Estratégias grupo 3 final

125 visualizações

Publicada em

Trabalho em Grupo do Mestrado em Educacao de Adultos

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
125
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estratégias grupo 3 final

  1. 1. Trabalho em Grupo Abel Rodrigues Jossene Armando Vontade Joaquim Nhangala Leovigildo Faite Wiseman Osman Wanna
  2. 2. Temas a abordar:I. As oportunidades de acesso à educação de adultosem Africa, II.Os factores que limitam os aprendentes deeducação de adultos para aceder a essasoportunidades.III.O papel dos Governos Africanos nodesenvolvimento da educação de adultoIV. As agências e organizações não governamentaisque desempenham um papel em educação de adulto
  3. 3.  a) Educação Formal I. Os adultos que não tiveram oportunidade enquanto crianças para frequentar a educação formal. II. Os adultos que obtiveram certificados académicos suficientes na educação formal mas ainda têm um interesse positivo no prosseguimento de aprendizagem. III. Os adultos que estão no emprego e que desejam ficar mais habilitados tecnicamente ou mais experimentados nos métodos básicos do seu próprio ofício especial ou comércio. IV. Os adultos que são iletrados e semi-instruídos cujo interesse está em técnicas de educação básicas de adultos, como leitura, escrita e aritmética
  4. 4.  b) Educação Não Formal I. Os adultos que são interessados em certo conhecimento e habilidades que os programas oferecem. II. Os adultos que são interessados na aquisição de conhecimento e habilidades em certa área ou campo do seu funcionamento quotidiano.
  5. 5. Cursos Residenciais: Os adultos deverão dispor de tempo efacilidades de acomodação para participarem das acções deformação. Nestes programas existe muita limitação de adesão porparte das famílias Africanas provenientes de origens pobres.Ensino a distância (com recursos as tecnologias de informação ecomunicação): No continente Africano em particular existe muitalimitação a tais recursos e isso constitui constrangimento.Aproveitar a oportunidade para realçar a experiência da UEM quejá se encontra a implementar um projecto de implementação decursos de superiores em 13 pontos do país incluindo distritos.
  6. 6. Localização e disponibilidade dos meios de ensino (isso pode invocarsacrifícios por parte do adulto para adquirir tais materiais). Exemplos dealguns materiais: jornais, livros, jornais periódicos, computadores efacilidades de acesso a internet.Tipo de programas de formação, natureza dos programas de formação,nível de formação académica dos formandos, expectativa de retorno deinvestimento após participar da formação.Nível de formação dos instrutores e tipo de linguagem utilizadadurante as acções de formaçãoUm caso vertente é o Quênia em queadultos participam activamente em programas de formação e secomunicam em Inglês e Swahili. Neste caso, para os adultos que secomunicam com dificuldades nestas línguas, este factor pode constituirfactor de limitação e desencorajamento para frequentar programas deformação
  7. 7. Factores baseados na comunidadeApreciação da comunidade em relação ao programade aprendizagem (relevância dos programaseducacionais), factores culturais, conflitos armados,dentre outros. Pode-se estimular tal aprendizagem comoutros meios tais como a rádio, televisão, museus,arquivos, igrejas. Porém, ressalve-se que tais meiosquando usados inadequadamente podem constituirfactor de desmotivação
  8. 8. Factores baseados no aprendizPercepção clara dos benefícios de participar num programa deaprendizagem e que concorra para a melhoria das suas condições de vidaO facto de os Africanos possuírem extensos agregados familiares cujoimpacto financeiro não se pode negar constitui igualmente um mecanismode inacessibilidade para o adulto aos programas de educação/formaçãoLimitação de tempo (adultos com o tempo totalmente preenchido tendem anão procurar serviços de educação)Limitação de recursos financeiros para atender a programas de formaçãoespecializados que muitas vezes exigem custos como matrícula, comprade livros, dentre outrosFalta de políticas governamentais que impulsionem esta razão
  9. 9. O Ministério da Educação:A principal responsabilidade dos ministérios da educação é a educação dacriança ou tipos de educação formal que começam com jardim-de-infânciae continuar até níveis terciários. Os problemas e as responsabilidades queesses ministérios devem atender são universais e incluem a taxa livre deeducação (se for o caso, por exemplo, em Uganda e no Quénia), ofornecimento e distribuição de professores, o aumento do número deescolas, em resposta ao aumento do número de alunos, o padrão deeducação infantil, o sistema de exames e muitos outros. Além disso, essesministérios proporcionam um componente de educação de adultos para osadultos que pretendam aderir a educação formal ministrem em níveisadequados.
  10. 10. Ministérios de Desenvolvimento Comunitário: Esses ministérios têmnomes diferentes em vários países Africano. Alguns desses nomesincluem o Ministério do Desenvolvimento Social, o Ministério doDesenvolvimento da Comunidade, o Ministério da Cultura e Serviço Social,do Ministério de Género, Desporto e Assistência Social e ao Ministério deHabitação e Serviços Sociais. A função básica desses ministérios é sociale consiste em promover o incentivo do crescimento de uma cultura comumexistente nos países Africanos.Os ministérios da saúdeOs ministérios da saúde estão preocupados com a educação básica deadultos e os seus trabalhadores são normalmente especializados emeducação em saúde. Médicos, enfermeiros, agentes comunitários desaúde, clínicos, nutricionistas e assistentes de saúde, mesmo se todos osenvolvidos de uma forma ou de outra na educação de adultos.
  11. 11. Ministérios da AgriculturaNa maioria dos países Africano é essencial a actividade agrícola, e seudesenvolvimento económico depende de melhores métodos agrícolas e àintrodução de novas culturas, melhorando simultaneamente sobre as jáexistentes. Os extensionistas agrícolas e veterinários são os professoresda educação de adultos neste contexto.Outros ministériosOutros ministérios que estão envolvidos na educação de adultos incluem oMinistério do Comércio, Turismo e Informação, do Ministério da Ciência eTecnologia e do Ministério da Indústria e do Desenvolvimento Cooperativo.Estes ministérios estão preocupados com o ensino de princípios básicosde negócios, relações industriais, métodos de esforço cooperativo deprodutores e organizações de consumidores e de desenvolvimentoempresarial.
  12. 12. Algumas universidades Africanas oferecem cursos degraduação e de diploma por correspondência, estudoparcial ou baseados em escolas /férias programaseducação à distância. Esses programas são bastante fortesno Quénia, Swa-ziland, Lesoto, Botsuana, África do Sul,Tanzânia, Nigéria, Costa do Marfim, Etiópia, Maurícia eNamíbia. Outros países como Serra Leoa, Gâmbia,Senegal, Zim-babwe, Zâmbia, Uganda e Malawi estãotambém se movendo na mesma direcção (Afrik, 2000).
  13. 13.  Além  das  universidades,  Omolewa  (2000)  identifica  as  outras organizações  importantes  que  desempenham  um  papel fundamental  na  oferta  de  oportunidades  de  educação  de  adultos em    África.  Estas  organizações  incluem  UNESCO,  FAO,  a Fundação  Ford,    Friedrich Ebert Founda­tion,  Organização Internacional  do  Trabalho  (OIT),  Oxfam,  UNICEF,  USAID, Organização  Mundial  da  Saúde  (OMS),  a  Cooperação  Técnica Alemã  (GTZ),  o  British Council,  o  Departamento  Britânico  para  o Desenvolvimento  Internacional  (DFID),  o  Comissão  Económica para a África (ECA), o Banco Mundial, a Associação Alemã para  Educação­  de  Adultos  (IIZ/DW),  a  organização    Laubach  Inter­nacional (EUA), dentre outras
  14. 14.  Algumas  universidades  Africanas  oferecem  cursos  de graduação  e  de  diploma  por  correspondência,  estudo parcial  ou  baseados  em  escolas  /férias  programas educação  à  distância.  Esses  programas  são  bastante fortes no Quénia, Swazilandia, Lesoto, Botsuana, África do  Sul,  Tanzânia,  Nigéria,  Costa  do  Marfim,  Etiópia, Maurícia  e  Namíbia. Outros países como Serra Leoa, Gâmbia,  Senegal,  Zim­babwe,  Zâmbia,  Uganda  e Malawi estão também se movendo na mesma direcção (Afrik, 2000). 
  15. 15. As organizações não governamentais têm assumido um papel activo no trabalho de educação de adultos em África. Estas organizações incluem igrejas, organizações missionárias, serviços sociais da igreja católica e de ajuda cristã. Em paralelo, a igreja providencia a educação nas suas instalações e também intervém na educação de adultos de várias formas. Neste contexto, o objectivo principal da educação básica de adultos é formar os adultos através de discussões em clubes sociais nas igrejas. 
  16. 16.                              ?. 

×