SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
Metashop: laboratório experimental de tecnologia
O QUE É?
Makerspace
Metashop é um makerspace, ou seja, um espaço interdisciplinar de criação,
investigação e experiência que disponibiliza dispositivos e equipamentos para a
produção de conhecimentos, protótipos e produtos ligados, especialmente, a
tecnologia, ciência, arte e cultura.
Makerspace
O QUE É?
É um ambiente de trabalho colaborativo que tem como base o compartilhamento
de ferramentas e aprendizados para a concretização de ideias. Profissionais e
amadores são bem-vindos e podem ter acesso ao maquinário disponível.
O que o Metashop oferece?
Makerspace
COMO FUNCIONA?
Acesso a profissionais qualificados,
softwares e equipamentos, permitindo
que a exploração do universo “maker”
seja feita por qualquer cidadão;
Um ambiente baseado na colaboração,
curiosidade e criatividade;
Cursos e mentorias;
Espaço para ações geridas pela própria
comunidade frequentadora do espaço;
Aceleradora de negócios de hardware
e rede de investidores*
*a ser implementada na fase II do projeto
Quais equipamentos estão
disponíveis no Metashop?
Makerspace
COMO FUNCIONA?
Impressoras 3D
Máquinas de corte a laser
Máquina de corte de vinil
Fresadora
Equipamento de marcenaria
Equipamento de corte e costura
Máquina de silk screen
Estação de retrabalho BGA
Kits de arduíno
Kits de solda
entre outras máquinas e materiais...
//
Makerspaces representam a democratização do acesso às ferramentas da inovação
O que é produzido em um makerspace?
SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS DE BAIXO CUSTO
(projetor criado pelo projeto Frugal Digital, na África, a partir de uma lancheira e um
telefone celular)
Soluções caseiras para problemas locais, utlizando materiais
reciclados, tecnologias simples e acessíveis.
PROTÓTIPOS DE PRODUTOS
(Square: aplicativo para pagamentos em celular, cujo protótipo foi criado em um
makerspace nos Estados Unidos no período de uma tarde)
Desenvolvimento de protótipos, que podem vir a originar
produtos importantes para o mercado de inovação.
Makerspace
PARA QUE?
O que é produzido em um makerspace?
PROJETOS ARTÍSTICOS
(Projeto Symbiosis: projeção de vídeo mapping feita em árvores pela artista
visual paraense Roberta Carvalho)
Experimentações e desenvolvimento de linguagens e
estéticas contemporâneas, com base nas novas mídias e as
mais diversas tecnologias disponíveis.
AÇÕES DE CIDADANIA
(página inicial do site Queremos Saber, criado para armazenar pedidos feitos pelos
cidadãos a partir da lei de acesso à informação e as respostas dos órgãos públicos)
Criação e desenvolvimento de soluções para o controle
social, promoção de transparência pública, diminuição de
desigualdades sócio-econômicas, denúncias.
Makerspace
PARA QUE?
O que é produzido em um makerspace?
ENCONTROS IMPROVÁVEIS
(A designer Luiza Peixe e Gilberto Gil em oficina de open design, durante o Festival
Internacional CulturaDigital.Br, em dezembro de 2011)
Ao atrair um público composto pelas mais diversas faixas
etárias e áreas de interesse, os frequentadores do Metashop
vivenciam um espaço multidisciplinar.
IDEIAS MIRABOLANTES
(Jardim Suspenso no Minhocão, criado como parte da programação do Festival Baixo
Centro, grupo de atividades autogestionadas que ocorreu em SP em 2012 e 2013)
Dos encontros e trocas estabelecidas entre esses públicos
diversos nascem ocupações criativas, movimentos, projetos,
produtos, empresas, negócios e sonhos.
Makerspace
PARA QUE?
Makerspaces são comunidades nas quais se constroem sonhos
//
Makerspace
ONDE?
Por que um makerspace
no Rio de Janeiro?
O Brasil ainda não possui um laboratório experimental
de tecnologia nesses moldes, apesar de manter uma
enorme comunidade realizadora e interessada no
assunto.
A vocação do Rio de Janeiro para a criatividade,
inovação e sua capacidade de síntese dos problemas
brasileiros fazem da cidade o local ideal para a
instalação do Metashop.
Dialogar com a cidade de forma integrada, para além
dos seus cartões postais e belezas naturais, é objetivo
do espaço.
O momento certo!
Makerspace
POR QUE?
A entrada em massa dos brasileiros das diversas classes
sociais e idades na internet evidenciam o potencial do uso
de novas tecnologias no país;
Crecimento da cena Maker e, por consequência,
implantação de hackerspaces, makerspaces, fablabs em
todos os continentes, formando uma poderosa rede de
troca de conhecimentos;
A tendência da web é a chamada “Internet das Coisas”, ou
seja, a ligação de objetos físicos a base de dados e rede e à
rede das redes, o que torna imprescindível criar reflexões
e aplicações nacionais baseadas em hardware;
Estímulo ao potencial local
Makerspace
POR QUE?
Já existem cerca de 40 hackerspaces em atividade
no país e mais de 5 em formação. Todos foram
criados nos últimos 3 anos.
A diferença em relação a esses espaços é que os
makerspaces são providos de equipamentos mais
robustos e orientação profissional, difundindo a
cultura dos hackerspaces para outros públicos.
Ambos atuam em parceria, assim como aos fablabs
(laboratórios de fabricação digital mais focados em
design de produtos), construindo um ecossistema
essencial à democratização das ferramentas
necessárias à inovação.
Hackerspaces em atividades pelo mundo: http://hackerspaces.org/wiki/List_of_Hacker_Spaces
Sede do Noisebridge, em São Francisco, nos EUA: um dos hackerspaces mais conhecidos do mundo
12~18 maio 2013
Makerspaces são ambientes de buscas para soluções de problemas cotidianos
1.
2.
3.
Cobrança de mensalidade para uso do espaço e equipamentos. Preços
diferenciados por grupos de equipamentos e números de horas de uso.
Cobrança para a participação em cursos e oficinas dedicados, ou não, ao uso dos
materiais disponíveis no espaço.
Patrocínio de empresas e órgãos governamentais em troca de visibilidade de
marca e ações promocionais ligadas à missão das empresas (ex: hackathons,
desafios de aplicativos e soluções tecnológicas etc).
Aluguel do espaço para eventos relacionados com temáticas e processos
abordados no Metashop.
Venda de insumos necessários ao uso dos equipamentos.
4.
5.
Viabilidade Econômica
Makerspace
COMO?
7.
Viabilidade Econômica
Makerspace
COMO?
10% da venda de produtos criados no espaço e comercializados em
“lojinha” a ser montada no local e em plataforma web.
Aceleradora de negócios baseados em hardware (produtos manufaturados),
a ser implementada no futuro, com o Metashop em funcionamento.
6.
TECHSHOP (http://www.techshop.ws)
Rede de makerspaces criada em 2006 nos Estados Unidos. Um
dos maiores, se não o maior, e mais influente makerspace do
mundo. É ligada à MakeFair, evento de estímulo da cultura do
“faça você mesmo”. É mantido pela receita gerada pelos usuários.
IceAddis (http://www.iceaddis.com)
Makerspace situado na Etiópia focado em inovação social e
empreendedorismo, integrante da rede Afrilabs, que conecta
laboratórios de inovação da África. É mantido principalmente por
patrocínios de empresas de tecnologia.
Makerspace
REFERÊNCIAS
Outros makerspaces pelo mundo
Makerspaces representam a biblioteca do futuro: um espaço de aprendizagem e acesso ao conhecimento
//
Cronograma
Janeiro a
Setembro
2013
Outubro
2013
Novembro
2013
Dezembro
2013
Janeiro
2014
Fevereiro
2014
•Planejam
ento
•Indentificação
de
parceiros
•Estudo
de
viabilidade
econôm
ica
•Captação
de
recursos
•Parcerias
•Planejam
ento
da
Infraestrutura
física
•Com
pra
de
equipam
entos
im
portados
•Criação
de
Com
unidade
•Im
plantação
da
infraestrtura
física
•Articulação
•Seleção
de
equipe
•Com
pra
de
equipam
entos
nacionais
•G
estão
de
com
unidade
•Planejam
ento
e
captação
da
aceleradora
de
hardware
•Divulgação
•Ajustes
finais
2015IMPLEMENTAÇÃO
O MAKERSPACE
Algumas das ações previstas
implantação de
ACELERADORA
DE NEGÓCIOS de
HARDWARE: potencial futuro
Uma vez captado o aporte inicial, são necessários 5
meses para a implementação do Makerspace
Makerspace
QUANDO?
PREPARAÇÃO
MAR
2014

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Metashop: laboratório experimental de tecnologia

(2010) Cidade 2.0 - paper published at II Simpósio de Arquitetura e Urbanismo...
(2010) Cidade 2.0 - paper published at II Simpósio de Arquitetura e Urbanismo...(2010) Cidade 2.0 - paper published at II Simpósio de Arquitetura e Urbanismo...
(2010) Cidade 2.0 - paper published at II Simpósio de Arquitetura e Urbanismo...Heloisa Neves
 
Meta Jim ApresentaçãO 2008
Meta Jim ApresentaçãO 2008Meta Jim ApresentaçãO 2008
Meta Jim ApresentaçãO 2008Hudson Augusto
 
Meta Jim ApresentaçãO 2008
Meta Jim ApresentaçãO 2008Meta Jim ApresentaçãO 2008
Meta Jim ApresentaçãO 2008Hudson Augusto
 
workshop - Conheça o Fab Lab: Como criar um Fab Lab
workshop - Conheça o Fab Lab: Como criar um Fab Labworkshop - Conheça o Fab Lab: Como criar um Fab Lab
workshop - Conheça o Fab Lab: Como criar um Fab LabHeloisa Neves
 
ICPD_2011_2012
ICPD_2011_2012ICPD_2011_2012
ICPD_2011_2012Rui Raposo
 
book // Fab Lab: A Vanguarda da Nova Revolução Industrial (Fabien Eychenne + ...
book // Fab Lab: A Vanguarda da Nova Revolução Industrial (Fabien Eychenne + ...book // Fab Lab: A Vanguarda da Nova Revolução Industrial (Fabien Eychenne + ...
book // Fab Lab: A Vanguarda da Nova Revolução Industrial (Fabien Eychenne + ...Heloisa Neves
 
Apresentação Templo
Apresentação TemploApresentação Templo
Apresentação TemploTemplo
 
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura Digital
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura DigitalOficina Autoria x Propriedade na Cultura Digital
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura DigitalDebora Sebriam
 
Olabi - tecnologia. inovação.criatividade
Olabi - tecnologia. inovação.criatividadeOlabi - tecnologia. inovação.criatividade
Olabi - tecnologia. inovação.criatividadeGabriela Agustini
 
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura Digital
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura DigitalOficina Autoria x Propriedade na Cultura Digital
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura DigitalREA Brasil
 
REA: Práticas Colaborativas na Web
REA: Práticas Colaborativas na Web REA: Práticas Colaborativas na Web
REA: Práticas Colaborativas na Web REA Brasil
 
Gina Paladino - Soluções e Conteúdos Digitais
Gina Paladino - Soluções e Conteúdos DigitaisGina Paladino - Soluções e Conteúdos Digitais
Gina Paladino - Soluções e Conteúdos DigitaisCICI2011
 
Fluig Webinar #2 - Digital Workplace, com Ricardo Saldanha
Fluig Webinar #2 - Digital Workplace, com Ricardo SaldanhaFluig Webinar #2 - Digital Workplace, com Ricardo Saldanha
Fluig Webinar #2 - Digital Workplace, com Ricardo SaldanhaFluig
 

Semelhante a Metashop: laboratório experimental de tecnologia (20)

(2010) Cidade 2.0 - paper published at II Simpósio de Arquitetura e Urbanismo...
(2010) Cidade 2.0 - paper published at II Simpósio de Arquitetura e Urbanismo...(2010) Cidade 2.0 - paper published at II Simpósio de Arquitetura e Urbanismo...
(2010) Cidade 2.0 - paper published at II Simpósio de Arquitetura e Urbanismo...
 
Modulo Metareciclagem
Modulo MetareciclagemModulo Metareciclagem
Modulo Metareciclagem
 
Modulo Metareciclagem
Modulo MetareciclagemModulo Metareciclagem
Modulo Metareciclagem
 
Meta Jim ApresentaçãO 2008
Meta Jim ApresentaçãO 2008Meta Jim ApresentaçãO 2008
Meta Jim ApresentaçãO 2008
 
Meta Jim ApresentaçãO 2008
Meta Jim ApresentaçãO 2008Meta Jim ApresentaçãO 2008
Meta Jim ApresentaçãO 2008
 
workshop - Conheça o Fab Lab: Como criar um Fab Lab
workshop - Conheça o Fab Lab: Como criar um Fab Labworkshop - Conheça o Fab Lab: Como criar um Fab Lab
workshop - Conheça o Fab Lab: Como criar um Fab Lab
 
MetaSorocaba Conteudo
MetaSorocaba ConteudoMetaSorocaba Conteudo
MetaSorocaba Conteudo
 
ICPD_2011_2012
ICPD_2011_2012ICPD_2011_2012
ICPD_2011_2012
 
Espaco MAKER.pptx
Espaco MAKER.pptxEspaco MAKER.pptx
Espaco MAKER.pptx
 
book // Fab Lab: A Vanguarda da Nova Revolução Industrial (Fabien Eychenne + ...
book // Fab Lab: A Vanguarda da Nova Revolução Industrial (Fabien Eychenne + ...book // Fab Lab: A Vanguarda da Nova Revolução Industrial (Fabien Eychenne + ...
book // Fab Lab: A Vanguarda da Nova Revolução Industrial (Fabien Eychenne + ...
 
Apresentação Templo
Apresentação TemploApresentação Templo
Apresentação Templo
 
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura Digital
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura DigitalOficina Autoria x Propriedade na Cultura Digital
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura Digital
 
Olabi - tecnologia. inovação.criatividade
Olabi - tecnologia. inovação.criatividadeOlabi - tecnologia. inovação.criatividade
Olabi - tecnologia. inovação.criatividade
 
Metanave
MetanaveMetanave
Metanave
 
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura Digital
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura DigitalOficina Autoria x Propriedade na Cultura Digital
Oficina Autoria x Propriedade na Cultura Digital
 
REA: Práticas Colaborativas na Web
REA: Práticas Colaborativas na Web REA: Práticas Colaborativas na Web
REA: Práticas Colaborativas na Web
 
Metareciclagem
MetareciclagemMetareciclagem
Metareciclagem
 
Cultura maker
Cultura makerCultura maker
Cultura maker
 
Gina Paladino - Soluções e Conteúdos Digitais
Gina Paladino - Soluções e Conteúdos DigitaisGina Paladino - Soluções e Conteúdos Digitais
Gina Paladino - Soluções e Conteúdos Digitais
 
Fluig Webinar #2 - Digital Workplace, com Ricardo Saldanha
Fluig Webinar #2 - Digital Workplace, com Ricardo SaldanhaFluig Webinar #2 - Digital Workplace, com Ricardo Saldanha
Fluig Webinar #2 - Digital Workplace, com Ricardo Saldanha
 

Mais de Gabriela Agustini

Como a cultura maker vai mudar o modo de produção global
Como a cultura maker vai mudar o modo de produção globalComo a cultura maker vai mudar o modo de produção global
Como a cultura maker vai mudar o modo de produção globalGabriela Agustini
 
Cidadãos como protagonistas das transformações sociais
Cidadãos como protagonistas das transformações sociaisCidadãos como protagonistas das transformações sociais
Cidadãos como protagonistas das transformações sociaisGabriela Agustini
 
Movimento Maker e Educação
Movimento Maker e EducaçãoMovimento Maker e Educação
Movimento Maker e EducaçãoGabriela Agustini
 
Diversidade cultural gilberto gil
Diversidade cultural gilberto gilDiversidade cultural gilberto gil
Diversidade cultural gilberto gilGabriela Agustini
 
Social Entrepreneurship - International School of Law and Technology
Social Entrepreneurship - International School of Law and TechnologySocial Entrepreneurship - International School of Law and Technology
Social Entrepreneurship - International School of Law and TechnologyGabriela Agustini
 
A tecnologia pode salvar a gente? | A gente pode salvar a tecnologia?
A tecnologia pode salvar a gente? | A gente pode salvar a tecnologia?A tecnologia pode salvar a gente? | A gente pode salvar a tecnologia?
A tecnologia pode salvar a gente? | A gente pode salvar a tecnologia?Gabriela Agustini
 
Makersfor Global Good Report
Makersfor Global Good ReportMakersfor Global Good Report
Makersfor Global Good ReportGabriela Agustini
 
Pretalab- apresentação institucional
Pretalab- apresentação institucionalPretalab- apresentação institucional
Pretalab- apresentação institucionalGabriela Agustini
 
Cultura e tecnologia - aula2
Cultura e tecnologia - aula2Cultura e tecnologia - aula2
Cultura e tecnologia - aula2Gabriela Agustini
 
Cultura e tecnologia - aula1
Cultura e tecnologia - aula1Cultura e tecnologia - aula1
Cultura e tecnologia - aula1Gabriela Agustini
 
Global Innovation Gathering featured in Make Magazine Germany
Global Innovation Gathering featured in Make Magazine GermanyGlobal Innovation Gathering featured in Make Magazine Germany
Global Innovation Gathering featured in Make Magazine GermanyGabriela Agustini
 
Inovação de baixo para cima e o poder dos cidadãos
Inovação de baixo para cima e o poder dos cidadãos Inovação de baixo para cima e o poder dos cidadãos
Inovação de baixo para cima e o poder dos cidadãos Gabriela Agustini
 
Makerspaces e hubs de inovação
Makerspaces e hubs de inovaçãoMakerspaces e hubs de inovação
Makerspaces e hubs de inovaçãoGabriela Agustini
 
Autodesk University Brasil 2016
Autodesk University Brasil 2016 Autodesk University Brasil 2016
Autodesk University Brasil 2016 Gabriela Agustini
 
Innovation for everyone - Olabi Makerspace
Innovation for everyone - Olabi MakerspaceInnovation for everyone - Olabi Makerspace
Innovation for everyone - Olabi MakerspaceGabriela Agustini
 

Mais de Gabriela Agustini (20)

Como a cultura maker vai mudar o modo de produção global
Como a cultura maker vai mudar o modo de produção globalComo a cultura maker vai mudar o modo de produção global
Como a cultura maker vai mudar o modo de produção global
 
Cidadãos como protagonistas das transformações sociais
Cidadãos como protagonistas das transformações sociaisCidadãos como protagonistas das transformações sociais
Cidadãos como protagonistas das transformações sociais
 
Inovação digital
Inovação digital Inovação digital
Inovação digital
 
Movimento Maker e Educação
Movimento Maker e EducaçãoMovimento Maker e Educação
Movimento Maker e Educação
 
Cultura digital - Aula 4
Cultura digital - Aula 4Cultura digital - Aula 4
Cultura digital - Aula 4
 
Cultura Digital- aula 3
Cultura Digital- aula 3Cultura Digital- aula 3
Cultura Digital- aula 3
 
Cultura Digital- aula 2
Cultura Digital- aula 2Cultura Digital- aula 2
Cultura Digital- aula 2
 
Diversidade cultural gilberto gil
Diversidade cultural gilberto gilDiversidade cultural gilberto gil
Diversidade cultural gilberto gil
 
Social Entrepreneurship - International School of Law and Technology
Social Entrepreneurship - International School of Law and TechnologySocial Entrepreneurship - International School of Law and Technology
Social Entrepreneurship - International School of Law and Technology
 
A tecnologia pode salvar a gente? | A gente pode salvar a tecnologia?
A tecnologia pode salvar a gente? | A gente pode salvar a tecnologia?A tecnologia pode salvar a gente? | A gente pode salvar a tecnologia?
A tecnologia pode salvar a gente? | A gente pode salvar a tecnologia?
 
Makersfor Global Good Report
Makersfor Global Good ReportMakersfor Global Good Report
Makersfor Global Good Report
 
7 Forum Nacional de Museus
7 Forum Nacional de Museus7 Forum Nacional de Museus
7 Forum Nacional de Museus
 
Pretalab- apresentação institucional
Pretalab- apresentação institucionalPretalab- apresentação institucional
Pretalab- apresentação institucional
 
Cultura e tecnologia - aula2
Cultura e tecnologia - aula2Cultura e tecnologia - aula2
Cultura e tecnologia - aula2
 
Cultura e tecnologia - aula1
Cultura e tecnologia - aula1Cultura e tecnologia - aula1
Cultura e tecnologia - aula1
 
Global Innovation Gathering featured in Make Magazine Germany
Global Innovation Gathering featured in Make Magazine GermanyGlobal Innovation Gathering featured in Make Magazine Germany
Global Innovation Gathering featured in Make Magazine Germany
 
Inovação de baixo para cima e o poder dos cidadãos
Inovação de baixo para cima e o poder dos cidadãos Inovação de baixo para cima e o poder dos cidadãos
Inovação de baixo para cima e o poder dos cidadãos
 
Makerspaces e hubs de inovação
Makerspaces e hubs de inovaçãoMakerspaces e hubs de inovação
Makerspaces e hubs de inovação
 
Autodesk University Brasil 2016
Autodesk University Brasil 2016 Autodesk University Brasil 2016
Autodesk University Brasil 2016
 
Innovation for everyone - Olabi Makerspace
Innovation for everyone - Olabi MakerspaceInnovation for everyone - Olabi Makerspace
Innovation for everyone - Olabi Makerspace
 

Último

Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 

Último (20)

Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 

Metashop: laboratório experimental de tecnologia

  • 2. O QUE É? Makerspace Metashop é um makerspace, ou seja, um espaço interdisciplinar de criação, investigação e experiência que disponibiliza dispositivos e equipamentos para a produção de conhecimentos, protótipos e produtos ligados, especialmente, a tecnologia, ciência, arte e cultura.
  • 3. Makerspace O QUE É? É um ambiente de trabalho colaborativo que tem como base o compartilhamento de ferramentas e aprendizados para a concretização de ideias. Profissionais e amadores são bem-vindos e podem ter acesso ao maquinário disponível.
  • 4. O que o Metashop oferece? Makerspace COMO FUNCIONA? Acesso a profissionais qualificados, softwares e equipamentos, permitindo que a exploração do universo “maker” seja feita por qualquer cidadão; Um ambiente baseado na colaboração, curiosidade e criatividade; Cursos e mentorias; Espaço para ações geridas pela própria comunidade frequentadora do espaço; Aceleradora de negócios de hardware e rede de investidores* *a ser implementada na fase II do projeto
  • 5. Quais equipamentos estão disponíveis no Metashop? Makerspace COMO FUNCIONA? Impressoras 3D Máquinas de corte a laser Máquina de corte de vinil Fresadora Equipamento de marcenaria Equipamento de corte e costura Máquina de silk screen Estação de retrabalho BGA Kits de arduíno Kits de solda entre outras máquinas e materiais...
  • 6. // Makerspaces representam a democratização do acesso às ferramentas da inovação
  • 7. O que é produzido em um makerspace? SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS DE BAIXO CUSTO (projetor criado pelo projeto Frugal Digital, na África, a partir de uma lancheira e um telefone celular) Soluções caseiras para problemas locais, utlizando materiais reciclados, tecnologias simples e acessíveis. PROTÓTIPOS DE PRODUTOS (Square: aplicativo para pagamentos em celular, cujo protótipo foi criado em um makerspace nos Estados Unidos no período de uma tarde) Desenvolvimento de protótipos, que podem vir a originar produtos importantes para o mercado de inovação. Makerspace PARA QUE?
  • 8. O que é produzido em um makerspace? PROJETOS ARTÍSTICOS (Projeto Symbiosis: projeção de vídeo mapping feita em árvores pela artista visual paraense Roberta Carvalho) Experimentações e desenvolvimento de linguagens e estéticas contemporâneas, com base nas novas mídias e as mais diversas tecnologias disponíveis. AÇÕES DE CIDADANIA (página inicial do site Queremos Saber, criado para armazenar pedidos feitos pelos cidadãos a partir da lei de acesso à informação e as respostas dos órgãos públicos) Criação e desenvolvimento de soluções para o controle social, promoção de transparência pública, diminuição de desigualdades sócio-econômicas, denúncias. Makerspace PARA QUE?
  • 9. O que é produzido em um makerspace? ENCONTROS IMPROVÁVEIS (A designer Luiza Peixe e Gilberto Gil em oficina de open design, durante o Festival Internacional CulturaDigital.Br, em dezembro de 2011) Ao atrair um público composto pelas mais diversas faixas etárias e áreas de interesse, os frequentadores do Metashop vivenciam um espaço multidisciplinar. IDEIAS MIRABOLANTES (Jardim Suspenso no Minhocão, criado como parte da programação do Festival Baixo Centro, grupo de atividades autogestionadas que ocorreu em SP em 2012 e 2013) Dos encontros e trocas estabelecidas entre esses públicos diversos nascem ocupações criativas, movimentos, projetos, produtos, empresas, negócios e sonhos. Makerspace PARA QUE?
  • 10. Makerspaces são comunidades nas quais se constroem sonhos //
  • 11. Makerspace ONDE? Por que um makerspace no Rio de Janeiro? O Brasil ainda não possui um laboratório experimental de tecnologia nesses moldes, apesar de manter uma enorme comunidade realizadora e interessada no assunto. A vocação do Rio de Janeiro para a criatividade, inovação e sua capacidade de síntese dos problemas brasileiros fazem da cidade o local ideal para a instalação do Metashop. Dialogar com a cidade de forma integrada, para além dos seus cartões postais e belezas naturais, é objetivo do espaço.
  • 12. O momento certo! Makerspace POR QUE? A entrada em massa dos brasileiros das diversas classes sociais e idades na internet evidenciam o potencial do uso de novas tecnologias no país; Crecimento da cena Maker e, por consequência, implantação de hackerspaces, makerspaces, fablabs em todos os continentes, formando uma poderosa rede de troca de conhecimentos; A tendência da web é a chamada “Internet das Coisas”, ou seja, a ligação de objetos físicos a base de dados e rede e à rede das redes, o que torna imprescindível criar reflexões e aplicações nacionais baseadas em hardware;
  • 13. Estímulo ao potencial local Makerspace POR QUE? Já existem cerca de 40 hackerspaces em atividade no país e mais de 5 em formação. Todos foram criados nos últimos 3 anos. A diferença em relação a esses espaços é que os makerspaces são providos de equipamentos mais robustos e orientação profissional, difundindo a cultura dos hackerspaces para outros públicos. Ambos atuam em parceria, assim como aos fablabs (laboratórios de fabricação digital mais focados em design de produtos), construindo um ecossistema essencial à democratização das ferramentas necessárias à inovação. Hackerspaces em atividades pelo mundo: http://hackerspaces.org/wiki/List_of_Hacker_Spaces Sede do Noisebridge, em São Francisco, nos EUA: um dos hackerspaces mais conhecidos do mundo
  • 14. 12~18 maio 2013 Makerspaces são ambientes de buscas para soluções de problemas cotidianos
  • 15. 1. 2. 3. Cobrança de mensalidade para uso do espaço e equipamentos. Preços diferenciados por grupos de equipamentos e números de horas de uso. Cobrança para a participação em cursos e oficinas dedicados, ou não, ao uso dos materiais disponíveis no espaço. Patrocínio de empresas e órgãos governamentais em troca de visibilidade de marca e ações promocionais ligadas à missão das empresas (ex: hackathons, desafios de aplicativos e soluções tecnológicas etc). Aluguel do espaço para eventos relacionados com temáticas e processos abordados no Metashop. Venda de insumos necessários ao uso dos equipamentos. 4. 5. Viabilidade Econômica Makerspace COMO?
  • 16. 7. Viabilidade Econômica Makerspace COMO? 10% da venda de produtos criados no espaço e comercializados em “lojinha” a ser montada no local e em plataforma web. Aceleradora de negócios baseados em hardware (produtos manufaturados), a ser implementada no futuro, com o Metashop em funcionamento. 6.
  • 17. TECHSHOP (http://www.techshop.ws) Rede de makerspaces criada em 2006 nos Estados Unidos. Um dos maiores, se não o maior, e mais influente makerspace do mundo. É ligada à MakeFair, evento de estímulo da cultura do “faça você mesmo”. É mantido pela receita gerada pelos usuários. IceAddis (http://www.iceaddis.com) Makerspace situado na Etiópia focado em inovação social e empreendedorismo, integrante da rede Afrilabs, que conecta laboratórios de inovação da África. É mantido principalmente por patrocínios de empresas de tecnologia. Makerspace REFERÊNCIAS Outros makerspaces pelo mundo
  • 18. Makerspaces representam a biblioteca do futuro: um espaço de aprendizagem e acesso ao conhecimento //
  • 19. Cronograma Janeiro a Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 Janeiro 2014 Fevereiro 2014 •Planejam ento •Indentificação de parceiros •Estudo de viabilidade econôm ica •Captação de recursos •Parcerias •Planejam ento da Infraestrutura física •Com pra de equipam entos im portados •Criação de Com unidade •Im plantação da infraestrtura física •Articulação •Seleção de equipe •Com pra de equipam entos nacionais •G estão de com unidade •Planejam ento e captação da aceleradora de hardware •Divulgação •Ajustes finais 2015IMPLEMENTAÇÃO O MAKERSPACE Algumas das ações previstas implantação de ACELERADORA DE NEGÓCIOS de HARDWARE: potencial futuro Uma vez captado o aporte inicial, são necessários 5 meses para a implementação do Makerspace Makerspace QUANDO? PREPARAÇÃO MAR 2014