Sistema urinário

289 visualizações

Publicada em

jfjhvjhvk

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
289
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema urinário

  1. 1. Sistema Urinário O sistema urinário funciona na formação da urina, na regulação da pressão do sangue, do volume de fluidos e equilíbrio ácido-base do corpo e na formação e liberação de certos hormônios. Os componentes do sistema urinário são os rins, ureteres, bexiga urinária e uretra. (Atlas colorido de histologia; pág.:316) Curiosidade: No recém-nascido, o rim é três vezes maior, em proporção ao peso do corpo, do que em um adulto. Seu peso varia de 125 a 170 g no homem e de 115 a 155 g na mulher. (Anatomia e fisiologia humana; página 441) RIM Os rins são órgãos com formato de feijões, situados atrás do peritônio pariental, contra os músculos da parede abdominal posterior, um pouco acima da linha da cintura. Pelo fato de estarem, na sua parte superior, em contato com o diafragma, eles se movem ligeiramente junto a essa estrutura durante a respiração. Os pólos superiores dos rins estão ao nível da borda superior da 12ª vértebra torácica, e os pólos inferiores ao nível da terceira vértebra lombrar. O rim direito é, em geral, ligeiramente mais baixo do que o esquerdo, possivelmente por causa do seu estreito relacionamento com o fígado. Anteriormente, o rim direito está coberto pela glândula supra - renal, pela flexura cólica direita, pela porção descendente do duodeno e pelo fígado. A glândula supra – renal, a flexura cólica esquerda, o estômago, o pâncreas, o jejuno e o baço estão relacionados com a superfície anterior do rim esquerdo. Cada rim é envolvido por três cápsulas: a verdadeira, a gordura perirrenal e a fáscia renal. A cápsula verdadeira do rim, a cápsula propriamente dita, é uma membrana lisa, fibrosa, transparente, intimamente aderida à superfície. (Anatomia e fisiologia humana; páginas 441 e 442)
  2. 2. Fonte:http://www.grupoescolar.com/pesquisa/rim--corpo-humano.html FUNÇÕES DOS RINS Os rins realizam o trabalho principal do sistema urinário, com as outras partes do sistema atuando, principalmente, como vias de passagem e áreas de armazenamento. Com a filtração do sangue e a formação da urina. Os rins também realiza as funções abaixo: Regulação da composição iônica do sangue; Manutenção da osmolaridade do sangue; Regulação do volume sangüíneo; Regulação da pressão arterial; Regulação do pH do sangue; Liberação de hormônios; Regulação do nível de glicose no sangue; Excreção de resíduos e substâncias estranhas. TÚBULOS URINÍFEROS A unidade funcional do rim é o túbulo urinífero, que consiste em néfron e túbulo coletor, cada um dos quais de origem embriológica diferente. (Atlas colorido de anatomia; pág.: 316) NÉFRONS É o longo ramo delgado da alça de Henle que auxilia no estabelecimento de um gradiente de concentração na medula rena, permitindo a formação de urina hipertônica. (Atlas colorido de histologia; pag.: 316)
  3. 3. O néfron se inicia com uma invaginação na extremidade dilatada e de fundo cego do túbulo, conhecida como capsula de bowman. As células modificadas da camada interna, a camada visceral, são conhecidos como podócitos. Alguns dos seus prolongamentos primários (principais), mas especialmente seus prolongamentos secundários e pedicelos terminais, envolvem os capilares glomerulares. Estes capilares são fenestrados com amplos poros (60 a 90 nm de diâmetro) e sem diafragmas. (Atlas colorido de histologia; pag.: 317) Componentes principal: Corpúsculo Renal: Cápsula Glomerular (de Bowman); Glomérulo – rede de capilares sanguíneos enovelados dentro da cápsula glomerular Túbulo Renal: Túbulo contorcido proximal; Alça do Néfron (de Henle); Túbulo contorcido distal; Túbulo coletor. DUCTOS COLETORES Vários túbulos contorcidos distais juntam-se a cada ducto coletor, o qual é composto de epitélio simples cúbico cujas membranas celulares laterais são claramente evidentes com o microscópio óptico. Os túbulos coletores descem pelos raios medulares do córtex para as piramides renais. À medida que descem, vários ductos coletores fundem-se para formar os ductos de Bellini, que terminam na área crivosa. (Atlas colorido de anatomia; pág.: 316)
  4. 4. Fonte: Anatomia e fisiologia; pág. 444 GLÂNDULAS SUPRA-RENAIS As glândulas supra-renais estão localizadas entre as faces supero-mediais dos rins e o diafragma. Cada glândula supra-renal, envolvida por uma cápsula fibrosa e um coxim de gordura, possui duas partes: o córtex e a medula supra-renal, ambas produzindo diferentes hormônios. A medula supra-renal secreta dois hormônios: epinefrina (adrenalina) e norepinefrina. Já o córtex supra-renal secreta os esteróides.
  5. 5. Fonte: Artigo: Glândulas Adrenais: O que são e quais as doenças que podem ocorrer URETER Os ureteres são dois tubos, um de cada rim, que funcionam no transporte de urina dos rins para a bexiga. Cada um deles começa com um determinado número de cálices no rim, que se juntam, em seguida, para formar dois um três tubos curtos, os quais se unem em uma dilatação em forma de funil, conhecida como pelve renal. O ureter propriamente dito vai da pelve até a região posterior da bexiga urinária. Cada um tem 25 a 30 cm de comprimento por 4 a 5 mm de diâmetro e consiste nas túnicas fibrosa externa, muscular média e mucosa interna. A contração de túnica muscular produz ondas peristálticas que começam na pelve e termina na bexiga. (Anatomia e fisiologia humana; pág451) BEXIGA A bexiga urinária funciona como um reservatório temporário para o armazenamento da urina. Quando a bexiga está cheia, sua superfície interna fica lisa. Uma área triangular na superfície posterior da bexiga não exibe rugas. Esta área é chamada trígono da bexiga e é sempre lisa. Este trígono é limitado por três vértices: os pontos de entrada dos dois ureteres e o ponto de saída da uretra. O trígono é importante clinicamente, pois as infecções tendem a persistir nessa área. A saída da bexiga urinária contém o músculo esfíncter chamada esfíncter interno, que se contrai involuntariamente, prevenindo o esvaziamento. Inferiormente ao músculo esfíncter, envolvendo a parte superior da uretra, está o esfíncter externo, que controlado voluntariamente, permitindo a resistência à necessidade de urinar. Curiosidade: A capacidade média da bexiga urinária é de 700 – 800ml; é menor nas mulheres porque o útero ocupa o espaço imediatamente acima da bexiga.
  6. 6. Fonte:http://www.mundoeducacao.com/biologia/sistema-excretor.htm URETRA A uretra é um tubo que conduz a urina da bexiga para o meio externo, sendo revestida por mucosa que contém grande quantidade de glândulas secretoras de muco. Uretra Masculina A uretra masculina estende-se do orifício uretral interno na bexiga urinária até o orifício uretral externa na extremidade do pênis. Apresenta dupla curvatura no estado comum de relaxamento do pênis. É dividida em três porções: a prostática, a membranácea e a esponjosa, cujas as estruturas e relações são essencialmente diferentes. Na uretra masculina existe uma abertura diminuta em forma de fenda, um ducto ejaculatório.
  7. 7. Fonte:http://www.portalescolar.net/2011/02/orgao-genital-masculino-aparelho.html Uretra Feminina É um canal membranoso estreito estendendo-se da bexiga ao orifício externa no vestíbulo. Está colocada dorsalmente à sínfise púbica, incluída na parede anterior da vagina, e de direção oblíqua para baixo e para frente; é levemente curva, com a concavidade dirigida para frente. Muitas e pequenas glândulas uretrais abrem-se na uretra. Fonte: http://www.uro.com.br/conti.htm Produzido por:
  8. 8. Maritzan Fabiola Lara Cleyslla Maria Aparecida Marilia Freitas BIBLIOGRAFIA Atlas colorido de Histologia - Leslie P. Gartner, James L. Hiatt Livro: Anatomia e Fisiologia Humana Jacob Francone Lossow http//:www.auladeanatomia.com/urinário/sistemaurinario.htm

×