Apresentacao trabalho criancas com necessidedes especiais

126 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
126
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentacao trabalho criancas com necessidedes especiais

  1. 1. No bom e velho “Aurélio” , o verbo incluir apresenta vários significados, todos eles com o sentido de algo ou alguém inserido entre outras coisas ou pessoas. Em nenhum momento essa definição pressupõe que o ser incluído precisa ser igual ou semelhante aos demais aos quais se agregou. Políticas de inclusão e medidas educativas. A inclusão pode ser definida de várias formas. No entanto, definir inclusão não é simples. A Inclusão, enquanto valor / princípio, tem como base o direito de todas as crianças, independentemente das suas capacidades, a participarem ativamente em ambientes naturais dentro das suas comunidades.
  2. 2. A inclusão é condicionada por diversos fatores tais como: políticas, recursos bem como pela opinião de pessoas que acreditam que é possível a sua implementação. A inclusão pode beneficiar a criança com ou sem dificuldades, particularmente no que diz respeito ao seu desenvolvimento social. A Inclusão, enquanto valor / princípio, tem como base o direito de todas as crianças, independentemente das suas capacidades, a participarem ativamente em ambientes naturais dentro das suas comunidades. Políticas de inclusão e medidas educativas.
  3. 3. A formação especializada é um fator importante na implementação da inclusão bem como de monotorização dos resultados das crianças. A colaboração entre as famílias, professores e profissionais especializados é a pedra angular de uma inclusão de alta qualidade. Políticas de inclusão e medidas educativas.
  4. 4. Políticas de inclusão e medidas educativas. Inclusão Criar CULTURAS inclusivas
  5. 5. POLITICAS Garantir a inclusão no coração do desenvolvimento da escola, permitindo e incentivando práticas que façam aumentar a aprendizagem e participação dos alunos. Aumentar a capacidade da escola responder à diversidade de todos os alunos Políticas de inclusão e medidas educativas.
  6. 6. CULTURA Construir uma comunidade segura, colaboradora e acolhedora em que as pessoas são valorizadas para melhorar as aprendizagens dos alunos. Desenvolver valores inclusivos em todos os agentes educativos que interagem na escola. Tornar as práticas escolares um reflexo das culturas e políticas da escola. Políticas de inclusão e medidas educativas.
  7. 7. PRATICAS Garantir que as atividades curriculares e extracurriculares promovam a participação de todos os alunos. Políticas de inclusão e medidas educativas.
  8. 8. O QUE E NECESSARIO Comprometimento com desenvolvimento de Pessoal; Resolução criativa e continuada de Problemas; Condições políticas e legislativas que promovam e apoiem o objetivo de uma escola inclusiva Estratégias de sala de aula que resultem em crescimento e aprendizagem para todos Políticas de inclusão e medidas educativas.
  9. 9. As respostas às dificuldades educativas devem ser entendidas como um desafio a toda a comunidade educativa e não apenas aos especialistas de educação especial. A educação inclusiva providenciará o espaço e os meios através dos quais professores do ensino regular, professores de apoio educativo, alunos, pais, comunidade e outros elementos convergem no sentido de se criarem escolas democráticas de qualidade, levando a que se possa afirmar que escolas de qualidade serão por natureza escolas inclusivas. Políticas de inclusão e medidas educativas.
  10. 10. A educação de crianças e jovens com necessidades educativas especiais – problema que afeta igualmente os países do Norte e do Sul – não pode progredir de forma isolada e deve antes fazer parte de uma estratégia global de educação e, sem dúvida, de uma nova política social e económica o que implica uma profunda reforma da escola regular. Políticas de inclusão e medidas educativas.
  11. 11. O direito à educação de todos os indivíduos, tal como está inscrito na Declaração Universal dos Direitos do Homem de 1948, e renovando a garantia dada pela comunidade mundial na Conferência Mundial sobre Educação para Todos de 1990 de assegurar esse direito, ,independentemente das diferenças individuais, Relembrando as diversas declarações das Nações Unidas que culminaram, em 1993, nas Normas das Nações Unidas sobre a Igualdade de Oportunidades para as Pessoas com deficiência, as quais exortam os Estados a assegurar que a educação das pessoas com deficiência faça parte integrante do sistema educativo, Políticas de inclusão e medidas educativas.
  12. 12. O direito de todas as crianças à educação está proclamado na Declaração Universal dos Direitos Humanos e foi reafirmado com veemência pela Declaração sobre Educação para Todos: • cada criança tem o direito fundamental à educação e deve ter a oportunidade de conseguir e manter um nível aceitável de aprendizagem, • cada criança tem características, interesses, capacidades e necessidades de aprendizagem que lhe são próprias, • os sistemas de educação devem ser planeados e os programas educativos implementados tendo em vista a vasta diversidade destas características e necessidades,  • as crianças e jovens com necessidades educativas especiais devem ter acesso às escolas regulares, que a elas se devem adequar através duma pedagogia centrada na criança, capaz de ir ao encontro destas necessidades, Políticas de inclusão e medidas educativas.
  13. 13. O princípio orientador deste Enquadramento da Acão consiste em afirmar que as escolas se devem ajustar a todas as crianças ,independentemente das suas condições físicas, sociais, linguísticas ou outras. Neste conceito, terão de incluir-se crianças com deficiência ou sobredotados, crianças da rua ou crianças que trabalham, crianças de populações remotas ou nómadas, crianças de minorias linguísticas, étnicas ou culturais e crianças de áreas ou grupos desfavorecidos ou marginais. Estas condições colocam uma série de diferentes desafios aos sistemas escolares. Políticas de inclusão e medidas educativas.
  14. 14. Políticas de inclusão e medidas educativas. A educação de alunos com necessidades educativas especiais incorpora princípios já comprovados de uma pedagogia saudável da qual todas as crianças podem beneficiar, assumindo que as diferenças humanas são normais e que a aprendizagem deve ser adaptada às necessidades da criança, em vez de ser esta a ter de se adaptar a conceções predeterminadas, relativamente ao ritmo e à natureza do processo educativo. Uma pedagogia centrada na criança é benéfica para todos os alunos e, como consequência, para a sociedade em geral, pois a experiência tem demonstrado que esta pedagogia pode reduzir substancialmente as desistências e as repetições e garantir um êxito escolar médio mais elevado.
  15. 15. Uma pedagogia deste tipo pode também ajudar a evitar o desperdício de recursos e a destruição de esperanças, o que, muito frequentemente, acontece como consequência do baixo nível do ensino e da mentalidade – “uma medida serve para todos” – relativa à educação As escolas centradas na criança são, assim, a base de construção duma sociedade orientada para as pessoas, respeitando quer as diferenças, quer a dignidade de todos os seres humanos. Políticas de inclusão e medidas educativas.
  16. 16. Políticas de inclusão e medidas educativas. A colocação de crianças com deficiência nas classes regulares deve constituir parte integrante dos planos nacionais que visam a educação para todos. Mesmo nos casos excecionais, em que as crianças são postas em escolas especiais, a sua educação não deve ser inteiramente segregada, encorajando-se a frequência de escolas Regulares a meio tempo. Deve - s e, igualmente, promover a inclusão de jovens e adultos com necessidades especiais em programas de nível superior ou em cursos de formação profissional e assegurar-se a igualdade de acesso e de oportunidades às raparigas e às mulheres com deficiência.
  17. 17. Políticas de inclusão e medidas educativas. Em síntese, a implementação de práticas inclusivas deve assegurar um desenvolvimento ótimo (sucesso) em termos de benefícios individuais tanto para cada criança como para cada família.
  18. 18. Políticas de inclusão e medidas educativas. "Nós não devemos deixar que as incapacidades das pessoas nos impossibilitem de reconhecer as suas habilidades." ( Hallahan e Kauffman, 1994)
  19. 19. Políticas de inclusão e medidas educativas.

×