Cognição social

1.024 visualizações

Publicada em

Aula - Cognição Social

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.024
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cognição social

  1. 1. Cognição Social Profa. Josevânia
  2. 2. Introdução à Cognição Social • Processos cognitivos por meio dos quais as pessoas compreendem e explicam as outras pessoas e a si mesmas. • Embora a ênfase inicial tenha sido no pensar (cognição), os psicólogos sociais também procuram associar sentimentos e comportamentos à cognição social.
  3. 3. Introdução à Cognição Social • Crenças do senso comum para explicar a realidade; • Ao longo da evolução, contruiu-se estruturas cognitvas para se adaptar às demandas; • Evitar predadores • Formar alianças e amizades • Entender a mente dos outros • Comunicar‐se com os outros Autruísmo Reciprocidade Desenvolvemos sistemas sociais complexos que só podem funcionar se alicerçados em sistemas cognitivos igualmente complexos que se manifestam em nossa inteligência social.
  4. 4. Introdução à Cognição Social • Psicologia evolucionista • “módulo de leitura da mente” • Permitiu que fizéssemos suposições ou inferências sobre o que as outras pessoas estão pensando, tendo por base suas ações, palavras e comportamentos. • Linguagem e altruísmo recíproco • A linguagem evoluiu para ajudar nossos ancestrais na obtenção de informações sobre quem merece ou não confiança, principalmente quando não ocorre uma reciprocidade direta.
  5. 5. Características da Cognição Social • Atalhos cognitivos; • Processos cognitivos • Descritos como processos computacionais: as pessoas recebem informações (input), codificam o que receberam, armazenam na memória, recuperam da memória para realizar inferências e para gerar produtos (output). atenção → memória → julgamento
  6. 6. Características da Cognição Social • Pessoas como agentes causais; • Motivação interna • Percepção mútua; • Centralidade no eu • A percepção de outra pessoa envolve o eu de quem percebe. • Qualidade da percepção → limites.
  7. 7. Características da Cognição Social • Orientação pragmática; (a) a qualidade e a exatidão das percepções das pessoas são suficientes para os propósitos do dia a dia; (b) elas constroem significados baseados nos traços, estereótipos e histórias mais úteis (convenientes e coerentes); e (c) seus objetivos determinam como pensam.
  8. 8. Características da Cognição Social • Predominância dos processos automáticos •O julgamento nem sempre é consciente;
  9. 9. Elementos da cognição social • Esquemas (sociais) • Pré-concepções ou teorias sobre conceitos, objetos ou eventos • Pré-concepções ou teorias a respeito das outras pessoas e de nós mesmos. Qual a função? p.86 Influenciam a maneira como julgamos Dirigem nossa atenção para determinados aspectos da informação
  10. 10. Elementos da cognição social • Atribuições • Diz respeito ao como atribuimos causas aos comportamentos dos outros e aos nossos. Teorias Atribuição intrapessoal Compreendendo o próprio comportamento. Atribuição interpessoal Compreendendo o comportamento do outros
  11. 11. Atribuição intrapessoal
  12. 12. Atribuição intrapessoal • Na atribuição intrapessoal, o indivíduo sempre enquadra o evento como algo que correspondeu ou não a seus objetivos. • Os eventos podem ser resumidos como sucesso ou fracasso provocando reações afetivas positivas ou negativas de imediato. E com os outros? Será do mesmo modo? Também são descritas em função do locus, estabilidade e controlabilidade, usada apenas para considerar o outro como responsável ou não pelo evento.
  13. 13. Atribuição interpessoal
  14. 14. Processos da Cognição Social • Atenção • Memória • Inferência Principais processos que operam sobre os esquemas e as atribuições
  15. 15. Processos da Cognição Social • Atenção Transformamos toda estimulação que nos atinge através do(s) sentido(s) em algo que tomamos consciência e guardamos temporariamente ou permanentemente em nossa memória. É a codificação e a consciência de estímulos internos ou externos a nosso organismo. é aquilo de que temos conhecimento em um determinado momento. Atribuições de causalidade das pessoas vão sofrer influência do que é mais saliente para elas.
  16. 16. Processos da Cognição Social •Memória • As memórias sobre as pessoas/ fenômenos ou situações • São influenciadas Têm impacto sobre o quanto nos relembramos posteriormente
  17. 17. Processos da Cognição Social • Inferência A inferência na cognição social diz respeito ao que fazemos com a informação que obtivemos por meio dos processos de atenção e memória. E quais são as principais limitações?  Interpretação de dados aleatórios;  Tendemos a “ver” coerente atuando onde existe apenas a presença do acaso;  Heurístico (atalhos) da representatividade => psicólogo -> "cara de psicólogo"  Interpretação de dados incompletos e não representativos;  Evidência positiva que justifica e explica a convicção da pessoa;  É mais fácil lidar com a confirmação positiva, já que encerra toda evidência necessária para a ocorrência de um julgamento  Profecia autorrealizante de ver o que já se esperava ver.  nossa expectativa termina por provocar o próprio comportamento que originalmente antecipamos;
  18. 18. Conhecendo a si e ao outro: Percepção e atribuição de causalidade

×