Dificuldade Da 1ªRepublica

1.210 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.210
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dificuldade Da 1ªRepublica

  1. 1. <ul><li>Páginas 34 e 35 </li></ul><ul><li>A Monarquia em Dificuldades </li></ul><ul><li>Portugal passou por um grande tempo em dificuldades em que a Monarquia estava desacreditada entre 1890 e 1910. </li></ul><ul><li>Devido ao Ultimato Inglês e ao seu resultado os portugueses ficaram bastante nacionalistas. Foi nessa altura que foi composto o hino nacional “A Portuguesa” e sentiu-se o aumento do sentimento anti-britânico. </li></ul><ul><li>Portugal estava numa grave crise económica e financeira, mas mesmo assim a família real continuava a gastar mais do que lhe era devido. </li></ul><ul><li>Os republicanos queriam o fim da Monarquia e estavam a ganhar apoiantes. Mas quando fizeram uma revolução no dia 31 de Janeiro de 1891 ela foi totalmente fracassada e sem êxito. </li></ul>
  2. 2. <ul><li>Páginas 34 e 35 </li></ul><ul><li>A implantação da República – 5 de Outubro de 1910 </li></ul><ul><li>O rei D. Carlos optou por uma governação autoritária a fim de ultrapassar as dificuldades. </li></ul><ul><li>Em 1908, no Terreiro do Paço, o rei D. Carlos e o príncipe herdeiro D. Luís Filipe foram assassinados. E a principal causa desse terrível incidente foi o rei ter assinado um decreto que permitia expulsar do país ou deportar parar as colónias todas as pessoas que fossem consideradas culpadas de crimes contra a segurança do Estado. </li></ul><ul><li>Devido á morte do rei e do príncipe herdeiro D. Manuel com apenas 18 anos subiu ao trono. </li></ul><ul><li>Entre 1908 e 1910 o país teve 6 governos. </li></ul><ul><li>No dia 5 de Outubro de 1910 houve uma Revolução em Lisboa que pôs fim á Monarquia e implantou a República. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Páginas 36 e 37 </li></ul><ul><li>O estabelecimento de um novo regime </li></ul><ul><li>A partir da Instauração da República o poder passou a ser partilhado por: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Presidente da Pública (poder executivo) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Congresso da República (poder legislativo) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Tribunais (poder judicial) </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>A Constituição de 1911 estabeleceu um regime parlamentar e defendeu a igualdade dos cidadãos e a laicização da sociedade. </li></ul>Nota: laicização é o acto de retirar o carácter religioso.
  4. 4. <ul><li>Páginas 36 e 37 </li></ul><ul><li>As principais realizações </li></ul><ul><li>Devido ao atraso do país, os governos republicanos tomaram medidas. Elas foram: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Na agricultura – aumento da utilização do adubo e da mecanização da agricultura (teve pouco resultado) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Na indústria – desenvolvimento dos sectores dos têxteis, conservas, moagem, metalurgia, cortiça, química e cimentos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>No comércio – desenvolvimento de vias e meios de comunicação (caminhos-de-ferro, automóveis, camiões) </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>A 1ªRepública preocupou-se muito com os trabalhadores e estabeleceu o direito á greve em 1910 e o horário de trabalho d 8 horas diárias em 1919. </li></ul><ul><li>Estabeleceu a escolaridade obrigatória entre os 7 e os 10 anos, desenvolveu o ensino técnico , criou as Universidades em Lisboa e no Porto, reorganizou a de Coimbra. Abriu museus, bibliotecas, jardins-escola e universidades populares. Mas nada deu resultado pois a taxa de analfabetismo pouco se alterou. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Páginas 38 e 39 </li></ul><ul><li>A instabilidade política </li></ul><ul><li>De acordo com a constituição de 1911, o poder executivo dependia do poder legislativo. </li></ul><ul><li>Os governos eram derrubados frequentemente. </li></ul><ul><li>Durante os 16 anos da 1ª República, o país teve 45 governos (média de 4 meses cada um). </li></ul><ul><li>Principais dirigentes políticos da 1ª República foram: Afonso da Costa, António José de Almeida, Bernardino Machado… </li></ul><ul><li>A insegurança política era muita (agressões físicas, ataques bombistas, assassinatos). </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Páginas 38 e 39 </li></ul><ul><li>A oposição dos grupos políticos e sociais </li></ul><ul><li>Devido aos problemas sociais, políticos e financeiros o Governo tinha bastantes dificuldades. </li></ul><ul><li>Descontentamento dos: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Católicos – com as medidas tomadas pelos Republicanos contra a Igreja, expulsão das ordens religiosas, a separação da Igreja do Estado, o estabelecimento do registo civil, o corte de relações com a Santa Sé </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Monárquicos – interessados em restaurar o regime anterior, fizeram vários levantamentos militares; em 1919, durante quase um mês, chegaram a estabelecer uma monarquia no Norte de Portugal até ao rio Vouga (a Monarquia do Norte) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Classes Médias – descontentes com o aumento do custo de vida, a redução do poder de compra e as constantes alterações da ordem pública </li></ul></ul></ul></ul>
  7. 7. <ul><li>Páginas 40 e 41 </li></ul><ul><li>A década de 1920 – o agravamento da situação </li></ul><ul><li>A situação económica e social de Portugal agravou-se na década de 1920. </li></ul><ul><li>Em 1918 e 1926, 30 governos dirigiram Portugal. </li></ul><ul><li>Eram constantes as cenas de pancadaria e o desafio para duelos nas sessões do Parlamento. </li></ul><ul><li>As classes poderosas (industriais e comerciantes), o exército e os funcionários públicos estavam descontentes com a República. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Páginas 40 e 41 </li></ul><ul><li>O 28 de Maio de 1926 </li></ul><ul><li>Alguns sectores da sociedade portuguesa desejavam um regime forte que impusesse a ordem e a tranquilidade. </li></ul><ul><li>Correspondendo aos apelos da opinião pública, em 28 de Maio de 1926, tropas comandadas pelo General Gomes da Costa, revoltaram-se em Braga e dirigiram-se para Lisboa. </li></ul><ul><li>Instaurou-se uma ditadura militar. </li></ul><ul><li>Entre os novos dirigentes destacou-se Oliveira Salazar, professor Universitário, primeiro foi Ministro das Finanças e depois foi Presidente do Concelho. </li></ul>

×