A BAMCRUS - Bambuzeria Cruzeiro do Sul,
fundada em Belo Horizonte – MG
no ano de 1999
e qualificada como OSCIP em 2001,
fo...
Estrutura Geodésica
Sustenta um movimento de
mobilização e constante articulação
social para, durante um período de
30 anos, desenvolver e con...
Atrelada à dinâmica de desenvolvimento da cadeia produtiva do bambu , o
projeto apresenta uma série de tecnologias sociais...
TECNOLOGIA SOCIAL / SANITÁRIO SECO
Tecnologia Social compreende produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, desenvolv...
PREMISSAS
O lugar como ponto de partida
Alianças com propósitos
Tecnologias conectadas de forma sistêmica
Semear para as p...
Viveiro de mudas
Projeto RAVENA 30
Programas
1- Seqüestro de Carbono como Ferramenta Social
2- Qualificação para Geração de Trabalho e Rend...
Tais características o credenciam como um magnífico recurso para
seqüestro de carbono.
Este programa propõe disseminar a c...
O bambu é matéria-prima durável e de singular estética, propícia para o desenvolvimento de produtos e serviços
com alto po...
3 – Educação para a Sustentabilidade
Este programa foca a interação com as escolas
públicas, potencializando alunos e prof...
4 - Desenvolvimento de Pesquisa
Desde 1999 a OSCIP BAMCRUS, investe em pesquisas sobre tecnologias de produção para agricu...
Serviços
O CERBAMBU mantém uma equipe
de artesãos e Mestres Bambuzeiros
que executa encomendas nas áreas de mobiliário,
ob...
Desenvolvimento de Produtos
A criação de produtos para projetos
de geração de renda,
obedece um conceito baseado na releit...
Público Alvo
Sem se distanciar dos princípios da igualdade,
sustentabilidade e foco na superação da pobreza,
o Projeto RAV...
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Projeto Ravena 30
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projeto Ravena 30

350 visualizações

Publicada em

Clique na imagem, conheça o projeto "Ravena 30" e como funciona a plataforma Cerbambu Ravena - Centro de Referência do Bambu e das Tecnologias Sociais.

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
350
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto Ravena 30

  1. 1. A BAMCRUS - Bambuzeria Cruzeiro do Sul, fundada em Belo Horizonte – MG no ano de 1999 e qualificada como OSCIP em 2001, foi organizada para dar continuidade ao Programa Desenvolvimento do Ciclo do Bambu no Brasil, em andamento sob a coordenação do Mestre Bambuzeiro Lúcio Ventania desde 1986. Nesse período trabalhou ininterruptamente na ativação de processos de desenvolvimento sustentável, em mais de 50 comunidades com índices elevados de vulnerabilidade social, nas cinco regiões do país. Ao redesenhar sua metodologia e logística para capacitação de grupos a BAMCRUS criou em 2009 o CERBAMBU RAVENA Centro de Referencia do Bambu e das Tecnologias Sociais.
  2. 2. Estrutura Geodésica
  3. 3. Sustenta um movimento de mobilização e constante articulação social para, durante um período de 30 anos, desenvolver e consolidar uma cadeia produtiva, a partir do bambu, na região. O CERBAMBU está localizado no distrito de Ravena - município de Sabará em Minas Gerais. Constitui-se como uma plataforma para a dinamização do Projeto RAVENA 30
  4. 4. Atrelada à dinâmica de desenvolvimento da cadeia produtiva do bambu , o projeto apresenta uma série de tecnologias sociais, que a partir da realização de cursos, aproximam potencialidades e necessidades locais. Reunindo o poder público, sociedade civil e empresariado com um mesmo propósito, essas tecnologias possibilitam avançar, de forma sinérgica, na solução dos problemas de água e saneamento, habitação, trabalho, educação e cultura, saúde e energia. Colocando em ação os processos para a construção de uma Ravena sustentável.
  5. 5. TECNOLOGIA SOCIAL / SANITÁRIO SECO Tecnologia Social compreende produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e que representem efetivas soluções de transformação social. É um conceito que remete para uma proposta inovadora de desenvolvimento, considerando a participação coletiva no processo de organização, desenvolvimento e implementação. O sanitário seco é uma tecnologia social que usa o método da compostagem das fezes com serragem e papel higiênico, eliminando a necessidade de água potável e rede de esgoto . Fecha o ciclo de nutrientes, transformando as fezes humanas em composto orgânico seguro, sem problemas com odores. Com este sistema, o solo e o lençol freático não são contaminados e cada família pode resolver o seu problema de esgoto doméstico. Na década de 80 o distrito de Ravena chegou a registrar os maiores índices de xistose no Brasil, apesar dos esforços para diminuir os índices, pesquisas apontam que o distrito ainda é uma área de risco em potencial por apresentar fatores favoráveis à manutenção da doença. Diante desse cenário, o CERBAMBU vem trabalhando afim de criar condições para a instalação de 500 sanitários secos na área rural de Ravena.
  6. 6. PREMISSAS O lugar como ponto de partida Alianças com propósitos Tecnologias conectadas de forma sistêmica Semear para as próximas gerações DIMENSÕES Empoderamento comunitário Compromisso ambiental Valores humanos e culturais Satisfação econômica
  7. 7. Viveiro de mudas
  8. 8. Projeto RAVENA 30 Programas 1- Seqüestro de Carbono como Ferramenta Social 2- Qualificação para Geração de Trabalho e Renda 3- Educação para a Sustentabilidade 4- Desenvolvimento de Pesquisa
  9. 9. Tais características o credenciam como um magnífico recurso para seqüestro de carbono. Este programa propõe disseminar a cultura do bambu com vista à exploração de um recurso natural renovável, que evite o desmatamento. O projeto sensibiliza proprietários rurais para que em 10 anos possam gerar matéria prima capaz de suprir, com bambu, 5% do mercado mineiro de madeira para telhado, marcos, portas e janelas. O bambu possui as maiores taxas de crescimento entre os vegetais de porte arbóreo, não necessita de replantio por longos ciclos vegetativos e apresenta excelente rendimento por unidade de área. 1- Seqüestro de Carbono como Ferramenta Social A meta é cultivar, em áreas degradadas, 5 mil hectares de árvores nativas, consorciadas com diversas espécies de bambu. A venda coletiva de créditos de carbono no mercado voluntário, trará para a comunidade local uma nova perspectiva econômica, promoverá a recuperação das áreas erodidas e a preservação das reservas legais. Desenhando assim o papel das comunidades rurais na restauração da regularidade climática.
  10. 10. O bambu é matéria-prima durável e de singular estética, propícia para o desenvolvimento de produtos e serviços com alto potencial para geração de renda. O CERBAMBU oferece uma agenda de oficinas e cursos nas áreas de design, cultivo, bioconstrução, mobiliário e artesanato. Após a iniciação profissional, os interessados podem se qualificar na INCUBAM, uma incubadora para a estruturação, coletiva ou individual, de empreendimentos afins. Com a apropriação tecnológica, estímulo e suporte operacional , setores como fornecimento de matéria-prima, produção, transportes, comércio e administração, terão a oportunidade de se estabelecer de forma consciente para que o crescimento econômico na região, seja também motor de uma restauração ambiental. 2- Qualificação para Geração de Trabalho e Renda
  11. 11. 3 – Educação para a Sustentabilidade Este programa foca a interação com as escolas públicas, potencializando alunos e professores como agentes disseminadores da cultura da sustentabilidade. Além de uma agenda cultural, o Projeto disponibiliza transporte, lanche e monitores para visitas pedagógicas das escolas municipais e estaduais ao CERBAMBU, contemplando cerca de 1000 alunos e educadores por ano.
  12. 12. 4 - Desenvolvimento de Pesquisa Desde 1999 a OSCIP BAMCRUS, investe em pesquisas sobre tecnologias de produção para agricultura e aplicação do bambu na construção civil. O objetivo é viabilizar sua aplicabilidade como ativo ambiental e econômico a partir da demonstração de produtos duráveis, com alto padrão de qualidade, design atraente e baixo custo de produção. Principais ações: 1 – desenvolvimento de metodologia para quantificação do volume de carbono seqüestrado, por hectare, a partir do cultivo de diferentes espécies de bambu, comparado aos volumes identificados no cultivo de arvores tropicais. 2- pesquisa sobre vantagens e desvantagens de métodos tradicionais de propagação, em relação a tecnologia de ponta como produção de mudas em larga escala por clonagem de tecidos. 3- comparação de resistência e durabilidade de diferentes espécies de bambu em relação a madeira, ferro, aço e concreto. 4- Desenvolvimento de produtos; criação de design e modelagem de treliças espaciais, marcos, portas, janelas e forros utilizando o bambu como matéria prima.
  13. 13. Serviços O CERBAMBU mantém uma equipe de artesãos e Mestres Bambuzeiros que executa encomendas nas áreas de mobiliário, obras civis e cenografia para espetáculos e eventos. Realiza também palestras e consultorias para desenvolvimento de projetos sociais e ambientais. Os recursos obtidos coma realização dos serviços são investidos na manutenção do centro de Referencia , em projetos de pesquisa e em ações culturais e educacionais na comunidade de Ravena.
  14. 14. Desenvolvimento de Produtos A criação de produtos para projetos de geração de renda, obedece um conceito baseado na releitura de objetos utilitários consagrados. A idéia é substituir matéria-prima esgotável ou de difícil decomposição para o bambu; recurso natural renovável e biodegradável. A partir de oficinas de criação, surge o design do produto. Em seguida moldes, gabaritos, o layout e o fluxograma da linha de produção. Priorizamos produtos pequenos, fáceis de transportar, com alto valor agregado e consumo estável.
  15. 15. Público Alvo Sem se distanciar dos princípios da igualdade, sustentabilidade e foco na superação da pobreza, o Projeto RAVENA 30 busca motivar a todos os cidadãos residentes na região do distrito, independente da classe social. Entendemos que para a organização e desenvolvimento da cadeia produtiva do bambu, faz-se necessário ampliar ao máximo as formas de participação para que se crie condições de complementaridade e a comunidade como um todo possa interagir e se beneficiar. Assim, sem adotar processos exclusivos, o projeto prioriza na área de cursos técnicos gratuitos, 70% das vagas para população em situação de vulnerabilidade econômica. Na área de educação para a sustentabilidade; alunos do ensino básico das escolas públicas. Na área de cultivo de bambu e árvores nativas para seqüestro de carbono; pequenos, médios e grandes produtores rurais e proprietários de terras. Na área de pesquisa; empresários , universitários, instituições de ensino técnico e de nível superior.

×