SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 36
Baixar para ler offline
Biologia/Geologia

 Unidade: A Terra, um Planeta especial


       Sub-Unidade:         A Terra, um Planeta a proteger


           Tema: Intervenções do Homem nos subsistemas terrestres


                     Sub-tema: Impactos na Geosfera (Exploração de Recursos Naturais)


10ºC
Pedro Estevão, nº 20
Pedro Silva, nº 23
Rita Guerreiro, nº 24                                                           Setúbal,
                                                                               29.11.2010
Tiago Ribeiro, nº 28
                                                                                            1
Exploração de Recursos Naturais

Introdução

Desde sempre, o Homem tem vindo a precisar de retirar da Natureza, recursos
indispensáveis à sua sobrevivência. O avanço da ciência e da tecnologia,
permitiu ao Homem ter uma qualidade de vida melhor.


Mas com a intervenção humana, temos vindo a assistir a profundas alterações do
equilíbrio natural dos ecossistemas.


Com tudo isto, é necessário fazer uma gestão sustentável dos recursos que a
Natureza nos dá. Para conseguir essa gestão, temos de defender aquilo que
ainda existe para garantirmos o direito a uma vida saudável e produtiva em
harmonia com o meio ambiente.


                                                                                 2
O que são Recursos Naturais ?


Um Recurso Natural é tudo o
que existe na Natureza e
serve para satisfazer as
necessidades            da
Humanidade.
Te n d o e m c o n t a a s u a
Natureza, os Recursos
Naturais podem-se
classificar como:

   ! Recursos Minerais
   ! Recursos Biológicos
   ! Recursos Hídricos
   ! Recursos Energéticos


                                           3
Recursos Minerais

Os Recursos Minerais são                      Chumbo
c o n c e n t r a ç õ e s d e ro c h a s e
minerais que constituem a crusta
terrestre.

Quando num local os Recursos
Minerais existem em quantidade
suficiente que justifique um
interesse económico rentável
para o Homem, designam-se
jazidas minerais.
Os Recursos Minerais classificam-
se em:
! Metálicos (os mais abundantes são o ferro, alumínio, magnésio, manganês e titânio, e os mais
escassos são o cobre, zinco, níquel, crómio, ouro, prata, tungsténio, mercúrio, urânio, entre outros);
! Não Metálicos (xisto, granito, basalto, mármore, calcário, areias, argilas, entre outros).
É possível conseguir extraí-los da crusta terrestre através da actividade mineira.
                                                                                                         4
Recursos Minerais

A extracção de Recursos Minerais acontece principalmente de duas formas:

Exploração a céu aberto – normalmente são retirados recursos Não Metálicos e rochas
ornamentais (pedreiras).

Este tipo de extracção altera em muito a paisagem, quer na remoção de árvores, quer nas
grandes depressões que ficam após a retirada das rochas ornamentais. Para minimizar
esse impacto, costuma encher-se essas depressões com solo.



Explorações subterrâneas – em que são retirados os recursos Metálicos.

Há a abertura de galerias no interior da terra (minas), para isso há um abate da vegetação
local.

Neste tipo de extracção, o mais preocupante é que quando há exploração de minério, este
vem sempre acompanhado com material que não tem valor económico, (designado por
ganga), que é acumulada no exterior da mina formando as escombreiras. Estas são prejudiciais
ao meio ambiente porque contêm metais pesados, que para além de poluírem o solo,
também podem contaminar os aquíferos.

                                                                                               5
Recursos Minerais




                    6
Recursos Minerais




                    7
Recursos Biológicos

Os Recursos Biológicos são um conjunto de materiais e energia que o Homem pode
obter a partir de outros seres vivos.




      Agricultura                                             Florestas




                                  Pecuária




        Pesca                                                  Caça
                                                                             8
Recursos Biológicos

                      Agricultura


                                    A A gricultura
                                    m o d e r n a
                                    pretende produzir
                                    excedentes para
                                    comercialização.
                                    É geralmente
                                    praticada através
                                    de máquinas
                                    agrícolas, em
                                    vastos campos
                                    de monocultura,
                                    isto é, a cultura
                                    de    uma      só
                                    espécie agrícola.




                                                        9
Recursos Biológicos

                      Pesca   A Pesca tem
                              vindo a crescer
                              como actividade
                              económica por
                              todo o Mundo.
                              Graças        ao
                              desenvolvimento
                              desta actividade,
                              chegam mais
                              rapidamente aos
                              mercados várias
                              espécies de
                              peixe,      que
                              normalmente,
                              demorariam
                              muito mais
                              tempo a atingir
                              as dimensões
                              exigidas para a
                              sua captura no
                              mar.

                                                  10
Recursos Biológicos

Pecuária
                         A Pecuária
                         representa
                         r e c u r s o s
                         biológicos muito
                         diversificados, já
                         que o Homem
                         utiliza os animais
                         para diversos
                         fins, como por
                         exemplo, para a
                         alimentação,
                         v e s t u á r i o ,
                         c a l ç a d o ,
                         m e d i c i n a ,
                         mobiliário, entre
                         outros.


                                               11
Recursos Biológicos

Florestas
                         A     Floresta
                         engloba uma série
                         de produtos, dos
                         quais se destaca a
                         produção de
                         madeira para as
                         indústrias do
                         papel. Além do
                         papel, os recursos
                         florestais são
                         utilizados para
                         vários       fins
                         ( c e s t a r i a ,
                         construções com
                         aplicação da
                         madeira, etc).


                                               12
Recursos Biológicos



                         Há cerca de 300
                         anos a Caça era
                         uma actividade
                         b a s t a n t e
                         generalizada na
                         Europa.
                         Actualmente em
                         Portugal, está
                         praticamente
                         restrita a áreas
                         condicionadas,
                         com o objectivo
                         de não colocar
                         em perigo a
                         preservação
                         das espécies.



Caça
                                        13
Recursos Biológicos

Os Recursos Biológicos são considerados como inesgotáveis, pois é possível a sua renovação, mas observa-se
que devido ao aumento demográfico e à sobreexploração dos recursos, é cada vez mais difícil manter o equilíbrio
dos ecossistemas naturais.
A perda da BIODIVERSIDADE é a principal consequência da atitude do Homem ao querer obter, mais
rapidamente, os produtos de que necessita para se alimentar e sobreviver.




                                                                                                              14
Recursos Hídricos

Os Recursos Hídricos representam a quantidade de água doce superficial e
subterrânea que está à disposição do Homem.
Apenas a água doce presente nos lagos, rios, ribeiros e lençóis de água subterrânea
(aquíferos) está potencialmente disponível para o Homem.




Quase 60% da população
mundial tem nos lençóis de água
subterrânea a sua fonte
principal de água potável, uma
vez que a disponibilidade de
água doce superficial não é
suficiente.




                                                                                      15
Recursos Hídricos

A água doce é principalmente usada na agricultura, indústria e consumo doméstico.




                                                                                    16
Recursos Hídricos


Infelizmente, grande parte da água consumida pelo ser humano é desperdiçada na
agricultura, através da evaporação ou de escorrência superficial, devido à irrigação
não controlada, em particular nos países em desenvolvimento.




                                                                                   17
Recursos Hídricos

Um excelente método para evitar perdas de água na agricultura, é através do sistema
de rega gota-a-gota.




                                                                                  18
Recursos Energéticos

 Actualmente, os Recursos Energéticos que podem ser utilizados pelo homem são
 de dois tipos:


   Recursos Energéticos Renováveis                        Recursos Energéticos Não Renováveis
São fontes de energia inesgotáveis ou que podem ser       Actualmente, a procura de energia assenta
repostas a curto ou médio prazo, espontaneamente ou       fundamentalmente nas fontes de energia não
por intervenção humana.                                   renováveis, as quais têm tecnologia difundida, mas
                                                          possuem um elevado impacto ambiental.
Os principais obstáculos que se colocam ao uso
generalizado destas fontes energéticas, não são de        São também consideradas energias “sujas”, uma vez
ordem tecnológica, mas fundamentalmente de natureza       que da sua utilização e exploração decorrem graves
económica e cultural.                                     danos para o meio ambiente e para a sociedade.
Este tipo de soluções determina investimentos iniciais    Estas fontes de energia são designadas de
superiores àqueles que são efectuados quando se           “convencionais”, uma vez que o seu uso está
recorre às fontes energéticas tradicionais não            generalizado, existindo uma grande dependência
renováveis.                                               (principalmente económica) dos países não
                                                          produtores.
Apesar de os países em desenvolvimento reunirem as
condições ideais para o aproveitamento destes recursos,   Importa inverter esta tendência, tornando o seu
não possuem capacidade económica e tecnológica para       consumo mais eficiente e substituindo-o
os explorar.                                              gradualmente por energias renováveis limpas.



                                                                                                           19
Recursos Energéticos


Recursos Energéticos   Recursos Energéticos
    Renováveis           Não Renováveis




                                              20
Recursos Energéticos
              Renováveis
                                               Solar




         Hídrica   Eólica




Geotérmica                  Marés e ondas   Biomassa
                                                   21
Recursos Energéticos
    Renováveis
                 É obtida através do curso da água e pode ser
                 aproveitada por meio de um desnível ou queda
                 de água.




                 A conversão em energia eléctrica acontece
                 quando a acção da água causa uma rotação
                 da turbina hidráulica, gerando electricidade.




                 A disponibilidade anual deste recurso
                 depende da quantidade de água disponível,
                 sendo factores determinantes a pluviosidade,
                 o regime de funcionamento e de elaboração
                 (com ou sem armazenamento) e a bacia
       Hídrica   hidrográfica.
                                                             22
Recursos Energéticos
    Renováveis
                      Esta energia provém do vento.
                      Utilizada desde a antiguidade para
                      navegar ou para fazer funcionar os
                      moinhos, esta é uma das grande
                      apostas para a expansão da
                      produção de energia eléctrica.

                      O aerogerador obtém energia
                      convertendo a energia cinética do
                      vento em energia eléctrica. A
                      quantidade de energia transferida
                      depende da densidade do ar, da
                      área de varrimento do rotor e da
                      velocidade do vento.

                      Em Portugal, o ano de 2005
                      caracterizou-se por um grande
                      dinamismo devido à entrada em
                      actividade de 35 novos parques
             Eólica   eólicos.
                                                       23
Recursos Energéticos
                    Renováveis
                                                  Provém da luz do sol, que depois de captada, pode ser
                                    Solar         utilizada de forma activa ou passiva.


                                                  Uma utilização activa passa pela transformação dos raios
                                                  solares em energia térmica ou eléctrica.

                                                  A maior vantagem da energia solar térmica, é a significativa
                                                  poupança energética e económica (nalguns casos, superior
                                                  a 80%) e a grande disponibilidade de tecnologia no
                                                  mercado.

                                                  Quanto à energia solar eléctrica (ou energia fotovoltaica), é
                                                  uma das mais promissoras fontes de energia renováveis. A
                                                  vantagem mais clara é a quase total ausência de poluição.
                                                  Para além desta vantagem, há a ausência de partes móveis
                                                  susceptíveis de partir, não produz cheiros ou ruídos, tem
                                                  baixa ou nenhuma manutenção, e os módulos têm um
                                                  elevado tempo de vida.

Uma utilização passiva pressupõe o aproveitamento da incidência
                                                                        A maior vantagem é o baixo custo de
dos raios solares no aquecimento de edifícios, a partir de
                                                                        a l g u m a s s o l u ç õ e s. U m b o m
concepções e estratégias que passam pela orientação das
                                                                        planeamento e orientação de um
janelas, escolha de materiais construtivos de acordo com o nível
                                                                        edifício pode resultar numa
de incidência solar, adequando assim os edifícios às condições
                                                                        poupança energética de 40%
climatéricas, optimizando a gestão energética.
                                                                                                                   24
Recursos Energéticos
                   Renováveis
                                                                      Tendo origem no interior da Terra,
                                                                      a energia Geotérmica aproveita o
                                                                      calor que emana das camadas
                                                                      interiores do planeta para gerar
                                                                      electricidade e calor.
                                                                      Nas centrais de energia
                                                                      geotérmica, o calor é aproveitado
                                                                      para gerar vapor, que acciona as
                                                                      turbinas, que vão produzir energia.



                                                                       As manifestações conhecidas
                                                                       desta forma de energia são as
                                                                       fontes termais e as fumarolas.
                                                                       A c t u a l m e n t e, n a s e s t a ç õ e s
                                                                       termais, esta forma de energia é
                                                                       utilizada para fins medicinais e de
                                                                       lazer, mas pode também ser
                                                                       usada no aquecimento ambiente,
                                                                       de águas sanitárias, estufas e
Geotérmica                                                             instalações.

Em Portugal, um bom exemplo do aproveitamento deste tipo de energia, é a Central Geotérmica da Ribeira
Grande, nos Açores, capaz de produzir 25% da energia necessária à ilha de São Miguel.
                                                                                                                  25
Recursos Energéticos
                   Renováveis
                                                                        Obtidas através do movimento
                                                                        de subida e descida do nível da
                                                                        água do mar e pelas ondas, o
                                                                        potencial deste tipo de energia
                                                                        aguarda por avanços técnicos e
                                                                        tecnológicos que permitam
                                                                        uma maior aplicação.


                                                                        As centrais de aproveitamento
                                                                        deste tipo de energia,
                                                                        funcionam de forma semelhante
                                                                        às barragens hidroeléctricas.
                                                                        Assim, a construção de uma
                                                                        central de aproveitamento da
                                                                        energia das ondas e marés,
                                                                        implica estruturas muito
                                                                        grandes, que atravessem um rio
                                                                        o u u m e s t u á r i o, t o r n a n d o
                                                                        bastante complicado o
                                                                        processo de implementação
                                          Marés e ondas                 deste tipo de centrais.

Ainda assim, e apesar das tecnologias de conversão desta energia estarem em fase de desenvolvimento,
Portugal é um país pioneiro neste processo, com duas centrais de aproveitamento de energia das ondas.
                                                                                                               26
Recursos Energéticos
                     Renováveis
                                                                          Esta é uma designação genérica que
                                                                          engloba o aproveitamento energético
                                                                          da matéria orgânica. Esta matéria
                                                                          pode ter origem na limpeza das
                                                                          florestas, bem como nos resíduos da
                                                                          agro-pecuária, na indústria alimentar
                                                                          ou nos resíduos resultantes do
                                                                          tratamento de afluentes domésticos e
                                                                          industriais.

                                                                          A energia pode ser obtida através da
                                                                          c o m bu s t ã o d i re c t a o u d e u m a
                                                                          transformação química ou biológica e
                                                                          pode depois ser aproveitada de
                                                                          v á r i a s fo r m a s, d a s q u a i s s e
                                                                          destacam: a Combustão Directa, o
                                                                          Biogás e os Biocombustíveis.

                                                                          A Combustão Directa, como o nome
                                                                          indica, é uma combustão directa dos
                                                                          re s í d u o s. N e s t e p ro c e s s o s ã o
                                                    Biomassa              utilizados resíduos florestais e
                                                                          agrícolas, cuja queima produz vapor
                                                                          de água. Este vapor é canalizado
Em Portugal, um bom exemplo de uma central que utiliza este processo, é   para uma turbina, cujo objectivo final
a Central Térmica de Mortágua.                                            é a produção de electricidade.
                                                                                                                      27
Recursos Energéticos
                   Renováveis
                                                                    O Biogás tem origem nos efluentes
                                                                    agro-pecuários, agro-industriais,
                                                                    urbanos e nos aterros de Resíduos
                                                                    Sólidos Urbanos. O Biogás resulta
                                                                    assim da degradação biológica e
                                                                    anaeróbia da matéria orgânica e é
                                                                    constituído, em média, por 60% de
                                                                    metano e 40% de CO2 (resultante do
                                                                    p ro c e s s o d e d egra d a ç ã o d o s
                                                                    resíduos).

                                                                    Os Biocombustíveis álcoois mais
                                                                    comuns são o etanol, o metanol e o
                                                                    biodiesel.
                                                                    O etanol é produzido a partir da
                                                                    fermentação de hidratos de carbono,
                                                                    com origem em culturas como a cana
                                                                    d e a ç u c a r o u p o r p ro c e s s o s
                                                                    sintéticos.

                                                                    Os processo de produção mais
                                               Biomassa             comuns do metanol são os de
                                                                    síntese a partir do gás natural ou
                                                                    ainda, a partir da madeira, através de
O biodiesel é obtido principalmente a partir de óleos de colza ou   um processo de gaseificação.
girassol, por um processo químico chamado transesterificação.
                                                                                                            28
Recursos Energéticos
  Não Renováveis


                             Petróleo




                       Gás


    Carvão




                                        29
Recursos Energéticos
  Não Renováveis
                O Carvão é um combustível fóssil extraído de
                explorações minerais. É uma rocha orgânica
                constituída maioritariamente por carbono.
                Foi o primeiro a ser utilizado em larga escala
                em processos industriais e ao nível doméstico.
                Foi inclusive, o primeiro combustível fóssil a
                ser usado na produção de energia eléctrica.


                É de todos os combustíveis fósseis o que se
                estima ter maiores reservas (200 anos), e o
                que acarreta mais impactos ambientais, em
                termos de poluição e alterações climáticas.


                O principal problema da utilização deste
                combustível, prende-se com os poluentes
                resultantes da sua combustão, uma vez que a
       Carvão   produção de energia é feita através da queima.
                                                                 30
Recursos Energéticos
  Não Renováveis
                             O Gás formou-se
                             durante milhões de anos
                             a partir de sedimentos
                             de animais e plantas,
                             encontrando-se em
                             jazidas subterrâneas.
                             Pode ser directamente
                             utilizado,      sem
                             necessidade de
                             refinação.


                             É utilizado como
                             combustível, tanto na
                             indústria como em
                             nossas casas e prevê-se
                             que as suas reservas se
                       Gás   esgotem em 60 anos.

                                                   31
Recursos Energéticos
      Não Renováveis
                O Petróleo é constituído por uma mistura de
Petróleo        compostos orgânicos, em especial por
                hidrocarbonetos.

                É sobretudo utilizado nos transportes, constitui
                uma das maiores fontes de poluição
                atmosférica e é motivo de disputas económicas
                e de conflitos armados.

                Estima-se que com o actual ritmo de consumo,
                as reservas planetárias se esgotem nos
                próximos 40 anos.

                Trata-se de um combustível muito nocivo para o
                ambiente, em todas as suas fases de consumo,
                desde o momento de extracção e transporte,
                em que há a possibilidade de derrame, até ao
                momento de combustão, onde acontece a
                emissão de gases nocivos para a atmosfera.
                                                               32
Conclusão
A concentração e crescimento da população, traz consigo não
só o aumento do consumo dos recursos naturais, como também
a quantidade de resíduos produzidos por habitante.

A crescente acumulação de resíduos! põe em risco a nossa
saúde.

É fundamental estarmos atentos! a estes problemas,
compreender a sua dimensão e chamar a atenção de todos,
numa tentativa de educar para salvaguardar o ambiente que nos
rodeia.

Nos últimos tempos, o consumo dos Recursos Energéticos Não
Renováveis tem vindo a aumentar consideravelmente.

Nas últimas três décadas a procura destes recursos quase
duplicou, prevendo-se que esse aumento continue nos próximos
anos, sobretudo nos países mais desenvolvidos, pois é nestes
onde se consome mais energia.

Este tipo de recursos, sendo por um lado poluentes, por outro
lado têm a desvantagem de não se reporem continuamente.

O Homem terá de encontrar outros recursos alternativos menos
poluentes e duráveis, ou seja, os Recursos Energéticos
Renováveis.
                                                                33
Conclusão
Para garantir a existência
de energia suficiente no
f u t u ro, é n e c e s s á r i o
utilizá-la prudentemente
no presente.


Todos devemos conservar
a energia e usá-la
eficientemente.


O futuro é nosso, mas para
lá chegar precisamos de
energia.


Um de nós pode ser outro
Albert Einstein e encontrar
outra fonte de energia.
Tudo depende da nossa
garra e determinação.


O futuro bem-estar de toda a humanidade, depende da forma como gerimos os recursos da Terra. Ao explorar
desenfreadamente estes recursos, estamos a ameaçar a nossa própria sobrevivência.
                                                                                                      34
FIM

    Obrigado pela atenção.
Esperamos que tenham gostado...
                                  35
Referências Bibliográficas


http://www.abcdaenergia.com/enervivas/

http://www.ageneal.pt/

http://www.arco-iris.net/

http://www.edp.pt/pt/Pages/homepage.aspx

http://www.energiasrenovaveis.com/

http://www.eq.uc.pt/inovar/curso18.html

http://www.flickr.com/

http://www.google.pt/imghp?hl=pt-pt&tab=wi

http://www.junkers.com/pt/pt/ek/index.html

http://www.minerva.uevora.pt/odimeteosol/energias.htm

http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/cienciasnaturais/ciencias_trab/recursosenergeticos.htmt

http://substanciainerte.blogspot.com/2010/02/biodiversidade-conclusao.html

http://www.youtube.com/




                                                                                                                      36

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Recursos biologicos
Recursos biologicosRecursos biologicos
Recursos biologicosCatiabarbosa
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
BiodiversidadeMayjö .
 
Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)alsferreira
 
Esquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versosEsquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versosdomplex123
 
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOSCN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOSLuís Ferreira
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelMariana Cordeiro
 
Gestão sustentável dos recursos naturais
Gestão sustentável dos recursos naturaisGestão sustentável dos recursos naturais
Gestão sustentável dos recursos naturaisLeonardo Alves
 
Paisagens protegidas Gerês 8º ano
Paisagens protegidas Gerês 8º anoPaisagens protegidas Gerês 8º ano
Paisagens protegidas Gerês 8º anoCarolina
 
1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)Ilda Bicacro
 
3 gestão sustentável dos recursos naturais
3   gestão sustentável dos recursos naturais3   gestão sustentável dos recursos naturais
3 gestão sustentável dos recursos naturaisPelo Siro
 
Conceitos subsolo 10ºse
Conceitos subsolo 10ºseConceitos subsolo 10ºse
Conceitos subsolo 10ºsemariajosantos
 
8ºano cn teste fatores abióticos
8ºano cn teste fatores abióticos8ºano cn teste fatores abióticos
8ºano cn teste fatores abióticossilvia_lfr
 

Mais procurados (20)

Recursos biologicos
Recursos biologicosRecursos biologicos
Recursos biologicos
 
Resumos 8 ano
Resumos 8 anoResumos 8 ano
Resumos 8 ano
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)
 
PP1 Biosfera
PP1 Biosfera PP1 Biosfera
PP1 Biosfera
 
Esquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versosEsquema rimatico e versos
Esquema rimatico e versos
 
Recursos Energéticos
Recursos EnergéticosRecursos Energéticos
Recursos Energéticos
 
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOSCN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
Gestão sustentável dos recursos naturais
Gestão sustentável dos recursos naturaisGestão sustentável dos recursos naturais
Gestão sustentável dos recursos naturais
 
Modulo 09 - A exploração dos recursos minerais
Modulo 09 - A exploração dos recursos mineraisModulo 09 - A exploração dos recursos minerais
Modulo 09 - A exploração dos recursos minerais
 
Paisagens protegidas Gerês 8º ano
Paisagens protegidas Gerês 8º anoPaisagens protegidas Gerês 8º ano
Paisagens protegidas Gerês 8º ano
 
1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)1 recursos do-subsolo (1)
1 recursos do-subsolo (1)
 
3 gestão sustentável dos recursos naturais
3   gestão sustentável dos recursos naturais3   gestão sustentável dos recursos naturais
3 gestão sustentável dos recursos naturais
 
Recursos naturais i
Recursos naturais iRecursos naturais i
Recursos naturais i
 
Recursos Energéticos
Recursos EnergéticosRecursos Energéticos
Recursos Energéticos
 
Conceitos subsolo 10ºse
Conceitos subsolo 10ºseConceitos subsolo 10ºse
Conceitos subsolo 10ºse
 
8ºano cn teste fatores abióticos
8ºano cn teste fatores abióticos8ºano cn teste fatores abióticos
8ºano cn teste fatores abióticos
 
Resíduos 8º ano
Resíduos   8º anoResíduos   8º ano
Resíduos 8º ano
 
Ciências 8º ano - Célula
Ciências 8º ano - CélulaCiências 8º ano - Célula
Ciências 8º ano - Célula
 

Destaque

Aula de Topografia
Aula de TopografiaAula de Topografia
Aula de TopografiaGilson Lima
 
Exploração e conservação de recursos naturais
Exploração e conservação de recursos naturaisExploração e conservação de recursos naturais
Exploração e conservação de recursos naturaisProf. Francesco Torres
 
Gestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos RecursosGestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos RecursosSamanta Duarte
 
Morfologia Dos Continentese Fundos Oceanicos
Morfologia Dos Continentese Fundos OceanicosMorfologia Dos Continentese Fundos Oceanicos
Morfologia Dos Continentese Fundos Oceanicosguest638ae3a
 
Continentes e fundos Oceânicos
Continentes e fundos OceânicosContinentes e fundos Oceânicos
Continentes e fundos OceânicosTânia Reis
 
Teoria Da Mobilidade Dos Fundos Oceânicos
Teoria Da Mobilidade Dos Fundos OceânicosTeoria Da Mobilidade Dos Fundos Oceânicos
Teoria Da Mobilidade Dos Fundos OceânicosCatir
 

Destaque (7)

Aula de Topografia
Aula de TopografiaAula de Topografia
Aula de Topografia
 
Exploração e conservação de recursos naturais
Exploração e conservação de recursos naturaisExploração e conservação de recursos naturais
Exploração e conservação de recursos naturais
 
Gestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos RecursosGestão Sustentável dos Recursos
Gestão Sustentável dos Recursos
 
Morfologia Dos Continentese Fundos Oceanicos
Morfologia Dos Continentese Fundos OceanicosMorfologia Dos Continentese Fundos Oceanicos
Morfologia Dos Continentese Fundos Oceanicos
 
Recursos naturais
Recursos naturaisRecursos naturais
Recursos naturais
 
Continentes e fundos Oceânicos
Continentes e fundos OceânicosContinentes e fundos Oceânicos
Continentes e fundos Oceânicos
 
Teoria Da Mobilidade Dos Fundos Oceânicos
Teoria Da Mobilidade Dos Fundos OceânicosTeoria Da Mobilidade Dos Fundos Oceânicos
Teoria Da Mobilidade Dos Fundos Oceânicos
 

Semelhante a Exploração de recursos naturais

Recursos Biológicos - Aconsa
Recursos Biológicos - AconsaRecursos Biológicos - Aconsa
Recursos Biológicos - AconsaAna Carolina
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturaisverasanches
 
Sala Verde Inhotim Informativo 12
Sala  Verde  Inhotim    Informativo 12Sala  Verde  Inhotim    Informativo 12
Sala Verde Inhotim Informativo 12José André
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
BiodiversidadeLuizBraz9
 
Recursos BiolóGicos
Recursos BiolóGicosRecursos BiolóGicos
Recursos BiolóGicosNuno Correia
 
Influência do desenvolvimento na biodiversidade lúcia albano 9º1
Influência do desenvolvimento na biodiversidade lúcia albano 9º1Influência do desenvolvimento na biodiversidade lúcia albano 9º1
Influência do desenvolvimento na biodiversidade lúcia albano 9º1Mayjö .
 
Recursos Naturais Utilização E Consequências
Recursos Naturais   Utilização E ConsequênciasRecursos Naturais   Utilização E Consequências
Recursos Naturais Utilização E Consequênciasverasanches
 
Uso do espaço rural
Uso do espaço ruralUso do espaço rural
Uso do espaço ruralRosiane Reis
 
Biodiversidade (1).pptx
Biodiversidade (1).pptxBiodiversidade (1).pptx
Biodiversidade (1).pptxkaiquereinaldo
 
Biodiversidade ppt
Biodiversidade pptBiodiversidade ppt
Biodiversidade pptguest7b65ee
 
Extrativismo
ExtrativismoExtrativismo
Extrativismoaroudus
 
1º Numero do Bioletter
1º Numero do Bioletter1º Numero do Bioletter
1º Numero do BioletterBiologia
 
Ciências naturais recursos naturais (estudo)
Ciências naturais   recursos naturais (estudo)Ciências naturais   recursos naturais (estudo)
Ciências naturais recursos naturais (estudo)Dylan Lopes
 

Semelhante a Exploração de recursos naturais (20)

ciencias
cienciasciencias
ciencias
 
Recursosnaturais1
Recursosnaturais1Recursosnaturais1
Recursosnaturais1
 
Recursos Biológicos - Aconsa
Recursos Biológicos - AconsaRecursos Biológicos - Aconsa
Recursos Biológicos - Aconsa
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Sala Verde Inhotim Informativo 12
Sala  Verde  Inhotim    Informativo 12Sala  Verde  Inhotim    Informativo 12
Sala Verde Inhotim Informativo 12
 
Recursos naturais
Recursos naturaisRecursos naturais
Recursos naturais
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Recursos BiolóGicos
Recursos BiolóGicosRecursos BiolóGicos
Recursos BiolóGicos
 
Influência do desenvolvimento na biodiversidade lúcia albano 9º1
Influência do desenvolvimento na biodiversidade lúcia albano 9º1Influência do desenvolvimento na biodiversidade lúcia albano 9º1
Influência do desenvolvimento na biodiversidade lúcia albano 9º1
 
Recursos Naturais Utilização E Consequências
Recursos Naturais   Utilização E ConsequênciasRecursos Naturais   Utilização E Consequências
Recursos Naturais Utilização E Consequências
 
Geologia 3ºperíodo
Geologia 3ºperíodoGeologia 3ºperíodo
Geologia 3ºperíodo
 
Uso do espaço rural
Uso do espaço ruralUso do espaço rural
Uso do espaço rural
 
Recursos ..
Recursos ..Recursos ..
Recursos ..
 
Recursos ..
Recursos ..Recursos ..
Recursos ..
 
Biodiversidade (1).pptx
Biodiversidade (1).pptxBiodiversidade (1).pptx
Biodiversidade (1).pptx
 
Biodiversidade ppt
Biodiversidade pptBiodiversidade ppt
Biodiversidade ppt
 
Extrativismo
ExtrativismoExtrativismo
Extrativismo
 
Avaliação geo topicos 7 8 9 iii
Avaliação geo topicos 7 8 9 iiiAvaliação geo topicos 7 8 9 iii
Avaliação geo topicos 7 8 9 iii
 
1º Numero do Bioletter
1º Numero do Bioletter1º Numero do Bioletter
1º Numero do Bioletter
 
Ciências naturais recursos naturais (estudo)
Ciências naturais   recursos naturais (estudo)Ciências naturais   recursos naturais (estudo)
Ciências naturais recursos naturais (estudo)
 

Mais de anabela

Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidadeanabela
 
Vulcanologia7
Vulcanologia7Vulcanologia7
Vulcanologia7anabela
 
1 ppt deriva dos continentes
1 ppt deriva dos continentes1 ppt deriva dos continentes
1 ppt deriva dos continentesanabela
 
Metamorficas
MetamorficasMetamorficas
Metamorficasanabela
 
Falhas e dobras
Falhas e dobrasFalhas e dobras
Falhas e dobrasanabela
 
Deformações das rochas
Deformações das rochasDeformações das rochas
Deformações das rochasanabela
 
Explicações científicas
Explicações científicasExplicações científicas
Explicações científicasanabela
 
Imunidade ativa, passiva e desequilíbrios
Imunidade ativa, passiva e desequilíbriosImunidade ativa, passiva e desequilíbrios
Imunidade ativa, passiva e desequilíbriosanabela
 
Sistema imunitário ppt
Sistema imunitário pptSistema imunitário ppt
Sistema imunitário pptanabela
 
Biotecnologia objetivos
Biotecnologia  objetivosBiotecnologia  objetivos
Biotecnologia objetivosanabela
 
Imunidade parte 1
Imunidade   parte 1Imunidade   parte 1
Imunidade parte 1anabela
 
Sistemas digestivos
Sistemas digestivosSistemas digestivos
Sistemas digestivosanabela
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologiaanabela
 
Agentes mutagénicos
Agentes mutagénicosAgentes mutagénicos
Agentes mutagénicosanabela
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologiaanabela
 
Dúvidas existenciais
Dúvidas existenciaisDúvidas existenciais
Dúvidas existenciaisanabela
 
Tempo geologico
Tempo geologicoTempo geologico
Tempo geologicoanabela
 
Meteorização química
Meteorização químicaMeteorização química
Meteorização químicaanabela
 

Mais de anabela (20)

Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
Vulcanologia7
Vulcanologia7Vulcanologia7
Vulcanologia7
 
1 ppt deriva dos continentes
1 ppt deriva dos continentes1 ppt deriva dos continentes
1 ppt deriva dos continentes
 
Metamorficas
MetamorficasMetamorficas
Metamorficas
 
Falhas e dobras
Falhas e dobrasFalhas e dobras
Falhas e dobras
 
Deformações das rochas
Deformações das rochasDeformações das rochas
Deformações das rochas
 
Lua
LuaLua
Lua
 
Explicações científicas
Explicações científicasExplicações científicas
Explicações científicas
 
Imunidade ativa, passiva e desequilíbrios
Imunidade ativa, passiva e desequilíbriosImunidade ativa, passiva e desequilíbrios
Imunidade ativa, passiva e desequilíbrios
 
Sistema imunitário ppt
Sistema imunitário pptSistema imunitário ppt
Sistema imunitário ppt
 
Biotecnologia objetivos
Biotecnologia  objetivosBiotecnologia  objetivos
Biotecnologia objetivos
 
Imunidade parte 1
Imunidade   parte 1Imunidade   parte 1
Imunidade parte 1
 
Sistemas digestivos
Sistemas digestivosSistemas digestivos
Sistemas digestivos
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
 
Agentes mutagénicos
Agentes mutagénicosAgentes mutagénicos
Agentes mutagénicos
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
 
Dúvidas existenciais
Dúvidas existenciaisDúvidas existenciais
Dúvidas existenciais
 
Rochas
RochasRochas
Rochas
 
Tempo geologico
Tempo geologicoTempo geologico
Tempo geologico
 
Meteorização química
Meteorização químicaMeteorização química
Meteorização química
 

Exploração de recursos naturais

  • 1. Biologia/Geologia Unidade: A Terra, um Planeta especial Sub-Unidade: A Terra, um Planeta a proteger Tema: Intervenções do Homem nos subsistemas terrestres Sub-tema: Impactos na Geosfera (Exploração de Recursos Naturais) 10ºC Pedro Estevão, nº 20 Pedro Silva, nº 23 Rita Guerreiro, nº 24 Setúbal, 29.11.2010 Tiago Ribeiro, nº 28 1
  • 2. Exploração de Recursos Naturais Introdução Desde sempre, o Homem tem vindo a precisar de retirar da Natureza, recursos indispensáveis à sua sobrevivência. O avanço da ciência e da tecnologia, permitiu ao Homem ter uma qualidade de vida melhor. Mas com a intervenção humana, temos vindo a assistir a profundas alterações do equilíbrio natural dos ecossistemas. Com tudo isto, é necessário fazer uma gestão sustentável dos recursos que a Natureza nos dá. Para conseguir essa gestão, temos de defender aquilo que ainda existe para garantirmos o direito a uma vida saudável e produtiva em harmonia com o meio ambiente. 2
  • 3. O que são Recursos Naturais ? Um Recurso Natural é tudo o que existe na Natureza e serve para satisfazer as necessidades da Humanidade. Te n d o e m c o n t a a s u a Natureza, os Recursos Naturais podem-se classificar como: ! Recursos Minerais ! Recursos Biológicos ! Recursos Hídricos ! Recursos Energéticos 3
  • 4. Recursos Minerais Os Recursos Minerais são Chumbo c o n c e n t r a ç õ e s d e ro c h a s e minerais que constituem a crusta terrestre. Quando num local os Recursos Minerais existem em quantidade suficiente que justifique um interesse económico rentável para o Homem, designam-se jazidas minerais. Os Recursos Minerais classificam- se em: ! Metálicos (os mais abundantes são o ferro, alumínio, magnésio, manganês e titânio, e os mais escassos são o cobre, zinco, níquel, crómio, ouro, prata, tungsténio, mercúrio, urânio, entre outros); ! Não Metálicos (xisto, granito, basalto, mármore, calcário, areias, argilas, entre outros). É possível conseguir extraí-los da crusta terrestre através da actividade mineira. 4
  • 5. Recursos Minerais A extracção de Recursos Minerais acontece principalmente de duas formas: Exploração a céu aberto – normalmente são retirados recursos Não Metálicos e rochas ornamentais (pedreiras). Este tipo de extracção altera em muito a paisagem, quer na remoção de árvores, quer nas grandes depressões que ficam após a retirada das rochas ornamentais. Para minimizar esse impacto, costuma encher-se essas depressões com solo. Explorações subterrâneas – em que são retirados os recursos Metálicos. Há a abertura de galerias no interior da terra (minas), para isso há um abate da vegetação local. Neste tipo de extracção, o mais preocupante é que quando há exploração de minério, este vem sempre acompanhado com material que não tem valor económico, (designado por ganga), que é acumulada no exterior da mina formando as escombreiras. Estas são prejudiciais ao meio ambiente porque contêm metais pesados, que para além de poluírem o solo, também podem contaminar os aquíferos. 5
  • 8. Recursos Biológicos Os Recursos Biológicos são um conjunto de materiais e energia que o Homem pode obter a partir de outros seres vivos. Agricultura Florestas Pecuária Pesca Caça 8
  • 9. Recursos Biológicos Agricultura A A gricultura m o d e r n a pretende produzir excedentes para comercialização. É geralmente praticada através de máquinas agrícolas, em vastos campos de monocultura, isto é, a cultura de uma só espécie agrícola. 9
  • 10. Recursos Biológicos Pesca A Pesca tem vindo a crescer como actividade económica por todo o Mundo. Graças ao desenvolvimento desta actividade, chegam mais rapidamente aos mercados várias espécies de peixe, que normalmente, demorariam muito mais tempo a atingir as dimensões exigidas para a sua captura no mar. 10
  • 11. Recursos Biológicos Pecuária A Pecuária representa r e c u r s o s biológicos muito diversificados, já que o Homem utiliza os animais para diversos fins, como por exemplo, para a alimentação, v e s t u á r i o , c a l ç a d o , m e d i c i n a , mobiliário, entre outros. 11
  • 12. Recursos Biológicos Florestas A Floresta engloba uma série de produtos, dos quais se destaca a produção de madeira para as indústrias do papel. Além do papel, os recursos florestais são utilizados para vários fins ( c e s t a r i a , construções com aplicação da madeira, etc). 12
  • 13. Recursos Biológicos Há cerca de 300 anos a Caça era uma actividade b a s t a n t e generalizada na Europa. Actualmente em Portugal, está praticamente restrita a áreas condicionadas, com o objectivo de não colocar em perigo a preservação das espécies. Caça 13
  • 14. Recursos Biológicos Os Recursos Biológicos são considerados como inesgotáveis, pois é possível a sua renovação, mas observa-se que devido ao aumento demográfico e à sobreexploração dos recursos, é cada vez mais difícil manter o equilíbrio dos ecossistemas naturais. A perda da BIODIVERSIDADE é a principal consequência da atitude do Homem ao querer obter, mais rapidamente, os produtos de que necessita para se alimentar e sobreviver. 14
  • 15. Recursos Hídricos Os Recursos Hídricos representam a quantidade de água doce superficial e subterrânea que está à disposição do Homem. Apenas a água doce presente nos lagos, rios, ribeiros e lençóis de água subterrânea (aquíferos) está potencialmente disponível para o Homem. Quase 60% da população mundial tem nos lençóis de água subterrânea a sua fonte principal de água potável, uma vez que a disponibilidade de água doce superficial não é suficiente. 15
  • 16. Recursos Hídricos A água doce é principalmente usada na agricultura, indústria e consumo doméstico. 16
  • 17. Recursos Hídricos Infelizmente, grande parte da água consumida pelo ser humano é desperdiçada na agricultura, através da evaporação ou de escorrência superficial, devido à irrigação não controlada, em particular nos países em desenvolvimento. 17
  • 18. Recursos Hídricos Um excelente método para evitar perdas de água na agricultura, é através do sistema de rega gota-a-gota. 18
  • 19. Recursos Energéticos Actualmente, os Recursos Energéticos que podem ser utilizados pelo homem são de dois tipos: Recursos Energéticos Renováveis Recursos Energéticos Não Renováveis São fontes de energia inesgotáveis ou que podem ser Actualmente, a procura de energia assenta repostas a curto ou médio prazo, espontaneamente ou fundamentalmente nas fontes de energia não por intervenção humana. renováveis, as quais têm tecnologia difundida, mas possuem um elevado impacto ambiental. Os principais obstáculos que se colocam ao uso generalizado destas fontes energéticas, não são de São também consideradas energias “sujas”, uma vez ordem tecnológica, mas fundamentalmente de natureza que da sua utilização e exploração decorrem graves económica e cultural. danos para o meio ambiente e para a sociedade. Este tipo de soluções determina investimentos iniciais Estas fontes de energia são designadas de superiores àqueles que são efectuados quando se “convencionais”, uma vez que o seu uso está recorre às fontes energéticas tradicionais não generalizado, existindo uma grande dependência renováveis. (principalmente económica) dos países não produtores. Apesar de os países em desenvolvimento reunirem as condições ideais para o aproveitamento destes recursos, Importa inverter esta tendência, tornando o seu não possuem capacidade económica e tecnológica para consumo mais eficiente e substituindo-o os explorar. gradualmente por energias renováveis limpas. 19
  • 20. Recursos Energéticos Recursos Energéticos Recursos Energéticos Renováveis Não Renováveis 20
  • 21. Recursos Energéticos Renováveis Solar Hídrica Eólica Geotérmica Marés e ondas Biomassa 21
  • 22. Recursos Energéticos Renováveis É obtida através do curso da água e pode ser aproveitada por meio de um desnível ou queda de água. A conversão em energia eléctrica acontece quando a acção da água causa uma rotação da turbina hidráulica, gerando electricidade. A disponibilidade anual deste recurso depende da quantidade de água disponível, sendo factores determinantes a pluviosidade, o regime de funcionamento e de elaboração (com ou sem armazenamento) e a bacia Hídrica hidrográfica. 22
  • 23. Recursos Energéticos Renováveis Esta energia provém do vento. Utilizada desde a antiguidade para navegar ou para fazer funcionar os moinhos, esta é uma das grande apostas para a expansão da produção de energia eléctrica. O aerogerador obtém energia convertendo a energia cinética do vento em energia eléctrica. A quantidade de energia transferida depende da densidade do ar, da área de varrimento do rotor e da velocidade do vento. Em Portugal, o ano de 2005 caracterizou-se por um grande dinamismo devido à entrada em actividade de 35 novos parques Eólica eólicos. 23
  • 24. Recursos Energéticos Renováveis Provém da luz do sol, que depois de captada, pode ser Solar utilizada de forma activa ou passiva. Uma utilização activa passa pela transformação dos raios solares em energia térmica ou eléctrica. A maior vantagem da energia solar térmica, é a significativa poupança energética e económica (nalguns casos, superior a 80%) e a grande disponibilidade de tecnologia no mercado. Quanto à energia solar eléctrica (ou energia fotovoltaica), é uma das mais promissoras fontes de energia renováveis. A vantagem mais clara é a quase total ausência de poluição. Para além desta vantagem, há a ausência de partes móveis susceptíveis de partir, não produz cheiros ou ruídos, tem baixa ou nenhuma manutenção, e os módulos têm um elevado tempo de vida. Uma utilização passiva pressupõe o aproveitamento da incidência A maior vantagem é o baixo custo de dos raios solares no aquecimento de edifícios, a partir de a l g u m a s s o l u ç õ e s. U m b o m concepções e estratégias que passam pela orientação das planeamento e orientação de um janelas, escolha de materiais construtivos de acordo com o nível edifício pode resultar numa de incidência solar, adequando assim os edifícios às condições poupança energética de 40% climatéricas, optimizando a gestão energética. 24
  • 25. Recursos Energéticos Renováveis Tendo origem no interior da Terra, a energia Geotérmica aproveita o calor que emana das camadas interiores do planeta para gerar electricidade e calor. Nas centrais de energia geotérmica, o calor é aproveitado para gerar vapor, que acciona as turbinas, que vão produzir energia. As manifestações conhecidas desta forma de energia são as fontes termais e as fumarolas. A c t u a l m e n t e, n a s e s t a ç õ e s termais, esta forma de energia é utilizada para fins medicinais e de lazer, mas pode também ser usada no aquecimento ambiente, de águas sanitárias, estufas e Geotérmica instalações. Em Portugal, um bom exemplo do aproveitamento deste tipo de energia, é a Central Geotérmica da Ribeira Grande, nos Açores, capaz de produzir 25% da energia necessária à ilha de São Miguel. 25
  • 26. Recursos Energéticos Renováveis Obtidas através do movimento de subida e descida do nível da água do mar e pelas ondas, o potencial deste tipo de energia aguarda por avanços técnicos e tecnológicos que permitam uma maior aplicação. As centrais de aproveitamento deste tipo de energia, funcionam de forma semelhante às barragens hidroeléctricas. Assim, a construção de uma central de aproveitamento da energia das ondas e marés, implica estruturas muito grandes, que atravessem um rio o u u m e s t u á r i o, t o r n a n d o bastante complicado o processo de implementação Marés e ondas deste tipo de centrais. Ainda assim, e apesar das tecnologias de conversão desta energia estarem em fase de desenvolvimento, Portugal é um país pioneiro neste processo, com duas centrais de aproveitamento de energia das ondas. 26
  • 27. Recursos Energéticos Renováveis Esta é uma designação genérica que engloba o aproveitamento energético da matéria orgânica. Esta matéria pode ter origem na limpeza das florestas, bem como nos resíduos da agro-pecuária, na indústria alimentar ou nos resíduos resultantes do tratamento de afluentes domésticos e industriais. A energia pode ser obtida através da c o m bu s t ã o d i re c t a o u d e u m a transformação química ou biológica e pode depois ser aproveitada de v á r i a s fo r m a s, d a s q u a i s s e destacam: a Combustão Directa, o Biogás e os Biocombustíveis. A Combustão Directa, como o nome indica, é uma combustão directa dos re s í d u o s. N e s t e p ro c e s s o s ã o Biomassa utilizados resíduos florestais e agrícolas, cuja queima produz vapor de água. Este vapor é canalizado Em Portugal, um bom exemplo de uma central que utiliza este processo, é para uma turbina, cujo objectivo final a Central Térmica de Mortágua. é a produção de electricidade. 27
  • 28. Recursos Energéticos Renováveis O Biogás tem origem nos efluentes agro-pecuários, agro-industriais, urbanos e nos aterros de Resíduos Sólidos Urbanos. O Biogás resulta assim da degradação biológica e anaeróbia da matéria orgânica e é constituído, em média, por 60% de metano e 40% de CO2 (resultante do p ro c e s s o d e d egra d a ç ã o d o s resíduos). Os Biocombustíveis álcoois mais comuns são o etanol, o metanol e o biodiesel. O etanol é produzido a partir da fermentação de hidratos de carbono, com origem em culturas como a cana d e a ç u c a r o u p o r p ro c e s s o s sintéticos. Os processo de produção mais Biomassa comuns do metanol são os de síntese a partir do gás natural ou ainda, a partir da madeira, através de O biodiesel é obtido principalmente a partir de óleos de colza ou um processo de gaseificação. girassol, por um processo químico chamado transesterificação. 28
  • 29. Recursos Energéticos Não Renováveis Petróleo Gás Carvão 29
  • 30. Recursos Energéticos Não Renováveis O Carvão é um combustível fóssil extraído de explorações minerais. É uma rocha orgânica constituída maioritariamente por carbono. Foi o primeiro a ser utilizado em larga escala em processos industriais e ao nível doméstico. Foi inclusive, o primeiro combustível fóssil a ser usado na produção de energia eléctrica. É de todos os combustíveis fósseis o que se estima ter maiores reservas (200 anos), e o que acarreta mais impactos ambientais, em termos de poluição e alterações climáticas. O principal problema da utilização deste combustível, prende-se com os poluentes resultantes da sua combustão, uma vez que a Carvão produção de energia é feita através da queima. 30
  • 31. Recursos Energéticos Não Renováveis O Gás formou-se durante milhões de anos a partir de sedimentos de animais e plantas, encontrando-se em jazidas subterrâneas. Pode ser directamente utilizado, sem necessidade de refinação. É utilizado como combustível, tanto na indústria como em nossas casas e prevê-se que as suas reservas se Gás esgotem em 60 anos. 31
  • 32. Recursos Energéticos Não Renováveis O Petróleo é constituído por uma mistura de Petróleo compostos orgânicos, em especial por hidrocarbonetos. É sobretudo utilizado nos transportes, constitui uma das maiores fontes de poluição atmosférica e é motivo de disputas económicas e de conflitos armados. Estima-se que com o actual ritmo de consumo, as reservas planetárias se esgotem nos próximos 40 anos. Trata-se de um combustível muito nocivo para o ambiente, em todas as suas fases de consumo, desde o momento de extracção e transporte, em que há a possibilidade de derrame, até ao momento de combustão, onde acontece a emissão de gases nocivos para a atmosfera. 32
  • 33. Conclusão A concentração e crescimento da população, traz consigo não só o aumento do consumo dos recursos naturais, como também a quantidade de resíduos produzidos por habitante. A crescente acumulação de resíduos! põe em risco a nossa saúde. É fundamental estarmos atentos! a estes problemas, compreender a sua dimensão e chamar a atenção de todos, numa tentativa de educar para salvaguardar o ambiente que nos rodeia. Nos últimos tempos, o consumo dos Recursos Energéticos Não Renováveis tem vindo a aumentar consideravelmente. Nas últimas três décadas a procura destes recursos quase duplicou, prevendo-se que esse aumento continue nos próximos anos, sobretudo nos países mais desenvolvidos, pois é nestes onde se consome mais energia. Este tipo de recursos, sendo por um lado poluentes, por outro lado têm a desvantagem de não se reporem continuamente. O Homem terá de encontrar outros recursos alternativos menos poluentes e duráveis, ou seja, os Recursos Energéticos Renováveis. 33
  • 34. Conclusão Para garantir a existência de energia suficiente no f u t u ro, é n e c e s s á r i o utilizá-la prudentemente no presente. Todos devemos conservar a energia e usá-la eficientemente. O futuro é nosso, mas para lá chegar precisamos de energia. Um de nós pode ser outro Albert Einstein e encontrar outra fonte de energia. Tudo depende da nossa garra e determinação. O futuro bem-estar de toda a humanidade, depende da forma como gerimos os recursos da Terra. Ao explorar desenfreadamente estes recursos, estamos a ameaçar a nossa própria sobrevivência. 34
  • 35. FIM Obrigado pela atenção. Esperamos que tenham gostado... 35