A Princesa E A Ervilha

8.815 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.815
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
132
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Princesa E A Ervilha

  1. 1. A princesa e a ervilha Era uma vez um príncipe que queria casar com uma princesa, mas com uma princesa verdadeira. Por isso, resolveu ir dar uma volta ao Mundo para a encontrar, e na verdade não faltavam princesas; mas o príncipe nunca ficava com a certeza de serem verdadeiras, porque havia sempre nelas qualquer coisa que o fazia desconfiar. Até que, por fim, voltou outra vez para o palácio, muito triste por não ter achado o que ambicionava. Certa noite, fazia um tempo horrível, as faíscas cruzavam-se no céu, vindas de todos os lados, e a chuva caía às bátegas, um horror! Alguém bateu à porta do palácio, e o velho rei mandou abrir imediatamente. Era uma princesa. Mas em que estado ela vinha, meu Deus! A chuva escorria-lhe dos cabelos e dos vestidos e entrava-lhe nos sapatos. Apesar disso, declarou que era uma princesa verdadeira. “É o que vamos saber!”, pensou a rainha. Depois, entrou às escondidas no quarto destinado à princesa, e pôs uma ervilha entre o
  2. 2. colchão e o enxergão da cama. A seguir, colocou mais vinte colchões e igual número de enxergões todos por cima uns dos outros, e só no fim é que fez a cama. A princesa deitou-se, e no dia seguinte de manhã perguntaram-lhe se tinha dormido bem. - Muito mal! – respondeu ela. – Quase não preguei olho toda a noite! Não sei o que havia dentro dos colchões. Era qualquer coisa tão dura, que me deixou o corpo cheio de nódoas negras. Um martírio! Com esta resposta, perceberam todos que se tratava de uma princesa verdadeira, porque tinha sentido uma simples ervilha debaixo de todos aqueles colchões e enxergões. E só uma princesa podia ter uma pele tão delicada. O príncipe, com a certeza absoluta de que encontrara uma princesa verdadeira, casou com ela, e a ervilha foi posta num museu, e ainda lá deve estar, a não ser que algum coleccionador a tenha tirado. Posso garantir que esta história é tão verdadeira como a princesa. Ricardo Alberty, Os Melhores Contos de Andersen
  3. 3. As frases abaixo correspondem aos acontecimentos do conto. Ordena-os de acordo com a história. Para concretizar o seu desejo, resolveu ir dar a volta ao mundo. Numa noite de tempestade, uma jovem bateu à porta do palácio e afirmou ser uma princesa verdadeira. Como se tratava de uma princesa verdadeira, o príncipe casou-se com aquela jovem. Para verificar a autenticidade da princesa, a rainha colocou uma ervilha debaixo de vários colchões e enxergões. Era uma vez um príncipe que pretendia casar, mas só com uma verdadeira princesa. A ervilha foi colocada num museu. Na manhã seguinte, a princesa afirmou ter dormido muito mal, que algo duro a perturbara toda a noite e que tinha o corpo cheio de nódoas negras. Muito triste, o príncipe regressou a casa sozinho.

×