Design de interface grafica 4 principios heuristicos

3.019 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.019
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
137
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Design de interface grafica 4 principios heuristicos

  1. 1. parte 2 princípios heurísticos (nielsen) 1 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  2. 2. princípios heurísticos (nielsen) • Nielsen descreve dez princípios gerais de usabilidade em interfaces • a intenção era prover um conjunto de regras heurísticas para avaliar a usabilidade. 2 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  3. 3. princípios heurísticos (nielsen) • visibilidade do estado do sistema • compatibilidade do sistema com o mundo real • controle e liberdade do usuário • consistência e padrões • prevenção de erros • reconhecimento ao invés de lembrança • flexibilidade e eficiência de uso • estética e design minimalista • auxiliar usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros • ajuda e documentação. 3 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  4. 4. 1 visibilidade do estado do sistema 4 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  5. 5. 1 visibilidade do estado do sistema • o sistema deve sempre manter os usuários informados sobre o que está acontecendo • essa informação deve vir por meio de feedback apropriado e em tempo razoável. 5 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  6. 6. 1 visibilidade do estado do sistema três estágios do sistema: 1 está pronto para ser navegado ou acionado; feedback 2 está em processamento de necessário informação ou está carregando; 3 está exibindo a resposta à busca. 6 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  7. 7. 1 visibilidade do estado do sistema algumas formas de expor feedback do status exemplos: ampulheta; demarcação pontilhada; cursores 7 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  8. 8. 8 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  9. 9. 9 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  10. 10. 2 equivalência entre o sistema e o mundo real 10 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  11. 11. 2 equivalência entre o sistema e o mundo real • o princípio do mapeamento entre o sistema e o mundo real é aproximar a forma de apresentação do sistema à forma física do mundo real. • o sistema deve falar a língua dos usuários, usando palavras, frases e conceitos familiares para eles, em vez de termos vindos da lógica do sistema. • siga as convenções do mundo real, tornando a informação apareça em uma ordem lógica e natural para o usuário. 11 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  12. 12. 12 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  13. 13. 13 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  14. 14. 14 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  15. 15. 15 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  16. 16. 16 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  17. 17. 3 controle do usuário e liberdade 17 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  18. 18. 3 controle do usuário e liberdade • os usuários devem estar no controle das ações que ocorrem no sistema • deve haver uma "saída de emergência" marcada para sair de estado indesejado facilmente • sempre que possível, permita desfazer e refazer tarefas 18 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  19. 19. 19 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  20. 20. 20 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  21. 21. 21 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  22. 22. 22 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  23. 23. 23 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  24. 24. 24 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  25. 25. 25 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  26. 26. 26 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  27. 27. 27 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  28. 28. 4 consistência e padrões 28 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  29. 29. 4 consistência e padrões • é o princípio mais freqüentemente violado • os usuários não devem ser obrigados a perguntar se palavras, situações ou ações diferentes significam a mesma coisa • siga sempre as convenções da plataforma 29 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  30. 30. 30 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  31. 31. 31 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  32. 32. 32 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  33. 33. 33 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  34. 34. 34 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  35. 35. 35 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  36. 36. 36 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  37. 37. 37 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  38. 38. 38 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  39. 39. 5 prevenção de erros 39 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  40. 40. 5 prevenção de erros • muito melhor que boas mensagens de erro é um projeto cuidadoso que, em primeiro lugar, previna a ocorrência de problemas. 40 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  41. 41. 5 prevenção de erros 41 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  42. 42. 42 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  43. 43. 43 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  44. 44. 44 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  45. 45. 6 reconhecer ao invés de relembrar 45 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  46. 46. 6 reconhecer ao invés de relembrar • deve-se tornar objetos, ações e opções visíveis • o usuário não deve ter que relembrar informação de uma parte do diálogo em outra parte • instruções para uso do sistema devem estar visíveis ou facilmente recuperáveis sempre que necessário. 46 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  47. 47. 47 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  48. 48. 6 reconhecer ao invés de relembrar 48 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  49. 49. 49 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  50. 50. 7 flexibilidade e eficiência de uso 50 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  51. 51. 7 flexibilidade e eficiência de uso • aceleradores da tarefa – não vistos pelo novato – podem ainda aumentar a velocidade de interação para o usuário experiente • dessa forma, o sistema pode atender tanto aos usuários experientes quanto aos inexperientes 51 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  52. 52. 52 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  53. 53. 53 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  54. 54. 54 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  55. 55. 55 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  56. 56. 56 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  57. 57. 57 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  58. 58. 58 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  59. 59. 59 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  60. 60. 8 estética e design minimalista 60 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  61. 61. 8 estética e design minimalista • diálogos não devem conter informação que seja irrelevante ou raramente necessária. • toda unidade de informação extra em um diálogo compete com unidades de informação relevantes e diminui sua visibilidade relativa. 61 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  62. 62. 62 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  63. 63. 63 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  64. 64. 64 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  65. 65. 65 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  66. 66. 66 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  67. 67. 9 auxiliar usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 67 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  68. 68. 9 auxiliar usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros • mensagens de erro devem ser expressas em linguagem clara (sem códigos), indicar precisamente o problema, e sugerir construtivamente uma solução. 68 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  69. 69. 9 auxiliar usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 69 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  70. 70. 9 auxiliar usuários a reconhecer, diagnosticar e corrigir erros 70 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  71. 71. 71 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  72. 72. 72 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  73. 73. 73 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  74. 74. 10 ajuda e documentação 74 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  75. 75. 10 ajuda e documentação • ainda que seja melhor que o sistema possa ser usado sem documentação, pode ser necessário prover ajuda. • qualquer informação deste tipo deve ser fácil de buscar, focada na tarefa do usuário, relacionar passos concretos a serem desenvolvidos, e não ser muito longa. 75 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  76. 76. 76 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  77. 77. 77 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  78. 78. 78 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.
  79. 79. 10 ajuda e documentação 79 de 79avaliação heurística > parte 2: princípios heurísticos (nielsen) edson rufino de souza, m.sc.

×