Recurso Natural

8.193 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.193
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
88
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Recurso Natural

  1. 1. Recursos naturais – utilização e consequências • A ciência e a tecnologia têm melhorado a qualidade de vida das populações, através da utilização dos recursos, mas a sua exploração tem de abrandar!! Segundo a Comissão Mundial para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Nações Unidas), entende-se por Desenvolvimento Sustentável o desenvolvimento que satisfaz as necessidades da presente geração sem comprometer a capacidade das gerações futuras satisfazerem as suas próprias necessidades. Tornou-se indispensável a implementação de medidas promotoras de uma gestão sustentável dos recursos naturais.
  2. 2. Recurso Natural É tudo o que existe na Natureza e serve para satisfazer as necessidades da Humanidade. Recurso Natural Minerais Energéticos Biológicos Hídricos
  3. 3. Atendendo à sua velocidade de renovação, podem dividir-se em… Não Renováveis renováveis • Hídricos • Energia fóssil • Biológicos • Minérios • Energias • Energia nuclear alternativas
  4. 4. • São recursos que se esgotam a uma velocidade superior à da sua renovação, que pode ser de alguns milhões de anos. Ex: recursos minerais como o ouro e o cobre; recursos energéticos como os combustíveis fósseis (gás natural, petróleo e carvão).
  5. 5. • Podem ser usados quase infinitamente, se forem explorados de forma sustentável, visto que se renovam a uma velocidade muito rápida. Ex: os recursos biológicos: as florestas, o solo e os produtos da pesca; os recursos hídricos: a água; as energias alternativas: a energia do solar, eólica e hídrica.
  6. 6. • Incluem o conjunto das águas superficiais e das águas subterrâneas utilizadas pelas populações, quer para beber quer para as diversas actividades humanas.
  7. 7. Apesar da grande quantidade de água da hidrosfera, a maior parte dela é salgada, não podendo ser utilizada directamente pelo ser humano.
  8. 8. Recursos hidrogeológicos Cerca de 15% da água que se precipita sobre a superfície terrestre infiltra-se no solo, por acção da gravidade, e origina a água subterrânea que preenche os AQUÍFEROS.
  9. 9. • Actualmente, quase 60% da população mundial tem nos lençóis de água subterrânea a sua fonte principal de água potável, uma vez que a disponibilidade de água doce superficial não é suficiente.
  10. 10. • A maior parte do Continente Africano, o Médio Oriente, as regiões Oeste dos EUA, Noroeste do México, certas zonas do Chile e Argentina e quase toda a Austrália debatem-se com problemas graves de escassez de água. O Mundo pode, por isso, ser teoricamente dividido em duas partes: - os que têm água e os que a não têm, tornando-se a posse de água num factor de diferença entre a pobreza e a riqueza e mesmo entre a vida e a morte!
  11. 11. quot;A água pode existir sem os seres humanos, mas nós só conseguimos sobreviver sem água por poucos dias.”
  12. 12. Tipos particulares de águas Águas minerais naturais • São bacteriologicamente próprias, de circulação subterrânea, com características físico-químicas estáveis, que podem ter efeitos favoráveis à saúde e que se distingue pela sua pureza original e pelo teor de substâncias minerais. Águas de nascente • Caracterizam-se por serem pouco mineralizadas e caracterizadas bacteriologicamente próprias. Águas termais • São aquecidas e muito ricas em sais minerais. Resultam normalmente da passagem de águas em zonas profundas ou próximo de uma câmara magmática. São utilizadas no tratamento de diversas doenças.
  13. 13. Como se utilizam os recursos hídricos? A água está presente em múltiplas actividades do Homem e, como tal, é utilizada para finalidades muito diversificadas, em que assumem maior importância: • a produção de energia eléctrica • os usos agrícola e industrial • abastecimento doméstico e público
  14. 14. A expansão urbanística, a industrialização, a agricultura e a pecuária intensivas e ainda a produção de energia eléctrica – que estão estreitamente associadas à elevação do nível de vida e ao crescimento populacional – passaram a exigir crescentes quantidades de água.
  15. 15. Consumo doméstico Cerca de 10% da água usada no mundo destina-se ao consumo doméstico Nas zonas urbanas, o consumo de água aumentou consideravelmente devido ao rápido crescimento da população.
  16. 16. • Se 1 milhão de pessoas fechar a torneira ao lavar os dentes, ao longo de um mês, poupa-se o equivalente à quantidade de água que cai das Cataratas do Iguaçu durante 12 minutos!!
  17. 17. Consumo na agricultura • A agricultura, a nível mundial, gasta cerca de 70% de água, mas mais de metade perde-se por evaporação ou de escorrência superficial, devido à irrigação não controlada. É a actividade humana que mais consome água no mundo.
  18. 18. • Para produzir 1Kg de batatas são gastos 1000 litros de água.
  19. 19. Consumo industrial • A indústria consome 20% da água disponível, muitas vezes de forma ineficiente. Na última década este consumo aumentou a nível mundial.
  20. 20. Consequências da utilização dos recursos hídricos A água apesar de considerada um recurso natural renovável, pode vir a ser considerada um recurso limitado. Isto porque a sua qualidade está ameaçada pelas actividades humanas – esgotos domésticos, resíduos de fertilizantes e de pesticidas e poluição ambiental.
  21. 21. Os receios de um futuro sem água são agravados ainda pelo aumento previsto na população mundial. A população mundial continua a aumentar e as cidades expandem-se, tudo isto mais rapidamente do que os sistemas de distribuição e tratamento de água. À medida que a população aumenta as regiões que hoje possuem recursos hídricos poderão entrar no que se chama stress hídrico, ou seja, sofrer falta de água doce.
  22. 22. Seca: navios-cisterna vão levar água da França para a Espanha 04.04.2008 - 15h17 AFP, PÚBLICO Navios-cisterna vão encaminhar um total de 2,6 hectómetros cúbicos de água desde Marselha, no Sul da França, e Tarragona, no Norte de Espanha, para a região de Barcelona, afectada por uma seca severa, informou hoje o governo regional da Catalunha. O primeiro barco parte de Tarragona na primeira quinzena de Maio e outros dois navios partirão de Marselha na segunda quinzena de Maio, disse fonte do ministério regional do Ambiente, confirmando uma informação anunciada pela imprensa catalã, em Março. Estão previstos outros trajectos, adiantou a mesma fonte, acrescentando que os contractos ainda não foram assinados. A operação custa 22 milhões de euros. Cada navio tem capacidade para 28 mil metros cúbicos de água. As reservas de água em Espanha estão a 46,6 por cento da sua capacidade total e actualmente há 25.315 hectómetros cúbicos de água em barragens, segundo números publicados esta semana pelo Ministério do Ambiente. A situação é especialmente crítica na Catalunha, onde as barragens estão a 19,6 por cento da sua capacidade, perto do limite de 15 por cento, abaixo do qual a água é considerada inutilizável por estar em contacto com os fundos lodosos. A capacidade total de armazenamento na Cataluña é de 740 hectómetros cúbicos e hoje tem 145 hectómetros cúbicos. A média dos últimos dez anos é de 398 hectómetros cúbicos. Segundo um relatório do Ministério espanhol do Ambiente, a situação hídrica da Cataluña “é muito delicada para todos os usos”.
  23. 23. CARTA EUROPEIA DA ÁGUA do Conselho da Europa I. NÃO HÁ VIDA SEM ÁGUA. A ÁGUA É UM BEM PRECIOSO, INDISPENSÁVEL A TODAS AS ACTIVIDADES HUMANAS. II. OS RECURSOS DE ÁGUAS DOCES NÃO SÃO INESGOTÁVEIS. É INDISPENSÁVEL PRESERVÁ-LOS, ADMINISTRÁ-LOS E, SE POSSÍVEL, AUMENTÁ-LOS. III. ALTERAR A QUALIDADE DA ÁGUA É PREJUDICAR A VIDA DO HOMEM E DOS OUTROS SERES VIVOS QUE DEPENDEM DELA. IV. A QUALIDADE DA ÁGUA DEVE SER MANTIDA A NÍVEIS ADAPTADOS À UTILIZAÇÃO PARA QUE ESTÁ PREVISTA E DEVE, DESIGNADAMENTE, SATISFAZER AS EXIGÊNCIAS DA SAÚDE PÚBLICA. V. QUANDO A ÁGUA, DEPOIS DE UTILIZADA, VOLTA AO MEIO NATURAL, NÃO DEVE COMPROMETER AS UTILIZAÇÕES ULTERIORES QUE DELA SE FARÃO, QUER PÚBLICAS QUER PRIVADAS. VI. A MANUTENÇÃO DE UMA COBERTURA VEGETAL ADEQUADA, DE PREFERÊNCIA FLORESTAL. É ESSENCIAL PARA A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS.
  24. 24. VII. OS RECURSOS AQUÍFEROS DEVEM SER INVENTARIADOS. VIII. A BOA GESTÃO DA ÁGUA DEVE SER OBJECTO DE UM PLANO PROMULGADO PELAS AUTORIDADES COMPETENTES. IX. A SALVAGUARDA DA ÁGUA IMPLICA UM ESFORÇO CRESCENTE DE INVESTIGAÇÃO, DE FORMAÇÃO DE ESPECIALISTAS E DE INFORMAÇÃO PÚBLICA. X. A ÁGUA É UM PATRIMÓNIO COMUM, CUJO VALOR DEVE SER RECONHECIDO POR TODOS. CADA UM TEM O DEVER DE ECONOMIZAR E DE A UTILIZAR COM CUIDADO. XI. A GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DEVE INSCREVER-SE NO QUADRO DA BACIA NATURAL, DE PREFERÊNCIA A SER INSERIDA NO DAS FRONTEIRAS ADMINISTRATIVAS E POLÍTICAS. XII. A ÁGUA NÃO TEM FRONTEIRAS. É UM RECURSO COMUM QUE NECESSITA DE UMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL.
  25. 25. quot;(…) Aqui tens a água, bebe devagar, devagar, saboreia, um copo de água é uma maravilha, não falava para ele, não falava para ninguém, simplesmente comunicava ao mundo a maravilha que é um copo de água. (…) Oh que alegria, (…), vamos todos beber água pura. Agarrou desta vez na candeia e foi à cozinha, voltou com o garrafão, a luz entrava por ele, fazendo cintilar a jóia que tinha dentro. Colocou-o sobre a mesa, foi buscar os copos, os melhores que tinham, de cristal finíssimo, depois, lentamente, como se estivesse a oficiar um rito, encheu-os. No fim, disse, Bebamos. As mãos cegas procuraram e encontraram os copos, levantaram-nos tremendo. Bebamos, repetiu a mulher do médico. No centro da mesa, a candeia era como um sol rodeado de astros brilhantes. Quando os copos foram pousados a rapariga dos óculos escuros e o velho da venda preta estavam a chorar.” José Saramago, in O Ensaio sobre a Cegueira

×