SlideShare uma empresa Scribd logo
REPÚDIO AO PIQUETE EM SÂO LAZÀRO

Na última semana, estudantes de São Lazáro em greve realizaram um piquete nos
pavilhões de aula no sentido de inviabilizar a retomada das aulas e garantir a vontade da
maioria. Contudo, nosso curso não havia desenvolvido debate sobre a situação de greve
e nem participamos do Fórum de São Lazáro que deliberou sobre o tema. Por este
motivo, nós da coordenação de greve dos estudantes de Filosofia, entendemos o piquete
como uma forma de radicalização insuficiente e que foi feito precipitadamente sem um
debate amplo (entre docentes e estudantes) sobre a atual conjuntura da UFBA e de
outras instituições federais. É necessário relembrar a votação apertada do curso em
relação à greve: 28 a favor, 20 contra, 8 abstenções e 2 a favor de uma greve num
momento posterior. Portanto, acreditamos na necessidade de construir um clima de
conscientização e reflexão dialética a partir da base. A força não pode ser utilizada para
convencer, mesmo que a causa seja justa. Apostamos em discussões capazes de
construir e dialogar com toda a comunidade acadêmica.



PORQUE GREVE AGORA?
Estamos vivendo um momento em que ecoam por todos os cantos do brasil o desejo de
que a educação seja levada a sério. Hoje, já temos cinquenta e uma universidades em
greve. A conjuntura de paralisação presente nos três setores da UFBA é reflexo dessa
mobilização nacional por uma educação de qualidade e sem precarização. Precarização
da qual falamos é reflexo da desorganizada expansão das IFES perpetrada pelo REUNI,
que inchou desmesuradamente as universidades federais sem criar as condições de
permanência nem as condições de qualidade de ensino. O diagnóstico dessa primeira
fase da “Universidade Nova” evidencia que a qualidade do ensino acadêmico já desabou
pela hiperexploração dos professores e pela falta de estrutura física e acadêmica para o
ensino que resultam no sucateamento da Universidade Federal . A máxima do
sucateamento que vemos hoje no ensino superior reflete a mesma máxima da
universalização desmedida do ensino secundarista da década de 70 e caminha para o
mesmo nível de precarização.


PORQUE FILOSOFIA DEVE APOIAR A GREVE GERAL?
Nós, do curso de filosofia, talvez vivamos numa situação um pouco mais confortável do
que outros cursos da UFBA. Muito disso ocorre porque em nossa área não necessitamos
de muitos aparatos, nossa matéria-prima são os conhecimentos bibliográficos,
principalmente os canônicos. Contudo, as condições de uma universidade sucateada são
capazes de dificultar a vida até dos mais minimalistas. Portanto eu peço que olhem um
instante para seu entorno e respondam se não vale a pena lutar por uma biblioteca com
livros e livre acesso, se não vale a pena lutar por um ônibus para que você possa sair de
São Lazáro e chegar na FACED gratuitamente e sem desgaste físico, por uma xerox que
não o prendam em filas quilométricas, enfim, por condições dignas de vivenciar a
universidade pública. Além disso, nós , que centramos nossas atividades no
aprimoramento da razão humana, que vivenciamos cotidianamente a realidade da
educação no nosso país tanto secundarista como universitária, devemos avaliar porque
poucos tem acesso a educação de qualidade. Enquanto professores, que já somos ou
seremos com certeza, não podemos nos abster de lutar por uma educação aprimorada,
por condições dignas de trabalho e pela construção de um ensino universal, público,
gratuito e de qualidade.


A GREVE ESTUDANTIL É INDEPENDENTE DA GREVE DOS PROFESSORES.

Apesar da conjuntura nacional pedir uma greve geral na educação e uma união entre
professores, alunos e servidores evitando assim um sucateamento ainda maior da
educação pública, tendo em vista os problemas criados pelo REUNI e os possíveis
problemas com a aprovação do PNE/2011-2020, os estudantes mantêm a sua
independência com pautas próprias e assembleias independentes. A luta por ponto de
distribuição do R.U. em outros campus , o “BUZUFBA”, ampliação do serviço de
Xerox, livre acesso ao acervo da biblioteca de S.L., dentre outras demandas, servem
para exemplificar que a entrada dos estudantes na greve não é fruto de uma ação
desmedida ou a reboque do movimento grevista dos docentes e sim por perceber que o
momento é propício para pressionar pela solução de uma problemática local. Contudo
as pautas locais não estão deslocadas do macro, portanto fazer a conexão do problema
local com o geral nos livra da luta reducionista. O problema a ser combatido vai além
das nossas necessidades imediatas. Estas, são apenas resultados de uma politica para a
educação pública, que com o discurso falacioso de universalizante, mascara o
verdadeiro interesse de transformar a educação em mais uma mercadoria, mercadoria
esta que terá como objetivo principal a formação tecnicista, ou seja, profissionais
baratos e limitados a apenas saber executar. Lutar por universalização do ensino sim,
mas com qualidade. Por fim é importante reafirmar que isso não cerceia o apoio à luta
dos docentes, pelo contrário, tal apoio torna-se ainda mais relevante, por estes combater
a precarização do ensino. Mas isso tem muito mais sentido se tratando de filosofia, pois
a luta contra a precarização do trabalho docente reflete na luta por melhores condições
do trabalho a porvir.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Volume negociados fundos imobiliários outubro 2014
Volume negociados fundos imobiliários outubro 2014Volume negociados fundos imobiliários outubro 2014
Volume negociados fundos imobiliários outubro 2014
claudiusinhos
 
Solicita ao exmº srº prefeito municipal, estudos com o objetivo de alterar a ...
Solicita ao exmº srº prefeito municipal, estudos com o objetivo de alterar a ...Solicita ao exmº srº prefeito municipal, estudos com o objetivo de alterar a ...
Solicita ao exmº srº prefeito municipal, estudos com o objetivo de alterar a ...
drtaylorjr
 
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando i...
2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando i...2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando i...
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando i...
drtaylorjr
 
25 - LANTERNA DOS AFOGADOS
25 - LANTERNA DOS AFOGADOS25 - LANTERNA DOS AFOGADOS
25 - LANTERNA DOS AFOGADOS
JeffDaSilvaPeres
 
Analisa depois pps ok
Analisa depois pps okAnalisa depois pps ok
Analisa depois pps ok
flaviafisio7
 
Vila nova da barquinha
Vila nova da barquinhaVila nova da barquinha
Vila nova da barquinha
Sofia Cabral
 
Horario sp licenciatura iv cohorte tramo vii
Horario sp licenciatura iv cohorte tramo viiHorario sp licenciatura iv cohorte tramo vii
Horario sp licenciatura iv cohorte tramo vii
jairoj2412
 
Classificação geral pt arte. 2014
Classificação geral pt arte. 2014Classificação geral pt arte. 2014
Classificação geral pt arte. 2014
semecti
 
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando a...
2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando a...2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando a...
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando a...
drtaylorjr
 
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando o...
2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando o...2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando o...
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando o...
drtaylorjr
 

Destaque (20)

Volume negociados fundos imobiliários outubro 2014
Volume negociados fundos imobiliários outubro 2014Volume negociados fundos imobiliários outubro 2014
Volume negociados fundos imobiliários outubro 2014
 
3.4
3.43.4
3.4
 
Jhonnier electrotecnia
Jhonnier electrotecniaJhonnier electrotecnia
Jhonnier electrotecnia
 
Solicita ao exmº srº prefeito municipal, estudos com o objetivo de alterar a ...
Solicita ao exmº srº prefeito municipal, estudos com o objetivo de alterar a ...Solicita ao exmº srº prefeito municipal, estudos com o objetivo de alterar a ...
Solicita ao exmº srº prefeito municipal, estudos com o objetivo de alterar a ...
 
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando i...
2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando i...2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando i...
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando i...
 
EALA
EALAEALA
EALA
 
25 - LANTERNA DOS AFOGADOS
25 - LANTERNA DOS AFOGADOS25 - LANTERNA DOS AFOGADOS
25 - LANTERNA DOS AFOGADOS
 
Analisa depois pps ok
Analisa depois pps okAnalisa depois pps ok
Analisa depois pps ok
 
Vila nova da barquinha
Vila nova da barquinhaVila nova da barquinha
Vila nova da barquinha
 
Horario sp licenciatura iv cohorte tramo vii
Horario sp licenciatura iv cohorte tramo viiHorario sp licenciatura iv cohorte tramo vii
Horario sp licenciatura iv cohorte tramo vii
 
La web 2 taller
La web 2 tallerLa web 2 taller
La web 2 taller
 
Classificação geral pt arte. 2014
Classificação geral pt arte. 2014Classificação geral pt arte. 2014
Classificação geral pt arte. 2014
 
Receita 305
Receita 305Receita 305
Receita 305
 
Evaluar portafolio-electronico
Evaluar portafolio-electronicoEvaluar portafolio-electronico
Evaluar portafolio-electronico
 
Saúde apresenta ações para ampliar doação de sangue
Saúde apresenta ações para ampliar doação de sangueSaúde apresenta ações para ampliar doação de sangue
Saúde apresenta ações para ampliar doação de sangue
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando a...
2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando a...2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando a...
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando a...
 
Seminario
SeminarioSeminario
Seminario
 
Emoções e Segredos dentro do Silêncio
Emoções e Segredos dentro do SilêncioEmoções e Segredos dentro do Silêncio
Emoções e Segredos dentro do Silêncio
 
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando o...
2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando o...2011   requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando o...
2011 requer envio de expediente ao exmo sr prefeito municipal solicitando o...
 

Semelhante a Boletim 1

Universidade publica em tempos de expansao (2) (1)
Universidade publica em tempos de expansao (2) (1)Universidade publica em tempos de expansao (2) (1)
Universidade publica em tempos de expansao (2) (1)
Joviana Vedana da Rosa
 
Currículo escolar em debate
Currículo escolar em debateCurrículo escolar em debate
Currículo escolar em debate
Fatima Costa
 
A necessidade da ic para alunos de inst particulares
A necessidade da ic para alunos de inst particularesA necessidade da ic para alunos de inst particulares
A necessidade da ic para alunos de inst particulares
gisa_legal
 
Unidade 8 ciclos de aprendizagem (1)
Unidade 8   ciclos de aprendizagem (1)Unidade 8   ciclos de aprendizagem (1)
Unidade 8 ciclos de aprendizagem (1)
Naysa Taboada
 
43577454 apostila-usp-literatura-modulo-03
43577454 apostila-usp-literatura-modulo-0343577454 apostila-usp-literatura-modulo-03
43577454 apostila-usp-literatura-modulo-03
Lilly Li
 

Semelhante a Boletim 1 (20)

Terp opinião ufrgs set 2013
Terp opinião ufrgs set 2013Terp opinião ufrgs set 2013
Terp opinião ufrgs set 2013
 
Carta aos discentes
Carta aos discentesCarta aos discentes
Carta aos discentes
 
Universidade publica em tempos de expansao (2) (1)
Universidade publica em tempos de expansao (2) (1)Universidade publica em tempos de expansao (2) (1)
Universidade publica em tempos de expansao (2) (1)
 
Balanço da ocupação da reitoria da ufrgs
Balanço da ocupação da reitoria da ufrgsBalanço da ocupação da reitoria da ufrgs
Balanço da ocupação da reitoria da ufrgs
 
Currículo escolar em debate
Currículo escolar em debateCurrículo escolar em debate
Currículo escolar em debate
 
A necessidade da ic para alunos de inst particulares
A necessidade da ic para alunos de inst particularesA necessidade da ic para alunos de inst particulares
A necessidade da ic para alunos de inst particulares
 
Novos tempos -_carta_online
Novos tempos -_carta_onlineNovos tempos -_carta_online
Novos tempos -_carta_online
 
Programa da chapa cadm 2012
Programa da chapa cadm 2012Programa da chapa cadm 2012
Programa da chapa cadm 2012
 
Programa da chapa cadm 2012
Programa da chapa cadm 2012Programa da chapa cadm 2012
Programa da chapa cadm 2012
 
Artigo sobre evasão
Artigo sobre evasãoArtigo sobre evasão
Artigo sobre evasão
 
Unidade 8 ciclos de aprendizagem (1)
Unidade 8   ciclos de aprendizagem (1)Unidade 8   ciclos de aprendizagem (1)
Unidade 8 ciclos de aprendizagem (1)
 
Cadernos-PIBID.pdf filosofia cadernos filosoficos
Cadernos-PIBID.pdf filosofia cadernos filosoficosCadernos-PIBID.pdf filosofia cadernos filosoficos
Cadernos-PIBID.pdf filosofia cadernos filosoficos
 
43577454 apostila-usp-literatura-modulo-03
43577454 apostila-usp-literatura-modulo-0343577454 apostila-usp-literatura-modulo-03
43577454 apostila-usp-literatura-modulo-03
 
A prática educativa em ciclos e os desafios do mais educação resumido
A prática educativa em ciclos e os desafios do mais educação resumidoA prática educativa em ciclos e os desafios do mais educação resumido
A prática educativa em ciclos e os desafios do mais educação resumido
 
a iportancia da pedagogia Elenilda
a iportancia da pedagogia Elenildaa iportancia da pedagogia Elenilda
a iportancia da pedagogia Elenilda
 
Entrevista a sampaio da nóvoa 1
Entrevista a sampaio da nóvoa 1Entrevista a sampaio da nóvoa 1
Entrevista a sampaio da nóvoa 1
 
Boletim Regional - APEOESP - Vale do Ribeira - 03 - Outubro/2013
Boletim Regional - APEOESP - Vale do Ribeira - 03 - Outubro/2013Boletim Regional - APEOESP - Vale do Ribeira - 03 - Outubro/2013
Boletim Regional - APEOESP - Vale do Ribeira - 03 - Outubro/2013
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
Artigo olivia CONEDU
Artigo olivia CONEDUArtigo olivia CONEDU
Artigo olivia CONEDU
 
Carta à apur (DALA)
Carta à apur (DALA)Carta à apur (DALA)
Carta à apur (DALA)
 

Boletim 1

  • 1. REPÚDIO AO PIQUETE EM SÂO LAZÀRO Na última semana, estudantes de São Lazáro em greve realizaram um piquete nos pavilhões de aula no sentido de inviabilizar a retomada das aulas e garantir a vontade da maioria. Contudo, nosso curso não havia desenvolvido debate sobre a situação de greve e nem participamos do Fórum de São Lazáro que deliberou sobre o tema. Por este motivo, nós da coordenação de greve dos estudantes de Filosofia, entendemos o piquete como uma forma de radicalização insuficiente e que foi feito precipitadamente sem um debate amplo (entre docentes e estudantes) sobre a atual conjuntura da UFBA e de outras instituições federais. É necessário relembrar a votação apertada do curso em relação à greve: 28 a favor, 20 contra, 8 abstenções e 2 a favor de uma greve num momento posterior. Portanto, acreditamos na necessidade de construir um clima de conscientização e reflexão dialética a partir da base. A força não pode ser utilizada para convencer, mesmo que a causa seja justa. Apostamos em discussões capazes de construir e dialogar com toda a comunidade acadêmica. PORQUE GREVE AGORA? Estamos vivendo um momento em que ecoam por todos os cantos do brasil o desejo de que a educação seja levada a sério. Hoje, já temos cinquenta e uma universidades em greve. A conjuntura de paralisação presente nos três setores da UFBA é reflexo dessa mobilização nacional por uma educação de qualidade e sem precarização. Precarização da qual falamos é reflexo da desorganizada expansão das IFES perpetrada pelo REUNI, que inchou desmesuradamente as universidades federais sem criar as condições de permanência nem as condições de qualidade de ensino. O diagnóstico dessa primeira fase da “Universidade Nova” evidencia que a qualidade do ensino acadêmico já desabou pela hiperexploração dos professores e pela falta de estrutura física e acadêmica para o ensino que resultam no sucateamento da Universidade Federal . A máxima do sucateamento que vemos hoje no ensino superior reflete a mesma máxima da universalização desmedida do ensino secundarista da década de 70 e caminha para o mesmo nível de precarização. PORQUE FILOSOFIA DEVE APOIAR A GREVE GERAL? Nós, do curso de filosofia, talvez vivamos numa situação um pouco mais confortável do que outros cursos da UFBA. Muito disso ocorre porque em nossa área não necessitamos de muitos aparatos, nossa matéria-prima são os conhecimentos bibliográficos, principalmente os canônicos. Contudo, as condições de uma universidade sucateada são capazes de dificultar a vida até dos mais minimalistas. Portanto eu peço que olhem um instante para seu entorno e respondam se não vale a pena lutar por uma biblioteca com livros e livre acesso, se não vale a pena lutar por um ônibus para que você possa sair de São Lazáro e chegar na FACED gratuitamente e sem desgaste físico, por uma xerox que
  • 2. não o prendam em filas quilométricas, enfim, por condições dignas de vivenciar a universidade pública. Além disso, nós , que centramos nossas atividades no aprimoramento da razão humana, que vivenciamos cotidianamente a realidade da educação no nosso país tanto secundarista como universitária, devemos avaliar porque poucos tem acesso a educação de qualidade. Enquanto professores, que já somos ou seremos com certeza, não podemos nos abster de lutar por uma educação aprimorada, por condições dignas de trabalho e pela construção de um ensino universal, público, gratuito e de qualidade. A GREVE ESTUDANTIL É INDEPENDENTE DA GREVE DOS PROFESSORES. Apesar da conjuntura nacional pedir uma greve geral na educação e uma união entre professores, alunos e servidores evitando assim um sucateamento ainda maior da educação pública, tendo em vista os problemas criados pelo REUNI e os possíveis problemas com a aprovação do PNE/2011-2020, os estudantes mantêm a sua independência com pautas próprias e assembleias independentes. A luta por ponto de distribuição do R.U. em outros campus , o “BUZUFBA”, ampliação do serviço de Xerox, livre acesso ao acervo da biblioteca de S.L., dentre outras demandas, servem para exemplificar que a entrada dos estudantes na greve não é fruto de uma ação desmedida ou a reboque do movimento grevista dos docentes e sim por perceber que o momento é propício para pressionar pela solução de uma problemática local. Contudo as pautas locais não estão deslocadas do macro, portanto fazer a conexão do problema local com o geral nos livra da luta reducionista. O problema a ser combatido vai além das nossas necessidades imediatas. Estas, são apenas resultados de uma politica para a educação pública, que com o discurso falacioso de universalizante, mascara o verdadeiro interesse de transformar a educação em mais uma mercadoria, mercadoria esta que terá como objetivo principal a formação tecnicista, ou seja, profissionais baratos e limitados a apenas saber executar. Lutar por universalização do ensino sim, mas com qualidade. Por fim é importante reafirmar que isso não cerceia o apoio à luta dos docentes, pelo contrário, tal apoio torna-se ainda mais relevante, por estes combater a precarização do ensino. Mas isso tem muito mais sentido se tratando de filosofia, pois a luta contra a precarização do trabalho docente reflete na luta por melhores condições do trabalho a porvir.