10|2014 
REFORMA FISCAL VERDE 
Flash Fiscal – Reforma Fiscal Verde
A presente apresentação não pretende ser exaustiva, pelo que não contempla todas as alterações que resultam da Proposta de...
•Imposto sobre o rendimento das pessoas coletivas (IRC); 
•Imposto sobre veículos (ISV) 
•Impostos especiais de consumo (I...
É definida a taxa de depreciação máxima de 8% para os equipamentos de energia eólica. A taxa máxima de depreciação aplicáv...
Para todos os setores de atividade, a possibilidade de serem aceites, para efeitos fiscais, as provisões constituídas para...
São reduzidas as taxas de tributação autónoma de 10%, 27,5% e 35% para, respetivamente, 5%, 10% e 17,5%, no caso de viatur...
Os limites a partir dos quais não são aceites como gasto fiscal as depreciações praticadas relativamente às seguintes viat...
Para efeitos de determinação do lucro tributável em sede de IRC e da categoria B do IRS (com contabilidade organizada), os...
Incentivo à utilização de sistemas de car-sharing e bike--sharing, através de: 
•uma majoração em 10% dos gastos suportado...
Incentivo à utilização de sistemas de car-sharing e bike--sharing, através de: 
•uma majoração em 10% dos gastos suportado...
Benefício relativo à aquisição de passe de transportes públicos coletivos, tendo como limite € 6.250, por trabalhador depe...
Para efeitos de determinação do lucro tributável, é definida uma majoração de 20% do valor correspondente a despesas com a...
É criado um regime, aplicável durante o ano de 2015, de incentivo fiscal à destruição de automóveis ligeiros em fim de vid...
Sofrem um aumento de tributação, passando a estar sujeitos a uma adicionamento resultante da aplicação de uma taxa de carb...
Alarga-se a possibilidade de dedução do IVA em despesas relativas à aquisição, fabrico, importação, locação, utilização, t...
Os serviços de reparação de velocípedes passam a usufruir da aplicação da taxa reduzida de IVA. 
Imposto sobre o valor acr...
É eliminada a isenção de IVA aplicável ao serviço público de remoção de lixos, passando a estar sujeito à taxa reduzida. 
...
É criada uma contribuição sobre os sacos de plástico leves que incide sobre os sacos adquiridos pelos estabelecimentos de ...
A contribuição é de € 0,08 por cada saco, à qual acresce IVA à taxa legal em vigor. 
Estão isentos do pagamento da contrib...
Ficam isentos de IMI os prédios exclusivamente afetos à atividade de abastecimento público de água às populações, de sanea...
O prazo de isenção de IMI concedido aos prédios urbanos objeto de reabilitação urbanística, passa de dois para três anos. ...
Alteração do conceito de reabilitação urbanística, passando o mesmo a incluir um requisito adicional relativo à classifica...
Os prédios urbanos exclusivamente afetos à produção de energia a partir de fontes renováveis passam a beneficiar de uma re...
Os municípios, mediante deliberação da assembleia municipal, podem fixar uma redução de até 15% da taxa do IMI para prédio...
Atividade silvícola Ficam isentas de IMT e Imposto do Selo, as aquisições de prédios ou parte de prédios rústicos de áreas...
As aquisições de prédios ou partes de prédios rústicos destinados à exploração florestal que sejam confinantes com prédios...
Os dois últimos benefícios aqui apresentados ficam fiscais depende de reconhecimento por parte do Diretor-Geral da Autorid...
Flash Fiscal 10|2014 
Próxima publicação: 
- REFORMA DO IRS 2015; 
Subscreva a nossa Newsletter 
Se gostou desta publicaçã...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Reforma Fiscal Verde

662 visualizações

Publicada em

Analise das alterações introduzidas pela reforma da fiscalidade verde.
De uma forma sintética procurámos indicar ao longo desta apresentação as principais medidas definidas na reforma da fiscalidade verde. Da análise efetuada destacamos o seguinte:

A reforma da fiscalidade verde inclui um conjunto vasto de incentivos relevantes no que se refere essencialmente à mobilidade elétrica;
Dedução em sede de IRC do custo com a aquisição de passes sociais até ao montante máximo de 6.250€ por trabalhador dependente;
Aumento da tributação sobre comportamentos considerados nocivos para o ambiente, da qual se destaca a contribuição dos sacos de plástico de 0,08 centimos à qual ainda acresce IVA;
O patrimonio também não foi esquecido pela fiscalidade verde, sendo concedidas algumas isenções;
São ainda concedidos incentivos importantes à floresta;

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
662
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reforma Fiscal Verde

  1. 1. 10|2014 REFORMA FISCAL VERDE Flash Fiscal – Reforma Fiscal Verde
  2. 2. A presente apresentação não pretende ser exaustiva, pelo que não contempla todas as alterações que resultam da Proposta de Lei n.º 257/XII, ), diploma que irá ser objeto de apreciação e previsível aprovação na Assembleia da República. No entanto pela sua importância e impacto que terá no dia a dia da sociedade e das empresas, criamos esta pequena apresentação, que não dispensa a leitura da proposta de lei. Análise da reforma da Fiscalidade Verde Nota Prévia CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  3. 3. •Imposto sobre o rendimento das pessoas coletivas (IRC); •Imposto sobre veículos (ISV) •Impostos especiais de consumo (IEC); •Imposto sobre o valor acrescentado (IVA); •Outras contribuições: •Imposto Municipal sobre imoveis (IMI); Análise da Reforma Fiscal Verde ÍNDICE ÍNDICE CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  4. 4. É definida a taxa de depreciação máxima de 8% para os equipamentos de energia eólica. A taxa máxima de depreciação aplicável a equipamentos de energia solar é reduzida de 25% para 8%, assim a vida útil passa de quatro para 12,5 anos. Ficam assim com a mesma taxa de amortização fiscal ambos os equipamentos. Imposto sobre o rendimento de pessoas coletivas (IRC) I.R.C. Taxas de amortização CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  5. 5. Para todos os setores de atividade, a possibilidade de serem aceites, para efeitos fiscais, as provisões constituídas para fazer face aos encargos com a reparação dos danos de caráter ambiental dos locais afetos à exploração, conforme já o era permitido para o setor das indústrias extrativas ou de tratamento e eliminação de resíduos. Imposto sobre o rendimento de pessoas coletivas (IRC) I.R.C. Provisões para reparação dos danos de caráter ambiental CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  6. 6. São reduzidas as taxas de tributação autónoma de 10%, 27,5% e 35% para, respetivamente, 5%, 10% e 17,5%, no caso de viaturas híbridas plug- in e para 7,5%, 15% e 27,5%, no caso das viaturas GNV (gás natural veicular) e GPL (gases de petróleo liquefeito), sendo as taxas aplicáveis em função do custo de aquisição das viaturas. Imposto sobre o rendimento de pessoas coletivas (IRC) I.R.C. Tributação Autónoma CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS Tributação Autónoma Energia Elétrica Híbridas Plug-in GPL GNV Gasóleo Gasolina Custo de Aquisição < 25.000 0% 5% 7,5% 10% Custo de Aquisição > 25.000 e < 35.000 0% 10% 15% 27,50% Custo de Aquisição > 35.000 0% 17,5% 27,5% 35%
  7. 7. Os limites a partir dos quais não são aceites como gasto fiscal as depreciações praticadas relativamente às seguintes viaturas, adquiridas em períodos de tributação que se iniciem em 1 de janeiro de 2015 ou após essa data: • € 62.500, para veículos movidos a energia elétrica; • € 50.000, para veículos híbridos plug-in; • € 37.500, para veículos movidos a GPL ou GNV. Para as restantes viaturas, mantém-se o limite atual de € 25.000. Imposto sobre o rendimento de pessoas coletivas (IRC) I.R.C. Depreciações de viaturas CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  8. 8. Para efeitos de determinação do lucro tributável em sede de IRC e da categoria B do IRS (com contabilidade organizada), os gastos suportados com a aquisição de eletricidade, GNV e GPL para o abastecimento de veículos passam a ser majoráveis, •eletricidade, os gastos são considerados em 130%; •GNV e GPL, em 120%; São elegíveis para o benefício, os gastos suportados com o abastecimento de veículos de : a) transporte público de passageiros com lotação igual ou superior a 22 lugares; b) transporte rodoviário de mercadorias, público ou por conta de outrem, com peso bruto igual ou superior a 3,5 t; c) Afetos ao transporte de táxi. Os sujeitos passivos deverão estar devidamente licenciados para operar e os veículos deverão encontrar-se registados como ativo fixo tangível. Imposto sobre o rendimento de pessoas coletivas (IRC) I.R.C. Apoio ao transporte rodoviário de passageiros e mercadorias CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  9. 9. Incentivo à utilização de sistemas de car-sharing e bike--sharing, através de: •uma majoração em 10% dos gastos suportados por sujeitos passivos de IRC; •e de 40% dos gastos suportados no caso de sujeitos passivos de IRS com contabilidade organizada. Imposto sobre o rendimento de pessoas coletivas (IRC) I.R.C. Despesas com car-sharing e bike-sharing CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  10. 10. Incentivo à utilização de sistemas de car-sharing e bike--sharing, através de: •uma majoração em 10% dos gastos suportados por sujeitos passivos de IRC; •e de 40% dos gastos suportados no caso de sujeitos passivos de IRS com contabilidade organizada. Imposto sobre o rendimento de pessoas coletivas (IRC) I.R.C. Despesas com car-sharing e bike-sharing CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  11. 11. Benefício relativo à aquisição de passe de transportes públicos coletivos, tendo como limite € 6.250, por trabalhador dependente. Imposto sobre o rendimento de pessoas coletivas (IRC) I.R.C. Passe social CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  12. 12. Para efeitos de determinação do lucro tributável, é definida uma majoração de 20% do valor correspondente a despesas com aquisição, reparação e manutenção de frotas de velocípedes em benefício do pessoal do sujeito passivo. Os velocípedes deverão ser mantidos durante pelo menos 18 meses e deverão ser atribuídos à generalidade dos trabalhadores. Imposto sobre o rendimento de pessoas coletivas (IRC) I.R.C. Despesas com frotas de velocípedes CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  13. 13. É criado um regime, aplicável durante o ano de 2015, de incentivo fiscal à destruição de automóveis ligeiros em fim de vida, traduzido na redução do ISV até à sua concorrência, quando aplicável, ou na atribuição de subsídios, que podem atingir: • € 4.500, no caso de aquisição de um veículo elétrico novo; • € 3.250, no caso de aquisição de veículo híbrido plug--in novo; • € 1.000, no caso de aquisição de veículo quadriciclo pesado elétrico novo. Imposto sobre veículos (ISV) I.S.V. Incentivo fiscal ao abate de automóveis ligeiros CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  14. 14. Sofrem um aumento de tributação, passando a estar sujeitos a uma adicionamento resultante da aplicação de uma taxa de carbono, e de acordo com fatores de adicionamento. O valor da taxa a vigorar em cada ano é indexada à cotação do carbono apurada no leilão do Comércio Europeu de Licenças de Emissão (CELE) do ano anterior. O fator de adicionamento será de 2,271654 para a gasolina e 2,474862 para o gasóleo, podendo abranger petróleo, carvão, gás natural, e GPL fuelóleo Impostos Especiais sobre o consumo (I.E.C.) I.E.C. Produtos petrolíferos e energéticos CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  15. 15. Alarga-se a possibilidade de dedução do IVA em despesas relativas à aquisição, fabrico, importação, locação, utilização, transformação e reparação de viaturas de turismo elétricas ou híbridas plug-in. Possibilita-se a dedução de 50% do IVA suportado em despesas referentes a viaturas de turismo movidas a GPL ou a GNV. Imposto sobre o valor acrescentado (IVA) I.V.A. Viaturas de Turismo CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  16. 16. Os serviços de reparação de velocípedes passam a usufruir da aplicação da taxa reduzida de IVA. Imposto sobre o valor acrescentado (IVA) I.V.A. Reparação de bicicletas CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  17. 17. É eliminada a isenção de IVA aplicável ao serviço público de remoção de lixos, passando a estar sujeito à taxa reduzida. Imposto sobre o valor acrescentado (IVA) I.V.A. Serviço de remoção de lixo CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  18. 18. É criada uma contribuição sobre os sacos de plástico leves que incide sobre os sacos adquiridos pelos estabelecimentos de comércio a retalho para distribuição ao consumidor final. São sujeitos passivos da contribuição os produtores ou importadores de sacos de plástico leves com sede ou estabelecimento estável no território nacional, bem como os adquirentes de sacos de plástico leves a fornecedores com sede ou estabelecimento estável noutro Estado-Membro da União Europeia. Outras Contribuições (O.C.) O.C Sacos de plástico leves CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  19. 19. A contribuição é de € 0,08 por cada saco, à qual acresce IVA à taxa legal em vigor. Estão isentos do pagamento da contribuição os sacos de plástico que se destinem a entrar em contacto, ou que estão em contacto com os géneros alimentícios, incluindo o gelo. Outras Contribuições (O.C.) O.C Sacos de plástico leves CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  20. 20. Ficam isentos de IMI os prédios exclusivamente afetos à atividade de abastecimento público de água às populações, de saneamento de águas residuais urbanas e de sistemas municipais de gestão de resíduos urbanos. Imposto Municipal sobre Imóveis I.M.I Isenção de I.M.I CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  21. 21. O prazo de isenção de IMI concedido aos prédios urbanos objeto de reabilitação urbanística, passa de dois para três anos. O mesmo sucede à isenção de IMT prevista para a aquisição destes prédios, é também aumentado de dois para três anos, a contar da data de aquisição dos prédios, o prazo para iniciar as respetivas obras. É alterado o conceito de reabilitação urbanística, passando o mesmo a incluir um requisito adicional relativo à classificação energética do prédio. Imposto Municipal sobre Imóveis I.M.I Alargamento de Isenção de I.M.I e I.M.T. CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  22. 22. Alteração do conceito de reabilitação urbanística, passando o mesmo a incluir um requisito adicional relativo à classificação energética do prédio. Imposto Municipal sobre Imóveis I.M.I Conceito de reabilitação urbanística CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  23. 23. Os prédios urbanos exclusivamente afetos à produção de energia a partir de fontes renováveis passam a beneficiar de uma redução de 50% da taxa de IMI. Esta isenção deverá ser reconhecida pelo chefe do serviço de finanças onde se situa o prédio, mediante requerimento a apresentar no prazo de 60 dias contados da verificação do facto determinante de isenção. Caso o pedido seja apresentado para além deste prazo, a isenção aplica-se a partir do ano seguinte ao da sua apresentação. Este benefício vigora pelo período de cinco anos. Imposto Municipal sobre Imóveis I.M.I Redução de 50% da taxa de IMI CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  24. 24. Os municípios, mediante deliberação da assembleia municipal, podem fixar uma redução de até 15% da taxa do IMI para prédios urbanos com eficiência energética. Imposto Municipal sobre Imóveis I.M.I Redução de 15% da taxa de IMI CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  25. 25. Atividade silvícola Ficam isentas de IMT e Imposto do Selo, as aquisições de prédios ou parte de prédios rústicos de áreas florestais abrangidas por Zona de Intervenção Florestal (ZIF). A isenção aplica-se igualmente a prédios contíguos, caso estes sejam abrangidos por uma ZIF, num período de três anos contados a partir da data de aquisição. Esta isenção deixa de ser aplicável caso, após um período de três anos, os prédios não sejam abrangidos por ZIF. Imposto Municipal sobre Imóveis I.M.I Isenção de IMI e Imposto de Selo CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  26. 26. As aquisições de prédios ou partes de prédios rústicos destinados à exploração florestal que sejam confinantes com prédios rústicos submetidos a plano de gestão florestal, elaborado de acordo com o regime jurídico dos planos de ordenamento, de gestão e de intervenção de âmbito florestal (Decreto-Lei n.º 16/2009, de 14 de janeiro), desde que o adquirente seja proprietário do prédio rústico confinante. Imposto Municipal sobre Imóveis I.M.I Isenção de IMI e Imposto de Selo CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  27. 27. Os dois últimos benefícios aqui apresentados ficam fiscais depende de reconhecimento por parte do Diretor-Geral da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), mediante apresentação de requerimento em data anterior à aquisição dos prédios. Imposto Municipal sobre Imóveis I.M.I Isenção de IMI e Imposto de Selo CORPORATE FINANCE| CONTABILIDADE | CONSULTORIA | RECURSOS HUMANOS
  28. 28. Flash Fiscal 10|2014 Próxima publicação: - REFORMA DO IRS 2015; Subscreva a nossa Newsletter Se gostou desta publicação partilhe Siga-nos nas redes sociais

×