A existencia de deus

201 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
201
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
37
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A existencia de deus

  1. 1. A EXISTÊNCIA DE DEUSDAMIÃO - Agosto/1999
  2. 2. Tudo que existe temuma causa. O efeito nunca ésuperior à causa. Todo efeitointeligente tem uma causainteligente. Apliquemos estesaxiomas (proposiçõesevidentes) ao exame doUniverso. Coisas, seres,mundos o constituem. Tudoisso que existe é efeito,
  3. 3. TERIA O UNIVERSO SE FORMADO POR ACASO? Teria sido por puro acaso que oselementos existentes tomaram certo impulso edireção, para dar início à formação de tudo? De onde teriam vindo, porém, oselementos iniciais para o acaso lhes dar algumimpulso e direção, depois? E como poderia o acaso (que, pela própriadefinição, não é inteligente) produzir um efeitointeligente como o Universo demonstra ser, emtoda a sua organização?
  4. 4. Não há acaso no Universo. Nele, tudo obedece a leis. Avida material é regida por leis físicas e a vida do Espírito, porleis morais. “O acaso é, talvez, o pseudônimo de Deus, quando nãodeseja assinar.” (Theophile Gautier) A NATUREZA SE CRIOU A SI MESMA? “O mundo me intriga e não posso imaginar que esterelógio exista e não haja relojoeiro.” (Voltaire) De fato, a presença de um relógio com seu maquinismoatesta a existência de uma inteligência que foi capaz deconcebê-lo, montá-lo e coloca-lo em funcionamento.
  5. 5. O Universo pode ser comparadoa um imenso maquinismo e suanatureza, ordem e harmonia estãoatestando que ele tem um Criadorinteligente, de uma inteligênciasuperior a qualquer outra queconhecemos, já que o próprio serhumano (ápice da inteligência naTerra) é, ele mesmo uma criatura, umefeito desse Criador, e não tem amesma capacidade de Deus, não écapaz de criar como Ele o faz. Definição Espírita de DEUS A mais simples, sucinta e profunda definição que,por enquanto, podemos formular e entender a respeito doCriador, está na resposta dos instrutores espirituais à perguntanº 1 de “O LIVRO DOS ESPÍRITOS”: - Que é Deus?
  6. 6. A VISÃO DE DEUS “Ninguém jamais viu a Deus”, afirma Joãoem sua Epístola (I, 4:12). Por que não? Porque “Deus é espírito”(assimensinou Jesus à mulher samaritana, em João 4:24) e,como tal, não pode ser percebido pelos sentidoscomuns, materiais. Não podemos ver Deus com osolhos do corpo. Embora nos seja invisível, Deus não nos étotalmente desconhecido. Se não se nos mostra aosolhos do corpo, Ele se faz evidente ante nossacompreensão por todas as suas obras (a Criação) epodemos senti-Lo espiritualmente, nas vibrações doseu infinito amor.
  7. 7. Quanto mais desenvolvermos nossoconhecimento e sensibilidade espiritual, mais“veremos” a Deus, percebendo, entendendo esentindo sua divina presença e ação em tudoque existe, em tudo que acontece. “Bem-aventurados os puros de coração, porqueverão a Deus”. (Jesus, Mateus 5:8) Os espíritos altamente evoluídos já“vêem”a Deus de um modo mais perfeito. Epodem nos fazer revelações a respeito doCriador, sempre, porém, dentro do que jápossamos entender e sentir.
  8. 8. Para Moisés, presenciar o esplendor das manifestações dos bons Espíritos que lhe falavam em nomedo Altíssimo, observar os mais belos efeitos luminosos que eles produziam, sentir-se envolvido em suas sublimes vibrações e nagrandeza da mensagem que davam, era “ver Deus face a face”.
  9. 9. D E U S É...ETERNO: não teve começo e não terá fim. Se tivesse tido princípio, de onde teria seoriginado: do nada? De um outro ser? E se tivesse fim, que haveria depois dele?IMUTÁVEL: não muda, não se modifica. Se estivesse sujeito a mudanças, as suas leis(que regem o Universo) nenhuma estabilidade teriam, seria o caos (a desordem, aconfusão).IMATERIAL: se fosse material, também seria mutável, sujeito a transformações, como amatéria é. Mas sua natureza é diferente de tudo que conhecemos como matéria. Por isso,não tem forma perceptível aos nossos olhos, nem podemos formar dEle uma idéiamaterial.ÚNICO: não há outro como ele. Se houvesse outros deuses, não haveria unidade deobjetivos nem de poder, na ordenação de tudo no Universo.ONIPOTENTE: tudo pode. Todo o poder está em Deus, porque Ele a tudo fez e, portanto,tudo pode sobre a Sua Criação.
  10. 10. SOBERANAMENTE JUSTO E BOM: não podemos duvidar da justiça ebondade de Deus, porque a sabedoria providencial de suas leis se revelanas pequeninas como nas maiores coisas de tudo que Ele criou. CONCLUSÃO O pouco desenvolvimento das faculdades do serhumano ainda não lhe permite compreender a natureza íntimade Deus. Quando na infância da humanidade, o homem fez deDeus representações antropomórficas e muitas vezes oconfundiu com as criaturas, cujas imperfeições Lhe atribuiu.Mas à medida que nele se desenvolve o senso moral, seupensamento penetra melhor no âmago das coisas; então faz daDivindade uma idéia mais justa e mais conforme à sã razão,mesmo que sempre incompleta. Por ora, ainda nos é muito difícil falar sobre Deus. Oimportante é que O sintamos como nosso Pai Criador, bom ejusto; e que esse conhecimento que temos de Deus venha a nosauxiliar em todos os momentos, ajudando-nos a ter fé, força evontade para agir em todas as situações de nossa vida.

×