CCBB apresenta:<br />O Mundo mágico de Escher<br />
 <br />“ Ao realizar O mundo mágico de Escher, O Centro Cultural Banco do Brasil espera proporcionar ao público brasileiro...
Objetivos do Espetáculo.<br />A programação cultural também estimula a reflexão e a experiência do público, além do compro...
MauritsCornelisEschernasceu em 1898 na Holanda e faleceu em 1972. Dedicou toda a sua vida as artes gráficas.<br />Para a c...
O interesse de Escher pela divisão do plano e pela repetição de imagens surgiu do contato com os azulejos mouros desenvolv...
Perspectiva<br />Para a concepção de suas obras Escher usava a matemática e a perspectiva para a representação de figuras ...
Xilogravura: Entalhe em madeira.<br />Alto relevo = preto, parte entalhada ou baixo relevo = branco<br />
Litogravura: Feito em pedra, usando pincel gorduroso, repulsão entre óleo e água, o desenho é feito através do acúmulo de ...
Ponto de fuga: é o ponto de convergência das linhas que descrevem a profundidade dos objetos; é a direção para onde o obje...
Ponto de fuga<br />As ilusões criadas por Escher simulam objetos tridimensionais em seus desenhos. Em um plano existem dua...
Ilusão de Óptica<br />Resulta da forma como nosso cérebro interpreta as imagens, nos fazendo ver coisas que não estão lá o...
Estrutura do Evento<br />A estrutura do evento é fechada. A exposição ocorre no interior do prédio Centro Cultural do Banc...
Público- Alvo do Espetáculo<br />Pessoas de todas as idades e classes sociais que queiram conhecer de perto obras raras. H...
Produção: Sapoti Projetos Culturais<br /> <br />Coordenação Geral: Daniela Chindler<br /> <br />Coordenação de Produção: C...
Educadores:<br />Angélica Ferreira<br />Eduardo Leite<br />Filippe Lyra<br />Gabriela Gil<br />Maryana Lemos<br />Melissa ...
Vídeo da Entrevista<br />
Agente Cultural e Empresa Realizadora<br /> <br />Anualmente são abertas inscrições para projetos que irão compor a grade ...
Lei de Incentivo à Cultura que apóia o Projeto<br />A Lei que apóia a exposição no CCBB é a  Lei Federal de Incentivo à Cu...
Dados gerais<br /> <br />Patrocínio: Banco do Brasil e Ministério da Cultura<br />Realização: Centro Cultural do Banco do ...
Divulgação do evento<br />A exposição do Escher foi amplamente divulgada em diversos veículos de comunicação.<br />Mídias ...
 <br />- Caderno de Mediação “O mundo mágico de Escher”<br />- Caderno de Mediação “ CCBB São Paulo – Um passeio pela hist...
Escher
Escher
Escher
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Escher

5.940 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.940
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Escher

  1. 1. CCBB apresenta:<br />O Mundo mágico de Escher<br />
  2. 2.  <br />“ Ao realizar O mundo mágico de Escher, O Centro Cultural Banco do Brasil espera proporcionar ao público brasileiro a oportunidade de conhecer de perto obras raras, que formam um mundo de sonhos, explorando o impossível e o infinito de forma lúdica e instigante.”<br />CCBB.<br />
  3. 3. Objetivos do Espetáculo.<br />A programação cultural também estimula a reflexão e a experiência do público, além do compromisso com a sustentabilidade e inclusão social por meio da experimentação de novas linguagens e suportes e intercâmbio da arte brasileira com a de outros países, resultando na educação e democratização da cultura.<br />
  4. 4. MauritsCornelisEschernasceu em 1898 na Holanda e faleceu em 1972. Dedicou toda a sua vida as artes gráficas.<br />Para a concepção de suas obras Escher usava a matemática e a perspectiva para a representação de figuras tridimensionais, dando a impressão de realidade.<br />Outra técnica explorada em suas obras é a ilusão de óptica, nos fazendo ver coisas que seriam impossíveis na realidade.<br />
  5. 5. O interesse de Escher pela divisão do plano e pela repetição de imagens surgiu do contato com os azulejos mouros desenvolvidos por antigos matemáticos islâmicos através de sofisticadas técnicas geométricas.<br /> A técnica utilizada é o ladrilhamento, que é o preenchimento de um plano como papel com uma série de figuras repetidas sem deixar espaços vazios entre elas, encaixando-as perfeitamente como num mosaico ou quebra-cabeça.<br />Escher inovou a técnica substituindo as formas geométricas, como quadrados, triângulos e hexágonos por animais e pessoas. <br />
  6. 6. Perspectiva<br />Para a concepção de suas obras Escher usava a matemática e a perspectiva para a representação de figuras tridimensionais, num plano bidimensional, como papel ou tela.<br />É a perspectiva que dá a impressão de realidade.<br />Para criar esta ilusão, o que está mais perto do observador é desenhado ou pintado em tamanho maior, enquanto os elementos mais distantes ficam cada vez menores.<br />
  7. 7. Xilogravura: Entalhe em madeira.<br />Alto relevo = preto, parte entalhada ou baixo relevo = branco<br />
  8. 8. Litogravura: Feito em pedra, usando pincel gorduroso, repulsão entre óleo e água, o desenho é feito através do acúmulo de gordura.<br />
  9. 9. Ponto de fuga: é o ponto de convergência das linhas que descrevem a profundidade dos objetos; é a direção para onde o objeto segue; se aprofunda.<br />
  10. 10. Ponto de fuga<br />As ilusões criadas por Escher simulam objetos tridimensionais em seus desenhos. Em um plano existem duas dimensões, largura e altura, chamados de bidimensional.<br />Ao ser acrescentado a profundidade é dado volume e passar a ser denominado tridimensional.<br />
  11. 11. Ilusão de Óptica<br />Resulta da forma como nosso cérebro interpreta as imagens, nos fazendo ver coisas que não estão lá ou coisas que seriam impossíveis na realidade, como numa disputa entre o cérebro e os olhos.<br />
  12. 12.
  13. 13. Estrutura do Evento<br />A estrutura do evento é fechada. A exposição ocorre no interior do prédio Centro Cultural do Banco do Brasil.<br />
  14. 14. Público- Alvo do Espetáculo<br />Pessoas de todas as idades e classes sociais que queiram conhecer de perto obras raras. Há preocupação em ser atrativo e educativo para crianças. A classificação indicativa é livre.<br />
  15. 15.
  16. 16.
  17. 17. Produção: Sapoti Projetos Culturais<br /> <br />Coordenação Geral: Daniela Chindler<br /> <br />Coordenação de Produção: Cristiane Leal dos Santos<br /> <br />Coordenação de Ações Educativas: Luciana Chen e Patrícia Marchesoni<br /> <br />Supervisão Operacional: Diego Ruiz e Patrícia Miike<br />
  18. 18. Educadores:<br />Angélica Ferreira<br />Eduardo Leite<br />Filippe Lyra<br />Gabriela Gil<br />Maryana Lemos<br />Melissa Rudalov<br />Pedro Nunez<br />Ricardo Ferri<br />Regiane Teixeira<br />Rogério de Souza<br /> <br />Estagiários:<br />Adelaide da Silva<br />Breno Mendes<br />Carlos Grahamhill<br />Dalila Mendonça<br />Edison Eugênio<br />Ilda Andrade<br />Isadora Borges<br />Juliana Bueno<br />Juliana Prado<br />Luisa Barcelli<br />Natalaia Godoy<br />Sarah Cangussu<br /> <br />Pesquisa de conteúdo:<br />Angélica Ferreira<br />Diego Ruiz<br />Filippe Lyra<br />Ilda Maria de Andrade<br />Maryana Lemos<br />Regiane Teixeira<br />Ricardo Ferri<br /> <br />Projeto Gráfico:<br />André Ferreira Lima<br />Caderno de Mediação – Edição e Redação:<br />Daniela Chindler<br />Luciana Chen<br />Patrícia Marchesoni<br /> <br />
  19. 19. Vídeo da Entrevista<br />
  20. 20. Agente Cultural e Empresa Realizadora<br /> <br />Anualmente são abertas inscrições para projetos que irão compor a grade de programação dos Centros Culturais Banco do Brasil Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Belo Horizonte, nas áreas de música (popular, erudita e instrumental), exposições (pintura, escultura, fotografia, gravura, instalação, multimídia e outros), artes cênicas (teatro, dança, performance, circo, ópera), cinema e vídeo (mostras e festivais, programa educativo (oficinas, cursos e visitas orientadas) e ideias (palestras, seminários e conferências).<br />A seleção dos projetos inscritos é feita por comissão técnica dos Centros Culturais Banco do Brasil e com a participação de especialistas do mercado cultural.<br />Os critérios observados na seleção dos projetos são: relevância temática, ou seja, importância histórica, cultural e artística; viabilidade técnica, originalidade e ineditismo da proposta; compatibilidade com os preços praticados pelo mercado e identidade com os princípios e valores do Banco do Brasil.<br />O valor total do recurso é oriundo de verba destinada ao patrocínio pelo Banco do Brasil S/A.<br />
  21. 21. Lei de Incentivo à Cultura que apóia o Projeto<br />A Lei que apóia a exposição no CCBB é a Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei nº 8.313 de 23 de dezembro de 1991), conhecida também por Lei Rouanet, que institui políticas públicas para a cultura nacional, e produções artísticas no Brasill por meio de incentivos fiscais e abatimento nos impostos de renda de pessoas físicas ou jurídicas. <br />
  22. 22. Dados gerais<br /> <br />Patrocínio: Banco do Brasil e Ministério da Cultura<br />Realização: Centro Cultural do Banco do Brasil<br />Produção: Sapoti Projetos Culturais<br />Coordenação geral: Daniela Chindler<br />Coordenação de Produção: Cristiane Leal dos Santos<br />Coordenação de Ações Educativas: Luciana Chen e Patrícia Marchesoni<br />Consultor de Educação em Arte: Patrícia Marchesoni<br />Consultoria de Acessibilidade: Carla Valezin<br />Supervisão Operacional: Diego Ruiz e Patrícia Miike<br />
  23. 23. Divulgação do evento<br />A exposição do Escher foi amplamente divulgada em diversos veículos de comunicação.<br />Mídias impressas: jornais Folha, Estadão e Diário de SP, nos cadernos de programação cultural.<br />Internet: Folha, Estadão, Veja, Globo, UOL, Catraca Livre, blogs, site do CCBB<br />Mídias eletrônicas: Televisão – reportagem no SP TV<br />Mídias sociais: Twitter, Facebook, Orkut.<br />
  24. 24.  <br />- Caderno de Mediação “O mundo mágico de Escher”<br />- Caderno de Mediação “ CCBB São Paulo – Um passeio pela história”<br />- Cartazes<br />

×