O pensamento crítico através do letramento visual

182 visualizações

Publicada em

Comunicação no I Congresso Internacional da Linguística Aplicada Crítica (International Congress of Critical Applied Linguistics — ICCAL), na Universidade de Brasília- UnB.

Publicada em: Design
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
182
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O pensamento crítico através do letramento visual

  1. 1. Habilidades do século 21: construir o pensamento crítico através do letramento visual Giselda Costa - giseldacosta@hotmail.com
  2. 2. Sumário • Pensamento crítico • Free e-book • Letramento crítico • Pergunta • Objetivo • Videoclip: um texto multimodal • Agência • Saber construir perguntas • Atividade crítica visual • Discussão em pirâmides • Avaliação em pares • Conclusão
  3. 3. QR code – Apresentação online https://professoragiseldacosta.wordpress.com/ Material disponível online Material available online
  4. 4. Pensamento Crítico Pensamento crítico é um raciocínio de complexidade superior que articula conhecimentos, experiências e competências intelectuais, apresentando-se como uma atividade reflexiva, que envolve aspetos cognitivos e afetivos. Alich, Pereira & Magalhães, 2014 https://professoragiseldacosta.wordpress.com
  5. 5. Free e-book
  6. 6. Letramento Visual Letramento visual é um conjunto de habilidades que permite um indivíduo interpretar, compreender, analisar o contexto cultural, ético, estético e intelectual dos componentes envolvidos na produção e utilização de materiais visuais. Santos Costa, 2013
  7. 7. Os estudantes tenham mais experiências com letramento visual na escola, pois o desenvolvimento de competências visuais aumentam tanto a capacidade de construção de significado quanto do pensamento crítico. Williams, 2007.
  8. 8. Pergunta Como os professores podem ajudar os alunos a desenvolver o pensamento crítico usando o letramento visual?
  9. 9. Objetivo Sugerir um design de atividade explorando o gênero videoclip como um texto multimodal, exemplificando técnicas educacionais que podem ser incorporadas em sala de línguas.
  10. 10. Videoclip: um texto multimodal A definição de multimodal do Grupo New London (1996) é a combinação de modos em uma única composição para ter significado. Mas para ser “um modo” é preciso haver um sentido cultural compartilhado dentro de uma comunidade e todos esses modos realizam funções sociais e são organizados para fazer sentido.
  11. 11. O designer cria estruturas de uma história imagética, através do qual ele expressa ações, eventos, pensamentos, emoções, sentimentos, estilo de vida, humor e valores. Muitas dessas histórias, no vídeo, aparentemente simples, fazem conexão com problemas culturais, políticos e sociais da nossa realidade.
  12. 12. Agência Agência é um efeito de energia. Para nossa investigação, agência é reconhecida na capacidade do sujeito perceber e refletir sobre seu comportamento e o comportamento do outro. É planejar, executar ações e modificá-las em respostas às ações percebidas em seu ambiente. Miller, 2009.
  13. 13. Saber construir perguntas Veja a lista de questões da mesma forma que um mecânico vê uma caixa de ferramentas: todas as ferramentas necessárias estão lá, mas ele sabe qual ferramenta utilizar para determinado trabalho.
  14. 14. Atividade crítica visual Pretty Hurts é uma canção da cantora norte-americana Beyoncé. A cantora aborda problemas enfrentados pelas mulheres nos dias atuais, como: a pressão por se manter sempre nos padrões de beleza, bulimia, abuso de drogas, uso indiscriminado de métodos cirúrgicos etc.
  15. 15. Formato 3gp
  16. 16. O crítico • O crítico, neste trabalho, passa a ser visto como uma análise procurando descobrir os interesses sociais e políticos na produção e recepção das imagens em relação aos efeitos sociais, culturais, de poder e dominação no contexto de vida real dos alunos.
  17. 17. 1- O que está acontecendo nessas imagens?
  18. 18. 2-O que essas imagens significam para você?
  19. 19. 3- Faça um breve resumo do que você consegue inferir sobre essas imagens .
  20. 20. 4- Quem poderia ser o público principal dessa imagem?
  21. 21. 5- Que tipo de comparação de igualdade a imagem está mostrando? Explique a metáfora.
  22. 22. Técnica: Discussão em Pirâmide • 1- Pedir respostas individuais da atividade visual; • 2- Reunir em pares para discutir as respostas e opiniões; • 3- Formar grupos de quatro alunos e mais uma vez fazer debates sobre suas respostas; • 4- Discutir as questões com toda a turma ou cada grupo fazer a sua apresentação.
  23. 23. • Ao final deste processo, os alunos mais fracos podem se sentir um pouco mais confiantes em falar. Eles ouviram novas ideias dos pares e grupos. Dessa forma, eles não ficam mais focados em suas ideias originais, pois já defendem a ideia do grupo. Além disso, ao ouvirem outras argumentações no processo das discussões, os alunos aprendem novos vocabulários. Jordan, R.R, 1990.
  24. 24. Avaliação pelos pares • Avaliação pelos pares é um processo no qual os alunos avaliam o trabalho de seus amigos por escrito ou oralmente. Ela se refere às muitas maneiras em que os alunos podem compartilhar o seu trabalho com os companheiros para feedback construtivo e, em seguida, usar esse feedback para rever e melhorar o seu trabalho.
  25. 25. • Os alunos não aprendem avaliar a sua aprendizagem por conta própria.As estratégias precisam ser ensinadas • Exemplo de uma rubrica para sala de línguas.
  26. 26. Conclusão • Promover o pensamento crítico do aluno: à medida que aprendem a ler e ver o trabalho dos seus colegas com um “olhar crítico”, eles podem começar a aplicar esse “olhar” para seus próprios trabalhos; • Capacitar os alunos para assumir a responsabilidade e gerenciar sua própria aprendizagem;
  27. 27. • Melhorar a aprendizagem dos alunos, através de troca de ideias; • Motivar os alunos a se envolverem com o conteúdo e com as apresentações dos pares; • Promover o fenômeno da agência no estudante e no professor.
  28. 28. Santos Costa, 2013.
  29. 29. OBRIGADA !
  30. 30. Bibliografia JORDAN, R.R. ELT. Journal: Pyramid Discussions. Volume 44, Oxford: Oxford University Press. 1990. MILLER, C. O que a automação pode nos dizer sobre a agência? IN: A. Dionisio e J. Hoffnagel (Orgs.). Estudos sobre gênero textual, agência e tecnologia. Recife: Universitária da UFPE, 2009, pp.177-197. NEW LONDON GROUP. A Pedagogy of Multiliteracies: Designing Social Futures. Harvard Educational Review, 66.60-92.1996. WILLIAMS, T. L. 2007. Reading the painting: Exploring visual literacy in the primary grades. The Reading Teacher, 60, 636-642.2007. ALICH, V., PEREIRA, S., MAGALHÃES, J. Promoção do pensamento crítico através de role play e contos infantis. O processo gato das botas. In R. M. Vieira, C. Tenreiro- Vieira, I. Sá-Chaves & C. Machado (Coords.), Pensamento crítico na educação: Perspetivas atuais no panorama internacional (pp. 402-422). Aveiro: UA Editora.2014.
  31. 31. Alguma pergunta?

×