Visões do mundo

380 visualizações

Publicada em

Adaptado de apresentação de slideshare, para complemento de trabalho acadêmico

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
380
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
62
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Visões do mundo

  1. 1. A Cartografia Brasileira é baseada nos padrões europeus de Cartografia marítima, nos quais a Estrela Polar determina o "Norte". Antes da navegação marítima, o ponto de referência era o Sol, e os mapas apontavam para o oriente. Até hoje, usamos termos como "orientar-se" e "desnorteado". Em um mapa verdadeiramente brasileiro, o ponto de referência seria o Cruzeiro do Sul e não a estrela polar, o Brasil seguramente estaria no centro, e os europeus achariam que estavam sendo representados "de cabeça para baixo". A imagem apresenta o primeiro mapa sob a ótica brasileira, em uma projeção chamada de equidistante, que mede as distâncias de todos os países vizinhos.
  2. 2. A POLÊMICA SOBRE O SÍMBOLO DA ONU 1. Qual o tipo de projeção utilizado no símbolo da ONU? 2. Que tipo de distorção ocorre nessa projeção?
  3. 3.  Observando o símbolo da ONU vemos que é uma projeção azimutal, cujo centro escolhido foi um ponto no Polo Norte, um local neutro e que permite a visualização de todos os contingentes.  O resultado era um questionamento quanto a neutralidade do símbolo, que destaca próximo ao centro os países: EUA, Reino Unido, França, Rússia e a China. Exatamente os membros o conselho da ONU que são representados com maior exatidão e destaque.  Já os países “periféricos” são representados exatamente nas áreas mais periféricas da projeção , sofrendo maior distorção.
  4. 4.  Ficando a pergunta, sem resposta, o símbolo realmente foi feito para representar a união entre as nações ou para reproduz a hierarquia de poder na ONU e a “divisão internacional do trabalho”. Onde o Norte (países centrais) desenvolvido ditam as “regras” e os países do “Sul”(Periféricos) acatam.
  5. 5. PARA CONCLUIR....  Podemos concluir que não há uma forma certa ou errada de representar o mundo, mas cada uma delas expressa um ponto de vista de um país ou de um povo.  A cartografia expressa, em cada um de seus produtos, um ponto de vista sobre o mundo, uma versão da realidade.
  6. 6. NOÇÕES BÁSICAS Profa. Renata M. Rodrigues email: rena7hynh@hotmail.com geo-educacao.blogspot.com.br

×