos condições de compreender o conflito que dividiu a Coréia em dois diferentes Estados Nacionais. De fato essa divisão é anterior ao conflito já que, durante o processo de ocupação das áreas colonizadas pelo Japão, as tropas norte-americanas controlaram o sul e os exércitos soviéticos lutaram na parte norte. A partir desse processo de ocupação militar, as duas potências resolveram criar uma fronteira artificial que delimitaria o predomínio de ambas naquela região. Após um acordo, o paralelo 38° fixou os limites da socialista Coréia do Norte e da capitalista Coréia do Sul.
  • 30.
  • 31.  
  • 32. Frase 13 Ao longo de sua história, o território vietnamita foi marcado por uma longa sucessão de conflitos e guerras. Durante o período imperialista, o Vietnã – juntamente com o Laos e o Camboja – foi alvo da dominação política e econômica exercida pelos franceses. No entanto, no ano de 1939, um grupo político comunista liderado por Ho Chi Min encabeçou uma luta contra a presença francesa na região. Logo depois, esse mesmo movimento teve que fazer frente ao interesses imperialistas japoneses na região. Passado os conflitos da Segunda Guerra, os vietnamitas ainda tiveram que sofrer com as lutas travadas na Guerra da Indochina, conflito onde a França tentou retomar o controle da região. Essa guerra só chegou ao fim quando os comunistas ligados à Liga da Independência conseguiram derrotar os franceses na Batalha de Diem Bien Phu, em maio de 1954. Depois disso, as negociações diplomáticas firmadas com o Tratado de Genebra dividiram o país em Vietnã do Norte e Vietnã do Sul.
  • 33.
  • 34.  
  • 35. O conflito entre o norte e o sul do Vietnã, começou em 1957, quatro anos depois os EUA passaram a participar do confronto, enviando conselheiros militares. Logo em seguida, com o assassinato de Dinh Diem, os EUA começaram a utilizar de seus exércitos para lutar contra o avanço do vietcongues, nome dado aos comunistas que participaram da guerra. Para justificar sua ação, os EUA acusaram o Vietnã do Norte de participar do ataque a embarcações norte-americanas no Golfo de Tonquim. Sem conseguir resolver militarmente a questão e derrotado em diversos confrontos, o governo norte-americano saiu da guerra com a assinatura do Acordo de Paris, em 1973. Nos três anos subseqüentes ainda houve conflitos na região, configurando agora, uma guerra civil no Vietnã. Em 1976, o grupo comunista venceu a guerra, formando a República Socialista do Vietnã. Ao total, a Guerra do Vietnã foi responsável pela morte de três milhões de vietnamitas, contando as perdas militares e civis. Frase 14
  • 36. COMENTÁRIO O conflito entre o Vietnã do Norte, comandado por Ho Chi Minh e o Vietnã do Sul, que passava por uma ditadura militar, liderada por Dinh Diem, era dado em função das divergências políticas e ideológicas, já que o norte possuía orientação comunista e o Sul, um sistema capitalista aliado aos Estados Unidos. Em 1959, surgiu a Guerra do Vietnã, quando Ho Chi Minh e os soviéticos apoiaram os ataques provocados por guerrilheiros comunistas (os vietcongues) a uma base norte americana no Vietnã do Sul. Quatro anos depois veio a intervenção militar dos EUA, que para difundir a opinião pública de seu país, apresentou como pretexto um ataque do Vietnã do Norte a barcos americanos no Golfo de Tonquim. Mas a sua intervenção não obteve muito sucesso, apesar de possuírem armas de última geração, armas químicas, bombas, helicópteros e alta tecnologia, suas estratégias eram inferiores as dos Vietcongues, que possuíam táticas de guerrilha e um alto conhecimento territorial, o que possibilitou muitas vitórias. Com todas as derrotas, o governo norte americano assina um cessar fogo no começo da década de 1970, o Acordo de Paris, que vai até 1973, contudo, só em 1975 suas tropas foram totalmente retiradas do Vietnã. Dada então, a vitória do Vietnã do Norte. A Guerra do Vietnã gerou prejuízos econômicos gravíssimos e em 2 de julho de 1976, o Vietnã foi reunificado sob regime comunista .
  • 37. Em 8 de junho de 1972, um avião do Vietnã do Sul acidentalmente lançou sua carga de napalm no vilarejo de Trang Bang. Com suas roupas em chamas, Kim Phuc fugiu do vilarejo com a família, para ser transportada para um hospital. Ela sobreviveu e hoje mora nos Estados Unidos. Kim Phuc, 9 anos. Esta foi a primeira guerra que usou helicópteros. As tropas podiam ser deslocadas rapidamente para qualquer lugar no país, fazendo com que os soldados participassem de mais combates do que na Segunda Guerra Mundial. Protestos contra a guerra foram registrados nos Estados Unidos e no resto do mundo. Já perto do fim, esta mulher carrega a filha ferida para longe das batalhas. No dia 30 de abril de 1975, soldados do Exército norte-vietnamita entraram em Saigon, no Vietnã do Sul, capturaram o palácio presidencial e assumiram o controle do país. Muitos dos vietnamitas do sul que trabalharam com os EUA temeram por suas vidas, mas muitos mais correram às ruas para ver os tanques.
  • 38.
  • 39. A Revolução Cubana foi um movimento guerrilheiro liderado por Fidel Castro, apoiado por Che Guevara, em 26 de Julho de 1959, que constituiu na derruba do governo de Fulgêncio Batista , enfraquecendo a ascendência norte-americana no país e o início de um novo governo durante o período da Guerra Fria. O objetivo da revolução era livrar Cuba da dominação norte-americana, que se viu debilitada com a deposição de Fulgêncio Batista. Arrebatando seguidores, Fidel Castro consegue se livrar das ameaças de invasões dos E.U.A e recebe o apoio da União Soviética, adotando aos poucos medidas socialistas, incluindo Cuba no bloco soviético. As primeiras medidas tomada por Fidel Castro foram a reforma agrária, que livrava a maioria da população do domínio latifundiário, e a nacionalização das empresas estrangeiras, em sua maioria norte-americana. A partir da visão que rege o socialismo o Estado ditava o objetivo da nova política econômica , impunha os objetivos de produção e direcionava os investimentos. Era papel do Estado, e não o mercado, a formulação dos preços e distribuição de mercadorias. A prioridade do governo foi levar os serviços de saúde e de educação para todo o povo. Foram medidas associadas a eliminação total do desemprego que assombrava população daquela época e que dilaceraram com a negatividade social que até hoje está presente nos países centro-americanos.
  • 40.  
  • 41.
  • 42. Comentário • A Guerra Fria foi um confronto ideológico entre o bloco capitalista e o bloco socialista. • A Segunda Guerra Mundial foi bem mais arrasadora, considerado o conflito que causou mais vitimas em toda a história da humanidade. • O Plano Marshall foi o principal plano dos Estados Unidos para a reconstrução dos países aliados da Europa nos anos seguintes à Segunda Guerra Mundial. • A OTAN tinha como objetivo constituir uma frente oposta ao bloco socialista. Os estados do tratado estabeleceram um compromisso de cooperação estratégica em tempo de paz e contraíram uma obrigação de auxílio mútuo em caso de ataque a qualquer dos países membros. • O Comecon visava a integração econômica das nações do Leste Europeu. • O Pacto de Varsóvia foi uma aliança militar que estabeleceu um compromisso de ajuda mútua em caso de agressões militares. • Mao Tse-tung implantou a sua interpretação ortodoxa mesclada de aproximações a formas de capitalismo, Empreendeu a chamada "Revolução Cultural", com que tentou excluir todo o estado e população chinesa.
  • 44. No final dos anos 50, o governo soviético Kruschev e os norte-americanos Eisenhower e Kennedy ensaiaram uma aproximação e tentativas de distensão, no que ficou conhecido como política da Coexistência Pacífica. Entretanto, tal política não impediu novas rivalidades e confrontações, ao contrário, restabeleceu o clima de Guerra Fria, que foi seguido mais tarde de nova aproximação, como aconteceu com a Détente dos anos 70. Após a reativação das rivalidades norte-americanas e soviéticas durante os anos 80, no final desta década teve fim a Guerra Fria, quando houve o colapso do bloco soviético seguido do fim da URSS. Na América Latina, Cuba engrossou o bloco soviético, durante a bipolarização mundial, tendo à frente Fidel Castro, o qual reestruturou profundamente a ordem tradicional da economia e a sociedade cubana. Frase 17
  • 45.
  • 46.  
  • 47. FRASE 18 Em 1962, o país foi o epicentro de outra grave crise internacional, a chamada Crise dos Mísseis. Nos demais países latino-americanos a instabilidade, as ditaduras e os confrontos políticos não conseguiram alterar substancialmente a tradicional situação de subdesenvolvimento, de miséria e de enormes desigualdades sociais. Na descolonização da Ásia e da África, destacou-se a iniciativa da Conferência da Bandung, onde se oficializou o bloco do Terceiro Mundo, disposto a não se alinhar automaticamente à União Soviética ou aos Estados Unidos. No processo de independência indiano destacou-se a atuação de Mahatma Gandhi, através da resistência pacífica. Na independência da Indochina, deu-se a incorporação dos confrontos da Guerra Fria, transformando essa área numa da mais violentas do mundo, sendo, portanto, ameaçadora à paz internacional, com a Guerra do Vietnã. Outra área de permanente tensão no pós-Segunda Guerra Mundial, e até hoje marcada por intensos conflitos, é a do Oriente Médio, envolvido nos sucessivos confrontos árabe-israelenses, nos conflitos do Líbano, na Guerra do Iraque contra o Irã e na Guerra do Golfo. Também na África, a herança colonial e as lutas libertadoras desembocaram em sangrentos confrontos e impasses políticos que se prolongam até hoje, como o caso de Angola, Moçambique, África do Sul, entre tantos outros.
  • 48.
  • 49.  
  • 50.
  • 51.
  • 52.  
  • 53. FRASE 20 O poder da imagem tornou-se questão estratégica durante o século XX, com o desenvolvimento de mídias de grande impacto como a fotografia, o cinema, o rádio e a televisão. Com o avanço da tecnologia, a reprodução e o alcance das comunicações passaram a abranger virtualmente todo o planeta. Na Guerra Fria, os temas da propaganda ideológica eram complexos porque envolviam ideais distintos de vida, democracia e felicidade. No bloco soviético, por exemplo, esses ideais refletiam o processo político desencadeado com a Revolução de 1917. No lado capitalista, as coisas tomaram um rumo diametralmente oposto. Nos Estados Unidos, o ideal de felicidade tem sido, há muitos anos, quase sinônimo de riqueza e bem-estar individuais. É o chamado ideal do self-made-man. Um dos primeiros símbolos desse ideal foi o automóvel. Para muitos americanos do início do século não havia felicidade sem um carro na garagem. Um homem, em particular, teve grande influência na construção do modo de vida americano: Henry Ford, o criador da linha de produção em série do automóvel.
  • 54.
  • 55.  
  • 56.  
  • 57.  
  • 58.  
  • 59.
  • 60.
  • 61.  
  • 62. Frase 23 Às vésperas do ano de 1990, ainda existiam duas Alemanhas e continuava de pé o Pacto de Varsóvia, a aliança militar do bloco socialista da qual a Alemanha Oriental fazia parte. Inicialmente, a proposta de reunificação das Alemanhas não foi bem recebida pela França, Grã-Bretanha e outros países europeus, que temiam o ressurgimento da grande potência germânica, berço do nazismo e de ambições históricas de hegemonia sobre a Europa. Dentro da própria Alemanha Ocidental, a oposição argumentava que o lado capitalista teria de arcar com um preço muito alto para modernizar as empresas obsoletas e adaptar as estruturas sociais da Alemanha Oriental. Em 7 de junho de 1990, o Pacto de Varsóvia anunciou que deixaria de exercer suas funções militares, o que representava, na prática, o fim da aliança socialista. Acabava, assim, o único grande obstáculo geopolítico à reunificação das duas Alemanhas. Exatamente em 3 de outubro de 90, a Alemanha Oriental deixava de existir. Com o apoio dos Estados Unidos, a potência germânica renascia no coração de uma Europa perplexa e preocupada. Nessa época, a União Soviética atravessava uma das piores crises de sua história. O líder Mikhail Gorbatchev era acusado de traidor por seus adversários. Além disso, ganhavam força os movimentos de independência nas 15 repúblicas soviéticas. O país estava politicamente paralisado, ao passo que uma crise econômica sem precedentes afetava o nível de vida da população. A União Soviética ainda era uma potência militar, mas já não possuía a estatura de uma superpotência.
  • 63.
  • 64.  
  • 65. Do ponto de vista geopolítico, a invasão tinha motivos mais consistentes. No dia 1º de janeiro de 1990 venceria o prazo para que os Estados Unidos entregassem ao governo panamenho o controle administrativo do Canal do Panamá, que liga o Oceano Atlântico ao Pacífico. A Casa Branca não estava disposta a cumprir o prazo, estabelecido num acordo em 1977. O Canal do Panamá, além de sua importância econômica, tinha um forte significado estratégico, como base do Comando Sul do Exército dos Estados Unidos. Na época da Guerra Fria, o Comando Sul tinha como missão lutar contra o avanço comunista na América Central. Depois que o comunismo deixou de ser uma ameaça a Washington, o combate ao narcotráfico passou a ser a justificativa norte-americana para manter a base e o controle sobre o Canal do Panamá. FRASE 24
  • 66.
  • 67.  
  • 68.
  • 69.
  • 70. Iraquianos queimados depois de tentarem impedir o desembarque americano
  • 71. F RASE 26 “Com o fim do comunismo, os antigos países socialistas abriram suas fronteiras e seus mercados. No ocidente, os países detentores de tecnologias avançadas, como Alemanha e Japão, já não precisavam se submeter à lógica da Guerra Fria e à liderança dos Estados Unidos. O resultado foi o início de uma feroz disputa pelo mercado mundial. Em junho de 91, os Estados Unidos lançaram uma ofensiva em seu comércio exterior com a "Iniciativa Para as Américas", um plano que pretendia criar um mercado unificado do Alasca à Terra do Fogo. Em 93, os Estados Unidos ganharam mais motivos concretos para se preocupar. Em 1.º de janeiro daquele ano, foi criada a União Européia, uma zona de livre comércio entre os antigos países-membros da Comunidade Econômica Européia. No outro lado do mundo, o Japão e os Tigres Asiáticos, como eram conhecidos Hong Kong, Taiwan, Coréia do Sul, Cingapura e Malásia, constituíam outro pólo em plena expansão, com que os Estados Unidos vinham mantendo relações comerciais tensas desde o final dos anos 80. Apenas o continente africano estava fora das grandes disputas comerciais, com a exceção de alguns países ricos, como a África do Sul.”
  • 72.
  • 73.  
  • 74. FRASE 27 Em dezembro de 1992, a Casa Branca determinou a invasão da Somália, com autorização da ONU. Oficialmente, o objetivo era prestar ajuda humanitária a um dos países mais miseráveis do mundo, envolto em uma guerra civil. A guerra contra o Iraque, em 91, já havia permitido a Washington o controle militar sobre o Golfo Pérsico. Com a invasão da Somália, os Estados Unidos completavam seu domínio sobre a região. A invasão da Somália teve também uma importância simbólica: ela consagrou o poder dos Estados Unidos de intervir em qualquer ponto do planeta, bastando que esse tipo de operação fosse de interesse da Casa Branca. Ações norte-americanas em outros países não eram novidade. O fato novo é que, na condição de única superpotência do planeta, os Estados Unidos passaram a agir sem encontrar resistências internacionais muito significativas. E, nos anos 90, as operações em solo estrangeiro determinadas por Washington foram bem além da Somália. Também no Oriente Médio os Estados Unidos agiram livremente.
  • 75.
  • 76.  
  • 77. Frase 28 Em julho de 94, a Casa Branca voltou suas atenções para a América Central e desembarcou suas tropas em Porto Príncipe, capital do Haiti. Desesperados com a situação de miséria sob o regime militar, milhares de haitianos fugiram para os Estados Unidos em jangadas e botes precários, criando um impasse político e social para o presidente Clinton. Mais uma vez autorizados pela ONU, os norte-americanos queriam remover o governo militar e reinstalar o residente eleito Jean-Bertrand Aristide, deposto por um golpe militar em 1991. Além das razões de inspiração humanitária e democrática, os Estados Unidos agiam em busca de uma solução para o problema social criado pelos refugiados haitianos em solo americano.
  • 78.
  • 79.  
  • 80. Frase 29 Os Estados Unidos foram também a força decisiva na intervenção da ONU na guerra civil da Bósnia, no final de 95. Através da OTAN, Washington praticamente impôs um acordo às forças sérvias, muçulmanas e croatas, em conflito desde 91. O acordo não resolveu nenhum dos problemas que provocaram a guerra, mas pacificou a região e reforçou a campanha de Bill Clinton à reeleição, no final de 96. No final de fevereiro de 98, os Estados Unidos suspenderam na última hora o início de um novo conflito armado no Golfo Pérsico. Os norte-americanos, apoiados especialmente pela Grã-Bretanha do primeiro-ministro trabalhista Tony Blair, mobilizaram quatro porta-aviões, 27 mil homens e 372 aviões para a região. A perspectiva era de usar a força para obrigar o ditador iraquiano Saddam Hussein a permitir o trabalho de emissários da ONU, que inspecionavam o Iraque em busca de armas químicas e nucleares proibidas. O ataque dos norte-americanos e aliados foi evitado pela atuação diplomática do secretário-geral da ONU, o ganês Kofi Annan. Nos últimos dias de fevereiro, Annan convenceu Saddam a permitir o livre trânsito dos inspetores da ONU em seu território. Neste episódio, Washington enfrentou a resistência da França, da China, dos países árabes e particularmente da Rússia de Bóris Ieltsin. Esses países procuraram dissuadir os Estados Unidos a resolver diplomaticamente a questão. E, em último caso, a limitar os bombardeios somente aos locais suspeitos de abrigar as armas proibidas pelas Nações Unidas.
  • 81.
  • 82.  
  • 83. FRASE 31 A URSS tinha a capacidade de lançar mísseis intercontinentais e de manter uma estação espacial em órbita, mas era absolutamente incapaz de produzir automóveis ou eletrodomésticos de qualidade. Diante dessas necessidades, Gorbachev deu início a um amplo processo de abertura política – glasnost – e de reestruturação da economia – perestroika. A abertura política, que possibilitaria à população manifestar-se a respeito de suas necessidades, tornando-a co-autora da ação do Estado que efetivamente a representaria, possibilitou, no entanto, a eclosão de sentimentos nacionalistas, sufocados duramente durante a Guerra Fria. A reestruturação da economia, que redirecionaria a ação do planejamento estatal para o setor civil, fez vir à tona o que de fato era sabido pelo governo e pela sociedade soviética: que o planejamento estatal fora um fracasso, se não em sua totalidade, pelo menos devido à consolidação da burocracia e da maquiagem dos resultados que o Estado procurou contabilizar politicamente. O caos econômico, associado à instabilidade política, efeitos colaterais do processo de modernização do país, levaram a URSS ao fim em 1991. E diante da necessidade de manutenção da integração econômica das ex-repúblicas soviéticas, visto que ainda não gozavam de autonomia nesse setor para se inserirem no mercado internacional, criou-se a CEI – Comunidade dos Estados Independentes, que tinha também como atributo o monitoramento do arsenal da ex-URSS.
  • 84.
  • 85.  
  • 86.
  • 87.
  • 89. Frase 33 Na Europa Ocidental, o fim do socialismo significou a aparente vitória do neoliberalismo. No início dos anos 90 a política da Europa do Oeste inclinou-se para propostas com menor participação do Estado, atribuindo ao mercado a solução de muitos problemas. Afortunadamente, a população desses países entendeu muito rápido que essa política neoliberal traria o retrocesso, e as grandes perdas seriam sentidas na área social. Na segunda metade da década de 90, a tendência neoliberal foi desbancada politicamente na Alemanha, na França, na Itália e na Inglaterra. A globalização que derruba fronteiras poderia desestabilizar a economia da Europa unida e colocá-la à mercê do capital especulativo internacional, criando espaço para a ação maior de capitais americanos.
  • 90.
  • 91.  
  • 92. • Frase 34 A nova ordem internacional acabou com um sem-número de conflitos diretamente ligados à ação das superpotências; mas fez surgir outros, na sua maioria de origem étnica, religiosa e nacional, que durante a Guerra Fria foram mantidos em estado latente, pois poderiam ameaçar a hegemonia das superpotências sobre determinados países ou regiões. Entre os países capitalistas, a despeito de ter-se pronunciado ainda mais a diferença entre ricos e pobres, agora Norte-Sul, vale a abertura dos mercados, o fim de restrições comerciais e a implantação de um comércio mais amplo, sob a égide da OMC – Organização Mundial do Comércio, que substituiu o GATT – General Agreement of Taxes and Trading (Acordo Geral de Tarifas e Comércio). A palavra de ordem é a inserção no mercado mundial. Os capitais estão cada vez mais livres e, perante uma variada gama de possibilidades de investimentos, deslocam-se facilmente de um país para outro, de uma economia menos atraente para outra mais atraente, até que uma outra surja, num fluxo contínuo de investimentos que se movimentam ao sabor dos ventos da economia .
  • 93. COMENTÁRIO Após o termino da Guerra Fria o mundo deixou de ter países de primeiro, segundo e terceiro mundo e passou a ter pobres e ricos. Hoje a economia de cada país é fundamental para sua visualização diante do mundo inteiro. Os capitais estão cada vez mais livres o que pode ser muito bom ou muito ruim para cada país. Os países Norte-Sul, pobres e ricos, respectivamente, possuem uma liberdade econômica nunca vista antes na história o que pode ser beneficente, se souberem utilizar os artifícios a seu favor, ou maléfico, quando não se sabe lidar com toda a pressão e autonomia que essa Nova Ordem Mundial exerce.
  • 94.  
  • 95. FRASE 35 Os países emergentes, como os Tigres Asiáticos, a Rússia, e o Brasil, sucumbiram à mobilidade do capital internacional. Dependentes de investimentos externos, esses países foram obrigados a abrir suas economias e seu mercado consumidor. No entanto, a concorrência dos produtos importados frente aos nacionais abalou o parque industrial dos países do sul, exceção feita aos Tigres Asiáticos. Seus governos, por sua vez, não responderam ao chamado neoliberal de atribuir cada vez mais ao mercado o equacionamento das questões sociais. Endividadas e com máquinas administrativas inoperantes do ponto de vista político e monetário, essas economias quebraram.
  • 96.
  • 97.  
  • 98.
  • 99.
  • 100. IMAGEM
  • 101.
  • 102.
  • 103.  
  • 104. FRASE 38 O mundo passa por uma acelerada transição. As áreas de concentração industrial não se restringem mais aos países desenvolvidos do Hemisfério Norte. Fora das regiões tradicionalmente industrializadas da Europa, América do Norte e Japão surgiram várias outras: Brasil, África do Sul, México, Ásia e os Tigres Asiáticos. A Nova Ordem Mundial não é mais estável ou segura. Países socialistas, como a China, por exemplo, têm cedido espaço à abertura de mercado e atraído capitais estrangeiros. A necessidade de reformar a economia chinesa e alterar as condições sociais no país fez com que a China se estruturasse na esfera econômica. Desde o final dos anos 70, a China adota uma crescente liberalização da economia, concentrada em Zonas Econômicas Especiais (ZEEs). Esta abertura progressiva, no entanto, foi cautelosa. As autoridades escolheram a região sul do país, deixando o “coração” da China, o norte e o centro isolados das influências ou “contágios” que se viessem verificar. As ZEEs foram criadas para acabar com a estagnação econômica que atingia os países socialistas e os afastavam do nível de desenvolvimento do capitalismo. São espaços territoriais onde foram concedidas condições especiais para a fixação de capitais estrangeiros e também algumas liberalizações do mercado, semelhantes às existentes nos países ocidentais Com o objetivo de atrair capital externo, expandir as exportações, receber novas tecnologias e absorver métodos ocidentais de administração, essa iniciativa contribuiu para alavancar o desenvolvimento econômico e tecnológico, além de fortalecer a inserção do país no cenário internacional.
  • 105. COMENTÁRIO Hoje em dia os países industrializados não são mais mérito no hemisfério norte, o mundo todo tem chances de entrar para o grupo e o Brasil está incluído. Os países desse grupo são, geralmente, capitalistas e os socialistas ficam para trás nesse quesito, mas, para se livrar desse "carma", alguns países que adotam o socialismo têm cedido espaço para a abertura do mercado. A necessidade de reformar a economia chinesa fez com o que o país, no final dos anos 70, adotasse um plano, o chamado ZEEs (Zonas econômicas especiais), mas, para que o país todo não passasse por isso, o plano só foi aplicado na região sul do país. O norte e o centro se livraram disso. Essa região tem o objetivo de atrair capital externo e expandir as exportações.
  • 106.  
  • 107. FRASE 39 As ZEEs Chinesas, localizam-se em áreas litorâneas, estabelecendo-se medidas semelhantes às adotadas nos Tigres Asiáticos: baixos impostos, isenção total para a implantação de máquinas e equipamentos industriais e facilidades para a remessa de lucros ao exterior. Além disso, as empresas que nelas se instalam podem estabelecer os seus próprios planos de desenvolvimento, desde que consigam encontrar fundos para tal e contam com a mão-de-obra mais barata do mundo, o que torna os preços dos produtos imbatíveis no mercado internacional. As conseqüências dessas medidas foram altas taxas de crescimento e invasão de mercadorias chinesas por todo o mundo, aumentando a demanda por produtos “Made in China”.
  • 108. COMENTÁRIO Como resultado da Guerra Fria, a China foi um dos países que se manteve socialista até a atualidade, mas a grande diferença é a sua economia, chamada socialismo de mercado. As ZEE’s são os primeiros traços desta abertura, que tem sido de extrema importância para os EUA, já que há ampla exportação dos produtos chineses para os norte-americanos e vice-versa, como também para outros países. A economia da China tem posição de destaque no mercado internacional, por ter mão-de-obra barata.Em contrapartida, agravam a desigualdade e o abandono das zonas rurais. Não se pode dizer que foi uma abertura abrangente: a política não acompanhou as mudanças econômicas, é uma mudança lenta, mas que com o tempo, aumenta expressivamente o capital chinês. Essa iniciativa contribuiu para novas tecnologias, atração do capital estrangeiro, expansão das exportações e principalmente, para o desenvolvimento econômico e tecnológico.
  • 109. "Sempre que pensamos em mudar queremos tudo o mais rápido possível. Não tenha pressa, pois as pequenas mudanças são as que mais importam. Por isso, não tenha medo de mudar lentamente, tenha medo de ficar parado." (Provérbio chinês)
  • 110.
  • 111.
  • 112. O centro financeiro de Seul , Coreia do Sul . Panorama do centro financeiro de Hong Kong Centro financeiro de Singapura China - OMC China - OMC
  • 113.
  • 114.
  • 115.  
  • 116. Com o fim da guerra fria e o ingresso de quase todo o mundo socialista na economia de mercado, Cuba passou a enfrentar uma grave crise econômica. Afinal, após a revolução, a ilha deixou de fazer parte do mercado internacional capitalista para ter como parceiros exclusivos os membros do Comecon (o mercado comum de países socialistas). Seu isolamento foi ainda agravado pelo embargo econômico imposto pêlos Estados Unidos, desde 1962. Para pressionar outros países a fazer o mesmo, ainda hoje os Estados Unidos prevêem sanções para as empresas estrangeiras que mantiverem negócios com Cuba. Atualmente o embargo à ilha tem tido como principais opositores os países europeus e o Canadá. Este último tem sido o principal parceiro comercial de Cuba, além de responsável por numerosos turistas que levam divisas ao país. FRASE 42 Os desafios de Cuba após o fim da Guerra Fria
  • 117. Explicação da minha frase O que a minha frase quer dizer, é que, no fim da guerra fria com todos os problemas evidenciados cuba não deixou de ser um país socialista como fora toda vida, passou por vários problemas que comprometeu toda a sociedade, o que chamamos de crise econômica, ficando assim dependente do mercado internacional para comercializar seu principal produto de exportação (o açúcar).Com isso Cuba ficou praticamente “isolada”, mas o grande desafio dos cubanos foi a onda causada pela “vitória do capitalismo”, que fez com que o socialismo fosse mostrado como uma propaganda falsa e ultrapassada.O crescimento de turistas no pais, e a conseqüente chegada de estrangeiros, gastando dólares e colocando em seus bolsos se diferencia muito entre a sociedade.Um ponto importante que Cuba possui hoje é a sua comunidade estabelecida na Flórida(EUA), que todavia manda recursos financeiros para ajudar parentes da ilha.Cuba hoje continua sendo um modelo para o resto do mundo em vários indicadores de saúde e educação.
  • 118. Anexo: Jamais renunciaremos à nossos princípios
  • 120.  
  • 121.  
  • 122. Frase 44 Com o final da Guerra Fria, Cuba tomou medidas, dentre as quais, destacam-se: liberar a entrada de investimentos estrangeiros, de acordo com regras específicas; modificar o regime jurídico da propriedade, abrindo espaço para o retorno de formas de propriedade privada; abolir os subsídios dados a agricultores sem condições de competição no mercado; entregar 75% das terras a cooperativas e agricultores individuais, praticamente extinguindo as fazendas estatais coletivas; suprimir o monopólio estatal sobre o comércio exterior, concedendo autonomia tanto para estatais quanto para empresas privadas; aproveitar a mão-de-obra do país, que, por seu alto grau de instrução, tem um grande potencial de qualificação. Apesar das mudanças, Cuba não se transformou numa economia socialista de caráter misto, em que o Estado e o mercado atuam conjuntamente na determinação das regras de produção e de comércio. Afinal, as empresas públicas ainda são dominantes, e as empresas privadas são pequenas e frágeis. No entanto, já se pode falar na existência de uma "segunda economia", ou seja, aquela que envolve a ação privada de indivíduos. Politicamente, porém, a grande crítica apontada ao governo socialista é a falta de democracia, pois desde a revolução vigora a ditadura personalista de Fidel Castro, mesmo sem sua presença e com o atual governo de seu irmão Raul Castro.
  • 123.
  • 124.  
  • 125. FRASE 45 A denominação de “Tigres Asiáticos” é dada ao grupo de países que na década de 80 apresentaram um crescimento econômico elevado e repentino baseado em táticas agressivas de atração de capital estrangeiro como a isenção de impostos e mão-de-obra barata. O grupo formado por Coréia do Sul, Taiwan (Formosa), Cingapura e Hong Kong (localizados na Ásia, óbviamente), surgiu durante a disputa comercial iniciada com o fim do comunismo e a abertura dos mercados de antigos países socialistas. Durante esse período iniciou-se a criação de vários blocos econômicos com o fim de facilitar o as transações comerciais e financeiras. O Japão, que a essa altura já era um país bastante desenvolvido, foi o principal propulsor do crescimento dos países do sudoeste asiático. Após a Segunda Guerra Mundial o Japão estava completamente arrasado. Mas, através de uma política voltada para a capitação de recursos externos e na criação de uma poupança interna o Japão conseguiu criar um terreno propício para o crescimento das indústrias no local.
  • 126.
  • 127.
  • 128. Frase 46 TIGRES ASIÁTICOS, apelido faz com que a gente se lembre do animal TIGRE, que é forte, agressivo e impetuoso. A economia desses países que são chamados de Tigres é assim, uma economia altamente competitiva e dinâmica, a produtividade é alta. Os funcionários das indústrias, ganham três vezes mais do que os dos países do 3° Mundo, embora bem menos do que os do 1° Mundo. São pessoas de uma cultura completamente diferente do mundo ocidental, lá existe muita disciplina e um grande respeito à hierarquia. São povos que sofreram com muitas guerras e ocupações e possuem uma história muito antiga. Na economia dos Tigres a grande característica de sua indústria é produzir produtos mais baratos com rígido controle de qualidade e para eles o cliente tem sempre razão. É dessa forma que seus produtos invadem os mercados de, praticamente todos os outros países. Isto é conseguido com muita luta e dedicação porque sempre há altos impostos de importação que é a arma que os outros países usam para não sofrer tanto com a concorrência dos produtos baratos dos Tigres. Essa é a economia competitiva, os Tigres ganham na quantidade.
  • 129.
  • 130.  
  • 131.
  • 132.
  • 133. Esta imagem ilustra o elevado índice de desenvolvimento dos Tigres Asiáticos
  • 134. Frase 48 – Os Tigres Asiáticos Atualmente fazem parte dos Tigres Asiáticos oito países, sendo que Cingapura, Indonésia, Malásia, Tailândia e Vietnã estão localizados no sudeste asiático. E no extremo oriente se encontram Coréia do Sul, Hong Kong e Taiwan. No início, eram considerados integrantes dos Tigres Asiáticos somente quatro países, que foram citados anteriormente, posteriormente ingressaram os chamados “Novos Tigres” que são Indonésia, Malásia, Tailândia e Vietnã. Os principais investidores externos nos países que integram os Tigres Asiáticos são especialmente os japoneses, transnacionais norte-americanas, além da Coréia do Sul e Taiwan. O intenso crescimento ocorrido ao longo de praticamente três décadas levou as exportações nos anos 90 a atingir números elevados, como o crescimento em 202% do Produto Nacional Bruto (PNB), em Cingapura, e em Hong Kong 132%. Para alcançar resultados tão significativos foi necessário um conjunto de medidas e um profundo planejamento, além de outros fatores não menos importantes como: Abertura da economia para o capital externo, como o norte-americano e o japonês, e com isso se afirmarem como nações capitalistas evitando aproximação de idéias e influências socialistas. Lucratividade sobre a força de trabalho, pois devido às leis trabalhistas frágeis, os salários são, em grande maioria, baixos, as férias são reduzidas, elevada carga horária de trabalho e sistema previdenciário desfortalecido. O modelo econômico dos Tigres Asiáticos é fundamentalmente exportador, dessa forma sua produção é diversificada e voltada para o mercado de países desenvolvidos, no entanto, o consumo interno não é incentivado, uma vez que os impostos inseridos nos produtos são elevados.
  • 135.
  • 136. Imagem
  • 137. FRASE 49 FATORES QUE FAVORECERAM O DESENVOLVIMENTO DOS TIGRES ASIÁTICOS: Além de um sério planejamento econômico, outros fatores favoreceram o desenvolvimento destes países. Alguns fatores muito importantes: Investimento de capital estrangeiro, principalmente norte-americano e japonês, que via nesses países uma localização estratégica para fortalecer o capitalismo contra o socialismo, na época da Guerra Fria; Exploração da força de trabalho, relativamente barata, que compensava a falta de matérias-primas - as férias são muito reduzidas, a jornada de trabalho elevada e a previdência social restrita; Distribuição mais equilibrada de renda em relação a outros países capitalistas; - Estados altamente centralizados e ditatoriais; - Economias voltadas fundamentalmente para o mercado externo; Ética confucionista - estabelece um modelo socioeconômico que enfatiza o equilíbrio social, a consciência de grupo, a hierarquia, a disciplina e o nacionalismo. As grandes empresas são vistas como grandes famílias, viabilizando, muitas vezes, a ordem e a maior produtividade, o crescimento econômico dos Tigres Asiáticos alicerçou-se na associação entre as empresa privadas e o governo, que garantiu proteção às empresas nacionais por meio de barreiras alfandegárias e criou mecanismos legais de incentivo à exportação e investimentos estrangeiros. Nos países dos Tigres Asiáticos foram criadas as Zonas de Processamento de Exportação (ZPEs), com isenção de impostos e terrenos cedidos pelo estado. Num segundo momento o crescimento das ZPEs foi apoiado pelas próprias empresas?
  • 138. COMENTÁRIO Um dos fatores que favorecem o desenvolvimento dos tigres Asiáticos é o planejamento econômico, mas não só o fator econômico, um outro fator muito importante é o investimento do capital estrangeiro sendo ele norte americano e japonês , que nesses países havia uma localização estratégica, fortalecendo o capitalismo contra o socialismo na época da Guerra Fria. A exploração do trabalho relativamente barata , que compensava a falta de matérias primas, as férias eram muito reduzidas, a jornada de trabalho era muito elevada e a previdência social totalmente restrita, quase não existindo. A distribuição de renda em comparação com outros países capitalistas eram totalmente equilibrada. As economias eram voltadas para o mercado externo, que estabelecia um modelo socioeconômica que enfatizava o equilíbrio social, a hierarquia, a disciplina e o nacionalismo. As grandes empresas eram conhecidas como grandes famílias , viabilizando, muitas vezes, a ordem e a maior produtividade, o crescimento econômico dos Tigres Asiáticos alicerçou-se na associação entre as empresa privadas e o governo, que garantia proteção as empresas nacionais por meio de barreiras alfandegárias. Nos países conhecidos como tigres Asiáticos foram criadas as Zonas de Processamento de Exportação (ZPES), com isenção de impostos e terrenos cedidos pelo estado.
  • 139.  
  • 140. FRASE 50 A crise asiática foi disparada por um processo de fuga de capital e deflação de ativos financeiros em certo conjunto de economias da