SlideShare uma empresa Scribd logo
Carga Tributária ConsolidadaSetor Elétrico Brasileiro1999 a 20084ª Edição
Controle de Revisões 2
Universo de Tributos e Encargos Analisados Tributos IRPJ: Imposto de Renda da Pessoa Jurídica CSLL: Contribuição Social sobre o Lucro Líquido ICMS: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços ISS: Imposto sobre Serviços PIS/Pasep: Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público  Cofins: Contribuição para Financiamento da Seguridade Social ITR: Imposto Territorial Rural IPVA: Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores IPTU: Imposto sobre a Propriedade Territorial Urbana INSS: Contribuição ao INSS devida pelo Empregador FGTS: Fundo de Garantia por Tempo de Serviço Outros Encargos Sociais: SAT, Salário Educação, Sistema “S” Encargos Setoriais CCC: Conta de Consumo de Combustível CDE: Conta de Desenvolvimento Energético CFURH: Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos ESS: Encargos de Serviços do Sistema EER: Encargo de Energia de Reserva  TFSEE: Taxa de Fiscalização de Serviços de Energia Elétrica RGR: Reserva Global de Reversão Outros Encargos Setoriais: UBP (Uso de Bens Públicos), PROINFA, P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) e Contribuição ao ONS 3
Finalidades dos Encargos 4
Uso efetivo dos Encargos 5
Amostra de Empresas consideradas pelo Estudo Representatitivade das 54 empresas analisadas: ,[object Object]
 Empresas Transmissoras: 80% da Receita do Segmento
 Empresas Distribuidoras: 84% da Energia Vendida Fonte: ,[object Object], obtidos nas DFs publicadas  obtidos nas DFs disponibilizadas nos “websites” das empresas  computamos créditos de PIS/COFINS relativo a energia comprada e encargos de uso da rede, na forma da Res. 554/06 da ANEEL. Esses créditos não foram computados quando alíquota efetiva estava em torno de 6% porque sugeriria uma contabilização por valores que tinham os respectivos créditos deduzidos .    Limitação : ,[object Object],6
CargaConsolidada de Tributos e EncargosTributosFederais 7 (1) Dados não coletados para 2007. A CPMF foi extinta a partir de 2008. (2) Dados não obtidos para o biênio 2007/2008.
Carga Consolidada de Tributos e EncargosTributos Estaduais, Municipais e Encargos Trabalhistas 8 (1) Dados não obtidos para o biênio 2007/2008.
Carga Consolidada de Tributos e EncargosEncargos Setoriais 9 (1) Dados não obtidos para o biênio 2007/2008. (2) Outros encargos: UBP, P&D e ESS.
Carga Consolidada de Tributos e EncargosConsolidação 10
Carga Consolidada de Tributos e EncargosConsolidação 11
Carga tributaria e de Encargos  Setoriais X TFSSE - TarifaSocial de Energia Eletrica   Considerando o subsídio na forma como é dado hoje, temos : ,[object Object]
Baixa renda :
 até 30kWh                  : 0,09604
 de 30 a 80  kWh         : 0,16000
 81 a 100     kWh         : 0,16000
 101 a 200   kWh         : 0,24000
 Consumo médio alto (estimado) de  e-  residencial de baixa renda : 100kWh
 valor da conta de e_  tarifa cheia :            29,65
 valor da conta de e-   tarifa bxRenda :      14,08
Economia na tarifa                               :      15,57            52,51%
Economia em outros encargos           :       4,83
Economia total                                      :     20,4012
Carga tributaria e de Encargos  Setoriais X TFSSE - TarifaSocial de Energia Eletrica   “Pensando fora da curva” ,[object Object]
 valor da conta de e-   tarifa bxRenda :    <14,08> 97,42%
  Valor exposto ao consumo                     530,92   Considerando-se que a energia elétrica é insumo básico em todas as etapas do consumo, certamente haverá muito mais energia paga sem o subsídio, pelo trabalhador brasileiro, do que a diretamente consumida em sua residencia. Dessa forma a TSEE deve ser repensada com alcance mais amplo : “Reduzir a Carga Tributária e dos Encargos Setoriais também deve ser parte fundamental integrante do programa da Tarifa Social de Energia Elétrica – TSEE ” 13

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Previdência: Aperfeiçoar para Fortalecer - Fórum de Debates sobre Políticas d...
Previdência: Aperfeiçoar para Fortalecer - Fórum de Debates sobre Políticas d...Previdência: Aperfeiçoar para Fortalecer - Fórum de Debates sobre Políticas d...
Previdência: Aperfeiçoar para Fortalecer - Fórum de Debates sobre Políticas d...
Palácio do Planalto
 
020010000101011
020010000101011020010000101011
020010000101011
RenanDantasdosSantos
 
Crise em potugal
Crise em potugalCrise em potugal
Crise em potugal
turma11ig
 
Orçamento previsto para 2012
Orçamento previsto para 2012Orçamento previsto para 2012
Orçamento previsto para 2012
turma11ig2011
 
Economia(eunice 14 11-2011)
Economia(eunice 14 11-2011)Economia(eunice 14 11-2011)
Economia(eunice 14 11-2011)
turam11tv
 
Palestra EFD-Social - Receita Federal do Brasil
Palestra EFD-Social - Receita Federal do BrasilPalestra EFD-Social - Receita Federal do Brasil
Palestra EFD-Social - Receita Federal do Brasil
Roberto Dias Duarte
 
Proposta Fenafisco
Proposta FenafiscoProposta Fenafisco
Proposta Fenafisco
Danilo De Albuquerque Sousa
 
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de Transformação
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de TransformaçãoA Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de Transformação
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de Transformação
Edgar Gonçalves
 
Valor da dívida pública portuguesa famata 11º tv economia
Valor da dívida pública portuguesa famata 11º tv economiaValor da dívida pública portuguesa famata 11º tv economia
Valor da dívida pública portuguesa famata 11º tv economia
turam11tv
 
Panorama da comercialização de energia elétrica
Panorama da comercialização de energia elétricaPanorama da comercialização de energia elétrica
Panorama da comercialização de energia elétrica
Câmara de Comercialização de Energia Elétrica
 
Perspectivas da comercialização de energia elétrica
Perspectivas da comercialização de energia elétricaPerspectivas da comercialização de energia elétrica
Perspectivas da comercialização de energia elétrica
Câmara de Comercialização de Energia Elétrica
 
Valor da divida pública portuguesa edwind
Valor da divida pública portuguesa  edwindValor da divida pública portuguesa  edwind
Valor da divida pública portuguesa edwind
turam11tv
 
Rateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPMRateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPM
Alexandre A. Rocha
 
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
Confederação Nacional da Indústria
 
Valor da divida pública portuguesa
Valor da divida pública portuguesaValor da divida pública portuguesa
Valor da divida pública portuguesa
turma11ig2011
 

Mais procurados (15)

Previdência: Aperfeiçoar para Fortalecer - Fórum de Debates sobre Políticas d...
Previdência: Aperfeiçoar para Fortalecer - Fórum de Debates sobre Políticas d...Previdência: Aperfeiçoar para Fortalecer - Fórum de Debates sobre Políticas d...
Previdência: Aperfeiçoar para Fortalecer - Fórum de Debates sobre Políticas d...
 
020010000101011
020010000101011020010000101011
020010000101011
 
Crise em potugal
Crise em potugalCrise em potugal
Crise em potugal
 
Orçamento previsto para 2012
Orçamento previsto para 2012Orçamento previsto para 2012
Orçamento previsto para 2012
 
Economia(eunice 14 11-2011)
Economia(eunice 14 11-2011)Economia(eunice 14 11-2011)
Economia(eunice 14 11-2011)
 
Palestra EFD-Social - Receita Federal do Brasil
Palestra EFD-Social - Receita Federal do BrasilPalestra EFD-Social - Receita Federal do Brasil
Palestra EFD-Social - Receita Federal do Brasil
 
Proposta Fenafisco
Proposta FenafiscoProposta Fenafisco
Proposta Fenafisco
 
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de Transformação
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de TransformaçãoA Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de Transformação
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de Transformação
 
Valor da dívida pública portuguesa famata 11º tv economia
Valor da dívida pública portuguesa famata 11º tv economiaValor da dívida pública portuguesa famata 11º tv economia
Valor da dívida pública portuguesa famata 11º tv economia
 
Panorama da comercialização de energia elétrica
Panorama da comercialização de energia elétricaPanorama da comercialização de energia elétrica
Panorama da comercialização de energia elétrica
 
Perspectivas da comercialização de energia elétrica
Perspectivas da comercialização de energia elétricaPerspectivas da comercialização de energia elétrica
Perspectivas da comercialização de energia elétrica
 
Valor da divida pública portuguesa edwind
Valor da divida pública portuguesa  edwindValor da divida pública portuguesa  edwind
Valor da divida pública portuguesa edwind
 
Rateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPMRateios do FPE e do FPM
Rateios do FPE e do FPM
 
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
Novidades Legislativas Nº14 | 03/04/2013
 
Valor da divida pública portuguesa
Valor da divida pública portuguesaValor da divida pública portuguesa
Valor da divida pública portuguesa
 

Semelhante a Carga Tributária Consolidada: Setor Elétrico Brasileiro - 1999 a 2008 - Acende Brasil - Sérgio Bento

A Proposta da emenda Constitucional nº45
A Proposta da emenda Constitucional nº45A Proposta da emenda Constitucional nº45
A Proposta da emenda Constitucional nº45
Sistema CNC
 
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
Sistema CNC
 
021636000101011
021636000101011021636000101011
021636000101011
RenanDantasdosSantos
 
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da União
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da UniãoMedidas Adicionais de Redução do Gasto da União
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da União
Palácio do Planalto
 
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e ServiçosProposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
APF6
 
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
Fundação Fernando Henrique Cardoso
 
Momento fiscal 2019
Momento fiscal 2019Momento fiscal 2019
Momento fiscal 2019
Elisângela Cristina Damasco
 
Transparência das informações das contas públicas brasileiras
Transparência das informações das contas públicas brasileirasTransparência das informações das contas públicas brasileiras
Transparência das informações das contas públicas brasileiras
Ministério da Economia
 
Reforma Tributária Brasileira no âmbito da Adm
Reforma Tributária Brasileira no âmbito da AdmReforma Tributária Brasileira no âmbito da Adm
Reforma Tributária Brasileira no âmbito da Adm
JosuSantos75
 
Concessões do Setor Elétrico - Paulo Pedrosa - Abrace
Concessões do Setor Elétrico - Paulo Pedrosa - AbraceConcessões do Setor Elétrico - Paulo Pedrosa - Abrace
Concessões do Setor Elétrico - Paulo Pedrosa - Abrace
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
Roberto Dias Duarte
 
Caderno4capa
Caderno4capaCaderno4capa
PLANEJ. CONTABIL TRIBUTARIO
PLANEJ. CONTABIL TRIBUTARIOPLANEJ. CONTABIL TRIBUTARIO
PLANEJ. CONTABIL TRIBUTARIO
Michelle Moraes
 
Cruzamento de informações - Sindusconsp - Styllus Consultoria
Cruzamento de informações - Sindusconsp - Styllus ConsultoriaCruzamento de informações - Sindusconsp - Styllus Consultoria
Cruzamento de informações - Sindusconsp - Styllus Consultoria
StyllusConsultoria
 
ctb-2020-v1-publicacao.pdf
ctb-2020-v1-publicacao.pdfctb-2020-v1-publicacao.pdf
ctb-2020-v1-publicacao.pdf
ejedelmal
 
Apresentacao aes eletropaulo_1_t13_final - sem discurso
Apresentacao aes eletropaulo_1_t13_final - sem discursoApresentacao aes eletropaulo_1_t13_final - sem discurso
Apresentacao aes eletropaulo_1_t13_final - sem discurso
AES Eletropaulo
 
Caderno aneel tarifas
Caderno aneel   tarifasCaderno aneel   tarifas
Caderno aneel tarifas
Daiana da Silva
 
PIS e COFINS - Não-cumulatividade - Questões controversas
PIS e COFINS - Não-cumulatividade - Questões controversasPIS e COFINS - Não-cumulatividade - Questões controversas
PIS e COFINS - Não-cumulatividade - Questões controversas
Julia De Menezes Nogueira
 
Análise do cenário da política tributária nacional
Análise do cenário da política tributária nacionalAnálise do cenário da política tributária nacional
Análise do cenário da política tributária nacional
CIRINEU COSTA
 

Semelhante a Carga Tributária Consolidada: Setor Elétrico Brasileiro - 1999 a 2008 - Acende Brasil - Sérgio Bento (20)

A Proposta da emenda Constitucional nº45
A Proposta da emenda Constitucional nº45A Proposta da emenda Constitucional nº45
A Proposta da emenda Constitucional nº45
 
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
Proposta de Emenda Costitucional nº45 2019
 
021636000101011
021636000101011021636000101011
021636000101011
 
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da União
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da UniãoMedidas Adicionais de Redução do Gasto da União
Medidas Adicionais de Redução do Gasto da União
 
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e ServiçosProposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
Proposta de Reforma do Modelo Brasileiro de Tributação de Bens e Serviços
 
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
REENGENHARIA TECNOLÓGICA E TRIBUTÁRIA | Luiz Carlos Hauly | 11º ENCONTRO PAUL...
 
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Be...
 
Momento fiscal 2019
Momento fiscal 2019Momento fiscal 2019
Momento fiscal 2019
 
Transparência das informações das contas públicas brasileiras
Transparência das informações das contas públicas brasileirasTransparência das informações das contas públicas brasileiras
Transparência das informações das contas públicas brasileiras
 
Reforma Tributária Brasileira no âmbito da Adm
Reforma Tributária Brasileira no âmbito da AdmReforma Tributária Brasileira no âmbito da Adm
Reforma Tributária Brasileira no âmbito da Adm
 
Concessões do Setor Elétrico - Paulo Pedrosa - Abrace
Concessões do Setor Elétrico - Paulo Pedrosa - AbraceConcessões do Setor Elétrico - Paulo Pedrosa - Abrace
Concessões do Setor Elétrico - Paulo Pedrosa - Abrace
 
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
Cartilha sobre Reforma Tributária - Ministério da Fazenda - 2008
 
Caderno4capa
Caderno4capaCaderno4capa
Caderno4capa
 
PLANEJ. CONTABIL TRIBUTARIO
PLANEJ. CONTABIL TRIBUTARIOPLANEJ. CONTABIL TRIBUTARIO
PLANEJ. CONTABIL TRIBUTARIO
 
Cruzamento de informações - Sindusconsp - Styllus Consultoria
Cruzamento de informações - Sindusconsp - Styllus ConsultoriaCruzamento de informações - Sindusconsp - Styllus Consultoria
Cruzamento de informações - Sindusconsp - Styllus Consultoria
 
ctb-2020-v1-publicacao.pdf
ctb-2020-v1-publicacao.pdfctb-2020-v1-publicacao.pdf
ctb-2020-v1-publicacao.pdf
 
Apresentacao aes eletropaulo_1_t13_final - sem discurso
Apresentacao aes eletropaulo_1_t13_final - sem discursoApresentacao aes eletropaulo_1_t13_final - sem discurso
Apresentacao aes eletropaulo_1_t13_final - sem discurso
 
Caderno aneel tarifas
Caderno aneel   tarifasCaderno aneel   tarifas
Caderno aneel tarifas
 
PIS e COFINS - Não-cumulatividade - Questões controversas
PIS e COFINS - Não-cumulatividade - Questões controversasPIS e COFINS - Não-cumulatividade - Questões controversas
PIS e COFINS - Não-cumulatividade - Questões controversas
 
Análise do cenário da política tributária nacional
Análise do cenário da política tributária nacionalAnálise do cenário da política tributária nacional
Análise do cenário da política tributária nacional
 

Mais de Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal

Boletim n°5 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°5 da Comissão de Serviços de InfraestruturaBoletim n°5 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°5 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
AS VANTAGENS DO REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÃO (RDC) PARA AS OBRAS DA COP...
AS VANTAGENS DO REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÃO (RDC) PARA AS OBRAS DA COP...AS VANTAGENS DO REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÃO (RDC) PARA AS OBRAS DA COP...
AS VANTAGENS DO REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÃO (RDC) PARA AS OBRAS DA COP...
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Concessões de Geração de Energia - Otávio Rezende - Abiape
Concessões de Geração de Energia - Otávio Rezende - AbiapeConcessões de Geração de Energia - Otávio Rezende - Abiape
Concessões de Geração de Energia - Otávio Rezende - Abiape
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Apresentação: Secretaria de Aviação Civil
Apresentação: Secretaria de Aviação CivilApresentação: Secretaria de Aviação Civil
Apresentação: Secretaria de Aviação Civil
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Infraero - COPA 2014 - Aeroportos
Infraero - COPA 2014 - AeroportosInfraero - COPA 2014 - Aeroportos
Agência Nacional de Aviação Civil - Carlos Eduardo M.S. Pellegrino
Agência Nacional de Aviação Civil - Carlos Eduardo M.S. PellegrinoAgência Nacional de Aviação Civil - Carlos Eduardo M.S. Pellegrino
Agência Nacional de Aviação Civil - Carlos Eduardo M.S. Pellegrino
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Prorrogação do encargo RGR - Cláudio Sales - Instituto Acende Brasil
Prorrogação do encargo RGR - Cláudio Sales - Instituto Acende BrasilProrrogação do encargo RGR - Cláudio Sales - Instituto Acende Brasil
Prorrogação do encargo RGR - Cláudio Sales - Instituto Acende Brasil
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Prorrogação da Reserva Global de Reversão (RGR) e do Programa de Incentivo...
Prorrogação da Reserva Global de Reversão (RGR) e do Programa de Incentivo...Prorrogação da Reserva Global de Reversão (RGR) e do Programa de Incentivo...
Prorrogação da Reserva Global de Reversão (RGR) e do Programa de Incentivo...
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Reserva Global de Reversão - Marcus Aucélio - Tesouro Nacional
Reserva Global de Reversão - Marcus Aucélio - Tesouro NacionalReserva Global de Reversão - Marcus Aucélio - Tesouro Nacional
Reserva Global de Reversão - Marcus Aucélio - Tesouro Nacional
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Boletim n°1 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°1 da Comissão de Serviços de InfraestruturaBoletim n°1 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°1 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Boletim n° 2 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n° 2 da Comissão de Serviços de InfraestruturaBoletim n° 2 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n° 2 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Boletim n°3 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°3 da Comissão de Serviços de InfraestruturaBoletim n°3 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°3 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Planejamento Estratégico Petrobras 2020 - José Sergio Gabrielli de Azevedo
Planejamento Estratégico Petrobras 2020 - José Sergio Gabrielli de AzevedoPlanejamento Estratégico Petrobras 2020 - José Sergio Gabrielli de Azevedo
Planejamento Estratégico Petrobras 2020 - José Sergio Gabrielli de Azevedo
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Comparativo de Propostas de Partilha de Royalties do Petróleo
Comparativo de Propostas de Partilha de Royalties do PetróleoComparativo de Propostas de Partilha de Royalties do Petróleo
Comparativo de Propostas de Partilha de Royalties do Petróleo
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
IMF Working Paper - Evaluation of the Oil Fiscal Regime in Russia and Propos...
IMF Working Paper - Evaluation of the Oil Fiscal Regime in  Russia and Propos...IMF Working Paper - Evaluation of the Oil Fiscal Regime in  Russia and Propos...
IMF Working Paper - Evaluation of the Oil Fiscal Regime in Russia and Propos...
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Contexto Mundial e Preço do Petróleo: Uma Visão de Longo Prazo
Contexto Mundial e Preço do Petróleo: Uma Visão de Longo PrazoContexto Mundial e Preço do Petróleo: Uma Visão de Longo Prazo
Contexto Mundial e Preço do Petróleo: Uma Visão de Longo Prazo
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Apresentação do Senador Wellington Dias - Partilha dos Roylties do Petróleo
Apresentação do Senador Wellington Dias - Partilha dos Roylties do PetróleoApresentação do Senador Wellington Dias - Partilha dos Roylties do Petróleo
Apresentação do Senador Wellington Dias - Partilha dos Roylties do Petróleo
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Boletim n°4 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°4 da Comissão de Serviços de InfraestruturaBoletim n°4 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°4 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
MINISTÉRIO DE MINAS DE ENERGIA - CARTILHA PRÉ-SAL
MINISTÉRIO DE MINAS DE ENERGIA - CARTILHA PRÉ-SALMINISTÉRIO DE MINAS DE ENERGIA - CARTILHA PRÉ-SAL
MINISTÉRIO DE MINAS DE ENERGIA - CARTILHA PRÉ-SAL
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 
Apresentação - Sérgio Cabral - Governador do Rio de Janeiro - Audiência Públi...
Apresentação - Sérgio Cabral - Governador do Rio de Janeiro - Audiência Públi...Apresentação - Sérgio Cabral - Governador do Rio de Janeiro - Audiência Públi...
Apresentação - Sérgio Cabral - Governador do Rio de Janeiro - Audiência Públi...
Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal
 

Mais de Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal (20)

Boletim n°5 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°5 da Comissão de Serviços de InfraestruturaBoletim n°5 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°5 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
 
AS VANTAGENS DO REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÃO (RDC) PARA AS OBRAS DA COP...
AS VANTAGENS DO REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÃO (RDC) PARA AS OBRAS DA COP...AS VANTAGENS DO REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÃO (RDC) PARA AS OBRAS DA COP...
AS VANTAGENS DO REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÃO (RDC) PARA AS OBRAS DA COP...
 
Concessões de Geração de Energia - Otávio Rezende - Abiape
Concessões de Geração de Energia - Otávio Rezende - AbiapeConcessões de Geração de Energia - Otávio Rezende - Abiape
Concessões de Geração de Energia - Otávio Rezende - Abiape
 
Apresentação: Secretaria de Aviação Civil
Apresentação: Secretaria de Aviação CivilApresentação: Secretaria de Aviação Civil
Apresentação: Secretaria de Aviação Civil
 
Infraero - COPA 2014 - Aeroportos
Infraero - COPA 2014 - AeroportosInfraero - COPA 2014 - Aeroportos
Infraero - COPA 2014 - Aeroportos
 
Agência Nacional de Aviação Civil - Carlos Eduardo M.S. Pellegrino
Agência Nacional de Aviação Civil - Carlos Eduardo M.S. PellegrinoAgência Nacional de Aviação Civil - Carlos Eduardo M.S. Pellegrino
Agência Nacional de Aviação Civil - Carlos Eduardo M.S. Pellegrino
 
Prorrogação do encargo RGR - Cláudio Sales - Instituto Acende Brasil
Prorrogação do encargo RGR - Cláudio Sales - Instituto Acende BrasilProrrogação do encargo RGR - Cláudio Sales - Instituto Acende Brasil
Prorrogação do encargo RGR - Cláudio Sales - Instituto Acende Brasil
 
Prorrogação da Reserva Global de Reversão (RGR) e do Programa de Incentivo...
Prorrogação da Reserva Global de Reversão (RGR) e do Programa de Incentivo...Prorrogação da Reserva Global de Reversão (RGR) e do Programa de Incentivo...
Prorrogação da Reserva Global de Reversão (RGR) e do Programa de Incentivo...
 
Reserva Global de Reversão - Marcus Aucélio - Tesouro Nacional
Reserva Global de Reversão - Marcus Aucélio - Tesouro NacionalReserva Global de Reversão - Marcus Aucélio - Tesouro Nacional
Reserva Global de Reversão - Marcus Aucélio - Tesouro Nacional
 
Boletim n°1 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°1 da Comissão de Serviços de InfraestruturaBoletim n°1 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°1 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
 
Boletim n° 2 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n° 2 da Comissão de Serviços de InfraestruturaBoletim n° 2 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n° 2 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
 
Boletim n°3 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°3 da Comissão de Serviços de InfraestruturaBoletim n°3 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°3 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
 
Planejamento Estratégico Petrobras 2020 - José Sergio Gabrielli de Azevedo
Planejamento Estratégico Petrobras 2020 - José Sergio Gabrielli de AzevedoPlanejamento Estratégico Petrobras 2020 - José Sergio Gabrielli de Azevedo
Planejamento Estratégico Petrobras 2020 - José Sergio Gabrielli de Azevedo
 
Comparativo de Propostas de Partilha de Royalties do Petróleo
Comparativo de Propostas de Partilha de Royalties do PetróleoComparativo de Propostas de Partilha de Royalties do Petróleo
Comparativo de Propostas de Partilha de Royalties do Petróleo
 
IMF Working Paper - Evaluation of the Oil Fiscal Regime in Russia and Propos...
IMF Working Paper - Evaluation of the Oil Fiscal Regime in  Russia and Propos...IMF Working Paper - Evaluation of the Oil Fiscal Regime in  Russia and Propos...
IMF Working Paper - Evaluation of the Oil Fiscal Regime in Russia and Propos...
 
Contexto Mundial e Preço do Petróleo: Uma Visão de Longo Prazo
Contexto Mundial e Preço do Petróleo: Uma Visão de Longo PrazoContexto Mundial e Preço do Petróleo: Uma Visão de Longo Prazo
Contexto Mundial e Preço do Petróleo: Uma Visão de Longo Prazo
 
Apresentação do Senador Wellington Dias - Partilha dos Roylties do Petróleo
Apresentação do Senador Wellington Dias - Partilha dos Roylties do PetróleoApresentação do Senador Wellington Dias - Partilha dos Roylties do Petróleo
Apresentação do Senador Wellington Dias - Partilha dos Roylties do Petróleo
 
Boletim n°4 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°4 da Comissão de Serviços de InfraestruturaBoletim n°4 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
Boletim n°4 da Comissão de Serviços de Infraestrutura
 
MINISTÉRIO DE MINAS DE ENERGIA - CARTILHA PRÉ-SAL
MINISTÉRIO DE MINAS DE ENERGIA - CARTILHA PRÉ-SALMINISTÉRIO DE MINAS DE ENERGIA - CARTILHA PRÉ-SAL
MINISTÉRIO DE MINAS DE ENERGIA - CARTILHA PRÉ-SAL
 
Apresentação - Sérgio Cabral - Governador do Rio de Janeiro - Audiência Públi...
Apresentação - Sérgio Cabral - Governador do Rio de Janeiro - Audiência Públi...Apresentação - Sérgio Cabral - Governador do Rio de Janeiro - Audiência Públi...
Apresentação - Sérgio Cabral - Governador do Rio de Janeiro - Audiência Públi...
 

Carga Tributária Consolidada: Setor Elétrico Brasileiro - 1999 a 2008 - Acende Brasil - Sérgio Bento

  • 1. Carga Tributária ConsolidadaSetor Elétrico Brasileiro1999 a 20084ª Edição
  • 3. Universo de Tributos e Encargos Analisados Tributos IRPJ: Imposto de Renda da Pessoa Jurídica CSLL: Contribuição Social sobre o Lucro Líquido ICMS: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços ISS: Imposto sobre Serviços PIS/Pasep: Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público Cofins: Contribuição para Financiamento da Seguridade Social ITR: Imposto Territorial Rural IPVA: Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores IPTU: Imposto sobre a Propriedade Territorial Urbana INSS: Contribuição ao INSS devida pelo Empregador FGTS: Fundo de Garantia por Tempo de Serviço Outros Encargos Sociais: SAT, Salário Educação, Sistema “S” Encargos Setoriais CCC: Conta de Consumo de Combustível CDE: Conta de Desenvolvimento Energético CFURH: Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos ESS: Encargos de Serviços do Sistema EER: Encargo de Energia de Reserva TFSEE: Taxa de Fiscalização de Serviços de Energia Elétrica RGR: Reserva Global de Reversão Outros Encargos Setoriais: UBP (Uso de Bens Públicos), PROINFA, P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) e Contribuição ao ONS 3
  • 5. Uso efetivo dos Encargos 5
  • 6.
  • 7. Empresas Transmissoras: 80% da Receita do Segmento
  • 8.
  • 9. CargaConsolidada de Tributos e EncargosTributosFederais 7 (1) Dados não coletados para 2007. A CPMF foi extinta a partir de 2008. (2) Dados não obtidos para o biênio 2007/2008.
  • 10. Carga Consolidada de Tributos e EncargosTributos Estaduais, Municipais e Encargos Trabalhistas 8 (1) Dados não obtidos para o biênio 2007/2008.
  • 11. Carga Consolidada de Tributos e EncargosEncargos Setoriais 9 (1) Dados não obtidos para o biênio 2007/2008. (2) Outros encargos: UBP, P&D e ESS.
  • 12. Carga Consolidada de Tributos e EncargosConsolidação 10
  • 13. Carga Consolidada de Tributos e EncargosConsolidação 11
  • 14.
  • 16. até 30kWh : 0,09604
  • 17. de 30 a 80 kWh : 0,16000
  • 18. 81 a 100 kWh : 0,16000
  • 19. 101 a 200 kWh : 0,24000
  • 20. Consumo médio alto (estimado) de e- residencial de baixa renda : 100kWh
  • 21. valor da conta de e_ tarifa cheia : 29,65
  • 22. valor da conta de e- tarifa bxRenda : 14,08
  • 23. Economia na tarifa : 15,57 52,51%
  • 24. Economia em outros encargos : 4,83
  • 25. Economia total : 20,4012
  • 26.
  • 27. valor da conta de e- tarifa bxRenda : <14,08> 97,42%
  • 28. Valor exposto ao consumo 530,92 Considerando-se que a energia elétrica é insumo básico em todas as etapas do consumo, certamente haverá muito mais energia paga sem o subsídio, pelo trabalhador brasileiro, do que a diretamente consumida em sua residencia. Dessa forma a TSEE deve ser repensada com alcance mais amplo : “Reduzir a Carga Tributária e dos Encargos Setoriais também deve ser parte fundamental integrante do programa da Tarifa Social de Energia Elétrica – TSEE ” 13
  • 29.
  • 30. Podemos desejar o cenário atual ?
  • 31. Como estão os outros países ?14
  • 32. Carga Tributária Comparada Carga Tributária Energia Elétrica (exceto encargos) – consumidores industriais 15 Fonte: OCDE 2004 Report
  • 33. Carga Tributária Comparada Carga Tributária Energia Elétrica (exceto encargos)- consumidores residenciais 16 Fonte: OCDE 2004 Report
  • 34. Desafios para Redução daCarga Tributária sobre o Setor Elétrico Brasileiro Abril de 2010 (Os valores e as projeções de valores a seguir apresentados não foram objeto de exame por PwC)
  • 35.
  • 36. Diferimento do ICMS por inadimplência ( setor público e atividades essenciais )
  • 37.
  • 38.
  • 39. É possível manter o nível de arrecadação dos Estados ...
  • 40. Com base no crescimento econômicoCrescimento Anual de 4,5% na Receita Redução gradual da Alíquota Efetiva 19
  • 41. O Impacto da Não-Cumulatividade do PIS/COFINS para o Setor Elétrico Brasileiro A alteração de regime e o aumento das alíquotas do PIS PASEP e da COFINS gerou um aumento de cerca de 50% do PIS/PASEP/COFINS (próximo slide) 20
  • 42. Carga Consolidada de Tributos e EncargosTributos Federais Impacto Real na Amostra 21 (1) Dados não coletados para 2007. A CPMF foi extinta a partir de 2008. (2) Dados não obtidos para o biênio 2007/2008.
  • 43. Setores Excluídos das Novas Regras do PIS/COFINS Telecomunicações Rodovias Órgãos públicos, autarquias e fundações públicas. Sociedades cooperativas, exceto as de produção agropecuária. Comunicações Médico, odontológico, laboratorial etc. Ensino infantil, fundamental, médio e superior. Edição de periódicos e de informações aos assinantes de telefonia. Prestação de serviços com aeronaves de uso agrícola Empresas de call center, telemarketing, telecobrança e de teleatendimento Parques temáticos, hotelaria, feiras e eventos Fertilizantes e defensivos agrícolas Livros técnicos e científicos Mercadorias destinadas ao consumo/industrialização na Zona Franca de Manaus 22
  • 44.
  • 45.
  • 46. O Contingenciamento de Recursos da ANEEL Opção 1: Acabar com Contingenciamento para melhorar qualidade de Regulação e Fiscalização da ANEEL (Consumidor já paga por essa qualidade) Opção 2: Desonerar Tarifa (*) A Taxa de Fiscalização corresponde a 50% da Parcela B. Obtém-se o número de 0,15% multiplicando: 61% de contingenciamento x 90% receitas via Taxa de Fiscalização x 50% da Parcela B x 53% da Razão da Parcela B sobre a Receita (média em 2003) 24
  • 47.
  • 48. pelos impactos sobre a produção;
  • 49. pelos impactos sobre a renda da população.25
  • 50. Carga Tributária ConsolidadaSetor Elétrico Brasileiro1999 a 20084ª Edição Apresentado por: Sergio Bento
  • 51. Metodologia para Cálculo da Carga de Tributos e Encargos Exemplo: Arrecadação de Tributos e Encargos [Amostra, 2008] Geração Transmissão Distribuição R$8,6 bilhõesR$ 1,8 bilhões R$ 35,9 bilhões Total arrecadado pela amostra de empresas em 2008: R$ 46,2 bilhões 27
  • 52. Energia para Consumo Industrial - 2009 Dinamarca 80,00 Brasil 41,09 Austria 15,00 Alemanha 12,30 Noruega 10,00 Itália 10,00 Inglaterra 5,90 Estonia 3,20 Impostos e Finlandia 2,63 Encargos em Japão 2,50 Bélgica 2,21 Euros/MWh Bulgária 0,51 Irlanda 0,50 Eslovênia 0,50 Letônia 0,49 Romênia 0,25 Suécia 0,00 Holanda 0,00 Carga Comparada de Tributos e EncargosConsolidação 28 Fonte Dados dos Países: CESIfo, 2009; Brasil: PwC, 2008 Fonte Preço da Energia: PSR _ Mario Veiga – Apud ANEEL, 2008