FÓRUMGESTÃO DE PROCESSOSCOMUNICACIONAISMaria Aparecida BaccegaPODE-SE PERCEBER HOJE, no mundo, um repensar decaminhos, que...
FÓRUMdas posições enunciador/enunciatário, outra das ca-racterísticas do campo da comunicação.Todo indivíduo/sujeito que p...
FÓRUMcotidiano , cuja materialização se efetiva na lingua-gem, é o centro da práxis, o lugar de mudanças e/oupermanências,...
FÓRUMà configuração, junto aos vários públicos, da imagemde bens, serviços e produtos dos setores público eprivado.A forma...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Gestao de processos_comunicacionais

169 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
169
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestao de processos_comunicacionais

  1. 1. FÓRUMGESTÃO DE PROCESSOSCOMUNICACIONAISMaria Aparecida BaccegaPODE-SE PERCEBER HOJE, no mundo, um repensar decaminhos, que se manifesta em propostas diferencia-das de inserção do homem na realidade. Todas asculturas lutam para ter vez e voz. Sob a aparente frag-mentação, está em construção o mundo da globalidade,entendida como o espaço onde o jogo das diferençasse coloca como manifestação de identidade a ser resga-tada e respeitada. Nesse cenário, a Comunicação/Cul-tura estabelece também seus novos caminhos: não maisa fragmentação da especialização e sim a especializaçãoque medeia a globalidade. Contata-se, assim, a imposi-ção de um novo profissional na área de Comunicaçõese Artes, aqui chamada Comunicação/Cultura: o gestordeprocessos comunicacionais.Esse novo profissional trabalha no campo da co-municação, o qual se constitui de múltiplas variáveisque se esbarram, se atropelam, lutam entre si, queparecem desaparecer - e voltam vigorosas - que, demodo algum, enfim, são neutras. Só a atuação de todase de cada uma delas garante que nesse campo semanifeste, de modo específico, a construção de senti-dos novos, renovados ou mesmos sentidos com roupa-gens outras - sempre inter-relacionados à dinâmica dasociedade, lugar último e primeiro onde os sentidosverdadeiramente se constróem.Entre essas variáveis podemos destacar as váriasopções profissionais: jornalismo, relações públicas,publicidade, editoração, profissional de televisão, rá-dio, cinema e turismo, de teatro, artes plásticas oumúsica, bibliotecário ou documenlalista, cada umacom suas especificidades teórico-metodológicas. Ocampo da comunicação interage com cada uma de-las, alargando-se nelas e manifestando um resultadoampliado, no qual se percebe a apropriação das espe-cificidades das várias opções, na configuração de umsentido novo.Esse sentido novo se dá, lambem, pelo intercâmbio
  2. 2. FÓRUMdas posições enunciador/enunciatário, outra das ca-racterísticas do campo da comunicação.Todo indivíduo/sujeito que produz qualquer pro-grama, qualquer produto da chamada indústria cultu-ral é um sujeito enunciador no sentido de que ele é oformulador de um discurso de comunicação, ele é oagente desse discurso; mas ele é, ao mesmo tempo,enunciatário de todos os discursos sociais que carac-terizam a realidade em que vive, na qual se construiucomo indivíduo comunicador. São valores, estereóti-pos, manipulações e simulacros, entre outros aspec-tos, que caracterizam sua realidade e que, de algummodo, estão presentes nele, através de filtros cujaelaboração a própria sociedade possibilitou e de quenem sempre ele tem consciência. Logo, o sujeito queelabora os produtos dos meios de comunicação é elepróprio um enunciador/enunciatário.Do outro lado, no pólo da chamada "recepção",vamosencontrartambémumindivíduo/sujeito,porta-dor de configurações de verdades e valores que per-meiam o imaginário, presentes no cotidiano daspessoas, dos grupos, das classes sociais. Ele tem umuniverso próprio, o qual ele dinamiza no momentomesmo em que ouve, vê ou lê qualquer produto. Eleé enunciatário no sentido de que seu universo ou avisão que o comunicador tem de seu universo, estáincorporado no discurso que ele "recebe".Mas ele não é tão somente um recipiente onde secolocam produtos maleáveis que vão se acomodandoao formato prévio, imaginado pelo "emissor". Pelocontrário, ele é um indivíduo/sujeito ativo, que, ao"ler" o discurso da comunicação, utiliza-se de todosos outros discursos sociais por ele apropriados, osquais embasam a leitura desse novo. A comunicação,porém, só se efetiva, como sabemos, quando o outroa incorpora, quando o outro - que é ele - se apropriado que foi comunicado - e aí ele é enunciador de umdiscurso outro construído no encontro dos dois pólos.Ele é, portanto, um enunciatário/enunciador.Nesse campo da comunicação se estruturam, maisou menos lentamente, novos sentidos, novos valores.Esse discurso outro arranca as palavras do cotidianopara com elas construir-se; contém tanto o "efetiva-mente" vivido como as possibilidades humanas doviver. Apreende e manifesta tanto a consciência socialquanto a consciência estética.A pesquisa e produção de conhecimento no campoda comunicação ocorre como resultado do diálogodas várias áreas do saber com a comunicação e as artese da interação entre o resultado desse diálogo e aprática profissional.O aprofundamento dessas questões teórico-práti-cas e a realidade do mercado profissional levaram àdecisão de se elaborar o curso de pós-graduação latosensu Gestão de Processos Comunicacionais: Elabora-ção, Implantação e Avaliação de Projetos de Comuni-cação/Cultura nos Setores Público e Privado, iniciadoem agosto de 1993, no Departamento de Comunica-ções e Artes da Escola de Comunicações e Artes daUniversidade de São Paulo.O curso, cuja proposta configura a síntese entre osavanços tecnológicos e a criticidade, no caminho daprodução de novas modalidades de atuação, com-preende vários núcleos, agrupados em três etapas.PRIMEIRA ETAPA: 240 h. Metodologia da Pesquisa em Comunicação e Cultura,que se propõe à construção de uma estratégia multi-metodológica, em que se contemplam as várias áreasdo saber, a partir de modelos metodológicos básicos,de variações dos métodos e das principais técnicas aeles associadas.• Cotidiano e Linguagem, onde se discute a Comunica-ção/Cultura no cotidiano - lugar em se dá a interaçãoentre elas -, universo mais próximo e a partir do qualo indivíduo vê o mundo. Objeto de disputas entre asinstâncias de poder que lutam para administrá-lo, o117
  3. 3. FÓRUMcotidiano , cuja materialização se efetiva na lingua-gem, é o centro da práxis, o lugar de mudanças e/oupermanências, lugar privilegiado de atuação do ges-tor deprocessos comunicacionais.• Políticas de Comunicação/Cultura, cujo objetivo é, apartir da relação dos eventos e práticas cotidianas deComunicação/Cultura comseusfundamentos filosóficose políticos, desenvolver no aluno a competência deplanejador, executor e avaliador de políticas nessa área.. Estética dos Meios de Comunicação, o qual, numaabordagem contemporânea da arte, considera os fe-nômenos nascidos das inovações tecnológicas emcorrelação com os efeitos produzidos no campo daeducação e da sociedade como um todo, levando emconsideração a ruptura do discurso estético na suainteração com os meios massivos. Essa interação éconsiderada uma das bases dos novos padrões estéti-cos e do gosto que caracterizam os comportamentos danova geração, tanto em nível nacional como internacio-nal.. Comunicação e Educação sistematiza as relações en-tre Comunicação, Cultura e Educação, inter-relacio-nando os conhecimentos sobre o tema fornecidospelas áreas das Teorias da Comunicação, Teorias daArte e Filosofia da Educação, com vistas a atender àcrescente demanda de profissionais capazes de atuarno campo da comunicação com vistas a objetivosdidáticos e pedagógicos: tanto no âmbito da escola,no sentido da promoção de ações voltadas à leituracrítica dos meios de massa e otimização dos recursosde comunicação presentes no processo ensi-no/aprendizagem, quanto no interior de sistemasmais amplos como os de rádio e televisão.SECUNDA ETAPA: 240 hEsta etapa destina-se à elaboração do Projeto deComunicação/Cultura. Implica, portanto, o desloca-mento ao local escolhido pelo aluno, para elaborar seuPlanodeTrabalho,quandodaseleçãoparaparticipardoCurso.Prevê-seque,apartirdasformulaçõesteórico-prá-ticas dos Núcleos da Primeira Etapa, o aluno terácondições de "ver" esse local com olhos científicos eutilizar-se de metodologias de pesquisa adequadas aseus objetivos. Toda essa fase é acompanhada por trêsprofessores-orientadores, escolhidos pelo aluno, deacordo com as afinidades com seu projeto.TERCEIRA ETAPA: 240 hEsta etapa constitui-se de dois núcleos:• Processos de Produção em Comunicação/Cultura, oqualrealizaacomplementaçãopráticadosdemaisNú-cleos, levando o aluno a acompanhar processos deproduçãodevídeos,jornais,panfletos,etc.,comoumaestratégia para que, conhecendo tais processos, sejacapaz de distinguir os que mais convêm aos objetivosde seu Projeto.Avaliaçãode ProjetosComunicacionais, baseadonacompreensãodanatureza,dosmétodoscdastécnicaspróprios do trabalho de planejar e avaliar projetos,oferece ao aluno um espaço acadêmico para a avalia-ção de seus próprios trabalhos de intervenção cultu-ral e para a sistematização dos conhecimentos sobreplanejamentoe avaliaçãode projetos.Estas são as bases da formação de um novo profis-sional na área de Comunicação/Cultura, que a própriasociedade vem solicitando: aquele que é capaz decoordenar ações que envolvam ambos os setores, osquais, na verdade, são os pilares do campo da comu-nicação.A realidade das instituições públicas e das empre-sas privadas tem demonstrado a necessidade de umplanejamento articulado das diversas mídias para acomposiçãodasestratégiasglobaisdecomunicação. Éum procedimento que maximiza recursos destinados118
  4. 4. FÓRUMà configuração, junto aos vários públicos, da imagemde bens, serviços e produtos dos setores público eprivado.A formação deste profissional vem ao encontro dasmudanças ocorridas em todo o mundo, não apenas nasarcas política e tecnológica, como, e talvez sobretudo,na retomada que se busca de uma visão não comparti-mentadado saber, uma visão globalizada dos proble-mas da sociedade e, portanto, das questões deComunicação/Cultura.MariaAparecidaBaccegaéprofessoradoDepartamentodeComunicaçõeseArtesda ECA-USPBACCEGA, Maria Aparecida. Gestão de processos comunicacionais. Revista Comunicações & Artes, São Paulo, ano 17, n. 28, p. 116-119,jan. abr. 1994.

×