<ul><li>Mobilidade Urbana MOBILIDADE DE PEDESTRES E ACESSIBILIDADE </li></ul><ul><li>Vereador  CHICO MACENA </li></ul>
VIAGENS  NA  REGIÃO  METROPOLITANA DE  SÃO  PAULO Fonte: Pesquisa OD - 1997 Transporte coletivo Transporte individual A pé...
Fonte: Pesquisa OD Metrô - 1997 EVOLUÇÃO  DA  PARTICIPAÇÃO  DOS  MODOS  DE  TRANSPORTE REGIÃO  METROPOLITANA  DE  SÃO  PAU...
REDES  DE  METRÔ  NO  MUNDO Fonte: Metrô SEUL (Coréia)   população:  13,5 milhões   rede:  223 km   início da operação:  1...
TAXA  DE  MOTORIZAÇÃO 2 hab. 1 veic.
QUEM  SOMOS ? Fonte: Pesquisa OD Metrô - 1997 Faixa Etária Viagens  a Pé % 0-5 281004 4,61% 6-10 944482 15,49% 11-14 10117...
QUEM  SOMOS ? Fonte: Pesquisa OD Metrô - 1997 Grau de Instrução Viagens  % Não-alfabetizado 167892 2,75% Pré-escola 376907...
MOTIVO  DAS  VIAGENS  A  PÉ Fonte: Pesquisa OD Metrô - 1997 POR  QUE  A  PÉ Por que a pé? Viagens % Condução Cara 124098 2...
TRÁFEGO  MOTORIZADO  X   PEDESTRES Fonte: CET - 1 atropelamento a cada 45 minutos; - 1 pedestre ferido a cada 35 minutos; ...
ACIDENTES  DE  TRÂNSITO TODOS FATAIS Fonte: CET 14% 7% 79% acidentes  com  vítimas atropelamentos acidentes  sem  vítimas ...
MORTES  NO  TRÂNSITO Fonte: CET O número de atropelamentos tem diminuído mesmo com o crescimento da população e da frota v...
PEDESTRE  -  O Grande Esquecido
Calçadas Reduzidas
Ocupação desordenada do espaço do pedestre
Ocupação desordenada do espaço do pedestre
Travessias não atendem os locais de desejo de travessia -  desobediência
CAMINHAR  -  Modo de Transporte a Pé
Ser Pedestre não requer prática e nem habilidade
Interação Pedestre e Meio Ambiente  -  Estímulos Visuais
Interação Pedestre e Meio Ambiente  -  Estímulos Sonoros
Interação Pedestre e Meio Ambiente  -  Estímulos Cinéticos
Interação Pedestre e Meio Ambiente  -  Estímulos Circunstanciais
Sempre o caminho mais curto e o mais rápido
Condições meteorológicas
Segurança pessoal
Uso do Solo
Características do modo de transporte a pé
Velocidade do Pedestre 0,8  a  1,0 m/s  crianças / idosos 1,2 m/s  pedestre normal / adulto
ZONAS DE CIRCULAÇÃO EM  AGLOMERAÇÕES Largura Mínima de Calçada  =  2,00 m Área disponível por pedestre - 1,21 m 2
Níveis de Serviço da circulação a pé  -  Nível “A”
Níveis de Serviço da circulação a pé  -  Nível “B”
Níveis de Serviço da circulação a pé  -  Nível “C”
Níveis de Serviço da circulação a pé  -  Nível “D”
Níveis de Serviço da circulação a pé  -  Nível “E”
Níveis de Serviço da circulação a pé
DESENVOLVENDO POLÍTICA PARA O MODO DE TRANSPORTE A PÉ
Modo de transporte a pé em igualdade de condições aos demais
ESPAÇOS EXCLUSIVOS PARA PEDESTRES
Calçadões
Mobiliário Urbano  -  Escolha e Localização
Travessia
Pontos de Informação
Paisagismo
ESPAÇOS DE CIRCULAÇÃO DE PEDESTRES  -  CALÇADAS
Calçadas :  mínimo  “C”  -   33 a 49 ped/min/m
Largura Total e Largura Útil
Declividade Transversal  2%
Cálculo do Nível de Serviço  -  “C”
Superfície da calçada
Superfície da calçada
Superfície da calçada
TRATAMENTO DE TRAVESSIAS  -  EM NÍVEL E DESNÍVEL
TRAVESSIAS EM NÍVEL
Travessias Concentradas
Travessias Dispersas
Linha de Desejo de Travessia -  continuidade do percurso
Faixa de Travessia de Pedestres  -  utilização e cuidados
Faixa de Travessia de Pedestres  -  utilização e cuidados
Faixa de Travessia de Pedestres  -  utilização e cuidados
Iluminação de Faixas
TRAVESSIAS  EM  DESNÍVEL - Passarelas - Passagens Subterrâneas
Passarela
Quando deve ser utilizada
Passagem Subterrânea
Características de Projeto
Características de Projeto
TRATAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE PEDESTRES COM RESTRIÇÃO DE MOBILIDADE
Quem são:  portadores de deficiência física, idosos, pessoas com carrinho
Quem são:  portadores de deficiência física, idosos, pessoas com carrinho
Superfície das calçadas
Rebaixamento de guias
Rebaixamento de guias
Tratamento lateral de calçadas
MOBILIÁRIO  URBANO  E SINALIZAÇÃO
Orelhões, caixas de correio
Canteiros / Paisagismo
Ambulantes nas Faixas
Organização da ocupação
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mobilidade De Pedestres E Acessibilidade

2.423 visualizações

Publicada em

Mobilidade De Pedestres E Acessibilidade

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.423
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mobilidade De Pedestres E Acessibilidade

  1. 1. <ul><li>Mobilidade Urbana MOBILIDADE DE PEDESTRES E ACESSIBILIDADE </li></ul><ul><li>Vereador CHICO MACENA </li></ul>
  2. 2. VIAGENS NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Fonte: Pesquisa OD - 1997 Transporte coletivo Transporte individual A pé 10.473 milhões 10.147 milhões 10.812 milhões
  3. 3. Fonte: Pesquisa OD Metrô - 1997 EVOLUÇÃO DA PARTICIPAÇÃO DOS MODOS DE TRANSPORTE REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Transporte individual 32% 39% 45% 49% 1967 1977 1987 1997 Transporte coletivo 68% 61% 55% 51% TOTAL 100% 100% 100% 100% Viagens motorizadas - 75% 64% 66% 1967 1977 1987 1997 Viagens a pé - 25% 36% 34% TOTAL 100% 100% 100% 100%
  4. 4. REDES DE METRÔ NO MUNDO Fonte: Metrô SEUL (Coréia) população: 13,5 milhões rede: 223 km início da operação: 1974 SÃO FRANCISCO (E.U.A) população: 6 milhões rede: 153 km início da operação: 1972 SÃO PAULO (Brasil) população: 10,4 milhões rede: 49,2 km início da operação: 1974
  5. 5. TAXA DE MOTORIZAÇÃO 2 hab. 1 veic.
  6. 6. QUEM SOMOS ? Fonte: Pesquisa OD Metrô - 1997 Faixa Etária Viagens a Pé % 0-5 281004 4,61% 6-10 944482 15,49% 11-14 1011759 16,59% 15-20 1105228 18,13% 21-30 879949 14,43% 31-40 816902 13,40% 41-50 539070 8,84% 51-60 287385 4,71% 61-70 173171 2,84% 71-80 52735 0,86% >80 5269 0,09% 6096954 100,00%
  7. 7. QUEM SOMOS ? Fonte: Pesquisa OD Metrô - 1997 Grau de Instrução Viagens % Não-alfabetizado 167892 2,75% Pré-escola 376907 6,18% 1o. grau incompleto 3453282 56,64% 1o. grau completo 530873 8,71% 2o. grau incompleto 659991 10,82% 2o. grau completo 497739 8,16% Superior incompleto 139896 2,29% Superior completo 270373 4,43% 6096954 100,00% A 119973 1,97% B 1103466 18,10% C 2434095 39,92% D 2050628 33,63% E 388786 6,38% 6096948 100,00% Viagens % Classe Social
  8. 8. MOTIVO DAS VIAGENS A PÉ Fonte: Pesquisa OD Metrô - 1997 POR QUE A PÉ Por que a pé? Viagens % Condução Cara 124098 2,04% Condução Desconfortável 4891 0,08% Ponto/Estação Distante 77823 1,28% Condução Demora a Passar 49493 0,81% Condução Lotada 13446 0,22% Viagem Demorada 6924 0,11% Horário Irregular (da condução) 6518 0,11% Pequena Distância 5553165 91,08% Outros Motivos 260597 4,27% 6096954 100,00% Motivo da Viagem Viagens % Trabalho/Indústria 102502 1,68% Trabalho/Comércio 230829 3,79% Trabalho/Serviços 551244 9,04% Escola/Educação 1732255 28,41% Compras 116430 1,91% Médico/Dentista/Saúde 49496 0,81% Recreação/Visitas 169059 2,77% Residência 2795019 45,84% Outros 350119 5,74% 6096954 100,00%
  9. 9. TRÁFEGO MOTORIZADO X PEDESTRES Fonte: CET - 1 atropelamento a cada 45 minutos; - 1 pedestre ferido a cada 35 minutos; - 1 pedestre morto a cada 12 horas;
  10. 10. ACIDENTES DE TRÂNSITO TODOS FATAIS Fonte: CET 14% 7% 79% acidentes com vítimas atropelamentos acidentes sem vítimas 47% 53%
  11. 11. MORTES NO TRÂNSITO Fonte: CET O número de atropelamentos tem diminuído mesmo com o crescimento da população e da frota veicular.
  12. 12. PEDESTRE - O Grande Esquecido
  13. 13. Calçadas Reduzidas
  14. 14. Ocupação desordenada do espaço do pedestre
  15. 15. Ocupação desordenada do espaço do pedestre
  16. 16. Travessias não atendem os locais de desejo de travessia - desobediência
  17. 17. CAMINHAR - Modo de Transporte a Pé
  18. 18. Ser Pedestre não requer prática e nem habilidade
  19. 19. Interação Pedestre e Meio Ambiente - Estímulos Visuais
  20. 20. Interação Pedestre e Meio Ambiente - Estímulos Sonoros
  21. 21. Interação Pedestre e Meio Ambiente - Estímulos Cinéticos
  22. 22. Interação Pedestre e Meio Ambiente - Estímulos Circunstanciais
  23. 23. Sempre o caminho mais curto e o mais rápido
  24. 24. Condições meteorológicas
  25. 25. Segurança pessoal
  26. 26. Uso do Solo
  27. 27. Características do modo de transporte a pé
  28. 28. Velocidade do Pedestre 0,8 a 1,0 m/s crianças / idosos 1,2 m/s pedestre normal / adulto
  29. 29. ZONAS DE CIRCULAÇÃO EM AGLOMERAÇÕES Largura Mínima de Calçada = 2,00 m Área disponível por pedestre - 1,21 m 2
  30. 30. Níveis de Serviço da circulação a pé - Nível “A”
  31. 31. Níveis de Serviço da circulação a pé - Nível “B”
  32. 32. Níveis de Serviço da circulação a pé - Nível “C”
  33. 33. Níveis de Serviço da circulação a pé - Nível “D”
  34. 34. Níveis de Serviço da circulação a pé - Nível “E”
  35. 35. Níveis de Serviço da circulação a pé
  36. 36. DESENVOLVENDO POLÍTICA PARA O MODO DE TRANSPORTE A PÉ
  37. 37. Modo de transporte a pé em igualdade de condições aos demais
  38. 38. ESPAÇOS EXCLUSIVOS PARA PEDESTRES
  39. 39. Calçadões
  40. 40. Mobiliário Urbano - Escolha e Localização
  41. 41. Travessia
  42. 42. Pontos de Informação
  43. 43. Paisagismo
  44. 44. ESPAÇOS DE CIRCULAÇÃO DE PEDESTRES - CALÇADAS
  45. 45. Calçadas : mínimo “C” - 33 a 49 ped/min/m
  46. 46. Largura Total e Largura Útil
  47. 47. Declividade Transversal 2%
  48. 48. Cálculo do Nível de Serviço - “C”
  49. 49. Superfície da calçada
  50. 50. Superfície da calçada
  51. 51. Superfície da calçada
  52. 52. TRATAMENTO DE TRAVESSIAS - EM NÍVEL E DESNÍVEL
  53. 53. TRAVESSIAS EM NÍVEL
  54. 54. Travessias Concentradas
  55. 55. Travessias Dispersas
  56. 56. Linha de Desejo de Travessia - continuidade do percurso
  57. 57. Faixa de Travessia de Pedestres - utilização e cuidados
  58. 58. Faixa de Travessia de Pedestres - utilização e cuidados
  59. 59. Faixa de Travessia de Pedestres - utilização e cuidados
  60. 60. Iluminação de Faixas
  61. 61. TRAVESSIAS EM DESNÍVEL - Passarelas - Passagens Subterrâneas
  62. 62. Passarela
  63. 63. Quando deve ser utilizada
  64. 64. Passagem Subterrânea
  65. 65. Características de Projeto
  66. 66. Características de Projeto
  67. 67. TRATAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE PEDESTRES COM RESTRIÇÃO DE MOBILIDADE
  68. 68. Quem são: portadores de deficiência física, idosos, pessoas com carrinho
  69. 69. Quem são: portadores de deficiência física, idosos, pessoas com carrinho
  70. 70. Superfície das calçadas
  71. 71. Rebaixamento de guias
  72. 72. Rebaixamento de guias
  73. 73. Tratamento lateral de calçadas
  74. 74. MOBILIÁRIO URBANO E SINALIZAÇÃO
  75. 75. Orelhões, caixas de correio
  76. 76. Canteiros / Paisagismo
  77. 77. Ambulantes nas Faixas
  78. 78. Organização da ocupação

×