INDÚSTRIA
CONCENTRAÇÃO DE CAPITAL <ul><li>MONOPÓLIO - (do grego monos, um + polein, vender) é como se denomina uma situação de conco...
CONCENTRAÇÃO DE CAPITAL <ul><li>TRUSTES – fusão de várias empresas (geralmente com atividades próximas) sobre o controle d...
MULTINACIONAIS  ou  TRANSNACIONAIS <ul><li>Após os anos 50, na busca de novos mercados consumidores e acesso barato/estrat...
MULTINACIONAIS <ul><li>Uma filial quando se instala no país tem como objetivo conquistar o mercado consumidor, em geral, p...
TIPOS DE INDÚSTRIAS <ul><li>INDÚSTRIAS EXTRATIVAS  - extração de recursos naturais (mineral, vegetal e animal) </li></ul><...
TIPOS DE INDÚSTRIAS <ul><li>QUANTIDADE DE MATÉRIA-PRIMA OU ENERGIA UTILIZADA: indústrias leves ou indústrias pesadas. </li...
FATORES LOCACIONAIS <ul><li>Uma indústria não se instala aleatóriamente, ela procura incentivos ou benefícios para se inst...
FATORES LOCACIONAIS <ul><li>Na primeira revolução industrial as indústrias ficavam perto da matéria-prima; </li></ul><ul><...
INDÚSTRIA NO BRASIL <ul><li>No período colonial era proibido existir manufaturas; </li></ul><ul><li>Com a independência ho...
INDÚSTRIA NO BRASIL <ul><li>Com a era Getúlio Vargas (1930 a 45 e de 51 a 54) a industrialização se intensifica o nacional...
ATUAL INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA <ul><li>A partir dos anos 90, Collor de Melo inicia a abertura de mercado, atraindo indú...
ATUAL INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA <ul><li>Verifica-se uma desconcentração industrial, com indústrias saindo do Sudeste, em...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

01 industria

1.347 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.347
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

01 industria

  1. 1. INDÚSTRIA
  2. 2. CONCENTRAÇÃO DE CAPITAL <ul><li>MONOPÓLIO - (do grego monos, um + polein, vender) é como se denomina uma situação de concorrência imperfeita, em que uma empresa detém o mercado de um determinado produto ou serviço, impondo preços aos que comercializam. </li></ul><ul><li>OLIGOPÓLIO (do grego oligos, poucos +- polens, vender) é uma forma evoluída de monopólio, no qual um grupo de empresas promove o domínio de determinada oferta de produtos e/ou serviços. </li></ul>
  3. 3. CONCENTRAÇÃO DE CAPITAL <ul><li>TRUSTES – fusão de várias empresas (geralmente com atividades próximas) sobre o controle de um dono ou grupo acionista. (verticais e horizontais) </li></ul><ul><li>CARTÉIS – associação entre empresas de um mesmo setor que se unem para regular o preço do produto ou dividir mercado consumidor. EX: OPEP, cimento Brasil e aço EUA. </li></ul><ul><li>HOLDINGS – uma empresa possui outras empresas (geralmente em varias atividades) e mantem uma administração central. EX: Itaúsa </li></ul><ul><li>POLL – Várias empresas (mesmo setor) mantém serviços comuns a todos. EX. assistência técnica </li></ul>
  4. 4. MULTINACIONAIS ou TRANSNACIONAIS <ul><li>Após os anos 50, na busca de novos mercados consumidores e acesso barato/estratégico de matérias-primas, as empresas dos países desenvolvidos passaram a investir nos países subdesenvolvidos. </li></ul><ul><li>Para se instalar nos países estas empresas receberam muitos incentivos, como doação de terrenos, exclusão ou baixos impostos, infraestrutura cedida pelo Estado, financiamentos de bancos estatais, ou juros baixos. </li></ul>
  5. 5. MULTINACIONAIS <ul><li>Uma filial quando se instala no país tem como objetivo conquistar o mercado consumidor, em geral, possui mais tecnologia que as empresas nacionais, o que dificulta a concorrência. Dependendo da situação, ela pode controlar o mercado. </li></ul><ul><li>Todo o investimento na filial será cobrada pela matriz. Isto quer dizer que na eventualidade de empréstimos, cabe a filial pagá-la. </li></ul><ul><li>O uso de marcas e tecnologias também incide no pagamento de royaties e patentes que irão diretamente para a matriz. </li></ul><ul><li>O lucro também irá para matriz. </li></ul><ul><li>Isto quer dizer que consideravel capital vai em direção a matriz, ou países desenvolvidos, ficando apenas a geração de empregos e impostos para o país receptor </li></ul>
  6. 6. TIPOS DE INDÚSTRIAS <ul><li>INDÚSTRIAS EXTRATIVAS - extração de recursos naturais (mineral, vegetal e animal) </li></ul><ul><li>INDÚSTRIAS TRANSFORMAÇÃO: </li></ul><ul><li>De base ou bens de transformação – produzem matéria-prima para outras indústrias. Ex: Siderurgia, metalurgia. </li></ul><ul><li>De bens de capital – fabricam máquinas e equipamentos para outras indústrias </li></ul><ul><li>De bens de consumo – mercadorias que abastecem diretamente o mercado consumidor. Podem ser duráveis (veículos, eletrônicos, eletrodomésticos, etc.) e não-duráveis (alimentos, vestuários, calçados, etc). </li></ul><ul><li>INDÚSTRIAS DE PONTA – montagem final de peças de outras indústrias. Principalmente ramo eletrônico. </li></ul>
  7. 7. TIPOS DE INDÚSTRIAS <ul><li>QUANTIDADE DE MATÉRIA-PRIMA OU ENERGIA UTILIZADA: indústrias leves ou indústrias pesadas. </li></ul><ul><li>QUANTO A TECNOLOGIA: indústrias tradicionais ou dinâmicas (tecnológicas) </li></ul><ul><li>TECNOLOGIAS: algumas indústrias possuem tecnologias clássicas, isto é, o conhecimento já está difundido a muito tempo pelo mundo. Outras possui tecnologias de ponta (atual), isto é, novos métodos, ferramentas e produtos que poucos países tem acesso. </li></ul>
  8. 8. FATORES LOCACIONAIS <ul><li>Uma indústria não se instala aleatóriamente, ela procura incentivos ou benefícios para se instalar num país ou região. Entre eles podemos citar: </li></ul><ul><li>Proximidade de matéria-prima, ou local que apresenta farta matéria-prima estratégica para empresa; </li></ul><ul><li>Mão-de-obra abundante e barata; </li></ul><ul><li>Disponibilidade de energia para produção; </li></ul><ul><li>Mercado consumidor para o produto; </li></ul><ul><li>Infraestrutura – portos, rodovias, ferrovias, hidrovias, telecomunicações. </li></ul><ul><li>Incentivos fiscais – principal elemento que determina a instalação de indústria. Sem ela dificilmente se concretiza a instalação. </li></ul>
  9. 9. FATORES LOCACIONAIS <ul><li>Na primeira revolução industrial as indústrias ficavam perto da matéria-prima; </li></ul><ul><li>Na segunda revolução, com o surgimento da energia elétrica e do aprimoramento dos meios de transportes, as indústrias tiveram mais liberdade de instalação, originando metrópoles urbano-industriais; </li></ul><ul><li>Na terceira revolução existe uma tendência de criação de tecnolopos (capital e conhecimento) com empresas próximas das universidades. Também é verificado uma desconcetração industrial na busca de custos de produção mais baratos. Ex: Manufactoring Belt, Sudeste do Brasil. </li></ul>
  10. 10. INDÚSTRIA NO BRASIL <ul><li>No período colonial era proibido existir manufaturas; </li></ul><ul><li>Com a independência houve um pequeno incentivo as manufaturas. Contudo, somente no II reinado, com grupos estrangeiros e alguns “aventureiros” brasileiros, como o Visconde de Mauá que teremos os primeiros passos da industrialização; </li></ul><ul><li>Com o acúmulo de capital (principalmente do café) e a I e II Guerras Mundiais, o Brasil inicia seu salto industrial. </li></ul>
  11. 11. INDÚSTRIA NO BRASIL <ul><li>Com a era Getúlio Vargas (1930 a 45 e de 51 a 54) a industrialização se intensifica o nacionalismo com a introdução de diversas estatais (Vale do Rio Doce, Petrobrás). </li></ul><ul><li>Juscelino Kubitschek (1956 a 1961) abriu o país para empresas estrangeiras, atraindo capital internacional. Ex: Volkswagem. </li></ul><ul><li>Em 1964 inicia-se o governo militar que criará diversas estatais, algumas estratégicas (Embraer) e incentivará diversos investimentos estrangeiros (infraestrutura, base, transformação, agroindústria, etc.) Contudo, nos anos 80 (anos perdidos) o Brasil experimentará a estagnação e a inflação, além do endividamento externo. </li></ul>
  12. 12. ATUAL INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA <ul><li>A partir dos anos 90, Collor de Melo inicia a abertura de mercado, atraindo indústrias e capital estrangeiro. </li></ul><ul><li>Com a estabilização monetária, o Brasil vive anos de incremento no consumo e melhorias salariais, incentivando a indústria. </li></ul><ul><li>A competição com a China e outros países, principalmente asiáticos, além do Mercosul são elementos importantes na atual conjuntura brasileira. </li></ul>
  13. 13. ATUAL INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA <ul><li>Verifica-se uma desconcentração industrial, com indústrias saindo do Sudeste, em especial São Paulo, se dirigindo para outras regiões como Nordeste e Centro-Oeste e até mesmo interior do estado de São Paulo. </li></ul><ul><li>A motivação é a redução de custos já que os estados e municípios costumam oferecer incentivos fiscais ou mão-de-obra barata e pouco sindicalizada. </li></ul><ul><li>Apesar disso, o Estado de São Paulo ainda é a referência industrial do Brasil </li></ul>

×