SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Baixar para ler offline
Aprimoramentos na metodologia de
cálculo do PLD
21/05/2018
Encontro dos comercializadores - FGV
Roberto Castro
Conselheiro de Administração
Considerações Finais
2
Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD
Preço Horário
Operação Sombra
Agenda
Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD
3
Aproximar o cálculo
do preço à realidade
operativa do sistema
Proposta para
implementação do
preço horário em 2020
Estudos sobre preço
por oferta
Premissas: transparência,
previsibilidade e
reprodutibilidade
Histórico das Evoluções Metodológicas
4
Volatilidade média
Histórico de volatilidade no Brasil e em outros mercados (2013 a 2017)
Embora a volatilidade do mercado
brasileiro não seja alta em relação aos
demais, o objetivo é aprimorar os modelos
para que ela seja cada vez menor
Preços por modelo
Canadá (Alberta)
493%
EUA (PJM)
236%
EUA (Califórnia)
Independent System Operator
167%
Colômbia
198%
Nova Zelândia (Benmore)
354%
Nova Zelândia (Otahuhu)
342%
Nova Zelândia (Haywards)
341%
Estônia (Nordpool)
75%
Preços por oferta
Chile (P. Azucar)
397%
Brasil
103%
5
Variabilidade do PLD em 2018 (SE/CO)
6
Principais fatores que influenciam a variação do PLD
Levantamento para analisar os principais fatores que influenciam o PLD
49% das variações verificadas no PLD são ocasionadas pelas diferenças entre as
afluências previstas e as verificadas. Ou seja, o desvio entre as ENAs previstas e
verificadas é a principal causa da variação do preço.
(2014 a 2017):
7
Na simulação do DECOMP (modo PL único) considerando a previsão hidrológica perfeita
(vazões verificadas), o PLD resultante seria bastante estável ao longo do tempo
Conclui-se:
PLD oficial vs PLD com previsão hidrológica perfeita
i. O desvio nas previsões hidrológicas podem provocar variações no PLD;
ii. A linearização do problema feita pelo DECOMP não é responsável pela volatilidade do PLD
8
Análise da variação do PLD – abril/2018 (Decomposição dos dados do DECOMP)
- R$188,38/MWh
228,54
R$
/MWh
- 82%
40,16
R$
/MWh
1ª semana de abril5ª semana de Março
Representação hidrológica- 23
- 135
Motorização da
UHE São Manoel Limitação no
PLD mínimo
9
Análise da variação do PLD – junho/2017 (Decomposição dos dados do DECOMP)
471,16
R$
/MWh
118,77
R$
/MWh
1ª semana de Junho4ª semana de Maio
Representação hidrológica
- R$352,39/MWh
- 75%
- 150
- 115
10
Identificação das principais variáveis de influência do CMO/PLD
“Causa” da variação do PLD: Média geral de todas as revisões - 2014 a 2017
Observa-se que a hidrologia (modelagem hidrológica) é a principal variável de
influência na variação do CMO/PLD
11
Hidrologia
Armazenamento
Disponibilidade
Carga
Expansão
Intercâmbio
Outros
13% 11,5% 9,8%
1,6% 0,9%
11,6%
52%
65%
76%
86% 88% 88%
100%
51,7%
Hidrologia
Armazenamento
Disponibilidade
Carga
Expansão
Intercâmbio
Outros
53,2%
13,3%
10,1% 9,2%
1,5% 0,8%
11,9%
53%
66%
77%
86% 87% 88%
100%
Sudeste (2014 a 2017) Sul (2014 a 2017)
Representação hidrológica nos modelos computacionais
A Hidrologia é representada por:
Modelos chuva-vazão (1ª semana operativa do DECOMP)
Modelo auto regressivo PREVIVAZ (demais semanas operativas do 1º mês do
DECOMP)
Modelo auto regressivo GEVAZP (2º mês do DECOMP)
Jan (136), Fev (116), Mar (143), Abr (143), Mai (193), Jun (267),
Jul (513), Ago (353), Set (303), Out (259), Nov (228), Dez (153)
Modelo auto regressivo GEVAZP (em todo horizonte do NEWAVE)
12
Recomendações do SG Volatilidade do CMO/PLD
Reamostragem de cenários do NEWAVE: Um maior número de estados para
a construção da Função de Custo Futuro (FCF) pode melhorar o recobrimento
do espaço de estados, resultando em uma FCF mais representativa e um
formato mais “suave”, o que deve reduzir a volatilidade do CMO/PLD
(Atividade priorizada pela CPAMP e em desenvolvimento pelo GT Metodologia)
Recomendou-se ao GT Metodologia que avaliasse uma nova versão do
modelo NEWAVE que permita a obtenção de uma política de operação cuja
FCF fosse independente da tendência hidrológica, possibilitando inclusive a
utilização de um conjunto de cenários hidrológicos fornecidos pelo usuário
(Atividade a ser desenvolvida pelo GT Metodologia)
Recomendou-se ao GT Metodologia aprofundar a avaliação da combinação
da previsão de afluências: combinação da previsão semanal com alguma
componente invariante na previsão ao longo das semanas operativas (ex:
previsão mensal do PMO). “Canalização das Previsões de ENA”
(Atividade a ser desenvolvida pelo GT Metodologia)
13
Melhorias para tornar o processo mais robusto
Plataforma
virtual
Reavaliação dos
procedimentos
para obtenção
dos dados de
entrada
Reavaliação das
metodologias
para obtenção
dos dados
projetados
Ajustes nos
procedimentos
e prazos para
obtenção e
divulgação
dos dados
14
Governança PMO
Considerações Finais
15
Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD
Preço Horário
Operação Sombra
Agenda
Amplitude e simultaneidade (Resultado da CP33)
16
Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD
3
Aproximar o cálculo
do preço à realidade
operativa do sistema
Proposta para
implementação do
preço horário em 2020
Estudos sobre preço
por oferta
Premissas: transparência,
previsibilidade e
reprodutibilidade
Implantação do preço horário – Cronograma CPAMP
set/17 a fev/18
GT Metodologias:
Estudo e
recomendação da
metodologia
utilizada pelo
modelo DESSEM
para programação
da operação e
formação de preço
set/17 a mar/18
FT-DESSEM:
Validação do
modelo DESSEM
junto aos agentes
abr/18
PLD horário
“sombra”
jul/19
CPAMP: Aprovação,
após CP do MME, da
metodologia utilizada
pelo modelo DESSEM
jul/19 a out/19
Aneel: Aprovação
do uso do modelo
DESSEM para
programação da
operação e
formação de preço
Implantação
(Jan/20)
18
Proposta de cronograma – Regras 2019
19/mar
26/mar
28/mar
4/mai 17/jun
agosto
Validação
escopo
(Aneel)
Fórum com
agentes
Envio
das regras
Abertura de
Audiência
Pública
(Aneel) Aprovação
das regras
(Aneel)
Término das
contribuições
na Audiência
Pública
(Aneel)
19
Considerações Finais
20
Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD
Preço Horário
Operação Sombra
Agenda
Operação sombra
Abril a dezembro
Divulgação do preço horário
em paralelo com o preço por
patamar, que seguirá vigente
para o mercado
21
Durante a Operação Sombra
serão processados dois Decks
do DESSEM
SEM REDE ELÉTRICA interna ao
submercado + FCF do DECOMP
sem restrição elétrica interna
COM REDE ELÉTRICA interna ao
submercado + FCF do DECOMP
com restrição elétrica interna
Operação sombra
A operação sombra ainda está distante da representação
“real” que deverá formar o preço oficialmente
Fonte: Compass
22
Resultado da operação sombra - Sudeste (17/4/18 a 6/5/18)
Fonte: Compass
23
Resultado da operação sombra - Nordeste (17/4/18 a 6/5/18)
Fonte: Compass
0,00
50,00
100,00
150,00
200,00
250,00
300,00
Submercado Nordeste
PLD Horário Com rede PLD Horário Sem rede PLD_semanal
24
Resultado da operação sombra - Norte (17/4/18 a 6/5/18)
Fonte: Compass
25
Considerações Finais
26
Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD
Preço Horário
Operação Sombra
Agenda
27
Considerações Finais
Previsibilidade
A operação sombra do cálculo do preço horário é fundamental para o
mercado interpretar os impactos da nova metodologia nos negócios
dos agentes: contratos, modulação, precificação, entre outros
É importante que a implementação de
mudanças seja de forma escalonada,
sem açodamento e respeitando os
contratos existentes, o que garante
estabilidade ao setor e um cenário
atrativo aos investidores
A questão do risco hidrológico também
é ponto crucial. Atualmente são R$ 6
bilhões em aberto no mercado por
conta de liminares do GSF
Conheça nossas páginas na internet
ccee.org.br
Site oficial com notícias, documentos e informações de mercado
linkedin.com/company/298493
Conheça nossa página corporativa!
slideshare.net/cceeoficial
Acervo de apresentações da CCEE
em conferências em geral
vimeo.com/ccee
Reúne vídeos institucionais e
eventos gravados pela instituição
28

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

12. brasil aula sobre as revoltas na república velha
12. brasil aula sobre as  revoltas na república velha12. brasil aula sobre as  revoltas na república velha
12. brasil aula sobre as revoltas na república velhaDarlan Campos
 
Aula sobre Semiologia do Aparelho Digestivo
Aula sobre Semiologia do Aparelho DigestivoAula sobre Semiologia do Aparelho Digestivo
Aula sobre Semiologia do Aparelho DigestivoGastromed Garanhuns
 
Mecanismos sistêmicos de alteração da capacidade funcional nas doenças cardio...
Mecanismos sistêmicos de alteração da capacidade funcional nas doenças cardio...Mecanismos sistêmicos de alteração da capacidade funcional nas doenças cardio...
Mecanismos sistêmicos de alteração da capacidade funcional nas doenças cardio...Fábio Falcão
 
Psittaciformes33
Psittaciformes33Psittaciformes33
Psittaciformes33Pjpilin
 

Mais procurados (9)

Carta circular 1
Carta circular 1Carta circular 1
Carta circular 1
 
Pancriatite
PancriatitePancriatite
Pancriatite
 
12. brasil aula sobre as revoltas na república velha
12. brasil aula sobre as  revoltas na república velha12. brasil aula sobre as  revoltas na república velha
12. brasil aula sobre as revoltas na república velha
 
Cunicultura
CuniculturaCunicultura
Cunicultura
 
Republica oligarquica
Republica oligarquicaRepublica oligarquica
Republica oligarquica
 
Aula sobre Semiologia do Aparelho Digestivo
Aula sobre Semiologia do Aparelho DigestivoAula sobre Semiologia do Aparelho Digestivo
Aula sobre Semiologia do Aparelho Digestivo
 
Mecanismos sistêmicos de alteração da capacidade funcional nas doenças cardio...
Mecanismos sistêmicos de alteração da capacidade funcional nas doenças cardio...Mecanismos sistêmicos de alteração da capacidade funcional nas doenças cardio...
Mecanismos sistêmicos de alteração da capacidade funcional nas doenças cardio...
 
Eletroforese
EletroforeseEletroforese
Eletroforese
 
Psittaciformes33
Psittaciformes33Psittaciformes33
Psittaciformes33
 

Semelhante a Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD

IV BTG Pactual Utilities Day - CPFL Energia
IV BTG Pactual Utilities Day - CPFL EnergiaIV BTG Pactual Utilities Day - CPFL Energia
IV BTG Pactual Utilities Day - CPFL EnergiaCPFL RI
 
IV BTG Pactual Utilities Day CPFL Energia
IV BTG Pactual Utilities Day CPFL EnergiaIV BTG Pactual Utilities Day CPFL Energia
IV BTG Pactual Utilities Day CPFL EnergiaCPFL RI
 
Apresentação btg pactual ceo conference cpfl energia 10.02.2015
Apresentação btg pactual ceo conference cpfl energia 10.02.2015Apresentação btg pactual ceo conference cpfl energia 10.02.2015
Apresentação btg pactual ceo conference cpfl energia 10.02.2015ersa_ri
 
Apresentação BTG Pactual
Apresentação BTG PactualApresentação BTG Pactual
Apresentação BTG PactualCPFL RI
 
Apresentação 1T15 - CPFL Energia
Apresentação 1T15 - CPFL EnergiaApresentação 1T15 - CPFL Energia
Apresentação 1T15 - CPFL EnergiaCPFL RI
 
Santander | VII Conferência do Setor Elétrico
Santander | VII Conferência do Setor ElétricoSantander | VII Conferência do Setor Elétrico
Santander | VII Conferência do Setor ElétricoCPFL RI
 
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial Conrado Augustus de Melo
 
Apresentação Webcast CPFL Energia_3T14
Apresentação Webcast CPFL Energia_3T14Apresentação Webcast CPFL Energia_3T14
Apresentação Webcast CPFL Energia_3T14CPFL RI
 
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...CPFL Energia
 
IV Conferência Setor Elétrico Brasil Santander_04abr13
IV Conferência Setor Elétrico Brasil Santander_04abr13IV Conferência Setor Elétrico Brasil Santander_04abr13
IV Conferência Setor Elétrico Brasil Santander_04abr13CPFL RI
 

Semelhante a Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD (20)

Perspectivas de Oferta e Preço da Energia para o Mercado Livre - FIESP
Perspectivas de Oferta e Preço da Energia para o Mercado Livre - FIESPPerspectivas de Oferta e Preço da Energia para o Mercado Livre - FIESP
Perspectivas de Oferta e Preço da Energia para o Mercado Livre - FIESP
 
Perspectivas para Aprimoramento da Formação de Preços no Brasil
Perspectivas para Aprimoramento da Formação de Preços no BrasilPerspectivas para Aprimoramento da Formação de Preços no Brasil
Perspectivas para Aprimoramento da Formação de Preços no Brasil
 
Aprimoramentos regulatórios e planejamento governamental para o setor elétrico
Aprimoramentos regulatórios e planejamento governamental para o setor elétricoAprimoramentos regulatórios e planejamento governamental para o setor elétrico
Aprimoramentos regulatórios e planejamento governamental para o setor elétrico
 
Evento InfoPLD - Outubro de 2013
Evento InfoPLD - Outubro de 2013Evento InfoPLD - Outubro de 2013
Evento InfoPLD - Outubro de 2013
 
IV BTG Pactual Utilities Day - CPFL Energia
IV BTG Pactual Utilities Day - CPFL EnergiaIV BTG Pactual Utilities Day - CPFL Energia
IV BTG Pactual Utilities Day - CPFL Energia
 
IV BTG Pactual Utilities Day CPFL Energia
IV BTG Pactual Utilities Day CPFL EnergiaIV BTG Pactual Utilities Day CPFL Energia
IV BTG Pactual Utilities Day CPFL Energia
 
Apresentação btg pactual ceo conference cpfl energia 10.02.2015
Apresentação btg pactual ceo conference cpfl energia 10.02.2015Apresentação btg pactual ceo conference cpfl energia 10.02.2015
Apresentação btg pactual ceo conference cpfl energia 10.02.2015
 
Apresentação BTG Pactual
Apresentação BTG PactualApresentação BTG Pactual
Apresentação BTG Pactual
 
Apresentação 1T15 - CPFL Energia
Apresentação 1T15 - CPFL EnergiaApresentação 1T15 - CPFL Energia
Apresentação 1T15 - CPFL Energia
 
Desafios e mudanças no setor elétrico
Desafios e mudanças no setor elétricoDesafios e mudanças no setor elétrico
Desafios e mudanças no setor elétrico
 
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétricaPanorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica
Panorama e perspectivas da comercialização de energia elétrica
 
Santander | VII Conferência do Setor Elétrico
Santander | VII Conferência do Setor ElétricoSantander | VII Conferência do Setor Elétrico
Santander | VII Conferência do Setor Elétrico
 
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
 
Apresentação Webcast CPFL Energia_3T14
Apresentação Webcast CPFL Energia_3T14Apresentação Webcast CPFL Energia_3T14
Apresentação Webcast CPFL Energia_3T14
 
Formação do pld
Formação do pldFormação do pld
Formação do pld
 
plano energético.pptx
plano energético.pptxplano energético.pptx
plano energético.pptx
 
O processo de formação do preço de liquidação das diferenças - PLD
O processo de formação do preço de liquidação das diferenças - PLDO processo de formação do preço de liquidação das diferenças - PLD
O processo de formação do preço de liquidação das diferenças - PLD
 
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
 
Como migrar para o mercado livre de energia elétrica? (FIESP - Workshop Energ...
Como migrar para o mercado livre de energia elétrica? (FIESP - Workshop Energ...Como migrar para o mercado livre de energia elétrica? (FIESP - Workshop Energ...
Como migrar para o mercado livre de energia elétrica? (FIESP - Workshop Energ...
 
IV Conferência Setor Elétrico Brasil Santander_04abr13
IV Conferência Setor Elétrico Brasil Santander_04abr13IV Conferência Setor Elétrico Brasil Santander_04abr13
IV Conferência Setor Elétrico Brasil Santander_04abr13
 

Mais de Câmara de Comercialização de Energia Elétrica

Mais de Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (20)

Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 - A ótica do mercado (ENASE 2018)
Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 - A ótica do mercado (ENASE 2018)Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 - A ótica do mercado (ENASE 2018)
Perspectivas do Setor Elétrico 2018 a 2022 - A ótica do mercado (ENASE 2018)
 
Overview of the Brazilian electricity sector
Overview of the Brazilian electricity sectorOverview of the Brazilian electricity sector
Overview of the Brazilian electricity sector
 
A visão da CCEE sobre o mercado de energia - Fórum Pernambuco Energia
A visão da CCEE sobre o mercado de energia - Fórum Pernambuco EnergiaA visão da CCEE sobre o mercado de energia - Fórum Pernambuco Energia
A visão da CCEE sobre o mercado de energia - Fórum Pernambuco Energia
 
Brazilian Market Operator (ONU)
Brazilian Market Operator (ONU)Brazilian Market Operator (ONU)
Brazilian Market Operator (ONU)
 
Panel #3: Transforming the energy grid (Califórnia)
Panel #3: Transforming the energy grid (Califórnia)Panel #3: Transforming the energy grid (Califórnia)
Panel #3: Transforming the energy grid (Califórnia)
 
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico - A implantação do Preço Hor...
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico - A implantação do Preço Hor...Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico - A implantação do Preço Hor...
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico - A implantação do Preço Hor...
 
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico
Fórum de Debates: Modernização do Setor Elétrico
 
Painel 2: CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2018)
Painel 2: CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2018)Painel 2: CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2018)
Painel 2: CCEE e a operação do mercado (Agenda Setorial 2018)
 
Projeto de Lei para Reforma do Setor Elétrico: a proposta de abertura do merc...
Projeto de Lei para Reforma do Setor Elétrico: a proposta de abertura do merc...Projeto de Lei para Reforma do Setor Elétrico: a proposta de abertura do merc...
Projeto de Lei para Reforma do Setor Elétrico: a proposta de abertura do merc...
 
Mercado Brasileiro de Energia: Agenda 2018
Mercado Brasileiro de Energia: Agenda 2018Mercado Brasileiro de Energia: Agenda 2018
Mercado Brasileiro de Energia: Agenda 2018
 
O mercado livre de energia elétrica e os aprendizados para o setor de gás
O mercado livre de energia elétrica e os aprendizados para o setor de gásO mercado livre de energia elétrica e os aprendizados para o setor de gás
O mercado livre de energia elétrica e os aprendizados para o setor de gás
 
Risco hidrológico - Mecanismo de Realocação de Energia (MRE)
Risco hidrológico - Mecanismo de Realocação de Energia (MRE)Risco hidrológico - Mecanismo de Realocação de Energia (MRE)
Risco hidrológico - Mecanismo de Realocação de Energia (MRE)
 
Structure of the Brazilian electricity market
Structure of the Brazilian electricity marketStructure of the Brazilian electricity market
Structure of the Brazilian electricity market
 
Visão de futuro do mercado de energia elétrica - Planejamento da Geração
Visão de futuro do mercado de energia elétrica - Planejamento da GeraçãoVisão de futuro do mercado de energia elétrica - Planejamento da Geração
Visão de futuro do mercado de energia elétrica - Planejamento da Geração
 
Expansão do Mercado Livre - Workshop da Fiesp
Expansão do Mercado Livre - Workshop da FiespExpansão do Mercado Livre - Workshop da Fiesp
Expansão do Mercado Livre - Workshop da Fiesp
 
Desafios e melhores práticas para garantir a segurança financeira nas operaçõ...
Desafios e melhores práticas para garantir a segurança financeira nas operaçõ...Desafios e melhores práticas para garantir a segurança financeira nas operaçõ...
Desafios e melhores práticas para garantir a segurança financeira nas operaçõ...
 
Contribuição das energias renováveis para a mitigação de GEE: oportunidades e...
Contribuição das energias renováveis para a mitigação de GEE: oportunidades e...Contribuição das energias renováveis para a mitigação de GEE: oportunidades e...
Contribuição das energias renováveis para a mitigação de GEE: oportunidades e...
 
O Mercado Livre de Energia
O Mercado Livre de EnergiaO Mercado Livre de Energia
O Mercado Livre de Energia
 
Bioeletricidade e o Mercado Livre de Energia - Ethanol Summit 2017
Bioeletricidade e o Mercado Livre de Energia - Ethanol Summit 2017Bioeletricidade e o Mercado Livre de Energia - Ethanol Summit 2017
Bioeletricidade e o Mercado Livre de Energia - Ethanol Summit 2017
 
Resposta da demanda - Workshop Infraestrutura Energia
Resposta da demanda - Workshop Infraestrutura EnergiaResposta da demanda - Workshop Infraestrutura Energia
Resposta da demanda - Workshop Infraestrutura Energia
 

Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD

  • 1. Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD 21/05/2018 Encontro dos comercializadores - FGV Roberto Castro Conselheiro de Administração
  • 2. Considerações Finais 2 Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD Preço Horário Operação Sombra Agenda
  • 3. Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD 3 Aproximar o cálculo do preço à realidade operativa do sistema Proposta para implementação do preço horário em 2020 Estudos sobre preço por oferta Premissas: transparência, previsibilidade e reprodutibilidade
  • 4. Histórico das Evoluções Metodológicas 4
  • 5. Volatilidade média Histórico de volatilidade no Brasil e em outros mercados (2013 a 2017) Embora a volatilidade do mercado brasileiro não seja alta em relação aos demais, o objetivo é aprimorar os modelos para que ela seja cada vez menor Preços por modelo Canadá (Alberta) 493% EUA (PJM) 236% EUA (Califórnia) Independent System Operator 167% Colômbia 198% Nova Zelândia (Benmore) 354% Nova Zelândia (Otahuhu) 342% Nova Zelândia (Haywards) 341% Estônia (Nordpool) 75% Preços por oferta Chile (P. Azucar) 397% Brasil 103% 5
  • 6. Variabilidade do PLD em 2018 (SE/CO) 6
  • 7. Principais fatores que influenciam a variação do PLD Levantamento para analisar os principais fatores que influenciam o PLD 49% das variações verificadas no PLD são ocasionadas pelas diferenças entre as afluências previstas e as verificadas. Ou seja, o desvio entre as ENAs previstas e verificadas é a principal causa da variação do preço. (2014 a 2017): 7
  • 8. Na simulação do DECOMP (modo PL único) considerando a previsão hidrológica perfeita (vazões verificadas), o PLD resultante seria bastante estável ao longo do tempo Conclui-se: PLD oficial vs PLD com previsão hidrológica perfeita i. O desvio nas previsões hidrológicas podem provocar variações no PLD; ii. A linearização do problema feita pelo DECOMP não é responsável pela volatilidade do PLD 8
  • 9. Análise da variação do PLD – abril/2018 (Decomposição dos dados do DECOMP) - R$188,38/MWh 228,54 R$ /MWh - 82% 40,16 R$ /MWh 1ª semana de abril5ª semana de Março Representação hidrológica- 23 - 135 Motorização da UHE São Manoel Limitação no PLD mínimo 9
  • 10. Análise da variação do PLD – junho/2017 (Decomposição dos dados do DECOMP) 471,16 R$ /MWh 118,77 R$ /MWh 1ª semana de Junho4ª semana de Maio Representação hidrológica - R$352,39/MWh - 75% - 150 - 115 10
  • 11. Identificação das principais variáveis de influência do CMO/PLD “Causa” da variação do PLD: Média geral de todas as revisões - 2014 a 2017 Observa-se que a hidrologia (modelagem hidrológica) é a principal variável de influência na variação do CMO/PLD 11 Hidrologia Armazenamento Disponibilidade Carga Expansão Intercâmbio Outros 13% 11,5% 9,8% 1,6% 0,9% 11,6% 52% 65% 76% 86% 88% 88% 100% 51,7% Hidrologia Armazenamento Disponibilidade Carga Expansão Intercâmbio Outros 53,2% 13,3% 10,1% 9,2% 1,5% 0,8% 11,9% 53% 66% 77% 86% 87% 88% 100% Sudeste (2014 a 2017) Sul (2014 a 2017)
  • 12. Representação hidrológica nos modelos computacionais A Hidrologia é representada por: Modelos chuva-vazão (1ª semana operativa do DECOMP) Modelo auto regressivo PREVIVAZ (demais semanas operativas do 1º mês do DECOMP) Modelo auto regressivo GEVAZP (2º mês do DECOMP) Jan (136), Fev (116), Mar (143), Abr (143), Mai (193), Jun (267), Jul (513), Ago (353), Set (303), Out (259), Nov (228), Dez (153) Modelo auto regressivo GEVAZP (em todo horizonte do NEWAVE) 12
  • 13. Recomendações do SG Volatilidade do CMO/PLD Reamostragem de cenários do NEWAVE: Um maior número de estados para a construção da Função de Custo Futuro (FCF) pode melhorar o recobrimento do espaço de estados, resultando em uma FCF mais representativa e um formato mais “suave”, o que deve reduzir a volatilidade do CMO/PLD (Atividade priorizada pela CPAMP e em desenvolvimento pelo GT Metodologia) Recomendou-se ao GT Metodologia que avaliasse uma nova versão do modelo NEWAVE que permita a obtenção de uma política de operação cuja FCF fosse independente da tendência hidrológica, possibilitando inclusive a utilização de um conjunto de cenários hidrológicos fornecidos pelo usuário (Atividade a ser desenvolvida pelo GT Metodologia) Recomendou-se ao GT Metodologia aprofundar a avaliação da combinação da previsão de afluências: combinação da previsão semanal com alguma componente invariante na previsão ao longo das semanas operativas (ex: previsão mensal do PMO). “Canalização das Previsões de ENA” (Atividade a ser desenvolvida pelo GT Metodologia) 13
  • 14. Melhorias para tornar o processo mais robusto Plataforma virtual Reavaliação dos procedimentos para obtenção dos dados de entrada Reavaliação das metodologias para obtenção dos dados projetados Ajustes nos procedimentos e prazos para obtenção e divulgação dos dados 14 Governança PMO
  • 15. Considerações Finais 15 Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD Preço Horário Operação Sombra Agenda
  • 16. Amplitude e simultaneidade (Resultado da CP33) 16
  • 17. Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD 3 Aproximar o cálculo do preço à realidade operativa do sistema Proposta para implementação do preço horário em 2020 Estudos sobre preço por oferta Premissas: transparência, previsibilidade e reprodutibilidade
  • 18. Implantação do preço horário – Cronograma CPAMP set/17 a fev/18 GT Metodologias: Estudo e recomendação da metodologia utilizada pelo modelo DESSEM para programação da operação e formação de preço set/17 a mar/18 FT-DESSEM: Validação do modelo DESSEM junto aos agentes abr/18 PLD horário “sombra” jul/19 CPAMP: Aprovação, após CP do MME, da metodologia utilizada pelo modelo DESSEM jul/19 a out/19 Aneel: Aprovação do uso do modelo DESSEM para programação da operação e formação de preço Implantação (Jan/20) 18
  • 19. Proposta de cronograma – Regras 2019 19/mar 26/mar 28/mar 4/mai 17/jun agosto Validação escopo (Aneel) Fórum com agentes Envio das regras Abertura de Audiência Pública (Aneel) Aprovação das regras (Aneel) Término das contribuições na Audiência Pública (Aneel) 19
  • 20. Considerações Finais 20 Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD Preço Horário Operação Sombra Agenda
  • 21. Operação sombra Abril a dezembro Divulgação do preço horário em paralelo com o preço por patamar, que seguirá vigente para o mercado 21 Durante a Operação Sombra serão processados dois Decks do DESSEM SEM REDE ELÉTRICA interna ao submercado + FCF do DECOMP sem restrição elétrica interna COM REDE ELÉTRICA interna ao submercado + FCF do DECOMP com restrição elétrica interna
  • 22. Operação sombra A operação sombra ainda está distante da representação “real” que deverá formar o preço oficialmente Fonte: Compass 22
  • 23. Resultado da operação sombra - Sudeste (17/4/18 a 6/5/18) Fonte: Compass 23
  • 24. Resultado da operação sombra - Nordeste (17/4/18 a 6/5/18) Fonte: Compass 0,00 50,00 100,00 150,00 200,00 250,00 300,00 Submercado Nordeste PLD Horário Com rede PLD Horário Sem rede PLD_semanal 24
  • 25. Resultado da operação sombra - Norte (17/4/18 a 6/5/18) Fonte: Compass 25
  • 26. Considerações Finais 26 Aprimoramentos na metodologia de cálculo do PLD Preço Horário Operação Sombra Agenda
  • 27. 27 Considerações Finais Previsibilidade A operação sombra do cálculo do preço horário é fundamental para o mercado interpretar os impactos da nova metodologia nos negócios dos agentes: contratos, modulação, precificação, entre outros É importante que a implementação de mudanças seja de forma escalonada, sem açodamento e respeitando os contratos existentes, o que garante estabilidade ao setor e um cenário atrativo aos investidores A questão do risco hidrológico também é ponto crucial. Atualmente são R$ 6 bilhões em aberto no mercado por conta de liminares do GSF
  • 28. Conheça nossas páginas na internet ccee.org.br Site oficial com notícias, documentos e informações de mercado linkedin.com/company/298493 Conheça nossa página corporativa! slideshare.net/cceeoficial Acervo de apresentações da CCEE em conferências em geral vimeo.com/ccee Reúne vídeos institucionais e eventos gravados pela instituição 28