A formiga horripilante[1]

1.446 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.446
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A formiga horripilante[1]

  1. 1. 9 w t)
  2. 2. Era uma vez uma formiga horripilante, que era muito, mas mesmo muito feio.
  3. 3. Não havia bichclroco que não fosse feio. Mas ela era de longe a mais feia de todos. .. Uau! Ç 4 '~ À ~ '_ , ~ V . e t À x , - “ f ' 1 ! À * ; I ' _ › Í i »j g V» % , ? e , H ~ I r Á ; fp › / Í a A *z u. ? *. _'
  4. 4. ?I N_ 'ÇÇ-ã-. .g x xA Tinha uns olhos enormes e MUITO vesgos, uma cabeça disforme e cheia de tremeliques, umas costas com muitos pêlos grandes e ósperos, / R e umas pernas roxas. todas tortas. .. Quando se olhava para ela, dava logo vontade de fugir!
  5. 5. A formiga horripilante não compreendia por que é que os outros bicharocos não eram parecidos com ela. E então perguntou-lhes: -- Ó bicharoco vermelho às pintinhas, porque é que os teus olhos são tão pequeninos em vez de vesgos e enormes como os meus? - Os meus olhos são pequeninos para me poder esconder entre as cerejas e fugir aos pássaros - disse o bicharoco vermelho às pintinhas.
  6. 6. Hacer: = meu trai-Ie, nx 11:: : 'utero ist-wenn: :(5: 'ms nlirjlli: z vlwsrrae : G3: (au níítwe grwlsneru: =~ img: : : nmrr- ue uyn= swnx~ãf yurgnalnrwa= a "i7 'níus -~n: viaxl»lulaua funil' n: *Jaküíílk* ont-rins* = V: : 'uma mtu* m; f')¡a": :|n: í] = z m u: “Jhlfls”. s : azumm . e »restam es» meu › qz-: :up ~s 3 u: : 'JIE- : :Mauri : :Mika
  7. 7. - Ó bicharoco azul e cintilante, porque é que tens asas tão grandes e esvoaçantes e eu não tenho nenhumas? - perguntou a formiga horripilante. _o m, - Eu uso as minhas asas grandes M" ° m' e esvoaçantes para voar a toda CN o velocidade pelo ar e me escapar à _. _____ dos passaros. .. " ~_. .' ›--
  8. 8. I Assim ninguém _ga 'L' me apanha! ~ exclamou i5.? A o bicharoco azul 4,» *A e cintilante. A A. ,""", ' rf' ig. 1/ »e p.
  9. 9. r Hmmmm - ensou formiga p orripilante. “x05 pGQUBNIHOS, Costas v ¡ç! / : :: AQ __ ~' [ff x Q QNQ , fz/ Ac 050;: * 020o be' x/ ?Âg '20 ; gr/ ã / n l( u . .I / rxf u _l l í 'A33' x. “') / este” / › , -_ ,752 f”, i. ,
  10. 10. l ' . í J c _ O í _l - . .V . a: w'
  11. 11. A. Então, a formiga horripilante lembrou-se de fazer uma máscara para esconder os seus enormes olhos vesgos. . . 3 z e f, t : ' x ii, A_ 'j' . _ , '4 A r ' ¡ f_ é# / 7 ' l 'fi' 7/ ~ . _ N x. n 4 l» .
  12. 12. serviu-se de uma folha para fazer que as suas costas parecessem macias e verdes. .. J__)- _ LYKÉ¡ . . __ V r' . .Õ l 4' , ;L ¡ , v f ; L x , " 1./ *Hi à 'M / › . - ' * x J r 'x J 4;: e . ndñ _É_ ¡à! YÀ , r íâ 7” ÇÍ. .. e chegou ate' J a encontrar um por de asas esvoaçantes. - Agora mais nenhum pássaro me põe os olhos em cima! ~ disse ela. ma. .. «ç
  13. 13. Mas estava muito enganada. O seu disfarce ridículo era um chamariz para os pássaros. Agora todos a podiam ver, até mesmo um passaroco esfomeado, lá longe , Tchanõao! no CEU. _à F '^Í«. l. t' o l ' " ; g «n _1 , .39 E _L j, ñ «É l_I l 44'; - * l' l/ "Íff ' , I I Ç 1 / w_ _v I 5*"" “ q* x (A, l
  14. 14. u' - Que petisco! - exclamou o passaroco_- _. _¡ - olha para aquela formiga suculenta . r _C7 t. " _ clí em baixo. Que delícia! E num voo ' : :ado preparou-se para saborear um aitéu de seis patas. Z P_ / z a . r fa! . z l __ -l r' . ,o . V, a ° ~ A inc: 1-" r* '.
  15. 15. Aí Oi! - gritou a formiga horripilante. ã medida que o passaroco se aproximava. Os outros bicharocos esconderam-se e fugiram a toda a velocidade. Mas, de repente. algo de muito estranho aconteceu. .. l
  16. 16. O PÂNICO tornou a formiga horripilante mil vezes mais feia. os seus amos vesgos se e que 1330 em aumentaram ainda DOSSÍVBk mais de tamanho. / / / A sua cabeça desengonçada t_ foi sacudida por tremeliques e abanões. / '. . . "x Os pêlos ásperos A N_ das costas “xcà eriçaram-se todos. “F , ¡¡| IIII| › 'Q x x 'x E. as suas f 'X * pernas tortas agitavam-se ã no ar Úüünnulilb I. -n
  17. 17. -- @ue horl^os^i -- comentou o passaroco. - Que bicho NOJENTO, Dá-me voltas ao estômago. E foi-se embora a voar; ã procura de uma centopeia sumarenta.
  18. 18. l $ l _ W '. .-'*'. _í I la¡- k : um: ,é Ã 'f' - gritaram em coro todos os bicharocos. - Adoro ser horripilante! - confessou a formiga muito orgulhosa. '“' E o Sr: Formiga, que . Í era igualmente , vu/ f horripilante, não t' / e M podia estar mais *- , N¡ A' - Ela é TÃO horripilante que assustou . /)“': r” , V, _J o passaro! (j “Vini g de acordo. Ele * ' ã _ Y achava que ela era . .l _ V ' v ' I xx¡ , .f. 5x 7 í Ara? , . uma verdadeira beldade. ._ L . ... ... . . - Y kl V3 t") 4 xx 1 X3132 ¡j! A AW . _4= v l ? ff / l
  19. 19. Apaixonaram-se perdidamente um pelo outro e tiveram muitos filhinhos horripilantes. . .cx- e, 4°. »~. f”. n, .D613 . . M cai/ Ma: “Ílyll Õ| '-: 'D ' '- h: “"a"'% "Vl-auânctrañ# h . n 53°. ; A . « ' . .'u 7 ã ' 7:51 ' -. ^°"r"'. '-? 5'713'/ _"'Í 5;/ .- , .w . -n . w ç â e. .l.
  20. 20. . t. -“*-. fi. a cada um era mais horripilante que o outro! xi' . e. - _. .. - ' . ”› Wax" rec» ” aa. ; ' 'a' H ' 'w l; 'EUJJÍ
  21. 21. 'EJ / l/ : r: -'. ' . ez r: fcrzzç: ": ,rrfp: .:'›te, c. : cr: MUÍÍO. ': s mes": "sic feia E _' : :Trctc . -;r°~2 'o às czntcüs. :cm c '23 cecerrzs, :rn: se esccüer r: s : :re zs. E : :rc : :t-"zrcto ': ç": : . '25. co'. :: $155 -: ::: s e teria-s ccrc se : cwf-fnr : c- ss f: ': s. “zs c far-g: : ': rr: o:. :1'. c, : :;'e: :*': . so te'. -ns c "as xesçzs e mas : :stzs : '›2:; s : e secs. Cc-s e' c-e e. : se ›; .~. -:: :' c: :z: :e . r tasscrcrc esfcrecio *: 51:6: 2-; ~. 'Z refe-gc: s. : eztc : -. sets t : :C57 l l

×