Itália espelhada

535 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
535
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Itália espelhada

  1. 1. Vamos Conhecer a Itália? Você vai se Apaixonar! Sumário Itália 04 Geografia 06 Clima 08 Demografia 10 Religião 14 Idioma 16 Política 18 Economia 20 Transporte 22 Cultura 24 Arquitetura 26 Artes 28 Literatura 30 Música 32 Culinária 34 Pontos Turísticos 38
  2. 2. ItáliaItália (em italiano: Italia), oficialmente República Italiana (em italiano: Re- pubblica Italiana), é uma república parlamentar unitárialocalizada no centro-sul da Europa (Europa meridional). Ao norte, faz fronteira com França, Suíça, Áustria e Eslovênia ao longo dosAlpes. Ao sul, que consiste na totalidade da península Itálica, Si- cília, Sardenha, as duas maiores ilhas no Mar Mediterrâneo, e muitas outras ilhas menores fi- cam no entorno do ter- ritório italiano. Os Esta- dos independentes de San Marino e do Vatica- no são enclaves no inte- rior de Itália, enquanto Campione d’Italia é um “Apaixone-se por esse País” Itália Turismo Seja bem-vindo! Você vai se encantar com a beleza desse País... enclave italiano na Su- íça. O território do país abrange cerca de 301 338 km e é influenciado por um clima tempera- do sazonal. Com 60,6 milhões de habitantes, é a quinta nação mais po- pulosa da Europa e a 23ª do mundo. Roma, a ca- pital italiana, foi durante séculos o centro político e religioso da civilização ocidental como a capi- tal do Império Romano e como sede da Santa Sé. Após o declínio dos romanos, a Itália so- freu inúmeras invasões de povos estrangeiros, desde tribos germâni- cas, como os lombar- dos e ostrogodos, aos bizantinos e, mais tar- de, os normandos, en- tre outros. Séculos mais tarde, Itália tornou-se o berço das repúblicas marítimas e do Renas- cimento, um movimento intelectual extremamen- te frutífero que viria a ser parte integrante na for- mação subsequente do pensamento europeu. O país tem um elevado nível de escolaridade pública e é uma nação altamente globalizada. A história da Itália in- fluenciou fortemente a cultura e o costarde social, tanto na Europa como no resto do mun- do. Foi o berço da civili- zação etrusca, da Mag- na Grécia, da civilização romana, da Igreja Cató- lica, das repúblicas ma- rítimas do Humanismo, do Renascimento e do fascismo. Foi o lugar de nascimento de muitos artistas famosos, cien- tistas, músicos e litera- tos importantes. 4 Itália - 2013 5 Itália - 2013
  3. 3. Geografia Florença A Itália está localizada no sul da Europa e compreende a península Itálica e uma série de ilhas lindas e cheias de atrativos, incluin- do as duas maiores, Sicília e Sardenha. Situa-se entre as latitudes 35° e 47° N e longitude 6° e 19° E. Embora o país compreenda a totalidade penín- sula e a maior parte da bacia sul alpina, alguns do território da Itália se estendem além da bacia alpi- na e algumas ilhas estão localizadas fora da plata- forma continental da Eurásia. Esses territórios são as comunas de Livigno, Sesto, Innichen, Dobbiaco (em parte), Chiusaforte,Tarvisio, Curon Venosta (em parte), que fazem parte da bacia do rio Danúbio, enquanto o Val di Lei constitui parte do bacia do Reno e as ilhas de Lampedusa e Lampione estão na plataforma continental africano. A área total do país é de 301 230 km, dos quais 294 020 km são terra e 7 210 km água. Incluindo as ilhas, a Itália tem um litoral e uma fronteira de 7.600 km nos ma- res Adriático, Jônico e Tirreno (740 km) e as fron- teiras comuns com a França (488 km), Áustria (430 km),Eslovênia (232 km) e Suíça; San Marino (39 km) e Cidade do Vaticano (3,2 km), ambos enclaves, também entram como fronteiras. Os Apeninos formam a espinha dorsal da pe- nínsula e os Alpes for- mam a sua fronteira norte, onde está o pon- to mais alto da Itália, o monte Branco (4.810 m). O Pó, maior rio da Itália (652 km), flui dos Alpes na fronteira oeste com a França e atraves- sa a planície da Padânia em seu caminho para o mar Adriático. Os cin- co maiores lagos são (em ordem de tamanho decrescente): Garda (367,94 km), Maggio- re (212,51 km), Como (145,9 km), Trasimeno (124,29 km) e Bolse- na(113,55 km/44 sq mi). O país está situado no ponto de encontro da placas da eurasiática e africana, levando a uma atividade sísmica. Uma igreja próxima à comuna de Stelvio, na região dos Alpes. 6 Itália - 2013 7 Itália - 2013
  4. 4. Clima “verões tipica- mente secos e ensolarados” Ilustração - Banco de Imagens A costa da Ligúria tem um clima mediterrâneo. O clima da Itália varia de região para região. O norte da Itália (Milão, Turim e Bolonha) tem um clima continental, quando ao sul de Flo- rença apresenta o clima mediterrânico, com ve- rões tipicamente secos e ensolarados. O clima das áreas litorâneas da península é muito dife- rente do interior, parti- cularmente nos meses de inverno. As áreas mais elevadas são frias, úmidas e freqüentemen- te recebem a precipita- ção de neve. As regiões litorâneas têm um clima mediterrâneo típico com invernos amenos e ve- rões quentes, geralmen- te secos. Há diferenças notáveis nas temperaturas, so- bretudo durante o in- verno: em certos dias em dezembro ou janeiro pode nevar em Milão a -2 °C, enquanto em Ná- poles as temperaturas estão em +12 °C. Cer- tas manhãs, Turim pode amanhecer com -12 °C, quando ao mesmo tem- po Roma se encontra com +6 °C e Reggio Ca- labria +10 °C. No verão a diferença é mais clara, a costa leste não está tão úmida como a costa ocidental, mas no inver- no está geralmente mais fria. Também a altitude in- fluencia fortemente o clima e as temperaturas médias. Cidades meri- dionais como Potenza (na basilicata),Campo- basso (no Molise) ou Enna (na Sicília) têm in- vernos rigorosos e tem- peraturas médias bas- tante inferiores a outras localidades costeiras das mesmas regiões. Nos Apeninos, neva regularmente durante o inverno. Geralmen- te o mês mais quente é agosto no sul, e julho no norte. Nesses meses os termômetros podem marcar 42 °C no sul e 33 °C no norte. O mês mais frio é janeiro, com médias no vale do rio Pó de 0 °C, Florença 5 °C, Roma 8 °C. Mas as mínimas podem chegar a -14 °C no Vale do Rio Pó, -5 °C em Flo- rença, -4 °C em Roma, -2° em Nápoles e em Palermo +1 °C. A me- lhor época para ir a Itália é entre abril e junho. 8 Itália - 2013 9 Itália - 2013
  5. 5. Demografia Ilustração - Banco de Imagens Em janeiro de 2009, a população italiana pas- sou de 60 milhões, a quarta maior da União Europeia, e a 23ª maior do mundo. A densidade populacional é de 199,3 habitantes por km, o quinto maior da União Europeia, sendo o nor- te a parte mais densa; um terço do país con- tém quase a metade da população. Depois da Segunda Guerra Mun- dial, a Itália passou por um grande crescimento econômico que levou a população rural a mo- ver-se para as cidades, e ao mesmo tempo pas- sou de uma nação ca- racterizada por massiva emigração a um país re- ceptor de imigrantes. A alta fertilidade persistiu até a década de 1970, e depois passou para abaixo da taxa de repo- sição como em 2007, um em cada cinco italia- nos é aposentado. Ape- sar disso, graças prin- cipalmente a imigração das décadas de 80 e 90, nos anos 2000 a Itália viu um acréscimo popu- lacional natural pela pri- meira vez. Cerca de 95% da po- pulação italiana tem ori- gem na península. Os italianos são descen- dentes de uma grande quantidade de povos que se estabeleceram na península Itálica du- rante os séculos. Os italianos são uma mis- Migração e etnicidade tura de povos que já viviam na região com suas culturas, incluindo os povos latinos (a Oes- te), os sabinos (no vale superior do Tibre), os úmbrios (no centro), os samnitas (no Sul), osca- nos, entre outros, com os etruscos que se es- tabeleceram no centro do país, os gregos no Sul e os celtas no Norte. Posteriormente, esta- beleceram-se no Nor- te povos germânicos (ostrogodos, visigodos, lombardos) e, no Sul, os sarracenos (de origem árabe) e os normandos. 10 Itália - 2013 11 Itália - 2013
  6. 6. Depois da unificação italiana, o feudalismo que controlava por sé- culos as terras do país ruiu, e muitos italianos passaram por severas situações de pobreza. O norte foi o primeiro afe- tado, e grandes levas de emigrantes saíram do país principalmente em direção ao Brasil e à Argentina, a partir da década de 1870. Anos depois, a região sul tam- bém sentiu os efeitos da mudança política na agricultura, e a emigra- ção dobrou de núme- ro em 1900 e o destino principal agora era os Estados Unidos. O pico foi em 1913, quando 872.598 pessoas deixa- ram a Itália. O fenôme- no só diminuiu devido à eclosão da Primeira Guerra Mundial, quando a Itália precisou da po- pulação para reconstruir o país e a instalação do regime fascista, que restringiu a emigração na década de 1920. Imigrantes italianos posando para fotografia no pátio central da Hospedaria dos Imigrantes, em São Paulo, ca. 1890. O primeiro grande e mais importante mo- vimento migratório de italianos em direção ao Brasil ocorreu logo após a unificação, em 1875, pioneiramente para o sul do país, embora a maior massa de imigrantes te- nha se instalado em São Paulo, para trabalhar na colheita do café. A imi- gração italiana foi mas- siva até o começo do século XX, mas depois das constantes notícias de trabalho semi-es- cravo no Brasil, a Itália decretou o “decreto Pri- netti” que proibia a imi- gração subsidiada em direção ao país. direcionando o fluxo imigratório italiano para os Estados Unidos e a Argentina. As maiores comunidades italianas se encontram em São Paulo, Paraná,Rio Gran- de do Sul, Santa Cata- rina e Espírito Santo, onde profundamente fa- zem parte da cultura. Depois da Segunda Guerra Mundial, o país que era uma das maio- res fontes de imigrantes do mundo, passou a re- ceber imigrantes vindos do mundo todo, inten- sificado principalmente depois da década de 1970. No fim de 2006, estrangeiros compreen- diam 5% da população ou quase 3 milhões de pessoas, um aumen- to de 270.000 desde o ano antecedente. Em algumas cidades italia- nas, como Bréscia, Mi- lão e Pádua, o total de imigrantes é maior que 10% da população. A mais recente onda de migração tem vin- do principalmente das nações europeias (47,75%), particular- mente da Europa orien- tal, substituindo o Nor- te da África (17,43%) como a maior fonte de imigrantes. Por volta de 500.000 romenos estão oficialmente registra- dos como habitantes da Itália, mas estimati- vas que são não-oficiais afirmam que o número atual pode ser duas ve- zes maior, ou ainda mais do que o esperado. Em 2006, os outros imi- grantes vinham da Ásia (17,43%) e América La- tina (8,90%). Pequenos grupos vinham de vários locais da África. 12 Itália - 2013 13 Itália - 2013
  7. 7. Religião O Catolicismo Romano é sem dúvida a maior religião do país, embo- ra a Igreja Católica não seja mais a religião ofi- cial do estado. 87,8% dos italianos identifi- cam-se católicos roma- nos, embora apenas um terço descrevem-se como membros ativos (36,8%). A sede mundial da Igreja Católica situa- se no Vaticano desde o terceiro século, quando o bispo de Roma pas- sou a ser considerado bispo supremo e rece- beu o título “papa”. Basílica de Santa Maria del Fiore. 87,8% da população italiana segue o Catolicismo Romano. A história da Itália está ligada intimamente com a história da Igreja Cató- lica Apostólica Romana. Outros grupos cristãos na Itália incluem mais de 700.000 cristãos ortodo- xos, incluindo 470.000 imigrantes, e por volta de 180.000 gregos que são ortodoxos, 550.000 pentecostais e evangé- licos (0,8%) (dos quais 400.000 são membros da Assembleia de Deus da Itália), 245.657 Tes- temunhas de Jeová (0,4%) e 104.000 de ou- tras religiões. A minoria religiosa mais antiga do país comunidade ju- daica, que compreende por volta de 45.000 pes- soas, mas não é mais o maior grupo não-cristão da Itália. Como resulta- “a Itália está ligada intimamente com a história da Igreja Católica Apostólica Romana” do da significante imi- gração de outras par- tes do mundo, 825.000 muçulmanos(1.4% da população total) moram no país, mas apenas 50.000 são cidadãos italianos verdadeira- mente. Ainda, tem mais de 110.000 budistas (0,2%), 70.000 sikhs, e 70.000 hindus (0.1%) na maravilhosa Itália. 14 Itália - 2013 15 Itália - 2013
  8. 8. Idioma Banco de imagens - ilustrando sobre o tema “idioma”. Parli Italiano? Significa: “Você fala Italiano?” A língua italiana (lin- gua italiana) ou italiano (italiano) é uma língua românica e romântica falada por cerca de 70 milhões de pessoas, a maioria das quais vivem ou já viveram na Itália. O italiano padrão baseia- se nos dialetos da Tos- cana e é de certo modo intermédio entre as lín- guas da Itália do sul e as línguas galo-românicas do norte. O idioma oficial é o ita- liano, falado por quase toda a população italia- na. O italiano padrão é uma língua derivada do dialeto da Toscana, so- bretudo aquele falado na região de Florença. Existem diversas lín- guas e dialetos falados no dia-a-dia pela po- pulação italiana, como o sardo (na Sardenha), napolitano (em Campâ- nia), vêneto (no Vêne- to),friulano (em Friuli-Ve- nezia Giulia), francês (no Vale d’Aosta), alemão (na Província autónoma de Bolzano), esloveno (em Trieste). No Brasil Entre 1875 e 1935, aproximadamente 1,5 milhão de italianos imi- graram para o Brasil.4 Atualmente, 30 milhões de brasileiros são des- cendentes de italianos, contabilizando a maior população de origem italiana fora da Itália.5 Os imigrantes não fala- vam o italiano padrão existente hoje, mas dialetos. Na época em que estes imigrantes partiram para o Brasil, no fim do século XIX, o uso do dialeto era ain- da mais forte, visto que poucos italianos eram alfabetizados e tinham conhecimento suficien- te do italiano padrão que ainda começava a se difundir.Atualmente verifica-se um renovado interesse em se manter esse idioma minoritá- rio do Brasil meridional através de sua inserção em currículos escolares, da mesma forma que se está fazendo com o idioma alemão nas zo- nas de colonização ale- mã e com o espanhol nas zonas da Argentina. 16 Itália - 2013 17 Itália - 2013
  9. 9. Política Palazzo Montecitorio, sede do Parlamento da Itália. A constituição ita- liana de 1948 estabeleceu um parlamento bicameral, que é formado por uma câmara de deputados (Camera dei Deputati) e de um senado (Senato della Repubblica) além de um sistema judiciá- rio; e um sistema exe- cutivo composto de um conselho de ministros (Consiglio dei Ministri), encabeçado pelo pri- meiro-ministro (Presi- dente del consiglio dei ministri). O presidente da república (Presiden- te della Repubblica) tem um mandato de sete anos dentro do País. O presidente escolhe o primeiro-ministro, e este propõe os outros minis- tros, que são aprova- dos pelo presidente. O conselho de ministros precisa ter apoio (fidu- cia - confiança) de am- bas as casas do parla- mento. Os deputados que são eleitos para o parlamento são eleitos diretamente pela popu- lação do país. De acor- do com a legislação italiana de 1993, a Itália tem membros únicos de cada distrito do país, para 75% dos postos no parlamento. Os ou- tros 25% dos postos parlamentares são dis- tribuídos regularmente. A câmara de deputados possui oficialmente 630 membros (mas de fato, são apenas 619 depois das eleições italianas de 2001). O senado é composto por 315 se- nadores, eleitos pelo voto popular, bem como ex-presidentes e outras pessoas (não mais que cinco), indicadas pelo presidente da repúbli- ca, de acordo com pro- visões constitucionais especiais. Ambos, a câ- mara de deputados e o senado, são eleitos para um mandato de no má- ximo cinco anos de du- ração, mas eles podem ser dissolvidos antes do término do mandato. Leis podem ser criadas na câmara de deputa- dos ou no Senado, e para serem aprovadas, precisam da maioria em ambas as câmaras. O sistema judiciário italia- no é baseado nas leis romanas, que foram modificadas pelo Códi- go Napoleônico e ou- tros estatutos adiciona- dos posteriormente. 18 Itália - 2013 19 Itália - 2013
  10. 10. Economia A Borsa Italiana, localizada em Milão, a principal bolsa de valores do país. A Itália tem uma economia de mercado carac- terizada por um elevado PIB per capita e taxas de desemprego baixas. Em 2010, era a oitava maior economia do mundo e a quarta maior da Europa em termos de PIB no- minal. Por paridade do poder de compra(PPC), o país possui o décimo maior PIB do mundo e o quinto maior da Europa. É um membro fundador do G8, da Zona Euro e da OCDE. Após a Se- gunda Guerra Mundial, a Itália foi rapidamente transformada de uma economia baseada na agricultura para um dos países mais industriali- zados do mundo e um país líder em comércio mundial e exportações dentro do mercado. “oitava melhor qualidade de vida” É um país desenvolvi- do, com a oitava melhor qualidade de vida do mundo e o 23º melhor Índice de Desenvolvi- mento Humano (IDH). Apesar da recente crise econômica global, o PIB per capita italiano em PPC mantém-se aproxi- madamente igual à mé- dia da União Europeia (UE), enquanto a taxa de desemprego se destaca como as mais baixas. É um país desenvolvi- do, com a oitava melhor qualidade de vida do mundo e o 23º melhor Índice de Desenvolvi- mento Humano (IDH). Apesar da recente cri- se econômica global, o PIB per capita italia- no em PPC mantém-se aproximadamente igual à média da União Eu- ropeia (UE), enquanto a taxa de desemprego se destaca como as mais baixas. O país é bem conhecido por seu setor de negócios econômi- cos influente e inovador, um setor trabalhista e agrícola competitivo (a Itália é o maior produ- tor mundial de vinho) e por seus automóveis, indústria, eletrodomés- ticos e design de moda de alta qualidade. Pos- sui os maiores vinhedos já vistos e em diversos lugares de seu território. Vinhedos na área montan- hosa de Langhe, Piemonte. 20 Itália - 2013 21 Itália - 2013
  11. 11. Transporte É um país desenvolvi- do, com a oitava melhor qualidade de vida do mundo e o 23º melhor Índice de Desenvolvi- mento Humano (IDH). Apesar da recente crise econômica global, o PIB per capita italiano em PPC mantém-se aproxi- madamente igual à mé- dia da União Europeia (UE), enquanto a taxa de desemprego se destaca como as mais baixas. Existem cerca de 654 676 km de rodovias uti- lizáveis na Itália, sendo incluindo os 6 957 km de autoestradas. Exis- tem cerca de 133 aero- portos na Itália, sendo incluindo os dois hubs deMalpensa Internacio- nal (perto de Milão) e o Internacional Leonardo Da Vinci-Fiumicino (per- to de Roma). O país tem 27 grandes portos, sendo o maior ETR 500 na Estação Cen- tral de Milão. em Gênova, que tam- bém é o segundo maior do mar Mediterrâneo, depois de Marselha. Metrô Taxis Avião Transporte fluvial na Itália 22 Itália - 2013 23 Itália - 2013
  12. 12. Cultura Baile de Máscaras em Itália no dia das Bruxas. Conhecer a cultura ita- liana é importante para nós brasileiros, pois muitos imigrantes da Itália chegaram ao Bra- sil entre o final do século XIX e começo do sécu- lo XX. Estes imigrantes trouxeram a cultura italiana para, principal- mente, as regiões sul e sudeste do Brasil. A Itália é um dos paí- ses que mais influência teve e tem na cultura europeia e mundial, em todas as áreas da arte e cultura. Enquanto país, não existia antes da unificação das Cida- des-Estado. Os italianos podem-se vangloriar de uma longa tradição cul- tural das artes às ciên- cias e tecnologia, e uma forte tradição de exce- lência e beleza em to- das as suas artes, cultu- ras, literatura e ciências, corroborado no fato do país possuir o maior nú- mero de patrimônios da UNESCO, totalizando 44 no país. São nomes italianos, grandes polí- matas, artistas e gênios, como Dante, Leonardo da Vinci, Michelangelo e Enrico Fermi. Provável auto retrato de Leon- ardo da Vinci, cerca de 1512 a 1515. 24 Itália - 2013 25 Itália - 2013
  13. 13. Arquitetura A Torre inclinada de Pisa e o Duomo di Pisa, na Piazza dei Miracoli. A Piazza é um Patrimônio Mundial pela UNESCO e ambos os edifí- cios são exemplos de arquitetura românica. A Itália tem um estilo muito amplo e diversifi- cado de arquitetura, que não pode ser simples- mente classificados por período, mas também por região, devido à di- visão da Itália em vá- rias cidades-Estado até 1861. No entanto, isso criou uma gama muito diversificada e eclética em projetos arquitetôni- cos. O país é conhecido por suas consideráveis realizações arquitetôni- cas que se destacam, como a construção de arcos, cúpulas e estru- turas semelhantes du- rante a Roma antiga, e ser o fundador do movi- mento renascentista de arquitetura do final do século XIV ao século XVI e sendo a terra natal do Palladianismo, um estilo de construção que ins- pirou movimentos como o da arquitetura neo- clássica e influenciou os desenhos que os nobres construíram suas casas de campo em todo o mundo, nomeadamente no Reino Unido, Aus- trália e Estados Unidos durante o finalzinho do século XVII. No início do século XX. Várias das mais belas obras da arquitetura ocidental, como o Coli- seu, a Catedral de Milão e a Catedral de Florença, a Torre de Pisa e os projetos de construção de Ve- neza, são encontradas na Itália. A arquitetura italia- na também amplamente influenciou a arquitetura mundial. O arquiteto britânico Inigo Jones, inspira- do pelos projetos de edifícios e cidades italianas, trouxe de volta as idéias de arquitetura renascen- tista italiana para a Inglaterra do século XVII, sendo inspirado por Andrea Palladio. Além disso, a arqui- tetura italiana, popular no exterior desde o século XIX, foi usada para descrever a arquitetura externa que foi construída em estilo italiano, especialmente modelado na arquitetura renascentista. Fontana Di Trevi em Roma 26 Itália - 2013 27 Itália - 2013
  14. 14. Artes A Última Ceia de Leonardo da Vinci A Itália é o local de nascimento de diversos mo- vimentos artísticos e intelectuais que se es- palharam pela Europa e pelo mundo, como o Renascimento e o Bar- roco. A contribuição italiana para a arte e cul- tura surge das obras de Michelangelo, Leonar- do da Vinci, Donatello, Botticelli, Fra Angelico, Tintoretto, Caravaggio, Bernini, Ticiano e Ra- fael, entre outros. Além da pintura, escultura e arquitetura, as contri- buições da Itália para a literatura, ciências e músicas são realmente lindas e indiscutíveis. Mona Lisa de Leonardo da Vinci, é a mais famosa, repro- duzida e parodiada pintura de todos os tempos. 28 Itália - 2013 29 Itália - 2013
  15. 15. Literatura A base da moderna lín- gua italiana foi estabele- cida pelo poeta florenti- no Dante Alighieri, cuja obra A Divina Comédia é considerada a mais Dante, em afresco de Luca Signorelli. importante do período medieval. Em italiano escreveram Boccaccio, Castiglione e Luigi Pi- randello, além dos po- etas Tasso, Ariosto, Le- opardi, e Petrarca, cujo mais famoso estilo é o soneto, uma invenção italiana. Os filósofos são Bruno, Ficino, Maquia- vel, Vico, Gentile, e Eco. Estátua de Dante na Piazza Dante, Nápoles. Curiosidades Dante, como expoente da literatura universal foi utilizado varias vezes como referência cultural e didática indispensável pela autora portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen, que o utilizou como personagem no livro infanto-juvenil “O Cavaleiro da Dinamar- ca”, onde é apresenta- do às jovens gerações como alguém que terá tido um contato especial com realidades trans- cendentes ou que, não as tendo tido, deixou, ainda assim, uma obra por si mesma especial- mente transcendente. 30 Itália - 2013 31 Itália - 2013
  16. 16. Música Da música popular à clássica, a expressão dos sons tem um papel importantíssimo na cul- tura dos italianos. Luciano Pavarotti, um dos mais famosos tenores de todos os tempos. “A Itália é o lo- cal onde nas- ceu a ópera” A Itália é o local onde nasceu a ópera, por Claudio Monteverdi. Ins- trumentos inventados em Itália como o piano e violino permitem exe- cutar formas artísticas como a sinfonia, con- certo, e sonata. Alguns dos compositores italia- nos mais célebres são Palestrina e Monteverdi, ambos da época da Re- nascença, os composi- tores do Barroco Corelli e Vivaldi, os clássicos Paganini e Rossini, os românticosVerdi e Puc- cini e os contemporâ- neos Berio e Nono. A música da Itália inclui diversos ritmos tradicio- nais como a tarantela, obras-primas da ópera como as de Giuseppe Verdi, Giacomo Puccini e Gioacchino Rossini e da música erudita Anto- nio Vivaldi. O país tam- bém é conhecido pelo seus tenores famosos como Luciano Pavarotti e Andrea Bocelli, além de artistas pop contem- porâneos como Laura Pausini, Tiziano Ferro, Eros Ramazzotti, Vas- co Rossi e Mafalda Mi- nozzi. Destacam-se na composição de trilhas sonoras de cinema, com Nino Rota, Ennio Mor- ricone. Na música ele- tronica destaca-se o DJ Gigi D’Agostino, Benny benassi e o pioneiro do ritmo Giorgio Moroder. Já no Rock, as bandas de heavy metal Lacuna Coil e Rhapsody of Fire são as mais conhecidas fora do país. 32 Itália - 2013 33 Itália - 2013
  17. 17. Culinária A culinária italiana mo- derna evoluiu através de séculos de mudanças sociais e políticas, com suas raízes que remon- tam ao século IV a.C. Mudanças significativas ocorreram com a desco- berta do Novo Mundo, quando alguns vegetais, tais como batatas,toma- tes, pimentões e milho, tornaram-se disponí- veis. No entanto, estes ingredientes centrais da cozinha italiana moder- na não foram introduzi- dos em escala antes do século XVIII. Ingredientes e pratos variam conforme a re- gião. No entanto, muitos pratos que antes eram regionais têm prolifera- do em diferentes varia- ções em todo o país. Queijo e vinho são par- tes importantes da co- zinha, desempenhando diferentes papéis tanto regionalmente quan- to nacionalmente com suas muitas variações e leis Denominazione- di origine controllata (denominação regula- mentada). Café e, mais especificamente o café expresso, tornou-se muito importante para a cozinha cultural da Itália. Alguns pratos fa- mosos e artigos incluem massas, pizzas, lasa- nhas, focaccia e gela- to. Essa diversidade de temperos e ingredientes é resultado da presença de vários povos que po- voaram a península Itá- lica durante os séculos. Cada tipo de povo que habitava deixava seus traços culinários, dei- xando novos elemen- tos e pratos para serem apreciados por pessoas do mundo todo. Um dos povos que influenciaram fortemente a culinária italiana foi o povo árabe. Dessa cultura foi incor- porada à cultura local, a utilização do açúcar, da canela, do arroz e da berinjela. Além disso, os árabes compartilharam também técnicas para produção de passas e figos secos. A herança dos espa- nhóis iniciou-se no sé- culo XVII, quando estes traziam produtos trazi- dos do mundo ocidental (produtos até então não conhecidos no mundo do época). Tais produ- tos como feijão, tomate, milho, cacau, o rum e café. Os franceses também puderam compartilhar um pouco de sua culi- nária no manuseio de utilização de derivados do leite (creme de leite e manteiga), na época de Napoleão Bonaparte. E também formas mais elaboradas de apresen- tação dos pratos, que além se maravilhosos, possuem uma tradição dentro do país. Bruschetta italiana 34 Itália - 2013 35 Itália - 2013
  18. 18. 36 Itália - 2013 37 Itália - 2013
  19. 19. Pontos turísticos Torre de Pisa Costa Amalfitana Lago de Como Lago de Garda Gardaland Arena de Verona Coliseu de Roma Fontana di Trevi Reggia di Caserta 38 Itália - 2013 39 Itália - 2013

×