Curso EPS*Polar de Pensamento Sistêmico para Facilitadores Apoio:
Agenda <ul><li>18:30 Introdução e posicionamento de cronograma </li></ul><ul><li>18:50 Aprendizagens PS da semana e posici...
Pessoas <ul><li>Giancarlo Stefanuto </li></ul><ul><li>Paula Drummond </li></ul><ul><li>Ângela Alves </li></ul><ul><li>Deni...
Grupos <ul><li>Campinas1 : Gian, Paula, Ângela </li></ul><ul><li>Curtiba : Denise, Gerusa  </li></ul><ul><li>Metroll : Cec...
S Data Conteúdo Tema de casa Case (Rn=reunião “n” na empresa) Obs Leituras preparatórias (n=artigo em Andrade et al., 2006...
Novidades no Blog
Preparando-se... <ul><li>Basicamente... </li></ul><ul><ul><li>21 </li></ul></ul><ul><ul><li>13 </li></ul></ul><ul><ul><li>...
Sarna para se coçar <ul><li>Qual o problema mais  estratégico  para a empresa hoje? </li></ul><ul><li>Qual o mais  crítico...
Aprendizagens PS da semana e posicionamento do case <ul><li>O que aprendemos sobre o PS? </li></ul><ul><ul><li>Questão teó...
Perspectivas em Pensamento Sistêmico o movimento sistêmico na ciência, sociedade e administração (p.49) www.sistemico.com.br
Vertentes Sistêmicas Engª Controle Cibernética Dinâmica Sistemas Aprendiz. Orgl. SSM Física Quântica TGS Teoria Ação Comun...
Mudança de ênfase <ul><li>Pensamento Mecanicista </li></ul><ul><ul><li>Partes </li></ul></ul><ul><ul><li>Objetos  </li></u...
Pensamento Sistêmico <ul><li>Pensa o todo </li></ul><ul><li>Enfoca relacionamentos </li></ul><ul><li>Enxerga redes </li></...
Instrumentos do Pensamento Sistêmico <ul><li>Linguagem sistêmica </li></ul><ul><li>Método sistêmico </li></ul><ul><li>Ferr...
Queda na Demanda um caso da Trensurb para exemplificar o Pensamento Sistêmico (p.119) www.sistemico.com.br
Eventos Padrões de Comportamento Estrutura Sistêmica Modelos Mentais
Método Sistêmico <ul><li>1) Definir uma Situação de Interesse </li></ul><ul><li>2) Apresentar a História Através de Evento...
Definindo uma Situação Complexa de Interesse <ul><li>“ Não cumprimos as metas projetadas p/ demanda, tendo havido recentes...
Apresentando a História Através de Eventos <ul><li>Alteração da política tarifária em 1991. </li></ul><ul><li>Todo ano tem...
Identificando as variáveis chave <ul><li>Alteração da política tarifária em 1991     tarifa </li></ul><ul><li>Todo ano te...
Variáveis Chave <ul><li>Tarifa trem </li></ul><ul><li>Tarifa VICASA (empresa de ônibus concorrente) </li></ul><ul><li>Dese...
Padrões de Comportamento
Padrões de Comportamento
Padrões de Comportamento
Padrões de Comportamento
Padrões de Comportamento
Padrões de Comportamento
Padrões de Comportamento
Padrões de Comportamento
Padrões de Comportamento
Padrões de Comportamento
Padrões de Comportamento
Painel
Mapa sistêmico Receita Tarifa R Vantagem tarifária trem Demanda lindeiro Demanda total B _ Demanda integração Demanda ônib...
Modelos Mentais B Usuário lindeiro Governo Federal “ A empresa não tem  autonomia para seguir uma política tarifária própr...
Cenários Manutenção da política de aumentos tarifários Redução da carga tarifária Realizada no passado Realizada no futuro...
Modelando em Computador Software de modelagem em Dinâmica de Sistemas: ithink www.iseesystems.com
Leituras complementares <ul><li>Veja “ Trilhas ”, trilha  Relatos de Trilheiros Experientes , para mais casos de Pensament...
Organizando o projeto a partir do método <ul><li>1) Definir uma Situação de Interesse </li></ul><ul><li>2) Apresentar a Hi...
Concluindo... <ul><li>Você tem um (ou mais) cases para apresentar </li></ul><ul><li>Construa uma lógica de apresentação pa...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Curso Eps*Polar Facilitadores 02

604 visualizações

Publicada em

Apresentação da segunda aula do curso EPS*Polar de Pensamento Sistêmico para Facilitadores

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
604
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Curso Eps*Polar Facilitadores 02

  1. 1. Curso EPS*Polar de Pensamento Sistêmico para Facilitadores Apoio:
  2. 2. Agenda <ul><li>18:30 Introdução e posicionamento de cronograma </li></ul><ul><li>18:50 Aprendizagens PS da semana e posicionamento do case </li></ul><ul><li>19:30 Instrumento do PS: método sistêmico </li></ul><ul><li>20:00 Intervalo </li></ul><ul><li>20:15 Case PS </li></ul><ul><li>22:00 Sobre o case </li></ul><ul><li>22:15 Temas de casa </li></ul><ul><ul><li>Leituras 21, 13, 14, 81, 23, 38, Senge PS </li></ul></ul><ul><ul><li>Gestão do case </li></ul></ul>
  3. 3. Pessoas <ul><li>Giancarlo Stefanuto </li></ul><ul><li>Paula Drummond </li></ul><ul><li>Ângela Alves </li></ul><ul><li>Denise Chella </li></ul><ul><li>Gerusa </li></ul><ul><li>Cecin </li></ul><ul><li>Sara </li></ul><ul><li>Diego </li></ul><ul><li>Márcia Azevedo </li></ul><ul><li>Marta </li></ul><ul><li>Janaína </li></ul><ul><li>Márcio </li></ul><ul><li>Paula </li></ul><ul><li>João </li></ul><ul><li>André </li></ul><ul><li>Letícia </li></ul><ul><li>Rachel </li></ul><ul><li>Lígia </li></ul><ul><li>José Furtado </li></ul>
  4. 4. Grupos <ul><li>Campinas1 : Gian, Paula, Ângela </li></ul><ul><li>Curtiba : Denise, Gerusa </li></ul><ul><li>Metroll : Cecin, Sara, Diego </li></ul><ul><li>Polar : Letícia, Marta, Janaína, Márcio, André, Márcia </li></ul><ul><li>RP : Paula, João </li></ul><ul><li>Campinas2 : Rachel, Lígia, José Furtado </li></ul>
  5. 5. S Data Conteúdo Tema de casa Case (Rn=reunião “n” na empresa) Obs Leituras preparatórias (n=artigo em Andrade et al., 2006) Recursos adicionais (depois da aula) 1 19/1 Inicializações, tarefas e calendário Ponto de Mutação Características do PS Papéis e dinâmica das reuniões de PS Ler livro.. Ver filmes Definir case 6, 7, 8, 9, 19 Capra Filmes: Ponto de Mutação 2 26/1 Método sistêmico Organizar projeto 21, 13, 14, 81, 23, 38, Senge PS Filmes: Enigma das Cartas 3 2/2 ---- Feriado 4 9/2 Casos de PS Eventos e variáveis R1 – Escolha da situação de interesse e eventos 29, 55, 71, 73, 91 Filmes: Quem Somos Nós 5 16/2 ---- Carnaval 6 23/2 Padrões de comportamento, séries históricas e análise de correlação R2 – Padrões 26, 39, 84, 89, 96, Senge AG 7 2/3 Linguagem sistêmica Ferramentas R3 – Mapa sistêmico (análise de correlação) 10, 49, 50, 53 Filmes: Home 8 9/3 Arquétipos R4 – Mapa sistêmico (arquétipos) 40, 57, 63, 90 Arquétipos Senge e internet 9 16/3 Modelos mentais R5 – Modelos mentais 61, 62, 66, 67, 81, 92, Senge MM 10 23/3 Cenários R6 – Cenários 34, 35, 36, 41 Bibliografia Cenários, site Shell, GBN; Filmes: Minority Report 11 30/3 Modelagem R7 – Modelagem de cenários 20, 42, 43 Tutorial ithink, Vensim 12 6/4 Modelagem R8 – Modelagem de estratégias 79, 77, 78, Senge VC 13 13/4 Pontos de alavancagem R9 – Projetos de ação 85, 58, 25, 45, 46, 56, 94 14 27/4 Apresentações 44, Livro Ismael ( http://www.scribd.com/doc/3211348/Daniel-Quinn-Ismael ) , Senge DP, Livro Avaeté ( http://www.scribd.com/doc/24753761/Avaete )
  6. 6. Novidades no Blog
  7. 7. Preparando-se... <ul><li>Basicamente... </li></ul><ul><ul><li>21 </li></ul></ul><ul><ul><li>13 </li></ul></ul><ul><ul><li>14 </li></ul></ul><ul><ul><li>81 </li></ul></ul><ul><ul><li>23 </li></ul></ul><ul><ul><li>38 </li></ul></ul><ul><li>Mais a fundo... </li></ul><ul><ul><li>Senge PS páginas: </li></ul></ul>
  8. 8. Sarna para se coçar <ul><li>Qual o problema mais estratégico para a empresa hoje? </li></ul><ul><li>Qual o mais crítico ? </li></ul><ul><li>Qual impede você de dormir à noite? </li></ul><ul><li>Que problemas complexos temos para resolver? </li></ul><ul><li>(Exercício da p. 75) </li></ul>
  9. 9. Aprendizagens PS da semana e posicionamento do case <ul><li>O que aprendemos sobre o PS? </li></ul><ul><ul><li>Questão teórico-metodológica </li></ul></ul><ul><ul><li>Comentários sobre leituras </li></ul></ul><ul><li>Posicionamento do case </li></ul><ul><ul><li>O que foi feito? </li></ul></ul><ul><ul><li>Qual o estágio atual? </li></ul></ul><ul><ul><li>O que está pendente? </li></ul></ul>
  10. 10. Perspectivas em Pensamento Sistêmico o movimento sistêmico na ciência, sociedade e administração (p.49) www.sistemico.com.br
  11. 11. Vertentes Sistêmicas Engª Controle Cibernética Dinâmica Sistemas Aprendiz. Orgl. SSM Física Quântica TGS Teoria Ação Comunicativa (Habermas e Esc.Frankf.) Gestalt e linhas sist. psicologia Tradições filos. orientais Ecologia Ciências Cognitivas Biol.Organísmica Autopoiese Estruturas Dissipativas Prigogine Hipótese Gaia Pensamento Complexo (Morin) Teoria do Caos Matemática Complexidade Lógica Paraconsistente (Din.Sist.Dinâmicos) Teoria Orgl. Sistêmicas (Eric, Trist, Katz, Kahn) Sist. Sociais Abertos Pensamento por processos P.S.Crítico Beer e o MSV TOC Transdisciplinaridade Giddens (sociologia) Talcott Parsons (func.sist.social) Simon e IA Luhmann (sist.soc.aupoiéticos) Pensamento Holístico
  12. 12. Mudança de ênfase <ul><li>Pensamento Mecanicista </li></ul><ul><ul><li>Partes </li></ul></ul><ul><ul><li>Objetos </li></ul></ul><ul><ul><li>Hierarquias </li></ul></ul><ul><ul><li>Causalidade Linear </li></ul></ul><ul><ul><li>Estrutura </li></ul></ul><ul><ul><li>Metáfora Mecânica </li></ul></ul><ul><ul><li>Conhecimento Objetivo </li></ul></ul><ul><ul><li>Verdade </li></ul></ul><ul><ul><li>Quantidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Controle </li></ul></ul><ul><li>Pensamento Sistêmico </li></ul><ul><ul><li>Todo </li></ul></ul><ul><ul><li>Relacionamentos </li></ul></ul><ul><ul><li>Redes </li></ul></ul><ul><ul><li>Circularidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Processo </li></ul></ul><ul><ul><li>Metáfora do Organismo Vivo e Outras Não-Mecânicas </li></ul></ul><ul><ul><li>Conhecimento Contextual e Epistêmico </li></ul></ul><ul><ul><li>Descrições Aproximadas </li></ul></ul><ul><ul><li>Qualidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Cooperação, Influenciação e Ação Não-violenta </li></ul></ul>
  13. 13. Pensamento Sistêmico <ul><li>Pensa o todo </li></ul><ul><li>Enfoca relacionamentos </li></ul><ul><li>Enxerga redes </li></ul><ul><li>Procura a circularidade </li></ul><ul><li>Interessa-se pelos processos </li></ul><ul><li>Usa a metáfora do organismo vivo e outras não-mecânicas </li></ul><ul><li>Considera o conhecimento como contextual e epistêmico </li></ul><ul><li>Aceita descrições aproximadas </li></ul><ul><li>Atém-se à qualidade </li></ul><ul><li>Age por cooperação, influenciação e ação não-violenta </li></ul>
  14. 14. Instrumentos do Pensamento Sistêmico <ul><li>Linguagem sistêmica </li></ul><ul><li>Método sistêmico </li></ul><ul><li>Ferramentas sistêmicas </li></ul>
  15. 15. Queda na Demanda um caso da Trensurb para exemplificar o Pensamento Sistêmico (p.119) www.sistemico.com.br
  16. 16. Eventos Padrões de Comportamento Estrutura Sistêmica Modelos Mentais
  17. 17. Método Sistêmico <ul><li>1) Definir uma Situação de Interesse </li></ul><ul><li>2) Apresentar a História Através de Eventos </li></ul><ul><li>3) Identificar os Fatores Chave </li></ul><ul><li>4) Traçar os Padrões de Comportamento </li></ul><ul><li>5) Desenhar a Estrutura Sistêmica </li></ul><ul><li>6) Identificar Modelos Mentais </li></ul><ul><li>7) Planejar Cenários </li></ul><ul><li>8) Modelar em Computador </li></ul><ul><li>9) Definir Direcionadores Estratégicos, Planejar Ações e Reprojetar o Sistema </li></ul>
  18. 18. Definindo uma Situação Complexa de Interesse <ul><li>“ Não cumprimos as metas projetadas p/ demanda, tendo havido recentes perdas de usuários .” </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Horizonte de tempo: fatores e eventos de 1985 até hoje. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  19. 19. Apresentando a História Através de Eventos <ul><li>Alteração da política tarifária em 1991. </li></ul><ul><li>Todo ano tem aumentado a tarifa. </li></ul><ul><li>Desde 85 o nº de linhas integradas aumentou pouco. </li></ul><ul><li>A demanda de ônibus não aumentou. </li></ul><ul><li>Houve aumento nº de reclamações quanto à segurança pública. </li></ul><ul><li>Aumento do desemprego na RMPA (1993). </li></ul><ul><li>Valorização das áreas adjacentes (expulsão do usuário lindeiro). </li></ul><ul><li>Greves. </li></ul><ul><li>Velocidade do trem iniciou lenta, aumentou, diminuiu no final de 1994. </li></ul><ul><li>Em 1995 houve uma campanha publicitária. </li></ul><ul><li>Constante descontinuidade na qualidade do serviço trem-ônibus. </li></ul><ul><li>Trem não é utilizado como transporte de escolares. </li></ul><ul><li>Metroplan não responde às reclamações dos usuários. </li></ul><ul><li>Pesquisa de 1995 com usuário potencial demonstra que 70% não utiliza em função de problemas de acessibilidade. </li></ul>
  20. 20. Identificando as variáveis chave <ul><li>Alteração da política tarifária em 1991  tarifa </li></ul><ul><li>Todo ano tem aumentado a tarifa  tarifa </li></ul><ul><li>Desde 85 o nº de linhas integradas aumentou pouco  nº de linhas de integração . </li></ul><ul><li>A demanda de ônibus não aumentou  demanda ônibus </li></ul><ul><li>Houve aumento nº de reclamações quanto à segurança pública  nº de reclamações </li></ul><ul><li>Aumento do desemprego na RMPA (1993)  desemprego </li></ul><ul><li>Valorização das áreas adjacentes (expulsão do usuário lindeiro)  valor médio áreas adjacentes </li></ul>
  21. 21. Variáveis Chave <ul><li>Tarifa trem </li></ul><ul><li>Tarifa VICASA (empresa de ônibus concorrente) </li></ul><ul><li>Desemprego na região metropolitana </li></ul><ul><li>Nº de linhas de integração </li></ul><ul><li>Demanda do modal ônibus na região </li></ul><ul><li>Demanda do modal automóvel </li></ul><ul><li>Qualidade do serviço </li></ul><ul><li>Nº de reclamações de falta de segurança </li></ul><ul><li>Nº recl. integração x atendidas </li></ul><ul><li>Nº recl. totais x atendidas </li></ul><ul><li>Motivação </li></ul><ul><li>Velocidade </li></ul><ul><li>Nº de dias de greve/ano </li></ul><ul><li>$/ano investimento em publicidade </li></ul><ul><li>Investimentos em melhorias de integração </li></ul><ul><li>Demanda real total </li></ul><ul><li>Demanda real usuários lindeiros </li></ul><ul><li>Demanda real integração </li></ul><ul><li>Demanda projetada </li></ul><ul><li>Nº reuniões empresa/entidades representativas da comunidade </li></ul><ul><li>% usuários da indústria </li></ul><ul><li>% usuários comércio/serviços </li></ul><ul><li>População RMPA </li></ul><ul><li>Intervalo entre trens </li></ul><ul><li>Nº funcionários na área de integração </li></ul>
  22. 22. Padrões de Comportamento
  23. 23. Padrões de Comportamento
  24. 24. Padrões de Comportamento
  25. 25. Padrões de Comportamento
  26. 26. Padrões de Comportamento
  27. 27. Padrões de Comportamento
  28. 28. Padrões de Comportamento
  29. 29. Padrões de Comportamento
  30. 30. Padrões de Comportamento
  31. 31. Padrões de Comportamento
  32. 32. Padrões de Comportamento
  33. 33. Painel
  34. 34. Mapa sistêmico Receita Tarifa R Vantagem tarifária trem Demanda lindeiro Demanda total B _ Demanda integração Demanda ônibus _ _ Desemprego Demanda auto _ Qualidade Avarias Investim manut _ _ Investim integr R R
  35. 35. Modelos Mentais B Usuário lindeiro Governo Federal “ A empresa não tem autonomia para seguir uma política tarifária própria.” Direção “ A boa imagem da empresa junto ao governo depende melhorar a relação receita x despesa.” B Receita Tarifa R Vantagem tarifária trem Demanda lindeiro Demanda total _ Demanda ônibus _ _ “ É preciso aumentar as tarifas para reduzir o desembolso a empresas estatais.” “ Se houver uma boa van- tagem na tarifa do trem sobre a do ônibus, eu posso bem caminhar um pouco mais.” “ Quanto eu pago p/ cami- nhar menos?” Gerência “ É preciso aumentar a receita para repor mate- riais de manutenção.”
  36. 36. Cenários Manutenção da política de aumentos tarifários Redução da carga tarifária Realizada no passado Realizada no futuro Cenário 4 Cenário 2 Cenário 3 Cenário 1
  37. 37. Modelando em Computador Software de modelagem em Dinâmica de Sistemas: ithink www.iseesystems.com
  38. 38. Leituras complementares <ul><li>Veja “ Trilhas ”, trilha Relatos de Trilheiros Experientes , para mais casos de Pensamento Sistêmico, na página 30. </li></ul>
  39. 39. Organizando o projeto a partir do método <ul><li>1) Definir uma Situação de Interesse </li></ul><ul><li>2) Apresentar a História Através de Eventos </li></ul><ul><li>3) Identificar os Fatores Chave </li></ul><ul><li>4) Traçar os Padrões de Comportamento </li></ul><ul><li>5) Desenhar a Estrutura Sistêmica </li></ul><ul><li>6) Identificar Modelos Mentais </li></ul><ul><li>7) Planejar Cenários </li></ul><ul><li>8) Modelar em Computador </li></ul><ul><li>9) Definir Direcionadores Estratégicos, Planejar Ações e Reprojetar o Sistema </li></ul><ul><li>R1 – Escolha da situação de interesse, eventos e variáveis </li></ul><ul><li>R2 – Padrões </li></ul><ul><li>R3 – Mapa sistêmico (análise de correlação) </li></ul><ul><li>R4 – Mapa sistêmico (arquétipos) </li></ul><ul><li>R5 – Modelos mentais </li></ul><ul><li>R6 – Cenários </li></ul><ul><li>R7 – Modelagem de cenários </li></ul><ul><li>R8 – Modelagem de estratégias </li></ul><ul><li>R9 – Projetos de ação </li></ul>
  40. 40. Concluindo... <ul><li>Você tem um (ou mais) cases para apresentar </li></ul><ul><li>Construa uma lógica de apresentação para R0 com cliente. Deve conter: </li></ul><ul><ul><li>Teoria/método/sensibilização no mundo das idéias (há muitos loucos por aí no mundo!) </li></ul></ul><ul><ul><li>Caso prático (há muitos São Tomés por aí no mundo!) </li></ul></ul><ul><ul><li>Tempo para dialogar sobre seus problemas </li></ul></ul><ul><li>Se comprado, organize o projeto </li></ul><ul><ul><li>Cronograma </li></ul></ul><ul><ul><li>Equipes </li></ul></ul><ul><li>Notas finais, autópsia </li></ul><ul><li>Próximos passos </li></ul><ul><li>Obrigado! </li></ul>

×